Username: HistorienBD [Contato] Nome: Stephanir Lopes
Membro desde: 08/01/2018
Status: Membro
Bio:

[Informar violação das regras]


Histórias de HistorienBD [0]
Comentários por HistorienBD


Por que sei que É amor por contosdamel

Classificação: +18 • 31 Comentários starstarstarstarstar

Sinopse:

Primeiro conto fictício da escritora.


Primeira fase da estória de Isabela e Suzana, no meio da medicina, as duas se envolvem em uma intensa historia de amor, que muda a vida da acadêmica de medicina (Isabela) e a chefe da emergência Suzana, para sempre.



Leitor: HistorienBD Assinado
Data: 05/03/2018 Titulo: Capitulo 20: Capítulo 20: ESQUECENDO SUZANA

Eu acho a Camila fofa, não sei com quem quero que a Isa fique...

Pois não consigo me condoer com a Suzana, tenho pena mesmo (sentimento triste para se ter por alguém), ela nunca saiu dessa relação abusiva com a ex - que, na boa, se a amasse não pediria coisas tão egoístas e imbecis (parece que apesar de estar morrendo ela quer provar para o mundo, e esfregar na cara da Isa, que a dona da Suzana é ela e falo isso pela forma asquerosa que ela agia quando a Isa ainda estava no hospital do RJ).

Não acho que doenças deem a alguém o direito de sugar e torturar a vida do outro, o que ela fez é sacanagem e a Suzana foi uma imbecil por ter traído a Isa na cara dura - a traição vai muito além da transa, vai pelas atitudes desleais que teve com a Isa por meses no hospital, as humilhações e abandono.

Mas ao fim e ao cabo, acho que a Suzana precisa é de um psicologo, uma terapia mesmo, urgente.

Ela esta doente, e o que pediu e disse a Isa é asqueroso e doentil, ela não tem condições de fazer ninguém feliz (nem a si própria) e essa ex vai sugar ela até a morte e a deixar mais do que na merda.



Jogando com o amor por Raquel Amorim

Classificação: +18 • 42 Comentários starstarstarstarstar

Sinopse:

Quando uma pessoa divaga ela acaba pensando demais, raciocinando demais, exigindo demais, isso era algo que Helena fazia muito, dona de uma timidez, mas força de vontade absurda, a garota de 18 anos sempre gostou de jogar futebol, tanto que foi observada pelo grande Paris Saint-Germain, agora, camisa 10 do grande clube, a garota mora em Paris, com o salário que ganha ajuda os pais e vive em um luxo que muitos queriam, mas para ela sempre falta algo. A jogadora tem uma namorada, a possessiva, Heloise, sempre tem o que quer, e isso inclui a morena, dona de uma beleza naturalmente brasileira, corpo moreno bronzeado, cintura fina e bumbum avantajado, ela a queria, e a conseguiu, mas todos percebiam que aquele relacionamento ia além de um simples namoro, todos percebiam que era errado, inclusive Diane, essa que despertou sentimentos por Helena, até então desconhecidos, até onde isso iria atrapalhar? Até que ponto Helena iria suportar? Ela tinha dúvidas e era carente, Heloise lhe dava amor e proteção, ou era isso que a garota ingênua pensava, mas eis que sua história será contada. Conheçam Helena Andreoli e se deliciem com essa estória de amor e superação. Isso não é uma história comum, nao é um triângulo amoroso, são mulheres com pernsonalidades ainda em processo de descoberta e construção, que precisarão enfrentar as próprias dúvidas para saber lidar com o próximo. 


 


 


 


OBS: Serão abordados temas aqui como, traição, possessividade, relacionamento abusivo, perdão e futebol. (Algumas palavras em francês serão ditas, mas terão as traduções).



Leitor: HistorienBD Assinado
Data: 05/03/2018 Titulo: Capitulo 20: XX

Olha, é a segunda vez que tento fazer essa postagem, Na anterior o site me deslogou e ainda estou bem estressada e fragilizada - você vai entender o porque - então desculpa a brutalidade.

Eu li sua nota, entendi, mas discordo. Por quê? Porque eu já vivi uma relacionamento abusivo e existem motivos das histórias acabarem com as personagens separadas, e é simplesmente porque é isso que acontece. E é o mais saudavel para ambas.

Relações abusivas não começam necessariamente assim, em geral começam bem e as pessoas chegam a ser felizes, mas depois isso desaba. No texto anterior que fiz expliquei direitinho, mas eu não consigo fazê-lo de novo justamente pelas marcas que isso deixa na gente. Relações abusivas causam muito desgaste emocional e sempre tem abuso moral, as vezes rola agressão física e sexual. Essas histórias não tem finais felizes porque a relação abusiva suga um dos lados, é uma relação desigual e a pessoa precisa de ajuda psicológica.

A vítima se sente culpada e vai se anulando cada vez mais para evitar brigas e porque o parceiro coloca a culpa nela e chega a colocar que ela é tóxica, que tudo aquilo é culpa dela e que ela age assim pois a parceira provocou/mereceu/induziu. Talvez a pessoa abusadora até seja capaz de amar, mas aquele é um amor doentil, ela tem uma percepção errada sobre as coisas e as relações se acabam pelo desgaste e pelas violências, ainda que existam fases de paraíso, o abusador volta a ser quem é e por isso a relação acaba - a vítima se anula e e sugada. Helena, apesar de tudo, parece ter conflitos sobre a vida dela, algo que natural a idade dela, a carência dela pode ter a ver com a solidão de esta em outro país e por ser muito nova mas a gente tem que aprender a ser feliz sozinho para ser feliz com outra pessoa - acaba soando como uma co-dependendia, onde uma supre a necessidade da outra, o que também não é saudavel.

Ninguém deve se resignar a um estado de tortura psicológica e as vezes física para curar o outro - eu tentei cuidar e entender a minha ex, as crises dela e me apegava nas migalhas de afeto e doçura dela para justiicar e me manter lá até ela ficar bem e ser a mulher que amei profundamente....isso só me rendeu um problema de ansiedade que me acompanhará para sempre, crises de pânico, quase perdi meu mestrado, me afastei de amigos e família, fiz 2 anos de terapia sem conseguir alta e até hoje (quase 3-4 anos depois) isso impacta nas relações que tive.

Ficar ao lado de alguém nessas condições pode soar romântico, tipo "verdadeiro amor", mas não é. Na real, é desgastante, humilhante, confuso e solitário.

O amor não deve ser justificativa para a destruição de ninguém e devemos mudar por nós mesmos, não pelo outro - e isso eu aprendi na terapia, com um psicólogo.



Resposta do autor:

Entendo completamente, mas a minha intensão é justamnte mostrar de outra forma, a estória ainda está em desenvolvimento, e claro que ainda vão acontecer muitas coisas, Heloise irá a um psicólogo, mas será que só ela precisa? São muitos poréns e porques que ainda serão trabalhados. Entendo seu ponto de vista e concordo, até porque eu nunca passei por uma situação assim, mas o que quero mostrar, como já disse, é justamente um final diferente de todos os casos como esse, minhas histórias todas tem final feliz, espero que essa também tenha. Bjuss e obg pelo comentário.