Fronteiras por millah


[Comentários - 83]   Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

 

Ela entrou deslumbrada com a casa da Marga e com isso sentei no degrau ainda curiosa com essa amizade improvável. Marga a recebeu mas a sala e cozinha no térreo cegaram minha mãe com tanto luxo.

--tudo é tão lindo Marga. E olha essa cozinha!—ela estava impressionada de fato e Marga não tirava os olhos brilhantes dela.

--é,(rs) de linha,ultima geração. Fogão por indução, a geladeira tem ate musiquinha se você quiser ouvir (rs) bancada de mármore e pia com todos os apetrechos de madame.

--to vendo..

--eu te falei..não é tão ruim assim.

--sabe bem que não é sobre isso..

Elas me viram e logo a cara preocupada da minha mãe que por instantes apareceu sumiu e veio sorridente a mim.foi estranho mas não me apeguei a isto.

--viu só como a casa da Marga é incrível filha.—ela estava empolgada ou queria me passar isso.

--mãe.

--é bem mais bonita do que aquelas casas das madames rica da agência de onde trabalho.

--vá ver os quartos. Mari ganhou um e o seu te espera. —Marga adentrou em nossa conversa e era só sorrisos.

Mamãe subiu as escadas as pressas toda animada como uma adolescente e aquilo era estranho ate para mim.eu não estava acostumada a ver minha mãe tão deslumbrada de algo como agora. Marga por outro lado assistiu minha mãe subir as escadas e seus olhos marcados pelo lápis e delineador de cor forte acompanharam a subida dela em cada passo com seu vestido florido. Parecia ate se deliciar com a boa vista. Minha mãe era linda dos pés a cabeça com seus quarenta e cinco de puro trabalho duro,tinha belos olhos que prendiam a atenção de qualquer um e um sorriso brilhante,ela era linda de qualquer forma e eu diria isto ate mesmo dos ossos calejados da minha mãe mas ver Marga apertar os lábios com os dentes já era demais. Que abusada!

Lina entrou e veio com a mesma cara feia de cachorro bravo ate Marga e cochichou algo no ouvido dela sem tirar os olhos de mim.

--eu tenho que ir. Volto a noite e com isto cuida da minha casa e da sua mãe.—disse Marga apressada.

As duas partiram e não perdi um segundo e procurei minha mãe e a encontrei em seu quarto como diria Marga.

--por que a gente tem que ficar aqui?

--filha, a Marga sempre foi minha amiga e..eu deveria ter te contado mas..ela me ajudou com você. Ela ajudava pessoas como nós, se importava com as crianças dessa comunidade, ate com o esgoto ela se preocupava.(rs)

--É, e agora mata traficantes, vende armas, encheu o morro de minas armadas e sabe lá o que ela foi fazer que teve que ir correndo! Não vamos ficar aqui, vamos embora!

--não filha.

--a gente vai sim!!nem que seja pra morar na rua.

--você não vai morar na rua Mari! Você não aguentaria um dia virgem na rua!!...a nossa casinha foi tomada. Ela foi construída pelas minhas mãos, mas o terreno não é nosso, é do vizinho. Ele me cobrou aluguel e eu paguei mas agora ele quer fazer um puxadinho para o filho dele e..viramos merda para ele.

--mas a gente pagava né,temos todo o direito de..

--ele não quer saber filha. Ele ate aumentou o aluguel pra fazer a gente correr de lá.

--por que não me contou isto?

--eu não queria te preocupar.

--mas mãe..eu faria de tudo!!

--por isso mesmo Mari..olha,Marga tomou difíceis decisões na vida que a tornaram quem ela é hoje. Mas eu a conheço sei da sua historia e sei que ela ainda é uma pessoa boa embaixo daquela casca dura. Ela nos trouxe ate aqui e acredite quando digo que não pedi por isto. Dá uma chance a ela Maria. Não é isso que você tanto preza? Uma chance de mostrar sempre o melhor de nós?—ela falou e eu tinha que admitir,ela usando minhas palavras contra mim pareceu um bom argumento. Ela conhecia um lado de Marga ainda desconhecido por mim então eu tinha que dar o braço a torcer.

--..ate eu conseguir meu emprego.

--ótimo! Não mais que isso.

--ai alugamos uma kitnet e voltamos a nossa vida.

--como quiser, mas não quero ver você discutindo com Marga filha. A gente pode ser amiga mas não posso garantir nada com ela. Não quero que ela te machuque.

Depois daquele aviso da minha mãe eu não queria nem saber o que Marga era capaz de fazer comigo depois de qualquer não meu. Morar ali seria algo temporário para nós mas minha mãe já mantinha o sorriso no rosto ansioso para cozinhar na luxuosa cozinha da Marga então o tempo que passaríamos ali por ela seria muito bem aproveitado.

****

Passou algumas horas e usei para ajeitar minhas coisas no quarto e mal dei por mim a noite caiu e as luzes da cidade se acenderam e iluminaram a vista da minha janela.eu podia ver o mar ao horizonte e as estrelas no céu tão nítidas pra mim era como se eu estivesse mais perto delas ate as luzes do morro se fizeram presentes como luzinhas em uma arvore de natal. As casas morro abaixo se iluminavam e tudo se tornava tão belo que eu poderia ficar ali tirando de mim toda essa carga emocional e de tantas surpresas em um só dia. Era a coisa mais linda que já vi. Contudo o cheiro do jantar subiu ao meu nariz e o meu estomago logo reconheceu o cheiro da comida da minha mãe.

Ironicamente, Lina e Marga chegaram e ver aquela dupla rindo na porta da casa me fez pensar que seria assim daqui para frente.do café da manha ao jantar, a rainha do crime e sua sombra. Meu sossego não existiria naquela casa.

--valeu Lina. Por hoje vou ficar de boa.—disse Marga já perto da porta principal.

--qual é Marga, me deixa experimentar a comida da patroa também.—Lina abriu o sorriso e estava ouriçada se aproximando dela apressando os passos.

--não.—retrucou Marga secamente virando-se a ela.

--eu tô com fome! E aquele cara deu trabalho.

--eu sei, por isso vá pra casa ou melhor, arranja uma garota no baile e como sempre coma na casa dela.

--(rs) eu sou irresistível mas com fome Marga?Eu sou péssima! E meus direitos trabalhistas? Libera ai..

--(rs) vai.

Lina voltou pelo mesmo caminho e pensei que estava escondida o suficiente na minha janela mas Marga olhou para mim antes de entrar e isso foi assustador, eu não tinha feito um som sequer daquela janela.eu tinha que me acalmar pois meu peito só faltava sair pela minha boca.

--tudo vai ficar bem.eu só preciso de um emprego e a gente da o fora daqui. É isso! Um emprego..mas ainda preciso do meu curso..tudo bem,eu consigo. Tudo vai se resolver.

Demorou um tempo para eu criar coragem e descer as escadas para o jantar. Aquele lugar me oprimia e jogava na minha cara todo luxo que uma pessoa consegue trapaceando. Não era justo ela ter tudo aquilo e as pessoas que ralava terem tão pouco. Respirei fundo e continuei, porem as vozes baixas na cozinha me fizeram parar antes do fim da escadaria e isso já era a segunda vez que eu me prestava aquele papel.

Minha mãe preparava a comida nos pratos e Marga a observava meticulosamente por trás.

--sabe que não precisa se preocupar com isso. Podemos pedir um ifood.

--nada disso. Comida caseira é a melhor coisa do mundo.

--você é a melhor coisa do mundo.—ela se aproximou da minha mãe e a agarrando pela cintura ela roçou sua boca no pescoço dela. Minha mãe riu apesar da tentação e continuou calada. Eu surtaria no lugar dela e não entendi porque ela também não estava surtando. O que me deixou bem curiosa com essa amizade da minha mãe e Marga. Que tipo de amiga era essa??

--nem venha. Não vou cair mais nessas suas cantadas.—disse minha mãe tentando afasta-la enquanto preparava a salada.

--(rs) poderia dar certo.de novo.—Marga não escondeu o sorriso tímido ao falar.

--deu um tempo atrás e o que você fez?

--você me deixou por aquele cara lembra? E onde ele esta agora? Onde eu sempre estive?

--porra Marga, nunca daria certo. Você era jovem,eramos..e seguimos rumos diferentes.

--e agora estou velha? É isso? Temos quase a mesma idade querida e pelo que eu sei você não foi para lugar nenhum.

--você sempre distorce as coisas.

--então vai me dizer que não quer me beijar agora? Isso é distorcer a verdade? Quando vejo nos seus olhos implorando por isso. Sabe que eu poderia te dar tudo né?—disse Marga e isso me assustou. Que conversa era essa???

--não...—minha mãe virou e sua cara não era de muitos amigos. Ela estava ficando puta e eu conhecia bem a figura quando ficava assim.

--Mari esta no quarto. Deve estar adorando ele.curtindo tudo..assim como voce também deveria.—disse Marga abrindo o sorriso mais safado que já vi e do nada ela puxou minha mãe pela nuca e a beijou. Uma surpresa que me fez tremer.

Não era qualquer beijo, Marga esperava por isso há muito tempo já que pegou minha mãe com vontade arrancando dela suspiros quando ela esbarrou suas costas a bancada totalmente presa naquele beijo.Marga sequer permitia ela se afastar com suas mãos bobas percorrendo do seu queixo ao pescoço e dele descendo mais pra baixo do qual tava me deixando tensa somente em olhar.Que porra era aquela??!! Meu coração batia acelerado vendo ela devorar ela fazendo minha mãe esquecer toda a comida para sentar na bancada enquanto ela se deliciava da minha mãe. Aquilo me paralisou eu não parava de assistir Marga beijando minha mãe e tocando todo seu corpo com vontade e nem menos chocada por ver minha mãe profundamente se acabando no beijo dela. Era obvio que estava maravilhoso para as duas porem novamente fui pega por ela. Marga abriu seus olhos e me viu mas diferente do que pensei ela não parou nem se assustou ou hesitou. Ela continuou beijando minha mãe enquanto me observava. Eu não podia fazer nada além de subir de volta, mas somente o suficiente para fazer o barulho necessário que Marga e minha mãe ouvissem e acabassem com aquela palhaçada.

Eu ia fingir que não vi nada e Marga ia com toda certeza fazer o mesmo. Por isso desci calmamente.

--filha, o jantar esta pronto.—disse minha mãe da forma mais amável do mundo e que nem parecia que estava cheia de tesão segundos antes.sorte a dela não esta de batom.

--com fome Mari?—perguntou Marga com uma cara debochada que tive que me controlar.

--eu não sei..tem tanta coisa acontecendo que é difícil saber.—falei e Marga no mesmo instante me encarou seriamente.se pudesse me esganaria.

--(rs) você logo se acostuma.—falou Marga me dando umas batidinhas nas costas e ajudou minha mãe com a mesa e esse jeito dela estava começando a me irritar.

Jantamos e era inacreditável. Elas conversavam como se não estivessem se comendo minutos antes. eu não ia aceitar isto.

--sério que vocês não vão me falar nada?—soltei os talheres e falei ganhando a atenção de ambas.

--do que esta falando Mari?—minha mãe se fez de desentendida.

--Mari não seja inconveniente.—Marga completou ainda de boca cheia.

--por que estavam se beijando??

--o que?—minha mãe ainda estava tentando me enganar porem ate na cara dela estava explicito seu desespero.ela ria de nervoso já Marga estava a mesma de sempre e continuou comendo.

--mãe eu vi!

--o que tem de mais?—perguntou Marga raivosa.--Você tem alguma coisa contra? É preconceituosa??!(rs) e eu pensando que esses jovens fizessem cada coisa pior.

--Marga para com isso.eu sabia que isso ia dar merda..—retrucou minha mãe sem muita vontade de continuar a comer.

--Helena vá para o quarto.—disse Marga e com isso estranhei.aquilo foi uma ordem?

--(rs) ela é minha filha e dela cuido eu.—respondeu minha mãe mas Marga suspirou recostando-se na cadeira e me encarou.

--eu não vou fazer nada com ela, só vamos conversar. Meu lado dessa historia é bem mais interessante.—dissera ela e seu ligeiro sorriso me interessou ao que ela queria falar.

Minha mãe suspirou e aceitou nos deixar mas eu via a preocupação em seu rosto e quando ela sumiu depois de subir as escadarias Marga veio ate mim como uma leoa pronta para me devorar. Ela se ergueu de sua cadeira e me puxou pelo braço e me levantou da cadeira e chocou minhas costas na parede.

--você disse que não ia fazer nada!—a lembrei e ela riu brevemente.

--para sua sorte! Essa aqui é a porra da minha casa entendeu. Eu faço o que eu quiser com tudo que me pertence. Você ainda não sabe a sorte que tem por ela ser sua mãe porque depois dessa (rs) se ela não ligasse eu arrancaria a tua pele e veria quanto tempo você aguentaria viva!

--não vai usar minha mãe como uma puta sua!—retruquei no mesmo tom irritado do dela.--E eu tenho todo o direito de saber! Porque foi por isso que fez essa caridade? Pra ficar com ela?!!vai se foder!!—gritei mesmo morrendo de medo de levar um tapa na cara com ela tão perto de mim.

--(rs) você não sabe o quanto eu gosto dela.

--então onde estava quando ela precisou de você? Quando ela adoeceu ou quando passamos uma semana sem ter o que comer porque nos roubaram!

--sua mãe sempre foi orgulhosa..acha que eu não queria cuidar da pequena Mari?—ela passou seu dedo no meu rosto e bati em sua mão. Ela ria disso tudo tao debochada que nada parecia real saindo daquela boca.

--me larga!—me sacudi mas ela não me soltou.

--ela escolheu viver la mas isso aqui é uma vida nova, um novo começo para você e para ela então se vai me desrespeitar eu vou ter que cortar a sua língua. Porra não é crime gostar da sua mãe.(rs) eu vi o jeito como nos olhava..essa raiva não é de uma filha ciumenta. O que foi? Ela nunca te deixou curtir uma buceta também?

Eu me livrei dela com um empurrão e subi as escadarias ate o meu quarto. Marga me irritava tanto e nem com minha mãe implorando na minha porta eu ficaria ali. Peguei minha bolsa e atolei algumas roupas apressada e sai do quarto.

--filha não faz isso.—pediu ela me seguindo no corredor.

--quando ia me contar?!

--a gente não tem nada!!

--nada?transariam na cozinha se não fosse por mim então fiquem a vontade!!

--Mari?!!

--não é o fato de você gostar de mulher mãe mas o fato de ser ELA!!de todas logo ela!?

--não temos nada Mari!ela que é insistente!!

--exatamente, sua mãe só sabe me usar e abusar.—ela apareceu  nas escadas e não estava nenhum pouco preocupada com aquele sorriso no rosto.

--Marga.—minha mãe repreendeu ela mas eu não queria saber.

--eu vou embora.—falei e ela não disse nada quando passei.

--filha.

--se você sair acredite mocinha quando voltar vai ficar de castigo.—Marga falou toda irônica mas estava adorando tudo aquilo,esta nítido no semblante sorridente dela.

Eu não ligava para essa coisa de gangue e muito menos para as ordens da Marga e sai. Foi simples deixar a casa dela e voltar para os becos escuros, mas quem me dera fosse fácil sair do morro sem ser vista por seus olhos vigilantes.eu estava indo muito bem ate ouvir os rádios comunicadores delas passar a ordem de Marga para me acharem. Eu me apressei para descer assim que via cada uma delas correr atrás de mim. Eu era rápida e conhecia aquele labirinto como ninguém e para mim era apenas mais um dia como outro qualquer, fugindo das garras de Marga.

Fui cansar já ao alcançar o baile próximo de uma das saídas do morro mas aquela multidão de gente dançando e som alto me fizeram arriscar entrar naquele mar de gente desviando de todos com seus copos de cerveja na esperança de deixar aquele lugar o mais rápido possível.

De repente a minha frente Lina surgiu conversando com uma garota sentada ao seu colo em uma das mesas do bar. Não preciso nem falar que minha sorte se acabou ali quando ela parou de sorrir e me encarou feio como sempre.

--fala sério.—falei cansada e ela realmente tinha me visto.

--HEY o que você..

Eu corri e ela veio atrás de mim assim que me viu com minha mochila nas costas.eu tropecei mas nem assim deixei de me mover por baixo daquele baile e entre pernas eu escapei da Lina. Acho que ela me perdeu de vista assim que cai. Foi o tempo que eu precisava para fugir do baile e descer as escadarias o mais rápido que podia.

Agora era só eu e a saída e assim que deixei a entrada do morro eu respirei aliviada. O mundo por ali ainda era normal. As pessoas viviam de verdade suas vidas e não aquela loucura de rainha do crime e seus súditos.

--licença. —parou um rapaz a minha frente e eu parei.ele parecia perdido junto com mais um amigo.

--sim.

--você é Maria não é? Filha da Helena?—perguntou ele e ate estranhei.

--..sou.

--é ela.

--o que?

O cara que o acompanhava me pegou e me colocou sobre o ombro e fui levada a força de volta a favela. Que droga!!não importava os socos e chutes ele não me soltava.Quem eram aqueles merdas?!!

Notas finais:

em um grau de 0 a 10 quanto vocês acham que Mari esta ferrada?deixem a moita e comentem.



Comentários


Nome: Lea (Assinado) · Data: 18/05/2022 19:23 · Para: Capitulo 2 Fogo contra fogo

Que pegada foi essa na cozinha! Adorei.

Parece que a Mari se encrencou!

 

 



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.


Ou comente usando seu Facebook: