Voltas que a vida dá! por Gee


[Comentários - 42]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

- PUTA QUE PARIU. –Só fiz tomar folego pra voltar a gritar de novo. – EU SABIA QUE VOCÊS IRIAM ACABAR FICANDO JUNTAS, TINHA CERTEZA QUE NÃO ESTAVA ERRADA QUANDO PERCEBI A TROCA DE OLHARES. – Estava eufórica e fui até elas.

- Para perceber as coisas fora a senhora não é lerda não é Reis? – Vanessa fala rindo.

- Claro, sou detetive particular tenho que perceber as coisas ué. Desde quando? Aliás, desde que horas? Porque no final de semana Gisele estava com Simone.

- Desde ontem, não podia mais deixar sua amiga escapar, desde que ela foi em casa com Celo eu não consegui não olhar para ela e desejar beija-la. – Gisele fala acariciando o rosto de Vanessa e beija seus lábios e eu parecia aquelas senhorinhas suspirando assistindo a novela das oito.

- Não te contei Rê porque eu estava tentando entender e hoje mal nos falamos, iria conversar com você, mas aí aconteceu o lance do ex babaca da Gisele. – Vanessa fala séria.

- O que vão fazer? O James está te perseguindo? Posso falar com um amigo bem influente da política, aquele do BDSM para dar um susto nele, garanto que o maior medo dele deve ser ir a falência. – James e Gisele se conheceram no trabalho, por ser arquiteta ela contratou a empresa de construção do James que na época estava começando, hoje ele só tem o que tem por conta da influencia de minha cunhada e da família Vilela.

- Como sabe dos negócios dele? – Gisele pergunta séria. – Afinal geralmente é o meu nome que vai na frente de todos os projetos.

- Esqueceu que ela é detetive Senhora Gisele? Minha amiga é a melhor, deve saber tudo de você também inclusive. – Vanessa fala vindo para meu lado e encara a Gisele que fica corada.

- Inclusive irei saber tudo o que rolou em sua despedida de solteira. – Falei cruzando os braços e Gisele caiu na gargalhada.

- Conversei com Vanessa, irei fazer um B.O e quero ver se ele continuará com essas ameaças caso continue irei vazar para a mídia e acabo com a empresa dele.

- Uau estou cercada de mulheres poderosas – Minha linda namorada chega de surpresa e por sua carinha não gostou nada do que ouviu. – Agora Gisele me explique essa história de ameaças.

- Não era para estar na faculdade mocinha? – Gisele fala tentando brincar, mas minha ruiva estava com uma expressão séria.

- Não sou criança Gisele, e fui informada no meio do caminho que não teria aula e voltei para cá. E desde quando esse imbecil está ameaçando você?

 - Desde hoje Cau, calma. Estou com uma delegada e sei que ela vai me proteger e sem contar que minha cunhada tem amigos influentes e ainda sou uma Vilela, portanto estou segura. Só fiquei aflita no começo, mas agora estou mais calma.

- Independente de qualquer coisa sou sua irmã, tenho certeza que também sou sua melhor amiga tenho o direito de saber de tudo de sua vida Gisele. – Claudia estava bem chateada.

Minha cunhada caminhou até a irmã e abraçou, beijou sua testa e Vanessa e eu decidimos deixar as duas irmãs conversarem. Saí de mãos dadas com Vanessa, fomos para a cozinha preparar algo para comer.

- Porque não contou antes? Poderia te ajudar a entender seus conflitos. – Falei abraçando minha amiga.

- O único conflito que tinha é por achar que não tinha chances com a Gi, sabia que também gostava de meninas desde que fiquei com Simone. – Eu parei e olhei para ela.

- VOCÊ PEGOU A SIMONE? – Recebi um tapa dela. – AIII, grossa.

- Cala a boca, Gisele não sabe disso. Foi só uma noite, nada mais.

- Quanta coisa mais me esconde? Estou de cara com você! Mui amiga. – Saí andando com raiva.

- Ahh loirinha nem vem, achei que tinha desconfiado no dia que falei que a Simone dormiu em casa.

- Claro, porque a gente também transou todas as vezes que dormimos juntas.

- Desculpa vou te contar tudo a partir de agora. – Falou me abraçando.

- Pode começar a contar essa história da Simone agora Senhorita Vanessa. – Gisele fala com uma cara de poucos amigos.

- Relaxa maninha, rebuceteio é normal no nosso mundo. – Comecei a gargalhar com Claudia e Vanessa, mas minha amiga logo parou ao ver a cara de poucos amigos da Gisele.

- Gi, foi bem antes de sonhar em conhecer você. Simone havia acabo de ser transferida de cara nos demos bem e aí decidimos sair para ela conhecer a cidade, bebemos um pouco a mais, levei ela para meu antigo apartamento e aí rolou. – Falou abraçando minha cunhada.

- Sabia que tinha rolado alguma coisa entre vocês a cara de pau da Simone deixou algo no ar quando você entrou na piscina, aquela tarada só faltou te comer com os olhos. – Fez uma carinha zangada que eu não aguentei e comecei a rir.

- É, mas não era em minha boca que ela estava beijando esse final de semana. Passado é passado, só vivemos uma noite e nada mais. Simone não se apega a ninguém, talvez até tenha um amor na cidade dela. – Minha amiga abraça Gisele e começa a encher ela de beijinhos, confesso que estou passada não que Vanessa não seja carinhosa, mas é que fazia anos que eu não via ela demonstrar afeto com ninguém além de mim.

- Juro que eu deveria era ter te arrastado com a gente ao invés do Celo... Vocês estão mais melosas que eu e Renata. – Claudia fala rindo.

- Não enche Cau. – Gisele falou rindo.

Eu realmente estava feliz, não só por mim e Claudia, mas também por Vanessa e Gisele, eu nunca imaginei que a Vanessa tinha ficado com Simone e mais ainda se sentisse atraída por mulheres também, ainda iria tirar essa história a limpo, mas quando estivéssemos sozinhas pelo que percebi Gisele é muito ciumenta.

Acabamos pedindo pizza para jantar logo após comermos, Vanessa foi com Gisele para o apartamento dela e eu e Claudia ficamos com a casa só para nós duas. Fomos para meu quarto e enquanto Claudia foi tomar banho fiquei checando alguns e-mails e selecionando alguns trabalhos, não demorou muito até minha namorada aparecer no quarto apenas de toalha e logo minha atenção foi para ela. Claudia ficou de costas para mim procurando algo em sua mochila que logo descobri ser um hidratante, logo após achar virou para mim sorriu e colocou a perna direita em cima da cama e começou a passar o hidratante em sua deliciosa perna torneada, eu não queria e nem tentei disfarçar meu olhar, estou começando achar que ela fez de propósito. Após finalizar a perna direita ela foi para a esquerda e eu apenas desliguei meu notebook, coloquei no criado mudo ao meu lado e continuei apreciando a imagem de Claudia se hidratando, internamente estava torcendo para ela subir mais um pouco as mãos para que eu visse mais um pedacinho de sua pele, logo ela deixa a toalha cair no chão, minha pele arrepiou, senti meus batimentos cardíacos acelerados, a visão de seu corpo nu me deixou com água na boca, lentamente ela começou a passar o hidratante em sua barriga, seios, pescoço e quando olhei em seu rosto vi um sorriso safado formado em seus lábios.

- Pode passar em minhas costas e braços amor? – Óbvio que não neguei, peguei o frasco do hidratante de suas mãos, o cheiro que vinha de sua pele era delicioso, virei-a de costas para mim e lentamente comecei a passar o hidrante, primeiro em seus pescoço, logo vi sua pele arrepiar, desci minhas mãos lentamente aproveitando para conhecer cada pedacinho de suas costas, cheguei em seu quadril e apertei de leve, ouvi um gemido baixo da minha namorada e não aguentando mais enrolei seus cabelos vermelhos em minha mão esquerda e puxei um pouco, beijei e mordi seu pescoço e escorreguei minha mão direita até seu sexo, Claudia levou sua mão até minha nuca e puxou meus cabelos de leve, mordi o lóbulo de sua orelha.

- Abre as pernas para mim abre amor?! – Sussurrei em seu ouvido e logo fui atendida e pude sentir sua excitação. – Que delícia amor, toda molhadinha para mim. – Deslizei meus dedos por seu sexo sentindo sua carne quente e seu grelinho inchado. – Coloca uma perna em cima da cama vai?! – Minha ruivinha atendeu meu pedido e com a perna apoiada na cama ficou toda exposta para mim.

- Não me torture meu amor, preciso de você dentro de mim. – Falou gemendo e o meu tesão chegou ao auge, numa forma desesperada de aliviar mordi seu pescoço e logo a penetrei com meus dedos. – O gemido da minha amada saiu alto, sua pele arrepiada e seu rebolado em meus dedos me deixou em frenesi, poderia gozar a qualquer momento. Meus dedos entravam e saiam de seu sexo com facilidade, estava tão molhada que fiquei com a boca salivando.

- Senta na cama de pernas abertas para mim, preciso sentir seu sabor de novo. – Pedi sussurrando em seu ouvido e minha atitude causou um tremor em seu corpo, como uma boa garota que ela é, sentou me olhando mordendo o lábio inferior abriu as pernas e me chamou com o dedo indicador. Tomada pela luxuria, ajoelhei a sua frente e avancei em seus lábios, beijei-a com todo meu desejo, Claudia mordia e chupava minha língua, gemia e me apertava, arranhava, passei a beijar sua mandíbula, pescoço, mordi de leve o biquinho de seu seio esquerdo, desci para sua barriga até ficar frente a frente com seu sexo, não fiz cerimonia abocanhei sua fenda, passando minha língua bem devagar, sentindo seu gosto, sua temperatura e a textura de sua carne deliciosa, como resposta Claudia soltou um urro alto e a pressão que já estava incomoda em meu ventre me fez estremece, minha calcinha estava completamente molhada e para piorar, aliás, melhorar a situação, minha namorada puxa meu cabelo e vai me guiando, controlando a situação.

- Isso amor... Que boca gostosa, chupa assim, tá bem gostoso vai. - Olhei em seus olhos e vi desejo neles, penetrei minha língua e senti-a tremer, seus gemidos aumentaram de acordo com que entrava e saia de dentro dela, a senti puxando meus cabelos cada vez mais e ao invés de sentir dor senti prazer, queria mais dela, queria deixa-la sem forças e rouca, penetrei dois dedos em sua boceta deliciosa e chupei seu grelinho mais forte, a minha ruivinha soltou um palavrão e logo se desmanchou para mim não esperei ela se recompor, meu corpo estava desejoso, meu sexo pingando de excitação, agradeci por estar apenas de blusão e calcinha, arranquei tudo e me encaixei entre suas pernas o sorriso de Claudia só me deixou ainda mais excitada, segurei seu pescoço apertando de leve com a mão direita e com a esquerda puxei seus cabelos mais forte, ela mordeu o lábio inferior e me beijou, aumentou seu rebolado e passou a arranhar minhas costas que com certeza ficaria marcada mas eu não estava nem aí, a dor junto ao prazer é deliciosa, sentia meu sexo deslizando no dela, nós duas desesperadas por mais contanto, gemidos misturados, o barulho que saia dos nossos sexos tudo influenciou para o orgasmo intenso que eu tive... Meu corpo tremia, perdi as forças e me joguei em cima de Claudia, ouvia seu coração tão acelerado quanto o meu, ela me abraçou forte e sussurrou baixinho.

- Eu te amo Renata.

 

Notas finais:

Atrasada mas divida paga! Me desculpem de verdade meninas!

 

Beijos, beijos

 

Gee



Comentários


Nome: Rain (Assinado) · Data: 22/01/2021 21:23 · Para: Capitulo 12

Eita que Gisele é ciumenta e todo poderosa. Mas, ainda acho que ex vai dar um pouquinho de trabalho. Será? 

Cláudia e Renata horas as fofas horas são quentes e esse "Eu te amo" no final foi lindo!

Abraços, autora! Fique bem e volte logo. Ate mais!



Nome: Irinha (Assinado) · Data: 22/01/2021 18:28 · Para: Capitulo 12

Oi ! Tô amando essas 4 mulheres. Elas são maravilhosas.bjs



Nome: patty-321 (Assinado) · Data: 22/01/2021 12:33 · Para: Capitulo 12

Capítulo delicioso.



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.


Ou comente usando seu Facebook: