A dona do bar por Van Rodrigues


[Comentários - 5]   Imprimir Impressora - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

Notas da história:

Olá,

Hoje, resolvi postar aqui este conto que está em meu blog.

Espero que gostem.

Link de meu blog:

http://autoravanrodrigues.blogspot.com/

Link do meu instagram:

https://www.instagram.com/romances_lesbicos/

 

Beijinhos^^

Van Rodrigues

 

Sabe aquele dia em que você só quer ouvir Marília Mendonça e arrastar o chifre no asfalto? Pois é, eu estava assim.

Havia acabado de ver minha namorada com outra. Bom... acho que ela não é mais namorada. A gente é iludida, mas não trouxa.

O mundo desmoronou na hora, parecia que todo meu mundo estava caindo, sentia tudo a meu redor rodar... talvez fosse o chifre que estivesse pesando e eu fiquei desequilibrada na hora. Eu sei, você está rindo da desgraça alheia.

Continuando, eu encontrei minha EX com outra, poderia ter brigado com a moça que estava se metendo em meu relacionamento, porém eu sei onde é meu lugar. A dita cuja era tão forte que eu não aguentaria 1 minuto no ringue e com certeza iria parar no hospital.

Como não queria correr esse risco, recolhi a minha insignificância e comecei a perambular pela cidade. Queria afogar as mágoas... queria falar para alguém sobre o quanto estava sendo doloroso lidar com o peso que eu carregava em minhas costas (cabeça).

Andei algumas quadras até que avistei um bar que não era conhecido por mim.

Eu não entendia de bares, mas naquele momento, achava que isso iria me aliviar.

Entrei e me sentei em uma mesa perto da porta. Eu não era conhecedora de bares, mas achei aquele incrível.

Alguns quadros com bandas de rock estavam expostos na parede. Havia uma decoração mais anos 80. Fiquei olhando para cada detalhe na parede até que uma mão delicada tocou o meu ombro.

Ao me virar, eu me deparei com uma bela morena e isso fez os meus batimentos se acelerarem. Eu sei... minha vida amorosa é realmente mais rápida que o relâmpago mcqueen.

— Olá, você deseja alguma coisa? – ela indagou com uma voz que invadia os meus ouvidos e fazia uma confusão surgir em meu íntimo.

— Você... – respondi sem pensar e ela riu. – Uma bebida... quente... que faz a gente esquecer todos os problemas – falei e ela riu de novo.

— Acho que sua intenção aqui não é só beber – ela disse e já comecei a ficar confusa, pois eu nem sabia mais o que estava querendo. Se era a bebida ou ela.

— É sim. — Ajeitei-me na cadeira. – Eu não tive um dia fácil.

— Imagino que não. Ninguém vem aqui neste horário sozinho quando não tem algum problema – ela disse e se sentou na cadeira em frente. Fiquei surpresa com a atitude dela. – Me chamo Fernanda e você?

— Van

— De Vanessa?

— Não, de Vanilza mesmo – respondi e ela riu. Achei aquele sorriso realmente perfeito.

Depois das apresentações, ficamos um tempo em silêncio. Isso me permitiu reparar em Fernanda. Não sabia quantos anos Fernanda tinha, no entanto ela aparentava ter mais de 25. Ela era morena, tinha algumas tatuagens pelo corpo que combinavam com seu estilo e acredito que personalidade também. Ela não era magra, era realmente fora dos padrões que vemos por aí. Tinha um olhar marcante e usava alargadores nas orelhas.

— Você é a dona? – perguntei.

— Sim, já faz um tempo. Eu gosto, a verdade é que sempre sonhei em ter um bar. – Ela deu uma pausa. – Mas por que você procurou um bar a esta hora do dia?

— Acho que não devo ter cara que frequento esse tipo de ambiente— disse e afundei os meus óculos ainda mais em minha face. Não me descrevi, mas sou morena, tenho 25 anos, costumo usar roupas masculinas e tenho um estilo bem nerd mesmo.

— Bom... acho que para ir a um bar, não precisa ter cara. Mas me diga, o que houve?

— Eu encontrei minha namorada com outra – respondi um pouco sem jeito.

— Eu sinto muito. Fazia muito tempo que namoravam?

— Ah... não, uma semana. (vocês estavam achando que eram anos de namoro por conta de todo meu drama, pois é, é que sou muito emocionada).

Ela pareceu ficar surpresa com minha revelação de que meu namoro só tinha uma semana.

— Mas aqui contigo, eu até me esqueci desse detalhe – completei e ela riu de novo. Aquele sorriso era perfeito.

— É, talvez sim, mas quando sair por aquela porta vai lembrar de tudo e eu estou correndo de sapatão que ainda gosta de ex (Balde de água fria bem dado). Mas podemos conversar, se caso quiser. – Ela piscou para mim e eu só faltei babar feito cachorrinho.

 

Tirando de mim qualquer chance de voltar a me interessar por alguém, Fernanda se levantou e foi em direção ao fundo do bar.

Fiquei um tempo sentada e cogitei a possibilidade de ir embora, mas Fernanda retornou a minha mesa com uma coca-cola e dois copos. Ela realmente achava que eu não bebia.

— Diga-me, Van, você trabalha com o quê? – perguntou enquanto abria o refrigerante.

— Sou professora em um curso de informática.

— Acho professoras sexys. – Ela comentou ao olhar diretamente em meus olhos parecendo querer me provocar e eu comecei a me perguntar o que era ser sexy para ela, pois se for ser inteligente e não ter nenhum atributo físico que chama a atenção, eu sou sexy, muito sexy.

Após conversar um pouco com Fernanda, eu fui para casa, mas antes trocamos os nossos números, e bom, com certeza eu retornaria aquele bar, pois sapatão enquanto não se ilude, não sossega.

Cheguei em casa e me sentei em meu sofá pensando em Fernanda, ela era uma mulher diferente das que havia conhecido.

Não estou me referindo ao físico, mas sim a tudo. Além de linda, ela tinha uma conversa muito legal. Pude conversar sobre minha vida com ela e por incrível que pareça, ela achou a forma como levava a minha vida legal. Bom... isso não era comum, por isso estava surpresa.

À noite, quando eu me deitei para dormir, eu peguei o meu celular e resolvi mandar uma mensagem para ela.

"Quando você pretende voltar aqui?" ela indagou após ficarmos um tempo conversando.

" Ahh... eu não sei. Ainda não havia pensado nisso."

" Você podia vir aqui na sexta da próxima semana. À noite, eu vou tocar aqui com minha banda."

"Eu não sabia que você tinha uma banda" Realmente fiquei surpresa com a novidade, pois ela não havia comentado sobre isso comigo.

"Acho que tem muitas coisas que você ainda não sabe, mas aos poucos eu vou te contar e mostrar" Senti um friozinho com essa mensagem. "Você virá na sexta?"

"Claro. Não irei perder o seu show, mas vou querer a área vip." Bom... eu tenho cara de besta... jeito de besta, mas não sou tão besta assim.

“Certo, irei reservar uma mesa para você. Te aguardarei."

Poderia dizer que os dias passaram rápidos até o tal dia do show, mas não isso que ocorreu. Passaram lentos demais, no entanto conversei com Fernanda por mensagem e ligação durante todos esses dias. Eu estava começando a me interessar por ela. Mentira, eu estava totalmente caidinha. Fernanda era realmente especial.

O dia do show chegou e não transcorreu como havia imaginado. Tive um imprevisto no trabalho. Quando passei pela entrada do bar, o show havia começado e Fernanda que estava em um pequeno palco improvisado, parecia estar procurando por alguém. Sorriu ao me ver enquanto cantava Equalize da Pitty.

Como havia uma mesa vaga em frente ao palco, imaginei que fosse a minha e me sentei lá.

— O que achou do show? – ela me perguntou enquanto arrumávamos o bar para irmos embora.

— Eu achei muito bom – disse sincera, pois realmente Fernanda cantava muito bem – Eu gostei muito de sua voz cantando.

— Só gosta cantando? – indagou e sentiu um friozinho tomando conta do meu íntimo.

— Falando também— falei e ela sorriu.

— Acho melhor irmos – comentou após tudo ficar pronto.

— Posso te acompanhar até sua casa? – indaguei, pois já estava cheia de intenções.

— Claro!

Após Fernanda trancar tudo, começamos a caminhar rumo à casa dela. Durante todo o caminho conversamos sobre coisas aleatórias.

Não demoramos para chegar ao nosso destino, pois Fernanda não morava muito longe de seu bar.

— Sabe, Van, você é diferente de todas as mulheres que já conheci – Ela comentou e eu quase abri uma boca num "Uau".

— Mas por que você acha isso? – perguntei, pois queria saber as justificativas dela para aquela afirmação.

Naquele momento, estávamos na rua em frente ao portão da casa dela.

Fernanda sorriu.

— Você olha para as pessoas de uma forma diferente... para tudo você olha diferente. Até para mim.

— Ah... algum problema em você que ainda não notei? –  Questionei.

Fernanda pareceu pensar por alguns instantes.

— Nenhum, realmente nenhum, eu acho – comentou e segurou uma de minhas mãos. Correspondi ao toque e fiquei sem saber como agir no momento. Isso só poderia ser um sinal, não era coisa de uma sapatão emocionada, ela me queria... bom... foi a primeira coisa que pensei. – O mundo é maldoso e seguem alguns padrões. Não fazer parte deles lhe faz ser alguém diferente que deve ser deixado de lado, o que é algo realmente ruim, mas bom, não é porque algumas pessoas não nos aceitam que não devemos ser como somos ou acreditamos. — Deu uma pausa. — Nem todo mundo tem esta visão de que temos que seguir padrões, e acho que você é uma pessoa assim.

— Aonde você quer chegar com essa conversa? – Fiquei realmente confusa. Sim, eu sou lenta.

— Em mim. – Ela sorriu. – Eu noto seu interesse por mim e acho interessante você não se importar como sou.

— E você é como? – perguntei, pois achava Fernanda alguém normal.

— Gorda e com um estilo nada convencional – comentou e depois riu.

— Ah... eu olho para as pessoas além disso, mas desde a primeira vez que te vi, eu te achei linda – disse e notei ela se aproximando de mim. Meu coração disparou nesse momento. – E não sei se você reparou, mas também não sou nada convencional.

— Você é linda – comentou e tocou minha face. Fez uma leve carícia em minhas bochechas.

— O que você está fazendo? – perguntei mesmo já sabendo o que iria acontecer a seguir.

— Acho que por ter me proporcionado uma noite especial, você merece receber um presente também especial. — Fernanda colou o seu corpo no meu e não demorei para sentir os seus lábios sabor morango envolvendo os meus.

 

Fim!

 

 

Notas finais:

Olá, 

O que acharam de meu conto?

Espero que tenham gostado.

Quero saber a opinião de vocês. ^^

Beijinhos^^

Van^^



Comentários


Nome: HelOliveira (Assinado) · Data: 21/10/2020 18:05 · Para: Capitulo 1

Achei muito interessante essa interação da duas independente dos padrões.

Parabéns



Resposta do autor:

Olá, 

Fico feliz por ter gostado.^^

Muito obrigada pelo seu comentário.

Beijinhos^^

Van^^



Nome: lis (Assinado) · Data: 07/10/2020 01:18 · Para: Capitulo 1

Olá Grandona, tudo bem? Que estória linda Van, amei, simples e real, parabéns



Resposta do autor:

Olá, Lis

Estou bem e você?

A história é mais simples mesmo.

Fico feliz por ter gostado.

Muito obrigada pelo seu comentário.

Beijinhos^^

Van^^ 

 



Nome: Rosa Maria (Assinado) · Data: 05/10/2020 11:53 · Para: Capitulo 1

Van...

Sério mesmo que vai terminar assim "colou seu corpo ao meu é não demorei sentir seus lábios sabor morango invadindo os meus"? Não está pensando em mais um ou dois capítulos ao menos? Kkkkk  Adorei essa referência "fora dos padrões" fica tudo mais parecido com o mundo real.  Parabéns. 

Obs.: Me aventurei a escrever uns contos, onde as personagens são mulheres " mais velhas" ou seja também "fora dos padrões", se puder da um olhada. 

Beijo

Rosa 🌷



Resposta do autor:

Olá,

É que era para ser curtinho mesmo. Foi que minha namorada me deu esse título e eu escrevi sem pensar no que iria acontecer. rsrs Ela nem achava que eu iria conseguir escrever algo com ele. rsrs 

Ah... Sobre isso "fora de padrões" é que senti as personagens assim no momento. Não imaginei elas de uma outra forma. Mas estou gostando de falar sobre este tema ultimamente.

Quando der, eu vou ler algo seu, até dei uma olhada em seu perfil. Você já escreveu alguns contos.

Muito obrigada pelo seu comentário.

Beijinhos^^

Van^^



Nome: Larissa Valente (Assinado) · Data: 24/09/2020 05:40 · Para: Capitulo 1

Autora, adorei o conto. Encantam-me as histórias com pessoas dentro dos padrões reais (morenas, negras, gordas, balzaquianas, tatuadas, assalariadas) e não dos padrões impostos por algumas escritoras (louras, ruivas, brancas, magras, altas e ricas).

Ah! Acho super sexy pessoas inteligentes. A Vanilza tem que valorizar esta auto estima.kkkkk



Resposta do autor:

Olá,

Fico feliz por ter gostado do conto.

Escrevi ele pensando nesta questão sobre padrões mesmo. Sobre o que seria o belo.

Pessoas inteligentes são sexys. Kkkkkkk já vi algumas pessoas comentando sobre isso, acho que lembrei quando estava escrevendo. 

Resolvi escrever fora dos padrões mesmo, pois era sobre algo que queria falar com minhas leitoras.

Amor à primeira vista fala sobre o tema também. Estou postando no lettera também.

Muito obrigada pelo seu comentário!

Beijinhos^^

Van^^



Nome: brinamiranda (Assinado) · Data: 23/09/2020 20:14 · Para: Capitulo 1

Eu gostei, até gostaria que continuasse a história das meninas...rsrsrs raro ver algo sobre pessoas fora do padrão...e isso também me refiro as minhas histórias...só de pensar nisso já valeu mto....



Resposta do autor:

Olá,

Resolvi escrever este conto por ser raro ver pessoas fora dos padrões nas histórias.

A minha intenção foi falar sobre a questão da aparência. Andava pensando muito na época que escrevi o conto.

Fico feliz por ter gostado, mas não sei se terá continuação.

Muito obrigada pelo seu comentário.

Beijinhos^^

Van^^ 



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.


Ou comente usando seu Facebook: