Sentimentos ocultos! por Bia Ramos


[Comentários - 33]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

Fui para casa, passei o final da tarde jogada em um sofá, pensando no que faria. Enfim, veio o desanimo e uma decisão, se eu não posso tê-la ao meu lado, teria que me apaixonar por outra pessoa, se seria fácil? Não, mas não poderia viver a mercê daquele amor não correspondido.

Tomei um banho de sais por horas na minha hidro, quando estava me arrumando para sair, recebi uma ligação. Arrumei uma companhia para aquela noite, passei em sua casa e fomos juntas para a boate, onde nos divertimos muito, a propósito.

Embora a noite tivesse desandado quando meu priminho querido chegou na companhia de Marina, mesmo assim, não me deixei abater e me esforcei para não chegar perto dela.

Infelizmente tive êxito até decidir ir embora, quando na saída sem querer, acabei esbarrando com ela. Mas, como havia decidido não passar aquela noite sozinha, minha companhia me salvou daquele constrangimento e me guiou para fora da boate, seguimos para o hotel onde ela estava hospedada e lá passamos a noite.

Saí na segunda, passava das dez, fui em casa tomar banho e depois segui para minha empresa, onde tive reuniões atrás de reuniões a semana toda, salvando a sexta, quando mais uma vez, uma “amiga” me ligou e seguimos juntas para a boate.

As semanas passaram assim, acabei me envolvendo com uma mulher, nosso relacionamento durou pouco mais de três meses, terminamos por incompatibilidade, infelizmente, porque ela era ótima, mas estava percebendo que não me doava na mesma medida, e conversando com ela, decidimos dar um fim na nossa relação.       

Sei que parece clichê dizer para sermos amigas depois de um envolvimento, mas aconteceu realmente, fui cem por cento, sincera com ela, apesar de a ter decepcionado um pouco, continuamos a conversar. E assim passou mais um mês, cinco meses que se passaram, quase nem vi a Marina, o que para mim foi bom, meu coração não corria riscos.

Mas, naquele final de semana quando cheguei na boate, foi diferente, encontrei com algumas amigas, inclusive a garota com quem eu havia me envolvido, estávamos conversando quando de longe eu a vi, passar chorando em direção ao banheiro, algo me dizia para não ir atrás dela, mas quem disse que mandamos em nosso coração com essa intensidade?

Pedi licença para as meninas e segui para lá, o banheiro privativo da ala vip da boate, estava praticamente vazio, entrei e vi que um dos reservados estava fechado, um grupo de meninas saíram, fui até a porta e me certifiquei que não tinha ninguém, a tranquei, entrando de volta e esperando em frente ao espelho, aquele reservado ser liberado, ela levantou os olhos e me olhou.

Olhos vermelhos de tanto chorar, combinavam com os cabelos vermelhos, naquele dia ela trajava uma roupa social preta que combinava com ela, acho que a única coisa que não combinava com ela, era eu. Fiquei triste com aquele pensamento, desviei os olhos e perguntei:

– Você está bem?

– Isso não diz respeito a você.

– Calma, eu vim em paz, juro.

– Duvido muito, você adora me provocar com esse seu jeito arrogante de ser. – sorri, ela me olhou e disse:

– Desculpa, não quis ser rude.

– Tudo bem, eu mereci. – virei em direção a ela, mal conseguindo esconder meus sentimentos, perguntei novamente: – Você estava chorando, aconteceu algo?

– Meu irmão, sofreu um acidente a caminho de casa, infelizmente não resistiu aos ferimentos... – mais lágrimas, aquilo me destroçou por dentro, sem me conter me aproximei e a aconcheguei nos braços, sussurrando:

– Eu sinto muito... Gostaria de poder fazer alguma coisa por você.

Ela se afastou de meus braços, sorriu, o primeiro sorriso que ela dava para mim em quase um ano que a conheci. Tocou em cheio meu coração. Desviou os olhos indo em direção a pia onde lavou o rosto, se enxugou e retocou a maquiagem dizendo:

– Estou afastada da minha família há muitos anos, acho que nem eu posso fazer nada.

– Desculpa, não quis ser invasiva... – ela sorriu, perguntei: – Porque do sorriso?

– Você sempre que se aproxima, mesmo que não seja por querer, é invasiva. – sorri, ela tinha razão, concordei dizendo:

– Ao menos dessa vez, não quis ser propositadamente.

– Tudo bem... – tocou de leve meu braço e disse sincera: – De qualquer forma, obrigada pelo apoio.

– Disponha, se eu puder fazer mais alguma coisa pela senhorita, ficarei honrada.

– Talvez possa.

– Qualquer coisa...

– Pode chamar um taxi para mim? Assim, quando eu sair do banheiro, passo direto para a saída, minha companhia não está agradável hoje.

– Farei melhor, venha comigo.

– Para onde?

– Eu a levarei em casa...

– Não precisa se incomodar, eu pego...

– Eu insisto. – algo em minha voz a fez parar e apenas concordar com o meu pedido, saímos da boate até meu carro, abri a porta para ela entrar e tomei conta do volante, ganhamos a avenida, ela admirada perguntou:

– Deixou sua namorada para trás? Se fosse eu, não a perdoaria nunca. – sorri olhando de lado para ela, que disse apenas: – Desculpa, dessa vez eu que não quis ser invasiva.

– Se você fosse minha namorada, estaríamos em um lugar com menos pessoas, possivelmente apenas nós duas. – vi que seu rosto ganhou um leve rubor, saí do assunto: – Mas respondendo sua pergunta, não tenho mais namorada, faz mais ou menos um mês que terminamos.

– Hum...

Além de seu endereço, ela não disse mais nada, seguimos em silêncio, morava em uma parte nobre da cidade, em um condomínio fechado, o que me surpreendeu um pouco, mas engoli aquela surpresa para mim.

Quando entramos que parei em frente ao prédio enorme que se perdia nas nuvens, o porteiro autorizou nossa entrada, na garagem, quando saí do carro, abri a porta para ela sair.

– Posso te acompanhar até seu apartamento?

– Claro... – mostrou o caminho, o qual também seguimos em silêncio, quando chegamos na porta do apartamento dela, disse ao abrir a porta: – Obrigada pela companhia e pela carona.

– Disponha, sempre que precisar. – sorri, dei dois passos em direção ao elevador, ela disse atrás:

– Espere... – veio até mim, olhei curiosa para ela que sorrindo disse: – Está tarde já, perigoso também, você foi tão gentil, que tenho o dever de retribuir, fica comigo essa noite... Quero dizer, no meu apartamento, e você vai embora quando amanhecer.

– Não quero atrapalhar e nem tirar a sua privacidade, não tem problema, eu tomo cuidado até em casa.

– Por favor, dessa vez eu que insisto. – segurou em meu braço, inspirou fundo: – O acidente com meu irmão se deu por ele estar dirigido altas horas e.... – ficou em silêncio, quando abaixou a cabeça, toquei seu queixo e disse apenas:

– Está bem, eu fico até amanhecer, obrigada. – ela me olhou, ainda séria, indicou o caminho, pedi licença entrando. Um belo apartamento, uma sala ampla, separada por um balcão que dava acesso a uma cozinha americana muito linda. Não queria ficar olhando tudo em volta, mas chamava a atenção, sorri dizendo: – Muito lindo aqui, aconchegante também.

– Sim, esse é o meu lar, onde procuro sempre para descansar. – inspirou olhando em volta: – É aqui que me sinto segura de tudo, onde busco minha solidão para acalmar minha alma.

– Sei como se sente... – havia entendido perfeitamente, assim como eu, ela preferia não levar suas visitas noturnas para seu refúgio.

Notas finais:

Hei meninas... Bom dia!

Ontem tive um imprevisto e não consegui postar, mas aqui está o segundo... Espero que curtam...

Volto no fds... ;)

Bjs a todas... se cuidem..

Bia



Comentários


Nome: rhina (Assinado) · Data: 14/10/2020 23:22 · Para: Caps. 2 ? Conhecendo um pouco dela

 

Mulhres!

 Com elas ou sem elas!? 

Rhina



Nome: Rosa Maria (Assinado) · Data: 14/09/2020 17:49 · Para: Caps. 2 ? Conhecendo um pouco dela

Hummm...acabou só deixando curiosidade... Kkkkkkk

Beijo

Rosa 🌹



Resposta do autor:

Oiiee... Bom dia!!

Nada como uma boa curiosidade para deixar em alerta a nossa mente... ;)

Bjs... se cuida

Bia



Nome: Manuella Gomes (Assinado) · Data: 14/09/2020 14:29 · Para: Caps. 2 ? Conhecendo um pouco dela

Quanto mais se foge, mais se quer.

Espero que elas consigam se conhecer em breve.



Resposta do autor:

Oiiee... Dia!!

Quando se quer, não adianta fugir... rs

Creio que agora elas irão ter uma interação melhor... ;)

Bjs... se cuide

Bia



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.


Ou comente usando seu Facebook: