Minha vida é você por amandanasnuvens


[Comentários - 26]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

P.o.v Valentina


- Boa noite Valentina, você precisa acordar, a Andreia precisa de você.

- Boa noite, quem é você? 

- Boa noite me chamo Fabricia, preciso te mostrar uma coisa antes de você acordar e voltar para a Andreia.

- É o que você precisa mostrar? E cadê a Andreia?

- Você verá, ela está bem tenha paciência, agora eu preciso te mostrar uma de suas vidas passadas, é importante.

- Está bem, vamos logo.

  Eu e a Fabricia fomos levantando para um lugar onde me era familiar, comecei a prestar atenção e me vi, era estranho, pois era eu mas não era eu, era estranho me ver em outra época, andava de carruagem todos os dias e sempre que eu passava tinha uma garota maravilhosa, ela se parecia tanto com a Andreia que tive que perguntar:

- Quem é a garota que sempre me observava andando de carruagem?

- É a Andreia, mas nessa época se chamava Aurora, bom vamos continuar.

  Eu fazia questão de sempre pegar o mesmo caminho para casa só para vê lá novamente, a melhor parte do meu dia era quando eu podia mesmo que por segundos olhar nos olhos, eu não entendia o por que de olhar para ela e sentir como se eu a conhecesse a muito tempo, depois de um tempo passando pelo mesmo caminho minha carruagem quebrou e eu estava brava porque nesse dia eu não pude vê lá, observei ao redor e a vi saindo de uma casa, me deu uma alegria tão grande, nem quando estou com meu marido eu sinto essa alegria, ela veio falar comigo:

- Boa tarde senhora precisa de ajuda em alguma coisa?

- Boa tarde, pode me chamar de Antonieta, minha carruagem quebrou e a ajuda vai demorar, e para ajudar estou cansada, com sede e com fome.

- Bom com a carruagem eu não posso ajudar porque não entendo disso, mas se você quiser pode vir a minha casa, não é nenhum palácio como a sua mas vai servir perfeitamente para descansar.

- Vou aceitar sim, estou tão cansada.

Ela ofereceu a casa dela para eu descansar, achei tão fofa a atitude dela, segurei a mão dela para agradece lá, quando peguei na mão dela senti uma corrente elétrica e quando eu vi ela tinha tirado a mão dela da minha e fomos até a casa dela.

  Entramos na casa dela e fiz questão de olhar cada pedacinho da casa, deu para perceber ela meio acanhada por eu ser de classe totalmente diferente dela, mas me senti tão bem é acolhida aqui que se eu pudesse eu não iria mais embora daqui, sorri para ela relaxar, eu estava  tão a vontade que nem parecia que éramos de  classe sociais diferentes, isso não me importava nem um pouco para falar a verdade, ela ofereceu comes e bebes e me mostrou o quarto para que descansasse, eu fui descansar no quarto de hóspedes e ela fui para o meu quarto, até tentei descansar, mas a curiosidade de saber mais sobre essa mulher que mexeu comigo fez com que eu não conseguisse descansar, duas horas depois eu levantei e bati na porta da Aurora:

- Boa noite Aurora, preciso ir a carruagem está pronta e se eu não voltar para casa meu marido vai vir atrás de mim.

- Está bem, foi um prazer te conhecer, se quiser pode vir outras vezes aqui vou adorar te receber.

- Pode ter certeza que irei vir aqui mais vezes, até qualquer hora.   Eu sai da casa dela e olhei para trás uma última vez antes de entrar na carruagem e partir, pensando comigo mesma será que eu a verei novamente? Eu nunca senti esse sentimento com ninguém, nem pelo meu marido eu senti, mas eu sou comprometida como eu posso pedir para a Aurora ter algo comigo e com tristeza nos olhos fui para meu martírio que era meu marido, todas as tardes eu ia a casa dela, eu até tentava não ficar muito perto dela, até que na última vez que eu fui a casa dela, estava com o olho roxo, eu fui para casa dela chorando o caminho todo, ela já veio mm e perguntando o que houve.

- O que houve Antonieta? Por que está de olho roxo?


Flashback on


  Mais um dia o Eduardo chegou bêbado em casa e sempre que ele chegava em casa assim ele queria transar comigo, e por mais que eu tentasse ele era mais forte que eu, e não podia negar porque era meu marido ele tinha esse direito, ele me beijou e senti o gosto da bebida que ele tomou, cada vez que me beijava eu não sentia nada, foi tirando a rouba e colocou o membro dele para fora, queria que eu o chupasse nessa hora eu só queria sumir, eu o chupei para que terminasse logo e que ele gozasse logo para quer ele me deixasse em paz, mas ele não estava satisfeito com eu chupando ele, queria transar comigo também, por mais que eu não quisesse o que eu poderia fazer eu era a esposa dele, tirei minhas vestes e transei com ele, até que o Eduardo se sentisse satisfeito, depois da transa me deu um tapa na cara e eu me vesti e sai de lá, eu não iria ficar ali para me bater mais.


Flashback off



- Não foi nada Aurora, fique tranquila.

- Foi o seu marido não é mesmo?

  Eu olhei para ela com lágrimas nos olhos, e não precisei falar mais nada, ela me abraçou e me aconcheguei em meus braços, eu chorei tanto até que adormeci nos braços dela, enquanto dormia ela ficou me fazendo cafune, quando percebi ela me deu um selinho em, nessa hora eu abri os olhos e ela ficou envergonhada, ela ficou confusa quando eu a beijei apaixonadamente, que beijo essa mulher tem, nunca pensei que ela iria me beijar, eu sei que sou casada mas a boca dela estava tão convidativa que eu precisei beija lá, ela me olhou nos olhos e sorriu para mim, falou para mim:

- Você é maravilhosa, como pode o babaca do seu marido ousar bater em você.

- Toda vez que ele chega bêbado em casa sobra pra mim.

- Se você não o ama por que ainda está com ele?

- Meu casamento foi arranjado pelos meus pais nem pude me envolver e outra você sabe como a sociedade não aceita que pessoas que se separam quando se casam perante a Deus.

- Eu sei a sociedade as vezes é muito hipócrita.

- Você sabe que eu terei que ir embora né? Por mais que eu ame passar esse tempo com você, ainda sou casada com o Eduardo e ele é um cara autoritário , não suportaria  a ideia dele te fazendo algum mal, prometo que voltarei o mais rápido possível aos seus braços.

- Ficarei te esperando, é a única coisa que eu posso fazer agora.

  Eu dei um último beijo de despedida nela e fui embora, quando eu fui embora me veio uma tristeza, eu sei que eu não devia me apaixonar por ela por causa do Eduardo mas não mandamos em nosso coração, eu precisei ficar uma semana longe da Aurora, eu consegui escapar do Eduardo, eu bati na porta da Aurora e ela abriu a porta: 

- Boa noite Aurora, eu posso me esconder aqui? 

- Claro que pode, mas o que houve?

- Eu fugi de casa, o Eduardo está atrás de mim e não sei o que fazer.

- Pode ficar aqui o tempo que você quiser.

  Ela pegou minhas coisas e trouxe para dentro da casa dela, levei minhas coisas  para o quarto de hóspedes e me instalei lá, ela me abraçou e me beijou, a saudade que eu estava sentindo era grande, eu estava abalada, ela me chamou para a cama e ficamos abraçadinhas até que adormeci, já estávamos morando juntas a um mês, ela me fez uma surpresa já que estávamos morando juntas  a um tempo, arrumou o quarto com pétalas de rosas na cama, com velas e chocolates e preparou um jantar romântico para nos duas, eu tinha saído para andar a cavalo então ela teve tempo para resolver as coisas, meia hora depois a entrei pela porta:

- Preparei um jantar gostoso para nos duas.

 - Pra mim? 

- Sim meu amor.

  Colocamos a mesa e comemos conversando amenidades, eu sentia que essa seria uma noite especial, eu ansiava pelos beijos e pelo corpo da Aurora, eu estava nervosa mas sei que com ela será totalmente diferente o que foi com o Eduardo, e estou com medo de não saber o que fazer na hora, tomei uma taça de vinho para relaxar, a Aurora me levou ao quarto e eu vi a surpresa que me fez, eu sorri para ela e esse pequeno gesto deu coragem para ela continuar, foi se aproximando de mim e passou a mão em meu rosto, contornou meus lábios com seu dedo, ela me beijou mostrando todo o carinho, o amor e a ternura que sentia por mim, ela estava explorando o meu corpo, a primeira vez que eu me senti amada de verdade os lábios dela eram tão suaves, tão diferente do Eduardo, ela  meio desajeitada foi tirando o meu vestido, ela tirou a calçola que eu usava e tirou o espartilho que também o usava, ela parou para me  observar, os olhos dela brilharam maravilhada com o meu corpo, ela chegou perto de mim e foi passando a mão pelas curvas do meu corpo, ela foi tão gentil comigo, nunca pensei que uma mulher estaria passando a mão no meu corpi e que eu gostaria disso, ela foi beijando o meu pescoço e ela foi vendo as reações que o meu corpo dava para saber se ela estava indo no caminho certo, como não reclamei ela continuou explorando para descobrir onde eu mais sentia prazer, ela foi deixando beijos por onde passava, passou as mãos nos meus seios e abocanhou um deles e começou a chupa ló, era uma sensação tão gostosa e diferente, ela estava  medindo para saber se ela estava fazendo certo pelos gemidos que  eu estava dando, ela estava indo no caminho certo, ela foi descendo e beijando a minha barriga, deixando um rastro de beijos por onde passava, chegou onde eu mais ansiava,  abriu minhas pernas e olhou pra cima para pedir permissão para continuar, eu balancei a cabeça que sim, ela deu a primeira lambida no centro do meu prazer  e me chupou, ela estava fazendo do jeito certo, eu já nem disfarçava mais os gemidos, parecia que meus gemidos eram combustível para ela continuar, ela usou dois dedos e foi fazendo um vai e vem gostoso até que gozei em seus dedos, ela levou os dedos a boca e lambeu seu dedo para descobrir o meu sabor e me beijei, deitamos na cama para descansar eu disse no ouvido dela:

- Minha vez

  Ela sorriu para mim para me encorajar a continuar, eu foi mais tímida que ela, fui tirando a roupa dela e a roupa íntima, fiquei observando ela, eu sorri para ela e a beijei, aquele beijo que já deixava claro que eu tinha segundas intenções, foi passando a mão pelo corpo dela e fui descobrindo onde dava mais prazer nela, parecia que eu  já conhecia o corpo dela, eu colocava a mão onde ela mais sentia prazer,  fui a beijando ate que eu cheguei em seu seio esquerdo e o abocanhei enquanto brincava com o outro, fui descendo a mão enquanto chupava o seio dela e parei na entrada da vagina dela, a penetrei com dois dedos e fui fazendo um vai e vem gostoso enquanto chupava o seio dela, eu deu um chupão no seio dela e ela nao deixou de gemer, eu  sorri ao ouvi lá gemendo e disse no ouvido dela: 

- Goza pra mim vai Aurora?

- O que você quiser.

  Eu começou a aumentar a velocidade de minhas estocadas e ela gozou em meus dedos, ela levou os dedos a boca e os lambeu, transamos até o dia raiar.   Já estávamos morando juntas fazia dois meses e esses foram os meses mais incríveis da minha vida, passamos momentos maravilhosos, namoramos bastante, cuidamos da casa, ela lia seus poemas para mim e a noite dormíamos abraçadinhas, fomos a feira do povoado quando o Eduardo apareceu, nos escondemos para que ele não nos encontrasse, mas por azar ele nos viu e seguiu a gente até a casa da Aurora, eu estava beijando a Aurora quando derrubaram a porta, tentei protege lá, eu fiquei na frente dela e levei o tiro no lugar dela, o cara que atirou saiu correndo e eu cai nos braços dela, só tive tempo de dizer o quanto eu a amava antes de apagar em seus braços.

- Nossa eu morri? Quem é esse Eduardo? 

- Sim você morreu por um capanga do Eduardo, ele na sua vida atual se chama Pedro Henrique.

- Por isso ele me deu uma surra quando eu recusei ficar com ele? 

- Exatamente, tome cuidado com ele vocês duas ainda não se livraram dele.

- Está bem tomarei cuidado com ele.

- Vamos voltar que você precisa acordar, a Andreia precisa de você.

- Está bem, vamos ? 

- Vamos.

  Acordei e olhei ao redor e vi a Andreia dormindo perto da minha maca, sorri ao vê lá e chamei o nome dela:

- Andreia meu amor.

  Acordei assustada e olhei para a Valentina acordada a abracei e chorei como uma criança e falei para ela com lágrimas nos olhos:

- Finalmente você acordou eu pensei que eu ia te perder novamente.

- Você nunca irá me perder Deia, eu te amo muito.

- Eu achei que você tinha morrido, desmaiei e sonhei que tinha morrido e que eu fui ao seu enterro.

- Nossa amor, que sonho ruim, mas tenha certeza que estou bem e que estarei por muitos anos ao seu lado.

- Jura? 

- Juro meu amor.

Notas finais:

Beijos da Pimentinha!



Comentários


Nome: lilo (Assinado) · Data: 18/07/2019 03:14 · Para: Capítulo 7

Ahn   muito bom o cap. 

 

As coisas foram esclarecidas para Valentina. Agora que ela acordou, vamos torcer pra que elas tenham um pouco mais de paz.

 

Bjinhos autora!!

 



Resposta do autor:

Verdade agora as coisas foram esclarecidas, esperemos q elas tenham um pouco de paz e que o Pedro Henrique não apronte nada com as meninas 

Beijos da Pimentinha.



Nome: Brescia (Assinado) · Data: 16/07/2019 16:35 · Para: Capítulo 7

         Boa tarde mocinha. 

 

Elas foram feitas para viver um grande amor,  pecado que o mal exista e corrompa o ser humano  e  no caso delas será o Pedro Henrique. 

 

         Baci piccola escritrice. 



Resposta do autor:

Verdade ela foram feitas para viver um grande amor, concordo com você o O resto Henrique não se conforma da Valentina ter receitado ele.

 

Beijos da Pimentinha 



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.


Ou comente usando seu Facebook: