Minha vida é você por amandanasnuvens


[Comentários - 26]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

Eu estava dormindo, mas me via ao mesmo tempo como se estivesse fora do meu corpo, olhei para mim na cama do hospital e achei aquilo tão estranho, como podia ser que eu estava aqui e ali ao mesmo tempo, uma moça veio em minha direção e falou:

 

- Eu me chamo Angela e sou sua mentora, cuido de você desde que era pequenina.

- Oi Angela onde eu estou? 

- Você está no mundo espiritual, eu irei te guiar por um passeio, tive a permissão de te mostrar uma de suas vidas passadas.

 

- Como assim?

- Te mostrando você irá entender tudo.

Fomos levitando para um lugar diferente, me senti em casa como se eu já estivesse aqui, olhando ao redor eu me vi numa época diferente, as vestes eram totalmente diferentes do que eu estou acostumada a ver, vi uma moça e ela se parecia muito com a Valentina, apesar dela estar com outras vestes eu saberia que era ela, não tem como eu esquecer os olhos dela, perguntei para a Angela:

 

- Aquela é a Valentina?

- Sim, mas nessa vida ela se chama Antonieta.

- E eu como me chamava nessa época? 

- Você se chamava Aurora, agora vamos voltar.

Nos éramos tão diferentes, ela era da classe alta da sociedade e eu uma simples camponesa que amava pintar e fazer poemas, já a Antonieta gostava de ler, música e tinha um gosto refinado, a primeira vez que eu a vi foi quando ela passou de carruagem por mim, eu a achei tão linda, mas  até parece que alguém como ela iria falar comigo, todos os dias ela passava no mesmo horário, a minha vontade de conversar ia aumentando mais e mais a cada dia, até que em um dia a carruagem dela quebrou na frente da minha casa, eu espiei pela janela e a vi ali tão linda e majestosa, apesar da tímidez, fui até lá ver se ela precisar de alguma coisa.


- Boa tarde senhora precisa de ajuda em alguma coisa?

 

- Boa tarde, pode me chamar de Antonieta, minha carruagem quebrou e a ajuda vai demorar, e para ajudar estou cansada, com sede e com fome.

 

- Bom com a carruagem eu não posso ajudar porque não entendo disso, mas se você quiser pode vir a minha casa, não é nenhum palácio como a sua mas vai servir perfeitamente para descansar.

 

  Ela pegou na minha mão para agradecer e nessa hora senti uma sensação tão estranha, como se pertencêssemos  uma a outra, tirei rapidamente minha mão da dela.

 

- Muito obrigada, ainda não sei o seu nome, como você se chama? 

- Me chamo Aurora muito prazer.

- O prazer é todo meu.

  Entramos em minha humilde casa e ela fez questão de olhar cada pedacinho da casa, eu fiquei meio acanhada porque ela é da alta sociedade o que será que vai achar da minha casa, relaxei quando Antonieta sorriu para mim, ela parecia tão a vontade que nem parecia que era de classe social totalmente diferente da minha, eu ofereci comes e bebes e mostrei o quarto para que descansasse, ela foi descansar no quarto de hóspedes e eu fui para o meu quarto, até tentei descansar, mas a curiosidade de saber mais sobre essa mulher misteriosa que mexeu comigo fez com que eu não conseguisse descansar, duas horas depois eu ouvi batidas na porta.

 

- Boa noite Aurora, preciso ir a carruagem está pronta e se eu não voltar para casa meu marido vai vir atrás de mim.

 

- Está bem, foi um prazer te conhecer, se quiser pode vir outras vezes aqui vou adorar te receber.

- Pode ter certeza que irei vir aqui mais vezes, até qualquer hora.

  Ela saiu da minha casa e eu fiquei a  observando ir embora na carruagem, será que eu a verei novamente? Nunca me senti assim com ninguém que eu me relacionei, mas não posso me apaixonar por ela, a Antonieta é comprometida, o máximo que terei será a amizade dela, todas as tardes ela vinha aqui em casa, eu percebia que evitava ficar muito perto de mim, até que na última vez que ela veio em casa, estava com o olho roxo e me deu uma dor no coração vê lá daquele jeito, eu já fazia uma ideia do que poderia ter acontecido, mas mesmo assim perguntei:

 

- O que houve Antonieta? Por que está de olho roxo?

- Não foi nada Aurora, fique tranquila.

- Foi o seu marido não é mesmo?

  Ela olhou para mim com lágrimas nos olhos, e a Antonieta não precisou dizer mais nada, eu a abracei e a aconcheguei em meus braços,  ela chorou tanto até que adormeceu em meu braços, enquanto dormia fiquei fazendo carinho nela, me parecia tão linda e serena, cheguei perto dela e não resisti e dei um selinho nela, nessa hora ela abriu os olhos e fiquei envergonhada, pensei que se afastaria de mim, mas ao invés disso me beijou apaixonadamente, que beijo essa mulher tem, nunca pensei que ela iria me beijar, até porque se o marido dela descobrir ele vai acabar com a gente, olhei nos olhos dela e sorri, falei pra ela:

 

- Você é maravilhosa, como pode o babaca do seu marido ousar bater em você.

- Toda vez que ele chega bêbado em casa sobra pra mim.

- Se você não o ama por que ainda está com ele?

- Meu casamento foi arranjado pelos meus pais nem pude me envolver e outra você sabe como a sociedade não aceita que pessoas que se separam quando se casam perante a Deus.

 

- Eu sei a sociedade as vezes é muito hipócrita.

- Você sabe que eu terei que ir embora né? Por mais que eu ame passar esse tempo com você, ainda sou casada com o Eduardo e ele é um cara autoritário, não suportaria  a ideia dele te fazendo algum mal, prometo que voltarei o mais rápido possível aos seus braços.

 

- Ficarei te esperando, é a única coisa que eu posso fazer agora.

  Ela me deu um último beijo de despedida e foi embora, quando a Antonieta foi embora me veio uma tristeza, eu sei que eu não devia me apaixonar por ela por ser comprometida, mas não escolhemos quem amamos, passou uma semana e eu não tinha notícias da Antonieta, quando eu ouvi uma batida na porta e a quando eu a abri  era ela.

 

- Boa noite Aurora, eu posso me esconder aqui? 

- Claro que pode, mas o que houve?

- Eu fugi de casa, o Eduardo está atrás de mim e não sei o que fazer.

- Pode ficar aqui o tempo que você quiser.

  Peguei as malas dela e trouxe para dentro da minha casa, levei as coisas dela para o quarto de hóspedes e a instalei lá, a abracei e beijei, a saudade que eu estava sentindo era grande, percebi que ela estava abalada, a chamei para a cama e fiquei abraçadinha até que adormeceu, já estávamos morando juntas a um mês, eu fiz uma surpresa já que estávamos morando juntas  a um tempo, arrumei meu quarto com pétalas de rosas na cama, com velas e chocolates e preparei um jantar romântico para nos duas, ela tinha saído para andar a cavalo então tive tempo para resolver as coisas, meia hora depois a Antonieta entrou pela porta.

 

- Preparei um jantar gostoso para nos duas.

 - Pra mim? 

- Sim meu amor.

  Colocamos a mesa e comemos conversando amenidades, eu estava ansiosa pois essa seria a minha primeira vez com uma mulher, não que eu nunca tenha visto uma mulher nua, mas essa é a primeira vez que eu dormiria com uma mulher e estou com medo de não saber o que fazer na hora, tomei uma taça de vinho para relaxar, a levei ao quarto e ela viu a surpresa que fiz, Antonieta sorriu para mim e esse pequeno gesto me deu coragem para continuar, fui me aproximando dela e passei a mão em seu rosto, contornei seus lábio com meu dedo, eu a beijei mostrando todo o carinho, o amor e a ternura que eu sentia por ela, eu estava explorando o corpo da mulher que eu amo, os lábios dela eram tão suaves, tão diferente dos caras que eu já beijei, meio desajeitada fui tirando o vestido dela, tirei a calçola que ela usava e tirei o espartilho que usava também, parei para observa lá e fiquei maravilhada com o corpo da Antonieta, eu cheguei perto dela e fui passando a mão pelas curvas de seu corpo, um corpo tão suave e gentil, nunca pensei que estaria passando a mão no corpo de uma mulher e que eu gostaria disso, fui beijando o pescoço dela e fui vendo as reações que o corpo dava para saber se eu estava indo no caminho certo, como ela não reclamou continue explorando para descobrir onde ela mais sentia prazer, fui deixando beijos por onde eu passava, passei a mãos nos seios dela e abocanhei um deles e comecei a chupa ló, era uma sensação tão gostosa e diferente, fui medindo se o que eu estava fazendo certo pelos gemidos que a Antonieta estava dando, então acho que eu estava indo no caminho certo, fui descendo e beijando a barriga dela, deixando um rastro de beijos por onde passava, cheguei onde mais ansiava, abri as pernas dela e olhei pra cima para pedir permissão para continuar, ela balançou a cabeça que sim, eu dei a primeira lambida no centro de prazer dela e a chupei, acho  que eu estava fazendo do jeito certo, a Antonieta nem disfarçava mais os gemidos, a ouvir gemendo pra mim era o combustível para eu continuar, usei dois dedos e fui fazendo um vai e vem gostoso até que gozou em meus dedos, levei meus dedos a boca e lambi meu dedo para descobrir o sabor dela e a beijei, deitamos na cama para descansar e ela disse em meu ouvido:

 

- Minha vez.

  Eu sorri para ela para encoraja lá a continuar, Antonieta foi mais tímida que eu, foi tirando minha roupa e minha roupa íntima, ficou me observando, sorriu para mim e me beijou, aquele beijo que já deixava claro que ela tem segundas intenções, foi passando a mão pelo meu corpo descobrindo onde me dava mais prazer, parecia que já conhecia o meu corpo, ela colocava a mão onde eu mais sentia prazer, ela foi me beijando ate que ela chegou em meu seio esquerdo e o abocanhou enquanto brincava com o outro, foi descendo a mão enquanto chupava meu seio e parou na entrada da minha vagina, me penetrou com dois dedos e foi fazendo um vai e vem gostoso enquanto chupava meu seio, ela deu um chupão em meu pescoço e eu não pude deixar de gemer, ela sorriu ao me ouvir gemendo e disse no meu ouvido:

 

- Goza pra mim vai Aurora?

- O que você quiser.

  Ela começou a aumentar a velocidade de suas estocadas e eu gozei em seus dedos, ela levou os dedos a boca e os lambeu, transamos até o dia raiar.

 

  Já estávamos morando juntas fazia dois meses e esses foram os meses mais incríveis da minha vida, passamos momentos maravilhosos, namoramos bastante, cuidamos da casa, eu lia meus poemas para ela e a noite dormíamos abraçadinhas, fomos a feira do povoado quando o Eduardo apareceu, nos escondemos para que ele não nos encontrasse, mas por azar ele nos viu e seguiu a gente até a minha casa, eu estava beijando a Antonieta quando derrubaram a porta, tentei protege lá, mas não deu tempo ela se jogou na minha frente e ela recebeu o tiro no meu lugar, o cara que atirou saiu correndo e ela caiu em meus braços, só pude ouvir as últimas palavras dela dizendo que me amava antes de morrer em meus braços, doeu tanto perde lá dessa forma, mas não importa quanto tempo passe eu sempre vou ama lá.

 

- Então é por isso que o Pedro Henrique não suportou ser rejeitado pela Valentina e deu uma surra nela? 

 

- Sim, é o Eduardo da sua vida passada, tome cuidado com o Pedro Henrique, vocês ainda não estão livre dele.

 

- Está bem tomarei cuidado com ele.

- Agora precisamos ir, você precisa voltar para o seu corpo.

- Está bem.

 

  Acordei com batidas na porta e pedi para a pessoa entrar:

- Bom dia minha nora preferida.

- Bom dia sogrinha, ei eu sou sua única nora

- Ops, eu vim aqui para conhecer um pouquinho da história de amor de vocês duas, eu percebi que eu não conheço quase nada ao respeito da minha filha.

 

- Você sabia que sua filha toca violão e canta muito bem? 

- Eu não sabia, me conte mais sobre isso.

- Estávamos namorando e ela me fez uma surpresa quando completamos 4 mês, a Valentina me mandou um vídeo dela tocando e cantando uma música para mim fiquei tão maravilhada com a voz dela que guardei o vídeo até hoje, você quer ver? 

 

- Claro que eu quero, vou amar ver minha filha cantando e tocando.

  Peguei meu celular e fui procurar o vídeo que ela fez para mim, fiquei um bom tempo procurando, fui mostrando as fotos que eu tinha com a Valentina para a mãe dela, ela comentava em uma foto ou outra, até que encontrei o vídeo e dei para ela assistir.

 

Flashback on 

 

  Acordei com meu celular apitando, olhei para ele passava da meia noite, aproveitei para ver se tinha alguma mensagem, quando olhei para o visor tinha uma mensagem da Tina, que era como eu chamo a Valentina, abri o whats e fui ver a mensagem que ela havia me mandado:

 

 - Oi meu anjo sei que você não gosta que te acorde quando está dormindo, mas prometo que é por uma boa causa, hoje faz 4 meses que estamos namorando e eu não poderia deixar de comemora ló com você, segue a baixo uma surpresa que eu fiz, vi que era um vídeo dela para mim, o abri e ela estava com um violão tocando quando ela começou a cantar uma música.


Pra você guardei o amor


Pra você guardei o amor
Que nunca soube dar
O amor que tive e vi sem me deixar
Sentir sem conseguir provar
Sem entregar
E repartir


Pra você guardei o amor
Que sempre quis mostrar
O amor que vive em mim vem visitar
Sorrir, vem colorir solar
Vem esquentar
E permitir


Quem acolher o que ele tem e traz
Quem entender o que ele diz
No giz do gesto o jeito pronto
Do piscar dos cílios
Que o convite do silêncio
Exibe em cada olhar


Guardei
Sem ter porquê
Nem por razão
Ou coisa outra qualquer
Além de não saber como fazer
Pra ter um jeito meu de me mostrar


Achei
Vendo em você
 Explicação
Nenhuma isso requer
Se o coração bater forte e arder
No fogo o gelo vai queimar


Pra você guardei o amor
Que aprendi vendo os meus pais
O amor que tive e recebi
E hoje posso dar livre e feliz
Céu cheiro e ar na cor que arco-íris
Risca ao levitar


Vou nascer de novo
Lápis, edifício, tevere, ponte
Desenhar no seu quadril
Meus lábios beijam signos feito sinos
Trilho a infância, terço o berço
Do seu lar


Guardei
Sem ter porque
Nem por razão
Ou coisa outra qualquer
Além de não saber como fazer
Pra ter um jeito meu de me mostrar


Achei
Vendo em você
 Explicação
Nenhuma isso requer
Se o coração bater forte e arder
No fogo o gelo vai queimar


Pra você guardei o amor
Que nunca soube dar
O amor que tive e vi sem me deixar
Sentir sem conseguir provar
Sem entregar
E repartir


Quem acolher o que ele tem e traz
Quem entender o que ele diz
No giz do gesto o jeito pronto
Do piscar dos cílios
Que o convite do silêncio
Exibe em cada olhar


Guardei
Sem ter porque
Nem por razão
Ou coisa outra qualquer
Além de não saber como fazer
Pra ter um jeito meu de me mostrar


Achei
Vendo em você
 Explicação
Nenhuma isso requer
Se o coração bater forte e arder
No fogo o gelo vai queimar

 

  Eu terminei de ver o vídeo com lágrimas nos olhos, eu a amo tanto e saber que ela me ama do mesmo jeito aquece meu coração, ela sabe que essa é uma da minhas músicas preferidas, ela toca e canta tão bem, fiquei surpresa, pois sempre fui eu a surpreende lá com poemas, nunca poderia imaginar que ela gostasse desse tipo de arte, escutei mais uma vez a música que a Tina cantou para mim antes de responder para ela.

 

- Oi meu amor, não sei se você está acordada ou não, muito obrigada pela surpresa, fiquei maravilhada em ver o quão bem você toca e canta e a melhor parte é que é só minha.

 

- Fico feliz que gostou Deia, fiz com todo carinho para você.

 

Flashback off

 

  Estava tão distraída lembrando do dia que ela me mandou o vídeo que não reparei que a mãe dela estava falando comigo, voltei minha atenção para ela para ouvir o que falava:

 

- Nossa eu não sabia que minha filha tinha esse talento, desde quando ela toca?

- Acho que foi logo depois que ela entrou pro teatro, mas eu só descobri que ela cantava e tocava quando completamos 4 meses de namoro.

 

- Ela é maravilhosa não é mesmo?

- É sim, eu a amo muito.

- O que mais você poderia falar sobre ela? 

- Claro que eu posso.

- Sabia que fui eu que a pedi em namoro?

- Eu não sabia não, ela me falava tão pouco da vida pessoal dela, me conta como foi o pedido?

- Claro que conto.

- Então nos já estávamos ficando a 3 meses e eu queria pedi lá em namoro, pedi ajuda a algumas amigas minhas pro pedido, eu comprei dez rosas e escrevi em dez papeizinhos os motivos para ama lá e em baixo coloquei o próximo lugar para ela ir, no final eu a estava esperando e pedi ela em namoro, quer ver as fotos e o vídeo do pedido de namoro?

 

- Eu adoraria ver.

  Achei as fotos e os vídeos e entreguei na mão dela o meu celular, enquanto ela ia vendo as fotos e os vídeos eu me lembrei de como foi o pedido de namoro que fiz pra Tina.

 

Flashback on 


Eu e Valentina íamos completar 3 meses que nos ficávamos, eu queria pedi – lá em namoro eu só não sabia muito bem como, conversei com a Alice e com a Esther, elas me deram várias ideias e uma delas foi juntar um pessoal e cada pessoa estar com uma frase e ir entregando para ela, gostei dessa ideia e fui por em prática, chamei algumas amigas e pedi ajuda a elas.

 

- Oi meninas você poderiam me ajudar com a surpresa que estou fazendo pra Valentina?

  Uma a uma foram aceitando me ajudar e eu fui falar minha ideia para elas, então meninas eu estava pensando em comprar várias rosas e deixar cada menina com uma rosa e escrever alguma coisa para entregar para  ela, o que você acham dessa ideia? 

 

- Nós amamos, vamos adorar te ajudar.

 

- Meninas vou lá comprar as rosas e escrever algo legal para ela e me encontro com vocês amanhã cedo.

 

  Fui a floricultura e fui falar com a atendente

 

- Boa tarde Leila 

- Boa tarde maninha , faz tempo que você não vem aqui, como posso te ajudar? 

- Preciso de algumas rosas para fazer uma surpresa para a Valentina, lembra que eu falei dela pra você?

 

- Como me esquecer, sempre que você ia lá no meu quarto era para falar dela, me conta qual é o plano?

 

- Eu quero pedir a Valentina em namoro por isso preciso das flores, chamei algumas amigas para me ajudar com a surpresa, eu quero que saia tudo perfeito pro pedido de namoro que farei pra ela.

 

- Você a ama muito não é mesmo maninha? 

- Como jamais amei alguém, ela é maravilhosa, alegra os meus dias, tem o sorriso mais incrível, é amorosa, desde a primeira vez que a vi meu coração acelerou.

 

- Fico feliz por você minha irmã, aqui estão as rosas, boa sorte.

- Obrigada.

  Cheguei em casa e fui direto pro quarto e peguei um caderno e comecei a escrever

 

Aqui vai dez motivos para te amar 

 

1 seu sorriso me fascina
Ps: Vá até a esquina da sua casa

 

2 Meu coração é seu desde a primeira vez que te vi 
Ps: Vá até a livraria onde te levei no nosso primeiro encontro

 

3 Meus dias são mais felizes ao seu lado
Ps: Vá até a loja onde fomos juntas comprar um cd que eu queria muito.

 

4 Você é a musa dos meus poemas
Ps: Vá até o teatro onde me declarei para você.

 

5 Você é a garota mais especial que conheci
Ps: Vá até o museu que fomos juntas.

 

6 A cada dia que passa me apaixono mais por você
Ps: Vá até a casa da minha mãe.

 

7 Amo tirar fotos suas
Ps: Vá até a biblioteca da nossa escola.

 

8 Amo teus beijos.
Ps: Vá até a casa da Alice.

 

9 Amo te ver dormindo
Ps: Vá até floricultura de minha irmã.

 

10 Te amo hoje , te amarei amanhã é te amarei para sempre.
Ps: Vá até o parque onde nos demos o nosso primeiro beijo.

 

Preparei tudo e mandei mensagem pra Alice

- Está tudo pronto agora vamos por o plano em ação 

- Está bem.

  A Alice me ajudou a convencer a Valentina a sair com ela e o primeiro lugar que a Alice levou a Valentina foi onde eu indiquei, estava muito ansiosa e se ela não gostasse da surpresa? Fiquei esperando por uma hora e meia, a Alice ia me mantendo informada de como a Valentina estava indo, me sentei no banco do parque e fechei os olhos para acalmar meu coração, quando olhei para frente eu a vi vindo em minha direção com um sorriso no rosto e com as rosas na mão.

 

- Oi meu amor não esperava essa surpresa.

- Gostou da surpresa? 

- Como não gostar meu amor, amei a surpresa.

  Eu fiquei calada por uns minutos e disse a ela:

 - Hoje faz três meses que nos ficamos e esse tem sido o momento mais feliz da minha vida, ter você ao meu lado me faz a mulher mais feliz do mundo, a minha vontade é de gritar pro mundo todo o quanto eu te amo, então eu fiz essa surpresa com uma finalidade e eu espero que você diga sim ao meu pedido. - olhei nos olhos dela e com o coração acelerado e com as mãos suando, mas finalmente consegui pronunciar as palavras.

 

- Você quer namorar comigo? 

- É o que eu mais quero, namorar com você.

 

Flashback off

 

- Nossa você fez tudo isso para a minha filha? 

- Fiz sim, ela é a mulher da minha vida, sou apaixonada por ela desde a primeira vez que eu a vi.

- Você a ama mesmo né? 

- Eu a amo demais.

- Como foi o primeiro beijo de vocês duas? 

 

  Enrubesci ao ponto do meu rosto ficar totalmente vermelho mas consegui responder.

 

- Estávamos no Central Park para fazermos um piquenique e a Valentina me beijou.

- Pensei que você que a beijou pela primeira vez.

- Ela foi mais rápida que eu, quando eu estava pensando em beija lá, ela já tinha me beijado.

  Não pude deixar de sorrir ao lembrar do dia que a Tina me beijou

 

Flashback on


  Eu estava dormindo, pois era sábado e eu só acordava depois do meio dia, fiquei tão brava quando meu celular apitou as nove horas da manhã com barulho de mensagem, olhei para o visor e vi que era uma mensagem, sentei na cama sonolenta e me espreguicei antes de pegar novamente o celular para ver o que ela tinha me mandado e responder para ela.

 

- Bom dia meu amor, sei que você odeia acordar cedo, mas o dia está tão lindo para um piquenique topa ir comigo?

 

  Antes de responder para ela resmunguei porque fui acordada, mas como já fui acordada aceitei o convite, me arrumei as pressas, fiz a cesta de piquenique com frutas, suco de laranja, uma coca bem gelada para mim, pães com frios, chocolates é claro para minha pessoa, peguei a toalha, fui andando pra casa dela e toquei a campainha:

 

- Bom dia Cecília, a Valentina está?

- Ela está sim, vou chama lá, espere aqui que ela já vem.

- Está bem

  Fiquei esperando ela na sala, aproveitei para ver o ambiente, havia várias fotos dela, fiquei babando pelas fotos dela, tenho certeza que ela ficaria brava de me ver olhando as fotos dela de criança, mas era linda, ela estava descendo as escadas quando eu a vi descendo, estava maravilhosa com um shorts jeans, uma blusa regata e com os cabelos presos, ela poderia estar pelada que continuaria linda para mim, enrubesci com esse pensamento, consegui comprimento lá sem me atrapalhar toda:

 

- Bom dia Tina, só você mesmo pra me acordar cedo.

- O dia estava muito bonito para ficar enfiada em casa.

- Mas eu já tinha até planos para hoje ia por minhas séries em dia 

- Prefere ver serie a me ver?

- Claro que eu prefiro te ver meu amor, vamos indo? 

- Vamos sim.

  Fomos andado para o parque de mãos dadas, chegamos lá e eu coloquei a toalha no chão e arrumei as coisas nela, quando ela viu o que eu trouxe, balançou a cabeça e falou:

 

- Você não existe Deia, coca e chocolate? 

- Ah amor você sabe que gosto dessas coisas.

- Sei sim, mas não vai ficar só comendo besteira, vai ter que comer coisas saudáveis também.

- Tá bom amor comerei coisas saudáveis também.

  Eu estava comendo chocolate e me sujei toda, pareço criança comendo, ela veio em minha direção e limpou o meu rosto, estava tão próxima a mim e eu não pude deixar de olhar a boca dela, nessa hora eu mordo o lábio, a Tina foi chegando mais perto de mim, foi o nosso primeiro beijo e estávamos explorando os lábios, a boca uma da outra, nos conhecendo aos poucos. Nossos corpos já dando sinal que a química entre ambas seria para sempre perfeita.

 

  Fui tirada dos meus pensamentos pela mãe da Tina já muito emocionada com o coração apertado por uma dor que não dava para descrever.

 

- É tão bom lembrar da Valentina né Andreia? 

-É Sim, e dói tanto em pensar que ela não está mais aqui com a gente, Cecília!  

E as lágrimas que já eram presentes em meus  olhos, se intensificaram ainda mais.

- Como assim Andreia ? Cecília me questiona.

 

- Por ela ter morrido.

Notas finais:

Beijos da Pimentinha!



Comentários


Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.


Ou comente usando seu Facebook: