Entre idas e vindas por amandanasnuvens
Summary:

O que acontece quando duas mulheres se sentem atraidas nas alturas?


Categoria: Contos Characters: Original
Challenges:
Series: Nenhum
Capítulos: 4 Completa: Sim Palavras: 13162 Leituras: 5066 Publicada: 05/08/2019 Atualizada: 26/09/2019
Notas:

Meninas como nao postei o minha vida é você esse conto fica como um presente enquanto esperam :)

1. Capítulo 1 por amandanasnuvens

2. Capítulo 2 por amandanasnuvens

3. Capítulo 3 por amandanasnuvens

4. Capítulo 4 por amandanasnuvens

Capítulo 1 por amandanasnuvens

P.O.V Giovana 

  Cheguei ao aeroporto duas horas antes para despachar as malas, e ver se estava tudo certo minha viagem, deixei tudo resolvido e fui para o portão de embarque quando meu voo foi anunciado, Amsterdam seria minha próxima parada. Estava sentada na poltrona quando uma moça se sentou ao meu lado, linda com um vestido florido e um olhar penetrante, estava olhando para ela quando percebeu meu olhar, ficou vermelha e ainda mais linda e ficou tão fofa com vergonha. Desviou os olhos e passou a olhar para a janela, em seguida simplesmente dormiu, aproveitei que ela dormia serena, e discretamente passei a observá-la melhor. Era perfeita, e que corpo ela tinha, mas achei melhor parar de olhá-la, antes que acordasse, aproveitei para ler um pouco um livro que eu precisava terminar antes de chegar a Amsterdam. Algum tempo depois, vi a aeromoça trazendo o almoço, ousada acordei a moça ao meu lado dizendo:

- Acorda dorminhoca o almoço será servido.

P.O.V Dalila

  Estava dormindo quando minha mãe abriu a porta gritando:

- Acorda Dalila, você vai acabar perdendo seu voo para Amsterdam.

- Já vou levantar mãe.

- É pra levantar agora!

- Puxou a coberta, sentei na cama fazendo bico.

- Tá bom, já levantei, satisfeita?

  Me olhou sarcástica saindo do quarto, olhei para o relógio e vi que estava atrasada. Levantei as pressas, me arrumei e fui para o aeroporto, chegando lá meia hora antes do voo sair, despachei minhas malas e fui para a fila de embarque. Uma garota estava a frente de todos, fiquei curiosa, porque ela estava demorando tempo demais, mas só pude vê-la de costas, não demorou muito ela entrou no avião e chegou a minha vez:

- Boa tarde senhorita.

- Boa tarde.

- A passagem e o passaporte por favor?

  Entreguei a ela e fiquei esperando a autorização para entrar no avião, sendo autorizada entrei e comecei a procurar o número da minha poltrona, passei um bom tempo procurando. Quando achei, tinha uma moça sentada ao lado da minha, só depois de me sentar é que eu percebi que era a mesma garota que estava na minha frente na fila de embarque. Olhando melhor, pude ver o quanto ela era linda, mas fiquei sem graça quando percebi que ela me olhava sem disfarçar. Me pegou olhando-a também, mas resolvi quebrar aquele contato olhando para a janela, já estava envergonhada. O avião decolou e eu sentindo os olhos dela sobre mim, fechei os olhos para fingir que estava dormindo, mas acabei cochilando. Acordei com a moça me chamando, ela sorria dizendo alguma coisa, possivelmente de mim, deveria estar com o rosto amassado do sono. Não prestei atenção ao que ela disse, sorri sem jeito olhando-a, mas acabei fraquejando quando meus olhos caíram na boca dela, uma vontade de beija-la tomou conta de mim, desviei os olhos perguntando sem jeito:

- Como você se chama? 

- Giovana, e você?

- Dalila, desculpa você disse alguma coisa, mas não prestei atenção!

- Disse que a aeromoça está trazendo o almoço.

- Ah, sim! Obrigada por me acordar.

- De nada. 

  A aeromoça chegou na nossa poltrona, desviei os olhos dela escolhendo o meu almoço. Arroz com frango e para beber Coca-Cola. Ao meu lado, Giovana optou por arroz com carne e guaraná, agradecemos a moça que nos serviu e comemos em silêncio.

P.O.V Giovana 

  Depois que almoçamos, resolvi ir ao banheiro lavar o rosto e escovar os dentes, uma desculpa também para sair de perto da Dalila, não sei o que estava acontecendo comigo, com aquela vontade de beijar a moça, não estava sendo fácil. Entrei no toalete e lavei o rosto, fiquei olhando no espelho por alguns minutos. Quando abri a porta para sair, lá estava ela em pé esperando, quando me viu sorriu dizendo:

- O outro está ocupado.

  Não sei o que deu em mim, aquele sorriso provocador me deixou inebriada, acabei puxando-a pra dentro e tranquei a porta. O reservado era pequeno, portanto, nossos corpos ficaram praticamente colados. Mesmo assim, a puxei mais para perto de mim aproveitando que o espaço era pequeno, sentindo o corpo dela colado ao meu. Nossos rostos ficaram a centímetros uma da outra, aquela boca tão perto da minha, toquei a pele dela aproximando meus lábios dos dela e um beijo aconteceu, calmo a princípio, nossas línguas se conhecendo. Mas beijar aquela boca estava me deixando excitada, aproveitei que a Dalila estava de vestido e ousada subi a peça passando a mão na pele quente dela, quando senti o corpo dela reagir ao meu toque, nosso beijo se tornou mais urgente. Subi a mão tocando os seios dela e ela para o meu prazer, deu um pequeno gemido entre nossos lábios me deixando ainda mais excitada. Sem aviso a coloquei sentada sobre a pia e voltamos a nos beijar, aquele beijo que nos faz pensar na cena mais erótica de todas, tirei o vestido dela e vi aquele corpo lindo. Ela ousada também, tirou minha blusa, meu sutiã e ficou olhando meus seios.Íamos continuar de onde paramos, mas ouvimos o piloto anunciar que dentro de meia hora iríamos aterrissar, nos olhamos e sorrimos, vi o desejo que sentíamos uma pela outra, mas não tinha jeito, o avião já ia pousar, dei um último beijo nela e colocamos nossas roupas para sairmos do banheiro. Antes de abrir a porta, sussurrei no ouvido dela:

- Não sei quando e como, mais vamos terminar o que começamos aqui. 

  Ela mordeu os lábios, assim como eu, desejosa. Saímos do banheiro e seguimos para nossa poltrona, esperando o avião pousar. Não conversamos a respeito do que aconteceu, um certo constrangimento estava tomando conta do momento. Quando o avião pousou, peguei as minhas coisas e esperei a Dalila sair, mas acabamos nos desencontrando, e não mais a vi. Fiquei por ali olhando em volta, mas nada dela, sorri pegando minha bolsa e dizendo em voz alta:

- Você será minha, não importa onde ou quando, mas você será minha. - peguei minhas malas e segui para o hotel.

P.O.V Dalila

  Depois que nos sentamos a Giovana não disse mais nada, o que foi bom, pois eu não saberia o que dizer a ela, comecei a pensar no que tinha acontecido, as vezes nossos olhos se cruzavam, mas logo eu desviava. Tinha ido ao banheiro porque estava apertada, o outro reservado estava ocupado, e vi quando a porta de onde ela estava tinha aberto. Quando a vi lá, deu uma vontade de entrar com ela, mas como se lesse meus pensamentos, ela foi mais rápida me puxando para junto dela. Começamos a nos beijar, e ela tem um beijo tão bom, sentir seu corpo bem junto ao meu me excitou muito, as mãos dela percorrendo meu corpo e me esquentando daquela forma, foi diferente para mim. Quando ela tirou minha roupa, não vi a hora de vê-la despida também, nos beijamos outra vez, porém tivemos que parar, por azar o avião iria aterrissar. Infelizmente nos separamos no desembarque, e senti por não ter pego algum contato dela, inspirei lembrando do que Giovana me disse ao sairmos do banheiro, me veio um arrepio de prazer, peguei minhas malas e fui para o hotel. Liguei para minha mãe assim que me joguei na cama:

- Oi mãe.

- Oi Dalila, chegou bem?

- Cheguei sim, muito bem.

- Nem disfarcei o sorriso, conversamos um pouco e logo disse:

- Mãe vou desligar, preciso dormir um pouco.

  Nos despedimos, tomei um banho e cai na cama novamente, adormecendo com o sorriso daquela moça na mente. Quando acordei mais tarde, resolvi ir ao Pub Soho, um barzinho que sempre frequentava quando ia para Amsterdam. Levantei e comecei a me arrumar para sair, optei por um vestido justinho todo preto que acentuava minhas curvas e fiz uma maquiagem leve, minutos depois saí do hotel.Estava na fila do Pub esperando para entrar, quando vi a Giovana de costas, aliás, uma moça muito parecida com ela, entrou no bar e fiquei ansiosa para entrar logo.

P.O.V Giovana 

  Passei o restante do dia passeando por Amsterdam conhecendo o lugar, depois que tomei um café em uma das lanchonetes, saí recebendo um panfleto de um bar chamado "Pub Soho" dei uma lida na descrição:

  "Esse bar tem um clima aconchegante, típico dos pubs ingleses, o Soho é grande quando comparado com a maioria dos bares de Amsterdam. Com lindos sofás de couro, adicionam um charme ao bar. No térreo com pista de dança e DJ's excelentes, um lugar bem popular..." 

  Dentre outras coisas que o panfleto dizia, resolvi que iria nele a noite. Voltei para o hotel, descansar um pouco e esperara a hora passar para me arrumar e sair. Coloquei uma roupa confortável, optei por uma calça jeans rasgada e uma blusa larga, passei uma maquiagem de leve e saí.  Quando cheguei estava lotado, esperei um bom tempo na fila, e quando finalmente entrei no bar pedi uma bebida analisando o lugar, pouco tempo depois, qual não foi minha surpresa ao ver Dalila logo a frente. Usava um vestido lindo, aliás, ela por completa era linda. Meu corpo acendeu quando lembrei do que aconteceu conosco no avião, tomei minha bebida de um só gole.Ela parecia procurar alguém, me aproximei por trás segurando de leve sua cintura, deslizando minhas mãos sobre a pele dela, quando me viu, sorriu. Sussurrei em seu ouvido, e ela não disse nada, apenas sorriu, peguei a mão dela guiando-a para o banheiro, estava vazio, por sorte. Entramos em um dos gabinetes e tranquei a porta, quando nosso olhos se cruzaram sorri dizendo:

- Achei que não fossemos nos encontrar mais.

- Sorri safada, ela começou a dizer:

- Eu tam... 

  Mas não deixei que terminasse, avancei em seus lábios, colei nossos lábios e deslizei ousada minhas mãos para a bunda dela. Ela também não deixou passar batido, arranhava minhas costas deslizando as mãos pelo meu corpo acendendo nosso desejo. Tirei o vestido dela deixando aquele corpo lindo a mostra, arranquei sua calcinha gemendo ao ver a bunda dela exposta, não resisti e dei alguns tapas engolindo os gemidos que saia da boca dela entre nosso beijo. Cada gemido me deixava mais excitada, me virei sentando a trazendo junto em meu colo, ela tirou minha blusa, meu sutiã e eu tirei o dela. Loucura, voltamos a nos beijar, logo meus lábios deslizava pelo pescoço dela, suguei com vontade deixando minha marca ali. Ela gemia se entregando, desci minha boca para os seios dela e vi os bicos rijos de excitação e não resisti sugando-os com desejo, abocanhei o direito gemendo de desejo, dando lambidas na sequência. Minha excitação ia além do que esperado com aquela mulher desconhecida, ela gemia enlouquecida ao meu toque, passando as mãos em meu corpo.  Iria tirar o resto da roupa dela, precisava possuí-la, mas sabia que era loucura fazer aquilo ali, porque eu queria mais dela, meu corpo precisava do toque e da boca dela também. Tentei controlar meu desejo, olhando-a ansiosa, nos olhos dela a vontade também, sorri perguntando:

- Que tal irmos para o hotel onde estou hospedada e continuarmos de onde paramos?

  Apenas balançou a cabeça dizendo que sim, levantamos rindo, colocamos nossas roupas rapidamente, ela estava procurando a calcinha dela e eu segurando-a, ela tentou pegar, mas não deixei, sorrindo falei:

- Vai ficar sem calcinha.

- Me devolve vai Giovana? 

- Não devolvo.

- Você é má, sabia?

- E você gosta, além disso, quero ter certeza de que não iremos mais nos desencontrar.

- Ela sorriu, balançando a cabeça saindo do banheiro.


P.O.V Dalila

  Saí do banheiro, nossa que loucura essa a nossa, aliás, loucura essa a minha. Fiquei esperando a Giovana sair, ela pagou o que consumiu, eu nem tinha bebido nada ainda, e fomos para o hotel dela, quando chegamos, percebi que era o mesmo onde eu estava hospedada. Seria destino? Sorri, ela me guiou até o quarto dela, entramos e nossas bocas já estavam coladas novamente, com nossas roupas sendo tiradas. Sentir o corpo dela colado ao meu, era tão bom como nos encaixávamos, foi me levando até a cama, e para minha surpresa lá, ela me amarrou e me vendou perguntando sedutora:

- Está gostando de ser amarrada?

  Eu adorando, mas não iria admitir isso a ela que eu estava gostando. Quando entrei no bar, não vou negar, estava procurando-a, a vi sentada bebendo, disfarcei até que ela me notasse, não tirava os olhos de mim, e quando senti suas mãos em minha cintura e sua voz dizendo:

  "Eu não disse que você seria minha?", nem deu tempo de responder e ela já estava me levando ao banheiro.  

P.O.V Giovana  

  Amarrei a Dalila e comecei a beija-la, subi no corpo dela e fui até seus seios me deliciando neles, agora podendo ter o corpo inteiro dela só para mim, chupei com vontade fazendo-a gemer cada vez mais alto, e quanto mais ela gemia mais eu a chupava, estava muito molhada e como ela estava amarrada não podia tocar em mim, fui descendo e cheguei ao sexo dela... A chupei gostoso intercalando, ora devagar, ora rápido e quando percebi que ela estava para gozar parei para beijá-la, só para provocar, ela dizia:

- Não seja má Giovana.

- O que você quer? 

- Vai me fazer falar? 

- Vou.

- Quero essa língua deliciosa dentro de mim.

- Com todo prazer.

- Voltei para o sexo dela, chupei gostoso até ela gozar em minha boca.

P.O.V Dalila 

  Giovana me desamarrou e invertemos as posições, subi por cima dela para poder dar o mesmo prazer que ela me deu, aproximei do ouvido dela dizendo:

- Deixe-me retribuir o prazer que você me deu? 

  Ela me deu aquele sorriso safado que desarma qualquer um e balançou a cabeça concordando, comecei mais tímida dando um beijo nela, mas quando me senti mais confiante, comecei a beijar com mais desejo e volúpia, com leves mordidas nos lábios dela. Intensifiquei o beijo para ela jamais esquecer dos meus beijos. Sussurrei antes de saborear do corpo dela:

- Pode não parecer, mas tenho meu lado ativo.

  Ela me olhou com curiosidade, mordeu os lábios sedutora, peguei o cordão e a amarrei, mas não vendei seus olhos, pois eu queria ver o prazer naqueles olhos lindos ao me deliciar com o corpo dela. A beijei, enquanto passava a mão no corpo dela, queria me tocar, vi isso em seus olhos, sorri, comecei arranhá-la em locais sensíveis, distribuindo leves mordidas. Comecei a provocá-la e a cada toque ouvia seus suspiros me deixando ainda mais louca por ela, continuei torturando-a dando leves arranhadas em seus seios e o sabor dela elevava meu desejo. Mas ela era resistente, não deu nenhum gemido, não queria dar o braço a torcer e mostrar que estava gostando, cheguei bem perto do ouvido dela e com a voz sexy sussurrei:

- Vai resistir até quando? Não farei nada até você dizer o que você quer.

- Eu não vou falar.

- Então não terá minha língua dentro de você.

- Então tá bom. 

  Sorri, estava gostando daquela resistência, me dava mais prazer, voltei a provocá-la novamente, além de arranhá-la, dava leves lambida e leves mordidas próximo ao seu sexo, minutos depois dessa tortura ela falou:

- Faz logo Dalila.

- Fazer o que? 

- Você sabe.

- Sei? 

- Sabe sim.

- Não sei não.

- Me faça sua, assim como te fiz minha.

  Sorrio vitoriosa e fui até o seio dela, ela deu um suspiro quando cheguei perto e comecei a respirar ali, abocanhei um deles sugando como se fosse a fruta mais gostosa do mundo, fui beijando cada parte do corpo dela só para provocá-la mais um pouquinho, cheguei próximo ao sexo dela e dei a primeira lambida, vi ela se arrepiar toda, continuei a chupá-la até ela quase gozar, fiquei provocando, queria vê-la pedindo, não demorou muito ela disse suplicante:

- Me faça gozar logo Dalila.

  Era o que eu precisava para continuar, voltei ao sexo dela e a chupei com vontade e usando línguas e dedos ela gozou em minha boca, tanto era o prazer que gozei junto a ela, quando meu corpo se acalmou, subi a beijando ternamente. Soltei o cordão, no momento seguinte ela disse em meu ouvido:

- Minha vez.

  Fiquei arrepiada na hora, mas nem deu tempo de falar nada e ela já estava me levando para o banheiro.

P.O.V Giovana 

  Entrei no banheiro com a Dalila atrás, enchi a banheira com água morna e entramos, comecei a beijá-la dando leves mordidas em seu pescoço e ela aqueles gemidos que me enlouquecia. Fui ao seio dela e dei leves mordidinhas, desci a mão enquanto usava e abusava da minha boca no seio dela, achei a entrada de seu sexo encaixando meus dedos entrando e saindo dela, depois comecei a masturbá-la enquanto brincava com a língua nos seus seios. Seu quadril ganhou vida, mesmo estando na água senti a quentura de seu sexo, coloquei um dedo fazendo um vai e vem gostoso, ela já nem disfarçava mais os gemidos e escutá-la gemendo daquela forma me excitava demais, tirei colocando dois dedos sentindo seu corpo estremecer. Continuei fazendo o vai e vem até ver que ela estava quase gozando, tirei os dedos e fiz com que ela sentasse na beirada da banheira para chupá-la até que gozou em minha boca e eu absorvi cada gota que ela me dava. Quando voltamos para o quarto, ainda nos amamos até o corpo não aguentar e adormecermos uma nos braços da outra.

P.O.V Dalila 

  Meu celular tocou em algum lugar, passei a mão para atender, era minha mãe:

- Oi filha.

- Oi mãe, que foi? 

- Não se esqueça que você volta hoje.

- Eu sei mãe, obrigada! 

  Desliguei, olhei para o lado, Giovana dormia tão serena que não quis acordá-la, levantei para tomar um banho, voltei até a cama, achei um bloco de papel e escrevi:

  "Passei uma noite maravilhosa com você, mas precisei ir embora, não quis acordá-la por que talvez, não tivesse forças para deixá-la. Espero encontrar com você novamente, dessa vez vou deixar meus contatos para não restarem dúvidas. Adorei cada segundo, e quero repetir em breve... Quem sabe em outras idas e vindas?"

                                                                                           Beijos da Dalila.    

Notas finais:

Agradeço a Elna, a Andressa, a Luna, a Nicolle, a Bia Ramos e a todas as pessoas que me ajudaram com o conto

 

beijos da Pimentinha

Capítulo 2 por amandanasnuvens
Notas do autor:

boa tarde meninas, mais um capitulo pra vocês :), espero que gostem 

 

Ps: temalgumas palavras em ingles mas nao sei se esta certo porque usei o tradutor então se alguem que fale igles e ver que esta errado me desculpe kkkk

P.o.v Giovana  

  Acordei e qual não foi a minha surpresa ao constatar que eu estava sozinha no quarto, o cheiro dela ainda estava nos lençóis e no travesseiro, sorri ao lembrar da noite maravilhosa que eu tive com a Dalila e meu corpo não deixou de reagir ao lembrar da noite que tivemos, levantei para espantar o sono só aí eu reparei no bilhete que ela deixou para mim, suspirei lendo o bilhete pois eu gostaria de ter me despedido dela, peguei meu celular e com o coração aos pulos mandei uma mensagem para ela: 

" Eu não tenho nem palavras para descrever a noite maravilhosa que passei com você, é uma pena que não pudemos nos despedir, amei cada segundo a seu lado e contarei os dias para te ter em meus braços novamente e não vejo a hora de repetir a dose, como você mesma disse: Quem sabe em outras idas e vindas."

                                                                                  Beijos da Giovana. 

  Me arrumei e fui para a palestra sobre medicina que estava marcada para as 9:00 horas da manha, toda hora olhava para o celular e mesmo sabendo que provavelmente ela estaria no avião a essa hora eu ainda suspirei por não saber a resposta dela, até tentei prestar atenção ao que o palestrante estava falando mas não conseguia, vira e mexe minha mente ia para o sorriso dela, as suas curvas e a noite maravilhosa que passamos juntas, meu corpo reagiu a lembrança dela, pedi licença ao palestrante para ir ao banheiro, entrei no toilet e lavei o rosto para ver se consigo me concentrar melhor, me olhei no espelho e pensei: 

  Essa mulher me encantou de um jeito que não tem explicação, não consigo nem me concentrar na palestra pensando nela. 

  Voltei para o auditório onde estava acontecendo várias palestras sobre novas tecnologias no ramo da medicina, deixei o celular de lado e fui prestar atenção a palestra, pois eu era a representante do hospital em São Paulo e precisava estar de olho em tudo, passei a tarde toda sem mexer no celular, o deixei guardado na bolsa, quando deu umas 20  horas saímos do auditório e eu estava morrendo de fome, passei em algum lugar para comer antes de voltar para o hotel e dormir, passei na frente de um Mc Donalds e pedi um Mc picanha com muito queijo e bacon, batata frita e uma coca cola estupidamente gelada, encontrei um lugar vago, coloquei as coisas lá e fui comer, eu estava tão absorta em meus pensamentos que esqueci totalmente do meu celular, só me lembrei dele quando ele fez um barulho de mensagem chegando, peguei o celular no automático e nem me lembrava que a mensagem poderia ser de Dalila, quando olhei para o visor e vi que era uma mensagem dela meu coração deu vários pulos de alegria, abri a mensagem e de cara vi uma foto dela de lingerie na frente do espelho com a seguinte frase: 

  Cheguei aqui em Paris e assim que vi essa lingerie achei ela perfeita para usa lá com você não é mesmo? Tirei essa foto pensando especialmente em você, uma pena não estar aqui pra saciar esse desejo que eu estou sentindo e tirar a lingerie do meu corpo  

  Eu sorri da audácia dela me mandar essa mensagem, senti que meu rosto estava ficando vermelho pela foto que ela mandou  e respondi logo em seguida para ela: 

  Deixa estar dona Dalila, essa foto vai ter troco, vai pensando que vai me mandar uma foto dessas e que ficará por isso mesmo? 

  Voltei a comer meu lanche antes de voltar para o hotel e tomar um banho gelado depois de uma foto dessas, foi eu terminar de comer pra ela me responder: 

  Essa foi a intenção atiçar a vontade que você tem de mim e mandou uma carinha safada. 

  Ri sozinha no meio da rua e as pessoas me olharam como se eu fosse maluca, sorri e falei pra ela: 

  Vai ter que me saciar muito bem quando nos encontrarmos novamente. 

  Fui correndo para o hotel pois estava muito frio na cidade, entrei no banheiro e me despi, nessa hora me veio uma ideia maquiavélica, no bom sentido é claro, tinha um espelho grande no banheiro, peguei o meu melhor ângulo e tirei uma foto para mandar para ela com os seguintes dizeres: 

  Pronta para ir pro banho uma pena não ter essas suas mãos habilidosas em meu corpo e junto mandei uma carinha piscando e outra safada. 

  Fui para o banho e lá não pude deixar de lembrar de nos duas nos amando no banheiro, sorri lembrando de como tive a Dalila tão entregue a mim, terminei o banho, coloquei um pijama e deitei na cama para me esquentar, antes de cair nos braços de Morfeu mandei uma última mensagem para ela: 

  O papo está bom, mas preciso dormir amanhã tenho outra palestra para ir.

  Tentei aguentar a resposta dela para dormir, mas acabei adormecendo pensando nela.

P.o.v Dalila 

  Assim que sai do quarto onde deixei a Giovana adormecida, me deu uma vontade de voltar para lá e ama lá novamente, mas eu precisava ir para Paris para uma reunião  de uma fornecedora de farmácia que era bem vista por todo o mundo, se eu conseguir esse negócio serei promovida, eu vendo produtos para hospitais e farmácias, entrei em meu quarto e arrumei o resto das minhas coisas e antes de entrar no táxi e ir para o aeroporto olhei para trás na esperança de ver a Giovana para me despedir dela, mas talvez fosse melhor assim, eu não iria conseguir ir embora se eu olhasse nos olhos dela e visse que ela queria que eu ficasse, eu largaria tudo se pedisse pra eu ficar mais um tempo com ela, respirei fundo e pedi pro taxista seguir o caminho dele, cheguei ao aeroporto e estava esperando meu voo ser anunciado, bateu uma tristeza de deixar ela lá sozinha, se tivesse sido comigo eu teria ficado chateada, pensei numa forma de surpreende lá ao chegar em Paris, meu voo foi anunciado e nenhuma mensagem da Giovana, entrei no avião cabisbaixa, passei o caminho todo de Amsterdam a Paris pensando nela, chegando em Paris estava indo pro hotel quando vi uma lingerie vermelha linda e não pensei duas vezes a comprei e fui feliz pro hotel com ideias mirabolantes, quando cheguei no hotel lembrei do celular só então lembrei que a Giovana poderia ter mandado mensagem, olhei o visor e tinha uma mensagem de um desconhecido, depois de ler a mensagem sorri e fui por o plano em ação, coloquei a lingerie e tirei uma foto pra ela e mandei logo em seguida para provoca lá, a resposta dela veio logo em seguida, sorri com a resposta dela e prontamente a respondi, eu estava amando aquele jogo de sedução que uma estava fazendo com a outra, a última mensagem dela me deu arrepios de prazer, ao clicar na foto que ela me mandou eu pude ver a foto dela nua que ela me mandou, não pude deixar de admirar o corpo dessa mulher maravilhosa, li o que ela tinha me mandado logo em seguida e respondi para ela: 

  Pode ter certeza que teremos muitas oportunidades para eu poder usar minhas habilidades em seu corpo, junto ela mandou duas carinhas safadas. Está bem Gi, bom descanso e até amanhã. 

  Tomei um banho morno para relaxar da viagem de avião, coloquei meu pijama preferido da Tinkerbell, sei que já sou adulta mas isso não me impede de gostar dessas coisas de criança, me aconcheguei em baixo das cobertas e me entreguei aos braços de Morfeu. 

P.o.v Giovana  

  Acordei antes do celular tocar o alarme para me acordar, fiquei tão brava por ter acordado antes do despertador, mas já que eu tinha acordado mesmo fui a varanda ver o nascer do sol, coloquei minha playlist no celular, estava escutando a melodia de olhos fechados quando escuto:

Olhos fechados

Pra te encontrar

Não estou ao seu lado

Mas posso sonhar

Aonde quer que eu vá

Levo você no olhar

Aonde quer que eu vá

Aonde quer que eu vá

Não sei bem certo

Se é só ilusão

Se é você já perto

Se é a intuição

E aonde quer que eu vá

Levo você, no olhar

Aonde quer que eu vá

Aonde quer que eu vá

Longe daqui, longe de tudo

Os sonhos vão te buscar

Volta pra mim, vem pro meu mundo

Eu sempre vou te esperar

Não sei bem certo

Se é só ilusão

Se é você já pertoSe é a intuição

E aonde quer que eu vá

Levo você, no olhar

Aonde quer que eu vá

Aonde quer que eu vá

Aonde quer que eu vá

Aonde quer que eu vá

  Não pude deixar de pensar na Dalila, nas covinhas quando ela sorri, do sorriso dela, de como ela fica linda vermelha e me dá mais vontade de beija lá, do beijo dela e do corpo dela, enquanto a música ia passando imaginei ela aqui escutando a música comigo, sorri comigo mesma e pensei em mandar a música para ela, porém eu não sabia se mandava só a música ou cantava a música e mandava para ela, decidi surpreende lá cantando para a mesma, sou muito tímida para cantar para alguém mas tentarei, peguei um caderno anotei a letra da musica e voltei ao quarto, pois eu não cantaria lá fora, eu cantaria só para ela, fechei as cortinas e coloquei pra gravar e fui cantando a música para a Dalila, tive que cantar mais de três vezes, pois a timidez estava me atrapalhando, na minha última tentativa consegui, pausei o vídeo e mandei para ela e logo em seguida escrevi:  

  Bom dia, eu estava vendo o lindo nascer do sol escutando música no meu celular quando veio essa música e não pude deixar de lembrar você, mesmo tímida cantei para ti, espero que goste.

                                                                                  Beijos da Giovana. 

  Entrei no banheiro e tirei minha roupa e entrei no banho, enquanto a água quente caía em meus ombros a imagem da Dalila estava em minha mente nessa hora por impulso eu fui passando a mão pelo meu corpo imaginando que era a Dalila, meu corpo foi esquentando, fui ficando excitada, parei na minha entradinha e fui fazendo movimentos circulares sem penetração, mas eu já estava nas alturas, precisava gozar, já estava bem molhada, usei dois dedos e fiz um vai e vem gostoso até que gozei pronunciando o nome de Dalila, depois de saciar um pouco o desejo que eu estava por ela, fui terminar meu banho que as 10 horas eu teria que estar lá no auditório para mais um dia de palestras chatas, sai do banho, me troquei e fui tomar o café da manha lá embaixo no hotel, peguei meu celular e desci para o hall para tomar o café, comi um lanche leve com um suco de laranja e frutas, olhei para o celular na esperança de ver mensagem da Dalila, mas não tinha nenhuma mensagem dela, terminei de comer e corri para chegar na hora na palestra, cheguei em cima da hora, tive que sentar atrás, não enxergo muito bem, mas não gosto de usar óculos então acabei esquecendo ele em casa lá em São Paulo, agora terei que me virar, eu estava tão concentrada na palestra que não reparei que meu celular vibrou, só reparei que era a mensagem que eu tanto estava esperando, com o coração disparado e com as mãos suando abri a janelinha dela no whats e a resposta dela foi: 

  Nada melhor do que acordar escutando a sua voz, melhor jeito de acordar, alegrou o meu dia, vou trabalhar até mais feliz agora, me conta o que anda fazendo por aí acordada a essa hora?  

  Respondi logo em seguida para ela: 

- Estou numa palestra chata de medicina e você o que faz por aí? 

- Estou saindo do hotel agora, tenho uma reunião chata pra participar, bom vou deixar você ver a palestra, não vou te atrapalhar a noite eu ligo pra você, beijos no canto da boca e junto ela mandou uma carinha rindo.

- Está bem meu amor mais tarde nos falamos, beijos. 

  Desliguei o visor do celular e voltei a prestar atenção a palestra, meu celular apitou e eu fui ver de quem era e qual não foi a minha surpresa ao ver que era mensagem da Dalila e ao abrir a mensagem fiquei branca feito papel:

- Você me chamou de que Gi?

- Está falando do que?  

  Fiquei olhando o celular extremamente vermelha, eu tinha acabado de chamar a Dalila de amor sem perceber, agora não sei onde enfiar a cara, a resposta dela veio logo em seguida:

- Não se faça de desentendida dona Giovana.

- Eu te chamei de amor e só reparei nisso agora e mandei junto uma carinha de vergonha.

- Não precisa ficar envergonhada, ganhei meu dia, hoje ganhei uma música cantada por você e ainda me chamou de amor, vou trabalhar nas nuvens agora.

- Bom trabalho e até mais tarde.

- Até mais tarde meu amor.

P.o.v Dalila  

  Acordei com o celular apitando e qual não foi minha surpresa ao ver que era da Giovana, fiquei mais surpresa ainda ao ver que tinha um vídeo dela, ao abrir vi que era ela cantando, fiquei tão encantada com a voz, deu pra perceber o quão tímida ela estava, assisti algumas vezes o vídeo antes de responder para ela, estava falando com ela quando ganhei meu dia quando ela me chamou de amor, melhor foi ver como ficou ao perceber que tinha me chamado de amor, deu pra imaginar como ela ficou vermelha ao perceber que sem querer me chamou de amor, me despedi dela e fui para a reunião, a empresa já estava me esperando, me arrumei as pressas tomei um café da manhã sem esquecer do meu copo de café senão eu não funciono direito e fico de mau humor, cheguei a empresa e fui anunciada como empresária Dalila, esperei alguns minutos antes de entrar, cumprimentei as pessoas que estavam no local:

- Good morning (Bom dia) 

  Todos me deram bom dia daí continuei o meu discurso, eu estava nervosa, pois se eu conseguisse juntar as empresas eu iria ser promovida, olhei nos olhos de cada um e voltei a falar:

- My name is Dalila and I'm from the health and welfare company, I've scheduled the meeting to discuss the clauses for joining our company with yours. ( Eu me chamo Dalila e sou da empresa Saúde e bem estar, marquei a reunião para discutirmos as cláusulas para a junção da nossa empresa com a sua). 

  Levei alguns slides explicando quando a empresa foi fundada e como trabalhamos na empresa, terminei a explicação é esperei eles falarem alguma coisa, eles deram uma saída da sala e foram conversar, demoraram cerca de uma hora para voltar, eles demoraram tanto que fiquei apreensiva, quando eles voltaram um moço na faixa dos trinta anos veio falar comigo:

- My name is Jorge, and after we decide a lot we decided we're going to join the companies, come back um three days to sign the papers. ( Me chamo Jorge e depois de deliberarmos muito decidimos que faremos a junção das empresas, volte daqui três dias para assinar os papeis). 

  Agradeci a todos e sai feliz da vida era o q eu precisava para o Rodolfo me admitir como empresária principal, faz três anos que estou nessa empresa como estagiária e eu venho lutando muito para conseguir essa promoção, a primeira coisa que fiz foi mandar uma mensagem para a Giovana:

- Boa tarde Gi,  eu estou transbordando de felicidade e a primeira pessoa que eu quis contar as novidades foi para você, a reunião foi um sucesso consegui fazer a junção das empresas, era o que eu precisava para ser promovida, mais tarde nos falamos. 

                                                                                        Beijos da Dalila. 

  A Giovana respondeu logo em seguida:

- Fico feliz por você meu amor, agora estou assistindo a palestra, vou sair daqui as 18 horas, assim que eu sair vou querer saber de tudo.

                                                                                   Beijos da Giovana. 

  Olhei no relógio e já passava da 15 horas, como eu teria que esperar a Giovana sair da palestra fui até uma lanchonete que tinha do lado da empresa, adentrei no ambiente e era um lugar aconchegante com vista para a torre Eiffel, a vista era magnífica, sentei lá fora e pedi um croissant com um suco de laranja, enquanto não vinha o que pedi fiquei observando as pessoas andando apressadas, peguei o livro na minha bolsa para lê ló, a garçonete trouxe meu pedido e eu fui lendo e comendo, as horas passaram voando, quando olhei para o celular já era 17:30, paguei o que consumi e fui para o meu hotel, queria tomar um banho antes de ligar para a Giovana, entrei em meu quarto deixei minha bolsa na cadeira e fui direto para o banheiro tomar banho, depois de relaxada e deitadinha em baixo das  cobertas mandei mensagem para a Giovana:

- Boa tarde amore mio, já está no hotel?

- Estou sim.

- Posso te ligar? 

- Claro que pode. 

  Respirei fundo, pois eu estava nervosa em ligar para ela, disquei o número dela e no segundo toque ela atendeu:

- Oi meu amor.

- Oi Gi, te liguei para te contar como foi a reunião, eles gostaram da apresentação e vamos fazer a junção das empresas estou tão feliz era o que eu precisava para ser promovida a empresária fixa, tô numa felicidade tão grande.

- Fico muito feliz por você, quando nos encontrarmos vamos comemorar. 

  Passamos duas horas conversando, contei que morava com a minha mãe, que tinha uma cachorrinha que se chamava Nina, que eu tenho 25 anos, que sou empresária, o papo estava tão bom mas o cansaço bateu e eu falei pra ela:

- O papo está muito bom, mas eu preciso ir dormir, estou cansada, vou dormir aqui, Boa noite, durma bem, tenha bons sonhos, beijos e até amanhã.

- Bom descanso meu amor, que você durma bem, que tenha bons sonhos, beijos e até amanhã.  Desliguei o celular e me senti a mulher mais feliz do mundo tinha um ótimo trabalho, uma mãe maravilhosa e conheci a mulher mais incrível do mundo, com esse pensamento cai nos braços de Morfeu.    

Notas finais:

Agradeço a Nicolle, a Andressa, a Elna, a Lilian, a Luna, a kamilaa Bia Ramos ea todas as pessoas que me ajudaram com o conto.

 

beijos da Pimentinha

Capítulo 3 por amandanasnuvens
Notas do autor:

Boa tarde meninas, mais um capitulo para vocês, espero que gostem :)

P.o.v Giovana 

  Acabei de chegar no hotel e recebi uma mensagem da Dalila perguntando se ela poderia me ligar, eu avisei que ela poderia me ligar sim, esperei uns cinco minutos e ela me ligou, conversamos por umas duas horas, eu a parabenizei pela reunião e contei para ela que sou médica, que eu moro sozinha e que tenho uma gatinha linda chamada Lupita, o papo estava bom, porém ela estava cansada e foi dormir, eu ainda demorei um pouco a pegar no sono, escrevi o e-mail  para o meu chefe e fui ver televisão para ver se o sono vinha, mas não estava conseguindo, liguei na recepção e pedi um leite quente para ver se eu relaxava um pouco e conseguia dormir, uns cinco minutinhos bateram na porta trazendo o que pedi, tomei o leite quente, deitei na cama e dormi.   

  Acordei com os raios de sol entrando pela janela, olhei no relógio e levei um susto, eu estava em cima da hora, me arrumei as pressas e sai do hotel, nem tempo pra comer tive, cheguei no auditório em cima da hora, quase não entrei, sentei nas cadeiras do fundo e antes de voltar minha atenção a palestra mandei uma mensagem para a Dalila:

- Bom dia meu amor, desculpa não ter te mandado mensagem antes, acordei atrasada e só peguei o celular agora, hoje só sairei daqui as 23 horas daí nos falamos tenha um bom dia, beijos, mandei uma carinha feliz e um coração. 

  Hoje o dia seria cheio, eu só sairia as 23 horas, pois hoje era o último dia das palestras e estava aproveitando ao máximo meu último dia, o dia estava tão corrido que não tive tempo nem de comer, passei horas vendo as palestras fazendo anotações e aprendendo coisas novas, já era bem tarde, faltava dez minutos para irmos embora, como passei o dia sem comer minha vista escureceu e eu não vi mais nada, acordei e me vi num lugar diferente até que uma moça bem simpática veio falar comigo e falou:

- Good morning. ( Bom dia)- Good morning, where am I? ( Bom dia, onde estou?)

- You're in the auditorium infirmary. ( Você está na enfermaria do auditório)- What happened? ( O que aconteceu?)

- You passed out yesterday and were rescued and brought here and only woke up now. ( Você desmaiou ontem e foi socorrida e trazida para cá e só acordou agora)

- Could you please tell me what time it is? ( Por favor poderia me dizer que horas são?)

- It's 11 o'clock in the morning. ( São 11 horas da manha)

- My God, I'm screwed, Dalila must be worried. ( Meu Deus, estou ferrada a Dalila deve estar preocupada) 

  Procurei meu celular e ele estava com várias mensagens dela preocupada comigo por eu ter sumido desde ontem e varias ligações da Dalila, peguei meu celular e liguei para ela, no terceiro toque me atendeu:

- Bom dia Dalila, desculpa ter sumido ontem sem avisar, é que passei mal e só acordei hoje.

- Mas o que houve? Você está bem? 

- Estou bem sim, foi só um mal estar mesmo, uma enfermeira muito simpática cuidou de mim e agora estou me sentindo bem melhor.

- Que bom que está bem, fiquei preocupada porque você disse que sairia as onze da noite do auditório e não me mandou nenhuma mensagem e essa enfermeira era bonita? 

- Nem reparei para falar a verdade, me desculpa, não quis te preocupar, mas estou bem agora, vou precisar desligar que a enfermeira está brava aqui comigo, daqui a pouco eu te chamo.

- Sei, vai lá com a enfermeira. 

  Nessa hora sorri e respondi:

- É impressão minha ou temos alguém com ciúmes aqui?

- Quem está com ciúmes aqui? 

- Bom se você esta dizendo quem sou eu pra contrariar, até mais tarde amor.

- Até amor. 

  Desliguei e fiquei mais tranquila por ter falado com a Dalila, quando olhei para o lado a enfermeira estava de braços cruzados olhando pra mim  e eu perguntei:

- I couldn't use the cell phone? ( Eu não podia usar o celular?)

- Of course I could, but after I checked you out. ( Claro que podia, mas depois que eu te examinasse pra você receber alta)

- I'm sorry, I'm gonna be a good patient now. ( Me desculpa, vou ser uma boa paciente agora) 

  A enfermeira fez todos os exames pra ter certeza que eu estava bem e disse:

- Try to eat that empty bag doesn't stand up.( Trate de comer que saco vazio não para em pé)  

  Me despedi da enfermeira e fui para o hotel andando, passei no primeiro Mc donald's que apareceu e pedi um Mc Chicken com uma coca cola super gelada, só depois de comer percebi que estava faminta, terminei de comer e mandei mensagem pra Dalila:

- Boa tarde Dalila, recebi alta, fazendo o que de bom? 

- Estou escrevendo um poema.

- Olha só, posso ver?

- A noite deixo você ver

- Está bem amor, eu estou na frente do Mc donald's, daqui a pouco irei para o hotel e mais tarde irei dormir, preciso descansar tive dias cheios.

- Está bem meu amor, te quero bem pra quando eu te reencontrar. 

  Cheguei ao hotel as 17 horas, entrei no banheiro e liguei a água quente e esperei encher a banheira, peguei meu celular e avisei a Dalila que iria tomar banho e que antes de dormir chamaria ela, escolhi uma música relaxante e entrei na banheira, fechei os olhos e fiquei apreciando a música que estava passando, passei uma hora na banheira, me deliciando com a música e lembrando da Dalila, sai do banho e coloquei uma roupa confortável e entrei embaixo das cobertas e mandei mensagem para ela:

- Oi meu amor, acabei de sair do banho, estou curiosa com o poema que você fez, posso ver?

- Claro que pode, só um minuto que já vou te mandar. 

  Esperei uns cinco minutos, eu já estava ficando ansiosa sem saber porque da demora dela, quando ela me mandou uma mensagem: 

  Aqui está o poema que fiz para você meu amor:

 

Quando será que me apaixonei? 

Será que foi no dia que nos conhecemos? 

Será que foi no nosso primeiro abraço?

Será que foi quando eu a vi dormindo tão serena?

 

Será que foi no dia que eu passei a vê lá com outros olhos?

 Será que foi pelo jeito dela? 

Será que foi por seu carinho?

Ou será que foi pela forma dela me enxergar? 


  Que lindo meu amor vou dormir até mais feliz do mundo, vou deitar que  amanhã é meu último dia aqui em Amsterdam, depois de amanhã irei embora.

- Boa noite meu amor, amanhã também é meu último dia aqui em Paris, não se esqueça de sonhar comigo. 

  Sorri depois de ler a mensagem dela e respondi:

- Sonho com você toda noite, posso não estar em sua presença agora, mas sempre sonho contigo.

- Bom saber que sempre sonha comigo, bom descanso e até amanhã amor.

- Ate amanhã meu amor 

  Me aconcheguei ao travesseiro e me entreguei aos braços de Morfeu.

P.o.v Dalila 

  Acordei com a mensagem da Giovana no celular, ela avisando que já estava no auditório vendo as palestras e que só sairia as 11 horas da noite de lá, deixei o celular de lado e fui me arrumar, pois hoje eu iria assinar os papéis na empresa, me arrumei e fui ao encontro dos empresários para assinar os papéis e ver se eles tinham alguma duvida, não foi o mesmo rapaz que veio falar comigo da outra vez, nos cumprimentamos e ele me levou pra uma sala e fiquei esperando, meia hora depois um rapaz de uns 25 anos se apresentou para mim:

- My name is Luke and I will be helping you to sign the company junction papers.( Meu nome é Luke e estarei te auxiliando para assinar os papéis da junção da empresa)

- My name is Dalila, thank you for your help. ( Me chamo Dalila, muito obrigada pela ajuda.) 

  Ele me entregou os papéis e eu os assinei, me despedi dele e sai sorrindo por ter conseguido a junção das empresas, ainda era 2 horas da tarde, ainda teria que esperar muito para falar com a Giovana, resolvi dar um passeio na cidade e conhecer Paris, andando pela cidade passei pelo parque Jardim de Luxemburgo, encontrei uma sombra e li por um bom tempo, almocei por ali mesmo e peguei meu caderno, olhando as árvores me lembrei do rosto da Giovana e não pude deixar de sorrir, peguei uma caneta e comecei a escrever no papel, quando olhei no papel vi que fiz um poema para ela, fiquei envergonhada porque isso significava que eu estava muito apaixonada pela Giovana, fechei meus olhos para descansar um pouco pois eu estava cansada, acabei adormecendo, acordei assustada quando avisaram que o parque iria fechar, peguei minhas coisas atordoada e olhei para o celular, levei um susto quando olhei as horas e já passava das 9 da noite, procurei um restaurante para jantar, saboreei a comida e fui andando para o hotel, cheguei por volta das 10:30 da noite, peguei meu pijama e fui me arrastando para o banheiro, eu estava muito cansada pelo dia que tive, entrei na banheira e fiquei um bom tempo lá relaxando, perdi a noção da hora, sai da banheira e fui olhar o celular, já passava da 11:30 da noite e nenhuma mensagem da Giovana, comecei a ficar preocupada sem notícias dela, mandei várias mensagens e liguei várias vezes para ela e nada de me mandar alguma notícia, acabei adormecendo de cansaço lá pras 2 da manhã, eu só fui ter notícias dela  as 11 horas da manhã, tenho um sono agitado por não saber notícias dela, acordei com meu celular tocando, peguei ele nem vi quem estava me ligando e já fui atendendo o celular:

- Bom dia, com quem eu falo?

- Bom dia Dalila, desculpa ter sumido ontem sem avisar, é que passei mal e só acordei hoje.

- Mas o que houve? Você está bem? 

- Estou bem sim, foi só um mal estar mesmo, uma enfermeira muito simpática cuidou de mim e agora estou me sentindo bem melhor.

- Que bom que está bem, fiquei preocupada porque você disse que sairia as onze da noite do auditório e não me mandou nenhuma mensagem e essa enfermeira era bonita? 

- Nem reparei para falar a verdade, me desculpa, não quis te preocupar, mas estou bem agora, vou precisar desligar que a enfermeira está brava aqui comigo, daqui a pouco eu te chamo.

- Sei, vai lá com a enfermeira. 

  Nessa hora sorri e respondi:

- É impressão minha ou temos alguém com ciúmes aqui?

- Quem está comciúmes aqui? 

- Bom se você esta dizendo quem sou eu pra contrariar, até mais tarde amor.

- Até amor. 

  Desliguei o celular e fiquei mais tranquila, a Giovana me perguntou o que eu estava fazendo, eu falei que estava fazendo um poema, mas na verdade já tinha terminado ele, porém eu não queria mostrar aquela hora pra ela, então eu disse que a noite mostraria a ela, chegando a noite ela me mandou mensagem perguntando do poema, fiquei envergonhada por mandar o poema, mas criei coragem e mandei para ela, estava bem apreensiva com o que ela iria dizer, mas no final ela amou o poema, me disse que iria dormir pois ela queria aproveitar seu último dia em Amsterdam, dei boa noite para ela e me deitei e me entreguei aos braços de Morfeu.

P.o.v Giovana  

  Acordei com disposição, me arrumei, peguei minha máquina fotográfica e desci para tomar um café reforçado, pois eu passaria o dia todo na rua conhecendo Amsterdam através da máquina fotográfica, comi um lanche com super café com leite reforçado para não me dar sono, terminei de comer e sai andando pela cidade, vi imagens maravilhosas e as retrátei com a máquina fotográfica, eu queria mostrar para a Dalila todas as fotos que tirei da cidade, já passava das 10 da manhã, mandei mensagem para ela:

- Já acordou bela adormecida? 

- já acordei sim, estou me arrumando para sair, quero subir na torre Eiffel hoje e ver a cidade lá de cima.

- Que legal meu amor, faz um favor pra mim?

- Claro, até dois se você quiser.

- Tiraria uma foto da cidade lá de cima pra eu ver? 

- Claro que tiro, mas vou querer uma recompensa.

- E que recompensa seria? 

- Você saberá quando nos encontrarmos.

- Vai me deixar curiosa mesmo?

- Vou sim.

- Que maldade.

- Mas você gosta.

- Admito que gosto. 

  Ela mandou um áudio dela rindo e fiquei encantada mais ainda por ela, me despedi dela e encontrei um restaurante bem aconchegante, adentrei no estabelecimento falavam português, só então eu percebi que era um restaurante brasileiro, agradeci mentalmente, pois eu estava com saudades da comida da minha terrinha, ainda mais do feijão, pedi um arroz, feijão, batata frita e uma carne suculenta, com um suco de laranja para acompanhar, foi um manjar dos deuses e de sobremesa um belo pudim, maravilhoso, me saciei da melhor comida brasileira e sai do restaurante saciada, nada como almoçar em um restaurante onde entendem o que você está falando, continuei o passeio e passei a tarde toda tirando fotos de vários lugares diferentes em Amsterdam para mostrar para a Dalila, já passava das 6 horas da tarde, mandei mensagem avisando que voltaria ao hotel para descansar que amanhã voltaria para São Paulo, liguei para a Dalila e fomos conversando amenidades, cheguei ao hotel, tomei um banho e adormeci logo em seguida.

P.o.v Dalila 

  Acordei lá pras 10 da manhã com a Giovana me acordando, ela me chamou de bela adormecida e eu ri do modo como ela me acordou, avisei a ela que eu estava me arrumando para ver a torre Eiffel, ela pediu pra eu tirar uma foto lá de cima pra ela ver, mas eu fiz um charminho é claro né, falei que iria querer recompensa e ela queria saber, mas nem eu sabia que recompensa iria escolher, então falei que na hora ela iria saber, adorei ver ela curiosa, terminamos de nos falar e me arrumei e desci para tomar um belo café da manhã, comi um croissant com suco de laranja, amo suco de laranja, terminei e sai pelas ruas de Paris, como sou meio distraída acabei me perdendo, bem típico me perder em Paris, perguntei onde era a torre Eiffel e fui andando até lá,  no meio do caminho me bateu uma fome, fiquei em dúvida entre um restaurante e um mc donalds, no fim das contas escolhi o mc donalds que era mais prático, pedi um mc Chicken com uma coca cola super gelada, apreciei o meu lanche e enquanto comia via a torre Eiffel estava a menos de cinco metros, terminei de comer e antes de voltar a andar tirei uma foto, a vista estava linda, continuei a andar e assim que cheguei na frente fiquei maravilhada, nunca imaginei que fosse tão linda, subi todos os degraus e olhei lá de cima, tinha que admitir a vista é maravilhosa, tirei a foto que prometi para a Giovana e desci pois já estava tarde, eu estava descendo quando ela me ligou, nos falamos por um tempo no telefone e se despediu de mim e dormiu, eu aproveitei a última noite aqui em Paris e quis ver como era a noite na cidade, passei um bom tempo andando ate a exaustão, quando estava bem cansada voltei para o hotel, tomei um banho para relaxar e cai nos braços de Morfeu.

P.o.v Giovana 

  Acordei mais cedo, pois eu tinha que arrumar as malas, peguei os meus pertences espalhados pelo quarto e fui arrumando a mala, guardei minhas coisas e fui tomar o café da manhã antes de ir para o aeroporto, terminei de comer e chamei o táxi, era melhor chegar adiantada do que atrasar e perder o voo, peguei um livro e comecei a folhear ele, mas minha atenção estava nas lembranças da Dalila e se um dia nos veríamos novamente, deu 10 horas da manha e fui para a fila, tinha uma garota muito parecida com a Dalila, eu até tentei chegar mais perto, mas já era tarde demais, ela já tinha entrado nos portões e eu a perdi de vista, mas no meu coração eu sabia que era ela, entreguei meu passaporte para a moça e despois dela olhar tudo e me mandar entrar continuei a procura lá, mas meu voo foi anunciado e eu precisei ir para o avião, sentei na minha poltrona e esperei, fiquei observando todas as pessoas que entravam na esperança de ver a Dalila, porém isso não aconteceu, minha última esperança era a pessoa que se sentaria ao meu lado, mas ela veio por água abaixo quando um cara se sentou ao meu lado, fiquei triste por não vê lá, antes do avião decolar mandei mensagem pra Dalila:

- Bom dia Dalila, ainda em Paris?  

  A resposta veio logo em seguida:

- Bom dia Gi, estou em Amsterdam já entrei no avião e estou esperando para ir para São Paulo e você?

- Também estou no avião esperando pra decolar.

- Mas por que a pergunta?

- Eu vi uma garota muito parecida contigo e eu tinha certeza que era você.

- Por que não veio falar comigo? 

- Eu até tentei mas não consegui chegar em você.

- Que pena, iria amar ter te visto.

- Eu também iria, tenha uma ótima viagem, nos vemos em São Paulo  

  Eu estava certa ela esteve tão perto de mim e eu não pude falar com ela, espero vê lá logo a saudade está grande, demoraria umas onze horas de viagem para chegar em São Paulo, teria tempo de sobra para me lembrar da Dalila, a viagem foi tranquila, cheguei em São Paulo já passava das 9 horas da noite, peguei minha mala e segui para minha casa, meia hora depois cheguei em minha casa e assim que entrei vi minha cachorrinha linda, fiz carinho e brinquei com ela, peguei meu celular e vi se tinha mensagem da Dalila, não tinha nenhuma, mandei mensagem pra ela:

- Boa noite meu amor, acabei de chegar em casa e estou bem cansada, vou dormir cedo que amanhã voltarei a trabalhar. 

  Nem esperei ela me responder, tomei um banho para relaxar com minha cachorrinha em meu encalço, me deitei na cama e adormeci logo em seguida.

P.o.v Dalila  

  Eu acordei eram 7 horas da manhã, pois o voo sairia as 8 com escala em Amsterdam, chegaria lá as 10 da manhã, para pegar o voo para São Paulo, eu estava na fila quando tive a sensação de sentir a presença da Giovana, mas achei que era impressão minha mesmo, entrei no avião quando meu celular apitou e eu fui ver de quem era mensagem, quando abri o celular percebi que a mensagem era da Giovana me perguntando se eu estava em Paris, eu respondi que estava em Amsterdam e ela avisou que também estava, ela disse que viu uma garota que era parecida comigo, só aí eu percebi que foi por isso que eu tive a sensação da Giovana estava por perto, ela não tirou os olhos de mim por isso a sensação dela estar tão perto, nos despedimos e desliguei o celular, eu passaria onze horas dentro do avião, tentei resolver umas coisas do meu trabalho, mas não consegui, vira e mexe a Giovana vinha a minha mente, adormeci e só cheguei em São Paulo lá pras 9:30 da noite, peguei minha mala e fui para casa, entrei e minha mãe já me esperava na porta e foi logo perguntando:

- Boa noite filha, como foi a viagem? 

- Foi muito bem mãe, consegui a junção da empresa, era o que faltava para minha promoção, estou tão feliz é o que eu estou esperando faz muito tempo.

- Fico feliz por você minha filha, eu sempre me orgulhei de você. 

  Eu estava conversando com minha mãe, quando eu percebi que uma bolinha de pelo não parava de pular em mim, parei de falar com ela e fui falar com minha gatinha, fiz carinho nela e brinquei com ela, o dia foi cansativo, fui tomar banho e antes de dormir olhei se tinha mensagem da Giovana, ela avisou que chegou em São Paulo e que iria dormir que amanhã ela trabalharia cedo, a respondi e me aconcheguei na minha cama e a lupita deitou no travesseiro e juntas adormecemos.    

Notas finais:

Bom meninas eu iria fazer so 3 capitulos, mas ficaria muito grande, então tera 4 capitulos, o proximo capitulo sera o desfecho final da historia, espero que estejam gostando da historia ate agora.

 

beijos da Pimentinha

Capítulo 4 por amandanasnuvens
Notas do autor:

bom dia meninas estamos no ultimo capitulo da historia da Dalila e da Giovana, espero que tenham gostado da historia tanto quanto eu gostei de escreve la :)

P.o.v Giovana  

  Acordei com a sensação de que alguma coisa iria acontecer hoje, eu não sabia explicar bem o que, mas alguma coisa iria acontecer hoje, me arrumei e fui para o hospital e aquela sensação não passava, fui até o escritório do chefe e fui falar com ele:

- Bom dia Doutor kaue.

- Bom dia Giovana, como foi a viagem? 

- Foi bem proveitosa. 

  Suspirei lembrando dos momentos maravilhosos que tive com a Dalila, eu acabei me distraindo com meus pensamentos que nem reparei que ele estava falando comigo, quando chamou minha atenção e falou: 

- Essa viagem deve ter sido muito boa mesmo pra você ficar tão distraída assim.

- Você não faz ideia meu amigo como foi a viagem.

- Tem rabo de saia no meio não é mesmo?

- Você me conhece, sempre tem. 

  Caímos na gargalhada e ele quis saber todos os detalhes e eu falei:- Nós encontramos três vezes, uma vez no avião, outra na balada e outra no hotel.

- Algo me diz que não foi só uma ficada não é minha amiga? 

- Como sabe? 

- Eu nunca te vi suspirar assim por ninguém, e só de olhar nos seus olhos eu vejo o quanto gosta dela.

- Você me conhece muito bem, eu nem sei se a verei novamente um dia.

- Mas vocês não se falam? 

- Só pelo telefone, mas não sei se nos veremos pessoalmente, falando nisso deixa eu mandar uma mensagem para a Dalila. 

  Peguei meu celular e respirei fundo antes de mandar mensagem para ela, eu ainda estava com aquela sensação de que algo iria acontecer, deixei isso de lado e mandei mensagem para ela:

- Bom dia meu amor, dormiu bem?  

  Ela respondeu logo em seguida:

- Bom dia, dormi sim e você? Como está sendo o seu dia? 

- Já estou trabalhando e você?

- Estou me arrumando, as 11 horas da manhã terei uma reunião em um hospital para ver os produtos que eles vão querer.

- Boa sorte na reunião e tenha um ótimo trabalho.

- Você também meu amor, depois da reunião te ligo pra dizer como foi.

- Está bem, até mais tarde. 

Voltei a olhar para o meu chefe e ele falou:

- Você realmente gosta dela não é mesmo? 

- Gosto muito, mas por que está dizendo isso? 

- Porque eu nunca te vi assim, nesses 10 anos de amizade eu nunca te vi assim por nenhuma garota, nunca te vi sorrindo como boba só por estar falando com ela, ou esse brilho no olhar por estar apaixonada por alguém.

- Você está certo, estou perdidamente apaixonada por essa garota e se tudo der certo pedirei ela em namoro no nosso próximo encontro.

- Bom o papo está bom, mas eu esqueci de te avisar que teremos uma reunião com os fornecedores da empresa as 11 horas, a empresa se chama Saúde e bem estar e como eu precisarei dar uma saída é você que vai conduzir a reunião.

- Tenho carta branca para dispensar caso eu não goste? 

- Tem sim, agora vou indo que estou atrasado.

- Está bem, te manterei informado.

- Está bem, até mais tarde. 

  Ele foi embora e fiquei sozinha no escritório dele, fui para o refeitório do hospital para beliscar algo antes da reunião, pois eu não teria tempo de voltar pra casa antes da reunião, por ser mais de 10:30, comi as pressas um café com leite com um pão na chapa e voltei a tempo da reunião, a secretaria avisou que a moça da empresa já estava esperando na recepção, pedi para ela esperar um minuto e mandar ela entrar, fui ao banheiro do escritório, escovei os dentes e vi como estava minha aparência, vi que estava tudo certo e liguei para a secretaria pedindo pra deixar a moça entrar, eu estava olhando para baixo e não percebi quando a moça adentrou no escritório, só percebi quando ela falou:

- Bom dia me chamo Dalila e sou da empresa Saúde e bem estar. 

  Eu fiquei uns 5 minutinhos de cabeça baixa, sem acreditar como o destino muitas vezes nos ajuda, levantei a cabeça e sorri para a Dalila e falei: 

- Quem diria que a sua reunião seria comigo? 

- Verdade né, mas o bom é que poderei te ver antes do esperado. 

  Ela sorriu para mim e eu percebi que ela estava mordendo o canto da boca, aquilo estava me deixando maluca, quantas vezes sonhei em beijar aquela boca e ela estava ali na minha frente, me levantei e fui ate a porta, a tranquei e olhei para a Dalila com aquela cara sapeca que ela já conhecia e ela perguntou:

- O que vai aprontar Giovana? 

- Você vai ver Dalila. 

  Eu cheguei perto dela e a cada passo que eu dava em direção a ela, mais meu corpo reagia e ficava excitado, cheguei no ouvido dela e disse:

- Você será minha aqui e agora, sempre quis transar com alguém no escritório do meu chefe e só poderia ser com você, jamais traria outra garota aqui. 

  Olhei nos olhos da Dalila e vi o desejo que ela estava sentindo, era o mesmo desejo que eu estava sentindo, desci a boca dela e a beijei, foi um beijo com gosto de saudade, tesão, misturado com carinho e ternura, fomos nós beijando e eu fui guiando ela até o sofá, me deitei sobre ela e continuamos a nos beijar, o clima estava esquentando demais, quando eu ia tirar a camisa social que ela estava usando, que por sinal deixa ela bem sexy, deram uma batida na porta e eu ouvi a voz do Kaue lá fora falando:

- Está tudo bem aí dentro? 

- Está sim.  Eu pedi para a Dalila fazer silêncio enquanto eu falava com o meu chefe, com o coração aos pulos falei:

- Estou me trocando aqui daqui a pouco te digo como foi a reunião de hoje cedo.

- É bom mesmo Giovana. 

  O kaue foi se afastando e eu respirei aliviada por não ter sido pega, arrumei minha roupa e a Dalila fez o mesmo e ela falou:

- Ainda teremos muito tempo para nos saciarmos.

- Com toda certeza, melhor fazermos a reunião antes que ele volte e nos pegue no flagra não é mesmo?

- Verdade. 

  Passamos duas horas na reunião e eu decidi pegar alguns produtos, até porque a empresa dela é muito boa, me despedi dela e antes dela partir cheguei perto do ouvido dela e falei:

- Te espero hoje na minha casa e continuaremos de onde paramos.  A beijei daquele jeito, já mostrando minhas segundas intenções mais tarde, a vi saindo do escritório e estava pensando que o nosso encontro não podia ter sido melhor, eu estava tão distraída que não percebi que o kaue estava me observando, ele tossiu pra chamar minha atenção, olhei para ele e disse:

- O que houve? 

- Eu que pergunto dona Giovana.

- Está bravo comigo?

- Não, mas quem estava com você no escritório? 

- Então.

- Deixa de enrolar Giovana.

- Era a garota que eu conheci em Amsterdam.

- Sério? 

- Fiquei tão surpresa quanto você.

- Quem diria que vocês se veriam mais cedo do que imaginavam.

- Verdade né, sei que cheguei ontem de viagem, mas será que posso ir pra casa? Marquei de me encontrar com ela as 8 horas da noite.

- Está bem, vá lá se divirta e juízo viu. 

  Ele saiu rindo e eu fui para casa andando, pois eu morava perto do hospital, passei na frente da floricultura e não pensei duas vezes, parei lá e falei com a atendente:

- Boa tarde com quem eu falo? 

- Me chamo Joana como poço ajuda lá?

- Eu gostaria de comprar algumas rosas.

- Boa escolha, espere 1 minuto que já te entrego.

- Obrigada Joana. 

  Enquanto eu esperava mandei o endereço pra Dalila e uns 10 minutos depois ela me entregou o que eu pedi, paguei ela e fui para casa, antes de entrar em casa passei no mercado e comprei um vinho Merlot, morangos e fui para casa as pressas eu precisava preparar algo para comermos, mas já estava em cima da hora então pedi um ifood, 5 minutos antes da Dalila chegar a comida chegou, arrumei a mesa para duas pessoas, terminei de arrumar e fui para meu quarto, arrumei minha cama e coloquei as rosas em cima dela, entrei no banheiro e tomei um banho rápido antes que ela chegasse, me troquei e fiquei esperando ela, eu estava ansiosa pois hoje pediria a Dalila em namoro, esperei mais 5 minutos e bateram na minha porta.

P.o.v Dalila 

  Acordei e já passava das 9 da manhã, me arrumei e fui falar com minha mãe para tomarmos café da manhã, comemos e conversamos por um tempo antes deu sair de casa, ela me desejou boa sorte e eu sai pra trabalhar, cheguei 5 minutos antes da reunião começar, fiquei esperando até a secretaria anunciar pra eu entrar no escritório do doutor kaue, mas quando entrei no escritório não o vi, mas sim uma garota e ela se parecia muito com a Giovana, porém eu não tinha certeza por ela estar de cabeça baixa, desejei bom dia a ela e falei que eu era da empresa Saúde e bem estar, ela ficou de cabeça baixa e falou:

- Quem diria que a sua reunião seria comigo? 

- Verdade né, mas o bom é que poderei te ver antes do esperado.

  Eu sorri para ela e mordi o canto da boca, percebi que aquilo a estava  deixando maluca, sonhei muitas vezes em beija lá, ela se levantou e foi ate a porta, trancou a porta e me olhou com aquela cara sapeca que eu já conhecia e eu perguntei:

- O que vai aprontar Giovana? 

- Você vai ver Dalila. 

  Ela chegou perto de mim e a cada passo que ela dava em minha direção , mais meu corpo reagia e ficava excitado, ela chegou no meu ouvido e disse: 

- Você será minha aqui é agora, sempre quis transar com alguém no escritório do meu chefe e só poderia ser com você, jamais traria outra garota aqui. 

  Olhei nos olhos da Giovana e vi o desejo que ela estava sentindo, era o mesmo desejo que eu estava sentindo, ela desceu em minha boca e me beijou, foi um beijo com gosto de saudade, tesão, misturado com carinho e ternura, fomos nós beijando e ela foi me guiando até o sofá, ela se deitou sobre mim e continuamos a nos beijar, o clima estava esquentando demais, quando ela ia tirar a minha camisa social que eu estava usando, que por sinal me deixa bem sexy, deram uma batida na porta e eu ouvi a voz de um cara lá fora falando:

- Está tudo bem aí dentro? 

- Está sim. 

  A Giovana pediu para fazer silêncio enquanto ela falava com o chefe dela:

- Estou me trocando aqui daqui a pouco te digo como foi a reunião de hoje cedo.

- É bom mesmo Giovana. 

  O chefe dela foi se afastando e eu respirei aliviada por não ter sido pega, arrumei minha roupa e a Giovana fez o mesmo e eu falei:

- Ainda teremos muito tempo para nos saciarmos.

- Com toda certeza, melhor fazermos a reunião antes que ele volte e nos pegue no flagra não é mesmo?

- Verdade. 

  Passamos duas horas na reunião e ela decidiu pegar alguns produtos, até porque na empresa sou boa no que eu faço, ela se despediu de mim e antes deu partir ela chegou perto do meu ouvido e falou:

- Te espero hoje na minha casa e continuaremos de onde paramos. 

  Ela me beijou daquele jeito, já mostrando as segundas intenções dela mais tarde, sai do escritório atordoada, eu não imaginava que encontraria a Giovana assim, liguei para uma amiga e no segundo toque ela atendeu 

- Boa tarde Ananda.

- Boa tarde Dalila, que milagre me ligar a essa hora, o que houve? Te conheço sempre que me liga é porque quer conversar.

- Me conhece muito bem ne amiga, quer almoçar comigo? Daí conversamos melhor.

- Está bem, nos vemos daqui a pouco. 

  Parei na frente do restaurante sukiya e peguei uma mesa, uns 10 minutos depois minha amiga chegou, me abraçou e foi logo perguntou:

- O que quer conversar? 

- Então lembra que viajei?

- Lembro sim e o que houve?

- Conheci uma garota maravilhosa.

- Já não era sem tempo né, depois da Herica você nunca mais se abriu para o amor, mas me conta desde o começo: 

Eu estava indo para Amsterdam, quando vi uma garota linda na fila, ela entrou no avião e não a vi mais, quando entrei e fui procurar minha poltrona e a vi sentada ali na minha frente, fiquei sem graça por ter sido pega no flagra olhando para ela, levantou para ir ao banheiro e eu estava na fila, quando ela abriu a porta e me puxou para dentro, que beijo essa mulher tem, mas tivemos que parar porque o avião ia descer, na segunda vez a encontrei na balada e ficamos na balada e depois fui para o hotel dela e nos amamos noite a dentro, mas tive que ir embora, nos falamos todos os dia por mensagem e ligação, hoje tive uma reunião e advinha quem era a cliente?

- Quem?

- A Giovana.

- Sério? E o que aconteceu?

- Eu na hora não tinha percebido que era ela, mas depois que percebi, meu corpo reagiu a ela ainda mais depois que ela me beijou só paramos porque o chefe dela bateu na porta, ela me convidou para ir até a casa dela, acha que eu devo ir?

- Que pergunta besta, claro que deve ir, está estampado na sua cara que você quer vê lá, use aquele vestido vermelho decotado que a Giovana não vai resistir.

- Está bem, farei isso. 

  Terminamos de comer e me despedi dela e fui para casa, pois eu precisava me arrumar para ver a Giovana, escolhi o vestido que minha amiga sugeriu, coloquei um salto pequeno e coloquei uma maquiagem leve, era 7:30 quando a Giovana me mandou o endereço dela, chamei o Uber e já estava ansiosa por ser a primeira vez que iria na casa da Giovana e como ela morava sozinha fiquei mais ansiosa ainda, em cinco minutos cheguei na frente da casa dela, respirei fundo e bati na porta dela.

P.o.v Giovana 

  Quando abri a porta fiquei maravilhada com a Dalila, ela estava tão linda, fiquei cinco minutos babando no visual dela até reparar que deixei ela plantada na frente da minha porta, pedi para ela entrar e se sentir em casa, pedi a bolsa dela e coloquei no sofá e levei ela até a mesa para jantarmos, coloquei uma música de fundo, peguei o prato dela e coloquei um pouco de comida para ela e para mim, abri o vinho e coloquei nos nossos copos, eu estava nervosa pois eu nunca pedi ninguém em namoro, quando ela olhou para mim com aquele sorriso meigo me deu forças para falar, olhei nos olhos dela e disse:

- Eu venho pensando numa forma de dizer o que sinto e não a forma melhor do que dizendo o que  sinto falando o que eu escrevi para você, então escute com atenção: 

Querida Lila 

  Desde a primeira vez que eu te vi meu coração disparou e eu não entendia esse sentimento até porque até então eu nunca tinha me apaixonado por alguém, daí como entender meus sentimentos? Eu só sabia que eu queria estar ao seu lado independente dos obstáculos que a vida colocasse em nosso destino, quando te beijei no avião me vi nas nuvens e não é porque estávamos dentro de um avião e sim porque senti coisas que eu nunca senti por ninguém, quando te vi indo embora do avião minha vontade era de levar pro quarto do hotel e nunca mais sair de lá, acho que o destino ajudou um pouquinho, pois te vi na balada e você estava tão linda naquela roupa, te levei pro banheiro e ficamos novamente, naquela hora eu tive certeza que eu queria estar ao seu lado para sempre, te levei para o quarto do meu hotel e nos amamos noite adentro, mas como nem tudo são flores, eu acordei e não te vi deitada ao meu lado, eu percebi o quão eu tinha sentimentos fortes por você e aqui estou eu me abrindo sobre os meus sentimentos, mas chega de enrolar né, eu falei tudo isso porque eu estou reunindo coragem para te pedir em namoro, Dalila você aceita ser minha namorada? 

  Eu esperei por uns cinco minutos angustiada a resposta dela, eu já estava começando a achar que ela não iria aceitar o pedido do namoro, quando ela me falou:

- Hoje você está me fazendo a mulher mais feliz do mundo, é claro que aceito namorar contigo. 

  Selamos o nosso amor com um beijo terno, eu fui levando ela pela casa até chegar em meu quarto, estava totalmente nervosa, pois essa será a primeira vez que mostrarei meu quarto para alguém que amo, entrei no quarto e deixei ela olhar ao redor, ela ficou encantada com as pétalas de rosa que coloquei na cama, a deitei na cama e me deitei por cima dela, ficamos nos beijando por horas, eu não estava com pressa alguma, queria que a Dalila se sentisse bem a vontade em minha casa, fomos tirando nossas roupas e vê lá totalmente nua e saber que ela é só minha me senti em êxtase, o meu maior objetivo era saciar a mulher que eu amo, fui explorando o corpo da Dalila e descobrindo onde ela sentia prazer, quando percebia que estava indo no caminho certo eu fazia uma anotação mental para não me esquecer, desci ao pescoço dela, deixando beijos por onde eu passava, fui até os seios dela e chupei um enquanto brincava com o outro, mordisquei de leve o seio dela e ela gemeu pra mim, nessa hora meu corpo reagiu na hora e eu não via a hora de sentir o gosto dela novamente, continuei a descer deixando um rastro de beijos por onde eu passava, cheguei onde eu mais ansiava ao sexo dela, a vi suspirar com minha demora, estava gostando daquilo, demorei só mais um pouquinho só pra ver ela implorar para eu dar prazer a ela, isso não demorou muito, ela implorou pra eu não ser má com ela e eu a chupei ora devagar ora rápido, quando ela estava para gozar usei os dedos também e a fiz gozar e só o fato de faze lá gozar já me deixava feliz, ela me surpreendeu quando subiu por cima de mim e acabamos invertendo as posições, ela deu mordidinhas em meu pescoço e aquilo estava me excitando, até aquele momento eu não sabia que gostava disso, ela foi descendo em meus seios, o chupou sem cerimônia e brincou com o outro, aquilo estava me deixando maluca e ela sabia disso, ela até tentou me provocar mas a vontade dela estava maior, ela desceu em meu sexo e colocou dois dedos e como eu estava molhada eles deslizavam facilmente, quando eu estava para gozar ela me chupou até que gozei na boca dela, transamos noite a dentro com a sensação de plenitude sabendo que essa mulher que está em minha cama era a mulher mais perfeita do mundo e eu tive a sorte de te lá comigo.    

Notas finais:

Quero gradecer a todas as meninas que me ajudaram com a historia, adorei me aventurar no mundo da Dalila e da Giovana.

 

beijos da Pimentinha 

Esta história está arquivada em https://www.projetolettera.com.br/viewstory.php?sid=2193