SeduÇÃo consentida por natalineriesc
Summary:


Após um difícil período de separação Natalia uma mulher que sempre levou uma vida muito comum ao lado de seu marido, se vê envolvida por novas sensações, potencializados pela atenção e dedicação da sua jovem colega de trabalho Jéssica. Um período de transição que traz de volta a sensualidade reprimida durante os longos anos de casamento.



Categoria: Contos Characters: Nenhum
Challenges:
Series: Nenhum
Capítulos: 2 Completa: Sim Palavras: 4521 Leituras: 6295 Publicada: 05/02/2019 Atualizada: 06/02/2019

1. Capítulo Único por natalineriesc

2. FERIADO PROLONGADO por natalineriesc

Capítulo Único por natalineriesc
Notas do autor:

conteudo improprio para menores de  18 anos

Meu nome e Beatriz Luna, tenho 32 anos, recém separada sem filhos, trabalho na área de jornalismo a 6 anos e o que vou contar a vocês foi algo que confesso  que já fantasiei mas que nunca achei que iria passar disso. Fisicamente eu procuro me cuidar ao máximo, tenho uma estatura mediana, 1,70 de Alt, 62 kg que mantenho com academia e disciplina na alimentação,  tenho cabelos pretos compridos e lisos e pele morena clara, de um modo geral estou motivada e atualmente estou muito feliz com o meu corpo principalmente quando percebo os olhares de homens e até de mulheres.

Em julho de 2018 fui surpreendia por um pedido de separação,  depois de mais de 5 anos de casada, que me deixou completamente sem chão visto que, emocionalmente,  eu ainda era muito apegada ao meu ex marido.Diante de todo esses caos momentâneo em que a minha vida se tornou, tive apoio da minha família, que mora em uma cidade com aprox. 300km de distancia da minha, além de amigos que fiz durante esses  anos. Entre esses amigos maravilhosos que me apoiaram desde o inicio, estava a Jéssica,  uma estudante de jornalismo muito esforçada,  que largou a vida tranquila no interior do estado e veio para São Paulo, fazer faculdade iniciando um estagio no jornal que trabalho e que,  pelo maior tempo disponível foi a que mais me ajudou até mesmo com serviços burocráticos e em minha mudança  para o apartamento novo.

A Jéssica era uma estudante do 3º ano de jornalismo, 21 anos, muito bonita por sinal, cabelos castanhos claros bem lisos, olhos claros em um tom esverdeado, com um semblante  um tanto sereno mas que ao mesmo tempo com personalidade, qualidade essa que segundo o meu colega da supervisão foi primordial para sua contratação. Logo após acertadas as condições da separação, o meu ex marido aceitou uma proposta de emprego, se mudando para outro estado, parecendo não se importar muito com as coisas materiais deixando a casa comigo levando apenas o carro que era dele. Como a casa era enorme resolvi aceitar sugestões de amigos e me mudar para um apartamento, renovando quase que praticamente toda a mobília.

Consegui vender a minha casa por um bom valor e logo de cara adorei o apartamento, que eu já vinha namorando,  na cobertura de  um condomínio  de classe media, muito bem localizado perto ao  meu trabalho e próximo a vários locais de utilidade publica como supermercados farmácias, bancos..etc.

Nesse período de mudanças a minha proximidade com a Jéssica se intensificava cada vez mais, como eu estava de férias e ela só cumpria expediente pela manha, na parte da tarde ela ia em casa me ajudar e também, segundo ela para fugir um pouco da bagunça das outras duas meninas que moravam com ela. Eu adorava e sempre a convidava para voltar pois além de me ajudar a organizar tudo a sua companhia me fazia muito bem, acredito que mesmo não sendo tão falante, o fato de me ouvir e me entender me dava segurança, me fazendo esquecer de tudo,  fortalecendo ainda mais o laço de amizade que se formava entre agente.

Estava tudo praticamente quase pronto, o apartamento estava do jeito que eu queria, eu já estava me esquecendo do que havia vivido no passado,  e me adaptando a cada dia mais, focando em minha nova vida. O detalhe que ainda faltava, e que nem era tão importante assim,  mas era uma forma de me sentir melhor, eram as compras, pois  todas nós sabemos o que algumas comprinhas faz em nossas vidas.

Era uma sexta feira na hora do almoço, e conforme combinado, passei no jornal para pegar a Jessica e irmos ao Shoping fazer compras. O fato de ter alguém para conversar, e que me dava atenção em um dos  momentos mas difíceis da minha vida, me fazia muito bem,  me fazendo esquecer de tudo, como se toda tristeza desaparecesse. Almoçamos, conversamos bastante como de costume, rimos muito de situações envolvendo pessoas que agente conhece e começamos a rodar as lojas, comprando varias roupas, Lingeries, bijuterias, em fim nos divertimos muito e no final da tarde estávamos exaustas.

Saindo do Shoping fomos em direção à estação de metro em que a Jessica iria pegar o transporte para sua casa, quando tive a ideia de convida-la para passar o final de semana em casa, visto que já havíamos marcado salão para o sábado atarde. Acredito  que pelo fato de  ser um pouco sistemática, não estar se dando  tão bem com a falta de organização das  meninas com quem morava e por gostar de minha companhia, com um sorriso no rosto ela aceitou dizendo que seria legal assim poderíamos conversar até mais tarde.

Chegamos em meu apartamento exaustas de tanto bater perna, mas super empolgadas com as coisas que havíamos comprado, já eram quase 20 hs, levei ela para o  quarto de hospede,  e como não havia nenhuma roupa para ela se trocar, a não ser as suas lingeries novas, separei algumas peças para que ela usasse até o outro dia em que pegaríamos suas coisas.

Quando lembro  de tudo isso, penso exatamente naquele momento pois ali foi um divisor de águas em minha vida. Enquanto a Jessica estava no banho eu estava separando algumas peças  de roupa para entregar a ela, como a porta do quarto estava entre aberta eu já fui entrando, para deixar a roupa sobre a cama quando me deparei com ela que usava apenas  sua nova Lingerie Branca, que modelava e valorizava ainda mais as curvas do seu corpo.

Eu não sei explicar o que aconteceu naquele momento, eu já havia percebido a beleza dela, mas aos vê-la só de calcinha e sutiã fiquei admiradas com as curvas de seu corpo, pernas grossas e torneadas,  bumbum durinho e empinado e seus seios firmes e fartos, roubaram a minha atenção,  a primeira coisa que senti na hora  foi um frio na barriga, uma euforia  e um nervosismo perceptível. Percebi que ela também, ficou meio sem jeito, mas por um tempo ficou me olhando com um sorrisinho no rosto como se quisesse ver a minha reação como se fosse uma forma de provocação.

Fui para o banho e esse momento tomou conta de meus sentidos, não conseguia parar de pensar naquilo, mesmo não entendendo eu não podia negar que pela primeira vez estava sentindo tesão por outra mulher, fato esses confirmados pelos inúmeros estímulos que senti na hora do banho que me causavam euforia e enrijeciam os os bicos de meus seios. Ainda buscando compreender tudo aquilo, talvez inconscientemente me peguei escolhendo em meu guarda roupa,  as minhas peças de Lingeris preferidas e um vestidinho preto que eu adorava por valorizar em muito as curvas de meu corpo, mesmo sem pretensão alguma, sabendo que era só um momento comum para conversarmos, eu estava me comportando como se fosse  um encontro.

Ao chegar na sala, me deparei com a Jessica toda sorridente e  feliz pelo fato de a minha roupa ter dado certinho em seu corpo, a sua escolha foi o meu  shortinho jeans rasgado e a minha blusinha preta que caíram como luva em seu corpo realçando ainda mais a sua beleza. Como já havíamos comido no Shopping resolvemos apenas beber um pouco de vinho para relaxar e jogar conversa fora,  pedi para que ela fosse levando o gelo e as taças para o terraço enquanto eu escolhia o vinho. Ao vê-la subindo as escadas, mas um momento que me fez sentir aquele friozinho novamente, aquele short jeans curto e sexy,  modelava perfeitamente o seu corpo  deixando transparecer  a polpa de sua bunda dura e empinada.

Ficamos alia as duas, tomando vinho e conversando  em uma espreguiçadeira grande e redonda que tenho no terraço, deixei uma luizinha bem fraca da churrasqueira ligada sendo o suficiente para que ficássemos em um clima bem agradável. Papo vai papo e entre diversos assuntos começamos a conversar sobre  relacionamentos amorosos,  como já havíamos conversado muita coisa sobre mim, ela começou a falar um pouco dela e me disse só teve dois namoradinhos o primeiro ainda quando adolescente, e o segundo com quem perdeu a virgindade e que ficou por aprox. 1 ano e que  ela mesma pois um fim no relacionamento por ver que não estava tão envolvida assim na relação.

Já se passavam da meia noite sentíamos um pouco de frio quando a  Jessica se levantou se oferendo para pegar em seu quarto aquele cobertorzinho tão macio e cheiroso que ela adorou, ao retornar sentou-se bem mais próxima a mim dando para sentir o seu braço que sutilmente tocavam os meus seios. Aquele cobertor parecia esconder, consentir e até incentivar manifestações de carinho com pequenas caricias que começamos a fazer uma na outra desta vez com um silencio estonteante. O nervosismo inicial deu lugar ao prazer e agora só nos olhávamos e a cada movimento de suas mãos deslizando sobre o meu corpo me deixava cada vez mais ofegante, me incentivando a fazer o mesmo com ela. Sem falar uma só palavra nos deixando levar pelo calor do momento começamos a nos beijar, sentir a boca macia de outra mulher e sua língua se entrelaçando a minha foi umas das melhores sensações que já sentir o meu corpo todo se estremeceu senti na hora toda excitação do momento se convergindo para um liquido quente e viscoso que começou a molhar toda a minha calcinha.

Tomando conta da situação a Jessica pegou minhas mãos e sutilmente as levou até a sua buceta, o meu tesão só aumentou ao sentir o volume do seu sexo na palma de minhas mãos, no momento em que comecei a massageá-la ela parou de me beijar, fechando os olhos gemendo de tanto tesão. Voltei a beija-la retirando o seu short bem lentamente, abri as suas pernas e voltei a massageá-la agora por dentro da calcinha, louca de tanto prazer e agora não se contendo mais, ela abaixou a alça de meu vestido abriu o meu sutiã abocanhando os meus seios chupando com carinho e ao mesmo tempo muita intensidade. Não estávamos mais no controle de nada, cada vez que eu massageava a sua buceta sentia jorrar o seu mel quente e viscoso que eu aparava na palma de minhas mãos e nas pontas de meus dedos e que posteriormente era depositado nos bicos dos meus seios para que ela sentisse o seu próprio gosto.

Após algum tempo naquela situação nos demos as mãos e fomos para o meu quarto, trancamos a porta e começamos a nos beijar sentindo os nossos corpos se tocarem, quando ela falando no meu ouvido me pediu quase implorando - “Me chupa por favor”. Imediatamente eu a posicionei confortavelmente na cama, fui descendo lentamente chupando seus seios, colocando-os quase que inteiramente em minha boca, chegando até a sua virilha sentindo o cheiro de sua calcinha molhada que exalava o seu tesão.

Em um misto de tesão e ansiedade afastei lateralmente a sua calcinha deixando amostra a sua buceta linda e molhada que se destacava pelo formato volumoso . Iniciei um delicioso “beijo” explorando e percorrendo o interior do seu sexo com a minha língua quente e molhada, a cada movimento que fazia em seu interior sentia minar cada vez mais o seu quente e viscoso mel facilitando ainda mais os movimentos em volta de seu clitóris. Me empolgava ainda mais chupando mais gostoso,  ao vê-la se contorcendo na cama e pedindo para eu não parar, aquela sensação que era nova para mim , me tirava os sentidos e o prazer comandar toda a situação.

Após sentir que a Jessica estava prestes a gozar, posicionei-a de quatro na cama lambia e mordisquei a sua bunda, e não me contive ao ver o seu cuzinho, que parecia pedi para ser estimulado, então com a ponta de minha língua comecei a percorrer toda a sua extensão, enquanto os meus dois dedos fodiam aquela buceta. Por varias vezes tive que abraçar a seu quadril com força para que ela não saísse da posição até que, ao ver que ela não se aguentaria mais, voltei a chupar com mais intensidade a sua buceta arrancando gemido seguido de um gozo avassalador.

Querendo me retribuir por tudo que fiz com ela, a Jessica me levou para o banheiro me colocou sentada na pia abaixando e encaixando-se no vão de minhas pernas e começou a chupar minha buceta de uma forma que eu nunca senti. Eu não sei explicar mas foi uma sensação totalmente diferente e muito mais intensa, parece que eu sentia toda a sua língua vasculhando o interior da minha buceta em movimentos circulares , sempre alternando para sugar o meu clitóris também. O meu corpo estremecia, os bicos dos meus seios ficavam inchados e eu gemia e rebolava na sua boca de tanto tesão.

Voltando para o quarto ela me jogou na cama abrimos nossas pernas e nos entrelaçamos fazendo com que nossas bucetas se tocasse freneticamente, sentir a sua buceta quente tocando a minha foi algo inexplicável, e instintivamente nos deliciando com os toques de nossos sexos,  nos beijamos intensamente,  e gozamos.

Para mim a Jessica não era só sexo, mas também uma amiga em quem você podia confiar e que você sabe que te apoiaria em suas decisões, acredito que por isso que a nossa relação depois desse acabou evoluindo para vivermos juntas muitas aventuras. 

FERIADO PROLONGADO por natalineriesc
Notas do autor:

A Beatriz se entregou a uma paixão que sempre sonhou e que só foi encontrar nos braços da Jessica. Só basta saber se após aquele final de semana prolongado, cheio de surpresa, em um belo resort no interior de minas gerais vai aumentar ou diminuir a solidez daquele relacionamento.

Ali, deitada em sua cama, naquela linda manha de Sábado,  após uma surpreendente e inesquecível  noite de amor,  Beatriz abriu os olhos se deparando com o sorriso angelical de Jessica que acariciava o seu rosto. O carinho dispensado àquela mulher, que outrora havia sofrido as dores de uma separação, era algo novo e envolvente, que de certa maneira despertava um medo em Beatriz, pois a medida que os dias se passavam ela se via cada vez mais envolvida com Jessica, que dava a ela tudo o que sempre sonhou em um relacionamento.

Como trabalhavam em setores distintos elas não se cruzavam muito no jornal, mas quando isso acontecia elas conseguiam ser mais do que discreta e até então ninguém desconfiava do que estava acontecendo. A cumplicidade entre as duas se fortalecia cada vez mais, com suas longas conversas sobre a vida, com as suas saídas para fazer compras no shopping, tomar um café, idas ao cinema e ai por diante.

Ao longo dos meses o relacionamento entre as duas se desenvolveu de forma  leve, alegre,  e ao mesmo tempo sólido, muito em razão da atenção e do carinho que a Jessica dispensava a Beatriz e também baseado no caráter de uma mulher que já tinha uma certa experiência de vida e em uma moça que mesmo ainda nova se mostrava sistemáticas em relação aos conceitos morais. Nos tão esperados finais de semana, buscando uma maior privacidade,  as duas se refugiavam em casas de praia no litoral, onde podiam fazer coisas simples, vivendo não como amantes, mas como duas  namoradas, e foi exatamente em uma dessas ocasiões,  no fim de tarde, sentadas na areia,  que elas se beijaram e quase que mutuamente se declararam apaixonadas.

Tudo estava indo muito bem, a felicidade das duas quase que exalava no ar e qualquer um que chegasse próximo poderia sentir isso, é claro que com todo esse clima um compromisso mais sério com a possibilidade de morarem juntas estava em evidencia.

Como de costume a Beatriz fazia de tudo para agradar a Jessica, e com esse intuito,  querendo fazer uma surpresa para sua amada, chegou toda feliz com as reservas de um chalé de luxo em uma pequena cidade turística no interior de Minas Gerais. É  claro que a Jessica adorou a surpresa  e mesmo faltando uma semana para o evento, ficou super  ansiosa pesquisando na internet tudo o que poderiam fazer naquele local.

Chegado o grande dia, em uma sexta feira pela manhã, as duas seguiram viajem por 3 horas até chegarem ao seu destino final, um lugar de campo paradisíaco, tranquilo com chalés luxuosos e muito aconchegantes cujo ponto alto era a incrível vista da sala de estar. Mal sabiam que tudo iria mudar a partir do momento em que pisassem naquele Resort.

Logo que chegaram ao resort foram recebidas pela Rafaela, menina simples, moradora local criada apenas pela mãe, e  que após efetuar o Check in as acompanhou até o quarto mostrando todas as dependências e funcionalidades dos aparelhos, aquecedor e outros. A Rafaela era uma menina que chamava atenção pela sua beleza, talvez seja esse o motivo de estar na recepção, com seus  21 anos de idade, tinha os cabelos loiros mais para o tom castanho escuro, 1,67 de alt, 58 kg e pele  bronzeada cor de canela,  resultado do bronzeamento artificial oferecida por um centro de estética ligado ao Resort.

Na sábado pela manhã enquanto a Beatriz tomava o seu banho a Jessica foi ate a recepção selecionar algumas empresas para fazer passeio turístico, sendo bem orientada pela Rafaela que foi muito atenciosa indicando vários destinos e uma empresa em que a sua mãe trabalhava. Após o café da manha elas se deslocaram até a empresa turística, passearam quase o dia todo de quadriciclo, tirando lindas fotos de morros e vales, terminando com uma bela recepção oferecida pela  dona Wanda mãe da Rafaela , com bolos, salgados sucos e varias guloseimas. A simplicidade e o acolhimento da dona Wanda chamou a atenção delas, que ficaram ali por horas conversando com aquela mulher.

Ao retornarem ao Resort, a Rafaela as recebeu de forma mais aberta e harmoniosa, dizendo que a sua mãe adorou conhece-las,  e a Jessica já correspondendo a esse entusiasmo, aproveitou para agradecer , permanecendo ali em uma conversa muito agradável enquanto a Beatriz foi para o quarto. Papo vai papo vem a fim de confirmar uma curiosidade a Rafaela perguntou o que elas eram uma da outra e sem nenhum constrangimento a Jessica:  Somos namoradas e você é casada, tem namorado ?

Meio sem jeito a Rafaela disse que não, que só teve um namorado a uns dois anos atrás e que não havia se relacionado com mais ninguém desde então. A Jessica viu naquela garota mais ou menos o que havia acontecido com ela, e aquela conclusão não saia de sua cabeça, pois logo desconfiou pelo seu jeito de falar que havia uma falta de vontade de assumir um novo relacionamento.

Na mesa do jantar a Jessica ainda se mostrava um pouco distante, pois aquela conversa ainda persistia em martelar na sua cabeça, a Beatriz como era meio distraída nem percebeu, mostrando-se muito feliz por estar ali naquele local que conforme a sua própria analise era surreal. Na saída do restaurante aprox. as 22 hs as duas se encontraram com a Rafaela que estava apressada e já foi se despedindo, para não perder o Ônibus que estava saindo para sua casa em uma cidade vizinha ao Resort. Como já havia acontecido antes ela perdeu a condução e teria que dormir no Resort e viajar no dia seguinte.

Tomando uma garrafa de vinho no jardim, um pouco afastadas da maioria dos hospedes, a Beatriz e a Jessica conversavam e se divertiam revendo as fotos tiradas durante a trilha, até que viram a Rafaela se aproximando com uma cara triste dizendo que havia perdido o ônibus. Como estava de folga mesmo no domingo e na segunda ela deixaria para viajar no dia seguinte, como já havia combinado com a sua mãe.

As três sentaram ali e começaram a ver as fotos enquanto a Rafaela comentava a historia de cada lugar, comentários muito interessantes que chamou a atenção das namoradas. A única inconveniência ali era o fato de  funcionários mesmo de folga não possam beber nem mesmo acompanhados dos hospedes, por esse motivo a Jessica logo encontrou uma solução chamando-a para o seu Chalé com o aval da Beatriz que de forma despretensiosa sem segundas intenções estava muito interessada e envolvida na conversa.

Todo o enredo daquela noite se originou da mente da Jessica que buscava uma resposta para o seu questionamento sobre a sua nova amiga, talvez por se solidarizar com aquela sensação de vazio que também a incomodou por muito tempo. A Rafaela pediu para tomar um banho, enquanto as duas arrumavam as bebidas na sala de estar com intuito de beberem apreciando uma vista maravilhosa do morros e vales, sentindo aquela brisa do campo bater.

Logo após o banho, a Rafaela se juntou as nossas duas aventureiras, e regada a um maravilhoso vinho da região, a conversa se desenrolava e as gargalhadas se intensificavam trazendo muita harmonia e cumplicidade par aquele local. Relaxadas naqueles confortáveis sofás, durante as conversas por varias vezes a Jessica beijava a Beatriz que correspondia mas ficava sem graça, ao mesmo tempo em que olhava para a reação da Rafaela que se mostrava da mesma forma mas um pouco eufórica com a situação.

Ao ver que a Jessica começava a beijar a Beatriz de uma forma mais intensa, a Rafaela entendeu que era hora de se retirar não querendo atrapalhar,  mas logo foi contida pelas duas é claro que por motivos diferentes, pois ao contrario de sua amada a Beatriz só tinha o interesse de continuar aquela agradável conversa. Como os funcionários se recolhiam as 01h e já estava perto disso, as duas convidaram a Rafaela para dormir lá, e esta inicialmente ficou meio receosa mas logo aceitou, pois como já havia bebido um pouco estava com medo de suas colegas de trabalho e o gerente perceber.

Aproximadamente  as  01:30 hs no intervalo da conversa a Jessica voltou a beijar a Beatriz que mesmo sem jeito,  como sempre, não querendo desagrada-la, correspondeu na mesma intensidade. A cena estava formada com as duas ali se beijando de forma mais intensa a apaixonada enquanto a Rafaela assistia e procurava, sem sucesso  disfarçar o seu interesse em observar. A Beatriz que até então não estava entendendo nada, começou a perceber o interesse da Jessica, quando a mesma bem ali em frente da sua nova amiga, começou a passar a mão pelos seus belos seios, acariciando e deixando-os à amostra ao puxar o seu lindo vestido ” tomara que caia” para baixo.

Tentando levantar o vestido, sendo contida por sua namorada, Beatriz voltou os olhos preocupada com a reação da Rafaela, que para sua surpresa não tirava os olhos das duas parecendo não se incomodar mais com a intimidade que ocorria ali dentro. Quase que instantaneamente após observar seus seios de fora sendo agora chupados e acariciados pela Jessica, e a Rafaela ficando cada vez mais eufórica,  atenta àquela cena, a excitação da Beatriz ocorreu de forma intensa chegando a molhar a sua calcinha.

Em um misto de medo e desejo a Beatriz se deixou levar por aquela situação,  permitindo que a Jéssica a despisse ali, bem em frente a sua nova amiga que parecia também estar deixando as coisas fluírem para ver até onde iriam. Enquanto via a Beatriz sendo despida e acariciada em sua frente a Rafaela já não conseguia pensar em mais nada anão ser na excitação que sentia e que estava reprimida por muito tempo.

Se posicionando confortavelmente no sofá de três lugares a Jessica abriu as pernas acomodando a sua parceira no meio das mesmas de frente para a Rafaela como se a convidasse para se deliciar e se fartar de sua amada. A Rafaela quase que impulsivamente mas ao mesmo tempo nervosa, não se conteve  quando o tesão falou mais alto, tirou a sua blusinha e sua saia jeans ficando apenas de Lingerie, enaltecendo ainda mais o seu belo e modelado corpo .Dirigindo-se em direção às duas namoradas a Rafaela se colocou de quatro em meio às pernas da Beatriz levando a sua boca até os seus seios chupando com tanta vontade e delicadeza que os gemidos começaram a prevalecer naquela cena.

Procurando deixar a sua parceira completamente relaxada e disponível para ser explorada sexualmente, a Jessica virou o seu rosto para o lado e começou a beija-la enquanto a Rafaela acariciava e chupava o seu sexo. A Beatriz se contorcia de tesão e aquilo parecia incentivar mais ainda a sua nova amiga que ao  chupa-la explorava ainda mais o seu sexo com os dedos aumentando a frequência das lambidas.

Após um bom tempo recebendo aquele carinho da Rafaela as duas namoradas resolveram ensinar algo para a sua nova amiga, levando-a para cama e provando o gosto de seu  sexo enquanto a outra continha seus gemidos em um beijo quente e molhado. As três ali naquela cama é a prova de como a vida pode mudar de uma ora para outra se você der vazão aos seus desejos, enquanto a Jessica se posicionou sentada na boca da Rafaela afim de sentir sua deliciosa língua penetra-la e Beatriz pode perceber,  pelo toque de seus dedos e na ponta de sua língua que percorria o interior de seu sexo, o quanto a Rafaela ainda era uma flor que ainda não havia desabrochado totalmente para o sexo.

Tomadas pelo desejo, potencializado pela  falta de maturidade sexual daquela menina local,  as duas namoradas resolveram que iriam explorar ao máximo a sua nova amiga para ver até onde ela poderia ir com esse tesão todo. A Jessica foi até a sua bolsa e pegou o seu consolo embutido em uma cinta liga, e enquanto a mesma se preparava  vestindo o acessório a Beatriz chupava vigorosamente a buceta da amiga intensificando a sua lubrificação.

Olhando fixamente para aquele consolo a Rafaela parecia implorar para ser penetrada, instintivamente a Beatriz começou a beija-la enquanto que lentamente ela ia sendo penetrada acolhendo lentamente aquele cacete em seu interior. Com muito carinho e paciência a Jessica introduziu todo aquele membro naquela buceta ainda pouco explorada, e permaneceu com ele ali dentro por um tempo imóvel, até ela se acostumar com o volume em seu interior. A buceta se ajustava perfeitamente aquele volume, se rendendo para o tesão a Rafaela começou a se mexer propiciando o vai e vem daquele consolo que tanto lhe deixava excitada.

Sentada em uma poltrona em frente à cama a Beatriz se masturbava vendo a sua amada explorando aquela mulher, a cada movimento que o consolo fazia dentro daquela buceta voltava cada vez mais molhado arrancando gemidos daquela mineira. As estocadas se intensificaram juntamene com os gemidos, então sacando o consolo de dentro de sua buceta e chupando, a Rafaela podia sentir o seu próprio gosto e aquilo a deixava mais louca ainda, logo tomou conta da situação ela posicionou a Jessica deitada, e agora com delicadeza voltou a introduzir aquele mastro em seu sexo, começando a cavalgar, sentindo em seus movimentos a potencia das estocadas em seu interior, momento esse que a levou a um estado de êxtase absoluto culminando em um delicioso e intenso gozo.

Agora tudo fazia sentido a resposta que a Jessica tanto procurava estava ali, a vontade de iniciar essa humilde garota a um mundo liberal estava concretizada quando as duas namoradas conseguiram explorar e arrancar um intenso gozo de sua nova amiga.

O que era para ser uma noite virou o final de semana inteiro com muito sexo e muita fantasia quando a Rafaela convenceu a sua mãe que o melhor seria que ela passasse esse fim de semana no Resort.

Esta história está arquivada em http://www.projetolettera.com.br/viewstory.php?sid=1990