A namorada da minha namorada por Jocelyne Laissa
Summary:

 


Se você se interessou por esse livro, então primeiro, leia: “A melhor amiga do meu namorado”.


Esta obra é 2 em 1. Contém: 


1 –“Flashback” com capítulos do 1 ao 9. Nele você vai conhecer e entender melhor cada personagem. Vai (se apaixonar por Duda mais uma vez) conhecer a história do amor de Duda e Jéssica, saber o motivo pelo o qual Arthur tentou impedir esse relacionamento. E saber o porquê Felipe é o guardião de segredos. 


2 –“Capítulo extra” (Capítulo final – Capítulo 10)  que vai finalizar toda a trajetória e história de Duda e Milena.


 


·       Não inicie a leitura da história sem antes ler todas as informações dessa sinopse. 


 


*Contém violência doméstica, se você é sensível ao tema, então pule para o capítulo final ou se contente com o final do outro livro (Capítulo: “Finalzinho Clichê”). 


*Contém religiosidade, se você é ateia ou não ler nada que trate desse assunto, então pule para o capítulo final. 


*Se você odeia o Arthur, não quer mais saber dele, pois já está de saco cheio, quer que ele morra, então sugiro que não leia, pois o Arthur é um personagem importante para a história. 


*Contém adolescentes em âmbito escolar, usando drogas e ingerindo bebidas alcoólicas, se você não curte nada do tipo Malhação ou Skins, então pule para o capítulo final. 


 


Atenção: Se você pular para o “capitulo final”, você não perderá o sentido da história, porém perderá a  “experiência completa” de conhecer o íntimo de cada personagem. 


Postei todos os capítulos de uma só vez, então boa degustação, quis dizer boa leitura a todas. Rsrs.


A obra é um pouco complexa, então atribuirei (ao decorrer da história) algumas informações importantes que estarão subentendidas. 


Observação:  Todos os meus livros são registrados na BNRJ, então nem perca seu tempo nem dinheiro tentando copiar senão terá processo! Plágio é crime, então crie e não copie! 


 


Categoria: Romances Characters: Original
Challenges:
Series: Nenhum
Capítulos: 10 Completa: Sim Palavras: 17468 Leituras: 15048 Publicada: 24/10/2018 Atualizada: 24/10/2018
Notas:

Trata-se da continuação do livro: "A melhor amiga do meu namorado".

 

Capítulo 1 – Admirador secreto. por Jocelyne Laissa
Notas do autor:

 

 

Se você chegou até aqui, é porque está ciente do conteúdo dos temas já citados na sinopse, então boa leitura.

 

Capítulo 1 – Admirador secreto. 

 

 

 

      Todos os dias no intervalo, na escola, ele ficava a observar aquela linda jovem. 

 

     Ele ficava olhando os seus movimentos e o jeito que ela conversava com suas amigas, o jeito que ela mexia no cabelo, o seu jeito encantador de sorrir e de olhar para todos com a cabeça meio baixa. 

 

     Desde quando Arthur mudou-se de escola, pois saiu do ensino fundamental e foi para o médio, que observa Duda. 

 

     Foi amor à primeira vista. Ele estava no intervalo e avistou aquela linda garota sozinha, sentada em um banco, seu cabelo tinha um tom de castanho natural que encantava, o seu jeito de indefesa fazia com que qualquer pessoa que a olhasse sentisse vontade de defendê-la e protegê-la para sempre. Seus olhos castanhos claros cor de mel eram tão encantadores que penetravam a alma de quem a olhasse bem no fundo dos seus olhos. Seu jeito frágil de ser encantava, pois isso lhe dava um tom de garota misteriosa. 

 

     Ele planejou, durante meses, falar um oi, mas o ano já estava acabando e ele ainda não teve coragem. O mais próximo de Duda que ele conseguiu obter foi uma vez que ele descobriu o número de telefone da casa dela, ele ligou, ouviu a voz dela e desligou o telefone. 

 

      Ele sentia-se meio louco, meio stalker por fazer esse tipo de coisa e por essa obsessão tão grande por uma garota. Mas ele não conseguia controlar: uma vez ele tentou seguir-la para ver onde ela morava, mas não foi bem-sucedido, pois um carro muito misterioso, bonito e do ano abriu a porta e ela entrou. Outra vez ele entrou na mesma sorveteria que ela só pra ouvir o sabor preferido de sorvete dela e depois ele se escondeu para que ela não o visse. Mas óbvio que ela não iria vê-lo, porque ele era invisível para ela, ele era invisível para todos. 

 

      Toda noite Arthur sonhava com Duda, sonhava em ser seu namorado. Mas isso não passava de sonhos. 

 

     Ele a via conversando com suas amigas e seu maior medo era que ela estivesse conversando com algum garoto da escola, ele tinha muito medo dela aparecer com um namorado, porém ele se sentia com muita sorte, porque Duda não aparecia com nenhum garoto. Ele nunca ouviu nem um boato sobre ela, a única coisa que ouvia é que muitos rapazes queriam ficar com ela, ela era bem desejada, mas ela não dava bola para nenhum deles. O único garoto que ela conversava no intervalo era um rapaz alto, da pele negra, forte, charmoso e popular. Arthur no começo tinha muito ciúmes desse garoto, pois eles estavam sempre juntos conversando, ele achava que os dois fossem “ficantes”, até que ele ficou conhecendo dos boatos e fama de Felipe. Ele era um dos caras mais populares da escola, vivia rodeado de mulheres por onde passava, porém não namorava e nem ficava com ninguém. Arthur queria saber como seria ser um cara como Felipe. Ele queria ser como Felipe só para poder pelo menos dar um oi pra Duda. 

 

   “Duda jamais ficaria com um garoto igual a mim, magrelo e invisível”. 

 

     Arthur não tinha amigos, ele era um garoto muito introvertido, mesmo ele se esforçando, não conseguia cativar ninguém. Ele assistia a esses filmes de besteirol americano e só sentia dó de si mesmo por se identificar sempre com os “nerds” dos filmes. Nesses filmes o roteiro era sempre o mesmo: o cara nerd apaixonado pela garota popular. Nos filmes os nerds conquistavam a garota, mas na vida real ele sabia que não teria nenhuma chance. 

 

     Arthur pensou em mandar um bilhete, então escreveu um bilhete enorme, dizendo o quanto ele a amava. Assinou como “romântico anônimo”. Mas mesmo sendo um bilhete anônimo, ele não teve coragem de entregar. 

 

     Ele ficou tanto tempo focado somente em Maria Eduarda que esqueceu todas as garotas a sua volta. Ele só tinha olhos para ela. Ela era sua obsessão. 

 

     Um dia Arthur estava novamente encostado no bebedouro, olhando fixo para Maria Eduarda, que estava na lanchonete sentada conversando com suas amigas, até que uma pessoa apareceu do nada e começou a conversar com ele. 

 

- Por que você não chama ela pra sair? 

 

-  O que? Eu? Quem? Ela? Não. 

 

     Arthur ficou nervoso, pois se tratava de Felipe que apareceu do nada e foi conversar com ele. 

 

- Qual é cara? Eu sei que você fica olhando pra ela quase que todos os dias. Seja corajoso! Chama ela pra sair, pra tomar um sorvete, tenha coragem. 

 

- Coragem é a única coisa que eu não tenho. 

 

- Então vou te ajudar. 

 

     E Felipe começou a gritar do meio do pátio. 

 

- Duda! Duda! Vem aqui! 

 

    Duda olhou com cara de desconfiada e foi ao encontro de Felipe. 

 

- Oi Lipe! O que foi? 

 

- Duda, vem conhecer o meu amigo! Qual é mesmo o seu nome cara? 

 

     Arthur deu um gole seco, de tanta vergonha, por estar diante de Maria Eduarda e também por achar que todos ao seu redor estavam observando eles. 

 

- Arthur! 

 

- Arthur? Arthur não brou, já tem muito Arthur que eu conheço nessa escola: tem o Tunas, o Arthur Veloso, O Arthur Andrade, o Arthurzinho... Qual é seu nome completo? 

 

- Arthur Coelho Dantas. 

 

- Tuco! Pronto vou te chamar de Tuco! Duda esse é o meu amigo Tuco e Tuco essa é minha amiga Duda. 

 

- Oi Tuco, tudo bem? 

 

- Tudo e com você? 

 

     A conversa foi interrompida pelo sinal que tocou e todos começaram a se movimentar para voltar pra sala. 

 

- Preciso ir. Foi um prazer te conhecer. 

 

     E Duda foi para sala. 

 

     Enquanto isso Arthur ainda estava surpreso e sem acreditar no que tinha acabado de acontecer. Já era quase final do ano e ele passou tanto tempo planejando um oi que quando aconteceu foi algo muito imprevisível e sem ser planejado. 

 

- Depois você me agradece brou. Ah! Eu sou o Felipe! 

 

- Eu sei quem você é. Mas por que você fez isso? Você nem me conhece. 

 

- A Duda disse que eu preciso fazer coisas boas, para me tornar uma pessoa melhor. Eu te observava você observar a minha amiga todos os dias, então eu resolvi vim fazer um ato nobre. 

 

- Poxa! Obrigado mesmo. 

 

-  Já te ajudei com o passo principal irmãozinho! Agora o resto é com você. Tenha coragem para chamá-la para sair. Agora ela sabe o seu nome. 

 

- Valeu. Precisamos ir pra sala. 

 

      Os dois foram para sala de aula, Felipe para sua e Arthur para a dele. 

 

         O ano acabou e Arthur só pensava no que aconteceu, agora ele sabia que não era mais “invisível” para Duda, então decidiu que quando voltasse as aulas no próximo ano, ele tomaria uma atitude e a chamaria para sair. 

Notas finais:

Olá meninas! Me desculpem pelo atraso da postagem, já era para eu ter postado a continuação da história faz tempo, já que escrevi a continuação toda em apenas três dias e ainda mais a luz de velas (olha que romântico rsrs brincadeira, foi porque cortaram a energia mesmo kkk). Com apenas uma caneta, um caderno e uma vela acessa a gente acaba fazendo coisas inacreditáveis. Mas tirando o problema de energia, o principal motivo pelo meu atraso foi a política e algumas complicações para patentear a história. No fim das contas tudo ocorreu bem.  Para recompensar o atraso, postei todos os capítulos de uma só vez.

Boa leitura a todas!

Abraço! 

Esta história está arquivada em https://www.projetolettera.com.br/viewstory.php?sid=1913