Sinopse: Esta história é uma obra de ficção, por vezes muito dramática e densa, por outras leve e descontraída, na qual se descreve a trajetória de Zinara: uma mulher simples e ao mesmo tempo complexa, que experimenta grandes mudanças ao longo da vida e busca se refazer diante de cada uma delas.

Forçada a mudar de país, cultura e idioma por causa de uma sangrenta guerra civil, Zinara se descobre gradualmente e aprende a encontrar a paz no único lugar onde ela poderia estar: dentro de si mesma. O Amor a ensinou a viver de forma plena e acendeu as luzes para que pudesse encontrar o verdadeiro Caminho; o Tao.

  • Romances - Original
  • 47
  • Sim
  • 828699
  • 197867
  • 02/05/2021

Trata-se de uma história sobre a vida cotidiana de várias mulheres, muito diferentes entre si, porém interligadas sob vários aspectos. Todas elas, cada uma a seu modo, descobrem que podem ser felizes, vivendo suas vidas plenamente. Ser homossexual não é uma doença; a doença reside nas mentes preconceituosas, apegadas às ilusões das formas e das aparências. Você pode achar algumas passagens um tanto transcendentais, dramáticas, engraçadas ou caricatas demais, só que nenhuma delas é destituída de significado. Sem a pretenção de querer ser ‘profunda’ a ideia é distrair e fazer pensar.

  • Romances - Original
  • 45
  • Sim
  • 844361
  • 218146
  • 19/04/2020

Esta é uma história totalmente ficcional sobre como a dinâmica da humanidade foi bruscamente afetada por causa de um vírus: CONVIDE-0.  Este vírus desacelerou toda a economia mundial, fez milhares de vítimas, forçou pessoas ao isolamento e derrubou as máscaras forjadas por vários indivíduos que desejavam aparentar o que nunca foram.

Centrada na história de amor de Yasirah e Mariah, a ideia é refletir quanto ao rumo de nossas escolhas individuais e coletivas.

Portam itineri dici longissimam esse

Dizem que numa viagem o percurso mais longo é o da porta

 

 

  • Romances - Original
  • 6
  • Sim
  • 64240
  • 42444
  • 04/04/2020

  • 16/05/2021
  • Gabinha & CIA!!

    Menina, vamos debater esse trem aqui: eu fiquei pasma com o pedido de casamento assim tão rápido!!! Mal saiu Cris, meio que saiu César, as duas já vão juntar?? Cada vez mais me conscientizo que eu e as amiguithas com as quais lido somos bem distantes do estereótipo lésbico nessa coisa de casório rápido. kkkkk  Casar é coisa muito séria, tem que ir mansa. 

    Mas foi um pedido bem romântico. Um belo visual num voo de balão cedinho... Eu não sabia desse balonismo de Boituva. Havia um passeio lindo no Acre mas as atividades se encerraram. Gostei da sua ideia. Você passou por isso ou pretende fazer um programa romântico pelos ares?

    Também não sabia que São Paulo tinha uma festa de cores como na primavera indiana. Fico envergonhada por ter ido tantas vezes lá e nem desconfiar. Pode falar: ô, bicha lesada, essa caipira!

    Marina e Duda estão indo rápido, bem, mas sendo esta a parte ficção da coisa você deve ter alguma carta na manga para gerar um suspense e culminar naquela emoção ao final. César aceitou muito fácil, temos uns assassinatos causando muitos problemas, possibilidade de escândalo, um atentado... Estou aqui com minhas suspeitas mas vou aguardar.

    PS: Samira me perguntou como era a Lara da história e ela respondeu: Oxe, que nunca fui bi! Desde o começo meu charme é só para as mulheres!

    Hoje, especialmente, charme para essa que vos escreve. rs

    Beijos!!!

    Sol

    Resposta do autor:

    Olá Sol!

    Menina sapatão é tudo emocionada... Kkkkk... O negócio é morar junto e casar. Mas entendo seu ponto de vista, cada um vai no seu ritmo.

    Em Boituva tem balonismo sim, tenho vontade de voar, deve ser massa.

    Essa festa indiana até 2018 tinha aqui em SP, sempre no mês de maio, nunca fui, mas dizem que é belissíma.

    Respondendo ao seu ps. a Lara de verdade também não é, só criei uma situação! Kkkkk...


    Beijos querida!

  • 16/05/2021
  • Oi, Gabinha & CIA,

    SabaaH el-kheir!

    Tudo bem? 

    Eu já esperava que Silvinha partiria por causa do rumo das coisas. Mas foi melhor; viu-se livre do sofrimento do câncer e do tratamento; ambos terríveis. A gente tem dificuldade em aceitar isso, mas o câncer é um descarregar dos miasmas, das energias ruins, no perispírito. Ela está livre agora. Se tivesse ficado, poderia ter sofrido demais.

    Duda me parece misturar muito as coisas. Embora queira o amor acolhimento, ela vive sempre em busca de experiências que são, em determinados casos, mais sensoriais que sentimentais. Aí, uma vez que ela tem muitos valores e gosta de "ver" as pessoas, acaba por investir, se machuca, tenta com outra, se distrai com mais outra e por aí vai. Há ocasiões em que a gente tem que colocar ordem na "casa interior". Já me vi diante dessa necessidade e tudo melhorou muito depois disso. Essa mistura de confundir simpatia/atração/tesão/carinho com amor é complicada, surge muitas vezes da carência e/ou da vontade de experimentar e pode machucar bastante. Creio que se firmando com Marina, ela se organizará, mas temos que aprender isso conosco mesmo, porque as pessoas um dia se vão e a separação, ainda que provisória, não pode nos destroçar ou enlouquecer. 

    Continuo gostando da sua inovadora história coletiva. Miss Good, diretora e escritora, também investiu em abordagens novas e influenciou muitíssimo no seriado Xena, deixando as últimas temporadas primorosas. Pena que o público não estava preparado na época e Robert Tapert acabou estragando tudo com seus "A friend in Need". Mas, voltando ao foco, é bom inovar. Também tento, mas nada tão próximo de personagens reais (e interativas) como este seu. Parabéns!

    Uma coisa que sempre percebo na nossa temática é o machismo que o mundo lésbico arrasta para si, com certas preocupações e rótulos que não deveríamos jamais adotar. Mas, enfim... só o tempo. Gosto de provocar estes assuntos. A gente precisa se libertar destes ranços.

    Destaco uma fala: "Aliás adorei ouvir isso, saiba que também só tenho olhos pra você". À rigor não era verdade esse trem! kkk  Mas de agora em diante vai ser, né, Gabinha?

    A ruiva por acaso dança balé? Diz que sim!!!! 

    Outra questao: não me diga que César é criminoso? Cheio da grana ele é, porque trabalha em Leipzig e mora em Berlim! Duvido que seja na parte oriental ou nos bairros turcos! kkk

    Beijos,

    Sol

    Resposta do autor:

    Oi Solzinha!

    Silvinha cumpriu sua missão e chegou a hora de descansar, seu corpo estava precisando.

    Duda está em busca do amor pra vida inteira e no meio dessa busca as frustrações são inevitáveis.

    Ah obrigada pelos parabéns, vindo de você fico toda boba, me achando!

    A ruiva não dança balé, infelizemente! Marina bailarina seria perfeição demais!

    César é um nojento e tudo pode se esperar dele.


    Beijos querida!

    Resposta do autor:

    Oi Solzinha!

    Silvinha cumpriu sua missão e chegou a hora de descansar, seu corpo estava precisando.

    Duda está em busca do amor pra vida inteira e no meio dessa busca as frustrações são inevitáveis.

    Ah obrigada pelos parabéns, vindo de você fico toda boba, me achando!

    A ruiva não dança balé, infelizemente! Marina bailarina seria perfeição demais!

    César é um nojento e tudo pode se esperar dele.


    Beijos querida!

  • 14/05/2021
  • Gabinha & CIA!

    Basnoiti!

    Último de hoje. Vou programar ainda porque agora que desanuviei, acho que sei onde estava errando. Obrigada. Leio mais no domingo. 

    Marina é tão ideal para Duda que até a dificuldade em desmanchar casamento ela tem. Este César não é só preconceituoso. Ele sim me cheira a canalha.

    E como é isso de: sai da vida de minha mulher, "sapatona"? Eu hein. Não consigo imaginar tal situação. 

    Sabe que Lara me lembra Samira? Pense.

    Eu não comentei antes, mas a Silvinha me lembra tanta coisa. Esse tratamento convencional contra o câncer... Não vou emitir opinião mas os efeitos colaterais rivalizam com a doença. Ela é uma pessoa tão bela. Se esta parte da história é real, talvez tenha sido o último miasma perispitual que ela expurgou. E sendo assim, está livre. Porque luminosa, ela já era.

    Beijos!

    Sol

    Resposta do autor:

    Solzinha!

    Tá melhor mesmo?

    Marina é uma fofa mesmo e quanto ao César infelizmente existem vários exemplares dele por aí.

    Lara lembra a Samira? Olha que  interessante! Rsrsrsrss

    Não conheci a Silvinha, mas ela foi uma pessoa iluminada e hoje está bem, descansando e feliz!

    Beijos

  • 14/05/2021
  • Boa noite, Gabinha & CIA,

    Eu já percebi que o fã clube da delegada não é dos maiores, mas também não consigo vê-la como uma canalha. Ela não quer abrir mão de coisa alguma e isso é um misto de medo e egoísmo. Mas não por ser canalha. Acho que são coisas distintas. E Duda permitiu que Sophia jogasse como bem desejava, então acabou previsivelmente machucada. A única coisa que entendo na delegada é que é muito difícil romper com certas estruturas. Não sou casada nem mãe, porém até hoje não consegui romper com as minhas... Sou um fake neste site (espero que o tanto de autoridade que compõe esse enredo não queira me prender por falsidade caipiresca! kkkk).

    Essa Helena é alguém que eu não daria trela alguma! Mulher super virtual. 

    Marina deve ser aquela com a qual Duda vai ficar. Aliás a mãe dela é uma ya Leda que não fala desaforo. Ou uma Olga mais terra terra. Está no meio caminho das duas. E quando a maama pacífica, isso ajuda tanto...

    Eu tive uma amiga que trabalhou na polícia por cerca de dez anos e ela saiu depois de uma ocorrência criminal muito bruta que a chocou bastante. Coisa demoníaca, digna do "psicopata místico", lembra? Aliás, essa ocorrência me inspirou a montagem do Samael, além de outras coisas. Os crimes que você fala aqui me lembram isso. É uma das coisas ainda deploráveis neste mundo: assassinatos e violência. Especialmente contra as mulheres e as crianças.

    A perícia policial é interessante porque envolve uma multidisciplinaridade acadêmica. Às vezes busca-se a Universidade, embora os quadros da polícia contem com gente muito boa. Conheço grupos de arqueometria muito bons em São Paulo, por exemplo. Além de restaurar, sabem investigar a autenticidade de obras de arte. Com esta parte criminal nunca tive e nem conheço interface. É uma área que demanda muito do emocional. Não sei se conseguiria atuar nela.

    Mais uma vez parabéns. Você é uma escritora fofa. Do tipo que eu gosto.

    Beijos,

    Sol

    Resposta do autor:

    Olá Solzinha!

    Suas análise foi precisa, nem preciso responder! Kkkkk...

    Gostei da definição da mãe da Marina, mista de ya Leda e dona Olga!


    Beijos querida!

  • 14/05/2021
  • Olá Gabinha & CIA, rs

    Tudo bem?

    Hoje me aborreci por demais, então me rebelei e vim ler teu conto para desanuviar e te prestigiar nesta sexta. Falei com Samira para vir também e deixar de peitica (está até agora reclamando por causa do Tao). 

    Bem, vamos ao que interessa mais: a história tem uma dinâmica boa, informal e interessante. Eu fico meio impressionada porque parece que o elenco quase todo participa e comenta. Dá até medo de falar alguma caipirice que dê furduncio nesse trem! rs Mas sério, é a primeira vez que vejo um conto assim.

    Duda me lembra demais uma pessoa da minha vida que ficou anos casada com um cabra oportunista, egoísta e covarde, mas ela sempre encontrava todas as desculpas e justificativas para a falta de companheirismo dele. E também sempre se encantava com sorrisos, expectativas e sinalizações de pessoas que, no fundo, me pareciam um refúgio para as inseguranças dela. No caso da Duda, me parece que ela deseja, mais que tudo, o amor acolhimento. Mas também tem uma energia sexual bem atiçada, não só por razões físicas. Às vezes, em nossas buscas, as energias se tornam difusas e a gente "atira para vários lados". Encontrar a oportunidade de viver o amor acolhimento ou a maturidade da vida nos ajudam a recuperar o foco e não viver na montanha russa de emoções. Duda está trilhando seu caminho e ela chega lá, de uma forma ou de outra. É um coração puro.

    As amigas são pessoas muito boas. Que bom tê-las!

    Essa Cris é uma pessoa endurecida que usa a companheira e não colabora em coisa alguma. Muito frustrada com uma série de coisas, precisa de alguém para sempre culpar. Relacionamento abusivo, ambas sabem, mas alguém tem que dar o primeiro passo para romper este ciclo. Cris não será, até por razões de ordem material e financeira. Não me inspira raiva dela, mas o relacionamento mantido por pena jamais a fará mudar e amadurecer. Ela só tem idade. 

    Fiquei com saudades de "Pauliceia" ao ler sobre lugares por onde andava. O MASP, aquele burburinho da Paulista... Graças à pandemia nunca mais fui lá. Pena! Mas, sem dúvida, nunca vivi isso de ter essa mulherada toda ao redor. Viu, Samira? kkkk

    Por fim, não posso não comentar: essa orientadora aí da Duda. Como é esse trem, uai? Primeiro choquei há uns anos atrás com a história de professor que não pode orientar aluno porque está "lotado", agora vem essa orientadora sem noção! E ficar surpresa com a aluna no dia da defesa, como pode? A orientadora tem que estar por dentro da situação! Claro que tem aluno que quer babá, isso não se justifica, mas uma orientação dessas é um trem sem base nenhuma! Essa professora não representa a categoria e tenho dito!

    Parabéns, Gabinha! Minha nota foram as 10 estrelinhas. 

    Beijos,

    Sol

    Resposta do autor:

    Oi Solzinha!

    Menina tô toda besta aqui com seu comentário, nem sei o que responder... Só agradecer muito, muito mesmo!

    Não se aborreça, hoje é sexta!!

    O elenco se conhece... Kkkkk... Mas tem muita ficção, troquei nomes e lugares. Fica tranquila, as meninas são bem legais.

    A Duda tem um coração de gigante e com isso Cris se aproveita da situação, cabe à Duda dar um basta e seguir em frente.

    Putz a Cris de verdade é bem complicada, os adjetivos que ela recebe é pouco, pelo tanto que apronta.

    Sinto falta de dar umas voltas na Paulista também, ir até a Liberdade... Vai ficar pra depois.

    Também nunca tive isso da mulherada ficar em cima... Kkkkkk...

    A orientadora foi sacana e realmente não representa a classe!

    Muito obrigada por ter comentado, me deixou feliz demais.

    Beijos querida

Por Solitudine

Por Solitudine

Por Solitudine

  • 08/03/2020
  • Olá queridas!

    Mesmo que demore muuito, mas vou concluir este conto! Se Deus quiser!

    Também desejo escrever outros mais. Está tudo na cabeça. Falta só os dedos teclarem.

    Beijos!

    Sol

  • 01/02/2020
  • Olá Cris Laninha,

    Violaram a conta [email protected], alteraram senha e email de recuperação há 12 dias mas só soube disso apenas hoje. Se qualquer e-mail for enviado, desconsidere ! Se você tem perfil de Facebook (ou Livro das Fuças) divulgue lá também, por favor. 

Por Carolina Bivard

  • 01/02/2020
  • Boa tarde, perdoe -me vir incomodá-la aqui. Alguém violou a conta de email [email protected], alterando a senha e o email de recuperação. Isso aconteceu há 12 dias mas descobri hoje. Será que você poderia lançar uma nota divulgando isso no seu site e no seu perfil de Facebook, por gentileza?  Para evitar a ação de golpistas junto às leitoras. Não escrevo há muito tempo mas ainda pode haver a chance de algum golpe .Agradeço por antecipação e mais uma vez me desculpo pelo transtorno.

Por Solitudine

  • 08/01/2018
  • Boa tarde,

    Escrevo para dizer que agora demorarei para voltar aqui. Portanto, quaisquer comentários que surjam demorarão a serem respondidos. Não por falta de consideração minha ou desfeita e sim por falta de tempo.

    O Tao tem uma história forte no meu coração e, ao contrário do que fiz com Maya, não vou contar porque vocês jamais acreditariam. Também deixo claro que não sou Zinara, como já andaram me perguntando, e nossas vidas têm semelhanças "poéticas", não literais.

    Todos sabem que Solitudine é um perfil fake, pois não desejo me mostrar. Não comecei a escrever pensando em sucesso ou em me tornar destaque neste tipo de literatura, mas por, digamos, necessidade. Seja como for, os sentimentos sempre foram, como sempre serão, verdadeiros.

    Fiquem com Deus e grande beijo. Luz em seus caminhos e Paz no coração de cada uma aqui.

Por Solitudine

  • 08/01/2018
  • Boa tarde,

    Escrevo para dizer que agora demorarei para voltar aqui. Portanto, quaisquer comentários que surjam demorarão a serem respondidos. Não por falta de consideração minha ou desfeita e sim por falta de tempo.

    Tenho vergonha de ter feito mau uso da palavra em determinadas ocasiões da minha vida, mas, certamente, escrever Maya é algo do qual me orgulho. Não por megalomania mas por todos os retornos positivos e histórias de pessoas que mudaram coisas em sua vida ou maneira de pensar em função de terem lido o conto. Começou com o abcLes, seguiu pelo Lesword e agora por aqui. Já recebi alguns emails muito belos.

    Todos sabem que Solitudine é um perfil fake pois não desejo me mostrar. Não comecei a escrever pensando em sucesso ou em me tornar destaque neste tipo de literatura, mas pelas razões as quais descrevi em A história da história. Seja como for, os sentimentos sempre foram, como sempre serão verdadeiros.

    Fiquem com Deus e grande beijo. Luz em seus caminhos e Paz no coração de cada uma aqui.

    Beijos!

Nenhuma história favoritada
Gabi2020

Gabi

Minha querida amiga está mostrando mais um talento nesta vida