Diga que me ama por Shewantsdinah


[Comentários - 10]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

 

Eu não consigo acreditar.

Eu não posso acreditar.

Como a Zend convida a Dinah pra esse jantar? Era apenas nós duas, como casal e agora isso.

E ainda tem a maldita mensagem que não sai da minha mente. O maldito verso de amor que eu espero que tenha sido enviado por engano.

Como vou encara-la hoje a noite? Será que ela vai me dizer que foi engano?

Meu Deus!

Eu não estou preparada. Eu não vou conseguir encara-la. Acho melhor cancelar este jantar.
É isso.
Vou dizer que não me sinto bem e cancelar, não posso encarar ela hoje, não depois dessa mensagem.

Será que eu devia responder? Assim ela me diz que foi engano e não ficaremos tão desconfortáveis hoje a noite.

O que eu estou pensando, não posso responder essa mensagem. Se ela disser que não foi engano eu não saberei como reagir. Melhor esquecer isto e focar no trabalho.

Tenho que ir nesse jantar de qualquer maneira. Não vejo minha namorada a mais de uma semana e sei que amanhã ela e a Dinah vão viajar de novo.

A única vida que me resta é ir a esse jantar e ver o que acontece.

Seja o que Deus quiser!

[...]

Estou de frente para o meu espelho provando o quinto vestido, não consigo me decidir qual devo usar para esse jantar. Um pretinho básico ou talvez este vermelho longo.

Meu Deus quanta indecisão.

Opto pelo vermelho pois não sei onde iremos. Faço uma maquiagem básica focando apenas em meus olhos e usando um batom rosa bem clarinho.
Resolvo deixar meus cabelos cacheados mesmo com bastante volume. Calço meus saltos e vou até a sala esperar pela minha namorada.

A campainha toca e vou até a porta para recebê-la mas para minha surpresa quem está em minha porta não é Zendaya e sim ela.

Dinah está na minha porta me olhando intensamente de uma maneira como ela nunca me olhou.
Ela esta usando uma calça preta com coturnos, uma blusa branca com uma jaqueta de couro por cima. Seus cabelos loiros estão completamente lisos caindo pelos ombros até o meio de suas costas. Uma maquiagem fraca completa o seu visual a deixando mais linda do que nunca.

- Boa noite Mani, você está linda.

- O-obrigada Dinah.. Bem, eu não estava te esperando.. Onde está a Zend?

- Sei que não estava me esperando, e bom a Zendaya pediu para que eu lhe pegasse e nos encontrará no restaurante, parece que ela teve um probleminha com nossa viagem de amanhã e vai se atrasar. Por isso cá estou.

- Ah sim, tudo bem. Então vamos.

Ao passar por ela senti levemente seu perfume, que por sinal era uma delicia.
Dinah colocou a mão na base da minha coluna me indicando a direção do elevador, porém este pequeno toque foi capaz de me arrepiar por inteira. O que pelo seu sorriso no canto dos lábios não passou despercebido para ela.

Ao entrar no elevador me encaminhei para o fundo afim de escapar do olhar intenso de Dinah sobre mim, porém assim que as portas se fecharam percebi que isso seria impossível.

Ao encontrar seus olhos vi que ela me olhava de cima a baixo com admiração e algo a mais que não sabia dizer o que seria. Resolvi quebrar o silêncio que já se tornava sufocante para mim.

- Então Dinah, agora que voltou a morar aqui na cidade como se sente?

- Ah, eu estou verdadeiramente feliz. Sinto que ainda me falta algo para transbordar de alegria porém já estou bem mais feliz do que estive todos esses anos em São Paulo. E devo essa felicidade a você, que me motivou a voltar a cidade. Se não fosse por você eu não teria voltado e reencontrado a inspiração para cantar.

- Ah não Dinah, não tem que me agradecer. Eu tentei apenas te ajudar. Vi que não estava feliz e bom fico feliz que esteja melhor.

- Eu devo tudo a você Manz.

Senti minhas bochechas corarem pela forma como ela me chamou.

Meu Deus o que está acontecendo comigo? Eu nunca me senti assim com ela. Em todos esses anos de amizade eu nunca me senti tão exposta e tão invadida por ela.

Assim que as portas do elevador se abriram praticamente sai correndo de lá, mas Dinah me alcançou e me segurou pelo braço. Acabei me desequilibrando e indo de encontro ao corpo dela, que me encarava tão intensamente que fazia com que eu me sentisse nua.

- Manz o que há? Porque está fugindo de mim desta forma? Eu fiz algo que lhe deixou desconfortável?

- N-não Dinah, é só que eu tenho pressa em chegar ao restaurante. Não vejo a Zend a dias e estou com saudades dela. É apenas isso.

- Ok.

Após isso Dinah me soltou e foi em direção ao carro. Abriu a porta para mim e logo em seguida se ajeitou no banco do motorista. O trajeto foi feito todo em silencio, no fundo tocava uma música agradável mas seu silêncio me incomodava, mas não me atrevi a dizer nada.

 

Notas finais:

Espero que tenham gostado.

Criticas construtivas são sempre bem vindas 



Comentários


Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.