Lutas da vida por Esantos


[Comentários - 121]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

-- Bom dia, vocês a partir de hoje deixaram de ser apenas um civil, iram iniciar a preparação para serem os melhores para proteger as pessoas e os piores, os piores pesadelos de cada mal elemento que exista dentro do nosso estado, aqui irão aprender o que é ser forte, não há lugar para pessoas fracas, vão aprender a ter disciplina, foram entregues a vocês um plano de aula, vocês vão estar sempre com as roupas descritas no que foi pedido antes, as mulheres cabelos totalmente presos para trás e os homens cabelos cortados como foi dito e barba sempre feita, entenderam? – Todos responderam um alto “sim senhor” – Ótimo, amanhã começaremos com as aulas, não é tolerado atrasos, cada atraso uma advertência, três advertências expulsão do curso, todos ouviram? – Após todos confirmarem, saíram de forma, estavam enfileirados no pátio do centro de treinamento da polícia militar de Pernambuco, Andreia respirou fundo, adorou aquela atmosfera.

--Ei Andreia, me dá uma carona até o centro?

--Claro, estou indo para lá mesmo, vou comprar um celular para a Juli, você viu aquele cronograma? Terá dias que não voltaremos para casa.

--No final vai ser quase uma semana toda, vai ser puxado demais, será que vamos dá conta?

--Vamos sim, somos fortes lembra? – Ele sorriu e subiu na pequena moto, no centro Andreia comprou um aparelho celular para Juliana, a atendente fez o cadastro do chip que foi colocado no aparelho e ela foi para casa feliz, lá arrumou algumas coisas, fez o jantar e foi buscar sua mulher, ao entrar no estacionamento não gostou de ver uma pessoa saindo.

--Olha só quem eu vejo, quanto tempo Andreia – Ele mantinha um sorriso sarcástico nos lábios.

--Queria passar bem mais tempo sem ter o desprazer de te encontrar. – Ela disse passando direto, sem olhar para trás.

--Manda um beijinho para Juli, pena que não pude dá, pois ela está no  trabalho, mas quem sabe em breve. – Andreia parou os passos, com os punhos cerrados, sentia o sangue esquentar em suas veias, porém respirou fundo, mas não podia ficar calada diante daquilo.

--Pode deixar, eu vou dá muitos beijinhos nela, alias muito mais que beijos, pois o que ela tem comigo, nunca teve nem nunca terá com você – Ela viu os olhos do garoto escurecer.

--Ora sua – Aproximou-se, porem Andreia não mexeu-se, permaneceu ali a encarando.

-- O que foi? Vai cair dentro? Quer que eu quebre outro dente seu?

-- Algum problema ai Andreia? – Um dos estoquistas que já a conhecia perguntou aproximando-se.

--Não Tadeu, tudo tranquilo, não é? – Perguntou encarando JM.

--Você vai pagar caro por isso, sua sapatão dos infernos – E saiu pisando duro.

--Ele estava com raiva.

--Nada, esse cachorrinho ai só late, não morde – Ela disse sorrindo para o rapaz que também sorriu.

-- Vai lá que a Juliana já deve estar largando – Ela deu um leve sorriso para o rapaz e entrou no mercado, ela correu para a área de chocolates comprou uma caixa de chocolate levando para o caixa de Juliana que sorriu ao vê-la.

 

-- Pensei que sairia tarde lá do curso – Juliana disse sem querer demonstrar a real alegria que teve ao ver a sua mulher ali, ainda estava um pouco magoada pelo incidente que houve na sexta, mas não conseguia ter raiva daquela mulher.

-- Hoje foi só para fazer umas demonstrações, amanhã que vai começar.

-- Então vamos ter uma policial? Nossa vai ficar um pedaço em uma farda – Rubia disse sorrindo.

--Cuidado não Juli, um tipão desses de farda vai despedaçar corações – Lurdes completou.

-- Mas o único coração que eu quero já tenho e é da morena mais linda desse mundo – Abriu a caixa de chocolate, retirou um o levando a boca, deu um leve beijo e entregou a Juliana que sorriu ao pega-lo.

--Nossa chega arrepiei – Rubia disse e as outras três sorriram.

-- Vou te esperar lá na frente – Deu alguns chocolates as outras garotas e seguiu para o local que sempre esperava a morena, não passou mais de vinte minutos e Juliana aproximava-se com um largo sorriso.

 

 

 

-- Nossa Deia deu tempo até de fazer o jantar – Juliana disse ao chegar na cozinha e ver o jantar pronto.

-- Deu sim, vem cá – Pegou na mão da morena a fez senta-se e foi na sala. – Comprei para você, sei que vai reclamar, mas é preciso, eu vou passar muito tempo lá no CFSD(curso de formação de soldado) e preciso de alguma forma falar com você – Juliana abriu e encontrou um celular.

--Deia, mas é tão caro, sem contar que tem que colocar credito.

--A moça da loja disse que só precisa colocar vinte reais por mês, mas tem que ter cuidado para não falar demais.

--Ele é lindo, olha tem até uma lanterna – Juliana mexia no aparelho feliz, isso fez Andreia também sorrir – Obrigada meu amor- Abraçou maior para em seguida lhe beijar, um beijo que começou calmo, mas logo esquentou, Andreia não perdeu tempo e a suspendeu a colocando sobre a mesa,

--Estou louca de saudade de você minha gostosa – Andreia já estava abrindo seu short jeans a porta do quintal é aberta.

--Ai meu Deus vou ter pesadelo essa noite, que cena feia meu – Junior disse colocando a mão no olho.

--Droga Junior que susto – Juliana falou se pondo de pé.

--Não tinha melhor hora para aparecer não – Andreia jogou a toalha de prato nele.

--Só vim fazer o que foi pedido, pensei que estaria lá na polícia.

--O curso começa mesmo amanhã seu bobo, senta para jantar – Andreia disse indo pegar os pratos

-- Ju olha o que eu ganhei- Juliana mostrou o celular ao rapaz.

--Ual, mas é muito chic mesmo, olha só de celular – Junior olhava o aparelho, tem um joguinho nele que eu adoro. – Se concentrou na tela.

--Qual Juliana se esticou.

--O da cobrinha, coincidência, não é? – Andreia gargalhou, só Junior para faze-la sorrir assim, jantaram naquele clima agradável, logo Junior foi para casa, deixando as garotas novamente a sós.

--Bem, onde paramos até o empata do Junior chegar? – Andreia perguntou pegando a morena no colo.

--Estávamos na parte que você me faria gozar horrores – Juliana disse mordendo o queixo dela

--Então não vamos prologar mais a espera – Já estavam no quarto, Andreia a colocou na cama para depois sorrir já tirando as próprias roupas e deitou sobre a morena. –- Vou te comer tão gostoso que você não vai querer parar – Andreia falava enquanto ajudava a morena a despir-se.

-- Estou louca por isso, vem Deia, me faz gemer gostoso – Ela abriu as pernas e Andreia não esperou mais nada, apenas abocanhou aquele ponto que pulsava forte, implorando pela boca da maior. – AHH! Isso amor, AHH! – Juliana gemia pedindo por mais, e Andreia lhe daria, daria tudo, quando os gemidos da menor começaram a aumentar Andreia afastou a boca e colocou dois dedos dentro dela, começou lento, mas diante do apelo de Juliana que pedia mais forte Andreia colocou mais um dedo, e com três dedos começou a socar forte, fundo, escutando o som das forte estocadas e dos gemidos cada vez mais alto, foi levada a uma onda intensa de prazer, ela gozou logo após seus dedos serem pressionados, quando viu Juliana apertar as mãos contra o lençol da cama, ela não sabia como podia ser levada tão facilmente pelo prazer que dava aquela morena.

--Ai Deia que delica – Juliana falava com a respiração pesada, ofegante – Eu não me canso disso, nunca me canso de você – Falou sorrindo.

--E nem eu de você – Abraçou Juliana que levantou e saiu correndo para o banheiro, Juliana sorriu, logo viu a morena voltar.

--Acho que tomei muito suco, a bexiga estava cheia – Juliana falou sorrindo.

-- Vem deita aqui – Andreia que já estava sonolenta bateu no colchão.

--Ai não, você não vai dormir, não agora – Juliana disse ficando de joelhos na cama.

--Amanhã vamos acordar cedo é melhor nós... Ahh! – Gemeu ao sentir a boca da morena lhe invadir o sexo. – Ju Juli, Aii! Isso, não para – Andreia levou a mão para a cabeça da outra que estava no meio das suas pernas, Juliana a chupava com maestria, não demorou e Andreia derramou seu mel na boca de Juliana.

-- Adoro te fazer gozar assim – Juliana falou dando vários selinhos na maior

--Adora é? – Trocou de posição – Agora você vai ver só uma coisa – Andreia a beijou forte e reiniciaram novamente, aquela noite estava longe de terminar.

 

 

-- Juli eu tenho que ir, não posso me atrasar- Andreia colocava a calça jeans azul com a camisa branca.

-- Mas Deia você mal dormiu – Juliana observava a mulher andar de um lado para o outro.

--Eu sei gata, mas não dá para me atrasar, tenho que chegar lá ás 6:00 em ponto.

--Mas ainda vai dá cinco da manhã Deia, é muito puxado, quase não dormimos.

--Não se preocupa, eu sei me virar – Andreia deu um selinho na garota, pegou sua mochila e saiu para pegar a moto, Juliana ainda resmungou algo mas voltou a dormir, agradeceu por está de folga aquela manhã.

 

--Bom dia senhores, vamos começar com as boas vindas aos senhores. – Estava toda turma em forma no grande pátio do centro de formação da policia militar. – Precisamos que todos tirem os seus tênis e coloquem empilhados aqui, vocês tem exatamente três minutos para estarem em forma novamente– O sargento mostrou o cronômetro e todos começaram a correr tirando os tênis, e no tempo estabelecido a turma estava no seu lugar de origem. – Agora se dividam em 10 grupos, cada fila um grupo, temos aqui atrás – Apontou para um rio de lama -- Dez bolas dessas – Ergueu uma bolinha branca que parecia ser de ping-pong – Vocês tem cinco minutos para estarem aqui de volta devidamente calçados e com uma bola por grupo, aquele grupo que tiver sem bola ou mais de uma bola ira ficar sem tomar banho durante todo dia, igualmente aqueles que não calçarem o tênis no prazo determinado, entenderam? – Todos apenas afirmaram com a cabeça – Não escutei – Ele disse quase que gritando

-- Sim Senhor! – o grito saiu alto.

--Podem ir- O sargento ergueu o cronometro  eles correram para a lama, cada grupo tinha aproximadamente de 40 pessoas, eles foram pegando as bolinhas e corriam para a calçarem os tênis, todos sujos dos pés à cabeça de lama, Andreia respirou fundo após voltarem para forma e ver que no seu grupo tinha mais de uma bolinha, porém não foi apenas o dela, apenas um dos dez grupo conseguiu apenas uma bolinha, esses foram dispensados para um banho.

--Sabem o motivo de estarem aqui senhores? – Ninguém respondeu – Não escutei – O sargento gritou.

--Não senhor – gritaram em uni som

-- Vocês falharam na missão dada, não trabalharam em equipe, agora vão ficar aqui em forma até os demais estarem arrumados e limpos, para darmos inicio a nossa instrução – Os alunos ficaram ali, em forma debaixo do sol, sentiam a lama secar em suas peles, porém não podiam sair, após quase uma hora os demais retornaram já limpos, o sargento retornou e começou uma instrução sobre ordem unida, lá ficaram até meio dia, onde tiveram vinte minutos para almoçar e voltar ao pátio, muitos ainda se arriscaram a tirar o excesso de lama do corpo, porem para  um banho era impossível, passaram o restante do dia com aquela lama em seu corpo, ás dezoito horas foram dispensados, os que estavam sujos foram tentar tirar a lama do corpo e Andreia foi uma, Andreia saiu ao lado de Lucas quase duas horas depois.

--Nossa eu estou exausta – Andreia disse assim que deixou o amigo na parada de ônibus alguns metros do centro de formação.

--Nem me fala, até amanhã Andreia – Andreia guiou a moto com cuidado, estava com sono e muito cansada, o cheiro da lama  já não estava mais em suas narinas, ao chegar em casa encontrou Juliana e Claudia assistindo televisão.

 

--Nossa Deia que mal cheiro é esse? – Juliana perguntou assim que ela se aproximou para lhe dá um selinho

--Já até me acostumei com ele – Sorriu fraco --Vou para outro banho – Foi para o banheiro e tentou se livrar daquele odor de lama, passou o hidratante de Juliana e voltou para sala.

--Deia vai jantar, eu já esquentei para você – Ela apenas afirmou com a cabeça e foi, jantou rápido e não esperou nada apenas queria dormir.

--Juli fecha as portas direitinho, até mais Clau – Foi par o quarto e jogou-se na cama, ainda escutou Juliana reclamando de algo, porém não tinha a menor condição de prestar atenção, no outro dia ás 4:30 o despertador toca e Andreia volta ao seu curso, cada dia era uma coisa diferente, mesmo assim Andreia estava animada com tudo aquilo.

 

 

-- Deia será que vai passar mais de dois dias? – Juliana perguntou um pouco chorosa vendo Andreia arrumar sua mochila

--Não sei Juli, não estipularam o tempo que vamos passar interno, aliás eu nem sei o que vamos fazer esses dias lá, mas não se preocupa está bem? Sempre que der eu ligo para você.

--Que saco Deia, hoje é sábado, vai ter a festa de aniversário da Claudia, queria ir com você. – Fez bico.

--Eu também queria Juli, mas não dá, eu já conversei como ela, que me entendeu, agora cuidado nessa festa, o Junior vai dormir aqui com você esses dias- Te amo – Deu um selinho nela e saiu – Juliana ficou sentada com a cara nada boa, só fazia uma semana que Andreia tinha começado o curso e já estava cansada dessa rotina dela, sempre chegava tarde comia e ia dormir, mal se falaram durante aquela semana e agora que pensou que iria passar um final de semana com sua mulher, mas ela se foi.

--Ai Juliana, deixa de coisa só será alguns meses, logo acaba – Ela falou sozinha, levantou e foi preparar as coisas para ir ao trabalho, a noite arrumou-se sem animação para ir a festa da amiga, lá tentou divertir-se depois de tomar algumas cervejas conseguiu tal ato, não desgrudou do celular nenhum momento, porem nada de Andreia ligar, foi para casa com Junior já bem bêbada, lá tomou banho ajudada pelo amigo e caiu na cama só acordou no outro dia com uma bela ressaca.

 

 

--Jujuba não fica assim olhando para esse celular – Junior falou vendo a amiga olhando desolada para o celular.

--Eu estou com saudades dela Ju, nunca passamos tanto tempo longe.

--Eu sei, mas é necessário, não fica assim, vem vamos dá uma voltinha no shopping o que acha?

--Não estamos com dinheiro para compras Junior.

--Eu sei, mas não custa olhar e desejar comprar, vai trocar de roupa que vamos sair. – Eles se arrumaram e assim que chegaram na sala para saírem escutaram as batidas na porta e ao abrir encontraram Lidia.

-- Oi gente, vão sair?

--Vamos dá uma voltinha no shopping.

--A Andreia não está?

--Não está lá naquele curso idiota – Juliana disse bicuda.

--Droga tirei o dia para ficar aqui com vocês – Lidia disse triste.

--Por que não vai conosco? – Junior chamou.

--Não vou a atrapalhar?

-- Claro que não Lidia, vamos -Os três saíram para a parada de ônibus, andaram muito e só voltaram para casa no começo da noite, Lídia foi para sua casa e Juliana que depois de Junior muito chamar foi para um barzinho ali perto.

-- Olha só quem está aqui – JM disse aproximando-se – Como você está? – Ele perguntou gentilmente para a garota que levantou o abraçando.

--Quanto tempo, como você está?

--Agora estou melhor, estava com saudades, me diz como você está? Fico preocupado, mas como sei que a Andreia não vai com minha cara e prefiro ficar longe. – Puxou o banquinho de plástico aproximando-se da mesa

-- Eu estou bem, não tão bem pois não estou com minha mãe aqui, mas isso já entendi que ela está comigo sempre, e você o que tem feito?

--Eu estou trabalhando com meu pai na mercearia.

--Então está trabalhando lá em cima? Aquilo está tão perigoso.

--Estou, mas eles não mexem comigo, e você? Sei que ainda está no mercado- Ele puxou conversa sempre pedindo mais bebida, Junior que só observava a conversa não estava nada feliz com aquilo, mas resolveu não intervir.

 

 

-- Ei Andreia eu estou morto– Disse Lucas sentando em um tronco, eles estavam no meio da mata, já era a segunda noite ali, os corpos pediam descansos, mas não o tinham, ainda.

-- Eu estou acabada também, meus pés estão me matando – Ela olhou para frente e fez cara de enfado – Ai de novo não, pensei que iriamos descansar – Ela sussurrou vendo um tenente aproximar-se deles.

 

-- Alunos em forma – Ele gritou e em poucos minutos estavam todos enfileirados. – Os senhores vão ficar de guarda, todos peguem seus pedaços de pau. – Naquela manhã deram a cada um uma espécie de cabo de madeira maciça com aproximadamente 4kg, eles não poderiam larga-los em nenhum momento – O ergam sobre a cabeça, todos atenderam? – Responderam que sim --Pronto senhores, fiquem de guarda – O tenente saiu deixando-os ali naquela posição, o relógio já marcava mais de uma da madrugada os braços estavam dormentes, o sono e a exaustão dos corpos pediam para eles desistirem, mas eles resistiam, após mais de duas horas da madrugada o tenente deu vinte minutos para arrumarem as suas mochilas pois partiriam de volta para o centro de instrução, andaram por mais duas horas e ao chegar lá foram dispensados, ganharam a segunda de folga, muitos ficaram por lá mesmo, como tinha alguns dormitórios, nem voltavam para suas casas.

 

-- Vai devagar nessa moto Andreia, para não cair – Lucas disse ao ver a amiga subir na moto.

--Pode deixar, o trânsito está calmo, ainda não é nem seis horas, vou chegar rapidinho – Despediram-se e Andreia seguiu para casa, ao chegar viu Juliana e Junior dormindo na cama em um sono pesado, foi direto para o banheiro para um banho, viu as inúmeras marcas daqueles dias dentro da floresta, vários arranhões, algumas marcas roxas sem contar nas bolhas nos pés, respirou fundo esse era o preço a pagar e o faria com todo prazer, ela veio de ponta de pé para pegar uma roupa, porem ao abrir a porta do guarda roupa Juliana despertou.

--Deia? É você? – Ela disse ainda sonolenta.

-- Oi meu amor – Aproximou-se e lhe beijou a cabeça. – cheguei – Fez um afago na sua bochecha e a outra sentou-se na cama, viu o amigo dormindo no colchão ao lado da cama depois voltou-se para a outra.

--Fiquei esperando você ligar, estava preocupada

--Vem vamos lá na sala conversar- Andreia pegou um short de elástico e uma camiseta, Juliana a seguiu até a sala.

--Nenhuma ligação Deia, eu fiquei imaginando mil coisas – Parou para olhas as costas da mulher que tinha dois arranhões e uma marca roxa – Deia o que aconteceu? – Aproximou-se.

--Nós fomos para uma mata fechada, foi uma coisa muito louca – Falou sorrindo e colocando a roupa.

--Muito louca? E você fala isso sorrindo?  Deia você está machucada, e mais magra, olha isso, você não está se alimentando direito essa sua invenção de ser policial ainda vai te fazer muito mal, olha para você.

--Não é uma invenção Juli, antes era uma necessidade agora é um sonho, custa você participar disso comigo?

--Custa sim, eu não concordo com isso, Deia você está machucada, passou a semana toda quase que fora de casa, não foi para a festa da Clau que é nossa amiga, isso é porque ainda está na escola, imagina quando começar o trabalho mesmo? Desiste disso, nós podemos nos virar, sei lá eu tenho meu trabalho uma hora você vai conseguir algum emprego sempre abre vaga lá no mercado. – Ela falou em tom elevado.

-- Não Juli eu acabei de falar que é o meu desejo custa você respeitar? Eu sei que está sendo sofrido, mas vou conseguir me formar e tudo vai melhorar.

-- Tudo bem, se é seu sonho faça como você quiser – Retornou para o quarto pisando duro, Andreia respirou fundo e foi até a cozinha, viu os pratos sujo na pia e nada nas panelas para se comer, respirou fundo pegando um pedaço de pão com um copo de refrigerante, depois que comeu foi para o quarto e encontrou Juliana arrumando-se para o trabalho, ela apenas deitou na cama, tentou falar alguma coisa, mas o sono a venceu, caiu em um sono pesado, Junior que estava deitado, porem acordado, pois os gritos de Juliana o acordou, nada falou apenas ficou observando a amiga que resmungava enquanto poucas lagrimas caiam, quando notou Andreia entrando enxugou as lagrimas dando as cotas, logo escutou a respiração forte de Andreia que dormia.

 

-- Juli não fica nervosa assim ela só está querendo o melhor para você – Junior falou levantando e indo atrás da amiga após ela ir para a cozinha.

--Eu nunca quis que ela entrasse para isso Junior, ela já está se machucando agora imagina depois? Correndo atrás de bandido, você não entende os riscos que ela está correndo? – Juliana chorava

--Eu entendo meu bem, mas eu a escutei falando que era um sonho, é o que ela quer para a vida dela, ela sabe se proteger – Junior a abraçou.

--Sabe de uma coisa? Não é isso que ela quer para a vida dela? Deixa ela, mas ela não vai contar comigo – Enxugou as lagrimas pegando a sua bolsa e saindo , Junior balançou a cabeça em negação pegou algumas de suas roupas e foi para casa, Andreia acordou no meio da tarde, foi para a cozinha preparar algo para comer, porem não conseguiria cozinhar nada naquela bagunça, começou a  lavar os pratos, varreu, organizou toda casa e depois voltou para a cozinha preparou um arroz com bife rápido e comeu, fez o jantar e sentou-se no sofá começou a estudar nem percebeu a hora passar, no começo da noite pegou a moto e foi pegar Juliana no trabalho, ela não estava com um bom humor, porém não recusou a carona, ao chegar preferiu não tocar mais no assunto da manhã, após o jantar Andreia aos poucos conseguiu quebrar o gelo conversando sobre a festa de Claudia, foram para sala e Andreia não perdeu tempo, foi logo agarrando a morena que cedeu facilmente aos carinhos da outra, no meio da noite foram dormi com os corpos exaustos.

Notas finais:

Ola minhas flores

 

MAIS UM CAPITULO LOGO PELA MANHÃ.

ENTÃO O QUE VCS ACHAM DESSE COMPORTAMENTO DA JULI EM RELAÇÃO A ANDREIA NA PM?

GOSTARIA DE SABER SE ESTÃO GOSTANDO? 

 

BJS 



Comentários


Nome: Socorro de Souza (Assinado) · Data: 13/06/2018 18:12 · Para: Capitulo 25

Infelizmente como as coisas tão indo não a amor que resista. 

Os erros da Juli, vão custar caros a ela ..Que pena pq às vezes as pessoas só aprendem quando pede .. 

Tadinha da Déia 



Resposta do autor:

É a Juli está pisando na bola, mas vamos ver se esse amor vai resistir, ai tadinha da Deia né kkkk

BJS flor



Nome: Bee20 (Assinado) · Data: 13/06/2018 18:02 · Para: Capitulo 25

A juli é muito infatil

Precisa crescer, esse jeito só vai afasta-lá da Deia 



Resposta do autor:

Muito, ela não está sabendo levar o relacionamento adiante, mas vamos ver se o amor delas vão durar

bjs flor



Nome: Mille (Assinado) · Data: 13/06/2018 17:40 · Para: Capitulo 25

Oi Lili 

Desde o início a Juli não gostou da Deia para entrar na polícia. Ela só pensa em si deveria dar o apoio para a esposa até porque a Andreia faz tudo por ela.

Quero só ver quando ela cair na armadilha do JM já que ela o acha a pessoa boa, esse aí é lobo em forma de coelho. Depois vai estar arrependida só espero que eu esteja enganada.

Bjus e até o próximo capítulo 



Nome: Elizaross (Assinado) · Data: 13/06/2018 14:20 · Para: Capitulo 25

A Juli, precisa crescer viu.. Poxa a Deia fazendo de tudo e A Juli não enxergar isso e ainda por cima não dar apoio necessário uma hora cansa viu... Ela vai perder fácil ..

JM vai aproveitar essa imaturidade da Juli e infelizmente vai cair como patinho...

A Déia não merecia essa indeferença da Juli, qto ao sonho dela, espero que qdo a Juli acordar não seja tarde d+++



Resposta do autor:

Bem, a Juli está em uma fase de so fazer besteira, dai só nos resta aguardar e ver se o amor vao prevalecer, o que vc acha? Kkkk

 

 

Bjs flor



Nome: Unica (Assinado) · Data: 13/06/2018 14:01 · Para: Capitulo 25

A jully ainda é muito imatura, mas acho que a perda da mãe deixou ela apreensiva com relação a nova profissão da Andreia.

Estou prevendo separação por aí.... Tomara que não. 

Apesar da saudade da turma de ASV, jully e Andréia já me conquitou tbm.... Muito bom. PARABÉNS



Resposta do autor:

É a Juli está com uma confusão de sentimentos, então se torna imprevisível, mas vamos ver se o amor nan vai prevalecer.

Obgda flor bjs



Nome: Lili (Assinado) · Data: 13/06/2018 12:49 · Para: Capitulo 25

Juli vai fazer merda ainda e junto com o pilantra do JM.

Não custa nada Juli compreender a esposa.



Resposta do autor:

É mas infelizmente as vezes as pessoas acham q a razão está ao seu lado, dai fazem besteira.... Mass veremos se ela vão saber lidar com tudo isso.

 

Bjs flor



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.