Lutas da vida por Esantos


[Comentários - 189]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

--Juli você vai vestir o que? – Estavam Juliana, Claudia e Maria no quarto da morena

--Eu? O mesmo que uso sempre, meu  blusão.

-- Não Juli, tem que ser alguma coisa especial – Maria falou.

--Olha só a voz da experiencia – Claudia disse em deboche – Mas ela está certa Juli.

--Que tal uma camisola?

--Ou nua mesmo aposto que a Andreia iria adorar – Claudia gargalhou

--Fala sério Clau, o que eu faço?

--Não tem nenhuma calcinha mais sensual não?

--Tem o fio dental que usei com aquele vestido no final de ano. – Ela foi até a gaveta de calcinha o pegando

--É parece ser legal, mas e o resto?

-- Eu não tenho nada que preste – Ela fechou a cara.

--Meninas vocês vão almoçar? – Paula entrou – Que cara é essa Juli?

--Nada tia, nada – Maria disse escondendo a calcinha.

--É tudo mãe, eu não tenho nada para usar hoje.

-- Juli você contou para a sua mãe?

--Claro Maria, antes de tudo eu sou amiga dela.

--Eu já disse que amo a senhora? Não quer ser minha mãe também?– Claudia abraçou a mais velha

--Mãe o que eu faço?

-- Filha não se preocupa com isso, aposto que ela vai adorar qualquer coisa que você usar, o que acha de uma camisetinha, aquela sua preta de alcinha e um short jeans curtinho ela vai adorar.

-- A senhora acha?

--Tenho certeza, o que acha de prepararmos um jantarzinho.

--Que a Juli cozinhar? Só se for para a Andreia morrer engasgada

--Fecha Clau, ela me chamou para ajudar, então eu só vou ficar olhando ela fazer.

--Mas essa minha filha é muito folgada mesmo – Paula sorriu. – Vamos almoçar – As três foram para cozinha.

 

--Mãe a sua primeira vez foi boa? – Elas conversavam enquanto comiam

--Não péssima – Paula disse sorrindo

--A minha também tia, foi horrível, doeu muito – Claudia falou

-- Serio que é tão ruim?

--Nem sempre filha, e talvez com mulher seja melhor.

--E lembre que você está com Andreia –  Claudia sorriu

-- O que tem a Andreia? – Paula ficou curiosa.

--Tia mulher, uma vez ela brincou comigo ai fez que ia me beijar, quase que eu deixava, fiquei toda arrepiada com as mãos dela

--Eu odiei aquela brincadeira.

--Ela não ia fazer nada somos amiga e eu acho que não iria gostar de transar com uma mulher. – Claudia se calou de vez

--Oi gente, nossa eu estou faminta – Andreia disse entrando – Tia seu Carlos disse que segunda levasse duas quentinhas a mais. -Que caras são essas?

--Nada, apenas estávamos conversando – Claudia disse rápido.

-- Sobre? – Ela beijou o topo da cabeça de Juliana.

-- Nada, senta para comer – Paula desconversou.

--Deia você vai treinar hoje?

--Vou sim, tenho que me preparar semana que vem terá um torneio.

--Eu sou louca para ir em um torneio desses, deve ter vários caras fortes musculosos – Claudia falou gesticulando, deixando as outras sorrindo, assim seguiu o almoço, depois de umas horas Andreia foi para seu treino e as demais ficaram arrumando tudo.

 

-- Será que ela vai gostar? – Juliana perguntava enquanto colocava os dois pratos na mesa.

-- Ficou lindo a dona Cleide quase me pegou roubando as rosas dela. – Maria disse arrumando as rosas roubadas em um copo com agua.

-- E a lasanha que a tia fez está divina, ainda bem que ela fez aquela pequena para nós

--Claudia você fez a tia fazer a lasanha para você

--Mariazinha fica na sua que sei que você vai querer um pedaço.

-- Então gente? Como estou? – Paula chegou já arrumada para ir ao seu pagode.

--Arrasou tia, certeza que hoje desencalha

--E quem disse que eu quero desencalhar Claudia?

--Tá linda mãe, a senhora já vai?

--Já vamos, não é meninas? – Daqui a pouco a Andreia chega.

--Ei amiga, arrasa acaba com ela – Claudia disse sorrindo

-- Boa sorte amiga – Maria disse abraçando-a

--Gente parece o evento do ano – Paula sorriu e abraçou a filha – Meu bebê tá crescendo – Olhou para ela – Ei lembre-se que se não estiver afim fale para ela, só vá adiante se estiver pronta.

--Pode deixar mãe – Abraçou a mãe-- Vou tomar banho. – Saiu para o banheiro, nesse meio tempo Andreia chegou e encontrou tudo apagado.

--  Alguém em casa? – Ficou admirada com a cozinha arrumada, dois pratos na mesa, umas rosas no meio. – Que estranho será que esqueci de alguma coisa? – Ela foi para o quarto e escutou a porta do banheiro abrir e Juliana sair de toalha.

--Oi Deia você já chegou? – Abraçou-a que sentiu o corpo arrepiar.

--Onde está a tia Paula?

--Ela foi para um pagode ai no morro vizinho, vai tomar banho que vamos ter um jantar romântico – Deu um selinho nela, mas Andreia a segurou

--Jantar romântico é? Só nós duas? – Mordeu o lóbulo da orelha da morena que arrepiou-se.

--Isso mesmo, só nos duas – Juliana já estava sentindo o corpo reagir aquele toque, sua voz saia manhosa.

--Hum, vou tomar banho então – Ela ia se afastar, mas Juliana não deixou.

--Mas antes eu não mereço nem um beijinho? – Não esperou a outra responder, apenas se colocou de ponta de pé a beijando, um beijo que começou lento, mas ganhou pressa, Andreia a encostou na parede e sentiu o sexo molhar ao notar que a toalha caiu.

-- É eu vou tomar banho – Afastou-se dando uns beijinhos, mas seus olhos lhe traiu e percorreu todo o corpo nu da morena que abaixou-se para pega a toalha.

--Não demora – Deu um beijo no queixo dela, adorava beijar o queixo de Andreia, foi para o quarto e colocou a roupa que combinou com a sua mãe, fez questão de apressar Andreia que estava com o corpo quente pelo beijo.

-- Nossa assim não tem como segurar muito – Andreia disse ao chegar na cozinha e ver Juliana abaixada com a cara no forno.

-- Deixa de ser boba, eu acho que já está bom – Andreia foi até ela a abraçando por trás, Juliana que já estava de pé fez questão de abaixa-se novamente, apenas para provocar a outra.

-- Assim fica difícil demais – Andreia falou segurando a outra pela cintura e olhando aquela bunda perfeita roçar em seu sexo.

-- O que fica difícil Deia? – Fingiu ingenuidade.

--Na nada, ela já está boa sim – Andreia afastou-se e pegou o pano para tirar a lasanha do fogo, ela colocou na mesa e sentaram. – Foi você que fez a lasanha? Está com uma cara ótima

--Infelizmente não Deia, você sabe que a única coisa que sei fazer na cozinha é comer

-- Isso é verdade – Ela sorriu esticando o braço para fazer um carinho nela, comeram conversando sobre o torneio que Andreia ia participar, ela estava empolgada.

--Pedi dinheiro para minha mãe e a Clau foi comprar sorvete de sobremesa- Ela levantou para pegar.

--Nossa então esse jantar foi uma ação conjunta? – Andreia sorriu e a puxou para sentar no seu colo

--A coitada da Mary quase levou umas vassouradas da senhora da esquina, que a pegou no flagra roubando as rosas. – Elas sorriram

--Coitada da Maria, mas está tudo lindo – Fez um carinho nela – Assim como você.

--Então você gostou da surpresa?

-- Adorei – Andreia a beijou com carinho, um beijo delicado que ao ser finalizado ficaram alguns segundos com as testas grudadas apenas sentindo as reações que uma despertada na outra.

-- Deixa eu colocar sorvete para você ia levantar, mas foi impedida

--Não precisa sair daqui, está tão gostoso não é? – Abaixou a cabeça passando o nariz no pescoço de Juliana que arrepiou-se.

--Muito gostoso, vou te dá na boquinha – Serviu o sorvete em uma xicara e começou a colocar na boca da namorada, algo que poderia ser tão simples começou a ser extremamente sensual, Juliana fazia questão de provocar a outra. – Hum tá tão gostoso – Ela disse depois de passar a língua no cantinho da boca de Andreia, pois tinha melado.

--Gostoso é? – Andreia já estava muito excitada com aquilo tudo. – Gostoso é essa sua boca – Puxou-a para um beijo quente, apressado, Juliana não esperou e passou uma das pernas para o outro lado ficando de frente a ela, Andreia tremeu ao sentir a pressão daquele sexo sobre o seu, o beijo seguiu e quando o ar faltou nos pulmões Andreia desceu para o pescoço da outra que soltou um gemido e começou a mexer lentamente o quadril.

--Ai Deia! – Andreia sabia que não conseguiria segurar por muito tempo, então era hora de parar, ou arrancaria a roupa daquela morena e a faria sua ali mesmo.

-- Ju, Juli – Ela chamo a atenção dela que abriu os olhos para encara-la.—É melhor irmos mais devagar – Tentou tira-la do seu colo, mas Juliana fez força para continuar naquela posição.

--Não Deia, vamos continuar – Abraçou-a encostando os lábios no ouvido dela. – Me faz sua Deia, me faz sua mulher – Andreia sentiu o corpo arrepiar, pensou que tinha gozado naquele momento tamanho prazer sentiu.

--Juli Você tem certeza disso? Eu posso te esperar, não é preciso se apressar linda, tudo no seu tempo. – A encarou fazendo um carinho na face da outra.

--É tudo que eu mais quero Deia e sei que a pessoa certa é você, só você  - Andreia sentiu uma enorme alegria com aquilo, saber que foi escolhida para algo que ela sempre achou tão especial a fazia amar mais aquela garota.

-- Então vamos lá para o quarto – Ficou de pé com ela em seu colo. – Vou te fazer mais minha do que você já é – Ela caminhou com a morena em seu colo lentamente até o quarto, lá a colocou sentada na cama e voltou para trancar a porta. – Você não tem noção do quanto eu te desejo Juli – Andreia tirou a blusa, ficando apenas com um top e o short folgado que usava. – Você é a coisa mais importante da minha vida – A beijou fazendo-a deitar na cama, seguiu descendo até o busto, encontrou um par de seios eriçados, dai constatou que ela estava sem sutiã, mordeu os próprios lábios para deter a vontade insana que tinha de toma-los o mais rápido possível, Então ela massageou-os ainda sobre a blusa – Posso tirar? -  Fez menção de tirar aquela blusa, e a outra ergueu um pouco o corpo para facilitar, Andreia sentiu a boca salivar por aqueles seios lindos de bicos em tons mais escuros que a pele marrom da garota, tão apetitoso que não se segurou, então lentamente levou sua boca até eles os provando, Juliana gemeu baixinho incentivando à continuar com o ato, Juliana senti o corpo ferver, ela estava ansiosa,  seu corpo pedia por mais, e Andreia pareceu ler o que a outra queria e desceu mais, acariciando a barriga dela. – Deixa eu tirar esse short- Andreia desabotoou a peça de roupa e a fez deslizar pelas pernas da morena, subiu beijando as pernas dela, encontrou um o sexo totalmente molhado, era percebível pela calcinha encharcada, Andreia a olhou pedindo autorização e ela deu com um balançar de cabeça, enfim Andreia a deixou totalmente nua, aproveitou e tirou também a sua roupa, Juliana ergueu um pouco o corpo olhando para o corpo da outra, já tinha a visto várias vezes nua, porem daquela vez era diferente, sentiu um desejo por aquele corpo que nunca imaginou sentir antes, Andreia engatinhou até o meio das pernas da morena, parou olhando-a, ela estava ofegante, excitada, o sexo brilhava por causa do excesso de humidade ali presente, Andreia passou a língua nos lábios, umedecendo-os, e passou levemente a pontinha da língua fazendo Juliana arquear o corpo.

--Ai Deia! – Sentiu uma pressão no seu abdômen, que aumentou quando Andreia não aguentou mais esperar e abocanhou aquele sexo com pelos bem aparados, porem existente, ela adorava mulheres com um pouco pelos no sexo, e aquela era a medida ideal para ela, tudo naquela garota era ideal, pensou Andreia enquanto chupava aquele sexo apetitoso, tentou se segurar ir devagar, mas não conseguiu, queria chupa-la até senti-la gozando em sua boca, não só uma mas várias vezes, isso não demorou, Juliana estava muito excitada ao sentir aquela língua explorando seu sexo não demorou para gozar.

Gemeu alto, segurando os cabelos curtos de Andreia que sentiu o seu corpo tremer ao escutar aqueles gemidos, que para ela era a melhor das músicas.

--Ah! Ah! Ah.... Deia... – Juliana sentiu o corpo relaxar, que sensação maravilhosa era aquela que tomou conta do seu corpo? Aquilo era um orgasmo? Se a resposta fosse sim queria mais, queria passar o resto de sua vida sentindo aquela sensação maravilhosa.

--Você é deliciosa marrenta -Andreia disse sugando todo aquele mel, porém não sugou tudo, queria deixar um pouco para o que iria fazer em seguida.

Subiu no corpo dela tomando aquela boca desenhada, ela fez a morna sentir seu próprio gosto, queria faze-la ficar excitada novamente então subiu em seu corpo e começou um rebolar lento, até que torturante para ela, que se segurava para não concretizar seu desejo que era gozar se esfregando freneticamente naquele sexo gostoso.

--Ah! Deia que delicia, assim vai – Juliana começou a pressionar as nádegas dela, já estava sentindo o prazer chegar novamente e Andreia notando isso parou devagar. – Não Deia, não para – Disse manhosa.

--Calma Juli, quero que você me diga se doer muito, vai doer um pouco, mas é normal – Andreia desceu a mão até o sexo dela e lentamente a penetrou com um dedo, Andreia a viu fechar os olhos demonstrando dor, porém não pediu para parar. – Olha para mim Juli – Ela abriu os olhos e encontrou aqueles castanhos claros a encarando. – Logo vai passar – Andreia movimentava o dedo lentamente dentro dela e Juliana logo foi se acostumando e gostando da sensação daquele dedo dentro de si. – Tá melhor agora? – Andreia perguntou

--Tá, tá, tá bom AHH! -  Gemeu mais forte, pois Andreia começou a massagear o seu clitóris com o polegar

--Hum que delicia – Andreia aumentou o ritmo, a sorriu ao escutar ela gemer mais alto e quando ela foi gozar virou os olhos, fazendo Andreia gozar com aquilo, Juliana sentia espasmos pelo corpo, parecia que aquilo cada vez era melhor, Andreia tirou o dedo bem lentamente de dentro dela que soltou um gemidinho por causa da sensibilidade. – Agora você é minha mulher – Andreia disse e a puxou para seus braços, beijou sua testa e ficou acariciando os ombros dela.

--Eu sou sua, para sempre – Juliana disse um pouco emocionada, estava tão feliz que não conseguiu segurar uma lagrima que desceu de seus olhos, ao contrário do que falaram tinha sido ótimo, muito bom. – Vou lavar minha mão e já volto. – Andreia percebeu a mão suja com um pouco de sangue, sabia que era normal, não era a primeira virgindade que tinha tirado.

-- Volta logo – Juliana levantou e viu o lençol um melado com dois pingos de sangue, mas sabia que seria assim, voltou a deitar e ficou olhando para cima, tinha gostado muito e queria mais, porém não sabia se era assim mesmo, uma dúvida surgiu em sua cabeça, será que ela tinha que fazer o mesmo com ela?

--Ei já voltei – Andreia deitou na cama a puxando para perto – Então gostou? – Juliana subiu encima dela sorrindo

--Deia como é bom – Andreia gargalhou e a puxou para um beijo, estava com o corpo pegando fogo queria mais, porém não sabia se a morena aguentaria. – Deia quero fazer uma pergunta – Ergueu um pouco o corpo para olhá-la.

--Faça, se eu souber a resposta. – Fez um carinho no rosto dela com as pontas dos dedos.

--Eu tenho que fazer o mesmo com você? Eu não sei como fazer direito, você me ajuda?- Falou rápida

-- Ei calma, você não precisa fazer nada, deixa eu te explicar – Juliana deitou ao lado dela a encarando curiosa. – Bem no sexo entre duas mulheres existem várias possibilidades, podemos fazer várias coisas isso você aprende com a pratica.

--E vamos praticar muito não é? – Andreia sorriu da afobação dela

--Se depender de mim sempre que quiser, mas continuando, têm umas meninas que sentem prazer quando recebe o toque, tem outras que sente esse prazer em tocar e outras gostam dos dois, entendeu?

--O Junior falou uma vez disso, algo de ativo e passivo?

--Isso mesmo, ativo é aquela que senti prazer sendo mais atuante por dá esse prazer, a passiva é que só senti prazer quando recebe o ato e a relativa é aquela que pra ela tanto faz.

--E você é o que?

--Eu prefiro ser ativa, mas não me importo em ser tocada, porém não gosto de ser penetrada, não me sinto confortável.

--Então você ainda é virgem?

--Não, mas só foi uma vez, depois da primeira vez não mais.

--Então você é ativa? – Ela queria entender tudo sobre a outra.

--Digamos que eu sou um meio termo, gosto de estar no controle, porém não tenho problemas em ser tocada entendeu?

--Entendi- Andreia deu um selinho nela

--Mais alguma duvida? – Ela pareceu pensar e balançou a cabeça em afirmativo. – Então pergunte, uma regra é não ter vergonha Juli, nós somos namoradas e não podemos ter vergonha um da outra, principalmente em relação a cama

-- Certo, eu prometo não ter vergonha – Ela sorriu – A pergunta é se é normal está querendo mais?

--Mais? você quer dizer continuar?

--Sim, eu estou aqui, mas não paro de pensar em sentir tudo aquilo novamente – Juliana mordeu o queixo dela que sentiu o corpo arrepiar. – Tem algum problema nisso?

--Não, nenhum problema, o único problema é sentir vontade e não sacia-la, esse é o maior problema, então me promete que sempre que estiver com vontade me procure, eu vou ter o maior prazer em saciar sua vontade. – Andreia não esperou ela falar mais nada apenas subiu sobre o corpo da menor a beijando com volúpia, assim elas mataram a vontade dos seus corpos e dormiram exaustas.

 

Notas finais:

ola minhas flores

Promessa cumprida!

ENTÃO  GOSTARAM DA PRIMEIRA VEZ DELAS? PELO VISTA A JULI VAI DÁ CONTA DA ANDREIA DIREITINHO KKKKK

ME MANTENHAM INFORMADA TÁ BEM? 

 

BJS



Comentários


Nome: Mayy (Assinado) · Data: 16/05/2018 17:40 · Para: Capitulo 15

Uai arrasou Lili...

Adorei a primeira vez delas e a juli q fogo heim!!!

Ansiosa pelo próximo capitulo...

Bjs te adoro!

 



Resposta do autor:

É não era fogo que a Andreia procurava? então ela pode ate se queimar kkk

OBG.  BJS



Nome: jake (Assinado) · Data: 16/05/2018 12:36 · Para: Capitulo 15

Eitha !!!ta mto boa essa historia ,porem  penso no que possa acontecer ...JM nao vai acitare de boa esse romance naum...



Resposta do autor:

É não sabemos ate onde o JM possa ir, mas vamos esperar para ver.

OBG

BJS flor



Nome: Lili (Assinado) · Data: 16/05/2018 00:58 · Para: Capitulo 15

Lili demais....

Vamos que vamos.



Resposta do autor:

Pra frente e avante chará! kkkk

OBG

BJS



Nome: Pipoca ramos (Assinado) · Data: 15/05/2018 23:50 · Para: Capitulo 15

UAUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU

O MENOS É MAIS E AS MELHORES COISAS ESTÃO NA SIMPLICIDADE.

SEM PALAVRAS PEIXINHO *-*

Um ótimo capítulo autora 



Resposta do autor:

É sempre podemos ter mais com a simplicidade, ou ate possamos nomear como normal, mas sim o menos sempre é mais(é igual o silencio, sempre tende a dizer algo)

BJS pequena



Nome: Mille (Assinado) · Data: 15/05/2018 23:49 · Para: Capitulo 15

Olá Lili

Legal a primeira vez delas e a conversa foi ótima a Andreia gosta de deixar tudo esclarecido.

E logo  Juli vai estar ultrapassando a barreira que  Deia criou.

Bjus e até o próximo capítulo 



Resposta do autor:

É, não sabemos bem se é uma barreira, mas..... veremos.... kkkk

corre lá que já tô postando o prox.

bjs flor



Nome: Bee20 (Assinado) · Data: 15/05/2018 23:35 · Para: Capitulo 15

Adooooreii..



Resposta do autor:

UEBAAA!!!

BJS FLOR



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.