A ruína dos anjos por Drikka Silva


[Comentários - 105]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

Andressa viu levou a mão ao rosto assustada quando viu Saladiel entrar em na sua frente, ao mesmo tempo em que o som de um estampido de tiro ecoava pelo ar. O passo seguinte foi ver, quase de forma impercevtivel, ela sentir o impacto da bala e ser jogada, levemente para a frente.

            - Saladiel! – exclamou enquanto a amparava.

            Almozsaaladiel fechou os olhos, condenando sua atitude, mas não podia permitir que nenhum mal lhe acontecesse.

            - Você foi atingida! Temos que te levar para um hospital!

            - Eu estou bem – respondeu ao tocar seu rosto. – Não se precoupe comigo.

            - Como não me preocupar? – perguntou Andressa sentindo uma calma incomum. – Você foi atingida por um tiro!

            - Ninguém poderá fazer nada contra nós. É nosso destino.

            - Agora não é hora dessas loucuras – Andressa balançou a cabeça para se livrar do efeito de topor. – Temos que entrar!

            - Não posso. Vão querer me levar para um hospital, mas não posso. Entre com eles. Eu estou lhe protegendo.

            Andressa tentou contestar, mas Saladiel não parou para escutar seus argumentos. Apenas recebeu um beijo na testa, antes de ver a estranha mulher sair rápida do seu ponto de vista. Muito mais rápido do que alguém seria capaz naquelas circunstancias.

            O pandemonio não durou muito: em pouco tempo o local estava cheio de viaturas policias. Os bandidos foram presos no cerco e ninguém saira ferido. Andressa sabia que aquilo não era verdade, Saladiel havia sido atingida por um tiro, mas estranhamente ninguém notara sua presença. Falou a duas pessoas sobre a morena com quem havia conversado, mas ambos haviam negado ter visto alguém diferente por ali. Saladiel, naquele momento, parecia apenas um fruto da sua imaginação.

            Andressa voltou para o trabalho, depois que foi liberada, quinze minutos depois. Se sentou à mesa de trabalho, mas não enxergou o computador a sua frente. A unica coisa que via era Saladiel e seus olhos cinzentos fixos em seu rosto, enquanto era alvejada pela bala. Aquilo, de fato, tinha acontecido, não era um fruto da sua imaginação. Atribuia o fato de tudo ter acontecido rápido demais para que outra pessoa pudesse delegar atenção a ela. Era isso. Ninguém havia prestado atenção suficiente na morena durante o assalto.

 

              Almozsaaladiel se encostou no portão, enquanto esperava que Absalom aparecesse. Quando seu servo surgiu na porta, enxergou sua preocupação em seus olhos, enquanto a fitava com absoluta incredulidade. Depois que entrou na garagem, foi amparada por ele, quando suas pernas fraquejaram.

            - O que está acontecendo? – perguntou preocupado. – Você não pode se ferir. É imortal.

            - Não sei. Os designios do Altissimo são insondáveis – respondeu enquanto era levada para dentro. – Me leve para o quarto de oração, preciso me livrar desse invólucro.

            Absalom não contestou. Conduziu-a até o andar superior da casa e entrou no quarto colocando-a no centro. Se afastou para porta e se ajoelhou, vendo a carne humana se romper para que a criatura fosse liberta. Com alivio, viu a criatura se esticar totalmente, revelando que seu corpo não fora atingido. Devagar saiu do quarto, enquanto via a criatura se abaixar para grudar a cabeça no chão para se conectar com o divino.

                        Andressa saiu do trabalho e observou tudo ao redor procurando por Saladiel. Não sabia se esperava por ela ali ou se ia embora para casa. Talvez ela a estivesse observando sem querer se aproximar, talvez o tiro a tinha ferido gravemente. Não sabia o que pensar pois, Saladiel parecia ser a mulher menos humana que conhecera até então. Depois de quinze minutos de espera decidiu ir embora. Por mais que não soubesse o que estava acontecendo, tinha certeza de uma coisa: estava ficando completamente pirada por uma mulher que era completamente maluca.

            No ponto de ônibus, esperou a condução por cinco minutos. Estava prestes a entrar no veiculo quando sentiu uma mão em seu braço.

            - Me desculpe o atraso – falou Alozsaaladiel com um sorriso.

            Andressa levou um minuto inteiro olhando para a mulher antes de retribuir o sorriso e abraça-la com força.

            - Você está bem! Fiquei tão preocupada! – exclamou ao mesmo tempo em que fazia carinho em sua nuca.

            - Sim. Não se preocupe comigo.

            - É claro que vou me preocupar! Você levou um tiro!

            - Não pegou no meu corpo, de fato.

            - Como não pegou? Eu vi você sendo lançada a frente com o impacto!

            - Confia em mim. Não foi nada.

            - É impossivel... – gaguejou Andressa se afastando. – O que você fez, a forma como se afastou... As outras pessoas não te viram!

            - Estava com bastante bagunça naquele momento, todos bem ansiosos. É normal que não me vissem.

            - Eu te vi e eu sei o que vi.

            - Você vai perder o onibus – sinalizou Almozsaaladiel para a condução, ainda com a porta aberta.

            - Eu quero respostas – pediu Andressa enquanto acenava para o ônibus partir. – O que você é?

            - Ainda não é chegado o tempo. Não posso te revelar coisas para o qual sua mente não está preparada.

            - A escolha é minha, não é? O livre arbitrio?

            - Nem sempre nossas escolhas nos levam para um bom caminho.

            - Foi você? O acidente com o carro? Foi você quem fez aquele carro capotar e não me atingir?

            - Você acredita que isso seja possivel?

            - Eu te fiz uma pergunta, Saladiel. Me responda sem rodeios.

            - Sim. Fui eu.

            - Como?

            Almozsaaladiel abaixou a cabeça, enquanto ponderava no que aconteceria a Andressa se se relavesse naquele momento. Quanto mais raciocinava sobre o efeito sobre a mulher a sua frente, mais chegada a conclusão de que aquele não era o momento certo.

            - Não posso.

            - Ok. Vamos ver como isso funciona na prática – respondeu Andressa irritada.

            Sem se dar conta da gravidade do que estava fazendo, Andressa tomou a direção da avenida e entrou entre os carros. A mente se apagou com a adrenalina do momento, enquanto ouvia os sons de gritos, buzinas e freiadas. Um caminhão que vinha em alta velocidade não diminuiu e, somente quando estava prestes a colidir, é que sentiu um braço em sua cintura. O segundo seguinte foi rápido demais para que pudesse descrever: somente se deu conta do que tinha acontecido quando sentiu suas costas se encostar com a parede do outro lado da avenida.

            - Nunca mais faça isso! – exclamou Almozsaaladiel. – Se cometer suicidio, seu espirito estará condenado a perdição!

            - O que é você? – perguntou Andressa sem ouvir as palavras ditas. – Que tipo de criatura é você?!

            Almozsaaladiel olhou ao redor, para as pessoas que olhavam, espantadas, para as duas e puxou Andressa, se desviando dos olhares. Assim que alcançou uma rua com menos movimento parou mirou a mulher que a olhava, completamente abismada.

            - Você vai ter que me explicar isso...

            - Só tenha ciencia de uma coisa: quando a verdade for revelada, sua vida não será a mesma.

            - Eu quero saber! Eu preciso saber!

            - Se a informação for forte demais para esse corpo, você não retornará para os seus, visto que sua mente ficará comprometida. Eu cuidarei de você, como já fiz antes.

            - Para de me enrolar, Saladiel! Me conta! Quem é você? O que é você?!

            - Que assim seja – concordou Almozsaaladiel ao passar uma mão pelo seu rosto. – Meu nome é Almozsaaladiel. Fui criada para ser uma protetora na terra, cuidando das primeiras criações divinas, desde queda do Éden.

            - Você é um anjo? – perguntou Andressa com uma careta. – No estilo Cidade dos anjos?* (ver notas)

            - Confia em mim?

            - Não, mas eu não tenho escolha.

            - Você tem escolha. Eu te deixo ir e cuido dos seus caminhos, uma vez que interferi no seu destino.

            - Como?

            - Me abraça e fecha os olhos – pediu ao pegar sua mão. – Eu te prometo que nada de mal vai lhe acontecer.

            Andressa concordou com a cabeça antes de abraçar Almozsaaladiel e encaixar seus rosto no seu pescoço. O coração batia descompassado quando sentiu a mulher flexionar nas pernas. Simplesmente parou de bater quando se sentiu sendo alçada ao ar. O piso voltou aos seus pés em questão de segundos, abriu os olhos e enxergou o telhado do prédio e Saladiel que se afastava para se ajoelhar a uma segura distância. A respiração começou a falhar e a unica coisa que enxergou, antes de perder os sentidos, foi o olhar cinzento, preocupado na sua direção.

 

* Cidade dos anjos - Filme de 1998 com direção de Brad Silberling. No elenco, Meg Ryan e Nicholas Cage  

Seth tem o que qualquer ser humano deseja: pode voar e está mais perto de Deus. Seth é um anjo, mas quer se sentir como um mortal. Quando conhece Maggie, Seth terá que decidir entre o amor terreno e a paz eterna.

Notas finais:

Oi oi lindonas!!!

Amores, eu vou responder os comentários até o final de semana! 

 

Bjokasssssssssssss



Comentários


Nome: mtereza (Assinado) · Data: 01/05/2018 08:32 · Para: Capitulo 9

Nossa ansiosa demais a revelação está vindo antes do que imaginei 



Nome: Baiana (Assinado) · Data: 26/04/2018 21:30 · Para: Capitulo 9

Vixe, será que a Andressa vai pirar o cabeção ao se ver diante de um anjo?



Resposta do autor:

Sei não, mas que dá pra pirar bonito, dá neh? hehehehe

Bjokasssssss



Nome: NovaAqui (Assinado) · Data: 26/04/2018 07:42 · Para: Capitulo 9

Revelações. Será que Andressa vai surtar? Espero que não

 



Resposta do autor:

Dá pra dar um tico no teco neh? hehehehe  Acho que é muita informação hehehehe

Bjokassssssssss



Nome: preguicella (Assinado) · Data: 26/04/2018 04:30 · Para: Capitulo 9

Tenho que choramingar hoje, o final do capítulo é sempre um sofrimento, acaba rápido demais!  Deixa a gente querendo mais e, o mais triste é que só tem capítulo novo na outra semana. #prontoreclamei hahaha

Como sempre amando essa loucura toda! hahaha

Bjão



Resposta do autor:

hahahahaha Opa! Mais tarde já tem mais um para não ficar triste hehehehe

è dois por semana, quarta e domingo. Não vou judiar de vcs tanto hehehee

Obrigada lindona!

Bjokasssssssssssss



Nome: Angell (Assinado) · Data: 26/04/2018 03:27 · Para: Capitulo 9

Capítulo ótimo como sempre, pena que tão curto... Quando aparece falando da verdadeira forma da criatura me dá medo! Adorei a referência a cidade dos anjos, um dos meus filmes favoritos! Ansiosa pelo próximo :) 



Resposta do autor:

Esse foi tiquinho neh? Parecia tão grande no caderno hehehee O próximos será maior. 

Ah esse filme é lindo demais! Um clássico hehehee

Bjokassssssssssss



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.