O amor chega sem avisar por patty-321


[Comentários - 102]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

Meu coração só não saiu pela boca porque ele não tem pernas.

Eles sentaram numa mesa um pouco distante da nossa, mas dava pra vê-los perfeitamente. Nenhum momento ela olhou em nossa direção. Quando sair do meu estado de choque, sinto a Helen me beliscar.

- Ai louca, não me belisca.

- Oh mulher to umas duas horas tentando fazer você me ouvir e você não tira os olhos da aluna, como é mesmo o nome dela? Você lembra?

- Marina. Ela se chama Marina – A todo o momento meus olhos iam até aquela mesa, e mil pensamentos me afligiam. Porque ela mentiu pra mim? Aquele era o João Carlos? E porque ela estava conversando com ele?

- Sandra, que foi amiga? Você ta pálida. Continua me contando sobre o teu bofe magia.

Sem conseguir me deter, uma lágrima caiu. Helen segurou minhas mãos por cima da mesa e muito preocupada, falou:

- Que foi, amiga? Porque você ta chorando. Me fala, to ficando desesperada.

- Helen, amiga. Na verdade o bofe magia...- Dei uma pausa e um suspiro- é aquela moça que você está vendo naquela mesa.

- Hã? O que? Acho que não entendi ou to ficando doida ou os dois. Como assim?

- Amiga, to completamente apaixonada e namorando a Marina, é isso. Tá rolando faz quase dois meses. E ela ta ali, sentada, naquela mesa com esse cara que acho que é o ex-namorado ou é o namorado, não sei o que pensar, nem o que fazer. As vezes nem eu acredito amiga, por isso te chamei pra conversarmos, eu não agüentava mais não ter pra quem contar.

- Nossa! Me belisque. Ai sua louca, não era pra beliscar.

- Oras  bolas, você que pediu, oxe.

- Sandra, você ta tirando onda com a minha cara, né? É uma pegadinha e tem alguém, filmando escondido. É isso?

- Não sua doida, pô to aqui sofrendo, me abrindo pra você.  Poxa, para de agir como retardada. Olha lá, ele ta querendo pegar na mão dela e ela puxou. Filho da puta. Eu vou lá – Ia me levantando quando a Helen me puxa com força me fazendo sentar novamente.

- Mana, a coisa é séria mesmo? Caralhoooooooo. Você, a hétero alfa, agora passou pro outro lado e ta namorando uma aluna da faculdade? Pára o trem que quero descer. Te aquieta nessa cadeira, vamos observar, não to preparada pra comer torta de limão lésbica, nem apanhar de marmanjo. Calma.

- Calma o que? Me solta amiga, por mais que eu esteja agoniada achando que ela pode ta me sacaneando, não vou deixar esse fdp tocar um dedo nela aqui na minha frente. Olha lá parece que ela ta muito puta com ele.

Levantei com toda força e fui pisando firme em direção à mesa onde eles estavam. Sentir que a Helen estava logo atrás de mim.

- Atrapalho?

Notei que a Marina levantou a cabeça imediatamente, quando me viu, ela arregalou os olhos e ficou muito pálida.

- Sandra? O que faz aqui?

Ela olhou rapidamente pra ele, que estava com o semblante fechado e gaguejando, falou:

- Quer dizer, professora Sandra e professora Helen, boa noite – Limpou a garganta e continuou- este é o João Carlos...

- O marido dela- ele rapidamente completou. Dessa vez quem empalideceu fui eu. Ele levantou e estendeu a mão em minha direção. Dessa vez fui eu a empalidecer. Sentir a Helen colocar a mão no meu ombro e apertar, como pedindo pra eu manter a calma. Eu encarei a Marina e esperei ela se manifestar, foi tudo muito rápido.

- Negativo professoras – virando pra ele, ela falou: Ex-namorado, pois nós nunca casamos, João Carlos e neste momento, estou indo embora. Não me procure mais. Vamos professoras, eu já estava mesmo de saída.

Ele ficou lá estatelado. Helen e eu saímos atrás dela. Quando estávamos quase na porta do bar, o garçom me alcança e fala: senhora, senhora, a conta ainda não foi paga. Oh my God, além de quase corna, caloteira, eu mereço. Fui até ao caixa e paguei a conta.

Sair do bar e encontrei as duas na calçada. Marina veio até mim e falou:

- Amor, eu posso explicar, me deixa explicar, por favor.

- To indo deixar a Helen em casa, me espera na sua casa e conversamos – sair puxando a Helen pelo braço até o carro que estava no estacionamento.

- Amiga, te acalma. Pelo que percebi a menina não fez nada demais e ela ta apavorada com a tua cara de braba. Ouça primeiro pra julgar depois, ok?

- Tá Sandra, porra. Só não entendo porque mentir. Ela me disse que teria aula até as 22 e daí ela entra com o ex aqui no barzinho ás 21, putz, o que posso pensar? To cheia de chifres.

- Affz, mulher, calma. Não se precipite. Depois você me liga e me conta tudo ta? Vou ficar agoniada. Olha amiga, você entrou no mundo lésbico muito bem acompanhada, a Marina é uma gata e também muito inteligente.

- Ok baby. Te ligo mais tarde, nem deu pra te contar com detalhes minha odisséia lésbica, kkkkkk.

Me dirigir ao apartamento da Marina com o coração na mão, respirando fundo pra me acalmar e deixá-la falar sem prejulgar.

Como eu tinha a chave fui entrando. Quando ela ouviu o barulho da chave, ela deu um pulo do sofá.

- Sandra eu não mentir pra você. Por favor me escuta. Eu nem sabia que o JC havia voltado de viagem, eu tinha até esperança que ele não voltasse mais pra nossa cidade. Então depois que falei com você, ele me ligou e quase implorou pra eu encontrá-lo. Eu fui porque achei que era o momento de deixar as coisas bem claras pra ele quanto ao nosso rompimento e que não quero mais que ele me procure.

Fiquei olhando pra ela e notei que ela estava muito nervosa e me pareceu muito sincera, mesmo achando isso, meu semblante estava fechado e eu a olhava muita intensidade. Ela pegou nos meus braços e quase chorando me disse:

- Amor, por favor, acredita em mim. Não tenho mais nada com ele, não quero ter mais nada com ele. Não sei se você viu,  mas ele estava ficando bem alterado antes de vocês chegaram até a nossa mesa, porque eu estava justamente, pedindo pra ele não me procurar mais, que não teria volta a minha decisão.

Puxei meus braços das mãos dela e virei de costa, dizendo: você mentiu pra mim sim. Você disse que teria aula até as 22h, lembra?

Ela me abraçou por trás, falando: Eu não menti, a professora Jane não foi hoje e a sala foi liberada. Amanhã você confirma na coordenação. Não fica assim, por favor.

Ela me virou de frente e me disse olhando nos meus olhos.

- Sandra Figueira, eu te amo.

Ficamos nos olhando não sei por quanto tempo. Eu não agüentei e a beijei loucamente. Fomos nos beijando e caindo pelo sofá. É gente, foi nossa primeira DR, que tensão. A reconciliação foi maravilhosa, eu não sabia mais nem meu nome. Não parávamos de nos beijar e dizer juras de amor, ela repetia e repetia: te amo, te amo, te amo. E eu respondia: idem, idem, idem.

Notas finais:

Vamos ver se a Marina tem uma boa explicação para dar.



Comentários


Nome: Candanga (Assinado) · Data: 08/04/2018 19:13 · Para: 22 - Explicações

Rapaz, começei a ler hoje, eu estou adoranfo.

Que evolução da sandra, que lindo o jeito que a marina trata o amor delas. 

Maria toda romantica e Sandra dando seu primeiro de muitos ataques de ciumes, ai que tudo...kkkkkk

Ansiosa pelo proxopr capítulo.

Bom domingo. 



Resposta do autor:

Ciúmes. Quem.nso tem?



Nome: Socorro de Souza (Assinado) · Data: 08/04/2018 16:38 · Para: 22 - Explicações

Ufa Marina !!!!! Confesso que tava com o pé atras com vc ... Esse  Ex. Ainda vai dar trabalho 

autora tô amando bjs

 



Resposta do autor:

Relacionamento sempre e difícil. Confiança se conquista e demanda tempo. Bora ver como elas irão avançar com esse romance. Bjs



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.