Por acaso | a história de duas mulheres e seus acasos por Poracaso


[Comentários - 328]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

Do dia em que ficamos noivas até encontrarmos uma casa que achássemos a nossa cara, foram quase sete meses. Decidimos por um sobrado antigo, que mais parecia ter sido feito sob encomenda para nós. Nesse meio tempo, visitamos todos os imóveis disponíveis na cidade. Procurar um teto virou nosso programa de final de semana. Nem sei com quantos corretores conversei, quantas portas abri e quantos “não” disse e ouvi. Parecia uma busca sem fim. Mas valeu a pena esperar. A casa era linda e depois de seis meses de reforma ficou perfeita.

A casa foi toda planejada por nós duas. Eu fiquei com a parte mais pesada da obra e Luísa com os detalhes de acabamento e decoração, que tomavam mais tempo e exigiam mais atenção.

Ao final, ficamos com seis cômodos: uma suíte para o casal, um escritório para mim, um escritório para Lu, um home vídeo e dois quartos foram deixados vazios, pensando na hipótese da família aumentar. Sem falar da cozinha, da sala, da varanda e do jardim.

O fim da reforma, no entanto, não foi sinônimo de mudança imediata. Eu vinha de uma construção paciente para tentar minimizar as inseguranças de Lu. Parecia uma posseira que aos poucos vai fazendo uso capião dos espaços que encontra. Desde que ficamos noivas, eu passava a maior parte do tempo no apartamento de Luísa, mas mantinha o meu flat ativo. Vez por outra dormia lá, apenas para dar a Lu a sensação de que aquilo ainda não era um casamento. Embora aquilo pudesse parecer bobo e infantil, além de caro, era de extrema importância para o processo de transição que havia combinado com ela.

Mesmo que para o mundo todo aquilo parecesse um casamento, era fundamental que ela soubesse que tinha o espaço dela. Um espaço que, para ela, era muito mais que físico, geográfico, era psicológico. Já estávamos juntas há dois anos e três meses. Embora tivesse amadurecido demais nesse tempo todo, a decepção dos relacionamentos anteriores e as marcas profundas deixadas, pareciam impedir Luísa de avançar mais. Isso fazia com que nossos 4 anos de diferença de idade me fizessem parecer ainda mais velha.

Como sabia que uma mudança brusca de ambiente a tiraria do eixo, propus que alugássemos apenas o meu apartamento. Queria que ela soubesse que teria para onde correr em caso de emergência.

No início, o improviso, típico das mudanças, agitou nosso dia-a-dia. Dormimos em colchão inflável, vimos tevê na casa da vizinha e todo dia descobríamos uma caixa nova para desarrumar.

Para mim, aquilo era mais que uma mudança de casa, era uma mudança de paradigma. Era a certeza de que a vida nos reserva sempre algo novo, surpreendente; uma história de amor, por exemplo.

Nossa casa passou a ser a casa de todos. Lu, que nunca foi da rua, tornou-se cada vez mais de casa. Mas os amigos, que eram da rua, cederam à nossa casa. O lugar era convidativo e Luísa parecia mais à vontade em seu ambiente.

Nome: mtereza (Assinado) · Data: 14/02/2018 16:40 · Para: Capitulo 36 - Paraíso se mudou para lá

A intensidade desse amor era lindo adorei essa parte tanto narrada pela Luisa  quanto pela Carol 



Resposta do autor:

Dois pontos de vista, mas o mesmo amor.



Nome: patty-321 (Assinado) · Data: 13/02/2018 16:14 · Para: Capitulo 36 - Paraíso se mudou para lá

Que fase incrível elas tiveram. Ah Luísa. Fico pensando em tudo q ela passou e se ela voltará a se sentir inteira novamente após a traição.



Resposta do autor:

Patty, já parou pra pensar que a maturidade muitas vezes vem depois desses perrengues que a gente passa pela vida? Acho que Luísa tem tudo para se tornar uma mulher ainda mais incrível!



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.