Por acaso | a história de duas mulheres e seus acasos por Poracaso


[Comentários - 256]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

Depois de bolar planos mirabolantes onde eu simulava um incêndio, crise de asma, ataque cardíaco, emergência terrorista, resolvi simplesmente bater. Isso, bater na porta do quarto dela.

E olha, nunca fui tão bem recebida em toda a minha vida num primeiro encontro.

– Gente, você costuma receber as visitas assim? Pelo seu mau humor, imaginava outra coisa, mas, não posso negar que, apesar de surpresa, estou satisfeita – eu disse, olhando para ela só de calcinha e sutian.

– Ai, meu Deus! Desculpe. O que você quer? – falou ela, se enrolando apressada no lençol da cama.

Sem conseguir conter o riso, eu disse:

– A minha TV não pega, queria saber se a sua está funcionando – expliquei, tentando parecer minimamente convincente.

– Não sei, ainda não liguei – justificou ela, sem me chamar para entrar.

Tive que pensar rápido para não perder a viagem, então disse:

– Posso ver? É que não consigo dormir se a TV não estiver ligada.

Ela olhava para mim visivelmente descrente, mas eu definitivamente não podia perder aquela oportunidade. Então, enquanto ela pensava em um fora para me dar, eu fui logo entrando e me pus em frente à TV.

– Bom, vou tomar um banho – anunciou ela, sem saída.

– A sua TV está funcionando! – comemorei me esforçando para parecer surpresa, já que a minha também estava, mas ela não precisava saber.

– Aproveite aí então – avisou ela.

Atendendo a pedidos, sentei no chão e abri um chocolate que encontrei em cima do frigobar.

Quando ela saiu do banho, me pegou assistindo Discovery. Adoro programas de animais. Não pude deixar de perceber que ela estava só de toalha. Assim, não tem programa de natureza que contenha minha natureza selvagem. Ela voltou ao banheiro e reapareceu de roupão.

Sentou ao meu lado e assistiu ao programa comigo até o final.

Depois, emendamos uma conversa sobre o meu trabalho e valores, assim pude mostrar para ela um pouco do que eu fazia e tirar a má impressão da primeira vez.

Não queria me deixar vencer, mas o cansaço parecia querer me pregar uma peça. Ela parecia estar perdendo as restrições em relação a mim. Não todas, mas algumas. Era visível que ela estava baixando a guarda e começava, enfim, a olhar pra mim como uma possibilidade.

Eu estava concluindo um pensamento sobre a formação do povo brasileiro, citando Darcy Ribeiro, quando ela estendeu a mão para afastar o meu cabelo, que caía nos olhos.

Fiquei tão surpresa que não soube o que fazer, então encarei ela e disse:

– Estou falando demais não é? E você aí, morrendo de sono! – conclui.

– Estou adorando a conversa, mas realmente o sono está prestes a me vencer – disse ela.

– Você fica bem melhor simpática, sabia? – perguntei.

– Hum, vou encarar como um elogio – disse ela.

– É um elogio. Mas bom, vou indo para deixar você dormir – sentenciei, sem saber direito se isso era a melhor coisa a fazer.

– Boa noite – despediu-se ela me dando um beijo no rosto.

Quando ela fechou a porta atrás de mim, quis bater lá novamente e beijá-la ardentemente. Mas não queria estragar tudo, então fui para o quarto e me joguei na cama. Ai, como era bom aquele frisson, aquele clima de conquista. Tirei a roupa e me toquei pensando nela. Pude sentir meu corpo reagir de novo a alguém. Estava de volta ao mundo dos amantes.  

Liguei a televisão, que, para o caso de eu ser inquerida, diria que voltara a funcionar de repente, mas não prestei atenção a nada, só pensei que aquela mulher era diferente. Não diferente como a gente acha que todas são e como realmente são, mas diferente na forma como deve ser tratada. Ela era misteriosa, parecia que trazia em si uma profundidade desafiadora.

Nome: mtereza (Assinado) · Data: 26/12/2017 00:39 · Para: Capitulo 29 - Toc, toc, toc. Será o acaso?

Estou dando o benefício da dúvida a Carol tendo paciência para entender pelo pelo ponto de vista dela o que realmente aconteceu para levá-la a trair a esposa de uma forma aparentemente tão leviana estou tentando rsrsr.



Resposta do autor:

Oi Tereza,

o mais importante é ver o que ela vai fazer para sair dessa situação em que ela mesma se meteu. Até porque, Luisa já mostrou que não vai abrir a guarda. Cada um que arque com as consequências dos seus atos!



Nome: patty-321 (Assinado) · Data: 25/12/2017 18:55 · Para: Capitulo 29 - Toc, toc, toc. Será o acaso?

E ela e bem diferente. So dar pra acreditar q vc foi traí-la por causa de carência.



Resposta do autor:

Oi Patty,

pois é, o problema é que Luisa também tava carente aqui sozinha né? Será que tem desculpa? Xiiii, acho que Carol tem um longo caminho pela frente!



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.