O amor e suas conquistas por Bia Ramos

Assisti ao filme, adormecendo logo em seguida no sofá mesmo, acordei na manhã seguinte, não sentia vontade de ir para escola, não tinha um motivo para ir hoje o qualquer outro dia daquela semana, uma vez que Jéssica não estaria lá, enfim, precisava ir, tinha responsabilidades, levantei a contragosto, tomei um banho e me arrumei pegando a chave do carro, ainda chovia e pelo jeito não iria parar de chover a um bom tempo.

Peguei o café no caminho seguindo para escola, quando cheguei o tomei na companhia de Bianca que estava bem humorada naquele dia, segundo fiquei sabendo começara a sair com alguém, mas não entrou em detalhes, fiquei feliz por ela, merecia alguém que a fizesse feliz.

O dia passara se arrastando, alunos chegavam e saiam, aquela quarta-feira fora a pior em semanas, finalmente o dia acabou e fomos embora, passei para dar um oi rápido para Ricardo, Amanda não estava, iria apenas três vezes na semana, segunda, terça e sexta, conversamos pouco tempo, logo fui pra casa.

No dia seguinte também nada muito interessante acontecera, mas passou mais rápido que o dia anterior, quando estava a caminho de casa lembrei que tinha esquecido meu notebook na escola e precisava enviar um e-mail importante no dia seguinte e estava sem computador em casa, mas não iria voltar passaria amanhã para pegá-lo.

Cheguei em casa tomando um banho e mais uma vez me vi em frente à televisão, aquela sensação ruim de ficar sozinha sem ao menos alguém para conversa, fiquei por ali assistindo, mas nada me prendia na televisão, fui para o quarto, agarrei um travesseiro e logo adormeci, ainda bem que ultimamente andava muito cansada e adormecia logo.

Sexta-feira chegou acordei tarde, levantando quase na hora do almoço, liguei para Ricardo para saber se ele almoçaria comigo, não ficaria ali sozinha mais uma vez, segui para escola encontrando-o na porta, entrou no carro e seguimos para um restaurante, almoçamos e conversamos bastante, demos muitas risadas, deixei ele na escola e segui para o dentista, tinha horário marcado.

Quando sai de lá, fui para escola, passei para avisar o Ricardo que estaria por ali e segui para minha sala, naquela sexta-feira desmarcamos a reunião e as manutenções do dia, não queria me preocupar com nada naquele momento, mandei o e-mail e estava de saída quando notei que um computador onde era aplicado o curso estava ligado, ascendi à luz e fui desliga-lo, mas estava dando tela azul e reiniciava novamente.

-Perfeito! Era só o que me faltava.

Coloquei minha bolsa na mesa pegando o material de manutenção no armário, abri o computador limpando a memória e o religuei, estava dando looping quando reiniciava, peguei meus cd’s de recuperação e fiquei uma hora ali arrumando aquele computador que instalara um vírus que dera trabalho para retirar.

Peguei meu telefone que estava tocando, era Bianca para combinarmos sobre a manha seguinte, aproveitando informei o que acontecera, ficamos conversando por algum tempo, mas logo desliguei o telefone e senti que não estava sozinha na sala, olhei em volta e lá estava Amanda me observando da porta.

Ela sorriu entrando na sala, dizendo:

-Ricardo disse que a encontraria aqui.

-Pois é, vim resolver um problema e me deparando com outro.

-Sério?

-Tudo bem eu já resolvi, mas e você, o que faz por aqui tão cedo?

-Vim para uma reunião no quinto andar, passei para dar um oi ao Ricardo e ele comentara que você estaria aqui, gostaria de falar com você! Muito bonita sua escola, bem agradável aqui.

-Obrigada! O que gostaria de falar comigo?

-Sempre direta!

-Desculpa!

Chegou perto o bastante para eu sentir o calor que exalava de seu corpo, mas dei um passo para trás sorrindo sem jeito, ela pegou em meu braço perguntando:

-Está fugindo de mim Bia?

Ela falava docemente, dava para ouvir de longe as batidas de meu coração, ela ainda mexia com o meu corpo, constatei sem dúvidas, sorri e respondi:

-Não estou fugindo de você, acontece que você tem uma forma diferente de me abordar, e por isso eu me afasto na defensiva.

-Ainda está muito sentida comigo?

-Não foi fácil superar se é isso que quer saber!?

-Desculpa Bia, não estava preparada para viver uma relação tão intensa como a qual estávamos vivendo, de repente me vi envolvida com aquela professora.

-Entendo, acho que fui à única naquela faculdade que não me sentia atraída por essa professora, todo o nosso pessoal a olhava cobiçando-a, mas apenas você foi capaz de tê-la em seus braços.

Ela sorriu sem jeito e se afastou um pouco, mas continuou a olhar em meus olhos, percebi que meus olhos me traiam quando percorreu o corpo dela, mas também não sou de ferro poxa e ela percebera e se aproveitara disso chegando mais perto novamente sussurrando:

-Podemos marcar algum programa Bia, sair para conversarmos?

-Ah...

-Vamos lá Bia, você está solteira eu também, vamos nos divertir um pouco, que tal esse final de semana?

-Não posso, tenho uma festa de família para ir.

-Está com desculpas.

-É sério, aniversario de meu irmão vou pra casa de minha mãe amanhã cedo.

Ela sorriu me prendendo a mesa, não se alto convidou porque lembrou ao certo que minha mãe deixara bem claro que não a queria ver mais, estava tão próxima que mal percebi que alguém nos observando da porta, aquilo me deu forças para me afastar dela, tossindo meio sem jeito perguntei:

-Jéssica? O... O que faz aqui? Pensei que fosse voltar só na segunda-feira?

-Desculpa, não quis atrapalhar, cheguei agora a pouco e lembrei que precisava pegar um documento importante que esqueci aqui.

Ela olhava de Amanda para mim, percebi a tensão e perguntei:

-Lembra de Amanda, ela almoçou conosco naquele dia?

-Claro, tudo bem?

Ela foi gentil, mas percebi que estava relutante, esclareci:

-Amanda está dando aulas com o Ricardo, e passou aqui para...

Não tive palavras, fora Amanda que veio ao meu socorro:

-Para dizer um oi, mas tenho que ir agora, vai pensar no que eu falei Bia?

-Si... sim.

-Ok, até logo então!

Ela me deu um beijo no rosto e saiu, acenando um adeus para Jéssica que ficou observando ela ir, depois olhou para mim, com olhar indiferente, sorri sem graça dizendo:

-Precisa de ajuda?

-Não, tudo bem, eu só vim pegar uns papeis! E você o que faz aqui hoje?

-Esqueci meu notebook ontem e precisava mandar um email importante e como estou sem computador em casa tive que passar aqui para fazê-lo e acabei ficando de castigo e tive que arrumar um computador com defeito.

-Espero que nada grave!? 

-Não tudo bem, já resolvi.

Ela sorriu passando a mão nos cabelos ajeitando a bolsa, me aproximei e disse:

-Desculpe pela cena, ela apareceu de repente aqui e quando vi...

-Tudo bem Bia, não me deve desculpas, se me der licença vou pegar o documento em minha sala.

-Jéssica?

Olhei por um instante, mas apenas sorri dizendo:

-Não é nada não...

Ela assentiu com a cabeça virou as costas e se foi, fiquei observando até ela entrar na sala dela então praguejei audivelmente:

-Que droga Amanda, porque você tinha que vir aqui?

Estava me sentindo muito culpada, em um dia estava pensando em conquistá-la no outro nem ao menos consigo falar com ela, acabei passando a mão em um mouse próximo e arremessando longe, grande vacilo meu, burra, burra, burra... Estava abaixada pegando o que sobrou do pobre mouse no chão quando Jéssica surgiu novamente perguntando:

-Tudo bem Bia, ouvi barulho de algo quebrando?

-Desculpa, acho que me empolguei um pouco!

-Você está ok? Parece nervosa?

-Estou bem obrigada.

Ela ficou ali me avaliando, terminei de pegar os pedaços do mouse do chão jogando-os no lixo, ela estava me intimidava, ninguém jamais me intimidou daquela forma, passou a mão na bolsa dizendo:

-Se quer um conselho, deveria ir atrás dela, se ainda gosta tanto dessa moça deveria esquecer o que passou e tentar novamente.

Olhei para ela com a sobrancelha arqueada e não disse nada, apenas fiquei olhando ela ir embora pensando que aquele meu nervosismo era por conta de ainda gostar de Amanda, encostei-me a parede escorregando até o chão sussurrando:

-Deus...

Fiquei parada ali por um bom tempo até meu celular tocar, era meu irmão querendo saber que horas nós iríamos no sábado, o tranquilizei confirmando minha presença e de Bianca, ele desligou, levantei passando a mão em minha bolsa, fechei tudo apagando a luz e saí, anoitecera e no caminho resolvi não passar no Studio de Ricardo para evitar a Amanda.

Fui em direção ao elevador e apertei o botão esperando ele subir perdida em pensamento apertei o botão novamente estava impaciente, quando ele abriu entrei esbarrando em uma pessoa que estava saindo e se não a tivesse segurado teria caído comecei a falar:

-Desculpe não vi que...

Parei no meio do caminho com a mulher em meus braços olhando-me confusa, constatei imediatamente que ela cabia perfeitamente ali, meu coração disparou Jéssica com um ar leve e divertido apenas disse:

-Tudo bem... Acidentes acontecem.

E sorriu, ela não deveria sorrir daquele jeito para mim, toquei de leve seu rosto, ela simplesmente fechara os olhos, não esperando um segundo convite eu a beijei e ela não me afastou, simplesmente jogou os braços em meu pescoço retribuindo o beijo como se já esperasse por ele.

Desci minhas mãos pelas costas dela segurando firme sua cintura trazendo-a de encontro ao meu corpo, ela parecia pequena e indefesa em meus braços, encostamos-nos à parede intensificando mais o nosso beijo, éramos somente nós duas naquele momento, me atrevi a explorar suas curvas deslizando minhas mãos pelo seu corpo.

Ela também explorava meu pescoço e passeava as mãos delicadamente em meu rosto, senti um desejo explodir dentro de mim e minha respiração oscilar, quando percebi o que nós estávamos fazendo era tarde de mais, mas não parei intensificando mais nosso  beijo e ela apenas retribuía, apertei-a em meus braços e a suspendi um pouco no ar, quando paramos de nos beijar dei-lhe uns selinhos e ela encostou  testa em meu rosto só tive força para sussurrar entre um beijo e outro em seu pescoço:

-Quem é você mulher?

Encostei minha testa na dela soltei seu corpo apoiando as mãos na parede e fiquei com os olhos fechados, não tive forças para me afastar então me aproximei mais insinuando meu corpo ao dela arrancando gemidos de seus lábios, ela deslizava as mãos em meu pescoço me fazendo arrepiar de desejo, sussurrei em seu ouvido:

-Achei que isso nunca aconteceria.

Ela abriu os olhos e me encarou, mas nada falou, olhava-me séria e sorrindo sem jeito afastei um pouco meu corpo do dela dizendo constrangida:

-Desculpa, normalmente não saio agarrando as pessoas nos corredores por ai, não tenha uma visão distorcida de minha pessoa.

O elevador apitou abrindo, nós afastamos e dele saindo algumas garotas, alunas de Ricardo, me afastei de Jéssica me recompondo, parecia uma colegial descobrindo o sexo pela primeira vez, as garotas nos cumprimentaram, sorri sem jeito, depois que elas se foram puder voltar ao normal suspirei e disse:

-Agora fiquei sem graça, não sei o que dizer!

-Acho que nós nos empolgamos um pouco, eu também não sei explicar o que aconteceu.

Inspirei fundo e a olhei, minha vontade era de tomar os lábios dela mais um vez e sentir o seu sabor em minha boca, mas ela foi mais rápida e disse:

-Acho que forcei você a fazer algo que não podia, gostaria de pedir desculpa e dizer que isso não mais se repetira.

Senti algo na voz dela, a certeza de que ela cumpriria cada palavra, eu estava caidinha por ela e não tinha ideia do que iria fazer, segurei suas mãos e disse:

-Não forçou nada não, eu também queria, foi maravilhoso.

-Foi maravilhoso sim, mas vejo que você ficou confusa!

-Não fiquei confusa... Só não sei explicar o que aconteceu comigo.

Não consegui explicar o que se passava comigo e ela apenas assentiu com a cabeça desviando seu olhar do meu e se afastando, eu burra não tive forças de dizer-lhe novamente sobre minha atração por ela, estava com medo da rejeição?

Talvez, por isso fiquei entre o medo de me machucar mais uma vez e a vontade de dizer tudo o que se passava comigo, ela comentara:

-Talvez ainda tenha outra pessoa em seu coração?

-Não existe outra pessoa, na verdade não existe ninguém.

-Mas e Amanda?

-Ela acha que poderemos voltar algum dia!

-E você o que acha disso?

-Não irá acontecer, embora ela saiba disso e não queira assimilar, eu só...

Ela entendera em parte o que se passava comigo, talvez tenha passado por algo parecido, nos olhamos por alguns minutos e ela apenas disse:

-Poderia me acompanhar até minha sala, esqueci as chaves e acabei esquecendo o documento eu que vim buscar mais cedo.

Olhei para ela concordando com a cabeça, peguei minha bolsa que caiu no chão e a acompanhei até sua sala, quando passamos em frente ao Studio de Ricardo o vi conversando com uma aluna, ele acenou sorrindo, retribui piscando, Jéssica perguntou assim que chegamos à escola enquanto eu abria:

-Conhece o Ricardo há muito tempo?

-Desde a faculdade, nos tornamos bons amigos, juntamente com o Fábio.

-Sim, meu irmão tem muita admiração por você.

-E eu por ele, o amo como a um irmão.

-Entendo.

Ficamos em um silencio onde ela avaliava meus movimentos até demais, com medo de perder o controle novamente suspirei dizendo:

-Preciso ir.

-Não quer conversar sobre o que aconteceu?

-Talvez em outro momento?

-Ok!

-Obrigada, pode ficar com minhas chaves, pego com você na segunda, não irei usá-la mais.

-Ah, tah... Obrigada, vou procurar não esquecer mais as minhas mais.

-Unhum... Boa noite e bom final de semana.

-Obrigada pra você também!

Sai da sala dela como se fosse uma criança desesperada para achar os pais, eu precisava esfriar minha cabeça e foi o que eu fiz, corri para o carro liguei acelerando-o o máximo que eu poderia para chegar logo em casa, o guardei na garagem e fui pra casa.

 

Tomei um banho gelado e fiquei por algum tempo lá, quando sai do banheiro fui direto para a cama e adormeci, dormi não sei quanto tempo e quando acordei fiquei na escuridão de meu quarto, abraçada com um travesseiro, meu telefone tocou mais não queria falar com ninguém...

Notas finais:

Obrigada...

Até a próxima!!



Comentários


Nome: cidinhamanu (Assinado) · Data: 05/12/2016 21:52 · Para: 9º Capítulo – O primeiro beijo

Meus parabéns, até então bem escrita, delicada e com um teor de profundidade que me encanta muito mesmo.



Nome: rhina (Assinado) · Data: 10/10/2016 21:57 · Para: 9º Capítulo – O primeiro beijo

Olá 
Boa tarde. 
Bis zonza. ...aérea. ...perdida em si mesma.
O coração alucinado. ...o beijo....não pensou....beijou e ....
Jéssica não usa palavras. ...E sim ações. ..não esclarece não cobra...não indaga...
E tudo fica mais nublado 
Beijos 
Rhina


Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.