Desejo e loucura por Lily Porto


[Comentários - 152]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

 

Carolina

Pedi a governanta que providenciasse a mala do Antenor e mandasse levar para a prefeitura. Peguei o carro e sai, precisava dar uma volta. Decidi visitar meu irmão, hoje é segunda, e ele tira o dia de folga para descansar e resolver tudo o que não consegue durante a semana.

– Olá primeira dama, a que devo a visita? – falou me abraçando.

– Oi Cadu, vim conversar um pouco. Estava ficando sufocada naquela casa.

– Entra! Senta, – apontou na direção do sofá – vou preparar um suco para nós.

Fiquei na sala olhando umas fotos que estavam espalhadas por ali, meu irmão tem paixão por fotografia. Na época que prestou vestibular ficou tentado entre gastronomia e fotografia, mas a paixão pela culinária falou mais alto. Então a fotografia virou seu hobby, a cada ano escolhe um país e uma cidade aqui no Brasil, para conhecer e fotografar, as fotos que ele tem aqui na sala foram tiradas nesses lugares que já visitou.

Na adolescência planejávamos conhecer o mundo juntos, eu, ele e a Agnes, mas ela foi embora, eu resolvi casar cedo, e ele seguiu com o plano. Quer dizer, em muitas dessas viagens por outros países ela foi com ele, tem umas fotos deles juntos espalhadas por aqui.

– Algum problema? – ele entrou na sala me entregando um copo.

– Estava só olhando suas fotos com a Agnes.

– Ela é muito fotogênica, e quando está em locais claros, as fotos ficam ainda mais lindas, com o contraste de seus olhos.

– Ela é linda de qualquer forma – falei admirando uma foto dela sozinha que encontrei em uma moldura que continham mais 4 fotos deles juntos, além da que me encantei.

– Vem cá – bateu no sofá. – O que realmente te trouxe aqui?

Sentei ao lado dele, respirei fundo e disse em tom de suplica:

– Preciso conversar com ela, me ajuda!

– Para Cal, já disse pra não ficar atrás da Ag. Deixa ela em paz.

– Sério Cadu, me ajuda vai! A conversa pode ser aqui, eu só quero saber porque ela me trata com tanta frieza. Éramos amigas antes dela ir embora, poxa. Eu sinto saudade dela também.

– Ah, você não lembra porque ela te trata assim! Cada uma Carolina, me poupe dessa sua loucura. Você só pode... – a campainha tocou e ele foi atender ainda falando – ter perdido o resto do juízo que tinha.

Fiquei sentada ainda observando as fotos, logo ouvi uma voz diferente da dele e passos pelo corredor principal.

– Fique a vontade, vou pegar um copo de suco pra você.

Ele passou para a cozinha e ela parou na entrada da sala, estava sorrindo, mas ao me ver seu sorriso morreu nos lábios.

– Boa tarde! – disse de forma seca.

– Boa tarde Agnes, como vai? – sorri.

– Cadu, não queria atrapalhar, achei que estivesse sozinho. Vou indo, depois conversamos.

– Espera Ag. Toma o suco pelo menos, é o seu preferido – entregou o copo a ela.

– Golpe baixo, sabe que sou louca por seu suco de pêssego – sorriu.

– Agnes, eu queria conversar com você...

– Não temos nada para conversar, Carolina. Cadu, – entregou o copo – obrigada pelo suco. Depois te ligo.

– Fica mais um pouco.

– Não posso! Lembrei que preciso fazer algumas coisas.

– Você só vem aqui de pulo mulher – gargalhou.

– Bobo. Prometo que te recompenso em outro dia, mas agora, não dá mesmo – beijou o rosto dele.

– Agnes, eu quero conversar contigo – falei mais alto pra chamar a atenção dela, que já estava a caminho do corredor.

– Não me recordo de ter nada pra conversar contigo, já disse. Tenha uma ótima tarde, tchau.

Meu irmão a acompanhou até a porta e voltou sorrindo, dizendo de forma debochada:

– E eu achando que precisava defendê-la de você.

– Me erra Cadu. Que merda! Porque ela precisa ser assim? Aff.

– Ela está vacinada contra você irmãzinha, desencana.

– Me poupe! Ela ainda vai aceitar conversar comigo. Você vai ver.

– Eu duvido muito que isso aconteça. Mas já que quer se iludir, fica a vontade!

– O que foi que eu fiz de tão ruim assim, pra ela não querer falar comigo? Me diz!

– Exame de consciência não existe no seu vocabulário, não é mesmo?!

– Que papo é esse?

– Carolina, – me olhou sério – quando foi a última vez que conversou com a Agnes?

– Naquela tarde no casebre, você estava lá também. Deve lembrar.

– E como foi a conversa?

– Normal!

– Tem certeza?

– Vai me dizer, que não ter aceitado ir embora com ela naquela época, foi errado? Ahh Cadu, me poupe, a Ag, não tinha onde cair morta naquela época, ou melhor, cair viva, porque morto cai em qualquer lugar. E você sabe que o papai ameaçou me deserdar se continuasse a manter relações com ela. Mas ela poderia ter esperado, eu ia ficar com ela de qualquer forma, só não casaria.

– Você é louca, nunca que uma mulher como a Agnes se submeteria a uma relação maluca como essa que você queria oferecer. Isso não seria aceito por ela na juventude, imagina agora. Se é sobre isso que quer conversar com ela, desista.

– Vamos ver se ela não vai mesmo aceitar!

– Carolina, não ouse magoar a minha amiga outra vez.

– Me erra Cadu! Não quer ajudar, não ajuda. Mas também não atrapalha. – falei de forma ameaçadora – Não se meta no meu caminho.

– Você é louca – continuou seu caminho pra cozinha.

Fiquei mais um tempo na casa dele, e mudamos o foco da conversa para o aniversário de casamento dos nossos pais. No final da tarde eles ligaram nos convidando para tomar o café da tarde com eles. Em poucos minutos seguimos para lá. Tive um final de dia agradável, mas teria sido ainda melhor se aquela conversa com a Agnes tivesse dado certo.

Era muita frieza pra uma pessoa só. Será, que ela ainda guardava mesmo magoa daquela conversa que tivemos a anos atrás? Será que ela não podia entender, que naquela época não podíamos assumir um relacionamento? Não tínhamos nada nosso, éramos totalmente dependentes das nossas famílias, e por mais que seus avôs apoiassem, na época, eles não passavam de meros vinicultores que trabalhavam para manter seus sustentos. Enquanto minha família sempre foi rica.

Seria uma mudança muito grande pra mim. Meu pai deixou bem claro que se eu continuasse com ela sofreria as consequências. Não podia ir contra ele, não naquele momento. E ela ao invés de me entender, fez o que? Se afastou, foi estudar e nunca mais me procurou. Voltou a cidade a pouco mais de dez anos, mas nem se hospedou aqui, depois que a vó fora enterrada, ela foi embora. Nem consegui vê-la, estava em uma viagem oficial, com o Antenor.

 

Clara

– Que droga! Ele não poderia ter feito isso comigo. Vivia me fazendo juras de amor. Merda, eu vi os sinais e preferi não prestar atenção... droga, droga, droga...

– Calma Clarinha. Não é o fim do mundo.

– Como não Liu, como não? Eu estou plantada a quase 4h aqui esperando ele. E quando ligo, uma mulher atende dizendo que é a namorada dele. E pior foram as fotos que chegaram depois, maldita hora que pedi pra que ela provasse aquela história.

Estava completamente descontrolada e com a maquiagem toda borrada, Lívia me abraçava tentando me acalmar dizendo:

– Clarinha, não fica assim. Ele não te merecia e foi melhor acontecer agora que depois do casamento. Tenta se acalmar, você precisa falar ao menos com seus pais. Pode deixar que com o padre e convidados eu falo...

Levantei e sai dos seus braços.

– Desculpa, mas não posso continuar aqui.

– Mas pra onde...

Sai suspendendo o vestido e arrancando o véu. Fiz sinal para o primeiro taxi que passou na frente da igreja. Antes de entrar nele ainda consegui escutar Lívia gritando meu nome, mas não parei. O motorista perguntou pra onde eu queria ir, naquele momento eu só queria sumir. Mas tinha um lugar que gostava muito de ir desde que vim morar aqui, dei o endereço a ele e seguimos pra lá.

Cerca de uma hora depois chegamos ao local, como estava sem um tostão no bolso e ele me conhecia, disse que a corrida tinha sido por sua conta “que sabia que noiva saindo correndo da igreja não era coisa boa”, me dirigiu um olhar caridoso e se despediu.

Dei a volta na propriedade e fui para o roseiral que tinha nos fundos. Estava sentada chorando, quando ouvi passos, assustada levantei, em anos frequentando aquele lugar nunca tinha encontrado ninguém por ali. Olhei de um lado e de outro e não vi ninguém. Resolvi trocar de lugar, estava num estado horrível para ser vista por alguém.

O barulho cessou e me distrai com as flores por ali. Como pode um lugar lindo como esse, não ter ninguém para cuidar? Me distrai com esses pensamentos e esqueci que poderia não estar sozinha. Quando senti um toque no ombro que arrepiou meu corpo inteiro, olhei pra trás assustada e me desequilibrei caindo em seus braços.

– Você?

– Olá moça! Não deveria estar na igreja?

Me ajudou a ficar de pé, e passei a mão no rosto envergonhada. Ela estava sorrindo, com uma calça jeans, botas cano curto, camisa de manga comprida e boné... nossa! Estava diferente, se não fosse o sorriso e as curvas visíveis mesmo na camisa larga, diria que era um garoto.

– Ei, Clara? Tá tudo bem?

– O que? – sacudi a cabeça – Desculpa Agnes, não te escutei.

– Perguntei se você estava bem, mas não precisa responder – me mostrou o celular com a foto da Lívia aparecendo em uma chamada.

Lhe dirigi um olhar de suplica pedindo:

– Por favor, não diz a ela que estou aqui! Ao menos, não agora. Não quero explicar nada a ninguém.

– Ok! – colocou a chamada no viva voz – Oi Liu.

– Agnes, por um acaso você viu a Clara?

– Não, eu tô na minha futura casa. Cheguei aqui no início da tarde.

– Por favor, se você encontrar com ela, pede pra me ligar – deu pra sentir a preocupação em sua voz.

– Pode deixar.

– Obrigada, até mais, beijo.

– Beijo.

Ela guardou o celular no bolso e ficou me olhando. Então aquela casa agora era dela! Mas era uma casa antiga, será que ela tinha comprado depois que chegou ao Brasil, ou já tinha antes de sair daqui? Olhei pra ela balançando a cabeça... instantaneamente senti uma tontura, pisquei os olhos e me desequilibrei, mais uma vez ela me segurou.

– Clara, vamos entrar! Você tá pálida e fria.

Ela encostou a mão em meu pescoço e senti um calafrio percorrer meu corpo, a tontura piorou e minha visão escureceu...

 

Notas finais:

Oiie, mais uma vez obrigada pela companhia e por me dizerem o que estão achando da história.

Bjs



Comentários


Nome: Tekaxaviers (Assinado) · Data: 04/05/2018 23:27 · Para: Capitulo 8 - Carolina / Clara: Me escuta!

É descobrir uma traição já é dolorosa e prestes a dizer sim no altar deve ser pank. E a Agnes no lugar certo na hora certa que blz.



Resposta do autor:

Olá, moça.

Pois é, nada fácil pra Clara. Mas, lá estava a Agnes, para salvá-la. E que "salvamento" viu, rsrs.

Se cuida querida, bjs.



Nome: dannivaladares (Assinado) · Data: 26/04/2018 20:24 · Para: Capitulo 8 - Carolina / Clara: Me escuta!

Ain que final fofo!

Agnes a salvadora das noivas perdidas. Adorei!

 

---- 

 

Carolina continua a não descer pela minha garganta.

 

Att,

D. Valadares ;)



Resposta do autor:

Oiie!

Agnes é bem fofa, né! 

Calhou delas se encontrarem, e a Clarinha se "sentiu" segura com ela.

 

Nem tenta Danni, a coisa pode não ser boa.

Se cuida, bjs.



Nome: patty-321 (Assinado) · Data: 31/03/2018 04:20 · Para: Capitulo 8 - Carolina / Clara: Me escuta!

Tadinha.



Resposta do autor:

Oiie Patty!

A Clara passou por uma situação bem chata, além de complicada. 

Mas ela vai superar... e espero que brevemente.

Bjs.



Nome: mtereza (Assinado) · Data: 30/03/2018 02:53 · Para: Capitulo 8 - Carolina / Clara: Me escuta!

Poxa coitada da Clara descobrir no altar e esse desmaio será que ela está grávida xau mocm feliz Páscoa



Resposta do autor:

Oiie Tereza!

Essa descoberta foi bem dolorosa pra Clarinha... estava no altar já!

Esse desmaio foi estranho, vamos ver o que aconteceu depois dele...

Obrigada querida, feliz Páscoa pra ti também! Bjs



Nome: Pipoca ramos (Assinado) · Data: 28/03/2018 22:31 · Para: Capitulo 8 - Carolina / Clara: Me escuta!

AAhhhhh coitada da clarinha justo no dia do casamento ela descobre essa canalhice,mas por outro lado fico mto feliz pq agora o caminho tá livre pra Agnes *-*

Amei a surpresa viu autora ?????

Ficando verde aqui pra esse noivo safado.

Bjsss até o próximo 



Resposta do autor:

Bom dia Pipoca, tudo bem?

Foi uma baita decepção mesmo. Ei moça, lembrando que a Agnes tá em um rolo ai com a Liu ainda viu, calma lá, rsrsrsrs. Vamos ver como as coisas acontecerão de agora em diante.

Fico feliz que tenha gostado.

Menina, respira e inspira, relaxa... calma. Isso ai, rsrs.

Se cuida, bjs.

 



Nome: Mille (Assinado) · Data: 28/03/2018 18:18 · Para: Capitulo 8 - Carolina / Clara: Me escuta!

Oi Lily

Nossa a Clara descobrir no dia do casamento que tem chifres.

Pelo menos está segura com a Agnes.

Bjus e até o próximo capítulo 



Resposta do autor:

Bom dia Mille, tudo bem?

Menina, foi uma surpresa e tanto ai viu. Mas foi bom ter acontecido antes mesmo essa descoberta.

Ela encontrou a Agnes, mas teve alguma coisa ai no final. Vamos ver o que aconteceu logo, logo.

Bjs querida, se cuida.



Nome: Baiana (Assinado) · Data: 28/03/2018 17:51 · Para: Capitulo 8 - Carolina / Clara: Me escuta!

Mas menino,a Clara ainda chegou no pé do altar? Então pq motivo, razão e circunstâncias ela não esperou a hora do sim e respondeu com um sonoro NÃO e e explicasse o motivo? Ela bobeou nessa,pelo menos ela achou a pessoa certa no caminho



Resposta do autor:

Bom dia Baiana, tudo bem?

Mulher, a moça ficou quase 4h plantada esperando o estafermo aparecer, e ele nem se deu o desfrute disso.

Quando ela tentou entrar em contato descobriu toda a "podridão" que ele estava ocultando.

Ela encontrou a Agnes, mas algo aconteceu com ela ai no final. Bora ver no que vai dar isso ai.

Bjs querida, se cuida.



Nome: duarte (Assinado) · Data: 28/03/2018 17:19 · Para: Capitulo 8 - Carolina / Clara: Me escuta!

Foi tão rápido aaaaaa



Resposta do autor:

Bom dia Duarte, tudo bem?

Foi rapidinho né, rsrs, foi por conta da decepção da Clarinha...

Prometo que o de amanhã será um pouquinho mais demorado, tá.

Se cuida querida, bjs.



Nome: Lili (Assinado) · Data: 28/03/2018 05:11 · Para: Capitulo 8 - Carolina / Clara: Me escuta!

Pqp no dia do casório descobre que levava chifre e fodis.



Resposta do autor:

Bom dia Lili, tudo bem?

Então, a Clarinha teve uma decepção grande ai, o tão esperado dia não foi nada agradável.

Vamos ver o que ela fará depois dessa descoberta no altar.

Bjs querida, se cuida.



Nome: irany (Assinado) · Data: 28/03/2018 03:39 · Para: Capitulo 8 - Carolina / Clara: Me escuta!

Eita, será que rola um beijo no próximo capítulo ? Kkk



Resposta do autor:

Bom dia Irany, tudo bem? Seja bem vinda por aqui.

Menija, eu tô curiosa pra ver se esse beijo sai também viu, rsrs.

Mas algo me diz que a Agnes não vá tentar nada, afinal, a Clara tá abalada com o que aconteceu... mas vamos ver, tudo pode acontecer né.

Obrigada pela companhia, se cuida, bjs.



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.