Última noite de amor por Vandinha


[Comentários - 1262]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

 

Última Noite de Amor -- Capítulo 73

 

As luzes foram acesas e para surpresa de todos Thifany e Thiago estavam ao lado de Valéria no palco.

-- Tia Isa! Quer casar com a nossa mãe Xanda?

Isabel cobriu o rosto com as mãos. Foi impossível controlar o choro.

-- Aceita tia, aceita -- as crianças pediram juntas.

-- Aceita, aceita, aceita -- o publico pedia em uma só voz.

-- Se você não aceitar... Eu e os Girandinhos vamos lhe raptar e a levar para a ilha da barata fantasma -- Alexandra parou ao lado de Isabel com um sorriso aberto que mostrava as covinhas.

-- Xanda! -- ela sorriu lentamente enquanto tentava assimilar o pedido -- Aceito, meu amor. Claro que eu aceito -- os olhos dela se encheram de lágrimas e ela pulou no pescoço de Alexandra e a encheu de beijinhos pelo rosto -- Não há nada neste mundo que eu queira mais do que casar com você!

Depois do sim de Isabel todos comemoraram. Salva de palmas acompanhadas de gritos e assovios por toda a boate. Os amigos que ainda estavam na mesa choravam de emoção.

-- Desçam pirralhos, já conseguiram convencer a tia Isa a ser a mãe de vocês.

Van Damme desceu a cadeira de Thiago e a estacionou próximo das duas.

-- Ó mãe Xanda -- Thiago entregou uma caixinha de veludo para Alexandra.

-- Obrigada Thiaguinho. Já ia me esquecendo.

Alexandra abriu a caixa deixando a mostra o anel, um lindo e imenso brilhante.

Quando viu o anel, Isabel ficou encantada. Os olhos dela brilhavam como cristal. Não pelo valor material que deveria ter, mas pelo que representava: Era seu anel de noivado.

Alexandra colocou o anel no dedo anular da mão direita de Isabel e o levou até os lábios beijando-o com doçura.

-- Amo você Isa, muito mais do que pensei ser possível amar alguém.

Isabel tocou o rosto dela e esboçou um sorriso molhado de lágrimas.

-- Quando eu disse na música que quero ter um futuro com filhos e bichinhos eu queria dizer futuro sob todos os ângulos, cada dia e cada minuto. Sei que a vida é complicada, às vezes as coisas não saem do jeito que planejamos, mas posso prometer que você terá sempre o meu amor.

-- Não existe nada em mim que não seja totalmente apaixonada por você. Quero um mundo ao teu lado Xanda.

O beijo foi lento e suave, cheio de amor e juras de eternidade.

Novamente a escuridão. E as luzes metálicas agora riscavam o ar desenhando coraçõezinhos coloridos.

A voz grave voltou a encher o ambiente anunciando com entusiasmo:

-- Girassooollll Rosaaaa...

O solo de guitarra fez a introdução de mais uma canção e a bela voz de Valéria tomou conta do lugar.

Isabel abraçou e beijou as crianças.

-- Que saudade meus anjos! Eu amo muito vocês -- os olhos dela estavam úmidos, e a voz era mansa.

-- Nós também amamos você mamãe Isa -- falaram.

Isabel emocionou-se profundamente ao ser chamada de mamãe. Aquela naturalidade infantil de se adaptarem tão rapidamente a nova realidade a deixou admirada e muito feliz.

-- Mãe Xanda -- Thiago puxou a roupa de Alexandra -- Quero sorvete.

-- Eu também quero mãe Xanda -- Thifany imitou o gesto do irmão.

-- Babá Damme leva as crianças até o escritório e pede para a Arlete levar sorvete para eles.

-- Ebaaaa... -- os irmãos vibraram.

-- Xanda! Não é hora pra sorvete -- mesmo sorrindo Isabel chamou sua atenção.

-- Só hoje vida. Prometo.

Isabel concordou balançando a cabeça e olhou para as crianças.

-- A partir de amanhã quem cuidará da alimentação de vocês sou eu.

Van Damme saiu empurrando a cadeira de rodas por entre a multidão que dançava embalado pelo Girassol Rosa.

-- Nunca mais faça isso dona Xanda -- deu um soco de leve no ombro da empresária e se afastou um pouco -- Me deixou quase louca.

Alexandra agarrou sua cintura e a puxou de volta.

-- Mas foi você minha bravinha quem me mandou fazer um curso e voltar a lhe procurar só quando estivesse com o diploma em mãos. Então, eis-me aqui.

-- E quem foi esse excepcional professor?

-- Foi a doutora mediúnica, afinal, ela é pós-graduada. Tem quatro filhos adotados e um biológico. O que você acha?

-- Eu te acho o máximo -- Isabel pegou Alexandra pela gola da camisa social branca que vestia e selou seus lábios num beijo calmo e quente.

-- Poderosíssimaaaa... -- Uma voz excessivamente grave ecoou em seus ouvidos.

-- Ai meu Deus! -- Alexandra revirou os olhos e falou entre os lábios de Isabel -- Adivinha quem é?

-- Viu como eu sei guardar segredo? -- colocou as mãos na cintura.

-- Essa para você deve ter sido a semana mais longa da história das semanas do mundo -- Alexandra abraçou Isabel por trás, passando o braço em volta da sua cintura.

-- Foi mesmo! Sabia vice-poderosa que serei promovido a gerente-geral das três boates? -- olhou para Alexandra de soslaio.

-- Sério? -- Isabel fingiu estar surpresa.

-- Sério. Com todo mérito, lógico -- disse, olhando com uma indiferença afetada para as suas unhas -- Bem, deixaremos os negócios para amanhã. Que tal se formos para a mesa, o pessoal está louco para dar um abraço nas noivas.

Nesse momento ouviram um grito bem próximo de onde estavam parados e logo em seguida um burburinho se formou ao redor de uma pessoa caída no chão.

-- Socorro, por favor, ajude -- um rapaz mulato que estava ajoelhado ao lado da pessoa deitada, gritava, chorava, esperneava, arrancava cabelos.

-- O que aconteceu? -- Alexandra se aproximou e tocou no ombro do desconhecido.

-- Meu namorado engoliu a cereja que estava no drinque -- falou desesperado o mulato.

-- Meu Deus! -- Isabel exclamou assustada, levando a mão à boca -- Xanda faça algo amor.

-- Deixa comigo -- Alexandra puxou o coitado pelo braço com aquele jeitinho carinhoso que Deus lhe deu.

-- NÃOOO... -- André berrou.

Alexandra com o susto largou o rapaz no chão como um saco de batata.

-- Desse jeito você vai acabar de matar o pobre homem -- empurrou a chefe para o lado e começo a falar alto para todos ouvirem:

-- Nós precisamos de uma expert em primeiros socorros, uma perita em salvar vidas, uma profissional formada na melhor faculdade do Rio, com dez anos de experiência em enfermagem e pós-graduada em urgência e emergência -- André piscou para Tatiana que não pensou duas vezes e foi correndo até eles.

-- Afastem-se, por favor. Preciso de espaço -- empurrou os curiosos.

Tatiana colocou o rapaz sentado e posicione-se em um ponto que ficou quase ao lado dele. Deu um tapa vigoroso entre as omoplatas (ossos que ficam na parte de trás de cada ombro) com a faca da mão (a parte que fica entre a palma e o pulso). Fez uma pausa para conferir se a cereja havia sido expelida. Ainda não. Deu a segunda e nada. Na terceira a cereja voou na cabeça de Alexandra.

Foram escutados gritos, assovios, palmas, pessoas pulando.

-- Quem é a dona dessa boate maravilhosa? -- perguntou o mulato emocionado abraçado ao namorado.

-- É ela -- falou André apontando para Alexandra.

-- Sim, sou eu por quê?

-- Quero parabenizar e agradecer a essa equipe maravilhosa que você tem. Salvaram a vida do meu namorado -- pegou a mão de Alexandra e beijou -- Em lugar algum do mundo eu fui a uma boate que possuía uma profissional para prestar os primeiros socorros aos clientes -- Parabéns mesmo!

-- Poxa! Obrigada pelo reconhecimento. Nosso cliente está sempre em primeiro lugar -- Alexandra pegou Isabel pela mão e saiu pisando duro, toda orgulhosa e satisfeita.

Tatiana olhou para André um pouco decepcionada.

-- Ela podia ao menos ter me agradecido.

André deu uma gargalhada.

-- Você não a conhece -- enroscou o braço no braço da enfermeira e saíram caminhando -- A Alex adora quando elogiam os negócios dela. Ela quase explodiu de satisfação quando o Getúlio falou aquelas coisas. Amanhã mesmo ela vai lhe chamar para conversar. Pode ter certeza.

-- Será André?

-- Eu conheço aquela garota como a palma da minha mão. Meus planos, modéstia a parte, sempre dão certo.

-- Obrigada André -- ela lhe agradeceu com um sincero abraço.

-- De nada, você merece. Agora vamos curtir a festa que está animadíssima.

 

 

Na mesa.

 

 

-- Sempre tive o desejo de chegar para o meu filho de cara feia e falar: "Teremos uma conversinha quando chegarmos em casa".

-- Credo amor!

-- Acho isso tão ameaçador Isa.

-- A família de vocês é linda -- Simone falou enquanto levava o copo de bebida à boca.

-- Não é família, é "A Cosa Nostra".

-- Te mostro a "Cosa Nostra" mais tarde.

-- Hum! Delicia amor -- Alexandra deu um selinho rápido em Isabel -- Pode ter certeza que vou cobrar isso.

-- Chefe! -- Van Damme chamou de súbito em voz grave e solene.

-- Sim? -- Alexandra levantou os olhos do copo que tinha na mão e sorriu um pouco curiosa -- Algum problema?

-- O menino Thiaguinho dormiu.

Alexandra de imediato se levantou da mesa e o seu olhar procurou o de Isabel.

-- Acho melhor a gente ir embora amor. Amanhã damos os parabéns para Valéria.

Isabel agarrou-lhe na mão e conservou-a entre as suas.

-- Então vamos. Já passou da hora das crianças dormirem.

-- Amanhã nós vamos conhecer a família da doutora mediúnica. A esposa dela convidou a gente para o almoço -- Alexandra contou para os amigos.

-- Hiiii... Acho que você terá problemas Isa. A poderosa e a doutora juntas, sempre dá confusão.

-- Não se preocupe André. Se a Xanda se passar eu puxo a orelha dela.

-- Quem sabe se eu fosse...

-- Não, não -- Ramon interferiu -- Amanhã você prometeu para a cocó que iria passear com ela.

-- É verdade amor -- André concordou com Ramon -- Promessa é dívida.

-- Fica de olho na sua galinha André, mais dia menos dia vai aparecer alguém querendo comer ela.

-- Vamos Xanda -- disse Isabel impaciente.

Finalmente despediram-se com um aceno e saíram.

 

 

A Banda Girassol Rosa encantou o público em seu show, com direito a efusivos elogios da crítica.

A Banda foi ovacionada pela plateia. Do meio para o fim do show, o repertório foi em sua maioria um desfile de Pop Rock Nacional.

Após o show Valéria foi ao encontro dos amigos, mas na mesa só encontrou Janaína que estava distraída tomando um drinque.

-- Onde estão todos? -- puxou uma cadeira e se sentou ao lado dela.

-- Estão dançando. Olhe lá, parece um bando de loucos.

Valéria balançou a cabeça e acomodou-se melhor na cadeira.

-- Então? Gostou? -- perguntou com um sorriso trêmulo nos lábios.

-- Amei. Foi lindo. Perfeito! -- Janaína falou com um entusiasmo contagiante.

-- Sério? Você gostou mesmo? -- sorriu sentindo o rosto queimar de alegria.

-- Claro sua bobinha. Foi magnífico -- disse ela em tom meigo -- Tenho certeza que todos os presentes amaram.

-- O que você acha? Será que faremos sucesso? -- perguntou ela, abrindo ainda mais seu sorriso.

-- Será um sucesso estrondoso.

Valéria ficou a olhar para Janaína fixamente. A seguir, fechou os olhos, como se estivesse a memorizar os seus traços.

-- Foi uma noite de conto de fadas. Pena que meu encanto acabou a meia-noite!

Janaína sorriu.

-- Já passou da meia-noite, e para mim, você continua encantadora.

-- Obrigada! -- Valéria levantou ostensivamente os olhos para o teto e suspirou -- Pena que a vida real não seja tão mágica assim. Sempre fica alguma coisa faltando para a felicidade ser completa.

-- Até mesmo os contos de fadas têm um pouco de vida real, então cabe a nós colocarmos um pouco de magia na vida também.

-- Vamos sair daqui? -- Após ter falado Valéria respirou fundo, recuperou a compostura, pôs os ombros para trás e levantou o queixo -- Desculpa. Eu sou uma boba mesmo. Lógico que você não vai querer sai daqui.

-- Quero sim.

-- Quer?

-- Sinceridade? Estou louca para sair daqui e respirar ar puro.

Janaína confessou para Valéria e seus olhos ficaram entusiasmados. A cantora se levantou e deu a mão para ela.

-- Salvar donzelas sufocadas é o meu passatempo preferido.

Janaína deu um largo sorriso, seus dentes perfeitos brilharam com o pouco de luz que havia na boate.

-- Então vamos minha bela salvadora.

 

 

 

 

No Leblon

 

 

-- Esse quarto lindo é meuuu...? -- Thiago estava deslumbrado. Seus olhinhos brilharam de admiração.

-- É todo seu. Segunda-feira a mamãe Isa vai transformar isso aqui em um quarto de criança. Vai comprar brinquedos, computador, enfim tudo o que você precisar.

-- Que dez! Mãe Xanda! -- comemorou com os bracinhos para cima.

-- Agora você dorme que amanhã nos vamos ter que almoçar na casa daquela loira chata.

-- Conta uma história pra eu dormir mamãe Xanda?

-- Claro. Essa é a minha especialidade. Fique sabendo que na escola sempre tirei primeiro lugar como contadora de histórias. Vejamos... Vou contar a história de Annabelle -- A Boneca Assombrada.

Thiago arregalou os olhos.

-- Ketlin ganhou uma boneca de sua mãe como presente de aniversário, isso foi em 1970. A boneca sempre foi colocada na cama da garota em um pequeno apartamento que dividia com seu amigo. Tempos mais tarde, ela começou a fazer coisas estranhas e assustadoras. A boneca aparentemente tinha a capacidade de se mover por conta própria, pois quando a menina voltava para casa, encontrava seu presente em uma sala diferente de onde tinha deixado.

-- Tô com medo mãe Xanda -- choramingou puxando o cobertor.

-- Calma filho. Agora vem a parte mais legal da história. Escuta só: Certo dia ela chegou em casa e encontrou uma mensagem dizendo "ajude-nos". Mais tarde, sangue começou a aparecer da boca da boneca. A mãe da menina solicitou uma sessão espírita onde foi relatado que o brinquedo se chamava Annabelle, uma garotinha de sete anos que tinha sido encontrada morta no terreno de um apartamento. O espírito foi encarnado na boneca para que ela pudesse ter uma companhia. Em uma noite em seu quarto, Ketlin foi atacada por uma estranha força invisível que a deixou com sete marcas de garras no peito...

-- Aaaaahhh... -- Thiago começou a chorar desesperadamente. Seus berros ecoaram pelo apartamento.

 

 

 

 

Valéria abriu a porta do apartamento deixando Janaína entrar na sua frente.

-- Então é aqui que você mora -- Olhou ao seu redor, o apartamento era pequeno, mas aconchegante. Ainda não tinha muitos móveis, mesmo assim os poucos que havia demostravam o bom gosto de Valéria.

-- Bem-vinda ao meu humilde lar. Não é a cobertura do Leblon, mas é o meu motivo de orgulho -- falou sorrindo -- Sente-se -- disse ela, apontando uma poltrona.

-- Seu apartamento é muito gostoso -- foi tudo que ela disse antes de se acomodar na pequena poltrona na frente de Valéria.

-- Talvez agora com o "sucesso estrondoso da banda", eu possa comprar um bem maior -- brincou.

Ficaram em silêncio por alguns segundos apenas se olhando.

Elas não precisavam falar nada; os olhos já diziam e mostravam tudo o que sentiam.

-- Me diz qual a distância existente entre o meu coração e o seu? -- falou com um olhar que beirava ao desespero.

-- Aproximadamente?

-- Pode ser.

-- Talvez um metro -- falou sorrindo e abriu os braços -- Que pode chegar à zero, se você quiser.

-- Se eu quero? Ė tudo o que eu mais quero.

O rosto de Valéria se iluminou e ela pulou nos braços abertos de Janaína com um enorme sorriso.

Janaína decidiu dar a si a oportunidade de recomeçar. Viver novamente um amor real com intimidade, cenas de ciúme, terminar, voltar, amar, brigar de novo, telefonar, pedir desculpas e retornar com a chama do amor ainda mais acesa.

Tudo o que aconteceu alterou tanto a vida de Janaína, que com certeza ela nunca poderá apagá-los da sua memória ou fazer de conta que não existiram.  A perda trágica de Giovana mudou radicalmente a sua vida desafiando-a a reerguer-se. Ela estava decidida a aceitar o sucedido e abrir o seu coração para tentar, voltar a amar, superar o trauma e não cair mais na depressão e amargura. Ela poderia não ter a capacidade de mudar os acontecimentos do passado, mas poderia pelo menos lutar por um futuro feliz ao lado da pessoa que demonstrava lhe amar profundamente.

-- Eu quero você comigo aqui e agora Jana, na cama, dormindo ao meu lado, para que eu possa acordar amanhã e ver seu rosto colado no meu. Eu me apaixonei pelo seu sorriso, pelo seu jeito doce e meigo que me encanta, eu me apaixonei por suas qualidades e defeitos, eu me apaixonei por cada detalhe seu, esse coração aqui só bate por você, por favor, não maltrate mais ele -- Ela respirou fundo, seus olhos estavam cheios de lágrimas.

-- Eu demorei pra entender que o seu amor é o remédio para a minha dor -- Com uma das mãos no rosto de Valeria e a outra sobre a cabeça, ela fechou os olhos e se recriminou -- Como fui boba meu Deus! Tenho vontade de me dar uma surra.

Risos.

-- Não faça isso. Prefiro eu mesma dar essa surra.

Ficaram se olhando e se admirando por algum tempo sem nada dizer, embora houvesse tantas coisas a serem ditas deixariam para depois, já haviam perdido tempo demais.

Os lábios foram se aproximando. Elas aguardavam ansiosamente por esse encontro e então não pensaram em mais nada.

O mundo pareceu parar. Tudo sumiu de repente, naquele instante. Os olhos fecharam-se rapidamente ao sentir o toque macio.

O beijo de Janaína era algo novo, diferente, Valéria jamais havia provado desse sabor tão maravilhoso.

Quando Janaína sentiu os lábios da cantora deslizarem para o seu pescoço, acabou soltando sua respiração que estava presa desde o momento em que haviam iniciado o beijo.

Valéria se afastou com um sorriso no rosto e seus olhos azuis cobalto brilhando de felicidade.

-- Hoje é o dia mais feliz de minha vida -- sussurrou.

Aquela noite marcou o início de um relacionamento de tão intensa, paixão, reciprocidade e sensualidade que raramente as levou a fazerem outra coisa que não amor. O menor toque provocava as chamas de um desejo à flor da pele, envolvendo-as com tal ferocidade que não podiam se controlar.

 

 

 

O domingo amanheceu com nuvens cinzentas, uma chuva miúda a cair, fininha e fria. O trânsito estava tranquilo, por isso, Alexandra arriscou acelerar um pouco mais a caminhonete potente.

-- Tá com pressa? -- Isabel perguntou irritada -- Vai na frente.

-- Qual é Isa? Estou a sessenta quilômetros -- Alexandra tamborilou os dedos no volante e suspirou -- Olha lá aquele fusca, passou por mim rindo.

Thiago olhou pela janela do carro e depois falou para Alexandra:

-- Nossa! Mãe Xanda, como as árvores andam depressa!

-- Verdade meu filho. Da próxima vez nós vamos é de árvore.

-- Engraçadinha -- Isabel falou ainda bicuda.

-- Até quando você vai ficar assim comigo? Já pedi desculpas. O que mais você quer?

-- Me diga Xanda. Quem em sã consciência conta histórias de terror para uma criança dormir?

-- Eu na idade dele adorava Freddy Krueger -- falou com ar de desdém.

-- Você é uma pessoa a ser estudada -- ela balançou a cabeça redirecionando seu olhar para fora.

-- Quem é Freddy Krueger mãe Xanda? -- Thiago perguntou.

-- Um menino amigo da mamãe -- quando parou no sinaleiro Alexandra virou-se para trás -- Vou me redimir perante o mano.

-- Acho bom mesmo -- Isabel voltou a olhar para fora.

-- Mano o que um tijolo falou para o outro?

-- Não sei mãe Xanda.

-- Há um ciumento entre nós.

Isabel deu um sorriu de lado.

-- O que é cheiro verde?

-- Não sei mãe.

-- O peido do Hulk.

Todos riram.

-- Porque a China tem tanta gente?

Thiago balançou a cabeça de um lado para o outro.

-- É por que eles comem com dois pauzinhos...

-- Hã? Pauzinhos mãe? Como assim? -- Thifany perguntou.

-- Xanda... -- Isabel a fuzilou com o olhar.

-- A Annabelle morreu mãe? -- Thiago perguntou com os olhos arregalados.

-- Não. Ela virou um espírito demoníaco que buscava um hospedeiro humano e caçava fraquezas emocionais em garotas.

-- O que é pauzinhos? -- Thifany perguntou curiosa.

-- É o pipi dos chineses.

Isabel bufou irritada.

-- Que alivio mãe Xanda. Tenho pena da mana. Vai ser possuída.

-- Hã? Possuída? Quem é Annabella mãe? -- Thifany puxou a roupa de Alexandra.

-- CHEGAMOS FAMÍLIA!!! -- Alexandra comemorou -- Finalmente.

-- Que casa linda! --Isabel olhou ao seu redor admirando a beleza da propriedade -- E é enorme.

-- Até que aquela cocô de pombo tem bom gosto -- Alexandra parou diante da casa e colocou as mãos nos bolsos.

-- Tira a cadeira do Thiaguinho do carro amor -- Isabel pediu.

-- Pode deixar comigo vida... Meldelssssss... -- Alexandra encolheu-se contra o carro.

-- O que foi Xanda? -- Isabel correu até ela assustada.

-- Tapa os olhos das crianças. Que coisa horrível é essa? Parece um filhote de gambá com ratazana.

Um menino apareceu logo em seguida e parou ao lado do cachorro.

-- Esse é o Latão, meu cacholo -- falou sorrindo -- Eu sou o Lubinho da mãe Bic e da mãe Buna.

 

 

 

No próximo capítulo...

-- Vamos ver se você é realmente boa no vídeo game -- Bruna fez uma carinha de maldosa e sentou-se ao lado de Alexandra no sofá -- Meu time é o Fluminense escolhe o seu. Pode ser o Flamengo -- deu um sorrisinho debochado -- Adoro vencer o Flamengo.

-- NUNCA!!! Só jogo se eu for o Fluminense -- Alexandra empurrou Bruna com o ombro e jogou o controle no chão -- Quero destruir o Flamengo.

-- Não mesmo! O vídeo game é meu.

-- O que é isso Bruna? -- Victória apareceu na porta -- Seja educada, deixa a visita escolher.

-- Mas Vic... Quem tem os privilégios é o time da casa.

-- Porque as duas não jogam com o Fluminense? -- Victória falou sorrindo feliz por ter achado uma solução.

-- Que sem graça -- Bruna fez uma careta -- Como eu posso sentir prazer em golear o Fluminense?

-- Pensa insonsa, é melhor que jogar com o Flamengo -- Alexandra pegou o controle novamente -- Eu vou jogar com a camisa tricolor.

-- NÃO!!! Quem joga em casa é quem escolhe a camisa.

-- Não vou jogar toda de branco... -- Alexandra berrou.

Victória arrancou o cabo do aparelho da tomada.

-- O juiz acabou de decidir que a partida foi cancelada por falta de condições de segurança.

 

 

 

As ganhadoras dos livros foram:

Pietra e Mille.

Mille receberá o livro: Glamour da autora Drikka Silva como a que mais comentou até agora.

Pietra foi a vencedora do sorteio do capítulo 72 e receberá o livro: Mesa 27 da autora Adriana Nicolodi.

Parabéns garotas!

No último capítulo tem mais livros. Não desistam.

Beijos, beijos, beijos.

 

 

Nota da autora:

Desculpem a demora. Às vezes é bom dar um tempinho.

Você percebe que está ficando muito tempo em frente ao computador quando uma mosca pousa no monitor e você tenta matá-la com a setinha do mouse.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nome: rhina (Assinado) · Data: 29/05/2018 21:20 · Para: Capitulo 73

 

Boa noite.

Autora já pensou........Alex e  Bruna sendo vizinhas......festas de finais de semanas.....festas importantes. ....viagens de férias. ...kkkkk......melhor nem pensar.

Rhina



Nome: lucy (Assinado) · Data: 24/07/2016 03:06 · Para: Capitulo 73

kkkkkk amei o cpa. as estórias de alexandra são minhas preferidas kkkkkk

mas ontar pro menino na hora de dormir, juro que pensei que um castigo bom, seria ele ir dormir na cama com as duas estragando a brincadeirinha da mamãe Xanda pra aprender a não fazer isso com a pobre criatur kkkkk

Bruna e Ale juntas kkkkkkk sabia que ia ser ilário, essa autora tem o dom bjs parabéns amo seus contos



Nome: Ana_Clara (Assinado) · Data: 01/07/2016 21:56 · Para: Capitulo 73

Sou fã da Zana! haha Amei essa contadora de histórias *_*



Nome: jake (Assinado) · Data: 29/06/2016 15:40 · Para: Capitulo 73

NOSSA!!!QUE LINDA E EMOCIONANTE EH ESSA HISTORIA....

SEU TRABALHO EH CHEIO DE EMOCOES NOS FAZEM RIR  E CHORAR ,E CHORAR DE RIR...

ESPERO QUE VC JAH ESTEJA ESCREVENDO OUTRA HISTORIA PRA NOS PRESENTEAR...

PARABENS VANDINHA VC SIMPLSMENTE FAZ A DIFERENÇA



Nome: patty-321 (Assinado) · Data: 29/06/2016 03:07 · Para: Capitulo 73
Vou rir demais nesse próximo cap. Essa tua cabeça vándinha e demais. Jana e Val, até q enfim. KD o fantasma? Foi pra luz? Esse encontro dos casais vai ser imperdível. Bjs


Nome: lenna11 (Assinado) · Data: 28/06/2016 19:16 · Para: Capitulo 73

Nossa até que enfim a Jana se permitiu ser feliz de novo ela é uma pessoa maravilhosa merece tudo de bom! Só o que faltava no currículo da doida da Xanda era isso onde se viu conta história de terror pra criança kkkkk só essa doida mesmo , meu Deus o que esperar desse dia com essas loucas todas juntas! Kkkkk



Nome: Ada M Melo (Assinado) · Data: 28/06/2016 13:19 · Para: Capitulo 73

só xanda mesmo.....kkkkkkkkk demais!!!



Resposta do autor:

Louca isso que ela é.

Beijão Ada. Até.



Nome: line7 (Assinado) · Data: 28/06/2016 03:55 · Para: Capitulo 73

Kkkkkk.. essa história que xanda contou, me faz lembrar da minha tia, que contava estórias  do inteirior do Amazonas, era lendas, outras que passavam acontecer com ela, ela é  louca que ném  a chanda e a louça aqui adorava, mas não  consegui ar dormir direito...kkkkk..era uma rodinha de pirralhos, tinha mais meninos, só  eu de menina, e que ficava ATÉ  o final...kkkkkk... o Capítulo  maravilhosoooooo, espetacular, a cada descrição  que vc faz minha linda😍😍😍😍. Esse encontro da Bruna e Vitória com xanda e Isa.. rrrsss...😙😏  até  mais linda👏👏👏 tetando matar a mosca com mouse...kkkk.. ou escrever com o próprio  dedo..kk. até  logo😎



Resposta do autor:

Olá Line.

Bons tempos aqueles, não é mesmo? Também tive essa fase de escutar histórinhas de terror e depois não conseguir dormir. Resultado: Corria para o quarto dos meus pais.

Vamos que vamos, reta final. Até o próximo. Bjã.



Nome: graziela (Assinado) · Data: 27/06/2016 23:43 · Para: Capitulo 73
Sensacional o capítulo. Amo demais essas 2. Esperando o próximo capítulo mega ansiosa, para saber tuuuuuddddooooo.

Pior do que tentar matar a mosca com o mouse, é ouvir o que uma impressora falou para a outra. Essa impressão é sua, ou é impressão minha?


😘

Resposta do autor:

Kkkk... Boa.

Tudo bem Graziela? Espero que sim.

Estamos nos aproximando do final, agora falta pouco talvez uns dois ou três capítulos. Também gosto muito desse casal e ficarei com saudades delas.

Estou preparando o cap.74 daqui a pouco eu volto. Até, beijão. 

 



Nome: graziela (Assinado) · Data: 27/06/2016 23:40 · Para: Capitulo 73

Sensacional o capítulo.  Amo demais essas 2.  Esperando o próximo capítulo mega ansiosa,  para saber tuuuuuddddooooo. 

Pior do que tentar matar a mosca com o mouse,  é ouvir o que uma impressora falou para a outra. Essa impressão é sua,  ou é impressão minha?

 

😘 



Nome: Raquel (Assinado) · Data: 27/06/2016 21:36 · Para: Capitulo 73

Babá Damme kkkkkkkk

Amei o capítulo 😙 😙 😙 😙 



Resposta do autor:

Obrigada Raquel.

Que fim de história para o Van Damme hein? Fim de carreira. Kkkk...

Beijão garota.



Nome: Mille (Assinado) · Data: 27/06/2016 21:30 · Para: Capitulo 73

Huhuhu a dancinha da vitória aqui, obrigadaao ameiiiiii.

Xanda tem que fazer um curso de contar histórias, poxa assustou o Thiaguinho e eu também.

Ah ideia para as duas louras queridas, se quiser podem jogar com o meu VERDAO, aí não teremos mais brigas entre elas.

Bjus Vandinha e até o próximo.



Resposta do autor:

Olá Mille.

Parabéns, você mereceu.

Se for possível, gostaria que enviasse o seu endereço postal para esse número de WhatsApp: 

(47)91333878 

Estou no aguardo.

Beijão minha querida, valeu mesmo!

Mas verdão só se for acompanhado de branco e grená. Kkkk...



Nome: wood (Assinado) · Data: 27/06/2016 21:18 · Para: Capitulo 73

Como contadora de histórias pra crianças dormir a Xanda é um desastre vai fazer o coitado ter insônia e crescer traumatizado😂😂😂😂.Foi show esse capítulo muita emoção,e pensa em duas encreiqueiras juntas ainda bem que a Vic colocou ordem na casa.Essa família da Alex vai ser muito unida e ao mesmo tempo agitada!Até o próximo que peninha que não ganhei no sorteio😊😊😚😚🌻🌻🌻



Resposta do autor:

Olá Wood.

Fica pra próxima.

Com uma mãe dessas imagina como será essa familia. 

Mas de uma coisa podemos ter certeza: Amor nunca irá faltar.

Beijão minha garota. Até.



Nome: Pietra (Assinado) · Data: 27/06/2016 20:58 · Para: Capitulo 73

Van!

Eu ganhei ! Uhu! Eba! 0/

Obrigadão por me sortear!

Muito feliz!

Eba!

Beijos, Vandinha!



Resposta do autor:

Parabéns sortuda! O mérito é todo seu.

Preciso do seu endereço postal. Consegue me enviar pelo Whats? 

(47) 91333878

Se não conseguir, envia pelo: Contato com a autora.

Estou no aguardo.

Beijão e obrigaduuu...



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.