Meu corpo no teu por Julieta Adams


[Comentários - 20]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

Cheguei ensopada obviamente da chuva e antes de ir tomar a ducha, deitei na minha cama onde Bianca ficou quando chegamos, e senti um cheiro gostoso... Era o cheiro do sexo dela, fiquei embriagada com aquele aroma de mulher... Peguei no lençol trêmula e inalei repetidas vezes o cheiro dela pra mim. Após ficar uns cinco minutos me drogando no cheiro dela, fui tomar uma ducha morna, tirando o restante das minhas roupas... Louca ainda com o que senti por ela, um tesão incontrolável.

— O que você está fazendo comigo, garota endiabrada... O que está fazendo comigo... Vou acabar enlouquecendo com esses pensamentos proibidos que estão ficando cada vez mais perigosos. - Pensava alto comigo mesma.

Fui deslizando minhas mãos no meu corpo... Buscando por meus seios, que estavam empinados de excitação pelo que presenciei. Comecei a chorar junto a ducha... Meu choro era de dor, porque novamente estava eu, metida com mulher.... E o pior, uma menina, que é filha de quem eu namoro.

— Ahhhhhhhhhhhhh!!!! - Dei um soco na parede, forte, encostando lentamente na parede até me sentar no chão. —  Deus me ajude... Arranque de mim esse desejo por ela.

Quando lembrei da expressão dela quando minha mão tocou em seu corpo, minha parte íntima implorou para ser estimulada, fechei meus olhos e voltei naquele momento em que o desejo foi mais forte do que o medo. Me toquei tanto, que quase desmanchei embaixo da ducha, que delícia gozar pensando nela, que vontade de possui-la inteiramente... Fazê-la minha!

Fiquei uma hora na ducha.... E quando sai, logo que me arrumei, desci. Bianca estava na sala, também já de banho tomado.

— Está com fome Bianca? - Tentei puxar assunto com ela.

— Não, sem fome alguma. - Nem me olhou na cara. — Quando iremos embora?

— Se quiser amanhã mesmo... Depois do almoço. - Voltamos a ficar naquele clima chato, igual da primeira vez que nos conhecemos, há um mês atrás. 

Parece que nos conhecemos há muito mais tempo, para nos "odiarmos" assim.

 

— Ótimo, perfeito! Preciso ligar pro meu pai. - Insistiu com seu comportamento repugnante.

— Pra quê? - Sempre quando fico nervosa, cruzo os braços e pisco lentamente os olhos.

— Para vim ficar conosco... Não gosta da presença dele? - Muito esperta essa garota, até demais pra alguém da idade dela.

— Não! - Na hora respondi, e Bianca me olhou imediatamente intrigada.

— Por que? - Fez aquele olhar intimidador dela, que me deixa sem jeito.

— Quero passar mais tempo com você, precisamos recomeçar.

— Ah é? E eu vou tentar dormir... Estou cansada.

— Fique a vontade na minha cama. - Quase trinquei os dentes de raiva.

Ela sorriu forçado, e passou deixando seu cheiro no ar pra mim. Fiquei na cozinha, servindo umas doses de uísque pra mim. Quando havia tomado três copos, fui atrás dela, precisava vê-la dormindo...

Entrei devagarzinho no meu quarto, e ela estava lá descoberta, porém toda encolhida... Usando calça moletom folgada, e uma blusinha justa ao corpo. Fui me aproximando em passos rasteiros, e sentei na beira da cama, pra ficar admirando-a dormir. Tentei tocá-la, mas, fiquei com medo do que poderia acontecer depois. Apenas sussurrei...

— Menina do cabelo de fogo... Você me incendeia de uma forma, que sinto até medo.  - Encostei de leve no rosto dela, e acabei deixando-a dormir na minha cama.

--------------------------
(Catarina Bianca Narrando):

Ela veio até mim... Eu sabia! Sabia que também sentia desejos por mim, podia ver naquele olhar penetrante dela, eu ali... Mas, por que não fez nada comigo? Só veio aqui para me torturar? E o pior, não escutei seus múrmurios! Veio só para me deixar com mais vontade de se entregar a ela. Estou a ponto de... Perder o controle do meu corpo e atacá-la! Sinto que Alanna não vai ceder... Só está brincando comigo, afinal sou uma menina aos olhos dela e não mulher.

— Ai Alanna... Te quero tanto em mim... Meu corpo grita por seu nome... - Gemia em forma quase de choro..

Dei cada estocada entre minhas pernas, que dessa vez... Cheguei a chorar de raiva... Não estava aguentando mais, já fiz de tudo, e nem assim essa desgraçada não chegou em mim como eu queria! Não sei mais o que fazer! Eu... Sou virgem, ou, era, não sei... De tanto que meti pensando nela, acho que nem sou mais... Estou tão confusa... Essa mulher me confunde toda! 

— Sua desgraçada! - Dizia isso, me contorcendo na cama dela... Inúmeras vezes, me arrependendo de ter ido viajar com ela, porque foi um fiasco meu jogo de sedução. E meu corpo mais pedia por ela.

Levantei da cama para ver se quietava minha mente e fui parar na varanda do quarto dela, o céu aqui era mais estrelado, ficava nu, sem poluição do homem. Estava distraída quando sinto um vento arrepiante quase me forçar a fechar os olhos e no ato de fechá-los senti Alanna me abraçando  por trás e cheirando meu pescoço enquanto suas mãos apertavam meu corpo num ritmo de estremecer minhas pernas. Acabei falando em voz alta, o que meus pensamentos impuros diziam a mim conscientemente...

 

— Alanna... Ainda terei um momento contigo, onde possamos nos entregar, não sou apenas uma garota, meu sentimento é maduro e isso está me torturando demais! Nunca senti isso por ninguém, Universo, sei que tem algo escrito aí em algum lugar para mim. - Meus olhos estavam lacrimejando bastante, eu queria resistir e não chorar por conta disso.

 

Ao abrir os olhos senti o vento uivante passar por mim mais rápido, como se fosse um "pedido concedido" pelo Universo acima de mim.

Notas finais:

Situação ficando cada vez mais estreita entre as duas... 



Comentários


Nome: SaraSouza (Assinado) · Data: 13/05/2018 04:50 · Para: Capítulo 7

Eita eita agora vaiiiiiiii.... Torcendo aki kkk



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.