Um atropelamento inesperado e uma paixão para a vida. por naty001


[Comentários - 29]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

Malu e Bruna chegaram, a mais nova estava novamente apanhando da camionete automática, logo, Bruna à ajudou e sem querer as mãos delas se tocaram, e os olhos se encontraram... Só saíram daquele hipnotismo quando Mariana chegou batendo no vidro. Rapidamente elas saíram desse hipnotismo e saíram do carro. Bruna olhou para Mariana com uma cara que “Quero te matar”, Mariana apenas sorriu da cara da médica. Entraram para dentro de casa e viram Ana Maria indo fazer janta, já que a médica tinha dispensado Conceição naquele dia.

-Mãe, não precisa fazer janta não, a gente pede alguma coisa pra comer.

-Mas minha filha, eu posso fazer uma janta pra gente.

-Por favor mãe, não se preocupa com isso de verdade. Eu peço uma pizza pra gente.

-Então tá bom filha, vou subir para tomar um banho, ainda tem algumas roupas minhas aqui?

-Tem sim mãe, pode ir lá, a senhora conhece a casa.

E Ana Maria partiu para tomar seu banho, E Bruna pegou seu celular para ligar para alguma pizzaria, conseguiu fazer o pedido e as pizza chegaria em 40 minutos.

-Mariana, eu tenho que ir embora. Já tá ficando tarde. Malu disse baixo para a assistente. Já eram mais de 22h da noite.

-Janta com a gente Malu, depois a gente da um jeito nisso.

-Mas eu realmente preciso ir embora, se eu chegar lá e o Rafael estiver lá, eu nem quero pensar... disse Malu e abaixou a cabeça.

-Então você dorme por aqui com a gente, e amanhã cedo te levo pra casa. Disse uma Mariana esperançosa de que a mais nova aceitasse a proposta.

-Não posso aceitar dormir aqui, preciso mesmo ir embora Mari. Rafael pode fazer muitas coisas e eu nem posso imaginar o que seria.

-Aquele desgraç... Mariana foi cortada por Bruna, que chegou na hora.

-Se vocês quiserem tomar banho, podem ficar a vontade. Disse Bruna em um tom sério.

-Eu tenho que ir embora Bruna, preciso estar em casa... Disse a estagiária num tom baixo.

-Se quiser pode dormir aqui Malu, tem quartos suficientes pra todo mundo. Bruna disse rápido.

-Eu realmente preciso ir embora.

-Bom, então nos acompanha na janta? Depois eu te levo na sua casa. A médica e logo ouviu um barulho de buzina na porta de casa.

-Como a pizza chegou, posso acompanhar vocês sim. Sorriu para a médica.

Bruna foi buscar a pizza e agradeceu ao entregador. Foram comer, todas as 4, por um momento puderam esquecer do acontecido naquela tarde. Conversaram muito, e puderam conhecer um pouco mais sobre Maria Luiza. E Malu pode conhecer um pouco mais de cada uma.

Malu foi pra cozinha lavar as louças, e Bruna foi para ajudá-la.

-Não precisa lavar, pode deixar, depois eu lavo. Não quer mesmo dormir por aqui? Disse uma Bruna esperançosa.

-Me desculpa, mas eu preciso ir. E eu vou lavar as louças, você já comprou a pizza.

-Então já que insiste, eu te ajudo na louça.

Lavaram toda a louça e em vários momentos as mão se tocavam, algumas vezes os olhos se encontravam. E por fim terminaram. Bruna foi até a sala pegar a chave de seu carro, porém foi barrada por Mariana.

-Bru, deixa que eu a levo, hoje é dia do meu plantão, tenho que voltar para a clínica. E ela mora perto de lá, seria mais fácil eu levar ela. Disse Mariana séria.

-E além do mais, você precisa descansar Bru, hoje foi um dia muito longo.

-Seu plantão... é verdade, mas Mari, eu posso levar ela.

-Você sabe que é mais fácil eu levar né Bru? Sinto muito por cortar seu barato. Mas tenho certeza que vocês ainda vão se conhecer melhor.

-Aff, então tá bom coisa chata. Disse revirando os olhos.

Nessa mesma hora, Malu chegou e logo Mariana a chamou para ir embora.

-Tem certeza que não prefere ficar? Bruna ainda tinha alguma esperança que Malu pudesse ficar.

- Eu preciso mesmo ir, quem sabe numa próxima. Disse Malu com um semblante triste.

Malu logo depois que disse isso, abraçou a médica e aquele mesmo turbilhão de sentimentos surgiram de novo, por ambas as partes.

-Bruna, me promete que vai ficar bem? Malu disse ainda abraçada a médica.

-Prometo que vou tentar.

-Você tem meu número, pode me ligar a qualquer hora, me mandar mensagem. Sem nenhum problema.

-Tá bem, obrigada por ter vindo e ficado conosco, sua presença foi muito importante.

-Bom, agora eu tenho que ir. Tchau Bruna.

-Tchau. Apertou ainda mais a mais nova contra seu corpo, e Malu gostou.

Ficaram nesse abraço por algum tempo, e só saíram porquê de novo Mariana as interromperam.

-Então, vamos Malu? Disse uma Mariana e riu de ter cortado o momento das duas.

-Ah sim, claro, vamos sim. Malu ficou sem graça.

Malu abraçou dona Ana Maria e desejou forças para ela.

Mariana e Malu foram caladas durante o caminho. O silêncio só acabou quando Mariana chegou no apartamento de Malu.

-Ele não está aí né?! Perguntou Mariana um pouco quanto nervosa.

-Eu espero que não... Disse indo já saindo.

-Obrigada Mari, amanhã estarei na clínica cedo. Tchau.

-Tchau Malu, precisando de algo, estamos ai... Se ele estiver ai, por favor, me liga na hora. Disse já ligando o carro.

-Eu ligo sim. E já foi entrando para dentro da portaria.

Para a sorte de Malu, Rafael não estava lá. Naquela noite mal conseguiu dormir, estava realmente preocupada com a médica, tinha perdido uma pessoa de sua família com a mesma doença que o pai de Bruna. Em nenhum momento parou de pensar na médica, não sabia o que estava sentindo por ela, nunca tinha sentido essas coisas por ninguém, nem mesmo por Rafael. E ah, ela iria tirar satisfações com ele, estava decidida, não aceitaria e nem deixaria que ninguém te encostasse a mão assim.

Por outro lado, a médica não conseguiu dormir também, preocupada com o pai e com essa mistura de sentimentos que estava sentindo por Malu. Sabia que ela era diferente de todos e todas que já encontrou, porém não sabia o que fazer, estava com medo, receio do que ela poderia fazer. Viu que aqueles abraços que tinham dado até agora, os olhares, todos eles eram correspondidos por Malu. Será que Malu estava sentindo as mesmas coisas? Ficava nesse misto de dúvidas e sentimentos, acabou que não conseguiu dormir nada.

No outro dia, Bruna foi no hospital resolver algumas pendências com a mãe, poderiam visitar Sr. Alfredo em alguns dias, já devido ao tratamento que já estava se iniciando e depois disso seguiram para a fazenda, para cuidar das coisas do pai.

Bruna ligou para Mariana e falou que precisava ficar alguns dias pra fazenda, e que Mariana ficaria sozinha na clínica durante alguns dias. Falou também pra ensinar e orientar Malu no estágio, que ela teria futuro.

E assim, muitos dias se passaram, muitos mesmo, na clínica, Mariana ia segurando as pontas como conseguia, e com a ajuda de Malu e de mais alguns estagiários que tinha contratado, conseguia cuidar dos negócios da clínica. Mariana sempre ligava para Bruna, e perguntava como estavam as coisas por lá, e algumas vezes visitou Sr. Alfredo no hospital. Bruna sempre perguntava por Malu, mas Mariana sempre dizia para a médica que era melhor ela seguir a vida dela, e que Malu estava fazendo exatamente isso.

Bruna e a mãe apenas iam para Cuiabá para ver Alfredo no hospital, e que por sinal, estava aos poucos piorando, o câncer já havia passado para um estágio um pouco mais crítico.

Bruna estava atolada de trabalho, e aproveitou esse tempo fora também, pra ver se estava mesmo gostando da mais nova. Às vezes mandava mensagem para Malu, porém quase todas ela não respondia, então chegou a conclusão de que ela havia se afastado. Não entendia porque, mas apenas respeitava. A fazenda da família era bem grande, e eles trabalhavam com várias áreas, agricultura, confinamento, cria de bovinos e os cavalos. Bruna também aproveitou algum tempinho que tinha para se dedicar um pouco mais aos equinos. E a faculdade? Ela parou de dar aulas, e um professor substituto entrou em seu lugar.

E por outro lado, Malu aproveitou também esse tempo longe de Bruna pra entender o que estava sentindo pela médica. Chegou à conclusão que iria evitar a médica, que era loucura, e que era só momento de carência pelo término com Rafael. Ahhh, esse ainda aprontou com Malu. Foi a casa dela, e novamente à agrediu e disse que se ela estivesse conversando com a médica, ele iria fazer coisas piores, com ela e com Bruna. Malu estava com medo dele, pensou diversas vezes em denuncia-lo, porém tinha medo, medo não só por ela, mas por Bruna também, sentia um enorme carinho pela médica, e não iria deixar nada acontecer a ela. Continuava sua vida normal, faculdade/estágio/casa. E Bob? Aaah, ele ficou muito bem, sem sequela alguma e virou o mascote da clínica, praticamente morava lá agora, todos amavam ele.

Mais alguns meses se passaram, e Bruna foi para a cidade ver seu pai, e aproveitou e foi à clínica para buscar alguns medicamentos que faltara no seu estoque da fazenda. Chegando lá, cumprimentou a todos, perguntou por Mariana, e a recepcionista disse que estava atendendo a uma emergência. Rapidamente foi até a ala de emergência e encontrou Mariana e mais algumas pessoas, dentre elas Malu, cuidando de um cavalo com síndrome de cólica. Deduziu que precisavam de ajuda, pela dificuldade em manter o animal estável, e correu até para ajudar.

-Precisam de uma mãozinha aí?!

-Até que não prec... BRUNA É VOCÊ??!! Mariana perguntou surpresa.

-Ah, para Mari, você sempre da conta das coisas, porém a chefe aqui chegou. Disse toda orgulhosa.

-Então para de conversar e vem ajudar a gente. Disse chamando Bruna.

Quando Bruna chegou, Malu congelou, paralisou, ficou em estátua, a quanto tempo não ouvia aquela voz, não via aquela pessoa, não parava de olha a médica, e isso logo foi percebido por Bruna, e rapidamente ela se recompôs e voltou a ajudar (como estava fazendo antes).

Algumas vezes, Malu e Bruna se encostavam, porém Malu sempre voltava a evita-la. Foram algumas horas tentando salvar o cavalo, e no final conseguiram.

-Ufa, esse foi dureza!! Disse Fernando, um dos novos estagiários.

-Caramba, esse foi dureza mesmo. Willian, era outro estagiário.

-Parabéns gente, Fer, Willian, Malu, vocês foram sensacionais. E não esquecendo da nossa querida patroa Bruna, que ajudou bastante também. Mariana falou sério, porém em um tom de brincadeira.

-A, que isso Mari, vocês que fizeram tudo, eu ajudei pouco.

-Tu ajudaste demais sim Bru, é a nossa estrela, você sabe disso. Disse Mariana.

-Vim aqui meio rápido, aí me deparei com essa emergência e acabei ficando mais tempo que poderia. Podemos falar no particular depois Mari? É importante. Disse séria a médica.

-Claro Bru... Pessoal, podem levar o cavalo pra baia, apenas com água. Mariana pediu para os estagiários. ­­--Menos você Malu. Vem aqui com a gente.

-Prefiro ficar com eles Mari. Disse já saindo em direção aos colegas de estágio.

-Nossa, ficou rebelde? Perguntou uma Bruna um pouco assustada com o comportamento de Malu. –Ela não era assim Mari.

-Pois é Bru, ela ta muito diferente de uns dias pra cá, nem conversa comigo direito. O que acha disso?

-Eu? Não acho nada Mari. Aliás, até acho que eu tenho haver com a história, mas sei lá né.

-Tu tens que conversar com ela Bru, teve um dia que ela chegou com muitas marcas no rosto e no braço, ela disse que caiu de novo, mas eu sei que foi aquele imbecil do ex dela, o tal Rafael. Depois desse dia, ela mudou completamente, não conversa mais, só o básico.

-Aquele infeliz agrediu ela de novo??! To vendo que vou ter que tirar satisfações aquele filho da mãe!! Disse uma Bruna muito nervosa.

-Ei ei ei, pera ai!! Tirar satisfações??! Ta doida garota?? Ele agrediu a Malu, ele pode fazer o mesmo com você!! Mariana estava preocupada com o que poderia acontecer com a amiga.

-Se esse Rafael for quem eu to pensando, ele vai se ver comigo! AH SE VAI!! Ainda nervosa, Bruna saiu batendo as portas e já entrando na sua camionete.

-Ai meu Deus, não pode ser!! Se preocupou de verdade, se lembrando do passado. –Se realmente for ele, ela tá muito encrencada. Disse já indo em direção a recepção, para seguir o carro da amiga.

Nem Mariana e nem Bruna sabiam, mas Malu ouvia a todo o assunto que elas falaram, e temeu por Bruna ter saído a procura de Rafael e ao mesmo tempo ficou feliz pela médica se preocupar com ela. –Bruna o conhece??! Mas com?! Ficou se perguntando, --E se ele fizer algo com ela?? Ai meu Deus, com ela não!!

-MARIIII??? CADÊ VOCÊ??! Gritou Malu.

-Oii, porque essa gritaria garota??! Mariana ficou assustada.

-A Bruna, ela não pode ir ver o Rafael, ela não pode Mariana!!!

-Eu não sei porque, mas eu to com um pressentimento horrível em relação a isso Malu.

-O Rafael é uma pessoa perigosa. Muito mais que você pensa...

-QUE??? COMO ASSIM MALU?? Estava com quase certeza que era quem ela imaginava.

-Foi o que você ouviu Mari, eu não posso deixar que aconteça nada a ela. Disse Malu e já saindo em direção a porta.

-Espera garotaaa. Eu vou com você. Mariana saiu correndo atrás de Malu, mas ainda conseguiu avisar Helena, a recepcionista, de que já estaria voltando.

Notas finais:

Oii pessoinhas *-* me perdoem a demora, anda corrido demais por esses dias, mas já tenho outro capítulo encaminhado, postarei ele amanhã cedo!!

Estou curtindo muito escrever essa história, e prometo que vai vir muita emoção por ai!!

Beijos, e até a próxima!!



Comentários


Nome: SaraSouza (Assinado) · Data: 11/05/2018 01:42 · Para: Capitulo 7 - A Distância

Confusão â vista. 

 



Resposta do autor:

com toda certeza



Nome: Socorro de Souza (Assinado) · Data: 10/05/2018 16:43 · Para: Capitulo 7 - A Distância

Sou contra violência ..smp aparece um babaca que merece uma bela surra, que a Bruna  coloque esse   idiota no seu lugar ...

vai Bruna!!!

 Autora volta hj 



Resposta do autor:

Perdão pela demora kkk mas anda difícil, prometo que não irei sumir

E esse babaca do Rafael em....



Nome: Elizaross (Assinado) · Data: 10/05/2018 16:23 · Para: Capitulo 7 - A Distância

Perigo à vista..

Pelo visto confusão da grossa...

Da onde que a  Bruna conhece o babaca do Rafael.



Resposta do autor:

Mundo muito pequeno esse, muita confusão a vista



Nome: NovaAqui (Assinado) · Data: 10/05/2018 15:40 · Para: Capitulo 7 - A Distância

Teremos problemas



Resposta do autor:

Muitos problemas...



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.