Última noite de amor por Vandinha


[Comentários - 1262]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

 

 

 

 

Última Noite de Amor -- Capítulo 69

 

Na delegacia

 

O delegado suspirou fundo. Não acreditava em cartas psicografadas, mas o que estava escrito naquele papel não poderia ter sido escrito de outra forma se não com a orientação do próprio Samuel.

-- Vou te contar tudo Girani. Confesso que essa promessa de guardar segredo que fiz ao seu pai vem me torturando todos esses anos. Não é justo esconder a verdade de vocês. Agradeço a Deus por estar me libertando disso.

-- Eu entendi o que estava escrito na carta -- Alexandra olhou para o papel e baixou a voz -- Mas deve ter muitas outras coisas a serem reveladas.

-- Sim -- o delegado respondeu. Seu rosto estava sério e ele olhava fixamente para ela, sem desviar momento algum -- Seu pai era um homem bom Girani, mas perdeu-se em um par de olhos grandes, alegres: olhos negros e inocentes.

-- A mãe da Janaína -- disse, com grave expressão no rosto e olhando fixamente para ele.

-- Maria Dolores era uma bela mulher. Seu pai a conheceu em um bar da Lapa. Ela contou a sua triste história de vida e Samuel se compadeceu por ela. Falou que veio do interior do Rio Grande do Sul tentar a sorte como modelo aqui no Rio, mas o sonho da morena acabou em pesadelo. Enfim, Samuel a levou para trabalhar em sua casa -- ele parou de falar por um longo tempo, de repente a imagem daquela menina pura e humilde veio a sua cabeça -- Ele não se aproveitou dela. Foi amor, tenho certeza disso.

-- E minha mãe? -- olhou para o delegado, prestando atenção a cada detalhe do seu rosto -- Ela desconfiou de algo?

-- Não -- Atício respondeu de imediato -- Sua mãe não desconfiou de nada.

-- Porque meu pai não contou? Isso foi cruel -- demonstrou sua decepção com o pai, balançando de leve a cabeça.

-- Um dia... Nunca me esquecerei. Era feriado de Tiradentes, Samuel apareceu lá em casa desesperado contando que Maria Dolores estava grávida. Ele não contava com essa gravidez. Não sabia o que fazer.

-- Que safado! -- Seu rosto estava obscuro, os olhos verdes como mar revolto pareciam não acreditar em tudo aquilo.

-- Insisti muito para que ele falasse, até que enfim ele decidiu contar para a sua mãe. Ensaiou a conversa diversas vezes e quando finalmente criou coragem para falar, sua mãe apareceu com a grande surpresa: Estava grávida.

-- Meu pai deve ter odiado a notícia. Não é mesmo? -- perguntou com ar triste.

-- Muito pelo contrário Girani. Ele amou. Era tudo que ele mais sonhava -- olhou para ela fixamente, antes de continuar: -- Vocês duas foram recebidas com festa por ele. É claro que a paternidade de Janaína foi guardada a sete chaves por muitos anos, até que...

-- Minha mãe descobriu? -- Alexandra olhava para Atício fixamente e emoções passavam pelo seu rosto.

-- Sim. Na véspera da viagem para o sul. Não me pergunte como ela descobriu, só sei que descobriu e não aceitou de forma alguma a traição.

-- O que aconteceu dentro daquele helicóptero Atício? -- Sua voz soou tensa e cansada até mesmo para seus próprios ouvidos -- Me conta, mas dessa vez, por favor, seja honesto e fale toda a verdade.

O delegado não respondeu de imediato. Seu rosto entristeceu-se, como se estivesse falando com a vítima de uma conspiração. Mexeu-se um pouco na cadeira e, parou alguns instantes, refletindo, como se procurasse, dolorosamente, a melhor forma de falar.

-- Sua mãe não tinha nenhum plano para matar o seu pai. Não existia nenhum amante, na verdade sequer havia uma arma naquele helicóptero.

-- PORQUE VOCÊS MENTIRAM? -- Alexandra deu um soco na mesa que o copo descartável foi voar até ao meio da sala -- Fizeram-me acreditar que ela não prestava. Que continuava a ser a mesma prostituta de quando meu pai a conheceu. Fizeram-me idolatrar o meu pai e odiar a minha mãe por todos esses anos, quando na verdade deveria ter sido ao contrário.

Atício franziu as sobrancelhas e a olhou todo assustado.

-- Fizemos isso para proteger você e a imagem do seu pai.

-- Proteger a mim? -- ela perguntou indignada se levantando -- Me proteger de quem?

-- Se falássemos a verdade alguém poderia incentivar Maria Dolores a exigir a sua parte e a parte da menina na herança.

Ela olhou profundamente com seus olhos verdes demonstrando toda a sua raiva.

-- Eu não consigo acreditar que você agiu assim com tanta mesquinhez e egoísmo. É muita insensibilidade até mesmo para um policial, casca grossa como você -- deu um passo para trás, como se estivesse sentindo repulsa -- Ela é minha irmã, seu filho da puta! -- ela berrou.

-- Epa! Olha o respeito. Filha da puta não.

-- Verdade. A única filha da puta aqui sou eu. Não é mesmo?

Pararam por alguns instantes e se olharam em silêncio.

-- Olhe de quanta coisa você privou a Janaína e a Maria Dolores. Elas poderiam ter tido tudo o que eu tive. Essa mulher que você achava que se apoderaria da minha herança, me criou como se fosse sua filha e nunca pediu algo em troca além de seu salário nem pra ela, nem pra filha.

-- Desculpa Girani, mas foi o advogado do seu pai que me orientou a fazer isso.

Alexandra apertou as fontes com as mãos e cerrou os olhos.

-- Enfim, o que aconteceu naquele helicóptero durante o voo?

-- Maristela falou para Samuel que iria embora de casa e levaria você com ela. Isso foi o estopim para uma violenta discussão que culminou com o seu pai tentando estrangular a sua mãe. O piloto tentou separar os dois e deve ter perdido os sentidos, pois o helicóptero ficou desgovernado e chocou-se contra um morro.

-- Como vocês descobriram isso?

-- Helicópteros de grande porte destinados ao transporte de passageiros podem ter caixas-pretas. E esse tinha.

Alexandra respirou fundo e abaixou a cabeça como se vencida. Havia passado uma vida odiando a mãe e sem saber que tinha uma irmã tudo por causa do maldito dinheiro e da ignorância de pessoas como Atício, o advogado e todos aqueles que acreditam que com dinheiro tudo se pode fazer, então, estão indubitavelmente dispostos a fazer tudo por dinheiro.

-- Sinto muito Girani -- falou envergonhado -- Espero que algum dia você consiga me perdoar.

Alexandra começou a rir, o delegado apenas ficou olhando para ela sem entender o motivo.

-- O perdão é o Botox do coração. Vou perdoar você não porque mereça o perdão, mas porque eu mereço paz -- falou se virando pra porta, tentou ficar brava com ele, mas era impossível. Atício era como um tiozão para ela -- Entender é mais difícil do que perdoar. Sabia?

O delegado ficou olhando, paralisado, enquanto a porta era fechada. Alexandra podia até estar magoada com ele, mas a sensação que sentia era de ter tirado uma tonelada de cima dos ombros.

Alexandra fechou a porta atrás de si e encostando-se a ela fechou os olhos ainda tentando digerir tudo o que ele havia contado.

Foi retirada dos seus pensamentos por uma voz feminina chamando-a.

-- Então? Como foi a conversa?

-- Sem sucesso. Ele é um homem insensível -- disse num fio de voz -- Sabe o que mais ele disse?

A secretária balançou a cabeça com veemência, parecia muito curiosa.

-- Disse que para ele mulher e macarrão são semelhantes: Ambos ele enrola primeiro e depois come.

-- O QUEEE? -- bateu na mesa e se levantou -- Cafajeste!!

A secretária ficou exasperada, com o rosto transfigurado de raiva e revolta, entrou berrando na sala do delegado.

 

 

Na Boate

 

Isabel encostou-se ao balcão do bar, olhou para os lados como se estivesse procurando por alguém.

-- Oh de casa! -- berrou olhando em direção à porta que dava para os fundos do bar.

Arlete saiu de lá esbarrando nos móveis, parecia nervosa e assustada.

-- Dona Isabel! A senhora veio?

-- Olá Arlete e, por favor, não me chame de senhora -- falou sorrindo de forma simpática -- Você não me chamou?

-- Chamei, mas... pensei que... -- gaguejou obviamente um pouco surpresa ao ver que Isabel atendeu ao seu chamado quase de imediato.

-- Tudo bem. Confesso que estou surpresa e curiosa com o seu chamado para conversar.

-- Estamos precisando de ajuda -- falou esfregando as mãos com força -- Acho que temos um problema.

Isabel apenas levantou uma sobrancelha ligeiramente e não disse nada.

-- Por favor, me acompanhe até a adega.

Com expressão cautelosa, Isabel assentiu e entrou com ela na adega.

 

 

No Centro

 

-- Você pode até pensar que estou louca, mas, mesmo assim, vou arriscar lhe falar.

Janaína inclinou-se um pouco para frente.

-- Pode falar.

Pela primeira vez ela olhou fundo nos olhos de Janaína e sem demora, começou a contar a sua história.

-- Estava alguns dias atrás já naquela fase de vigília em que não estamos nem acordados nem a dormir quando senti uma presença no meu quarto. Essa presença aproximou-se da minha cama e sentou-se ao meu lado. Comecei a sentir um frio enorme no braço e depois calor. Nesse mesmo instante, ouvi um ruído inexplicável, uma luz muito branca por cima da minha cabeça -- falou Lilian esfregando as mãos no rosto -- Fiquei um pouco nervosa com o que aconteceu, mas logo senti uma paz e tranquilidade enorme. Levantei-me e fui até ao banheiro e olhei-me ao espelho como quem comprovava se estava realmente acordada.

Janaína não ficou nada surpresa, muito menos achou que ela estava louca. Já havia passado por tudo isso.

-- Foi só dessa vez?

-- Uma semana se passou e como o fato não se repetiu achei que tudo tinha acabado. Foi quando outro fato ocorreu: Eu acordei no meio da noite e senti uma luz que invadia o quarto, naquele momento senti paz profunda e vi uma pessoa sentada na cama ao meu lado. Dessa vez consegui identificar quem era...

-- Giovana.

-- Como você sabe? -- Perguntou ela assustada.

-- Tenho passado pela mesma situação desde a morte dela.

A mulher ficou tão surpresa ao ouvir a revelação, que desabou na cadeira.

-- Então quer dizer que você também?

Janaína concordou, fazendo um gesto com a cabeça.

-- Após este dia eu estou recebendo a visita dela constantemente. Sei que não está certo Janaína. Se estivesse, ela não estaria aqui. Tenho uma louca vontade de compreender tudo o que está acontecendo. Vim aqui na esperança de que me podeis ajudar a ter uma ideia do que é esse fenômeno, da sua origem e dos seus efeitos, ou ensinamentos. Enfim, algo que me faça luz sobre este extraordinário fenômeno que ninguém me sabe explicar o que é.

- Confesso que também estou um pouco perdida Lilian, mas de uma coisa tenha certeza: Ela está presa ao nível da crosta planetária, e não consegue se desprender do apego à existência que já se encerrou. Ela acredita ainda estar viva, e não entende por que as pessoas não falam mais com ela. Com isso, ela está atrasando sua entrada nos planos mais sutis e permanece em estado de perturbação e sofrimento.

-- Tudo o que você está falando é muito confuso para mim. Queria tanto poder ajudar a minha filha a ter paz. Por favor, quem sabe juntas podemos fazer algo -- disse ela, com olhos suplicantes.

 

 

Na Boate.

 

Isabel seguia Arlete. Desceram e andaram vários corredores até que divisou a imponente escada de carvalho que descia até o que ela supôs que era a adega.

Ela olhou ao redor examinando todos os cantos. O lugar era amplo e aconchegante. As paredes construídas com tijolos e blocos maciços que ajudavam no isolamento térmico do ambiente.

As janelas bem reduzidas localizadas de maneira que proporcionavam pouca iluminação ao ambiente.

Arlete parou diante de uma porta e a abriu com cuidado.

-- É aqui -- afastou-se para que ela entrasse.

Isabel ficou com cara de quem não estava entendendo nada.

-- Fala logo o que... -- Isabel somente ficou olhando paralisada sem falar e sem mexer um músculo.

-- Era isso que eu queria mostrar -- cruzou os braços atrás da cabeça e passou a fitar Isabel com olhar de socorro.

-- Meu Deus! -- exclamou Isabel tapando a boca com a mão.

-- O que você acha?

-- Que a Xanda vai matar vocês.

-- Foi o que pensamos.

-- Arlete a do... -- Sérgio e Wagner entraram correndo na adega, quando viram Isabel pararam de imediato -- Dona Isabel?

-- O que está acontecendo aqui?

-- Calma dona Isabel, a gente explica.

-- Espera um pouco Arlete.

Isabel ajoelhou-se diante das duas crianças que a olhavam assustadas.

-- Qual é o seu nome? -- perguntou para a mais velha.

A menina corou toda assustada, e olhou para Arlete antes de responder.

-- Thifany.

-- Hummm... Que nome lindo meu amor -- falou sorrindo -- E esse garotão quem é?

-- O meu irmão Thiaguinho -- falou e abraçou o irmão -- Ninguém vai separar a gente -- disse ela no tom amuado de uma criança que vai chorar.

-- Lógico que ninguém vai separar vocês. Que ideia é essa? -- Isabel se levantou e puxou Arlete pelo braço porta afora -- Pelo amor de Deus Arlete... Fala-me o que essas duas crianças estão fazendo aqui.

-- Hoje de manhã quando a gente chegou para trabalhar encontramos os dois dormindo na calçada ali fora. Foi uma cena tão triste de cortar o coração.

-- Porque não chamaram o conselho tutelar? -- Isabel abriu os braços -- A polícia, algum órgão responsável? Sei lá... Alguém que pudesse ajudar?

-- Mas é justamente deles que as crianças estão fugindo. Uma família está adotando Thifany e deixando Thiago no orfanato.

-- Que maldade, mas porque isso?

-- Quem adotaria uma criança em uma cadeira de rodas, dona Isabel? -- Sérgio perguntou do lado de fora da porta encostado ao batente e olhando para as crianças -- É difícil encontrar pretendentes para esse perfil.

-- Poxa! Se já é difícil lidar com a dor da perda da família de origem, romper o vínculo já construído com os irmãos seria uma segunda agressão para as crianças -- Isabel aproximou-se de Thiago e abaixou-se diante dele. Ele segurava dois carrinhos nas mãos e sorriu feliz quando a viu tão próxima.

-- Quer brincar? -- disse o menino.

Isabel se arrepiou e seus olhos lacrimejaram.

No Brasil, segundo dados do Conselho Nacional de Justiça, há 6.164 crianças aptas a serem adotadas e 34.123 adotantes que poderiam ser seus pais. Ou seja: para cada criança na fila de adoção existem cinco possíveis pais. A adoção só não acontece porque a maioria das crianças não se encaixa no perfil desejado - recém-nascidos de pele clara. Das mais de seis mil crianças, apenas 7% são bebê (até um ano de idade) e 67,8% são negros ou pardos.

Além disso, 24,49% dos futuros pais adotivos só aceitam crianças brancas. E 40% dos pretendentes aceitam crianças de todas as cores.

Muitas pessoas têm a ilusão de que adotando uma criança mais nova, o processo de criação e ensino será mais fácil, pois poderá ‘educá-la do seu jeito'.

Thiago não teria a mínima chance de ser adotado.

-- Quero sim garotão lindo, de que você está brincando?

-- De policial. O carro branco é da polícia e o vermelho do bandido. Você é o bandido.

-- Está certo. Vamos começar -- Isabel puxou uma mesa, colocou os carrinhos em cima e iniciou a brincadeira -- Eu acabei de assaltar um banco e você está me perseguindo.

-- Que coisa sem graça! -- a menina falou irritada -- Uma fuga sem ter obstáculos, tiros, explosões, atropelamentos.

-- E o que você sugere? -- Isabel tentou ser simpática com a menina.

-- Vamos brincar de suicídio, você começa! -- falou e caiu na gargalhada.

Isabel ficou sem fala.

-- O que é isso Thifany? Mais respeito com a dona Isabel.

-- Desculpa. É que hoje eu tô terrível! -- falou cobrindo a boca com a mão, de tanto rir.

-- Deixa Arlete. Estou acostumada com engraçadinhas -- Isabel passou a mão no rosto de Thiago -- Preciso sair, mas daqui a pouco eu volto.

-- Obrigado por brincar comigo tia.

-- O que é isso meu anjo? Depois brincamos mais.

-- Tia Isabel -- Thifany a chamou -- Quem inventou a fila?

-- Não sei Thifany. Quem?

-- As formigas.

-- Hum -- Isabel disfarçou o sorriso -- Vem comigo Arlete.

 

 

Alexandra retornou para a boate de bom humor. Apesar da maldade do delegado em deixá-la viver na mentira por todos esses anos, havia ganhado uma irmã e descoberto que sua mãe a amava.

-- MINHA MÃE ME AMAVA!!! -- berrou e abriu os braços, simulando um voo ondulante e lento -- MINHA MÃE ME AMAVA!!!

Sérgio quando viu a patroa levou um susto.

-- Dona Alexandra? É a senhora?

-- Não! Sou o japonês da Federal -- balançou a cabeça indignada com a pergunta -- Não está vendo meus olhinhos puxados?

-- Credo patroa -- Sérgio fez uma careta e olhou nervoso para a porta da adega -- Vai beber algo?

-- Me dê uma garrafa do melhor Whisky que temos. Quero comemorar.

-- Nooossa... Poderosa!!! Tomando Whisky há essa hora? Sabia que faz mal? -- André sentou na banqueta ao seu lado colocando os cotovelos sobre o balcão.

- Vou te contar uma história André, minha vó morreu com 109 anos...

- Juraaaa? -- André a interrompeu -- Tomando Whisky há essa hora?

-- Não, cuidando da vida dela!!

-- Aiiiiii... Grossa.

Alexandra sorriu.

-- Vamos fazer um brinde. Pega um copo pra você.

André pegou um copo e colocou um pouco da bebida.

-- Estamos brindando a que?

-- A noite durante o jantar eu conto -- bebeu um trago, soltando um suspiro de satisfação e lambendo os lábios -- Por enquanto só me acompanhe no brinde.

-- Temos um jantar então?

-- Temos -- pegou o celular no bolso dianteiro da calça -- Vou ligar para a Isa e pedir que ela chame o pessoal.

-- Porque não fala com ela pessoalmente? -- olhou para as mãos -- Ela está na adega há horas.

-- Na adega? Fazendo o que?

-- Não sei. Suspeito né? -- falou maldoso -- Acho melhor ir até lá, sabe como é, quando duas pessoas estão conversando, são amigos. Quando são três pessoas ou mais, é motim ou formação de quadrilha.

Alexandra franziu o cenho e balançou a cabeça, incompreensiva.

-- Vou lá -- se virou e deu de cara com Isabel saindo da adega com uma garrafa de vinho na mão.

-- Oi amor -- falou toda dengosa afagando os cabelos e a nuca de Alexandra -- Estava com saudade, por isso resolvi dar uma passadinha por aqui.

-- O que estava fazendo na adega?

-- A Arlete estava me ajudando a escolher um vinho para bebermos essa noite. O que você acha?

-- Amei a surpresa -- deu-lhe carinhosamente um beijo rápido, pegou em sua mão e a puxou em direção ao escritório -- Vem comigo. Quero sua ajuda para organizar um jantar hoje à noite lá em casa.

André se virou para Arlete e a encarou com um sorriso estranho nos lábios.

-- A poderosa pode estar cega, mas eu não. Tô de olho em vocês -- apontou dois dedos pra ela, depois apontou os dois dedos pros próprios olhos.

 

 

No Centro

 

-- Você acha que essa médium poderá ajudar a gente?

-- Tenho certeza que sim Lilian. A doutora Bruna é uma pessoa iluminada e irá nos orientar mostrando o melhor caminho.

-- Se você confia tanto nela podemos tentar -- Lilian deu a volta na mesa, para ficar ao lado de Janaína -- Me desculpa por ter sido tão incompreensiva com a Giovana, e atrapalhado a felicidade de vocês duas. Só agora percebo o quanto fui idiota e homofóbica. Posso lhe pedir um abraço de perdão? -- desabafou Lilian com uma lágrima no canto do olho -- Lamento muito. Muito mesmo -- abriu os braços e puxou Janaína para um abraço apertado -- Perdoe-me.

-- Sempre perdoo as pessoas que me magoam Lilian. Não para me aproximar mais delas, mas para não me afastar de Deus!

 

 

 

Perdoar não significa concordar com o ato errado;

Perdoar significa ser livre de um peso que você não fez nada para merecer.

 

 

Nome: rhina (Assinado) · Data: 29/05/2018 19:41 · Para: Capitulo 69

 

As coisas mais loucas acontecem ao  redor  da  Alex 

Como será com  as crianças 

E a verdade sobre a vida de seus pais foram soltas.....agora nada prende Alex ao passado .

 

Rhina



Nome: lucy (Assinado) · Data: 23/07/2016 21:32 · Para: Capitulo 69

amei o capítulo, então os futuros filhos de Isa e Alex estão ali a um passo da adega...e olha só a menina tem o senso de humor da Alex kkkkkk

 

Lilian e Janaína unidas pelo bem da alma da Gio, bem legal ao menos a Lilian se arrependeu de suas atitudes isso sim é bem legal

então a mãe da Alex era bacana e amava a filha, foi injusto com a mãe da Janaína e ela mas veja como a vida é...ficaram juntas e cresceram como irmãs que são de coração e hoje descobrem que eram de sangue também, Alex vai reconhecer a irmã legalmenteeu acredito nisso pois ela é muito correta

adorando a estória 



Nome: graziela (Assinado) · Data: 14/06/2016 01:57 · Para: Capitulo 69

Quanta coisa acontecendo em um único capítulo. 

Pelo visto logo Isa e Alex vão adotar as crianças,  com o poder de convencimento da Isa logo Alex aceita.

E que noticia maravilhosa que a mãe da Alex não pensou em abandoná-la, e não foi culpa dela o acidente. 

 

😘 😘 



Resposta do autor:

Valeu pelo comentário Graziela. Bjã.



Nome: Susana (Assinado) · Data: 13/06/2016 20:24 · Para: Capitulo 69

Cara, capítulo 69 hahahaha q ideia louca eu tive O.o nuss

Olha a família vai crescer, será? A Isabel parece mesmo que tem jeito com crianças.



Resposta do autor:

Será Susana? A Alex parece não ter muito jeito com crianças, mas enfim, vamos ver o que rola. Beijão gata.



Nome: Manuela (Assinado) · Data: 13/06/2016 20:20 · Para: Capitulo 69

Thifany = Xanda junior. Até a Isa ficou encantada =)



Resposta do autor:

Beijão Manuela. Vamos ver o que dá. Até.



Nome: Eduarda A (Assinado) · Data: 13/06/2016 20:18 · Para: Capitulo 69

Poxa adotar um irmão e deixar o outro é muito triste :( poxa ó eu se tivesse já idade e estabilidade financeira adotava logo e não me importa nada se tem um ano ou sete ou oito, se é moreno ou loiro ou mulato ou asiático ou o que for, se eu senti-se conexão com ele eu adotava logo.



Resposta do autor:

Que legal que tenha esse pensamento Eduarda. Quem sabe um dia você possa adotar e fazer a felicidade de uma criança. Fico na torcida por você meu anjo. Bjs.



Nome: Teresa (Assinado) · Data: 13/06/2016 20:13 · Para: Capitulo 69

Own uma Alex mini *.* to apaixonada! E a Isa que gostou das crianças também? hmm quero ver o que a Alex dirá rsrs



Resposta do autor:

É Teresa, será que a reação da Xanda será a mesma que a da Isa? Sei não...

Beijos querida.



Nome: Rafaela C (Assinado) · Data: 13/06/2016 20:11 · Para: Capitulo 69

Ai essas crianças conquistaram o meu coração 😍 eu acho que um dia gostaria de ter filhos, não sei se será boa ideia no mundo de hoje em dia, não quero ter filhos pra eles sofrerem mas gostava bastante de poder ter filhos e que fossem felizes.



Resposta do autor:

Olá Rafaela. Se tiver que ser será meu anjo. Compreendo o seu medo e com certeza é o medo da maioria das pessoas que pensam em ter filhos. No momento exato você saberá o que decidir. Ouça o seu coração. Bjã.



Nome: Brenda (Assinado) · Data: 13/06/2016 20:07 · Para: Capitulo 69

Porque a Giovana não tá no céu? Não entendo mt de religião mas eu achava que ela merecia estar em paz já. O que ela fez de ruim?



Resposta do autor:

Olá Brenda!

Giovana possui uma alma boa e realmente merece estar em paz. O que a mantém presa a terra é o apego a entes queridos ou a pessoas próximas. Ela pode ficar invocando a presença da mãe e de Janaína por períodos bem longos, sem perceber que sofreu um acidente e não possui mais corpo físico.
Também contribuiu consideravelmente para a prisão no plano da Terra, a morte rápida e trágica. A sua alma não teve tempo de perceber o que ocorreu e ficou confusa com o impacto da súbita transição. Nem todos os espíritos presos a terra são maus, alguns precisam apenas de nossas orações para o seu desenvolvimento espiritual.
"Enquanto o ódio aprisiona, o amor liberta". No capítulo 71 falaremos mais sobre isso. Bjs meu anjo. Nos encontramos lá.



Nome: Leonor (Assinado) · Data: 13/06/2016 19:59 · Para: Capitulo 69

A Janaína e a Alexandra são irmãs *-* não sei porquê mas fiquei feliz.



Resposta do autor:

Sim Leonor. Na verdade elas sempre se trataram como irmãs. Talvez isso seja algo que sentimos não é mesmo? Irmão é irmão, um sentimento inexplicável. Bjs.



Nome: lenna11 (Assinado) · Data: 13/06/2016 19:49 · Para: Capitulo 69

Minha nossa uma miniatura da Xanda kkkkk! Acho que a Isa encontrou os filhos delas! Kkkkk 



Resposta do autor:

O que será que a Xanda pensará disso tudo? É o que saberemos nos próximos capítulos. Bjs Lenna.



Nome: Joana (Assinado) · Data: 13/06/2016 19:38 · Para: Capitulo 69

"Disse que para ele mulher e macarrão são semelhantes: Ambos ele enrola primeiro e depois come." kkkkkkkk eu fico loka com estas piadas kkkkkk AMO <3



Resposta do autor:

Kkkk... Que horror!!!

Bjã Joana.



Nome: Ariana (Assinado) · Data: 13/06/2016 19:35 · Para: Capitulo 69

Eu não acredito em nada disso de ver mortos e essas coisas mas gostei que ao menos já não é tão má essa senhora, pena é que a filha agora já não está viva então não adianta pedir perdão a ela porque não dá.

Beijão



Resposta do autor:

É isso aí garota.

Todo mundo acredita em alguma coisa. Certamente, você também. Aquilo em que acreditamos faz parte do que somos. Por exemplo, se acreditamos no bem, procuramos ser bons e bola pra frente. Bjã gata. Até.



Nome: Raquel (Assinado) · Data: 13/06/2016 19:30 · Para: Capitulo 69

Ah eu não sabia que a mãe da Alexandra amava ela, eu pensava que ela era ruim :O



Resposta do autor:

Olá Raquel.

A Alexandra também pensava dessa forma. Ela foi induzida a pensar dessa forma devido as mentiras que foram contadas pelo delegado. Felizmente tudo foi esclarecido e essa tristeza que vivia em seu coração já não existe mais. Bjã garota.



Nome: patty-321 (Assinado) · Data: 13/06/2016 17:26 · Para: Capitulo 69
Q verdade difícil. A vida toda pensando uma coisa é era outra. O lado bom é q a jana e irmã biológica e de coração da xanda. E a garota e gaiata igual a xanda. Aguenta isa. Kkkk. Triste essa estória de adoção. A burocracia tb afasta as pessoas né? Bjs

Resposta do autor:

Olá Patty.

Bem lembrado. A burocracia talvez seja o maior impecilho.



Nome: NayGomez (Assinado) · Data: 13/06/2016 16:15 · Para: Capitulo 69

Achamos uma Mini Xanda Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Amei a Thifanny a Alex vai se identificar com ela Kkkkkkkk.



Resposta do autor:

Olá Nay.

Coitada da Isa, duas mafiosas é demais. Bjs garota.



Nome: line7 (Assinado) · Data: 13/06/2016 15:41 · Para: Capitulo 69

Assim o coração  não  aguenta!😂  minha linda,diva e como André  falar; PODEROSA...kkkkk..vc é  puro talento, criatividade estrondoso que iluminar todas nós  leitoras ( eita que exageirei...kkkk) sempre apredendo com vc (vs) autoras que são  sensacional. A sintonia de xanda e a menina thifany vai ser de cara a  melhor, quem será  vai contar mais piadas..kkkk..agora o circo está  completo😍😍 thiaguinho😍😍😍..família completa para a felicidade do casal😊 até  mais linda parabéns  mais uma vez pela história, "A HISTÓRIA "😘



Resposta do autor:

Obrigada meu anjo. Você que é uma fofa.

Não poderiamos terminar o romance sem realizar o desejo da Isa, não é mesmo? Ela sempre sonhou em ter a casa cheia de filhos. Nada melhor que começar com dois adotados. O único problema será convencer a Xanda. Assunto para os próximos capítulos. Bjs garota.



Nome: wood (Assinado) · Data: 13/06/2016 13:56 · Para: Capitulo 69

Amei o capítulo Vandinha!Acho que já vai pintar filhinhos na vida da Isa e da Xanda aí completou a família.Agora descoberta as mentiras Xanda vai ficar mais em paz, pra viver toda felicidade que a aguarda e curtir sua irmã, perdoar é essencial pra nossa paz de espírito.Adoro você 😚😚😚até o próximo 😚😚😚😚🌻🌻🌻Uma feliz semana!



Resposta do autor:

Será Wood? Sei não. A Xanda não me parece muito dada a pimpolhos. Mas enfim, vamos ver qual será a reação dela. Bjã meu anjo.



Nome: Mille (Assinado) · Data: 13/06/2016 13:49 · Para: Capitulo 69

Vandinha adoro suas histórias, é cada ensinamento que nos mostra.

Atilio e o advogado privou elas a Janaina e a mãe a viver uma vida mais digna, o coração generoso de Dolores que criou ela como uma filha sem pedir nada em troca.

Liliam e Janaina juntas para fazer a Gio fazer sua passagem e viver em paz, sabendo que a mãe e a namorada estão em paz entre elas, e que a mãe reconheceu seus erros.

A poderosa será mamãe e ainda terá que concorrer com as piadas de Tiffany, gostei muito e quando a Xanda estiver frente a frente com eles será a amor a primeira vista, e assim forma sua familia.

Bjus minha querida autora, achei essa frases parecido contigo.

Certo dia

"Um médico sábio falou: 

- O melhor remédio é amor e carinho.

Alguém perguntou:

- E se não funcionar?

O sábio sorriu e respondeu:

- Aumente a dose."



Resposta do autor:

Que lindo Mille. Obrigada pela lembrança, você é uma fofa.

No próximo capítulo vamos ver qual será a reação da Xanda. Quem sabe ela não amolece aquele coração de mafiosa? Bjã meu anjo. Até.



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.