R u gonna be my girl? por Rose SaintClair


[Comentários - 299]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

             Voltei para o Queens com o sorriso estampado no rosto. Estava com um pouco de fome e peguei um Sabrett no caminho “Melhor cachorro- quente EVER!”. Sei que tenho que me alimentar melhor, mas comer saudável nos Estados Unidos é muito caro. “Por isso que tem tanta gente obesa! Comida gordurosa barata e sedentarismo!”. Sem falar nas porções. Tudo gigante. Mas quando eu tiver o meu apartamento prometo “de dedinho” que irei fazer comida em casa e comer mais frutas e verduras.

Agora preciso falar com meus pais e procurar um apê lindinho estilo LUIZA!!! AIIII TÔ FELIZZZZ! Assim que chego ao apartamento vou até meu quarto e ligo para minha mãe para contar as novidades. Aguentei vários sermões sobre: Não esquecer a porta aberta. Não esquecer o gás aceso. Não falar com estranhos. Comer direito. Não beber. Usar camisinha (como se eu precisasse disso). Blábláblá. Whiskas sachê.

Até que finalmente mamãe falou que era para eu começar a procurar um lugar mais perto do meu curso. Depois de milhares beijos online e novamente uma rodada de sermões mamãe desligou. Fiquei mais um tempo no notebook e vi que a Nanda e a Clarinha estavam online. Abri o Skype e chamei no nosso grupo.

— Cadê as lindinhas da sua dinda??? – chamei quando as vi na tela.

— Oieeeee Luuuu – Clarinha parecia feliz.

— Oi Lu, tudo bem por ai. – Nanda perguntou.

— Tudo lindo e maravilhoso. Vou me mudar pra ilha!!!!

— AI QUE TUDO!

— Foda Lu. Vai morar com quem? Não vai ficar sozinha né? – Nanda sempre preocupada.

— Fernanda Duarte eu tenho idade suficiente para morar sozinha oras – fingi estar indignada.

— Ah, só falei porque... sei lá.... você ficar sozinha ai... – Nanda fez aquela cara de preocupação com vergonha... COMO NÃO AMAR?

— Menos Nanda... menos! A Lu sabe se cuidar!

— Valeu amiga!!! Só você me entende! Pela Nanda e meus pais eu precisaria de babá – falei rindo.

— Não é isso – Nanda faz um bico lindo.

— Tá me conta onde vai ser o apê?

— Clarinha ainda não sei. Mas queria algo no Chelsea ou Village – no mesmo momento nós  três começamos a cantar pulando:

♫t's fun to stay at the Y-M-C-A
It's fun to stay at the Y-M-C-A

They have everything

For you men to enjoy
You can hang out with all the boys♫

— Que saudade de você sua louca! – Clarinha fala.

— Eu também. Aiiii... venham me visitar.....

— Quando terminar o treinamento a gente vai Lu e você nos mostra a cidade tá? – Nanda responde.

— Simmmm.... e vocês ficam no meu apê novo, lindo e maravilhoso.

— E os gatinhos Lu? – Clarinha pergunta.

— Olha... to meio fechada pra balanço – falei zuando. – As últimas que eu peguei foram vocês – ri e vi que a Clarinha estava com a cara completamente vermelha e a Nanda com aquele sorriso safado que eu amo muito.

— Ai que vergonha. – Clarinha fala.

— Boas lembranças. – Nanda sorri maliciosamente e eu a acompanho.

— Se vocês quiserem repetir estou a disposição – disse como quem não quer nada.

— PAREM AS DUAS – Clarinha fala mais vermelha do que um pimentão. – Mudando de assunto: Lu como você conseguiu convencer os teus pais?

— Aiiiii.... não contei a melhor parte! CONSEGUIUMESTAGIOCOMANORADOMAIN – gritei

— AI QUE TUDOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO – Clarinha grita.

— Oi? Nunca vi mais gorda. É de comer? – Nanda fala rindo.

— Para Nanda – eu e a Clarinha falamos juntas.

— Íiiii começou... se juntaram pra me detonar agora – Nanda faz bico.

— A Nora Domain é a musa da Luiza, lembra Nanda?

— Ahhhhh a velha cheia de plástica que usa uns chapelões né?

— Aiiii simmmm – falei concordando porque a minha musa era assim mesmo.

— E você começa quando Lu? Aiii se você conhecer alguma celebridade tem que contar. IMAGINA VOCÊ CONHECER O JUSTIN!!!! OMG!

— Aiii o Justinnnnnnnnn – Nanda começa a brincar.

— Olha é bemmm possível eu conhecer um monte de gente porque eu vou auxiliar nas campanhas publicitarias também!

— AI LU! Parabéns você merece! – Clarinha estava mais excitada que eu com a ideia.

Ficamos por mais um tempo falando besteiras e eu notei que as duas estavam bem novamente. O problema é que essas duas tem muito ciúme. A Nanda do Luiz Otávio e a Clarinha de qualquer menina que fique perto da  Nanda. Depois de muitas recomendações da minha parte de que as duas conversem entre si e não deixem se levar por ciúmes bobos desligamos. Como eu amo essas meninas! A Clarinha virou uma grande amiga e a Nanda.... bom.... a Nanda sempre vai ser o meu amor.

Me lembrei do que a gente falou e a minha brincadeira sobre o ménage. Realmente desde que nós três ficamos juntas eu nunca mais tive ninguém. Na verdade vontade eu tenho. O problema é que sempre fico procurando a Nanda em todas as pessoas. Ainda sinto na pele as sensações que ela e a Clarinha me proporcionaram.

 

Flashback on

Quando eu recebi a mensagem da Nanda falando que finalmente pediu a Clarinha em casamento não pensei duas vezes: arrumei uma mochila e fui comemorar com as duas. Elas merecem ficar juntas. São almas gêmeas. A Nanda só fica completa se está com a Clarinha e vice-versa.

Cheguei à mansão dos Alcântara Machado, dei um beijo na Mazé e fui direto para o quarto da Clarinha. Abro a porta e me atiro em cima delas que estavam deitadas na cama.

— MEU CASAL!!!!!! A DINDA CHEGOUUU! Tão pelada? Se arrumem porque não quero ver a bunda de ninguém. – falei daquele jeito que todos esperam.

— Ai Lu tá me ESMAGANDOOO. – Clarinha gritou

— Meninas vão se machucar, parem de brincadeira! Luiza quer que eu arrume o quarto de hóspedes? – tia Alice pergunta.


            — Não tia, vou dormir aqui mesmo no “meinho” das duas — ri muito da cara que as duas fizeram.

— Então tá, não fiquem acordadas ate muito tarde porque amanha tem aula – titia sempre preocupada.

— Madrinha amanhã é feriado esqueceu?

— É mesmo! Minha cabeça às vezes parece que da um nó.

— A não ser que o barulho incomode a senhora tia. – falei porque sempre escutamos música alta enquanto dançávamos.

— Não Luiza, sem problema, podem se divertir e ouvir música à vontade. Nosso quarto fica lá embaixo. Peço uma pizza? Ou vocês querem outra coisa!

— Pede uma de calabresa e uma de brigadeiro tia? — fiz a cara do gato de botas.

— Peço sim. – aiiii, amooooo a tia.

Depois da janta, tomamos banho e enquanto esperávamos a Nanda se arrumar eu fiquei conversando com a Clarinha sobre a minha vinda para NY.

            — Lu, vai mesmo para NY?- Clarinha pergunta.

            — Logo depois da formatura.

            — Vai morar na ilha mesmo?

— Não, vou ficar no Queens com a Bianca minha prima. Lembra dela? Ela trabalha em uma empresa de TI. Quero que vocês vão me visitar!

— Aiiii simmmm! Mas Lu, eu vou sentir saudade!

— Ah eu também. Vocês duas são minha família. Você sabe que eu amo muito a Nanda, nunca escondi. Mas eu tô muito feliz que vocês se acertaram. Vocês são aquele tipo de casal que da vontade de colocar dentro de um potinho e ficar pra gente, sabe? – falei com sinceridade, era o que eu sentia realmente.

— Ai boba!! – Clarinha fala envergonhada.

— Juro, Clarinha! Vou dar a “loka” se vocês não me chamarem pra ser madrinha do casamento e também da Nanda Junior.

— Nanda Jr., Luiza? Cada ideia!

— Ué por que não? E também não se esquece de me chamar casos vocês queiram um trhesome. — eu sempre falava a mesma coisa e na hora a Clarinha me batia. Só que dessa vez ela olha para minhas pernas e morde o lábio inferior — Ué, não falou não de cara.... Nem me deu tapa! Tá pensando na ideia amiga? Ai que maraaaa!

— Ai Lu, não sei — escondeu o rosto no travesseiro.

— Você sabe que isso é uma fantasia da Nanda né? Ela mooorre de tesão. – contei.

— Ela falou isso pra você?

— Quando a gente estava junto. Ela falou do dia que eu te beijei, em como ela ficou excitada. — ela fica olhando pro meu corpo. — Eu tenho uma ideia, se você não topar a gente não fala mais nisso.

— Fala... – Clarinha diz com uma cara sapeca.

— Eu trouxe um Beck... a gente relaxa... e deixa rolar. Se você sentir vontade de ir até o fim, beleza. O que a gente pode fazer é brincar um pouquinho com a libido da Nanda e deixar ela louca!

— Ai Lu não sei....

— Se você falar “stop” eu paro na hora. Tá?

— Táaaaaaaaaa – Clarinha estava linda. Enquanto eu acendia o baseado ela colocava alguns incensos e deixava o quarto à meia luz. Depois de alguns “tapas” nós duas já riamos até da sombra. A Nanda volta para o quarto e nos olha com uma cara surpresa.

— O que foi? – pergunta ressabiada.

— Nadaaa. – nós duas falamos ao mesmo tempo e gargalhamos.

— Vocês estão com cara de criança que roubou o brigadeiro antes dos parabéns. – rimos mais ainda e a Clarinha chega perto dela e solta fumaça no seu rosto.

— Suas doidas! Os padrinhos estão em casa! – nos atiramos na cama rindo e eu passo o fino para a Ana Clara.

— Ah amor, a gente acendeu incenso. Eles nem vão notar. - fala Clarinha prendendo a fumaça.

— Isso Nanda, da um tapinha. — Nanda pegou o Beck e deu um pega.

— Vocês ainda estão estranhas. – rimos mais ainda e me aproximo da Clarinha sensualmente deixando minha boca quase grudada na dela soltando a fumaça dentro da sua. Vejo que isso faz com que a Nanda fique com os olhos negros de tesão.

— Lu coloca uma musica? - Clarinha pede dengosa e eu coloco uma das músicas preferidas da Nanda.

 (N/A: Ouçam https://www.youtube.com/watch?v=1Z9G8BdnFGs)

She is benediction
She is addicted to thee
She is the root connection
She is connecting with he

Here I go and I don't know why
I flow so ceaselessly
Could it be he's taking over me

I'm dancing barefoot
Headin' for a spin
Some strange music draws me in
It makes me come up like some heroine

She is sublimation
She is the essence of thee
She is concentrating on
He who is chosen by she

Here I go when I don't know why
I spin so ceaselessly
Could it be he's taking over me

I'm dancing barefoot
Headin' for a spin
Some strange music drags me in
Makes me come up like some heroine

She is recreation
She intoxicated by thee
She has the slow sensation that
He is levitating with she

Here I go when I don't know why
I spin so ceaselessly
'Til I lose my sense of gravity

I'm dancing barefoot
Heading for a spin
Some strange music draws me in
Makes me come up like some heroine

Oh God I fell for you ♫

 

Nanda estava sentada na cama fumando enquanto nós duas dançávamos sensualmente, nos enroscamos, nos tocamos, levantávamos os braços e eu já estava completamente molhada de excitação. A Clarinha era linda, mas imaginar que nós duas estávamos excitando a Nanda fazia eu me sentir poderosa. Quando a música terminou Clarinha pegou água e eu sentei atrás da Nanda cheirando seu pescoço nu.

— Uhm tá cheirosa – dou uma fungada no seu pescoço e ela se arrepia. “Que cheiro maravilhoso tem essa mulher!”

— Para maluca! Clarinha olha a Lu aqui! Dá um jeito nela!

— O que ela fez amor? Isso? — e cheira o outro lado do pescoço da Nanda.

— Parem as duas! Vamos escolher um filme?

— Uiii que braba! – começo a rir e mordo a sua orelha. A minha vontade era partir para cima dela, mas eu nunca faria nada que a Clarinha não gostasse.

— Ahh ela é muito braba mesmo Lu — Clarinha morde a outra orelha e a Nanda levanta rapidamente da cama.

— PORRA! Vocês querem me enlouquecer? – pergunta ofegante.

— Talvez quem sabe, queremos Lu? - Clarinha me olha como se estivesse me dando o “ok” e tira sensualmente a camisola ficando com os seios nus.

— Eu quero Clarinha, muito!! – falo retirando a minha camisola também ficando com o torso nu. Olho para a mulher que eu mais amo na vida e ela estava pasma.

Nanda parecia não acreditar no que estava vendo. Me direcionei para trás da Clarinha e comecei a tocá-la com a pontinha dos meus dedos: rosto, vale entre os seios, pescoço, seios e, por fim, massageando seus mamilos. Nós duas olhávamos diretamente para a Nanda com desejo.

Retiro os cabelos do ombro da Ana Clara e lambo seu pescoço. Nanda se aproxima e fica olhando para a Clarinha preocupada. Nesse momento sei que sou apenas uma coadjuvante ali, mas pelo menos eu teria um pouquinho da Nanda. Seria uma despedida em grande estilo.

— Tem certeza? – Nanda pergunta para a sua namorada. – E o teu ciúme amor? – em reposta Clarinha nos puxa para um beijo triplo. Nós ouvíamos apenas o som das nossas bocas chupando, lambendo, conhecendo.... Nossos braços se mesclavam. Não sabíamos mais quem era quem. Carícias, gemidos, apertões... tudo fazia o clima do quarto ficar cheio de luxúria.

Nanda leva Clarinha até uma cadeira apoiando o seu pé direito. Nossos olhos se cruzaram e eu vi o que ela queria. Dar prazer para a Ana Clara. Tudo bem. Não tenho o direito de ficar triste por causa disso. Na outra vez, com a Paulinha, Nanda fez o mesmo comigo. Eu era prioridade.

Enquanto Nanda mordia seu ombro e pescoço eu abocanhei um dos seios da Clarinha. Senti meu corpo inteiro tremer quando as unhas da menor arranharam a minha pele. “Nossa, que tesão!”. Olhei nos olhos azuis da minha amiga e vi o quanto ela estava excitada. Não sei quando, mas notei que a Nanda havia tirado as nossas calcinhas e também estava completamente nua.

Segurei com força a cabeça da Clarinha e a puxei para um beijo intenso, minha perna no meio das suas. Fazia uma pressão gostosa na sua xaninha rosinha e depilada. Clarinha se mexia na minha perna querendo aumentar o contato, seu líquido me melando. As mãos da Nanda me puxavam, me apertavam.... parecia que queríamos nos fundir em um único ser. Eu gemia, Clarinha gemia... Nanda gemia.

As sensações eram alucinantes. Nanda se abaixa e lambe a boceta da namorada por trás. Os gemidos da Ana Clara já eram gritinhos esganiçados. Eu me ajoelho na sua frente e olho para aquela região. “Tudo tem uma primeira vez, né? Vamos lá.” Começo a chupar o seu clitóris delicadamente. O gosto da Clarinha faz com que eu queira mais e inicio um oral desesperado. “Que delicia!”.  Nanda sempre dizia pra mim que a primeira boceta chupada você nunca esquece. Dou um sorriso e continuo avidamente o que eu estava fazendo. Às vezes a minha língua encontrava a da Nanda, como se nos beijássemos ali. Um beijo triplo. Eu sentia minha xana melada e meu clitóris duro como pedra. Aqui estava me enlouquecendo demais! Eu estava amando!

 Clarinha rebolava descontrolada e seu líquido escorria entre as suas pernas. Nanda penetra três dedos na entrada da sua namorada e eu continuo a sugar o seu clitóris. Eu sentia meu ventre contrair. Uma pressão que precisava ser saciada. Meu grelo endurecido doía querendo atenção. Começo a me masturbar rapidamente.

 - Você é uma delícia, sabia? – Nanda fala no ouvido da sua mulher que ao mesmo tempo grita e transborda em um gozo intenso. Meu amor pega a menor no colo e a deita na cama. Eu acompanho e faço carinho nos cabelos da loira que está exausta. Fico olhando para a mulher que eu amo... a querendo tanto que chegava a doer. Mas tudo bem. O que eu já tive hoje foi mais do que eu esperava. Clarinha pega a mão da morena e coloca em um dos meus seios.

— Amor, é a vez da Lu. Você tem que cuidar dela. – AIPUTAQUEPARIU! Tô sonhando? Abro um sorriso gigante.

— Nós vamos gatinha. – ela me coloca deitada de costas em cima da Clarinha que estava alojada confortavelmente nos travesseiros. Minha cabeça nos seios dela, minhas costas tocando a sua boceta. – Você vai me ajudar. Abre ela pra mim amor.

Clarinha prontamente expõe os meus pequenos lábios e meu grelho. Como se servisse um banquete para a namorada. Aquilo era “quente” pra caralho. Nanda abocanhou o meu sexo me olhando fixamente nos olhos e eu soltei um grito de prazer. Clarinha mordia e lambia meu pescoço. As sensações eram demais pra mim. Sentia que a qualquer minuto iria desfalecer. Eu agarrei o bico dos meus seios puxando fortemente.

— Olha amor, como a Lu é gostosa. – Nanda subiu repentinamente e deu um beijo na loira. Logo depois ficou chupando o meu grelo avantajado do jeito que só ela sabe fazer. Clarinha olhava com uma cara impressionada. – Quer chupar?

— Nossa Nanda, parece uma minipiroquinha... – “Oi? WTF????” Nós três paramos, nos olhamos e explodimos em uma gargalhada.

— Minipiroquinha.... – eu ri tanto que comecei a ter soluço.

— É quase maior que o do Vitor. – Clarinha fala, nos olhamos sérias e logo depois explodimos em um novo ataque de riso.

— PORRA CARALHO! Minipiroca! – Nanda fala e não conseguimos parar de rir.

— Luiza posso chupar a tua minipiroca? – gargalhamos.

— Ai Ana Clara você não existe! – abracei a louca da Ana Clara – Agora cortou o clima e eu fiquei na mão! – me faço de indignada

— Quem disse que você vai ficar na mão? – Clarinha pergunta. – Vem Nanda! – Clarinha beija a namorada e me empurra para deitar na cama. Mostrando sutilmente que ela retomasse o que eu estava fazendo.

O amor da minha vida deita em cima de mim colando nossos corpos me beijando apaixonadamente. “OMG! Não chora Luiza, te controla, aproveita o momento.”. Sinto meus olhos arderem e tento pensar apenas no que estava acontecendo e não que seria a última vez que eu provaria os lábios de quem eu tanto amo.

— Porra Nanda, que saudade. – não consigo deixar de sussurrar. Louca de tesão inverto nossas posições e colo meu sexo no dela. Eu sei que a Nanda ama essa posição. Clarinha se acomoda em cima do rosto da namorada que prontamente começa chupar seu grelo.

Eu e a Clarinha nos olhávamos nos olhos, rebolando intensamente, cada uma obtendo seu prazer daquela que nós duas amávamos. Apenas gemidos eram ouvidos no quarto silencioso. Os movimentos já não eram mais organizados, os ritmos se desencontravam, gritos se sobressaiam, o cheiro de suor e sexo.... Tive um orgasmo intenso. Talvez o maior que eu tive na vida, me fazendo tremer inteira e me atirar na cama. Minhas duas amigas gozaram logo depois.

— Banho? – Nanda pergunta sem fôlego.

— Com certeza tô com um cheiro de cabaré de beira de estrada. – levanto da cama e as meninas me acompanham.

— E por um acaso você já foi a algum? – Clarinha pergunta.

— Claro que não! Mas deve ser esse cheiro pra pior. – respondo já no chuveiro. Entre risadas e brincadeiras tomamos banho. No quarto trocamos os lençóis, nos vestimos e deitamos lado a lado.

Clarinha logo dormiu. Nanda estava deitada no meio. Faço carinho na sua barriga e a olho nos olhos: “Obrigada. Eu te amo!” falei movendo apenas os lábios. Ela sorri carinhosamente e me dá um longo selinho. Nada precisa ser dito. Uma lágrima sorrateira cai do meu olho e a limpo rapidamente para que ela não veja. Logo Nanda dorme ao meu lado e fico sentindo a sua respiração e olhando para aquele rosto que me acompanha e sei que irá me acompanhar sempre. “Adeus meu amor. Seja muito feliz. Saiba que eu sempre vou te amar.” Sussurrei mais uma vez... mas sabia que ela não estava escutando.

Notas finais:

oi oi oi! Quem escreve um hot e chora? EUUUU! Me emocionei com a Lu. Sim... sou boba kkkk Falem o que acharam? besossss



Comentários


Nome: HedaWarrior (Assinado) · Data: 31/05/2018 01:08 · Para: Capitulo 6 - Memory

Ah sim entendi! Vou ler novamente u.u hahaha...

Merece sim ;-) hahaha...

beijooos! 



Resposta do autor:

Anotado s2



Nome: HedaWarrior (Assinado) · Data: 31/05/2018 00:49 · Para: Capitulo 6 - Memory

Rose, eu vou reler novamente a História, mas foi quando a Nanda queria pegar ela por trás e a Clarinha no momento não estava pronta, talvez vc escreveu e no momento não me recordo... Mas vou reler novamente, pois eu amo muito a história das duas! 



Resposta do autor:

Ahhhh! Simmmm! Anal!

mas acho que mostrei naqueles “futuros”. Mostrei como se elas  já fizessem sempre. Vc tem razão, merece um flashback na 3 fase. 

Beijo



Nome: HedaWarrior (Assinado) · Data: 31/05/2018 00:40 · Para: Capitulo 6 - Memory

Tá calor, tá calor!! Hahaha....

Que selinho foi esse Fernanda?! Shaushau... Brinks, apesar de tudo ela compreendeu a Lu!

Estou ansiosa pela 3 fase do meu casaaaalll hahaha! Uma pergunta queria autora, eu lembro que a Nanda perguntou a Clarinha sobre ter uma nova experiência na intimidade delas, só que a Clarinha não estava preparada no momento, então eu gostaria de saber se na terceira fase vai ter essa nova experiência e a Clarinha vai querer experimentar?

 

Beijooooos! 



Resposta do autor:

Mel, qual das fantasias!? 

Achei que tinha escrito todas!



Nome: luaone (Assinado) · Data: 28/05/2018 20:42 · Para: Capitulo 6 - Memory

Lindoooooo!!! Também chorei...

 

Agora ru quero um flashback de quando a Nanda "morreu" e de quando ela foi ajudar a Clarinha porquinha... kkkkkk

 

Por favorzinho!!!!



Resposta do autor:

Oieeee já ta na lista hahahah bjs



Nome: SPINDOLA (Assinado) · Data: 28/05/2018 18:57 · Para: Capitulo 6 - Memory

Boa tarde, Rose.

O que falar deste capítulo, SIMPLESMENTE SENSACIONAL.

Deu uma peninha da Lu, o amor dela pela Nanda é muito lindo, mas muito doloroso por ser impossível. Que personagem maravilhoso é a Lu transformando um amor incondicional numa amizade forte, sincera e especial pra vida toda.

Fico super feliz por saber que a Lu encontrará um novo amor, pena que sofrerá mais um pouquinho né autora, judieira da bichinha. Sorte que no destino dela estava reservada uma Nanda 2......

Bjs



Resposta do autor:

Oie! simmm, lembro quando algumas meninas xingavam a Lu hahahaha. Beijoo



Nome: preguicella (Assinado) · Data: 28/05/2018 17:21 · Para: Capitulo 6 - Memory

Putz, peninha da Lu, mas ela vai encontrar uma substituta a altura da Nanda, não vai autora?! Diz que sim!!! hahaha

Bjo



Resposta do autor:

Vai sim 2 ate kkkkk beijoo



Nome: Gioh (Assinado) · Data: 28/05/2018 17:12 · Para: Capitulo 6 - Memory

aaaiii a Lu e tao fofa.. da até vontade de shippar com a nanda rsrs



Resposta do autor:

Dá né? hahahahahahaha



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.