Última noite de amor por Vandinha


[Comentários - 1262]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

 

Última Noite de Amor -- Capítulo 57

 

Quando o cliente chegou ficou algum tempo parado na porta admirando-a.

-- Mas você é muito mais boazuda do que me falaram.

O estômago de Isabel embrulhou diante da figura do velho barrigudo e peludo a sua frente. Ele babava e fedia a bebida.

Ela engoliu em seco e falou cruzando as pernas de forma sexy:

-- Senta aqui gostosão. Vou te dar a noite de amor mais quente e louca que você já teve em sua vida!

Ele não esperou um segundo convite. Aproximou-se dela e a agarrou com uma força exagerada.

-- Hei! Calma -- empurrou ele colocando as duas mãos em seu peito -- Para que tanta pressa?

O homem olhou para ela com olhos gulosos.

-- Deixe comigo grandão -- começou a tirar a camisa dele lentamente -- Temos a noite inteirinha para nos divertir.

-- Você tem razão tesão. É que estou louco, de vontade de lhe comer todinha.

Isabel revirou os olhos. Que fase! Pensou.

 

 

No Hotel.

-- Dengo, aonde que esse tal de General mora?

Demo suspirou fundo e sentou no sofá. Pegou um papel e uma caneta de cima da mesa e começou a desenhar um mapa.

-- Contratarei um motorista para levar vocês até o reduto do general -- olhou para André com desconfiança. Tinha um pensamento, tipo: vai dar merda. Levantou as sobrancelhas e continuou a falar -- Ele mora em Malanje, a conhecida terra da Palanca Negra que ostenta paisagens e locais de beleza luxuriante.

-- Fica muito longe daqui? -- perguntou Valéria sentando ao lado dele no sofá.

-- De Luanda a Malanje são 450 quilômetros de asfalto, seguindo pela Estrada Nacional 230, que passa pelas localidades de Maria Teresa, Caxito e Lucala.

-- Caramba como é longe!

-- Umas quatro horas ou até menos Ramon. A estrada é ótima, toda asfaltada até Maria Teresa. Desse trecho em diante é o início da promessa de um namoro com a natureza, bem longe do trânsito e bulício da capital. O único problema é que os...

-- Eu como chefe, capitão, dirigente, coordenador, mestre de obras... E tudo mais, ficarei com esse mapa -- arrancou o papel da mão do Demo sem o deixar terminar de falar -- Partiremos logo ao amanhecer -- sua voz era firme, decidida.

-- Você é quem sabe -- Demo respondeu num tom de voz seco -- Mas eu gostaria de avisar que...

-- Está decidido e ponto -- André colocou o papel no bolso e sentou fazendo um bico enorme.

Alexandra foi até a janela com o celular na mão e levantou bem alto.

-- Se a Janaína soubesse o trabalho que dá pra achar uma posição em que o sinal pega, acharia até que eu inventei o Kama Sutra -- retornou para a sala e jogou o celular sobre a mesa -- Sempre fui da opinião que você é o que pensa, mas não vá pensar que é o Superman André, porque, com certeza, você não é.

-- E vocês Alex? Quando pensam em se infiltrarem na boate?

Assobiando, Alexandra atravessou a sala e parou diante de Tatiana.

-- Nós temos um problema em dose dupla: Valentina e Gustavo -- voltou a assoviar e caminhou até Demo -- Odeio ter problemas. Chego a pagar uma fortuna para me livrar deles.

Demo sorriu com os olhos brilhando.

-- Não preciso de dinheiro Alex. Tenho um objetivo muito maior que dinheiro algum compra.

-- Entendo. A pior dor é aquela que dói.

Todos se olharam e balançaram a cabeça sem entender.

-- Mesmo assim, Dengo -- Alexandra puxou do bolso da calça um maço de cédulas e entregou a ele -- É para os gastos. Vá e cumpra a sua parte.

Demo apertou a mão de Alexandra.

-- Negócio fechado -- partiu.

 

 

No bordel Isabel sensualizava enquanto o cliente esperava deitado pelado na cama.

-- Quer uma taça de champanhe? -- jogou uma peça de roupa sobre o rosto dele.

-- Não... Tira outra peça... Tira... -- pedia com os olhos esbugalhados.

-- Só se bebermos champanhe -- falou com a voz mais sexy do mundo.

O homem bufou com sangue nos olhos.

-- Tá certo, mas depois continua o Strip tease.

-- Com todo o prazer -- virou-se de forma extremamente sensual e caminhou em direção à cômoda aonde havia deixado o balde com o champanhe -- Fique de costas seu safadinho. Tenho uma surpresa que vai lhe deixar... -- deu uma gargalhada safada -- Você sabe como.

Ele também gargalhou e deitou de bruços abrindo os braços e as pernas. Isabel olhou para ele e balançou a cabeça. Parecia um sapo-boi.

Ai meu anjo loiro. Que saudade! Troquei a visão do céu pela visão do inferno. Pensou enquanto pegava o frasco que Malú havia lhe dado.

As palavras da mulata ainda ecoavam em sua cabeça:

"Tome muito cuidado! A SHIGA-TOXINA pode ser letal dependendo da dose. Não existe antídoto. A intoxicação causa uma diarreia tão forte que pode levar à morte. O veneno destrói a mucosa do intestino, causando hemorragia e impedindo a absorção de água. A pessoa fica desidratada e faz cocô com sangue".

Pingou a dose recomendada pela amiga e entregou a taça para ele.

-- A brincadeira é a seguinte: cada gole uma peça cai no chão.

-- Hummm... Delicia -- ele vibrou e aceitou a brincadeira.

Isabel sentou sobre as costas dele e tirava peça por peça lentamente a cada gole que ele dava.

 

No salão Valentina caminhava ansiosa de um lado para outro. Olhava para a escada e para o relógio seguidamente. Sua vontade era de ir até lá e assistir de camarote Isabel transando com aquela Anta Angolana, ou melhor, filmar e enviar para Alex assistir a sua amada sendo usada e abusada por aquele ser nauseante.

-- Nervosa Valentina? -- Vemba chegou ao lado dela, parou a olhando e puxou uma cadeira -- Esquece a Isabel, deixe-a fazer o trabalho dela.

Valentina gargalhou.

-- Não sabe de nada inocente. Essa garota é perigosa. E você abra o olho, lá no Brasil tem uma pessoa muito poderosa que se quiser vem até Angola e arranca ela daqui de dentro.

Foi à vez de Vemba gargalhar.

-- Está pra nascer a pessoa que vai conseguir entrar aqui na minha fortaleza e tirar uma das minhas garotas daqui -- acendeu um cigarro e deu uma tragada.

-- Sei não..., mas espero sinceramente que você esteja certo -- puxou uma cadeira e sentou-se próxima a ele -- Mas me conta quem era aquele rapaz elegante que saiu daqui a pouco?

-- Aquele é o Fagner -- deu um soco na mesa de tanta euforia e felicidade -- Ele serve a princesa de Li... Chete Tan, Chete Li... Sei lá... Qualquer coisa parecida. Segundo ele, essa princesa está de passagem por aqui e quer aproveitar muito bem a sua estadia. A princesa é lésbica e sempre que ela e seus homens vierem se divertir, vai querer exclusividade, portanto teremos que fechar a boate.

-- Poxa! E você vai cobrar alto por isso não é mesmo?

-- Imagina se não? -- puxou uma tragada profunda e chamou o garçom com um gesto -- Ela paga em Euro. Dinheiro vivo. Pedi uma verdadeira fortuna.

-- Fez bem. Quero conhecer essa tal princesa. Quem sabe ela não seja a minha galinha dos ovos de ouro?

 

 

No quarto, Isabel já estava começando a se desesperar. Não conseguia mais enrolar o homem. Agora restavam apenas a calcinha e o sutiã.

Ele tomou um gole e olhou para os seios dela coberto apenas por um minúsculo pedaço de tecido.

-- Agora tira gostosa! -- falou se cuspindo.

Estava por cima dele, sentada, balançando-se de modo suave. Começou a desabotoar o sutiã o mais devagar que podia. Abaixou uma alça... Depois a outra...

-- Aiiiiii... -- o homem berrou e deu um pulo tão violento da cama que fez Isabel se estatelar de bunda no chão -- correu para o banheiro apertando a barriga e se trancou lá.

Isabel levantou-se esfregando a mão na bunda e fazendo uma careta de dor. Por fim sorriu feliz pelo plano ter dado certo. Colocou o sutiã, sentou na cama e começou a ensaiar o que ia falar para o homem. Teria que agir naturalmente e mostrar-se decepcionada com a situação.

Quando ouviu o som da descarga ser acionada deitou na cama sem a menor cerimonia.

O homem encostou-se ao marco da porta, cruzou um pé sobre o outro e inclinou-se para frente, numa pose de quem estava com sérios problemas intestinais.

-- Então garanhão? -- falou deslizando a mão sensualmente pelos lençóis de algodão -- Vem fofo -- fez um gesto com seu dedo indicador lhe chamando.

Ele deu um passo à frente e parou de repente com os olhos esbugalhados.

-- Aiiiiii... -- gritou e saiu correndo novamente para dentro do banheiro.

Isabel caiu na gargalhada. Aquele pinto murcho balançando de um lado para o outro enquanto ele corria era a coisa mais medonha do mundo.

 

 

No hotel

 

Alexandra não conseguia dormir. Levantou-se. Acendeu a luz. Foi até o frigobar pegou uma bebida ice e foi até a janela. A estrada estava deserta, a cidade, coberta por uma névoa rala.

Virou à garrafa branca aos lábios e bebeu parte da bebida gelada. Pensou então na mulher maravilhosa que estava em poder daquele monstro. Só de pensar em tudo o que ela poderia estar passando naquele lugar, começava a tremer de ódio.

O que a consolava era o fato de que agora estava perto de acabar com eles. Deu um sorriso sapeca e bebeu mais um gole generoso. Esmagaria um a um como se fossem baratas.

Ela parou, demorando-se um pouco a ponderar sobre um episódio acontecido recentemente. Fincou os cotovelos na moldura da janela e apoiou o queixo nas mãos. Fixou o olhar num ponto distante se pondo pensativa.

-- Será que a barata que eu enterrei lá na praia realmente morreu?

 

 

 

Na boate

 

Isabel estava sentada apoiada na cabeceira da cama, com as pernas esticadas e abraçada ao travesseiro. Quando o seu cliente parou na porta do banheiro pela décima vez, decidiu dar um ponto final naquela situação.

-- Olha não é por nada não -- falou fingindo um bocejo -- Desculpa a piada sem graça, mas ou você caga ou desocupa a moita. Já está amanhecendo e a fila anda meu querido.

-- Desculpa -- falou sem jeito -- Isso nunca me aconteceu. Deve ter sido o calulu de peixe que comi antes de vir para cá.

Isabel fez uma careta. Calulu de peixe é uma espécie de peixe cozido com molho e quiabo, com carne, com molho ou com muamba, que é uma carne, normalmente frango, feita num molho de amendoim.

-- Só podia ter uma diarreia mesmo -- Isabel se levantou e catou a sua roupa do chão -- Nem precisa me pagar. Se tivesse que pagar alguém deveria ser a senhora que faz a limpeza do banheiro. Coitada.

O homem estava roxo de vergonha. Pegou as roupas do chão e vestiu-se em silencio.

Isabel estava quase sentindo pena dele, mas logo em seguida, pensando melhor, resmungou para si: -- Quero mais é que se dane.

 

 

Pela janela André já via o dia raiar. Quando despertou ainda estava escuro. O movimento de carros na rua, contudo, já anunciava o sol. A cerração se dissipava e o clima estava ameno. Precisavam se apressar para não chegarem atrasados ao destino.

-- Meu Deuuuusss... Estou explodindo de ansiedadeeeee...

-- André!

-- Aiiiiiiiiii...

-- Credo -- Alexandra se jogou no sofá rindo -- Tá fazendo coisa errada é?

-- Eu não. Você que parece um fantasma. Acordou cedo?

-- Na verdade nem dormi. Estou muito ansiosa.

-- Vou te confessar poderosa... Também estou.

-- Fiquei pensando na Isa. Será que ela está sendo obrigada a transar com os clientes do bordel?

-- Não quero lhe desanimar poderosa, mas acho que sim. Pensa com todas essas doenças que existem por aí -- colocou a mão na cabeça -- Que horror!

Alexandra escutava em silencio.

-- Acho que seria meio assustador com essas novas tecnologias, se você fizesse sexo com uma puta e depois a mulher do Avast falasse: "Suas definições de vírus foram atualizadas."

-- Espero sinceramente que você volte vivo André -- Alexandra falou com ironia.

-- Voltarei. Estou até levando meu amuleto da sorte -- tirou um chaveirinho do bolso e mostrou para Alexandra.

-- Há, há, há -- riu debochada -- Se o pé de coelho trouxesse sorte, o coelho não teria ficado sem pé! Sua besta!

-- Sua bipolar.

-- Seu guti- guti pré-histórico.

-- Sua loira burra.

-- Seu cara de espinha.

-- O queeee??? Sua... Sua... Sua... Rainha do gado.

Silencio mortal.

-- Desculpa poderosa... Escapou...

-- Você teve a ousadia de me chamar de galhuda? -- levantou-se e deu um passo em direção a ele.

-- Claro que não. Você entendeu mal. Aiiiiiiiiii... -- André deu três voltas ao redor da mesa com Alexandra atrás dele até que se esbarrou em Bruna -- Socorro ela quer me matar.

-- O que é isso Alex? Está ficando louca é? -- protegeu o rapaz com o corpo.

-- Ele me chamou de galhuda.

-- Sério??? Pode bater. Isso não se fala para ninguém. Mesmo sendo verdade.

-- Agora não quero mais -- Alexandra sentou-se no sofá, abatida -- Sabem como me sinto?

-- Não -- responderam.

-- Como aquele cara que sofreu um acidente fatal e morreu.

Chegando ao céu o porteiro lhe dá uma BMW e lhe diz:

-- Você nunca traiu sua esposa na sua vida, por tanto esse carro é pra você andar aqui no céu.

O próximo ganhou um Corsinha, porque tinha traído só um pouquinho e o outro ganhou um fusquinha porque tinha traído muito.

Em certo dia, o cara do fusquinha vê o da BMW parado no acostamento chorando, e foi consola-lo:

-- Você com um carrão desses chorando aí triste e eu aqui com um fusca feliz da vida. O que aconteceu?

Imediatamente o da BMW lhe responde:

-- É que eu acabei de ver a minha mulher andando de skate...

 

 

Na boate.

 

-- KKKK... -- Malú estava deitada na cama, segurando a barriga enquanto ria -- Eu falei para você que era infalível.

-- Achei que o infeliz ia morrer desidratado -- falou ainda rindo.

-- Grande perca para o mundo né amiga?

-- Queria ver a cara da Valentina quando soube o que aconteceu.

-- Será que ela ficou sabendo?

-- Eu pedi para ele que contasse. Garantiu-me que contaria.

Isabel parou diante do espelho e fez uma careta, vendo seu reflexo.

-- Estou horrível -- passou a mão pelo rosto, olhando para ele. Seus olhos estavam com olheiras escuras -- Preciso dormir ao menos umas duas horas.

-- Você é linda até com olheiras. Não se preocupe.

-- Não estou nem aí para isso. Não quero parecer bonita para ninguém. Ao menos aqui nesse país.

-- Pois eu tenho uma novidade -- falou toda empolgada -- Ainda não falaram o dia, mas uma princesa que está aqui em Luanda mandou fechar a boate por algumas noites só para ela e os seus empregados se divertirem. Vai ser uma grande oportunidade Isa. Porque não investe? Vai que rola um clima?

Um tom de rosa coloriu as bochechas de Isabel.

-- Acho que você poderia viver um descontraído caso de uma noite com este espécime do sexo feminino tão especial -- Malú brincou.

-- E você? Porque não investe na senhorita, gostosa e misteriosa?

-- Nem soubemos se é gostosa? Vai que é um bucho?

-- Mesmo que seja a oitava maravilha do mundo -- Isabel olhou para Malú com os olhos brilhantes -- Meu coração já pertence a outra pessoa. Eu amo tudo nela: O brilho dos olhos, o sorriso torto e a forma como faz carinho no meu rosto. O modo de andar, de falar e de fazer pirraça. O jeito como seus dedos se entrelaçam perfeitamente nos meus. O jeito chato, bobalhão e irritante. O gosto do beijo, o olhar carinhoso ao falar comigo, o som da voz me dizendo "eu te amo". A certeza que eu tenho é de que é essa pessoa que eu quero e que amo.

 

 

Às sete da manhã em ponto, o carro levando André, Ramon, Valéria e Tatiana, partiu com destino a Malanje.

Ao longo do percurso, foram presenteados com uma vista maravilhosa.

A diversidade paisagística da região levou a província de Malanje a participar no concurso "Sete Maravilhas de Angola" com as impressionantes Quedas de Kalandula e as famosas Pedras Negras de Pungo Andongo, estas últimas um amontoado de rochas gigantescas que remontam a milhares de anos, e a sua beleza única brinda a pequena comunidade de Pungo Andongo, no município de Cacuso, a cerca de 120 km da cidade de Malanje, com uma invejável vista, tornando-o, assim, num lugar especial para visitar, respirar fundo e abraçar a sensação de grandeza e a personalidade única desta construção da natureza.

-- Eu nunca me esquecerei dessa paisagem -- Tatiana estava deslumbrada -- É surreal.

-- Eu não fazia ideia que em Angola houvesse lugares tão lindo -- Valéria sorriu de forma boba -- Deus estava inspirado quando criou isso.

-- Verdade meninas -- Ramon colocou a cabeça para fora -- Olhem o tamanho daquelas pedras.

-- Pois eu estou achando tudo um grande tédio -- André bocejou -- Totalmente sem graça. Ora, ora, ficar admirando essas pedrinhas empilhadas. E ainda achando que Deus estava inspirado -- sacudiu a cabeça -- Em minha opinião nesse dia ele estava com uma baita preguiça e acabou jogando alí de qualquer jeito.

O carro deu um solavanco e entrou em uma estrada de chão.

-- Esse trecho não é asfaltado -- o motorista olhou para o grupo e falou em tom sério -- Por favor, fechem as janelas. Aqui vocês terão o privilégio de apreciar uma vasta fauna, repleta de...

-- Ebaaaa... Um riozinho -- André bateu palminhas -- Pare o carro.

-- Acho melhor não, senhor André.

-- Pare o caaaarrrooo... -- cantou sem paciência -- Eu quem mannndooo...

O motorista olhou para Ramon com olhar suplicante.

-- André ouça o motorista. Ele tem experiência. Deve ser perigoso.

-- E é moço. Aqui é a África esqueceram? Temos animais...

André tapou os ouvidos e cantou:

-- Tô nem aí, tô nem aí...

O homem parou o carro e André saiu.

-- Vocês não vêm? -- negaram balançando a cabeça -- Não sabem o que estão perdendo.

-- André é do tipo que mesmo estando 100% errado, não dá o braço a torcer. Espero que aprenda.

-- Mesmo que ele aprenda acho que não vai sobrar um braço para ele dar a torcer -- o homem falou.

-- Que humor negro hein? -- Ramon comentou chateado -- Sem graça.

-- Toda piada tem graça, ou por ser muito engraçada, ou por ser muito idiota, tudo depende de quem conta -- ele retrucou.

 

André usava calça comprida preta e camisa branca. A camisa grudava na pele suada. Estava impaciente. Parou diante do rio e, abrindo amplamente a camisa, pegou a água com as mãos e esfregou-a no rosto e no pescoço.

Deu alguns passos mais até o meio da rua e secou as mãos, passando-as na calça. Ajeitou o colarinho da camisa sem fechá-lo e observou a mata densa a sua frente.

-- Que idiota! Querendo botar medo em mim -- deu um sorrisinho e se virou para retornar ao carro -- Não! Eu devo estar tendo uma miragem devido ao calor. Uma girafa?

Virou-se para o outro lado.

-- Um ele... fan...te...? -- girou nos calcanhares e olhou para o carro.

Os amigos estavam agitados, faziam gestos com os braços e falavam algo que ele não entendeu.

-- O QUE? -- berrou.

-- Lá, lá, lá -- apontaram juntos e ele olhou.

-- Aiiiiiiiiii... UM LEÃOOOO... Aiiiiiiiiii...

 

 

 

Hoje vou mandar um miauuuu... Para:

A curiosinha Wood

A assídua Mille

A ansiosa Ajully

Adoro vocês.

No próximo capítulo tem mais miauuuu...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nome: rhina (Assinado) · Data: 23/05/2018 01:18 · Para: Capitulo 57

 

Isabel conseguiu se safar na primeira noite.....

Desta vez o plano da Alex é enorme  e envolve várias etapas....

Tudo muito tenso.

Rhina



Nome: lucy (Assinado) · Data: 22/07/2016 02:41 · Para: Capitulo 57

kkkkkkkk eeeita capítulo que me alegrou  demaaaais !!! bjs , nota mil forever



Nome: wood (Assinado) · Data: 18/04/2016 22:11 · Para: Capitulo 57

Vandinha eu voto siiiimmm pela postagem do capítulo 😀😊😊curiosidade a mil.😚😚😚😚😚🌷🌷



Resposta do autor em 19/04/2016:

Olá meu anjo. Por unanimidade o sim venceu. Então está aí o seu capítulo. Não leia com moderação. Bjs minha gata.



Nome: wood (Assinado) · Data: 17/04/2016 16:45 · Para: Capitulo 57

Vandinha vai perder uma leitora😃😃to quase derretendo os neurônios de tanto imaginar a chegada deles no bordel,pra resgatar a Isa e as outras meninas.A curiosidade ta me matando kkkk ainda bem que não  sou tão curiosa😆😆😁😁posta logoooooo😁😁😚😚😚😵😵😵



Resposta do autor em 17/04/2016:

Olá meu anjo. Nãoooo, por favor. Vou correndo terminar o capítulo. Eu sei que você não é curiosa, é só um pouquinho ansiosa. Kkkk... Beijinhos gata. Até.



Nome: juju952 (Assinado) · Data: 17/04/2016 15:29 · Para: Capitulo 57

Isa mandou bem com o cliente dela o cara virou um rei Kkkk nao saia do trono Kkkk, esse André é uma figura bem cómico.  Anciosa pela chegada da princesa  li Che... Bjo



Resposta do autor em 17/04/2016:

Olá Juju. No próximo capítulo finalmente a princesa de Liechtenstein vai dar o ar da graça. Muita ação e comédia. Bjã gata.



Nome: graziela (Assinado) · Data: 16/04/2016 13:09 · Para: Capitulo 57

Muito bom.  Kkkkk

Só o André mesmo para não ouvir ninguém e se meter em confusão.

 

E o que foi aquele cliente da Isa?

 

Estou ansiosa pela chegada da Princesa,  quero saber como será a reação da Isa vendo sua amada ali.

Bjs e bom fim de semana. 



Resposta do autor em 17/04/2016:

Olá Graziela. Tudo bem meu anjo? No próximo capítulo a princesa finalmente vai aparecer. Bjã garota até.



Nome: Ada M Melo (Assinado) · Data: 15/04/2016 18:22 · Para: Capitulo 57

quando a Alex pegar esses crapulas, estou ansiosa...



Resposta do autor em 17/04/2016:

Olá querida. No próximo capítulo a princesa Le... sei lá o que, vai chegar ao bordel e aí começaremos a operação puteiro. Bjã gata.



Nome: sonhadora (Assinado) · Data: 15/04/2016 11:41 · Para: Capitulo 57

Menina, estão me chamando de doida aqui em casa porque fico dando gargalhadas altas horas da noite com esses loucos lindos da sua história, Vandinha. Amo essa história!!!

Beijos!!!



Resposta do autor em 17/04/2016:

Olá sonhadora. Que alegria em saber que a história lhe causa esse sentimento. Rir é tudo de bom minha querida. Obrigada bjs. 



Nome: wood (Assinado) · Data: 15/04/2016 10:29 · Para: Capitulo 57

Verdade Vandinha sou muito curiosa,nem faz idéia de quanto 😊😊tomara que a Alex consiga resgatar logo a Isa porque logo ela não vai mais conseguir escapar desses clientes nojentos😛😛.Tadinho do André será que vai sobrar algum membro do corpo pra ajudar a Isa😂😂😂😂😂você me faz lembrar nesse capítulo dum ataque de quero  quero que sofri numa certa  praia kkkkk e da minha namorada que me deixa maluca enquanto não mato as baratas quando elas decidem dar um passeio 😂😂😂😂ela tem um radar que descobre as batatas a longa distância 😂😂😂😂,agora que a, curiosidade vai aumentar adoro você até o próximo 😆😆😆e não demora muito😄😄😄😘😘😚😘😚🌺🌻🌸🌷



Resposta do autor em 17/04/2016:

Olá minha curiosinha. No próximo capítulo a princesa Le... sei lá mais o que, entrará em ação. Então iniciará a Operação Puteiro. Continue comigo. Beijinho.



Nome: Lekanto (Assinado) · Data: 15/04/2016 04:17 · Para: Capitulo 57

Mais um capítulo gostoso. Agora, que  a princesa de "LI... Chete Tan, Chete Li", não demore muito, pois sem dúvida Isabel não poderá ficar colocando laxante no champagne dos clientes por muito tempo. 


Só quero ver o André se safar do leão. 


Fique na paz de Deus. Beijos



Resposta do autor em 17/04/2016:

Olá Lekanto. Será que sobrará alguma coisa do André? No próximo capítulo teremos o inicio da Operação Puteiro. O bicho vai pegar. Bjã.



Nome: NayGomez (Assinado) · Data: 15/04/2016 01:28 · Para: Capitulo 57

Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk esse André  é  uma comédia, Bom essa princesa só  pode ser a Bruna disfarçada Kkkkkkkkkkkkk coitada da bruna,  eu até  agora me pergunto será que ela luta MMA? 



Resposta do autor em 17/04/2016:

Olá Nay. No próximo capítulo tem homenagem para você. É surpresa. Bjs.



Nome: lia-andrade (Assinado) · Data: 15/04/2016 01:13 · Para: Capitulo 57

Kkkkk passar a noite correndo para o banheiro ninguém merece, mas esse gostei de ver foi muito merecido kkk...ri horrores, Isa é demais. E o André bancando o chefão se deu mal Kkkkk agora que só ver a carreira.. rindo litros 😂😂😂😂😂 

Muito ansiosa para o próximo... beijos..



Resposta do autor em 17/04/2016:

Olá Lia. Essa galera é terrivel né. Imagina o que vão aprontar apartir de agora? Continue comigo. Bjã.



Nome: lenna11 (Assinado) · Data: 14/04/2016 23:46 · Para: Capitulo 57

Kkkkkk ainda bem que a Isa tem amigos aonde vai, essa idéia da Malu foi show e o André se deu mau Kkkkkk! Parabéns Vandinha vc sempre se superando! 



Resposta do autor em 17/04/2016:

Obrigada Lenna. Essa galera louca vai continuar aprontando, com certeza. Bjã gata. Até.



Nome: Baiana (Assinado) · Data: 14/04/2016 21:54 · Para: Capitulo 57

kkkkkkkkkkkkkkkkkk a Isa foi mais esperta que a Valentina.

O André se lascou, quem mandou se achar o poderoso chefão.

Eu pensando que já ia ter quebra quebra e resgate da donzela nesse capitulo kkk



Resposta do autor em 17/04/2016:

Olá Baiana. No próximo capítulo. A princesa Le... entrará em ação. Iniciará o Projeto Puteiro. Bjs.



Nome: Mille (Assinado) · Data: 14/04/2016 21:21 · Para: Capitulo 57

Ri que chorei do cliente da Isabel e para fechar com honra o cabeça dura do André.

Judicao terminar um capítulo assim, isso foi só o começo.

Bju querida Vandinha deixou essa leitora com cara abobalhada.



Resposta do autor em 17/04/2016:

Olá baixinha. Você merece todas as minhas homenagens. Você não é Brahma, mas é a minha leitora número um. Desde o começo está aturando as minhas piadas sem graça. Beijinhos gata.



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.