Última noite de amor por Vandinha


[Comentários - 1262]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

 

 

Última Noite de Amor -- Capítulo 52

 

Alexandra entrou no apartamento, abatida emocional e fisicamente, mas não estava morta.

Já tinha passado por várias situações semelhantes ou até piores que essa, então, não ficaria chorando pelos cantos. Tomaria um banho relaxante e dormiria por horas seguidas. Quando acordasse, voltaria a ser a Alexandra Girani de sempre.

Janaína assim que viu Alexandra correu em sua direção com uma alegria imensurável, lançou-se por cima dela e a beijou.

-- O que é isso? -- Alexandra a segurou firme para não caírem -- Tá drogada?

Janaína passou a mão pela testa e pelo rosto dela.

-- Você está bem?

-- Estou me sentindo meio bosta, mas vou sobreviver.

-- Nunca mais faça isso, fiquei morta de preocupação.

-- Com certeza -- se afastou e sentou no braço do sofá -- Nunca mais vou atrás de mulher nenhuma. Descobri que se quiser uma garota perfeita, tenho que comprar uma Barbie.

-- Ninguém é perfeito Alex.

-- Concordo com você, mas bem que a Isa podia ser um pouquinho menos imperfeita né. Fala que me ama, mas prova que me odeia.

Janaína simplesmente sorriu e sentou no sofá segurando a carta junto ao peito.

-- Alex lembra aquele dia que fui com a Edna e a Valéria ao Centro Espírita?

-- Lembro sim. No dia em voltamos da ilha.

-- Isso mesmo. Para ser sincera, fui até lá na esperança de uma palavra que me fizesse entender o motivo pela qual o espírito da Giovana não consegue encontrar o caminho da paz.

Alexandra se levantou.

-- De novo esse papo Jana. Eu não acredito nisso.

-- Espera -- segurou no braço da empresaria -- Por favor, Alex, senta aqui. Quero te mostrar algo que talvez lhe faça mudar de ideia.

Alexandra sacudiu a cabeça incrédula. Não acreditava nessa história de reencarnação, espíritos presos a terra, ou qualquer outra baboseira relacionada à vida após a morte. Para ela a pessoa que: Dormiu o sono dos justos, vestiu pijama de madeira, comeu capim pela raiz, partiu para a terra dos pés juntos, esticou as canelas, ou qualquer outro eufemismo usado, já era, acabou. Virou purpurina.

-- Eu não quero fazer você acreditar nisso, tão pouco ficar falando nesse tema. Pra falar a verdade, eu só comecei a pensar sobre espiritualidade após a morte da Giovana e os frequentes sonhos que tenho com ela.

-- Tudo bem Jana, o fato de não acreditar, também não quer dizer que seja insensível aos credos das pessoas. Pode mostrar o que você tem para me mostrar - sentou-se confortavelmente ao lado da amiga no sofá.

-- O que tenho para te mostrar é essa carta Alex. Ela foi psicografada lá no Centro e eu tomei posse dela, pois tenho certeza que ela pertence a nós duas.

Alexandra por instantes relutou em aceitar o papel dobrado oferecida por Janaína, mas a curiosidade foi maior e ela pegou. Pensou um momento, hesitou, mas em seguida abriu lentamente a carta e a leu.

 

"Minhas queridas filhas Piquita e Bezão".

Alexandra olhou assustada para Janaína, mas logo voltou os olhos para o papel.

"Envio está carta por intermédio da médium Bruna, pois não estou mais nesse plano". Que a benção de Deus as envolva. Este é um grande momento para mim. Deixar vocês não foi fácil. A minha passagem foi conturbada, mas depois que fui para o hospital espiritual, tornei-me auxiliar na colônia divina servindo ao próximo. Hoje estou no campo de atividades curativas. "Bezão, você sofre muito com minha morte, através dos mentores, venho para te dar luz, amenizar a dor e pedir que perdoe sua mãe".

-- É o papai... Só ele me chamava de Bezão e a você de Piquita. Porque ele está te chamando de filha? -- perguntou sem entender.

-- Continua Alex.

 

"Ela não merece sua revolta, ela sempre esteve ao meu lado com coragem, nas horas boas e difíceis. Não se desgaste tanto, não sofra, seu pai foi o verdadeiro culpado. Minha adorada Maria Dolores, meu verdadeiro amor, tudo o que fizeste por mim está guardado entre canções, risos e preces. O seu sorriso era a luz que iluminava minha alma e caminhava dentro da luz cuidando da minha Piquita. Minha pequena, Deus vela e te guarda nas tardes e noites de cada amanhecer. Perdoe esse homem que não teve coragem de assumir suas atitudes. Seja forte em sua caminhada".

 

-- Maria Dolores? A sua mãe?

Janaína acenou com a cabeça, concordando.

Maria Dolores era uma bela mulher. Ainda jovem ingênua e iludida veio do interior do Rio Grande do Sul tentar a sorte na cidade grande. Assim que chegou hospedou-se em um hotel na Lapa, bairro boêmio do Rio de Janeiro. Viviam nele travestis, cafetinas, escritores falidos, além de outros moradores com o mesmo perfil. Sonhava em ser modelo, mas o máximo que conseguiu foi um emprego de doméstica na casa dos Girani.

 

"Hoje aceito e compreendo a minha própria renovação com alegria. Encontro as minhas filhas unidas e agradeço em prece. Isso deu ao meu espírito um entendimento maior".

Alexandra levantou os olhos cheios de lágrimas e encarou Janaína, na esperança de que dos olhos dela chegasse alguma resposta.

-- O meu pai e sua mãe... Você é minha irmã? -- estava confusa.

-- Não sei Alex... Não temos certeza de nada, é uma carta psicografada... Não prova nada.

 

"Meu querido amigo, o segredo da minha vida só você sabe e embora tenha te deixado cedo, lembro os dias que se foram. Sou feliz por ter realizado diversos sonhos durante minha passagem na Terra; de ter ajudado muitas pessoas e você foi uma dessas. Sinto a paz interior que nos envolve quando me recordo do nosso convívio".

 

-- Mas alguém pode... Quem é esse amigo?

Janaína balançou a cabeça. Não fazia a menor ideia. Alexandra voltou a ler.

 

"Queridas filhas, aquele abraço e aquela prece de sempre a Jesus por sua grande paciência. Orem e vivam com Jesus na intimidade dos seus corações e nas suas atitudes. Não há separação entre os que se amam. Cuidem uma da outra. O ponto para ser alcançado é a felicidade de todos. Fiquem com a paz do senhor!"

Muito carinho e aquele beijo do papai.

Samuel

 

Janaína se ajoelhou na frente de Alexandra e segurou as suas mãos entre as delas.

-- Eu sei que é só uma carta psicografada, mas mesmo assim me perdoa, perdoa a minha mãe Alex. A sua mãe não merecia, ninguém merece ser engana, ainda mais dentro de sua própria casa -- Janaína chorava compulsivamente.

Alexandra secou as lágrimas dela com as pontas dos dedos.

-- Não fica assim. Nós não temos culpa dos erros de nossos pais, Jana -- falou com uma voz tão calma e compreensiva que fez Janaína arregalar os olhos admirados -- Independente do conteúdo dessa carta ser ou não verdadeiros, eu sempre me senti sua irmã -- sorriu e deu um beijo em cima do olho de Janaína.

-- Eu também meu amor, mas...

-- Eu sei -- colocou os dedos sobre os lábios dela impedindo-a de continuar a falar -- Eu sei da importância de termos certeza.

-- Mas Alex só Deus poderia dizer como foi...

-- Deus e meu pai Jana -- se levantou e puxou Jana para levantar também. Caminhou em direção ao longo corredor que dava ao seu quarto -- Primeiro vou tomar banho, depois tirar isso a limpo.

-- Aonde você vai? Perguntou com imensa curiosidade.

-- Vou falar com uma pessoa que talvez possa nos ajudar a encontrar esse amigo do papai. Não se preocupe eu vou descobrir tudo o que aconteceu entre papai, mamãe e a sua mãe. Afinal, há irmãs que valem a pena o nosso esforço.

 

No aeroporto.

Bob e Isabel estavam sentados em uma das mesas da lanchonete. Aguardavam a primeira chamada para o voo. Ainda era cedo, então Bob decidiu verificar se Gustavo e Valentina estavam conseguindo cumprir a missão de embarcar as meninas.

-- Me aguarde aqui Isa e não tente nenhuma gracinha. Ouviu?

Isabel balançou os ombros e permaneceu calada.

Bob ligou para o celular de Gustavo e marcaram um lugar dentro do aeroporto para se encontrarem.

-- Então? Tudo em ordem? -- o cafetão olhava ao seu redor temeroso em ser descoberto pela Policia Federal.

-- Tudo como combinado. Eu levarei um grupo com cinco garotas e Valentina outro grupo com cinco.

-- Ótimo. Onde está a Valentina?

-- Do outro lado. Acabei de falar com ela pelo celular. Também está tudo certo com o grupo dela.

-- Beleza então. Vou voltar para junto de Isabel. Aquela lá tem o DNA da confusão correndo nas veias.

 

Enquanto isso do outro lado do aeroporto Valentina aguardava ansiosa pelo embarque.

-- Ele é famosíssimo. Esse cara é dono de tudo lá. Ele abre uma gaveta assim ó, cheio de dólares. Cheio. Milhões de dólares -- uma das moças falava toda empolgada.

Valentina se interessou pelo assunto.

-- Quem é esse homem?

-- O nome dele é Cavita. Ele paga US$ 10 mil cada programa. Mas, para uma delas, a eleita, o cachê podia ganhar outra dimensão. Cavita faz uma seleção cuidadosa e escolhe uma das beldades para ser a sua própria acompanhante.

-- Muito interessante -- Valentina sorriu.

-- Ele é um homem muito poderoso e mau. Se você não se sujeita as suas vontades, está perdida -- falou demonstrando medo.

 

 

De longe e com o rosto meio que escondido atrás de um jornal, Van Damme observava toda a movimentação.

-- Então é isso... A patroazinha vai amar saber disso -- sorriu maldoso.

 

 

Na boate Vision do Leblon.

 

-- O que a Alex quer com você Valéria?

-- Não faço a menor ideia André. Só sei que ela vai passar por aqui daqui a pouco para me pegar.

-- A Alex está meio perturbada com tudo isso que a Isa aprontou. Tome cuidado, nunca se sabe o que ela vai aprontar.

-- Não se preocupe. Eu me entendo com ela.

-- Encontrar amigos com a mesma desordem mental que você... Não tem preço!

-- Idiota...

-- Lá vem ela e pela cara está a fim de matar meio mundo.

 

 

Em Angola.

 

Demo estava dentro do seu carro em frente ao prostibulo de Vemba. Durante dias essa era a sua rotina. Desde que ajudou Isabel a fugir daquele lugar medonho, que um pensando povoava sua cabeça dia e noite. Tornou-se praticamente uma obsessão para ele. Iria acabar com aquele lugar mesmo que levassem anos. Não suportava mais ver aquelas mulheres escravizadas serem tratadas como lixo. Tentou denuncia-los a policia, mas quase foi morto por isso. Infelizmente eles também fazem parte da máfia. Então, decidiu montar campana e tirar fotos, muitas fotos. Algum dia as usaria de alguma maneira contra eles.

 

 

No Centro Espirita.

 

Bruna dava sua palestra costumeira.

-- "Corrigirás o mal com o bem, afastarás a agressão com a paciência, extinguirás o ódio com o amor, desfarás a condenação com a benção." Assim falou Emmanuel.

Alexandra entrou porta adentro do Centro e foi direto até onde a médica estava. Pegou ela pelo colarinho da blusa e quase a levantou do chão.

-- O que é isso? SOCORRO!!! -- a garota berrou assustada.

As pessoas que estavam assistindo a palestra correram para ajuda-la.

-- Fiquem onde estão se não... -- Alexandra procurou por algo que servisse como uma arma, mas só viu flores. Pegou uma rosa e a esbugalhou na cabeça de Bruna.

-- Se não o que? -- alguém da plateia perguntou.

-- Mais tarde a mato -- falou ameaçadoramente.

-- Hóóó...

-- Com requintes de crueldade.

-- Hóóó...

-- Tudo bem pessoal. Vamos nos acalmar - Bruna tossiu para limpar a garganta -- O que você deseja?

-- Quero falar com meu pai -- falou sem largar da blusa dela.

-- E onde está o seu pai? -- Bruna perguntou tentando manter a calma.

-- No céu... Eu acho -- Alexandra fez uma cara de duvida e prosseguiu - Chama ele e diz que eu preciso saber de mais algumas coisas. Aquela carta que você psicografou está incompleta. Preciso de mais informações.

-- Péraí. Não é bem assim como você pensa. As coisas não funcionam dessa maneira.

-- Ah é? E como funciona?

-- Envolve toda uma preparação, um clima de oração, uma reunião mediúnica para fazermos a evocação, ou seja: Não é assim tão fácil a manifestação dos bons espíritos em um médium.  

Alexandra pensou por alguns instantes.

-- Tem um lugar aonde podemos conversar?

-- Tem uma sala alí -- apontou para uma porta branca no fundo da sala -- Me espere lá.

Alexandra deu um sorrisinho.

-- Claro que não. Meu caso é mais urgente -- saiu arrastando a médica até a sala reservada.

E a plateia:

-- Hóóó...

Valéria assistia tudo aquilo quase morrendo de vergonha. Alexandra era uma grossa. Coitada da Bruna.

-- Vocês não vão chamar a policia?

-- Não né. A dona Bruna falou pra gente: "Corrigirás o mal com o bem, afastarás a agressão com a paciência, extinguirás o ódio com o amor, desfarás a condenação com a benção".

 

 

Na sala.

 

-- Sabia que a violência não leva a lugar nenhum? -- Bruna falou para Alexandra assim que entraram na sala.

-- Mas lhe trouxe até aqui, doutora mediúnica. Há, há, há -- debochou.

-- Sabia que eu luto MMA?

-- Sabia que eu luto MMC?

-- O que é isso?

-- Meto a mão na cara.

As duas ficaram se olhando por alguns instantes até que Bruna resolveu falar:

-- Nós parecemos duas idiotas. Vamos conversar como pessoas civilizadas. Quer um chazinho? Você está muito tensa. Até parece a Victória.

-- Quem é a Victória?

-- Minha esposa, a Vic -- Bruna colocou um pouco de chá no copo e deu para Alexandra beber -- Eu acho que você e ela nunca poderiam estar no mesmo recinto. Daria morte na certa. Ela também é bem nervosinha.

Alexandra deu um gole generoso no chá.

-- Écaaa... -- cuspiu fora -- Que nojo! O que é isso?

-- É chá de boldo. É muito... Aiii... Sua estupida! -- Alexandra deu um tapa na cabeça dela.

-- Você fez isso de propósito. Eu sei.

-- Porque faria isso? -- Bruna deu um imperceptível sorrisinho de canto.

-- Caramba. Isso é mais amargo que futuro de pobre!!!

-- Então, quem é você? O que deseja? - Bruna cruzou os braços e ficou parada na frente de Alexandra.

-- Meu nome é Alexandra Girani. Você conhece a Edna e a Janaína?

-- Hum, estou entendendo. Você é a chata, insuportável e grossa da qual a Janaína se referia.

-- Ela disse isso de mim? -- perguntou triste.

-- Não exatamente, mas acho que ela deve pensar isso de você -- Bruna falou e se afastou para longe.

-- Eu não quero te meter a mão doutora, mas convenhamos... Você provoca né.

Bruna deu de ombros.

-- Me fala logo o que você quer. Tenho plantão na clínica daqui a pouco.

-- Na carta dizia algo sobre um amigo que conhecia todos os segredos do meu pai. Preciso descobrir quem é esse amigo.

-- Espera um pouco. Vou dar uma ligadinha para o céu e pedir para falar com o seu pai -- abriu os braços, desanimada -- Não posso te ajudar, não é assim que funciona Alexandra.

Alexandra sentou-se em uma pequena poltrona que havia por ali. A doutora tinha razão, pensou com ar de derrota. Estava pedindo algo impossível. Talvez o desespero a fizesse ficar assim tão lesada das ideias.

-- Olha, porque você não para e pensa com calma por um momento. Amigos em que confiamos segredos são poucos. Seu pai tinha quantos? Uns dois, três no máximo. Tenta lembrar, pensa bem.

Alexandra pensou por longos minutos até que se lembrou de dois grandes amigos do pai.

-- Vem comigo doutora mediúnica -- puxou a médica pelo braço.

-- NÃO!!! Eu não posso...

-- Pode sim. Você vai comigo. Quem manda dar a ideia.

 

 

Mais tarde.

 

-- Meu Deus Alex, você sequestrou a Bruna Sontag - Valéria olhou para Bruna que estava bicuda sentada no banco de trás -- Estamos ferradas.

-- Que nada. A doutora aí faz tudo na paz e amor, né doutora?

Bruna levantou o dedo do meio para ela.

-- Mal criada. Isso é pecado, sabia? -- Alexandra estacionou o carro em frente a uma casa branca com um lindo jardim. Ela desceu do carro no exato momento em que um senhor idosinho abriu a porta e caminhou em direção a um banco de pedra -- Que sorte, nem precisaremos arrombar a porta.

Bruna deu uma olhada para o idoso e depois se voltou para Alexandra.

-- Teremos sorte se ele lembrar do próprio nome.

-- Ela tem razão Alex. Quem é esse homem?

-- O nome dele é Salvador. Ele era o contador que trabalhava para o papai. Hoje ele esta bem acabadinho, coitado, mas acho que ainda não está caduca.

-- Gostaria de saber qual a importância de minha presença nessa visita?  

-- Bem simples doutora. Por exemplo, se esse velhinho não quiser abrir o bico por bem, será a força.

-- Credo Alex, o velho vai ter um infarto -- Valéria falou horrorizada.

-- Aí que a doutora entra em ação -- Alexandra se virou e deu uma piscadinha para a médica.

-- Tá louca para matar o velho -- Bruna fez uma careta.

-- Aí você aproveita e cuida do espírito dele, doutora mediúnica. Agora vamos.

-- Gracinha! Mas falando sério, esse homem é do tempo que se curava olho roxo com bife.

-- Verdade Bruna, ele deve ser do tempo que o diabo era moleque.

-- Ele não viu o dilúvio não, mas deve ter pisado no barro.

-- Olha, não quero ser estraga prazer, mas será que vocês duas poderiam deixar esse dialogo tão culto para outro momento? -- Valéria perdeu a paciência com elas.

 

 

Meia hora depois...

 

Uma velhinha entra num sex shop, toda trêmula, vai na direção do vendedor e pergunta:

-- Vooocêêê teeem viiibraaaadooorees???

-- Temos sim, senhora! De vários modelos...

-- Teeeeeem daaaaaqueeeleeesss immportadoooooss, de ciiincoooo velocidades??

-- Temos sim, senhora!

-- Então, leeee noooooo maaanuuuall deee iiinstruuuçõoooes coomoo faaaçoooo paaaara dessliiiigar esssta pooorcariiia!!!

 

-- Kkkk... Essa foi boa Bruna -- Alexandra deu um tapinha no ombro dela.

-- Foi é? Então porque o velhinho tá com essa cara de cú?

-- Deve ser a mesma cara que a minha -- Valéria falava enquanto brincava com um cachorrinho que não saia de perto do idoso -- Piada sem graça.

Alexandra sentou ao lado do senhor Salvador.

-- O senhor não gostou da piada?

Salvador olhou nos olhos de Alexandra e...

-- Hããã???

-- Ele é surdo Alex.

-- Sério Bruna? Que grande descoberta -- Alexandra sentou bem próxima ao contador -- Agora aprendam comigo como se faz um interrogatório.

 

 

No Leblon

 

-- Faz horas que ela saiu Van Damme, e até agora não deu sinal de vida. É algo muito importante que você tem para falar com ela?

-- É um assunto de máxima urgência dona Janaína. Algo que a dona Alexandra precisa saber o mais rápido possível.

-- Você já tentou ligar no celular dela?

-- Tentei, mas chama, chama e cai na caixa de mensagens.

 

 

Alexandra dirigia o carro em direção a Ilha do Governador.

-- Ainda bem que você veio com a gente Bruna -- Valéria juntou as mãos num gesto que indicava agradecimento -- Se não fosse você o velhinho tinha morrido.

-- Que exagero. Eu não fiz nada demais.

-- Você ameaçou cortar o pinto dele -- Bruna falou com certa indignação -- A pressão chegou a vinte por quatorze.

-- Se ameaçassem cortar os meus dedos a minha pressão chegaria a trinta -- Valéria falou pensativa.

-- Não entendi a preocupação dele por uma coisa que nem usa mais.

-- Você é muito desumana Alex. O senhor Salvador é um velhinho tão legal, até me deu amendoim. Estava uma delicia. Acho até que abusei da hospitalidade, não deixei nenhum para ele.

-- Não tem problema, Valéria. Ele me contou que depois que perdeu os dentes não consegue mais comer amendoim, só lambe o chocolate que vem em volta.

-- Que nojo!!! -- Valéria segurou o vômito.

-- Seu celular está tocando Alexandra.

-- Quem é Bruna?

A médica olhou no visor e entregou o aparelho para ela.

-- É um tal de Van Damme.

Alexandra parou o carro e atendeu.

-- Fala Van Damme. Novidades?

Depois de alguns minutos ela desligou o celular e olhou para Valéria e Bruna com uma expressão típica de quem vai fazer uma maldade.

-- Operação cancelada por tempo indeterminado. Minha prioridade agora é outra -- Jogou o celular no colo de Valéria -- Liga para o André. Tenho um servicinho urgente para ele.

 

 

 

Olá pessoinhas do Bem.

Quero fazer um convite a vocês: Eu em parceria com a escritora Michele Silva, estamos com um projeto novo no Lettera. O romance ENCONTRO MARCADO. Pode uma relação pelo Whatsapp dar certo?

Vale a pena conferirem. Prometo muita diversão e romance. Beijos.

 

Sinopse

Duas vidas, sonhos e planos diferentes. Fatos reais vividos dia a dia por muitas pessoas.

Amores desfeitos, amores eternos de amizade a amor, enfim você chegou. Chegou trazendo para a minha vida alegria e muito amor.

Do Rio de Janeiro à Florianópolis, uma história de amor nascida no Whatsapp com tudo que a vida possa mostrar.

Cada uma em seu estilo, superando obstáculos, lutando dia a dia por um grande amor.

Uma mistura de Romance, ciúmes, comedia e muita ação.

Encontro marcado: A história de muitas vidas.

SEXTA-FEIRA 25/03 CAPÍTULO 2

 

 

 

 

 

 

 

.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nome: rhina (Assinado) · Data: 22/05/2018 17:37 · Para: Capitulo 52

 

Tô feliz .....feliz pra caramba.....Bruna e Alex.juntas.....interagindo. ...besterol.em.dose dupla.....momento  relax garantido. ....amei

Rhina



Nome: lucy (Assinado) · Data: 21/07/2016 03:20 · Para: Capitulo 52

obrigada pela indicação desse conto, lerei com certeza,

Bruna e Alexandra só podia dar nisso , piadas e piadas kkkkk

agora essa do amendoim chupado kkkkkkkkk noooojo imagine isso ..

essa foi fod* 

o que será que a Alex vai fazer ??? estou muito curiosa....bjs nota mil !!



Nome: darque (Assinado) · Data: 23/03/2016 21:02 · Para: Capitulo 52

Olá Vandinha, parabéns pelo capítulo, acho que Alex vai invadir o aeroporto,rsrsrsrsr

Quanto ao novo romance desejo sucesso! Ainda não comecei a ler, pois tenho receio de ficar esperando, esperando pelo proximo capítulo e nada,kkkkkkk

bjs

darque



Nome: graziela (Assinado) · Data: 23/03/2016 02:27 · Para: Capitulo 52

Como sempre demais a história.  Alex mesmo sofrendo por conta da Isa,  ainda consegue nos fazer rir demais entrando em cada enrascada.  Kkkk

Amei demais o capítulo.  Bj. 



Resposta do autor em 23/03/2016:

Olá Graziela. Que bom que gostou. Obrigada por sempre comentar, suas palavras são um incentivo a mais. Bjã querida. Até.



Nome: NayGomez (Assinado) · Data: 22/03/2016 21:39 · Para: Capitulo 52

Sério  essa Alex é  um barato kkkkkkkkkkk eu me mato de rir com ela agora ela arranjou mais uma loca para completa a equipi maluca dela e essa Bruna é  tao louca quanto ela kkkk amei agora vai lá  Alex e Busca a Nossa Bel e de quebra acabe com a Raça  da Quadrilha de bob . Esse novo conto que vc esta escrevendo " Encontro Marcado " Eu vou ler mais com uma condição ?! Se tiver uma dose de humo que tem em  Ultima noite de Amor? Ai siim eu vou amar kkk. 



Resposta do autor em 22/03/2016:

Olá Nay. Bom humor sempre minha querida, também em Encontro Marcado. Conto com você lá. Bjã garota.



Nome: Carol Maria Leal (Assinado) · Data: 22/03/2016 20:12 · Para: Capitulo 52

To tão ansiosa pra saber qual vai ser a reação da Alex ao descobrir que levaram a Isabel a força.



Resposta do autor em 22/03/2016:

Olá Carol. Tô achando que quando descobrir a verdade, Alex vai querer destruir Angola. No próximo capítulo já vamos ter uma ideia. Bjã minha querida. Até.



Nome: Barbara Cecilia (Assinado) · Data: 22/03/2016 20:09 · Para: Capitulo 52

Alguém avisa logo a Alex que a Isabel foi levada a força!



Resposta do autor em 22/03/2016:

Olá Barbara. Logo, logo a Alex vai descobrir tudo. Nossa mafiosa é porreta. Bjã garota.



Nome: MBertoletti (Assinado) · Data: 22/03/2016 16:45 · Para: Capitulo 52

Nossa não aguento mais de curiosidade pra saber o que a Alex vai fazer contra os três pilantras..... Como sempre capitulo sensacional...Bjs



Resposta do autor em 22/03/2016:

Obrigada MBertoletti. Com certeza a Alex vai tocar terror nos pilantras. Bjã querida.



Nome: wood (Assinado) · Data: 22/03/2016 16:30 · Para: Capitulo 52

Você  se superou  nesse capítulo  vandinha,essa Alex é  das minhas  que se preparem ela vai botar pra quebrar.Agora só  aguardar pelo próximo  capítulo aguenta curiosidade kkkkkk.Encontro marcado vai ser um sucesso ainda mais quem tá escrevendo vindo de você  pode se esperar  de tudo um pouco.A Michele pelo visto é  mais comportadinha kkkk.beijão autora linda!



Resposta do autor em 22/03/2016:

Olá minha linda. Tudo bem com você? Agora fiquei com vergonha. Sou 99% anjo sabia? Kkkk... Bjã fofa.



Nome: lenna11 (Assinado) · Data: 22/03/2016 16:19 · Para: Capitulo 52

A Alex já é doida junta com a Bruna não tem pra ninguém kkkkkk! Queria que ela conseguisse salvar a Isa! 



Resposta do autor em 22/03/2016:

Olá Lenna. Agora a Alex arrumou alguém para dar tapas na cabeça. A Bruna já está acostumada mesmo. Kkk... Bjs.



Nome: Morena37 (Assinado) · Data: 22/03/2016 15:28 · Para: Capitulo 52

Bruna e Alex juntas.. Não tem preço!!!! Adorei, tudo de bom, será que posso ficar com 1 delas pra mim!?? A cada capítulo você se sobre sai,parabéns continue assim!!!!!! Bjs



Nome: Lavinne (Assinado) · Data: 22/03/2016 14:44 · Para: Capitulo 52

Tô adorando a Bruna do meu conto preferido seu :)

brigada!



Nome: Mandy89 (Assinado) · Data: 22/03/2016 14:36 · Para: Capitulo 52

Ola bom dia Vandinha! Lendo ansiosamente sua historia,pra que elas fiquem juntas e acabem logo com essa gang! E sobre a sua outra historia,ja estou lendo,e com toda certeza,pode dar certo um relacionamento assim! Pois foi em um grupo de Whatsapp que conheci minha namorada,e ja vamos fazer 1 ano de namoro :D . Beijos



Nome: Mille (Assinado) · Data: 22/03/2016 14:25 · Para: Capitulo 52

Oi Vandinha linda, sabe que pensei num capitulo reunindo essas belessimas personagens.

Eduarda, Bruna, Gaby junto com a Alex vixe seria uma verdadeira comédia. kkkkkkkkkk

Estou torçendo com o coração na mão que a operação do momento não vai deixar a Isa voltar a Angola.

Que bom que a Jana e Alex ser irmãs, mesmo sem saber já se tratavam assim, muito lindas.

É um previlegio ler suas história e já tenho compromisso no dia 25 com Encontro Marcado. Agora lembrei da frase estou mais feliz que pinto em lixo. ESSA SOU EU

Bjãooooooooooo



Nome: patty-321 (Assinado) · Data: 22/03/2016 14:17 · Para: Capitulo 52
Ter bruna e Alex juntas não tem preço q massa . A Alexandra mafiosa está de volta . Quero ver aquela piranha e os 2 pilantras nas grades.ja to acompanhando a estória de vcs van. Bjs


Nome: Taypires (Assinado) · Data: 22/03/2016 13:56 · Para: Capitulo 52

Como sempre um excelente capítulo!!!

 

Aguardando ansiosa pelo 2º capítulo de encontro marcado. 👏👏

 



Nome: gui (Assinado) · Data: 22/03/2016 13:39 · Para: Capitulo 52
kkkkk..., todos sempre maravilhosos, mas bom demais esse capítulo! ri muito com a Alex em ação, parece que vai derrubar meio mundo, coitada da doutora. abraço


Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.