Delirium por TessaReis


[Comentários - 2880]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

Capítulo 5 - Quando a sombra dela cruzou a sua

 

Rio de Janeiro, seis anos atrás.

Diana lembrava-se de sentir uma coisa estranha enquanto estava no avião. Uma mistura de ansiedade e medo do desconhecido, com uma insegurança sobre o dar certo ou não ao mesmo que uma enorme empolgação para começar aquela vida nova fazia festa no frio de seu estômago. Daria certo, era claro que daria certo, Diana logo se adaptaria, suas duas melhores amigas, Graziela e Laís já estavam no Rio de Janeiro há um ano, cursando faculdades na mesma universidade para onde Diana estava indo. A Federal do Rio de Janeiro. Havia hesitado até o último momento para seguir suas amigas, mudar de cidade a deixava um pouco desconfortável, havia morado em Brasília sua vida inteira e apesar de sempre ter viajado muito, aquela era a vida que conhecia, com seu pai por perto, com Isis a segurando pela mão o tempo inteiro. E era paradoxal que essas coisas que a empolgavam fossem as mesmas que a assustavam. Ficar sem a vigilância de seu pai ou os palpites de Isis. Mas não pensaria naquilo, ah não, não pensaria. Diana estava empolgada, ponto, empolgada demais! Como se algo dentro dela de alguma forma tivesse certeza que ali, naquela cidade lhe aconteceria algo que a mudaria para sempre.

            Suas amigas foram busca-la no aeroporto, e a vista que assaltou Diana assim que saíram do Santos Dumont encheu seus olhos de imediato. O Rio de Janeiro era estonteante! Absolutamente estonteante, tão cheio de cores, tão quente, tão diferente do cinza social de Brasília. Estava ali há menos de dez minutos e já começava a entender a paixão de suas amigas por aquela cidade. Caminharam um pouco pela orla, puxando as malas de Diana, conversando empolgadas até a carona chegar. Graziela e Laís moravam bem perto da universidade, num pequeno apartamento de um prédio antigo que agora também seria o lar de Diana.

            _ Olha, o apartamento é pequeno, mas temos privacidade, tá?_ Lhe disse Laís assim que entraram_ A gente dorme junto no mesmo quarto, assim nós deixamos um quarto livre para...

            _ Para...?

            _ É o nosso quarto vermelho!_ Respondeu Graziela empolgadamente_ Que nem em Cinquenta Tons de Cinza sabe...

            _ Vocês tem um quarto para..._ E Diana caiu no riso_ Vocês são tão pervertidas!

            _ É bem útil, sabia? Falando nisso, você precisa se trocar agora...

            _ Como assim agora? Por quê?

_ Temos uma festa para ir! Vamos, assim você já conhece a cidade universitária, esse seu rosto bonito precisa ser visto por lá, você sempre atrai caras gatos para perto da gente, vamos, vamos, trate de ficar linda e sair com a gente!

E não era como se Diana pudesse dizer não. Abriu seu sorriso fácil e foi tomar banho, se trocar, abrir as malas, buscar algo decente para vestir, ou segundo suas amigas, não precisava ser algo tão decente assim, Diana ficou no meio termo, vestido preto, curto, básico, acentuava suas curvas naturais, seria aquele. Deu um jeito em seus cabelos longos, destacou seus olhos castanhos com a maquiagem, desgrenhou os cabelos um pouco mais e ok, estava pronta. Calçou os saltos pelo caminho e desceu com suas amigas, já tinham carona, e quando chegaram no campus, Diana mal pode acreditar no tipo de festa universitária que estava acontecendo. Diana já havia perdido uma semana de aula, e não pensou que seu primeiro contato com a faculdade seria assim, mas que fosse, já estava adorando! Entraram naquele salão lotado de gente bonita e se dirigiram para o bar, para pedir uns drinques. Mas o balcão estava cheio demais, havia gente de menos para atender, e levou muito tempo até que elas conseguissem pedir alguma coisa.

_ Está lotado aqui!

_ Ainda não lotou, precisa ver isso aqui depois da meia-noite. Não, dá uma olhada naquele cara ali..._ Comentou Laís, já olhando para um rapaz do outro lado do balcão.

_ Qual, qual?_ Era Grazi, já interessada_ O de azul?

_ Ele, olha só aquele gato...

E foi quando os olhos de Diana foram inesperadamente roubados por alguém.

 _ Olha aquela garota_ Foi o que saiu da boca de Diana ao ver uma determinada moça chegando à festa.

Ela era... Linda. Absurdamente bonita, tinha uma cor linda na pele, e um lindo cabelo comprido, brilhante, que se desenhava descendo em ondas suaves por um lado de seu rosto. Ela estava toda de preto, uma blusa decotada deixando o colo nu, a calça era justa em seu corpo e ela usava saltos altos, finos, elegantes. As sobrancelhas bem-feitas, a maquiagem perfeita, um batom bem cor de rosa lhe desenhava os lábios bonitos, simétricos, lindos. E havia um frescor por ela, algo saudável, refrescante, cítrico, e os olhos dela... O verde daqueles olhos criava um contraste único com o amendoado de sua pele. Diana não conseguia parar de olhar, nem de acha-la linda.

_ O que disse, Diana?

_ Aquela garota, olha que linda ela é...

E as duas olharam para quem ela estava olhando e...

Caíram no riso.

_ Ah não, nada disso, você não está olhando para Rhian Keir...

_ Eu não estou olhando, eu só..._ E continuava olhando para ela, que havia chegado cercada de garotas bonitas_ Ela é linda_ Disse, ainda numa espécie de choque pela beleza dela_ Eu acho que nunca vi uma mulher tão bonita de perto...

_ Ela é linda, você é linda e esta é uma péssima ideia_ Disse Laís rindo, recebendo o seu drinque. E Diana abriu um sorriso. Um lindo e doce sorriso.

_ Do que estão falando? Vocês conhecem ela?

_ Quem não conhece Rhian Keir? Vamos te dar a ficha dela. Rhian Keir Laham, vinte e um anos, cursa o segundo ano de medicina, filha de Joseph Laham e Marina Keir, magnatas da construção civil.

_ Ela anda pela universidade como se fosse uma estrela do rock, sempre rodeada de garotas lindas que perdem suas calcinhas para ela mais depressa do que a Grazi troca as próprias calcinhas.

_ O quê? Ela é...?_ E aquilo interessou Diana mais do que deveria.

_ Uma devoradora de garotas, sim, deixa um rastro de lesbianismo por onde ela passa, garotas gays, que não eram gays, que se tornam gays, todas acabam aos pés dela, que não quer ninguém. Está vendo a loira ali com ela?

Diana olhou bem para a moça e:

_ Ela-ela está na novela!

_ Isso, Flavia Toledo, ela é do curso de Artes Cênicas, elas ficaram há mais ou menos um mês, numa outra festa da universidade, ficaram em segredo, mas todo mundo soube, e a dinâmica é a seguinte: Rhian ficou atrás dela por uma hora até ela ceder, e agora Flavia está atrás dela há mais de um mês. É como as coisas são com Rhian Keir.

_ Ela é das Bahamas, tem uma coisa caribenha que é melhor não provar, dizem que toda vez que ela goza ela quebra um coração.

_ Ouça o que Grazi está falando por experiência própria...

_ Você...? Grazi!_ Diana abriu outro sorriso, e aqueles olhos castanhos brilhavam cada vez que ela sorria.

_ Infelizmente foram só uns beijos e uns amassos, eu estava pronta a dar tudo o que ela quisesse, mas ela teve piedade da minha heterossexualidade...

E os drinques de Diana não vieram, mas ela foi dançar com suas amigas de qualquer forma, a festa estava quente, cheia de pretendentes. Diana dançou com um, com outro e vez ou outra, procurava Rhian com os olhos, somente por... Curiosidade. E então quando Diana deu por si, Grazi já estava agarrada em um rapaz, Laís enroscada em outro e ela havia ficado sozinha por ali, claramente sobrando. Então passou a mão pelos cabelos e decidiu voltar ao bar, quem sabe daquela vez conseguia seu drinque. E estava ali, tentando pedir, chamar a atenção de um dos bartenders, mas parecia impossível, o balcão parecia mais cheio do que antes e foi quando de repente, no meio daquele aperto todo, sentiu alguém lhe tocando o braço. E quando virou-se para ver quem era, Diana viu diante dos seus olhos o sorriso mais lindo que já havia visto em toda a sua vida.

_ Vem dançar comigo_ E Rhian puxou-a, mordendo a boca num sorriso.

_ O quê?_ E Diana inevitavelmente sorriu ao ouvir aquilo que não parecia um convite e sim uma intimação.

_ Dançar comigo!_ Rhian repetiu, num sorriso empolgado ao perceber que aquela moça que estava olhando a distância era ainda mais bonita de perto. E foi quando Diana sentiu a mão dela escorregando para dentro da sua, e os dedos se aderiram perfeitamente, como se já se conhecessem.

_ Quem disse que eu quero dançar com você?_ Perguntou, sem conseguir tirar o sorriso do rosto. E foi quando Rhian puxou-a pela cintura, levemente, para responder bem perto do seu ouvido.

_ Teu olho tá me dizendo...

E ela virou-se de frente outra vez, com aquele sorriso na boca, prendendo a mão de Diana na sua com mais propriedade ainda enquanto a levava para o meio da pista, e Diana lembrava-se que naquele momento ficou surda por uns instantes, não ouviu nada, não viu nada, só a viu, só viu ela olhando para trás, olhando em seus olhos com aquele sorriso tão livre aberto.

E foi quando uma música estourou nas caixas de som e nos ouvidos de Diana, a trazendo de volta, a trazendo para Rhian, para o meio daquela pista onde quando se deu conta, já estava dançando com ela, muito junto dela, o suficiente para ver aquelas cores lindas de perto, para sentir o cheiro gostoso do perfume dela, vez ou outra Rhian a tocava, toques inevitáveis disfarçados de aleatórios, e dançava perto de Diana, e falava em seu ouvido, era louca aquela caribenha, quem ela pensava que era? Diana não sabia, mas precisava admitir que estava louca para descobrir. As amigas se cutucaram, vendo com quem Diana estava dançando na pista, e as amigas de Rhian também, podia se ver o incomodo no rosto de Flavia e o mínimo que Rhian estava ligando para aquilo, só queria dançar, com aquela garota que não conhecia, só queria ficar perto dela e descobrir o quão mais atrevida ela podia ser, porque ela parecia atrevida, e petulante, e linda, caramba, como ela era bonita... Rhian puxou-a para perto, pela nuca, lhe dizendo alguma coisa bem perto do ouvido, e não era nada indecoroso, na verdade era um comentário bem humorado de um cara que estava perto delas, e então Diana a empurrou, rindo, se Rhian lhe fez algo enquanto dançavam, foi fazê-la rir. E quando o DJ encerrou o set que estava tocando, Rhian puxou-a pela mão, tirando Diana do meio da pista, abrindo caminho no meio das pessoas.

_ Você não conseguiu o seu drinque, conseguiu?

_ Me viu esperando o drinque?

_ Por duas vezes_ E ela abriu um espaço no balcão sem nenhuma dificuldade_ Caleb? Ei Caleb, eu preciso de um drinque!

_ O que você quer?_ Ele respondeu prontamente lá de trás.

E ela voltou-se para Diana.

_ O que você quer?

_ Como... Como consegue?_ Diana não acreditava que ela havia sido ouvida tão rápido.

_ Eu tenho alguma experiência. O que você quer beber?

_ O que você bebe?

_ Eu? Suco e água de coco.

E aquilo pegou Diana de surpresa.

_ Sério? Você não bebe?

_ Não, mas esse cara faz uma limonada suíça incrível, quer provar?

Diana sorriu. Ela não bebia. Que inesperado.

_ Quero.

_ Caleb, duas limonadas!

_ Duas limonadas, me dá só um minuto.

_ Te dou quarenta segundos_ E ela virou-se para Diana outra vez_ Então, acho que não me apresentei, meu nome é Rhian...

_ Keir_ Completou, tocando o pingente de ouro que brilhava no colo dela.

_ Isso_ Rhian sorriu, sentindo o toque leve, mas breve dos dedos dela_ E eu acho que nunca vi você por aqui.

_ É, na verdade eu acabei de chegar.

_ Mesmo? E de onde você é?

_ Brasília.

_ Brasília, hum, e vai estudar o quê por aqui?

_ Defesa e Gestão Estratégica Internacional.

_ Uau_ Rhian abriu outro sorriso_ Eu não faço ideia do que significa mas parece importante.

_ É bem importante, é sobre relações internacionais, jurisprudências, economia, defesa civil, defesa nacional, em resumo, eu posso evitar a terceira guerra mundial no futuro com todo este conhecimento_ Disse, num tom relaxado, leve.

_ Não duvido que possa.

_ As limonadas_ O rapaz colocou as limonadas sobre o balcão e Rhian fez questão de servi-la.

_ Aqui, nossas limonadas.

_ Obrigada_ E seus dedos se tocaram quando Rhian passou o copo para a mão dela, levemente, suavemente, energizadamente. Havia uma energia entre elas, Rhian podia sentir, Diana podia sentir_ E você, estuda o quê?

_ Medicina. Não posso evitar a próxima guerra mundial, mas...

_ Pode ser o herói de alguém da mesma forma.

E Rhian olhou-a de uma maneira diferente.

_ Gosta de heróis?

_ Todo mundo precisa de um_ Tomou outro grande gole da limonada, que estava realmente deliciosa_ É uma tatuagem no seu pescoço?_ De perto Diana pode ver a fina e delicada tatuagem que ela tinha no pescoço.

_ É, quer ler o que diz?_ E Rhian tirou os cabelos de lado, aproximando-se para que Diana pudesse ler. E era uma frase reta, em fonte pequena que dizia “Become the hero that she needs”. E Diana riu, “torne-se o herói que ela precisa”, era o que dizia a tatuagem, e Rhian caiu no riso também_ Veja que foi você quem puxou o assunto de heróis e quis ver a tatuagem...

_ Coincidência...

_ Destino_ Ela respondeu, segurando a mão de Diana por um instante num gesto quase ao acaso, quase, porque com Rhian nada era ao acaso, Diana descobriria logo_ Você é cheirosa.

_ E você cheira como o meu ex-namorado_ Cheirava, Rhian tinha o cheiro de seu ex-namorado.

_ Hum_ E terminou de tomar sua limonada num gole só, pondo-se de pé_ Vou trocar de perfume amanhã, prefiro cheirar como o seu atual namorado...

E Diana desconcertou-se com a resposta.

_ Meu atual...?

E ela simplesmente sorriu, vendo a confusão que havia causado nela. E então, Rhian checou a hora em seu celular.

_ Eu tenho que ir agora.

_ Ir? Ir embora?

_ Eu tenho um campeonato amanhã bem cedo, preciso dormir bem.

_ Campeonato de quê?

_ Jiu-jitsu, é uma etapa do aberto de verão, vai acontecer no ginásio da universidade, por que não vem me assistir?

_ Lutando?

_ Isso, a gente pode almoçar depois, você acabou de chegar, há mil lugares para você conhecer.

_ Está me chamando para assistir você se exibindo?

_ Eu me exibo o tempo todo, digamos que estou chamando você para me assistir me exibindo de quimono, é diferente.

Diana olhou para ela, extremamente tentada. Será que dava para ver no rosto dela o quanto ela estava tentada? Dava, é claro que dava. Rhian tirou dela o copo quase seco de limonada e pegou-a pela mão, fazendo-a levantar.

_ Eu vou usar um perfume diferente_ Ela lhe sussurrou antes de puxa-la para a saída.

_ Ei, espera, para onde está me levando?

_ Para casa, é claro, como vai acordar cedo para me assistir se for dormir tarde?

_ Mas..._ Diana soltou-se dela, cruzando os braços sem conseguir evitar o riso, aquela moça era demais_ Você é louca!

_ Eu só me preocupo com o seu sono. Vem, eu levo você pra casa_ Ela lhe disse hipnotizando Diana com aquele sorriso.

E por algum motivo, Diana foi. Segurou os dedos dela nos seus, e foi. E Rhian levou-a pela mão até o estacionamento, sem soltar a mão dela ainda quando já não era necessário, caminharam entre os vários carros parados ali e Rhian apontou o alarme, fazendo piscar os faróis de um carro preto rebaixado. Destravou o carro, mas fez questão de abrir a porta para Diana, o que estava fazendo? Diana ainda não sabia. Mas faria de qualquer forma. Rhian abriu a sua porta e acionando outro botão, a capota do carro se abriu, revelando sua parte conversível. Era um Audi R8 Spyder, um carro que Diana só havia visto pela internet.

_ Está se exibindo.

_ Disse que faço isso o tempo todo...

E quando Rhian ia entrando no carro, prestes a fuga perfeita, Flávia apareceu. E Diana nem sabia precisar o quanto havia ficado incomodada com o fato dela ter aparecido. O que ela estava fazendo ali? Ah, Diana estava saindo de uma festa com a namorada dela, era isto, se deu conta de repente.

_ Me dá só um minuto_ Pediu Rhian, já se preparando para sair do carro.

_ Te dou quarenta segundos.

E Rhian abriu um sorriso, era atrevida mesmo aquela moça linda de Brasília. Mas o caso é que havia uma outra moça linda vindo em sua direção, e aquela parecia furiosa.

_ O que você pensa que está fazendo?!

_ Eu tenho o campeonato pela manhã, vou para casa dormir.

_ E vai levar junto essa garota para dormir cedo com você? Por favor Rhian!

E Rhian levou-a mais para trás, para uma conversa mais baixa que Diana não podia ouvir. Mas podia vê-las pelo retrovisor, disfarçou, encontrou um trident de hortelã, levou dois para a boca, olhou no relógio, e foi a primeira vez que sentiu aquele sintoma, que consistia em repelir qualquer mulher que se aproximasse de Rhian. Pensou que deveria ter ido embora daquele carro. E então pensou que se fosse, Flávia ficaria, então Diana ficou, mesmo sem entender seus próprios motivos. Ao final daquela breve conversa, Rhian abraçou Flávia que se abraçou a ela com mais intensidade. E então Rhian beijou-a na mão, e deixou-a ali, voltando para o carro.

_ Pronto, já podemos ir.

_ Quem é ela?

Que pergunta direta. Diana e Rhian pensaram a mesma coisa.

_ Uma amiga_ Respondeu, ligando o carro_ Então, onde você mora?

E Diana buscou um papel enrolado na capa de seu celular. E passou para Rhian.

_ Como uma criança_ Pegou o endereço sorrindo, para ver onde ficava. E havia um problema_ É muito perto daqui.

_ É, é bem perto.

_ Mas nós podemos fazer um outro caminho_ E engatou a primeira marcha, e acelerou dando uma volta veloz pelo estacionamento.

_ Ei!_ Diana agarrou-se no banco, sentindo o vento batendo no seu rosto assim que Rhian dirigiu para fora do estacionamento.

_ Não confia no seu herói?_ Ela perguntou sorrindo, enquanto aumentava a velocidade do carro.

_ Rhian!_ E a velocidade do carro fazia o coração de Diana disparar de uma maneira boa, gostosa, ou seria Rhian que fazia? Estava confusa, caiu no riso. Estava correndo pela orla do Rio de Janeiro, o mar as acompanhava do lado esquerdo e a liberdade beijava as duas de uma forma única, fresca, particular.

_ Diga que confia no seu herói!

_ Você..._ E seguia rindo, rindo sem parar_ Você é louca!

_ Cada um tem o herói que merece_ E ela engatou a quinta marcha, olhando para sua acompanhante que a cada momento ficava mais atraente ainda.

_ Ei, eu acho que moro ali!

_ Mora. Você se localiza bem.

_ E para onde você está me levando?

_ Para o céu, eu estou levando você para o céu! Não quer me dizer o seu nome antes de ir para o céu?

_ Rhian!

_ Me diga o seu nome, está me enrolando_ E Rhian pisou no freio e fez uma curva, saindo da orla, fazendo o coração de Diana disparar um pouco mais.

_ Diana!_ Diana respondeu rindo_ Diana Ribeiro Ferraz, e eu vou matar você quando parar este carro!

E Rhian riu mais, ela podia matá-la, não tinha certeza se já não havia começado desde quando Rhian a avistou naquele vestidinho preto no balcão do bar. Rhian perdeu os olhos por ela assim que a viu, de costas, debruçando-se sobre o balcão tentando conseguir uma bebida. Ela era... Linda, linda demais, tinha uma beleza natural, gostosa. O vestido preto justo lhe delineava as curvas delicadas, as pernas bem torneadas, os cabelos eram longos, alcançavam até o meio de suas costas num castanho mais claro, natural, mas o impacto maior veio quando ela virou de frente. Ela não tinha íris, tinha duas tempestades castanhas que atingiram Rhian numa enxurrada vertiginosa, e quando ela sorriu... Ah não, o sorriso dela era lindo, era brilhante, era cheio de doçura. E toda vez que ela sorria aqueles olhos castanhos brilhavam ainda mais. Era a maior covardia do mundo.

_ Ariana, Ariana_ E abraçou sua melhor amiga pelas costas para conseguir se desvencilhar de Flávia discretamente_ Quem é aquela garota?

_ Qual garota?

_ Aquela no balcão, de preto, com aquela...

_ Bunda linda, eu estou vendo.

_ Eu ia dizer boca.

_ Boca?

_ O sorriso dela é lindo_ Disse, abrindo o seu sorriso.

Ariana olhou para ela como quem a desconhece.

_ Não fique esquisita. Eu nunca vi ela por aqui, deve ser caloura.

_ Deve ser. Eu vou lá.

_ O quê? Tem a Flávia aqui, Rhian? Rhian!

Mas Rhian havia ido de qualquer forma, e quando conseguiu chegar perto dela, ficou sem saber o que dizer. Foi como se seu coração desse uma travada no peito, não sabia explicar. Por isso simplesmente chamou-a para dançar. Até a trava passar. Mas a verdade é que Rhian ainda estava travada, destravava e então Diana a olhava e ela se perdia de novo, era uma reação nova, estava gostando. Rhian engatou uma terceira marcha e Diana achou que ela nunca subiria aquela ladeira enorme. Mas ela subiu, o carro era incrível e Rhian dirigia muito bem. Ela parou num bar rapidinho e quando voltou para o carro, tinha dois drinques nas mãos.

_ Segura o meu, vamos parar logo ali.

E logo ali era num lindo mirante de onde se podia ver toda a cidade acesa de uma vista mais do que privilegiada.

_ Uau..._ Disse Diana, com os olhos perdidos na paisagem.

_ É lindo, não é?_ E passou um dos copos para Diana, era um smoothie de frutas vermelhas delicioso.

_ É mais do que lindo, estou até cogitando a ideia de não matar você. Onde nós estamos?

_ Nos altos da Lapa, mas cada pedaço desta cidade tem algo bonito para mostrar, você vai perceber logo. O único problema aqui é o vento frio _ E tirou a jaqueta de couro que havia vestido no carro e vestiu em Diana, aquela jaqueta impregnada com o cheiro dela.

_ Primeiro congela a minha mente e depois me aquece com a sua jaqueta.

Rhian sorriu.

_ É uma boa estratégia, não acha?

_ Você é cheia de estratégias pelo o que estou vendo.

_ Eu tenho algumas. Diana..._ E pensou no que dizer exatamente, não queria parecer boba, ou perder aquele clima bom_ Eu tenho uma boa razão para não ter deixado você naquela festa.

_ Que não é me fazer dormir mais cedo pelo o que percebo_ Disse, tomando outro gole de seu smoothie e encostando-se no carro.

_ Não, não é_ Ela mantinha aquele sorriso fácil no rosto_ É uma boa razão, mas eu não posso contar a você, ou comprometeria a minha reputação, maaaaas, tem uma coisa que eu gostaria de deixar bem claro_ Ela disse, aproximando-se de Diana, e havia algo por ela, havia algo que... Diana não sabia explicar. Podia ser a curiosidade, podia ser o lugar, a noite, o clima, Diana não sabia, mas havia algo em si que queria tê-la mais perto_ Você sabe que eu estou interessada em você não sabe? Sabe como eu estou interessada?_ Perguntou, suavemente ao limpar um sujo invisível que inventou apenas para tocar o colo de Diana por um instante.

_ Eu acho..._ E Diana sentiu sua pele reagindo com a proximidade dela, com o cheiro, com o calor da pele dela_ Que sei.

_ Eu posso deixar mais claro..._ E delicadamente Rhian correu o nariz pelo ombro, pelo pescoço de Diana, quase sem toca-la, apenas triscando em sua pele e Diana sentiu seu coração disparar mais ainda enquanto Rhian achou que Diana cheirava como a namorada que ainda não havia tido... Rhian pegou-a pela nuca e Diana suspirou, agarrando o punho da mão dela que lhe tocava firmemente.

_ Rhian, eu nunca..._ E não precisava explicar o quê_ Nunca_ Repetiu, com o coração batendo na garganta.

E Rhian abriu um sorriso. Inesperadamente, ela abriu um sorriso.

_ Eu espero que nunca, eu teria ciúmes..._ Ela disse, de uma maneira que fez Diana inevitavelmente sorrir. Não era curiosidade, nem o lugar, nem coisa alguma, era Rhian. Era simplesmente Rhian. Diana relaxou os braços sobre os braços dela, ela estava tão perto de si, quando ela havia se aproximado tanto?

_ Falando em ciúmes... Quem é aquela garota? A que nos seguiu até o carro.

_ Ela, bem... O nome dela é Flávia, nós ficamos juntas há um tempo e foi meio chato, complicado, ela não queria que ninguém soubesse, porque ela é atriz, está começando agora, enfim, não daria certo de qualquer forma, mas aparentemente ela anda tendo dificuldades em entender a natureza do que tivemos.

_ Que foi...?

_ Um momento. Que já passou, já acabou.

_ Mas, ela segue insistindo.

_ Ela é bem insistente_ Sorriu_ E eu também posso ser. Diga que irá me ver lutar amanhã.

_ Eu vou pensar a respeito.

_ O que melhor você tem pra fazer?

Diana olhou bem para aqueles olhos.

_ Nada. E este é o problema.

E Rhian riu com a resposta, Diana riu com a verdade que havia dito e então, Rhian a abraçou, um abraço bom, longo, quente, e elas ficaram por ali mais um pouco, conversando, rindo, e antes das duas da manhã, Rhian levou-a para a casa.

_ É aqui?

_ É aqui. A sua jaqueta...

_ Não, você fica com ela.

_ Rhian...

_ Você fica, e eu vou deixar você na porta.

_ Nós já estamos na porta_ Disse sorrindo ao vê-la descendo do carro.

_ Mais na porta_ E pegou-a pela mão, e juntas, elas caminharam até a portaria do prédio.

_ Pronto, porta.

_ Agora sim. Eu vou esperar você amanhã_ Disse, e respeitosamente, beijou Diana no rosto_ Boa noite.

_ Boa noite_ E Diana abriu o portão, mas antes de entrar, não conseguiu. Voltou_ Rhian!

_ Oi_ E voltou-se para ela de imediato.

_ Por que quis me trazer em casa?

E Rhian abriu outro sorriso.

_ Não, eu não posso contar a você.

_ Se contar, vou ver a sua luta.

_ Mas você sabe fazer uma chantagem!

_ Por quê? Me diga!

Rhian olhou para ela, e decidiu dizer.

_ Você reparou no quão bonita está a noite hoje? Nenhuma nuvem, apenas estrelas, aquela lua enorme, está uma noite perfeita e... É uma noite linda para se conhecer alguém. E eu não queria que você conhecesse ninguém além de mim numa noite assim.

E aquilo tirou um enorme sorriso de Diana, seus olhos brilharam e seu coração disparou de uma forma... Que ela achou melhor entrar de uma vez. Correu para o elevador e mordeu a boca num sorriso. Sentiu o cheiro que havia na jaqueta dela, passou a mão pelos cabelos pensando em tudo. Quando entrou no apartamento, tinha uma sensação incrível dentro de si. Tirou os sapatos de salto, a jaqueta, sentou no sofá. Suas amigas ainda não haviam voltado e ela preferiu assim. Tomou um banho, abriu sua mala, caçando sua roupa de dormir. Deitou-se, pensando em tudo, enquanto Rhian fazia o mesmo, ainda parada na frente do prédio dela. Rhian olhou para cima com um sorriso inevitável no rosto, e era melhor ir embora, tinha uma luta pela manhã. E não estava só falando do campeonato.

Diana acordou sem precisar de despertador, como se seu subconsciente a chamasse dizendo que ela precisava acordar. Checou no relógio, eram seis e meia e ouviu alguém abrindo a porta da sala. Levantou e descobriu que somente agora, Grazi e Laís estavam chegando da festa.

_ Mas, para onde você sumiu? Nós procuramos você naquela universidade inteira!_ Disse Laís entre estar surpresa, feliz, aliviada e irritada. Laís era mestre em unir reações.

_ Eu pessoalmente achei que não ia encontrar você aqui_ Disse Graziela sempre bem humorada ao sentar-se no sofá para tirar os sapatos.

_ E se eu não estivesse aqui estaria aonde por acaso?

_ Sem calcinha na cobertura de Rhian Keir!_ E a irritação de Laís já havia passado_ Todo mundo viu que você saiu com ela, o que aconteceu?_ E passou para a cozinha conjugada a sala e Diana sorriu, pensou que elas não houvessem visto a sua saída.

_ Bem, nada demais..._ E foi ajudar Laís no café que ela começou a preparar.

_ Como nada demais Diana? Vocês dançaram, a gente viu!_ Graziela juntou-se a elas na cozinha_ E ela falou no se ouvido um monte de vezes...

_ Mas, vocês estavam me espionando!

_ Digamos que vocês não estavam sendo exatamente discretas, sabe, discrição não é o forte da Rhian, o que ela disse pra você?

_ Nada do que estão pensando, ela estava falando de uns caras engraçados que estavam perto da gente, e então ela me pagou uma limonada e... Me chamou para assistir um campeonato de jiu-jitsu, agora de manhã.

_ Espera. Ela te pagou uma limonada e te convidou para assistir jiu-jitsu?_ E Laís serviu as xícaras da cafeteira expressa.

_ É, por isso ela precisava ir embora cedo, por causa do campeonato, ela aproveitou e me trouxe para casa.

E Laís e Graziela se olharam, absolutamente surpresas.

_ Ela trouxe você para cá? Direto para cá?

_ Na verdade nós fomos dar uma volta na Lapa, ela me levou num mirante, me pagou um smoothie de frutas vermelhas e então me trouxe para casa.

_ Assim, sem tentar nada?

_ Bem, teve um momento que eu achei que ela fosse me beijar, eu fugi do beijo e ela parou, não tentou mais.

_ Não tentou mais?

_ Não, ela... Entendeu.

E as duas pararam olhando para Diana.

_ Isso... Isso tá muito estranho_ Falou Laís, quebrando o breve silêncio.

_ Está estranhíssimo! Não é assim que Rhian costuma agir...

_ Numa noite normal ela teria seduzido você, te pago alguma bebida forte, te convidado para uma volta de carro que terminaria na cobertura dela, esta é Rhian Keir, não esta que você está descrevendo_ Contou Laís sorrindo.

_ Mas não foi o que aconteceu, ela foi muito agradável o tempo inteiro, me deu a jaqueta dela para me proteger do frio, me deixou na porta de casa, esperou que eu entrasse.

_ Quem é essa pessoa com quem você saiu?_ Perguntou Graziela rindo.

_ Ah, parem vocês duas, daqui a pouco eu vou me sentir mal por ela não ter tentando nada...

_ Não é isso, é que... É inesperado. Vamos lá, criminologia, por que um predador muda seus modus operandi?

_ Eu tenho essa resposta: quando a vítima é fora dos padrões_ Respondeu Graziela, a estudante de psicologia.

_ E por que ele busca uma vítima fora dos padrões?_ Perguntou Diana.

_ Novas emoções!_ Respondeu Graziela sorrindo ao tomar um gole de seu café quente_ Diana, como se sentiu? Quero dizer, não teria saído de lá com ela se não tivesse sentindo nada.

_ Eu... Eu não sei. Me fiz essa pergunta a noite inteira, vocês sabem que eu nunca olhei para mulher nenhuma, e eu ouvi as coisas que me disseram sobre ela e talvez tenha tido o efeito contrário, eu não sei.

_ Se sentiu atraída por ela?

Diana tomou outro gole de seu café, respirando longamente.

_ Ela é muito bonita, e é bem... Diferente.

_ Especialmente com você, ela foi bem diferente. Diana... Eu não sei o que pensar sobre isso.

_ Você não tem que pensar sobre isso, Laís, a Diana tem. O que você quer fazer? Quer ir neste campeonato? Eu vou com você.

_ Grazi, você apoia essa ideia? Você viu o escândalo que a Flavia deu ontem!

_ Escândalo? Ela deu escândalo?

_ Tecnicamente Rhian é namorada dela, Diana...

_ Ela não é, Rhian disse que não é.

_ Então vocês falaram até sobre isso?

_ Sim, ela nos seguiu até o carro, não importa, não é namorada dela_ E Diana soltou um suspiro bem longo_ Ela cheira tão bem..._ E baixou a cabeça na mesa. E Laís e Graziela caíram no riso.

_ Ela já te deixou tonta, chegamos tarde demais, eu vou dormir_ E Laís caminhou para o quarto, tirando a roupa pelo caminho. Graziela esperou que ela desaparecesse dentro do quarto e então, chegou mais perto de Diana.

_ Diana, não liga pra ela, a Laís nunca foi muito com a cara da Rhian, coisa de líderes de colegiados, o que importa é o que você sentiu. Como foi a sua noite? Sinceramente.

Diana tomou seu último gole de café, olhando para o sol que começava a entrar pela janela.

_ Eu não queria que ela fosse embora.

_ Então? Vai atrás dela! Vai assistir ela lutando, passar mais um tempo com ela.

_ Mas e se...

_ Rolar alguma coisa? Tenha coragem para ir em frente_ Ela lhe falou de sorriso aberto_ A vida é feita de momentos e coragem, por que não ter um momento quente com uma caribenha louca, linda de morrer? Se você quer, vai em frente, pega essa mulher, se tem tesão e vontade no meio é impossível ser ruim. Eu vou te perguntar de novo, o que você quer fazer? Quer esquecer essa noite gostosa ou descobrir onde ela poderia dar?

 

Diana pensou por um instante consigo. E então soube a resposta.

Notas finais:

Meninas, um capítulo fofo para vcs! E olha, a Rhian está uma coisa de louco neste capítulo. Deusa, definitivamente uma deusa!!! rsrs 

Bjos s2 s2 s2 



Comentários


Nome: Loui138 (Assinado) · Data: 24/10/2017 14:26 · Para: Quando a sombra dela cruzou a sua

Bem, mesmo essa estória tendo acabado a um bom tempo não pude deixar de comentar o quanto estou amando esse enredo. 

O jeito que você escreve, sua criatividade e a sua sensibilidade ...

Parabéns autora! !

 



Resposta do autor:

Oieeee moça!

 

Que bom saber que Delirium continua sendo lida ♥

Obrigada pela sua leitura! Espero encontrá-la por aqui outras vezes ^^

Beijos!



Nome: Lerika (Assinado) · Data: 05/06/2017 05:06 · Para: Quando a sombra dela cruzou a sua

Que estória maravilhosa!

Destaco o trecho : piedade da minha heterossexualidade hahahahah muito bom!



Resposta do autor:

Oieeeee moça!

 Hahahaha Graziela costuma ter frases que me divertem demais, é uma personagem pequena, mas de uma essência muito leve ^^

Beijos!



Nome: Lai (Assinado) · Data: 28/07/2016 23:01 · Para: Quando a sombra dela cruzou a sua

Tessi!

Demorei de novo,mil desculpas,mas eu só posso ler as vezes. Além do dedo continuar doendo,estou sem óculos até setembro rs.A pessoa ta toda acabada hahahaha

Obrigada pelas lindas palavras,por me add,mandar beijo pra Ana e mesmo eu demorando me responde tão bem.

Rhiam é realmente é a melhor incógnita que conheci no mundo fantástico e com esse capitulo fofo,lindo e sensual mais ainda.Porém conheci um pouco mais sobre ela.Muita lábia ela tem,no entanto amei ela n ter beijado a Diana,gosto desse jogo de conquista lento.Ela mudou a tática pq Diana era diferente pra ela e n pq Diana em si é diferente das outras..capitulo bem gostoso de ler nem percebi!Melhor capítulo até agora.

Eu ri nesse capítulo..."perde a calcinha mais rápido.."rs.

Olha,tirando os clichês, o capítulo foi ótimo.. mas falando sério, foram bons clichês, Rhiam sabe como utilizar dre forma elegante!!!

Uma história que começou tão linda não pode terminar mal,ainda que o meio esteja sendo confuso,mas sempre é!!!Diana tem q seguir seu coração e instinto,sem se deixar levar por opiniões alheias. Formar seu próprio conceito sobre Rhiam.Todos podemos ser falsos,magoar alguém, ser chamado de "gente que n presta",depende da perspectiva...em que papel esteja e quem esta interpretando de acordo com o que se pode ver e não no que realmente é!

Que bom que esteja curtindo meus delírios e hipotesis... continuarei na luta!!!Esse capítulo não foi possível, mas já deu pra saber mais sobre Rhiam e daí quando apareça mais informações poderei associar com seu jeito de atuar.

Espero voltar logooo..um beijo pra você e Ana!!!



Resposta do autor:

Olá moça!

 

Já começo te desejando melhoras haha Temos momentos assim, né, acontece tudo de uma vez

 

E que nada, já te disse né, tome o seu tempo, leia devagar e continue me dando esses feedbacks tão preciosos ^^

 

Sobre o capítulo, Rhian é uma conquistadora nata, mas as coisas forma diferentes com a dona Diana haha Diana endureceu o jogo, e quando beijou, beijou por iniciativa própria :)

Capítulo leve e divertido, não é? É um dos meus preferidos ♥ Aliás, estes 3 capítulos do flashback eu tenho um amor enorme *.*

 

Beijinhos, te espero voltar logo, hein ^^



Nome: Mah Rizzon (Assinado) · Data: 19/07/2016 18:44 · Para: Quando a sombra dela cruzou a sua

Oi Tessa! Como vc está? Dei uma sumida no final de semana, mas olha, não deixarei de acompanhar Delirium, pois sua história é muito bem escrita e de um bom gosto sem igual. Eu realmente estou curtindo as suas descrições de lugares e também a forma inteligente que você descreve Rhian e Diana. E Rhian sempre ultrapassando o comum... Quando ela diz que será o herói da Diana, eu confesso que me derreti inteira. Ela com certeza reúne todos os atributos necessários para superar de forma excecional todos os problemas de dimensão que podem vir ocorrer na vida da Diana e no relacionamento delas. Com certeza a Rhian traz a sensação de ser um indivíduo de extraordinária coragem, valentia, força de caráter e várias outras qualidades consideradas notáveis. Na verdade, vc nos fez ter essa sensação, talvez essa nem fosse a intenção, mas acabou que dando certo.



Resposta do autor:

Oieeee Mah!

 

Feliz em ver vc de volta aqui :)

E tbem feliz que vc esteja curtindo as minhas descrições de cenário, é algo que eu gosto muito de fazer, mas sempre tenho que me reler para não deixar o texto cansativo ao invés de enrriquecido :) E vc tem toda razão, Rhian ultrapassa a barreira da moça perfeita com a Diana, o que é bem mais evidenciado dando a quem ela era antes da Di. Ela decidiu que seria o herói daquela moça de Brasília, que seria o melhor para ela possível, uma versão de si mesma que ela nunca havia tentando ser ^^ A Rhian que a Diana tem é exclusiva, o problema é a própria Diana se convencer disso...

A Rhian no final das contas se tornou a imperfeita perfeita, enquanto a Diana ficou sendo a perfeita imperfeita, são conceitos que farão sentido pra vc mais para frente ;)

 

Beijinhos, até a próxima!



Nome: Maria Flor (Assinado) · Data: 20/06/2016 23:07 · Para: Quando a sombra dela cruzou a sua

Oi, Tessa, tudo bem?

 

Mais um capítulo termina e mais uma vez tenho a sensação que a Diana simplesmente não teve como resistir à Rhian. Sim, poderia... Mas como resistir? Não tenho nem palavras pra demonstrar como amei esse primeiro encontro. Foi perfeito! Desde o primeiro olhar até o último, na despedida. Só posso dizer que quero mais, muito mais dessas duas :) Mas voltemos aos meus apontamentos de leitora crítica, hehe...

 

Vou começar destacando as partes sobre os heróis. Lembro-me que, por duas vezes, você afirmou ter criado a Rhian para ser uma fantasia, ouso afirmar que a fantasia que quase todo mundo deseja conhecer, hehe. E então você traz o assunto "herói", assim, despretensiosamente, como se fosse uma conversa banal durante um flerte. Cara, pensar em herói é algo tão infantil, tão bobo... Só que, PoHa, no fundo, não é o que todo mundo quer? Ter um herói pras horas difíceis, ser o herói que a pessoa amada precisa? A verdade é que a gente cresce aprendendo que heróis não existem e passamos a vida esperando que eles apareçam. Vai entender... 

 

Na minha concepção, você criou a mulher tida como perfeita (cheia de defeitos, é verdade, mas quem não os tem?) e se ela não for a heroína que a Diana precisa, como poderia continuar sendo a mulher perfeita? Por isso, os três comentários sobre heróis me inebriaram... Só sei que se alguém me dissesse que "todo mundo precisa de um herói", eu faria como a Rhian. Eu olharia de forma diferente pra esse alguém e não ia querer deixar essa pessoa se afastar nunca mais.

 

Ah, tem mais uma coisa que preciso confessar. Enquanto eu lia "como vai acordar cedo pra me assistir se for pra dormir tarde?" minha mente entendia "vou te levar em casa pra não correr o risco de você conhecer outra pessoa". Hahahaha, treinei tanto a mente que só consigo ler o que tá subentendido no texto. O bom foi ver que estava certa, quando Rhian se despediu da Diana e confessou, de forma mais bonita, claro, o motivo de terem ido embora juntas. 😁

 

Como disse no início, já quero mais, muito mais dessas duas!!

 

Beijo grande e até o próximo capítulo.

 

Ps: Amo história medieval!!! Aqui no site não sei se faria o mesmo sucesso que essa, até porque só vi uma desse tipo. Mas existem histórias que, independente do gênero, merecem ser contadas. Se a sua for desse tipo, se eu fosse você, postava sim, quem se apaixonou pela sua forma de escrever, com certeza dará uma olhada. E se a maioria não se interessar, não ligue. Quem perde é quem não lê, hahaha. Se puder, me envia que leio e comento. Meu email: mariaflordevieira@gmail.com

 

Ps2: Clara, minha linda, com todo o respeito, Tessa 😌, até fui olhar os comentários daquela história e percebi que não tinha te respondido. Mil perdões. Mas corrigi minha falha :) Também tenho recados pra você :)

 

Recado 1: A Tessa capricha tanto em cada capítulo de Delirium, acho que nada mais justo do que comentar a fundo, dando impressões pontuais sobre o que mais gostei ou o que não me agradaria, como no comentário do capítulo passado. Quando leio um texto tão caprichado, costumo caprichar nos comentários também. Mas os meus andam ficando enormes, haha. Tentarei ser mais concisa nos próximos.

 

Recado 2: Perdi toda a história. Já tinha mais de 90%. E como tenho uma vida bem atribulada, ainda não consegui sentar e reescrever. Mas farei isso. É uma história tão bonita, ou pelo menos era quando escrevi, que merece ser contada.

 

Ps3: Annagh, por acaso tava falando de mim? Como colocou os "ps" a carapuça me serviu, hahaha. Se for, chega mais e vamos ser amigas 😁



Resposta do autor:

Maria Flor ♥

Que feedback maravilhoso, vc não faz ideia de como eu fico quando abro a história e tem comentários detalhistas assim!!! Vamos lá *.*

Vc viu que estava meio dificil para a Diana, né? Haha Apesar dela ser comedida, de dizer para si mesma que não estava afim, que as coisas não iriam acontecer, a Rhian foi acabando com todas as alternativas dela e no final sobrou apenas a inevitável, que era se apaixonar perdidamente :)

E então, vc me fala sobre o assunto "herói". E assim, é exatamente como você colocou, esta palavrinha aparece aqui e ali ao longo dos capítulos de maneira quase despretensiosa, quando na verdade, é uma suma das coisas que no final das contas, esta história se trata. Rhian e Diana são o "herói" uma da outra. Para a Rhian, a Diana surgiu para revirar todas as coisas que ela tinha como certas de cabeça para baixo, para dar nova significância de conceitos que ela considerava falidos ou até inexistentes, para temperar os sentimentos com intensidades que ela nunca havia provado, a salvando assim daquela ideia errada de vida que ela andava seguindo como correta. E o mesmo acontece para a Diana, ela havia acabado de sair de Brasília em direção a uma nova vida que a enchia de temores, a chance dela escapar do cotidiano confortável ao lado do pai e da irmã para encontrar aquela coisa nela mesma que ela sabia que estava faltando, e então, Rhian Kier aparece, com aquela personalidade maravilhosa, aquela confiança inabalável de que não há nada que ela não possa fazer, ela aparece assim e salva a Diana daquela vida pré-desenhada que o pai havia traçado para ela. E estes são apenas os primeiros momentos de heroismo que elas protagonizam uma pela outra. Acho que no fundo, heroismo para com o outro é do que o amor essencialmente deveria tratar.

E eu acho que tudo aconteceu ali mesmo, naquele momento em que a Diana confessa que precisa de um herói naquele papo despretensioso haha Algo clica dentro da cabeça da Rhian e nunca mais se apaga "eu posso ser o herói que ela precisa" e ela sempre, mesmo dentro das suas próprias imperfeições que não são poucas, ela sempre luta para ser perfeita, para ser quem a Diana precisa, e na minha concepção de fantasia, é isso que faz da Rhian a mulher perfeita :)

E ahhh, a cena que a Rhian praticamente empurra a Diana para fora da festa para levar ela pra casa rsrs Eu sempre dou risada quando leio essa cena porque a minha mente obviamente fica exatamente igual a sua, "ela não quer que ninguém mais se aproxime da Diana" haha Pq assim, a Diana atropelou a Rhian de sentimentos que ela nunca havia provado e enche a moça segura de inseguranças até o último fio de cabelo, e ela tem que dar um jeito de tirar a Diana daquela festa e usa a desculpa mais impensável possível uma vez que ela não está habituada a fazer isso haha É a poderosa Rhian Kier se enrolando inteira porque uma moça bonita de Brasília deixou o coração dela zonzo ♥ Vc fez a leitura perfeita da mente dela naquele momento ^^

Aguardando seu precioso comentário no próximo capítulo, heim!

 

Beijinhos!

Ps: Vou mandar pra vc alguns capítulos da minha última história pra vc dá uma olhada ♥ Eu sei que este público de literatura fantástica é meio escasso mas gosto tanto do gênero *.* Vou enviar, quem saber a depender do que vc achar eu não posto alguma coisa por aqui? ^^

Ps2: Vc não tem noção de como a Clara falou bem da sua história!

Recado 1: POR FAVOR VC NÃO OUSA REDUZIR O TAMANHO DOS COMENTÁRIOS!! Menina, vc não faz ideia de como seus comentários tem me ajudado ♥ É muito importante para mim debater pedaços da história e mais, saber se eu estou conseguindo passar tudo o que eu quero para o leitor, então, please, pode comentar grandão haha

Recado 2: Menina, eu já passei por algo parecido no notebook, e por isso hoje trabalho com três cópias de cada capítulo só para garantir, sabe, mas vale muito a pena quando vc tiver um tempinho retomar a sua história, a Clara pediu para te avisar que deixou um recado pra vc lá nos seus capítulos :)

Ps3: A Annagh é uma leitora maravilhosa ♥ Os feedbacks delas são sempre maravilhosos, sempre jogam uma luz enorme da visão dos leitores sobre os capítulos, e ela é uma coisinha pouca de ciumenta haha Só de brincadeirinha, ela é uma linda e já superimaginei nós 4 (mais a Clara) numa mesa conversando sobre literatura ♥ Seria tão lindo *.*



Nome: Ana_Clara (Assinado) · Data: 15/05/2016 21:12 · Para: Quando a sombra dela cruzou a sua

Cara, não canso de reler este capítulo. rsrs O cinco sem dúvida é lindo, mas este tbém não fica atrás, afinal o momento que elas passam juntas no campeonato é uma coisa de tão lindo. kkkkk Tipo, tbém concordo com a Line7... Acho que todos que praticam algum exercício e disputam campeonatos deveria ter o privilégio de receber um beijo de alguém como a Rhian. Afff, essa mulher siceramente é mais que perfeita e a Diana tbém não fica atrás, ela é toda brava. A Diana tem sardas? kkkkkkkk



Nome: rhina (Assinado) · Data: 13/05/2016 15:35 · Para: Quando a sombra dela cruzou a sua

Boa tarde. Acabei lendo novamente. 

Não consegui me desligar desse encontro. O encontro que foi mais que perfeito. 

A Rhian pegadora indiferente convencida exibida 

Criou um momento romântico para demonstrar seu interesse isso porque Diana despertou nela sentimentos ainda não experimentados. 

Foi tudo muito bom. Suave... harmonioso mas muito sensual e provocativo. 

Beijos. 

 



Resposta do autor em 13/05/2016:

Rhina você não faz ideia de como é bom saber que alguém leu não somente uma vez, mas duas o mesmo capítulo *.* Vc acabou de resumir o caps muito bem, Rhian a superpegadora mudando completamente tudo o que ela estava habituada a fazer ao ser atingida por um tipo de sentimento que ela nunca havia experimentado. Ela encontrou naquela noite uma garota que fez o seu coração parar e suas ideias embaralharem, e no mesmo instante soube que algo assim não poderia esperar :)

 

Obrigada pelo lindo feedback! Perto das quatro da tarde posto o próximo capítulo, até mais!

 



Nome: Marcinha (Assinado) · Data: 13/05/2016 10:55 · Para: Quando a sombra dela cruzou a sua

Pois é...devorei..entendeu agora porque queria esperar mais? rsrs

Agora como sempre a minha ansiedade dandos as caras... :(



Resposta do autor em 13/05/2016:

Ahhh, mas olha pelo lado positivo, hoje tem capítulo novo ^^ E eu sempre vou manter o cronograma de postagem, então vc só vai sofrer de ansiedade por umas poucas horas, logo logo tem caps novo, te espero aqui, heim? :)



Nome: albuquerqueselena (Assinado) · Data: 13/05/2016 00:23 · Para: Quando a sombra dela cruzou a sua

Cara preciso dizer futura parsa... vc foi na minha contra-mão, começou na maior loucura e eu estava curiosa para sentir a pegada desse flash back..

Cara que lindo o primeiro encontro delas *.*

Ta Ana, eu amei o romantismo <3 foi lindo, leve e a Diana é a minha preferida de longe. Muito mais que a Rhian.

Não sei explicar, apenas sinto uma vibe incrível na Di.

PS: a Grazi me deixou c medo rsrs

Melhor coisa do capítulo a leveza.

Pior coisa: Rhian se acha muito.

To amando. Boa sorte com os flashs.



Resposta do autor em 13/05/2016:

Selena é Team Diana! Bom saber, a Rhian tava ganhando aqui nas preferências rsrs Ficou bonitinho o primeiro encontro né, apesar de ter sido numa balada eu tentei desenhar linhas românticas entre elas duas, como uma forma de isola-las do ambiente e assim mostrando o quanto elas se ligaram uma na outra sabe? Tanto que o ambiente nem importava :) E sim, Rhian se acha muito, está incrustrado na personalidade dela haha é parte de quem ela é, mas Diana dará um jeito nessas convicções dela logo logo. E pq a Grazi te deixou com medo? rsrs Ela é só uma moça intensa um tantinho rsrs

Beijos futura parsa!



Nome: Catarina (Assinado) · Data: 12/05/2016 22:41 · Para: Quando a sombra dela cruzou a sua

Oieeeeeeeee

Parabéns! Eu to adorando a maneira como escreve e a história :) muito bom!

bjs



Resposta do autor em 12/05/2016:

Olá Catarina!

Obrigada pelo elogio, fico feliz que a história esteja agradando!!

Espero vê-la mais vezes por aqui, viu?

Beijos!



Nome: Ana_Clara (Assinado) · Data: 12/05/2016 21:11 · Para: Quando a sombra dela cruzou a sua

Relendo este capítulo novamente pude perceber que a Dih foi conquistada no momento que a Rhian a fez sorrir com uma facilidade tão 'simples'. O amor delas é leve e contagiante! A gente olha e quer um igual ao delas. kkkkkk Responsabilidade com a minha namorada agora. rsrsrs



Resposta do autor em 12/05/2016:

Mas olha o tamanho da responsabilidade haha Lembrando que Rhian Kier é uma fantasia tropical, nada de exigir muito de humanas normais, heim rsrs

E vc cativou exatamente o feeling dessa paixão, parte se resume a facilidade com a qual Diana é feliz com a Rhian, e a outra parte se resume a como ela faz a Diana se sentir a única garota no mundo =)



Nome: Marcinha (Assinado) · Data: 12/05/2016 20:22 · Para: Quando a sombra dela cruzou a sua

Meuu essa Rhian tem um ar de sedutora tão natural....Meu ela é linda neh...

to curtindo muito ler como elas se conheceram...foi sensual, fofo, romantico...nossa senti tantas coisas lendo esse cap...amei...apenas isso...



Resposta do autor em 12/05/2016:

Mas vc devorou os capítulos moça rsrs Gosto assim, prometo mais capitulos fofos pela frente, viu? ^^



Nome: Schwinden (Assinado) · Data: 12/05/2016 07:17 · Para: Quando a sombra dela cruzou a sua

Tessa, obrigada pelo carinho <3

É um prazer ler sua história, sua escrita é tão redondinha, fluída, inteligente.

Os santos flashbacks tão necessários, gostei dessa apresentação tardia, essa brincadeira cronológica é perigosa, mas você está mandando muito bem.

Bjos!

p.s.: vou dedurar quem me indicou sua história: annagh



Resposta do autor em 12/05/2016:

Então Annagh além de me oferecer preciosos feedbacks ainda por cima indica minha história? Próximo capítulo já tem dedicatória haha Agradeço por ela ter indicado e por vc estar curtindo!

 

Então, flashbacks são sempre um risco. Confesso que passo muito tempo tentando encaixa-los no momento certo, uma vez que eu fiz a escolha de começar a história pelo meio. Então tenho que escrever o tempo atual, e então escrever o passado em pedaços até que encontre o tempo atual, espero seguir mandando bem, viu, mas vc tocou num ponto que realmente me preocupa. Espero não atropelar a história :/

Mais uma vez, Cristiane, obrigada pela sua leitura e pelos comentários!

Abraços!



Nome: thays_ (Assinado) · Data: 12/05/2016 02:02 · Para: Quando a sombra dela cruzou a sua

Todas se apaixonando pela Rhian! Com essa fofura e esse cuidado todo fica difícil, até pra mim que sou do tipo que abro portas pras meninas hahahha Amei o capítulo, Tessa. Espero que essas memórias façam a Diana tomar sua decisão de maneira mais segura. Ansiosa! Quero mais! Beeijo



Resposta do autor em 12/05/2016:

Então Thays abre porta tbem *.* Vc sabe que essas pequenas sutilezas são as que mais marcam pra mim, eu tenho um amigo que quando eu estou com ele a minha mão não toca em maçaneta nenhuma, eu acho lindo! Prepare-se para o próximo capítulo, mais motivos para se apaixonar por Rhian Kier à vista!



Nome: rhina (Assinado) · Data: 12/05/2016 00:43 · Para: Quando a sombra dela cruzou a sua

     Olá 

Que mulher. 

Capítulo fantástico. 

Estou amando. 

Beijos. 



Resposta do autor em 12/05/2016:

Obrigada Rhina! Fico feliz que tenha curtindo este capítulo, é o meu preferido! Continue comigo na leitura. Beijos!



Nome: Ana_Clara (Assinado) · Data: 11/05/2016 22:42 · Para: Quando a sombra dela cruzou a sua

Este capítulo pra mim foi mais que incrível, foi simplesmente meigo, carinhoso e de uma intensidade a la Rhian. Confesso que não gosto muito de flashbacks, mas olha, este me deixou mais apaixonada ainda por essa caribenha. Ela definitivamente é uma das minhas heroínas preferidas. Leve, inteligente, romântica, sedutora! Rhian é Rhian, a imagem da perfeição. kkkkkk #Amo



Resposta do autor em 12/05/2016:

Eu alertei sobre a "intensidade leve" do capítulo haha Rhian é a verdadeira fantasia desta história, tudo o que a Diana nem sequer podia sonhar em encontrar numa pessoa, menos ainda numa mulher, menos ainda numa mulher como a Rhian, é sortuda a nossa caloura de Brasilia ^^



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.