Última noite de amor por Vandinha


[Comentários - 1262]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

Última Noite de Amor - Capítulo 5

 

 

Quando acabou, Alexandra levantou e começou a bater palmas. Na verdade, foi a única que se manifestou, os demais continuaram sentados sem o menor entusiasmo.

Valéria sacudiu a cabeça chateada. Era critica com relação ao seu próprio trabalho, tinha consciência que não havia se saído bem em sua apresentação.

Alexandra continuava de pé com as mãos nos bolsos. Ainda mantinha aquele sorriso perfeito e irritante nos lábios. Isso estava deixando Valéria em cólicas.

Como a empresária não se movia, resolveu dar fim naquela situação constrangedora. Caminhou com passos inseguros e parou diante dela.

-- Então? - Perguntou levantando uma sobrancelha.

-- O que você achou Valéria? Como você avalia a performance da sua banda? - Alexandra voltou a sentar e segurar o contrato nas mãos.

-- Sinceramente? Horrível - jogou-se na cadeira ao lado de Alexandra - Não quero dar desculpas, mas não conseguimos vencer a pressão. A sua presença nos deixou nervosa demais.

-- Vocês foram mal, mas a culpa não foi minha. Eu não pressionei ninguém - a garota sorriu colocando a folha sobre a mesa diante da cantora - Vocês têm uma semana, Valéria... uma semana para corrigir as falhas e tentarem controlar os nervos. Me surpreendam e o contrato será de vocês.

Alexandra se levantou e apontou para um rapaz barbudo, de roupa estilosa, que estava encostando no balcão do bar.

-- Aquele rapaz se chama André. É uma bicha barbuda e ridícula, mas que sabe tudo de música. Ele vai estar com vocês durante toda essa semana. A bicha não faz milagre, mas vai ser muito útil a vocês.

Após falar isso, sem dar tempo de Valéria questionar aquela chuva de informações, simplesmente virou as costas e saiu em direção ao bar. Sim, ela saiu sem nem dar tchau ou nada.

-- Alexandra! - Valéria chamou - Preciso te perguntar uma coisa -- falou toda embolada, saindo andando atrás dela.

-- Pergunta - o barman entregou para ela um copo contendo uma bebida vermelha brilhante.

-- Se fomos tão mal assim... porque nos aplaudiu?

Ela tomou um gole da bebida e falou sorrindo de canto:

-- Aplaudi a beleza de vocês. Vocês são lindas, estou torcendo para que vocês consigam. Entendeu, né? - Deu uma piscadinha e saiu em direção ao escritório.

-- Que safada! - Percebeu que André a encarava e enrubesceu - O que foi? Ela é uma safada e ponto.

-- Quem? A poderosa? Você ainda não viu nada querida -- segurou o copo com uma mão, e com a outra ele desmunhecou, fazendo um gesto tão gay que Valéria não aguentou o riso.

-- Ela é assim por ser rica - a cantora falou ainda rindo.

-- Pois eu acho que ela é rica por ser assim - ajeitou os cabelos e se debruçou no balcão - Enfim, glamorosa, outra no lugar dela teria escorraçado você e a sua banda horrorosa porta a fora. Mas não, ela me chamou para operar um verdadeiro milagre.

-- Você está me ofendendo - bateu com a mão sobre o balcão - Não somos tão ruins assim.

-- Uiii... que medo... a verdade dói, mas você sobrevive, Ga.

-- Ga? Não estou entendendo -- Franziu o cenho confusa.

-- É, Ga de Lady Gaga.

-- Há tá... -- encolheu os ombros, mostrando desinteresse.

-- Valéria, aonde está a Alexandra? - Valentina colocou as duas mãos sobre o balcão e encarou a irmã.

-- Impressão minha ou você está caçando Valentina? -- Valéria olhou com um olhar ameaçador para Valentina e, em seguida, para a porta do escritório -- E está me usando não é mesmo?

-- Credo, Valéria, como você é ingrata. Arranjei essa oportunidade de ouro para a sua banda e é dessa maneira que você me retribui.

-- Te conheço muito bem Valentina, você nunca deu a mínima para a minha carreira artística. Queria se aproximar dela e não sabia como, aí inventou essa história de ajudar a irmãzinha -- sorriu ironicamente e a loira bufou.

-- Não vou ficar aqui perdendo o meu tempo com uma cantora de meia tigela -- saiu tão apressada que não ouviu a irmã chama-la de piranha.

André que havia ficado calado até aquele momento resolveu comentar:

-- Acho que temos um problema familiar aqui.

-- Não repara, mas nós duas somos muito diferentes e nunca nos entendemos, estamos sempre brigando.

-- Que tal se a gente fizesse ela engolir a "cantora de meia tigela? Temos uma semana para isso -- deu uma piscadinha com o olho direito e ela entendeu.

 

 

Alexandra estava assinando alguns papéis de fornecedores que Giovana havia deixado em sua mesa. Estava tão concentrada no que estava fazendo que acabou se assustando quando alguém bateu. Suspirou fundo, organizou os papeis em cima da mesa e foi abrir a porta.

-- Posso entrar ou você está muito ocupada? -- Valentina jogou os cabelos loiros para trás enquanto sorria cheia de sensualidade.

-- Claro, entra -- deu espaço para ela passar, que agradeceu e entrou - Que bom que você aprendeu a bater - fechou a porta e encostou-se na mesa com as mãos nos bolsos.

-- Te juro que nunca mais faço isso -- sorriu dengosa.

Valentina então parou em frente a Alexandra, tocou com o polegar na sua bochecha, e deu um beijo leve nos lábios dela.

O perfume da loira era o La Petite Robe Noire, Guerlain, frutado de cereja ...e envolveu Alexandra por inteiro.

-- Quero que faça amor comigo, Alexandra -- segurando o rosto dela entre suas mãos, Valentina tomou-lhes os lábios vermelhos num beijo faminto.

Em segundos, as mãos dela estavam no cabelo e na boca da loira. Sabia que tinha que parar, que Valentina era do tipo de mulher que ela menos gostava. Na verdade, ela era exatamente o tipo de mulher que queria evitar: chata e pegajosa. Mas não conseguia parar, não conseguia resistir às investidas de Valentina.

Alexandra devido ao seu inveterado e insaciável desejo de mulheres, já havia passado por muitas confusões. Se envolvia com mulheres casadas carentes, noivas, com namorados e quando era descoberta, a confusão estava formada. Tinha consciência que 99% eram atraídas pelo seu dinheiro. Por isso ela não se relacionava, pois evitava sofrer. Não gostava de falar de sentimentos e odiava o amor.

Valentina se lançou sobre ela e foram muito além do momento em que ela podia ter recuado. Ela lhe disse que queria fazer amor e agora iria conseguir seu desejo. Mas iria transar, fazer amor jamais.

 

 

No aeroporto Isabel e o empresário tomavam um café na lanchonete enquanto aguardavam o voo para a Áustria.

Ele era frio e com poucas palavras. O máximo que conseguiu arrancar dele foi o nome, Julian, e a notícia que haviam mudado o itinerário da viagem.

-- Não iremos mais para a Áustria, iremos para Angola.

-- Você está mudando o que foi combinado anteriormente - levantou da cadeira e colocou a bolsa no ombro - Não vou viajar com você.

Mas em um impulso segurou firme em seu braço, em um solavanco, puxou o seu corpo com força, obrigando-a a sentar novamente.

-- Não seja boba, menina -- vociferou, sem nem se importar com as pessoas próximas a eles - Estou pagando alto pela sua companhia, portanto, mudo o itinerário quando bem entender.

Isabel, naquele momento, sentiu-se tão pequenina perto dele, embora não fosse. Sentia e ouvia as batidas de seu próprio coração. Abriu enormemente os olhos, franziu a testa, e sentiu uma espécie de medo convulsivo.

Ele pegou seu pulso, seus dedos adormeceram diante da força de suas mãos.

-- Vamos. Estão chamando para o embarque - saiu arrastando ela até o avião.

 

Depois de aproximadamente oito horas de viagem, os dois desembarcaram no aeroporto de Luanda.

Um motorista aguardava-os para os conduzir a Nova Esperança. Uma vez lá, Julian conversou com vários populares antes de seguir para o hotel.

Aquela era a primeira vez que Isabel visitava a África. Alguém já havia lhe falado do calor, da humidade, a mistura de sons e de cheiros.

Se hospedaram, em um lugar muito bonito, perto da Barra do Quanza, aonde passaram a primeira noite em quartos separados.

Na segunda noite, logo após o jantar, Isabel aceitou o convite de Julian para tomar uma bebida num dos mais elegantes bares da Ilha. Ao retornarem ao hotel, novamente ele se recolheu ao seu quarto sem nada pedir.

Isabel estava achando aquilo tudo, muito estranho.

Na terceira noite ele a convidou a dançar mornas e coladeras num quintal de cabo-verdianos, na Chicala, acompanhado por dois amigos angolanos.

Na quarta noite deslocaram-se à uma discoteca. Homens gordos, suados, bebiam fazendo uma algazarra irritante. Outros, em mesas ao fundo do lugar, afagavam as coxas de meninas muito novas. Uma das garotas chamou-lhe a atenção, conhecia aquela garota. Estava difícil de lembrar de onde, mas conhecia.

Estava se dirigindo a ela quando um sujeito loiro, de cabelo comprido, a segurou pelo braço.

-- Aonde você vai?

-- Tranquilo - Julian sossegou-o.

-- Não gostamos de estranhos por aqui. O senhor é brasileiro?

-- Somos, amigo. Mas sinto-me mais angolano - pela primeira vez Isabel viu Julian sorrir.

O outro deixou de lado a antipatia e também sorriu. Julian estendeu a mão e o cumprimentou, se apresentando e apresentando Isabel.

 

 A língua oficial de Angola é o português.

O sotaque do português de Angola é muito característico e bastante diferente, quer do português, quer do brasileiro. Muitos sons abertos em Portugal e muito abertos no Brasil são pura e simplesmente fechados em Angola. Por exemplo: "troféu" é dito como trofêu. Por outro lado, o português angolano é mais cantado e arrastado por influência das línguas africanas

 

O loiro, com um acenou chamou uma mulher que estava atrás do balcão do bar.

-- Acomode a senhorita Isabel em um dos quartos da casa.

A mulher respondeu com um balançar de cabeça e olhou para a garota.

-- Você ouviu...vamos - falou grossa e pegou no braço dela.

Isabela puxou o braço com força se livrando das mãos da mulher.

-- Quem disse que eu vou ficar aqui? - Esbravejou, chamando a atenção de todos - Nem morta fico nesse buraco nojento.

Tentou fugir, mas foi impedida por dois brutamontes com cara de mau.

-- Isabel não haja por impulso. Até aonde você pensa que conseguirá chegar desse jeito? Você tem dinheiro para voltar? Nem documentos você tem consigo. Portanto acho melhor você se acalmar e aceitar a hospitalidade de Vemba.

Isabel levantou o rosto e cuspiu na cara dele.

-- Seu verme nojento.

Julian gargalhou alto, zombando dela maldosamente e murmurou: Olha, olha!

 

 

 

 

 

 

 

Nome: rhina (Assinado) · Data: 20/05/2018 10:54 · Para: Capitulo 5

 

Ferrou heim Isabel. ....

Valentina alcançando seu objetivo 

Rhina



Nome: lucy (Assinado) · Data: 16/07/2016 23:12 · Para: Capitulo 5

gostei da Valeria, me pareceu não ter o nada haver com a irmã vigarista, acho que vai ser 

importante até pra ajudar a Alex, já que sinto que esse contrato vai ser fechado, alex é admirável

só não devia ter cedido aos apelos da vaca kkkkkkk mas ninguém é perfeito néh ?

ai ai agora me deu dó de Isabel, me parece que aconteceu o que ela temia.......

tomara que fuja sei lá como.....aquele vagabundo do cafetão fdp.... será que vai procurar por ela ?

ou foi um sacana e a vendeu ? minha cachola pensa mil coisas rs, 

bjs nota mil adorando o conto



Nome: thais (Assinado) · Data: 01/07/2016 13:47 · Para: Capitulo 5

Vish lascou.....  Coitada da Isabel vai pastar agora.... 



Nome: NatySilver (Assinado) · Data: 28/12/2015 05:29 · Para: Capitulo 5

Eu só acho que a Isabel se meteu numa fria :(



Nome: camilanew123 (Assinado) · Data: 03/12/2015 18:55 · Para: Capitulo 5

Puta que pariu!!! agora fudeu pra Izabel...



Nome: jake (Assinado) · Data: 13/10/2015 15:45 · Para: Capitulo 5

poxa van   a aisa nao merecia isso ,virar escrava do sexo,poxa mesmo..quanto a Ale espero que a irma abra os olhos dela pq essa valentina eh um perigo



Resposta do autor:

Olá Jake. Infelizmente esse é o destino de muitas mulheres que se deixam iludir pelas promessas de dinheiro fácil e acabam destruindo suas vidas. Essa é a triste realidade. Esperamos que a Isa seja forte o suficiente para fugir disso. Bjã querida e até.



Nome: lia-andrade (Assinado) · Data: 11/10/2015 01:30 · Para: Capitulo 5

Nossa, Isabel coitada dela era tudo mais temia. Torcendo para que ela saia dessa. 

Beijos..



Resposta do autor:

Bjs Lia. Te espero no próximo cap. Até lá querida.



Nome: Silvia Moura (Assinado) · Data: 10/10/2015 23:41 · Para: Capitulo 5

Olá autora, que saudades...risos... estou com pena da isabel, como ela se sairá...vamos torcer queo cosmo ajude...risos... tudo de bom para ti e familia...abraços fraternos...



Resposta do autor:

Abraços querida. Um feriadão cheio de luz. Bjs.



Nome: Luh kelly (Assinado) · Data: 10/10/2015 22:11 · Para: Capitulo 5

E AI Van, que saudade de ambos (vc e sua historia).

Tenho certeza que daqui, a muito pouco a banda de Valéria vai bombar, ela merece.

Ainda bem q para Alex é só sexo, se ela apegase estaria frita.

Mais quem se ferrou mesmo foi a pobre ISA, como ela escapará agora, sem documentos.

Gostando muito e anciosa por mais.

BEIJÃO VAN e um FIM de Semana incrivel pra ti.



Resposta do autor:

Olá Luh, tudo bem querida? Espero que esteja. A história da Isa é a mesma de muitas mulheres. Infelizmente a maioria não tem um final feliz. Esperamos que a nossa amiga, seja uma das exceções. Um FDS cheio de luz para você.



Nome: Mille (Assinado) · Data: 10/10/2015 21:56 · Para: Capitulo 5

Ai ai, a Bel entrou numa encrenca danada. Mais infelizmente não tinha como fugir esse cafetão dela é fogo.

Tomara que saia logo desse bordel, e não tenha nenhuma doença.

E o que dizer a Alex, ficar com essa Valentina será a cruz para ela, essa vai depois desse transa vai ficar cada vez mais no pé na dela, ou talvez a irmã abra os olhos da Alex sobre com quem ela esta se metendo.

Bjus e ótimo final de seman



Resposta do autor:

Verdade Mille. Sozinha, em um país estranho, não será nada facíl para ela.

Um feriadão cheio de luz. Bjã.



Nome: patty-321 (Assinado) · Data: 10/10/2015 21:30 · Para: Capitulo 5
Noss. Se ferrou a Isabel. Ela devia ter ouvido o coração dela e nao ter embarcado nessa furada . Tráfico humano e real. Como ela vai sair dessa? Valentina conseguiu dar p alex. Eita.

Resposta do autor:

Muito real né Patty. Fazendo uma pesquisa sobre o assunto percebi o quanto isso é frequente, quantas mulheres caem na lábia desses aliciadores. Uma pena. Muita luz no seu feriadão. Estou aqui trabalhando, fazer o que né, se diverte por mim. Bjã anjo.



Nome: Pietra (Assinado) · Data: 10/10/2015 20:44 · Para: Capitulo 5

Acho que Isabel está com muitos problemas. Fiquei ansiosa, espero que ela não faça nada que a prejudique e que encontre alguém para ajudá-la.

E Alexandra não pode ver um rabo de saia. Essa Valentina vai criar muitos problemas. Aff

Estava com saudades desse seu romance aqui.



Resposta do autor:

Olá Pietra. Sozinha, em um país distante, sem dinheiro e documento. É muito dificil.

Principalmente na África. Tráfico de mulheres, drogas, música, são assuntos que tentarei me aprofundar um pouco mais nesse romance. Gosto de pesquisar e trazer um pouco mais de informação. Espero que goste. Um feriadão dez e cheio de luz para você e sua familia. Bjã.



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.