Delirium por TessaReis


[Comentários - 2875]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

Capítulo 48 - A Febre

 

            Harumi precisava voltar para o Rio de Janeiro. Andava vindo para Brasília com mais regularidade, para pegar uma coisa ou outra que precisava, dar satisfações na delegacia em que continuava lotada, tentar se resolver com seus pais que agora não aceitavam a sua separação com Diana. Era uma segunda-feira, tinha plantão no dia seguinte e Diana havia amanhecido... Bem mal.

            Ela estava com febre. Uma febre que tinha começado no dia anterior, atravessado a noite e agora alcançava a manhã. Andressa não tinha ideia da origem da febre, Diana andava tomando todos os remédios direitinho (ao menos ela esperava que andasse), não estava resfriada, nem gripada, não havia nada que explicasse essa febre misteriosa. Ligou para Isis, ela não podia vir agora, mas viria depois do almoço, ela já desconfiava de um diagnóstico: febre emocional.

Seis meses longe de Rhian. A falta cobrava um preço, apesar que desde o aniversário de Diana, elas sempre tivessem dado um jeito de se falar diariamente. Fosse por telefone, ou por mensagens, a internet realmente havia melhorado, mas não o suficiente para uma chamada de vídeo, porém, porém...

_ Ei_ Harumi se abaixou perto dela lhe tocando os cabelos carinhosamente_ Você tem certeza que fica bem?

_ Tenho sim_ Beijou a mão dela com carinho_ Não perde o seu voo.

_ Eu já liguei pra Isis, ela vem mais tarde, se você precisar de mim, me liga que eu venho.

Diana tocou-a no rosto, olhando naqueles olhos com quem havia casado.

_ Vem do Rio de Janeiro?

_ Até da Austrália se você precisar_ Beijou a testa dela e Diana andava se sentindo amada por Harumi como nunca antes. Era esquisito. Mas muito bom_ Eu vou indo.

_ Dá um beijo na Kiria por mim.

_ Dou sim.

Andressa jogou um beijo para ela e foi embora. E Diana se arrastou até a cozinha para ver o que conseguia se fazer para comer, sua cabeça doía muito, sentia-se enjoada e... Estava difícil. Sentou-se, pondo as mãos na cabeça. Era melhor tentar tomar um banho. Foi para o banheiro e entrou sob a água que caiu feito gelo na sua pele quente. Muita coisa havia acontecido naqueles seis meses. Joseph havia sido condenado pela segunda vez e atualmente cumpria pena num hospital e Diana pensava que aquilo chegava a ser duplamente aturado: cumprir pena num hospital, com seu coração piorando cada dia e sozinho, completamente sozinho. Rhian havia proibido Lya de se abalar por causa dele, estava pagando alguém muito bem para cuidá-lo, queria que ela estudasse e pronto, não tinha que se preocupar com quem não se preocupava com ninguém.

E então, Romeo. Ele tinha mais três ou quatro julgamentos pela frente, mas os dois pelos quais tinha passado e estavam na mão de Isis, ele foi destruído. Romeo havia sido julgado por estupro, não por tentativa, Isis havia conseguido, tal como havia conseguido elevar a acusação de lesão corporal leve contra Rhian para lesão corporal qualificada com cárcere privado e violência contra mulher. Resultado? Dez anos de pena entre as duas acusações. Para Diana ainda parecia pouco.

Isis e Ariana continuavam namorando de ponte aérea, Isis fugindo para o Rio quando dava, Ariana fazendo o mesmo para Brasília, andava sendo difícil, bem difícil, porém mais complicado ainda seria se desistissem. Já Amelie havia voltado para Grace Bay, depois de uma acalorada discussão com Maria sobre a natureza do relacionamento delas. Maria se recusava a ter um caso definido e Kes havia decidido que não precisava passar por isso outra vez. Estava cansada das desconfianças, da sua falta de créditos, se ninguém acreditava que ela havia deixado de ser cafajeste, o melhor era voltar a ser cafajeste. Típico de Amelie, claro. E havia Kiria. Que alternava momentos de tranquilidade e insegurança. Diana havia ido visitá-la algumas vezes, Kiria continuava cumprindo pena em prisão especial o que era uma faca de dois gumes: era bom porque a mantinha segura e com regalias como o fato de Andressa poder visitá-la mais vezes, porém também era ruim porque ela ficava absolutamente isolada por muito tempo, sozinha com os próprios pensamentos. Já estava presa há um ano, era pesado, complicado, mas já era a metade do caminho. O que pouco a consolava. A parte boa era o avanço das investigações contra a Organização, que todas as semanas, perdia pedaços. Muitas prisões já haviam sido feitas e mais estavam por vir, quanto mais membros fora das ruas, mais seguro seria para Kiria quando saísse. Mas isso também não consolava a moça. Tal como as ligações, mensagens e fotos não consolavam Diana.

Isis chegou perto das duas, e cruzou com uma moça saindo do apartamento de Diana. Olhou para a moça, para o jeito que ela se despediu de Diana, apertou o cenho, olhou para a tal moça outra vez e entrou. Diana estava no sofá comendo sushi.

_ Esta é...?

_ Fran, secretária de uma das empresas onde eu trabalho.

_ Hum, Fran. E o que a Fran veio fazer aqui?

_ Veio buscar uns documentos e gentilmente me trouxe almoço, eu não consegui cozinhar.

_ Diana..._ Isis levou a mão à cabeça_ Eu nem vou dizer nada, você sabe o que faz.

_ Isis, eu não estou fazendo nada demais, a menina só me trouxe almoço.

Almoço, ok. Isis tirou a temperatura de Diana e ela ainda estava com febre. Trocou a medicação, Ariana havia indicado outro antitérmico, deveria resolver.

_ Já falou com a Rhian hoje?

_ Acabei de falar com ela. Ela já chegou em Goré, no Chade e disse que lá ao menos a comunicação é melhor do que onde ela estava antes_ A missão de Rhian em Diffa havia terminado e ela havia sido enviada agora para mais seis meses de ajuda humanitária no sul do Chade, que sofria com um surto de sarampo infantil, outro de malária e com a marcha de refugiados do Boko Haram que também assombrava o lugar.

_ Quem sabe finalmente vocês não conseguem uma vídeo chamada.

Então, conseguiram naquela noite.

Diana tomou um longo banho e escolheu uma de suas camisas xadrez para vestir, a de linhas azuis e pretas, uma bobagem, mas se pegou se arrumando como se fosse um encontro de verdade. Com sua noiva, que não sabia se era mais noiva, lá no meio da África. Diana arrumou os cabelos e tentou não parecer doente. Os remédios estavam ajudando e sua pele andava voltando para seu estado natural, menos espessa, com mais cor, andava mais bronzeada ainda que estivesse em Brasília e pensou que Rhian iria gostar. Agora que estava bonita, pegou o notebook, sentou na cama, respirou fundo e ligou pelo Skype. Não era a primeira vez que fazia, mas a ligação nunca conseguia completar.

Até aquela noite.

_ Ah, eu não acredito!_ Foi a sua reação ao ver a imagem de Rhian surgindo na tela em HD, linda, linda, linda, com um sorriso mais do que aberto ao olhar para Diana pela primeira vez em seis meses!

_ Oi meu amor..._ Disse Rhian, com aqueles olhos verdes brilhando enquanto Diana se segurava para não chorar. Como era bom olhar para ela, como era maravilhoso olhar para Diana outra vez..._ Olha pra você, como você está bonita, meu Deus...

Diana olhava para ela tapando a boca com a mão e com os olhos cheios, ainda desacreditada que estava realmente a vendo. Rhian estava tão diferente, havia cortado os cabelos na altura dos ombros, e eles estavam naturais, bagunçados, o que só a deixava mais charmosa ainda. Pode ver aquele rosto sem maquiagem lindo como sempre, as unhas cortadas bem curtinhas, e a blusa branca do uniforme dos Médicos sem Fronteiras, a ponta das mangas curtas dobradas, ela parecia cansada, mas sorria, sorria de um jeito...

_ Você tá linda_ Disse Diana deixando inevitavelmente uma lágrima cair.

_ Você está linda, eu estou acabada.

_ Tá linda, tá com cara de médica_ Disse, tocando o rosto dela na tela e desejando que seu toque pudesse alcançá-la do outro lado, e Rhian queria tanto, mas tanto sentir o toque dela... Mas aí, viu outra coisa naquela mão que tocava a tela.

_ Cadê a sua aliança, Diana?

A aliança. Diana recolheu a mão.

_ Guardada.

_ Por que está guardada?

_ Cadê a sua aliança?

Rhian tirou do bolso prontamente.

_ Bem aqui. Eu estava atendendo, coloquei no bolso por motivos de higiene. Diana, olha, eu sei que eu não tenho o direito de te pedir nada...

_ Então não peça.

Se olharam nos olhos.

_ Diana...

_ O que você anda fazendo por aí?

_ Eu? Cuidando de crianças, sangrando picadas de cobras, construindo paredes de barro no meu tempo extra. Você me decepciona fazendo essa pergunta, porque significa que na verdade você não entendeu o que eu vim fazer aqui, não acredita na minha mudança.

_ Eu entendi o que você foi fazer aí, agora mudança é um processo contínuo, Rhian, você mesma me disse isso. Aquela médica por acaso foi com você?

Rhian suspirou.

_ Eu disse pra você que ela vinha e já disse que não tem nada. Diana, para. Por favor, meu bem.

Diana olhava para ela.

_ Está muito difícil Rhian...

E começou a chorar. O que partia Rhian em mil pedaços. Ficaram juntas por quase três horas de tempo, e então tiveram que desligar, afinal bem cedo Rhian tinha trabalho e no Chade já era quase meia-noite. As chamadas de vídeo que passaram se fazer há cada dois dias amenizavam a saudade um pouco que fosse, mas também trouxeram problemas. A distância não era algo fácil, plantava inseguranças, os medos mais infantis e Rhian sentia de verdade que estava perdendo Diana. O estado de Kiria piorava na prisão, e ela agora andava tentando afastar Andressa de todas as formas, dizendo que não era justo com Harumi toda aquela situação, que se sentia pior tendo que submetê-la aquela vida que não era vida e como resultado, Andressa vivia em Brasília. No apartamento que dividia com Diana, que estava carente, sozinha, ainda não perdoando Rhian pela sua ida para África, e então houve o dia fatídico de uma determinada chamada de vídeo.

_ Eu pedi para a Ariana ir até lá, só para ter certeza...

_ Você devia ir, é a nossa casa de Búzios, Diana_ Diana havia recebido uma mensagem de um dos vizinhos de que a casa andava sendo rodeada por um grupo esquisito.

_ Eu vou, Rhian, mas só no final do mês, não tenho como sair antes...

E foi quando a voz de Harumi ecoou da sala com uma simples pergunta que fez cair uma tempestade torrencial inteira:

_ Onde estão as chaves do carro, meu bem?

_ Meu bem?_ Rhian havia ouvido direito?_ A Harumi acabou de chamar você de meu bem, Diana?

_ Diana, as chaves, você viu?_ Harumi, claro, apareceu na porta.

_ Por qual raio de motivo ela teria as suas chaves, Andressa?_ E Rhian se exaltou imediatamente. Ela nunca havia sido uma namorada ciumenta, mas tinha alguns momentos em que Rhian simplesmente explodia. E Diana sentia que era um desses momentos.

_ Rhian, você não vai fazer cena por isso, vai?

_ Uma cena, Diana? Uma cena? Eu ainda não engoli esta história dela estar aí, dividindo o apartamento com você, ela não é uma simples amiga, vocês eram casadas, Diana!

_ Éramos casadas, exatamente_ Harumi a corrigiu, entrando na conversa_ E até onde me consta agora ela deveria estar casada com você, Rhian, não era isso?

_ Andressa, você não me provoca!

_ Quem está provocando alguma coisa aqui? Você provocou tudo isso, Rhian!

_ Ah, eu provoquei? Eu por acaso convidei você a se enfiar no apartamento da minha namorada sem data de saída?!

_ Meu apartamento! Com a minha ex-mulher, que está aqui sozinha se recuperando de um quadro complicado, porque de repente, do nada, a namorada resolveu ser humanitária na África!

_ Harumi, para..._ Aquilo não estava acontecendo, Diana não estava acreditando.

_ Eu não escolhi, eu precisava!

_ Você escolheu o que precisava Rhian, que por algum motivo, é estar separada da Diana um oceano inteiro! Você faz ideia de como eu queria estar com a Kiria? Você não faz ideia disso, se fizesse não estaria aí!

_ Eu não tenho que explicar os motivos para você, você não faz ideia do que me levou a tomar esta decisão, você não sabe como eu estava me sentindo!

_ Foda-se o que você sente_ Disse Harumi, aproximando-se ainda mais da câmera do notebook_ Eu sei de toda a tragédia pela qual você passou, mas eu duvido, duvido, que casar com essa mulher linda aqui e engravidar de gêmeos na lua de mel não resolvesse...!

_ Harumi, quieta! Diana literalmente tapou a boca dela enquanto ouvia Rhian xingando furiosamente na tela do notebook_ Sai daqui, as suas chaves estão na cozinha, só saí daqui!_ E empurrou ela pra fora, fechando a porta do quarto, mas já era tarde. A briga foi extraordinária, e Diana não lembrava de ter visto Rhian tão nervosa, nem tão exaltada, e menos ainda lembrava de ter se visto tão fora de controle. Era a distância, era a insegurança, era a falta que faziam uma para a outra. A distância costuma ter essas doses venenosas, e elas acabaram engolindo bem mais do que era saudável.

Era o oitavo mês distante e não houve como segurar, o relacionamento ruiu outra vez. Ficaram sem se falar por dois meses inteiros. Quando Rhian tentou mandar mensagem, Diana não respondeu, quando Diana decidiu responder uma semana depois, foi Rhian quem não quis saber. E entre uma tentar, a outra recusar, se arrepender e receber a mesma resposta, o tempo passou.  E de alguma maneira, aqueles dois meses de silêncio acabaram fazendo muito bem para as duas.

Diana se centrou. Depois dos choros que não passavam, da dor que ela não controlava, Isis viu sua irmã enfim, encontrando o próprio caminho. Diana passou a ser mais responsável com a própria saúde, a tomar os remédios nos horários corretos, passou a se dedicar ainda mais ao trabalho, aos estudos, já andava mirando um concurso no Ministério da Defesa, podia conseguir, tinha certeza, só precisava de si mesma para fazer as coisas darem certo, e de alguma maneira, toda a insegurança que insistia em voltar desde que Rhian havia ido embora, foi sendo destruída. A companhia constante de Hanna também ajudava muito, Diana passou a ir para o sítio todos os fins de semana, ajudava numa cerca, no projeto de plantar arroz e feijão, na expansão da criação de animais, na construção de um novo deck para meditação. Outra coisa que ela começou a fazer demais: meditação. Se acalmar, pôr as ideias no lugar, pôr seus sentimentos no lugar, enquanto Rhian fazia o mesmo do outro lado do mundo.

Rhian meditava no silêncio da noite no meio do deserto árido e silencioso que tinha como quintal. Diana meditava na plataforma que havia construído no alto de seu mirante preferido, enquanto o sol estava se pondo. As duas desligadas do mundo, sentindo o nada se apropriando ao seu redor, e então, ambas subitamente abrindo os olhos e realizando com clareza a mesmíssima coisa:

Estavam com saudades.

Se falaram pelo telefone ainda aquele dia. Diana implorou por uma ligação ao chefe de sua mãe no retiro e ele disse que ela estava tão ansiosa que era capaz de abalar a meditação de todos os seus clientes, então sorrindo ele permitiu a ligação. E ouvir que Diana estava ao telefone fez Rhian abandonar sua meditação e sair correndo para dentro. Entrou afoita e ansiosa na sala da administração e quando colocou o telefone no ouvido, sequer disse alô.

_ Diana?_ Perguntou ofegante.

_ Oi, ei..._ Abriu um enorme sorriso ao ouvir a voz dela do outro lado, era tão, mas tão bom... Por que não havia ligado antes? Ainda era mimada, sabemos_ Escuta, eu não posso falar muito, estou num telefone emprestado, mas eu quero muito te ligar pelo Skype amanhã.

_ Amanhã? A gente pode se ligar agora!

_ Não pode_ E a urgência na voz dela lhe fez sorrir_ Eu estou em Alto Paraíso, mas se você concordar...

Como se houvesse algum dia na vida que Rhian não fosse atender uma chamada de Diana. Voltaram a se falar por vídeo, e desta vez, o clima era completamente diferente. Não se perguntaram sobre ninguém diferente delas duas, partilhavam seu dia a dia, suas conquistas, as coisas que andavam fazendo, trocavam fotos, bilhetes carinhosos, confessavam saudade e nunca mais haviam brigado por nada, apesar de continuarem tecnicamente separadas. Não falaram em voltar, e nem se deram certeza de que realmente estavam separadas, tudo estava bom da maneira que estava. Diana estava orgulhosa do trabalho humanitário de Rhian, de suas conquistas pessoais, ela estava bem melhor de seus TOCs e já até conseguia falar sobre a morte de Marina. Disse que andava conversando com ela mentalmente enquanto trabalhava e que a noite, costumava sonhar com ela. E esses sonhos andavam lhe fazendo feliz. O sorriso das crianças que atendia também e no dia que Rhian salvou um menino de três anos de um tiro quase fatal no rosto, os olhos dele dentro dos seus lhe trouxeram tanto amor que ela achou que fosse flutuar! Era para isso que havia ido ali. Para tocar coisas intocáveis, para fazer o impossível, para chegar mais perto de Deus de alguma maneira. Não importa a face que ele tivesse ou que nome atendesse.

_ Rhian, você trouxe ele de volta. Deve ser uma sensação...

_ Maravilhosa. Vale cada noite acordada que eu passei estudando, cada sacrifício, é muito difícil encarar uma situação como esta, uma criança inocente que leva um tiro de um conflito do qual ele nada tem haver. Mas por outro lado a sensação é incrível quando você vê tal situação e pode fazer algo para reparar_ Olhou para a imagem de Diana na tela. Ela estava na cama, com roupas de dormir, comendo um pedaço de pudim, o que podia ser mais bonito? Abriu um sorriso_ Diana, eu estive pensando...

_ Pensando em...?_ Lambeu a colher ao contrário, despretensiosamente, e Rhian estava ficando... Abriu outro sorriso, e então, ergueu os olhos para ela, mais séria.

_ Você acha que teria um tempinho agora no final do ano? Tipo, uns quinze dias?

_ Eu trabalho de freelancer, vou ter férias do MBA, eu teria quinze dias sim, mas para quê?

Rhian respirou fundo, mordeu a boca, olhou para ela outra vez com um doce sorriso no rosto.

_ Eu queria que você viesse pra cá por uns dias.

E aquilo pegou Diana e seu sorriso de surpresa.

_ Como assim ir para aí?

_ Não exatamente para cá, mas eu vou ter uns dias também antes de começar a próxima fase na África do Sul, e pensei da gente se encontrar lá, não sei, o que você acha?_ Rhian havia ensaiado quase duas semanas chamá-la para aqueles dias, estava em nervos em pedir e ouvir um não.

_ Hum, África do Sul_ Lambeu aquela colher outra vez, a maldita estava querendo enlouquecê-la mais, só podia, Rhian já andava louca o suficiente, de falta, tesão, saudade, tudo junto_ Quanto custam as passagens?

_ Não importa, eu convido, eu pago as despesas.

_ Mas você está trabalhando como voluntária...

_ Mas já aceitei usar a herança da minha mãe. Estar aqui me fez entender que eu não tenho que me sentir culpada por ter dinheiro, só culpada por não usá-lo de maneira decente. Eu quero muito te ver. Eu preciso.

Diana também precisava. Precisava muito.

_ Olha, Rhian..._ Respirou fundo olhando naqueles olhos verdes_ Só me dá uns dias.

_ Para pensar?

_ Para me arrumar_ Disse, arrancando um sorriso de sua preta linda do outro lado_ Eu pago a ida e você a volta, tudo bem?

Tudo estava muito bem! Rhian contou os dias para aquele mês terminar, e quando enfim se viu a caminho da África do Sul, sequer se importou com as horas de viagem até Pretória e então até a Cidade do Cabo, onde prestaria serviços. Fez parte de avião e parte de ônibus, quis chegar três dias antes para se despachar em seu novo acampamento e encontrar um hotel onde pudesse ficar confortável com Diana. Tinha um único cartão de débito para emergências, e ficar com Diana num lugar confortável era mais do que uma emergência, era uma necessidade.

Era tudo tão avesso! Usar um cartão de débito outra vez, escolher um bom hotel, decidir o quarto, era para pedir uma cama de casal ou duas de solteiro? Ou será que ela preferiria ficar num quarto separado? Afinal não estavam juntas, e nem separadas, ou será que estavam? Deixou para pensar depois. Saiu no meio da tarde de seu acampamento em direção ao hotel escolhido, quis dormir no hotel já que teria que sair cedo para buscar Diana no aeroporto. Ela chegaria antes do amanhecer em Joanesburgo e então pegaria uma conexão até a Cidade do Cabo, que somaria mais três horas de voo às quatorze do Rio de Janeiro até a África do Sul. E cadê que Rhian dormiu? Ficou rolando na cama ansiosa, porque sabia que Diana já estava voando em sua direção.

Se pôs de pé bem cedo, pegou um taxi até a agência de carros onde havia alugado outro jipe, um Wrangler desta vez, de capota aberta, motor feroz e mais barato, ok, não era tão barato assim, mas era tão bom dirigir de novo! Fazia mais de um ano que Rhian não tocava em carro nenhum, e decidiu se dar este prazer, só este, e aquele outro que envolvia trazer o amor da sua vida até a Cidade do Cabo... Pensou nisso e abriu um sorriso. Se checou no retrovisor mais uma vez, queria ter dormido, queria estar com uma pele melhor, mas não importava, sua Diana estava chegando, era a única coisa que realmente importava. Foi para o aeroporto com quase duas horas de antecedência. Ficou no saguão, checando o voo toda hora e quando foi anunciado que havia pousado, seu coração vibrou no peito. Diana estava ali. Rhian levou as mãos à cabeça, andando de um lado a outro, e percebeu que não havia trazido nada pra ela, sequer um chocolate, uma rosa, nada, também o que podia comprar no meio de um campo médico? E enquanto ponderava a respeito, Diana surgiu através das portas automáticas.

Ela, com uma mochila de camping nas costas e um vestidinho preto que... Rhian virou de costas abrindo um enorme sorriso e então olhou para ela novamente, só para ter certeza que ela realmente estava ali, de óculos escuros, celular na mão, cabelos longuíssimos e soltos, pretty, pretty, pretty, Rhian nunca a havia visto tão bonita! E estava ali, há menos de cinquenta metros de distância e então, não estava mais.

Diana tirou os óculos escuros, deixou a mochila cair no chão, e:

Correu para Rhian.

Diana saiu correndo pelo meio das pessoas daquele lotado aeroporto e Rhian se deslocou em direção a ela, ela estava ali! Estava realmente ali e tal como em seu primeiro beijo, elas se encontraram no meio do caminho. E Diana não lhe disse nada, nenhuma palavra.

Simplesmente agarrou Rhian pela camiseta e a beijou.

De surpresa, profunda e longamente, arrancando o ar, a respiração e a firmeza das pernas de Rhian, que compensou em seus braços, a tirando do chão, prendendo aquela cintura em seu abraço e aquele beijo na sua boca, porque nem em seus mais otimistas pensamentos Rhian imaginou que colocaria seus olhos nela num segundo e no outro já estaria a beijando. Mas estava. Por Deus, estava a beijando outra vez... O sorriso escapou pela alma dos olhos quando elas se encontraram assim, íris dentro de íris, testa tocando em testa e Rhian a beijando outra vez, devolvendo os pés dela para o chão, morrendo de saudades, não se aguentando de vontade, o coração batendo na garganta e as pulsações tão forte que deixavam Rhian zonza, sem ar, fora de tudo. Rhian sorriu, sentindo os braços dela em volta de seu pescoço, vendo o sorriso dela tão aberto, aqueles olhos lindos brilhando tanto, ah não, não parecia real.

_ E eu aqui achando que seria a primeira vez que a gente se encontraria num aeroporto sem se beijar...

_ É, eu também achei, mas para variar eu acho que a minha mente planejou outra coisa sem me contar..._ E sorrindo, buscou a boca de Rhian em um beijo outra vez, porque não é que era bom, era a melhor coisa do mundo inteiro..._ Eu estou com tanta saudade, Rhian..._ E se abraçou a ela, sentindo o cheiro dela, sentindo seu coração profundamente disparado.

E Rhian suspirou ouvindo aquilo, como que soltando todo o seu amor do peito agora que era permitido, agora que sabia que seu amor também estava morrendo de saudades. Apertou Diana em seus braços, beijando o ombro dela, o lado do seu rosto, e a boca novamente, intensamente, sentindo seus olhos molhando e seu coração disparado no peito.

_ Eu estou louca de saudade de você, morrendo de falta sua..._ E puxou Diana pelo queixo para outro beijo, as mãos dela em seu rosto, a de Rhian a mantendo pela nuca, tão doce, tão apaixonadas e bonito que um grupo que desembarcou junto com Diana passou por elas, devolvendo a mochila que ela havia abandonado pelo caminho.

Love is love and love is beautiful! Keep your girl close, young lady!

Elas riram ao serem tão delicadamente interrompidas.

_ I’ll keep man, thanks!_ Rhian respondeu, cheia daquele sotaque que Diana adorava. Eram as vantagens de estar na Cidade do Cabo, a capital gay-friendly de toda a África, aquela carinhosamente chamada de Mother City, a Cidade Mãe, e devia ser a vantagem de ter uma moça tão linda agarrada em seu pescoço... A beijou outra vez, a puxando pelo rosto, sentindo a mão dela lhe agarrando o punho e os sorrisos inevitavelmente escapando_ Olha pra você, está bronzeada!

_ Cinco dias no Rio antes de vir pra cá, fiquei na praia, te mentalizando, querendo ficar bonita pra você..._ Ela disse de um jeito... Rhian já estava toda derretida.

_ Ficar bonita pra mim? Ai Diana..._ Rhian a abraçou outra vez, a mantendo muito em seus braços, sentindo o cheiro dela e sentindo-a se agarrar em sua cintura mais ainda, estavam morrendo de saudades, ponto. Era tudo o que importava_ Eu estou tão, mas tão feliz, amor...

_ Vai ficar mais ainda depois do presente que eu tenho pra você..._ Ela disse, doce-doce...

_ Um presente pra mim?_ Perguntou Rhian, pegando-a pela mão e pondo a mochila dela em suas costas_ Eu estava aqui justamente me martirizando por não ter trazido nada pra você. Foi tão corrido, aconteceu tanta coisa que eu acabei...

_ Olha, não importa o que você me trouxesse, ficaria aquém_ Passaram a caminhar para fora do aeroporto. Rhian abriu outro sorriso.

_ Como assim ficaria aquém? Eu sempre fui ótima de presentes!

_ Vai entender depois quando eu te entregar_ Respondeu, se mantendo agarrada no braço de Rhian, não a queria longe nem por um pouquinho.

_ E vai me entregar quando?

_ Na hora certa, temos tempo...

Rhian a olhou sorrindo, beijando o canto da testa dela.

_ Já vai começar me maltratando, é?

_ Só um pouquinho_ Beijinho no rosto de Rhian_ Mas você suporta bem. Quais os planos para agora?

_ Ah, eu acho que você deve estar cansada, não está? Quase vinte e quatro horas de voo, eu pensei da gente passar no hotel, você toma um banho, descansa e depois saímos pra comer alguma coisa, o que acha?

_ Eu acho maravilhoso_ Outro beijo, outro carinho, outro sinal de saudade.

Foram para o hotel. De jipe aberto, sentindo o vento nos cabelos, tendo a bela orla da Cidade do Cabo correndo ao lado, aquela cidade era maravilhosa! Tinha praias impressionantes, verdes-azuladas, era fresca como o centro da África nunca poderia ser e era cheia de contrastes. Modernas construções, incríveis formações naturais e elas sequer haviam visto 1%. Rhian estava livre! Dirigindo com a habilidade de sempre, correndo com responsabilidade, manobrando, sentindo a adrenalina e o vento salino no rosto ao lado de sua garota linda. Tudo estava como era antes, bem antes, antes de sequestro, de separação, antes da culpa, de todas as coisas. Antes, quando eram apenas Rhian e Diana e seus únicos problemas eram os ciúmes ou o excesso de vontade de ficarem juntas. Tudo estava como era antes, tudo como nunca deveria deixar de ter sido.  

Chegaram no hotel, pegaram as chaves na recepção, cama de casal, Rhian havia optado por reservar, se Diana não quisesse nada mesmo, ainda assim, tinham civilidade para dormirem perto uma da outra sem que nada acontecesse, é claro que tinham, não tinham? Claro que a mente de Rhian, tal como o que se passava com Diana, com toda certeza tinha planos não contados para tal situação... Subiram para o quarto e Rhian a agarrou por trás ainda no corredor, a puxando pela cintura, a beijando no pescoço, a levando para o quarto e como Diana podia encaixar aquela chave na fechadura minúscula com Rhian mordiscando seu ombro, com a mão dela descendo por entre as suas coxas, testando a curteza de seu vestido escolhido a dedo, Diana havia dado um jeito de ficar limpa, cheirosa e gostosa para Rhian quando desceu em Joanesburgo, Diana sentiu a mão dela subindo pelo meio dos seus cabelos, a parte baixa da cintura dela grudando contra os seus quadris, a boca pegando o seu pescoço e pronto, abriu a porta virando de frente e pegando a boca dela num beijo quente, fervente, ansioso! Haviam portas de vidro que davam para um lindo jardim, mas que imediatamente tiveram suas cortinas fechadas por Rhian, que só queria beijar Diana, que só queria pôr suas mãos nela e provar tudo o que sua vontade andava a escravizando de saudade...

Rhian a levou para a cama, espalhando as mãos setorialmente pelo corpo dela, a mantendo num beijo profundo, intenso, gostoso, a cobrindo com o seu corpo e Diana pode sentir o corpão dela pesando sobre o seu, pode sentir as pulsações vertiginosamente aumentando em sua mente e escapando pelos shorts curtos que Rhian usava, pode sentir aquelas mãos em seus quadris, em seus seios, pegando, usando, tomando para si e como estava com saudades da pegada de Rhian! Saudade do jeito que ela lhe beijava, que lhe roubava de si, tanto que Diana até esqueceu os motivos pelos quais haviam separado, as coisas que a fizeram sofrer, e...

Bastou para lembrar.

_ Espera, Rhian, espera.

_ Espero, oi_ Suspirou, parando em cima dela com a parte baixa de sua cintura completamente grudada contra a de Diana.

_ É que..._ Diana tocou o rosto dela, tudo estava tão bom... Não, não iria estragar aquele momento com um assunto difícil_ Eu preciso mesmo de um banho.

Rhian suspirou. Tudo bem, ela precisava de um banho e provavelmente precisava ir mais devagar, Rhian teria paciência, tudo bem. A beijou mais uma vez, suavemente, acalmando tudo que já estava ardendo entre elas e deixou que ela fosse. Diana entrou no banheiro, tirou os sapatos, seus pés estavam moídos, tirou o vestido, preto, mangas três-quartos, havia comprado pensando em Rhian, porque estavam separadas, sabemos, mas a mente de Diana sempre pensava diferente. Tirou o relógio, os anéis, nenhum era a sua aliança, ligou o chuveiro e enquanto esperava a água esquentar, pensou em tudo. Estava ali, perto de Rhian outra vez, será que realmente importava tanto assim ela ter lhe deixado? Entrou no chuveiro. Já havia entendido os motivos de Rhian, não tinha o que perdoar, haviam terminado por desconfianças mútuas, mas acima de tudo, por falta uma da outra. Doía demais ficarem separadas, este era o grande problema, a falta e a saudade que não sabiam lidar.

E por qual motivo agora que estava ali, Diana ficaria se apegando a orgulho e situações que já haviam passado uma vez que o mais importante ainda continuava ali?

Os sentimentos. Aqueles que só tinha por Rhian.

_ Rhian? Rhian, vem aqui!

_ Oi amor, estou aqui_ Ela respondeu da porta sem entrar. Não era bonitinha demais aquele amor da sua vida? Diana sorriu.

_ Aqui dentro, Rhian, vem cá.

Lá dentro? Rhian mordeu a boca e entrou. E lá estava Diana, nua sob o chuveiro, o corpão todo gostoso nos lugares certos e aquelas curvas que deixavam Rhian...

_ É tortura?

Diana abriu o box esfumaçado, se mostrando inteira.

_ Você ainda não veio onde eu preciso_ Diana puxou Rhian pela camiseta e a beijou, a trazendo para dentro do box, Rhian se livrou dos chinelos os deixando do lado de fora e empurrou Diana contra a parede transparente, a pressionando contra o seu corpo, a pegando naquele beijo quente, ansioso, excitado, mais do que excitado... Rhian a pegou pela nuca e virou Diana de costas para si, grudando-se contra os quadris dela, espalhando as mãos pelos seios dela enquanto sentiu Diana jogando a mão para trás e agarrando sua camiseta nas costas, puxou para fora do corpo de Rhian, a despindo assim, querendo mais do que o corpo, a pele dela na sua, Diana estava com saudades da pele dela, da vontade dela, da força de Rhian e de tudo aquilo que somente Rhian a fazia sentir...

Diana tateou para trás, a sentindo em si, sentindo a pressão do corpo dela, agarrou Rhian no meio das coxas e ouviu um gemido agressivo em seu ouvido como resposta, uma pressão mais acentuada contra sua mão, há quanto tempo não arrancava um gemido desses da boca dela? Diana abriu os shorts jeans que ela usava, baixando o zíper, agarrando mais, massageando mais e Rhian gemeu roucamente ao sentir aqueles dedos, aquela pegada, aquela era a sua garota, atrevida, despudorada, a sua Diana, a única mulher que era sua. Rhian subiu a mão a pegando firmemente pela garganta enquanto lhe acariciava o lado do rosto, o pescoço, arrancando de Diana suspiros densos, excitados, pegou Diana firmemente pela cintura, tirando aqueles longos cabelos castanhos de lado para lhe beijar a nuca, e, foi quando Rhian viu.

XXIIMMIX.

Aquela data. Tatuada pouco abaixo da nuca dela. Diana abriu um sorriso ao senti-la parando.

_ Achou seu presente?

_ Diana..._ Rhian não estava acreditando, ela havia tatuado aquela data, a data delas, ela que morria de medo de agulha, que odiava sentir dor_ Eu não acredito que..._ Deslizou o dedo por cima das linhas, só para sentir, para ter certeza que ela havia mesmo feito. Havia, Rhian segurou os cabelos dela de lado e grudou sua boca contra a nuca dela, sorrindo_ Você tinha me prometido, mas eu não achei que...

_ Era sério?_ Perguntou, virando-se de frente e passando os braços pelo pescoço dela_ Não era, mas se tornou. Eu queria te dar algo significativo, você é tão incrível em presentes significativos.

_ Mas isso é muito mais do que significativo_ Rhian olhou a nuca dela outra vez, vendo a tatuagem novamente, era linda! E igual a sua, a mesma fonte, o mesmo tamanho..._ Nós estávamos separadas!

_ Também estávamos quando você fez a sua. Eu sempre tive medo de fazer tatuagem, você sabe, medo da agulha, da dor, de me arrepender, eu sou indecisa naturalmente, mas então a gente ficou distante, e tudo doía tanto, tanto, tanto que... Cheguei à conclusão de que qualquer dor seria menor que aquela e que você é a única coisa que eu nunca vou querer destatuar na minha vida..._ Disse, percebendo um brilho lindo nos olhos de sua Rhian. E então, a puxou pela nuca suavemente, aproximando sua boca do ouvido dela para bem baixinho sussurrar..._ Você está na minha nuca agora, e eu preciso de você dentro de mim. Eu quero fazer amor, Rhian, fazer amor agora...

Rhian a tirou do chão a pegando pelas coxas e a beijou, a pondo contra a parede, afundando seu corpo contra o dela com cada um de seus músculos em ação, sentindo as pernas de Diana se agarrando em suas coxas e o desejo dela lhe provocando das pulsações entre suas pernas até as terminações nervosas de sua mente... Diana cravou as mãos na nuca dela, a boca pelo pescoço de Rhian, por cima da tatuagem, aquele que falava sobre ser o herói que ela precisava enquanto lentamente, Rhian foi devolvendo seus pés para o chão, firmemente, foi agarrando a coxa de Diana, sensualmente levando sua boca para os seios dela já tão enrijecidos de vontade...

_ Ai Rhian...

_ Eu sou tão louca por você...

E Diana gemeu alto ao sentir a mão dela subindo pelo seu colo, chegando até a sua garganta, Rhian deslizou para baixo, abaixando-se a frente de Diana, descendo a boca, a língua, pelo abdômen, canto de sua cintura e quando sua boca pairou sobre seu sexo ansioso, os dedos nervosos de Diana abriram o sutiã de Rhian e cravaram pelo meio dos cabelos dela, a sentindo ofegar de vontade, provocá-la em sua ansiedade, como era possível? Diana estava nervosa como se fosse a sua primeira vez outra vez, e Rhian, bem, Rhian estava louca por ela como sempre havia sido. Rhian encostou a testa no abdômen de Diana, acalmando aquele tesão, aquela vontade, a ansiedade de sua garota.

_ Você está nervosa, meu bem?

_ Tremendo_ Ela respondeu sorrindo fazendo um carinho pelos cabelos de Rhian.

_ Tremendo?_ Rhian abriu um sorriso, buscando os olhos dela_ Eu amo você, sou a sua Rhian, lembra?

_ Lembro. E meu corpo lembra mais do que eu. Eu tive tanto medo de não ser mais sua...

E Rhian subiu pelo corpo dela e a beijou outra vez, tocando seu rosto, a puxando pela cintura, delicadamente, cuidadosamente.

_ E enquanto isso eu ficava aqui morrendo de medo de não ter mais você. Eu não quero separar mais, Diana. Nunca mais.

Diana olhava nos olhos dela. E sentia a verdade. E sentia sua própria vontade. Não queria separar dela nunca mais, nunca mais. Se beijaram outra vez, as mãos cravando pela pele de Rhian, a vontade voltando forte e latente, e pronto, ali estava, aquela era a garota de Rhian, aquela da qual estava morrendo de saudades. Rhian desceu pelo corpo dela outra vez e afundou a boca pelo meio das coxas de Diana, tocando-a fundo e bem fundo, deslizando por ela, sentindo-a em cada ponto de prazer que Rhian tinha mais do que decorado, memorizado, e que estava morrendo de saudades. Diana apertou a mão pelos cabelos dela e o tesão pelo movimento de seus quadris, sentia firme as mãos de Rhian, sentia firme seu tesão, sua paixão, o coração batendo forte igual o seu. Coração na garganta, era como se amavam, com o gosto das pulsações fortes sempre ficando pela boca das duas. Rhian a sentia pulsando de vontade, trêmula de ansiedade, viu a mão dela desligando o chuveiro porque já estava quente, quente mais do que suficiente e quando Rhian olhou para cima, fazendo seus olhos encontrarem os dela, Diana soube exatamente como Rhian estava prestes a lhe fazer sentir outra vez.

A única garota no mundo.

Rhian afastou sua boca, e escorregou dois dedos para dentro dela, levantando, buscando seus olhos, a segurando pela coxa ao afundar seu corpo contra a vontade dela, contra o prazer que avisava pelos gemidos de Diana se intensificando que estava pronto para vir. Os dedos de Diana afundando nas costas, nos quadris de Rhian, empurrando a calcinha para baixo, agarrando-a por dentro do tecido.

_ Rhian...!

_ Shsssss, olha aqui pra mim, amor, bem aqui: eu quero que você goze olhando no meu olho...

E o pedido entrou pela sua mente e desceu pelo corpo de Diana, num choque de instinto, numa grande pontada de prazer que inesperadamente, acalmou a mordida do tesão, a tornou um beijo suave, e Diana enroscou o braço pelo pescoço de Rhian e sem sentir seus pés no chão, começou a gozar, devagar, serenando a sua necessidade, olhando nos olhos da mulher que amava, perdendo beijos pela boca dela, e Rhian foi sentindo outra vez, sentindo os braços dela apertando mais, sentindo a boca dela começando a morder os beijos, os gemidos aumentando gradualmente até apertarem de uma vez, paralisando os músculos dela, os retesando e comprimindo e Diana se agarrou a ela mais forte e mais firme, e Rhian a sentindo molhando mais contra seus dedos, pedindo por mais, precisando de mais, ela quis fechar os olhos, não, não, Rhian não deixou, era para morder o prazer olhando dentro dos seus olhos...

E Diana mordeu, uma mordida cítrica e salina, com o gosto de Rhian, mordeu o prazer olhando sensualmente dentro dos olhos dela, deliciosamente estremecendo pelo corpo, pelos dedos de Rhian, a guardando dentro de si naquele instante em que cada pedaço de seu corpo queria ficar preso em Rhian, pleno dela, coberto por aquela pele quente que não escapou de uma mordida, de uma pegada mais firme de dedos, Diana havia derretido. Mas só estava no começo. E Rhian sabia, ah, é claro que sabia.

Sua garota a pegou pela garganta e a agarrou num beijo quente, ansioso, cheio de vontade, as mãos baixando a calcinha de Rhian rapidamente, sem que ela tivesse tempo de contestar, não querer ou querer alguma outra coisa que não fosse a boca de Diana descendo pelo seu corpo, abocanhando seus seios mais do que excitados, duros, enrijecidos, adiantava dizer que seu corpo estava sensível, porque havia acabado de gozar também? Não, com Diana não adiantava nada disso e Rhian adorava, absolutamente adorava que assim fosse... Diana desceu, deixando as mãos pelos seios dela, agarrando, pegando, e descendo a boca pelas linhas de músculos que haviam pelo abdômen de Rhian, ainda mais definidos do que da última vez que havia pego.

O que só a deixava mais louca por ela ainda.

_ Diana..._ Ela baixou a calcinha de Rhian, se ajoelhou na frente dela e lhe olhou nos olhos em total submissão.

_ Como você quer, amor?_ E a filha da mãe passou a língua pelos lábios, deixando Rhian...! Ela sabia como morder o seu tesão, como ela sabia.

Rhian perdeu a mão pelos cabelos dela e a trouxe para o seu sexo, excitado, molhado, já pulsando de vontade e querendo mais e mais porque ter Diana assim, submissa e de joelhos era tudo o que Rhian havia sonhado, porque olhar naqueles olhos castanhos enquanto ela lhe fazia sua, flutuava em sua mente o tempo inteiro, porque as coisas mudavam, mas no final continuavam as mesmas: Diana sentindo-se a única garota no mundo nas mãos de Rhian e Rhian se convencendo que podia gozar com mil garotas, mas nunca tão forte tal como somente Diana era capaz de fazer...

 A levou nos braços para o quarto, com ela agarrada em seu pescoço, com as pernas agarradas em suas coxas, Rhian usou toda a força física que tinha e a derrubou na cama, mesmo molhadas, por conta do chuveiro, por conta do suor, e com a boca descendo pelo pescoço de Diana, a penetrou firmemente, a sentindo gemer, se contorcer sobre o seu corpo, os quadris de Rhian investido contra ela, compondo seu movimento, as mãos de Diana cravando em suas costas, em seus braços, a boca gemendo, o corpo delirando, e quando Rhian sentiu que ela estava começando a gozar, retirou os dedos e montou sobre ela, lhe segurando pela garganta, movendo seu sexo diretamente contra o dela, a musculatura de Rhian em ação, comprimindo e aumentando em cada movimento e o corpo de Diana fazendo o mesmo, retesando, esticando, agarrando, a mão de Rhian em seu seio, pegando, acariciando, tomando, explodindo. Era isto, eram elas, eram Rhian e Diana, eram uma da outra, e ponto inicial.

Sim, porque ponto final era uma coisa que definitivamente, não era para ser delas.

Diana fugiu da cama. Aos risos fugiu, escapando das mãos de Rhian, roubando um lençol pelo caminho e correndo porta afora do jardim. O sol já estava se pondo e Rhian não estava acreditando que sua garota louca havia corrido para fora seminua sendo que ela sequer estava delirando. Chamou por ela rindo, enquanto se enfiava num roupão e quando conseguiu segui-la, Diana estava no jardim, observando o pôr do sol, descalça, de cabelos bagunçados, enrolada num lençol branco.

_ Diana, o que você está fazendo?

Ela lhe olhou, com aquele lindo sorriso aberto, puxando Rhian para perto.

_ Agradecendo a África por ter me devolvido você...

E foi o sorriso de Rhian quem se abriu ainda mais, a puxando pela cintura, e a beijando mais uma vez, um beijo doce, delicado, iluminado pelo laranja do sol adormecendo ao gentilmente se deitar sobre elas.

_ Eu agradeci por você lá na cama..._ Falou brincando, tirando um sorriso dela.

_ Rhian, falando nisso..._ A beijou outra vez, sentindo os braços de Rhian se enroscando pela sua cintura.

_ O quê?_ Outro beijo, tocando o rosto dela, sentindo aquela boca gostosa.

_ Eu estou fazendo terapia para tratar a compulsão...

_ Aquela compulsão?

_ Aham, aquela compulsão, mas eu acho que você arruinou tudo..._ Disse, fazendo Rhian gargalhar.

_ Eu arruinei é?

_ Tudo, um tratamento inteiro. Eu sei que a gente já fez amor umas seis vezes, mas..._ Beijo novamente, Rhian a puxando para mais perto, subindo a mão por dentro dos cabelos dela e era impressionante, dava para sentir a tatuagem, ou seria apenas a energia que ela havia causado entre elas?

_ Mas...?_ Rhian deslizou a boca pelo pescoço dela, fazendo Diana fechar os olhos e apertar as mãos na gola de seu roupão.

_ Eu ainda tô com tesão, Rhian...

Rhian abriu um sorriso, como se não soubesse, como se não soubesse... Pegou Diana pela cintura a tirando do chão de grama, Rhian estava forte, cheia de vigor, e, cheia de tesão.

_ Se a Graziela curar você disso eu juro que acabo com a carreira dela...

Rhian a levou para a jacuzzi que havia na varanda, puxando os encerados de bambu ao mesmo que descobria Diana, porque ela era linda demais, e piorava vista assim, nua sob aquela luz da tarde, pulsando de vontade, Rhian estava louca por ela, e nem estava perto daquela febre passar. Amou Diana firmemente, dentro da água quente, a curvando sobre a borda da banheira, a tomando em sua posição-obsessão enquanto a sua mente ardia na mesma tenacidade que o meio de suas coxas. E a boca de Diana... Como podia cansar da boca dela? Cansar dela lhe puxando para a sua boca, testando seu gosto com a língua em toda e qualquer posição que sabia que Rhian adorava? Diana levou Rhian ao delírio. Deslizando pelo corpo dela, lhe oferecendo as suas curvas, arrancando Rhian de dentro da jacuzzi e jogando-a em cima da esteira, mergulhou ao contrário pelo corpo dela, fazendo-a gemer e estremecer, levando a boca até o sexo extremamente molhado de Rhian enquanto oferecia a ela o seu melhor ângulo.

_ Ai Diana....

_ Aproveite a viagem...

Rhian aproveitou. E já havia gozado umas dez vezes, mas nenhuma tão forte como aquela, Diana era o seu tesão, o seu coração, a sua mente, era as suas fantasias sexuais, e as românticas também, era a mordida em sua libido, o beijo com gosto de roubado ainda que concedido. Era a namorada com gosto de casual, era a esposa que nunca deixaria de ser amante. E por tudo isso, juntando a braveza, a loucura e o quanto era linda, Diana sempre seria a perdição de Rhian...

E também sempre seria seu melhor encontro.

Dormiram depois do banho, num cantinho minúsculo da cama e não era apenas porque ela estava molhada, era porque não queriam nenhum centímetro desnecessário as separando mais, já havia sido demais. Um ano inteiro sem Diana. Rhian havia superado a ausência de seu conforto, de privacidade, os turnos loucos de trabalho, os trabalhos impossíveis, a falta de saneamento básico, a comida rara, os temperos diferentes, mas nada, absolutamente nada, doía mais do que não ter Diana. Então, quando abriu os olhos com o som dos grilos e percebeu que ela continuava ali, entre os seus braços, que não havia sido outro sonho, que era real... Rhian só não chorou porque Diana acordou sendo... Bem, sendo Diana.

_ Rhian...

_ Oi meu amor..._ Respondeu, a acariciando toda suave.

_ Eu tô morrendo de fome...

E Rhian desatou a rir, porque eram duas da manhã e o estômago dela realmente estava roncando alto. Como não estaria? Diana não almoçou, não jantou, tomou um café rapidinho em Joanesburgo e então haviam entrado para aquele quarto para um banho e nunca mais haviam saído. Rhian ligou para o restaurante, que obviamente já estava fechado, mas lhe disseram que o bar funcionava 24 horas.

_ Eu vou me trocar e vou atrás de alguma coisa pra você, tá?

_ Amor, tem chocolate no frigobar, e refrigerante...

Rhian a beijou gostoso, passando por cima dela.

_ Minha mulher não vai jantar chocolate e refrigerante. Eu volto logo.

Mais beijos, mais sorrisos e Rhian se trocou rapidinho e desceu até o bar. Diana se pôs de pé, e enfim, foi abrir a sua mala. Achou sua escova de dentes, suas calcinhas (porque até então ainda estava sem) e quando buscou as roupas que havia trazido de dormir, parou: não queria nenhuma roupa sua, queria dormir numa camiseta de Rhian, como sempre. Então vestiu a calcinha, achou uma camiseta dela, com o cheiro dela e foi escovar os dentes, lavar o rosto, olhou o jardim lá fora, era realmente lindo, tal como o céu da África do Sul, bonito demais, negro, estrelado, mais um céu deslumbrante que assistia seu amor com Rhian. Sorriu ao mencioná-la em seus pensamentos. Seu amor com Rhian. Achou que tudo estava perdido, que havia estragado tudo, e então, aquela volta, aquelas horas ininterruptas de amor que gritavam que elas continuavam se querendo da mesma forma, se desejando igual, com a mesma loucura de sempre, o amor estava ali, a paixão também estava, e a saudade nem se fala.

Tudo havia desaparecido subitamente agora que Diana estava cheia de marcas de amor pelo corpo e vestida numa das camisetas de sua mulher. Que voltou para o quarto com uma bandeja incrível! Tinha macarrão à carbonara naquela bandeja, dois pratos, para comerem juntas.

_ Rhian como você, como...?_ A puxou pela nuca a beijando enquanto ela trazia a bandeja para a cama, que além dos pratos lindos, tinha dois copos de suco e um bolinho como sobremesa_ Você conseguiu um bolinho!

_ Um petit-gateau_ Disse ela, sentando na cama_ Só não consegui sorvete, mas...

Diana levou uma generosa garfada para a boca e:

 _ Rhian, você cozinhou!_ O tempero era inconfundível.

_ Cozinhei_ Ela contou sorrindo_ Eu falei com o cara do bar, expliquei que tinha uma moça linda na minha cama, mas com fome e ele me disse que não cozinhava nada, mas que tinha uma cozinha, que eu podia usar o que quisesse, é a comida dos funcionários. Melhor que chocolate e refrigerante?

_ Melhor que qualquer outra coisa no mundo! Meu Deus, eu estava morrendo de saudade desse macarrão..._ Ela disse, pondo outra garfada na boca, enquanto Rhian a observava, somente a observava.

_ Eu estava morrendo de vontade de ver você comendo assim... Diana, eu estou com saudade de cada pequena coisa sua, você não faz ideia. Saudades das suas manhas, de fazer amor, da sua comida, de ficar com você, saudade de inverter o tempo, é uma coisa tão nossa.

Diana ergueu os olhos para ela.

_ Jura que é só nossa?

_ Oh meu bem, eu sou só sua, só sua, só sua..._ Disse, a puxando pela nuca e lhe roubando um beijo_ Eu precisava vir para cá, para limpar a minha alma, aprender o sentido real das coisas e não podia te arrastar comigo, não seria justo. Ao mesmo que deixar você lá..._ Olhou para ela outra vez, ela havia voltado a comer, estava faminta mesmo_ Como você passou esse ano inteiro? Quero dizer, eu sei que não tenho o direito de cobrar nada de você, mas é que...

Diana ergueu os olhos para ela com um sorriso enigmático na boca.

_ Quer saber se eu passei um ano inteiro sem sexo?

Rhian analisou aquele sorriso.

_ Agora eu acho que eu não quero mais saber...

Diana começou a rir.

_ Eu te falei que eu estou fazendo terapia para tratar a compulsão. E então foi que eu descobri que na verdade, a compulsão não é por sexo, eu não era compulsiva antes de você. Eu sou compulsiva por você, e se continuei fazendo sexo demais depois de você, foi porque buscava o seu gosto e como ele nunca vinha... Conclusão, eu gosto de sexo tanto quanto você, mas não sou compulsiva.

_ Diana, você está me matando... Eu adorei a parte da sua compulsão por mim, mas odiei a parte que você adora sexo e eu passei um ano na África longe da sua cama...

Diana seguia rindo.

_ Rhian, eu não consigo ficar muito tempo sem sexo, apesar de não ser compulsão, você sabe disso, então, é claro que eu não fiquei.

_ E fez com quem? Pode me dizer, eu prefiro saber.

E Diana ergueu a mão direita, movendo seus dedos.

_ Com você mesma. Eu não fui pra cama com ninguém, Rhian, não toquei, não beijei ninguém, mas fazia amor com você sempre. Acho até que isso aumentou as minhas habilidades, sabe, fortaleceu os meus dedos..._ E Rhian a beijou outra vez, sorrindo demais, feliz que passava. Ela achava mesmo que Diana havia ficado com outra? Diana a segurou pela nuca, tocando sua testa na dela_ Eu sou sua, só sua. Fiquei louca quando você veio para cá, mas você deixou uma aliança no meu dedo e eu não ia te trair. Eu sei que a gente terminou por causa da Harumi, e que isso te dá direitos de...

Rhian a beijou outra vez, passando por cima da bandeja, a puxando para junto, trocando um sorriso com ela e olhos brilhando.

_ Eu vim pra cá noiva. E eu continuo noiva. Eu não fiquei com ninguém, não beijei ninguém, estava explodindo de tesão, me tocando em cada momento possível, mas sequer olhei pra ninguém, porque o tesão é seu, a saudade é sua, só serve você..._ E a beijou outra vez e Diana passou para o colo dela, enroscando o braço pelo pescoço de Rhian, se escondendo em seu ombro, no canto de seu rosto, querendo chorar.

E chorando.

_ Você viu? Eu me guardei, fui fiel a você, confiei em você e nem me senti boba, porque sabia que você estava fazendo o mesmo. Significa muito, não significa?

_ Significa tudo, Diana_ Respondeu Rhian, tocando a nuca dela por cima dos cabelos deixando enfim, aquela lágrima escapar_ Significa tudo. Você aprendeu a dizer todas as coisas_ Disse sorrindo.

_ Todas as coisas.

_ Como você está se sentindo agora? Aqui, no meu colo, depois de tudo?

_ Você sabe como..._ Respondeu, totalmente agarrada nela.

_ Eu sei, mas estou sonhando em ouvir outra vez. Como se sente, amor?

E Diana abriu um sorriso.

 

_ A única garota no mundo...

Notas finais:

Meninas, como vcs estão? Feriado lindo, cheio de energia e sucesso ;) Esta semana o capítulo chegou mais cedo, cheio de romance para vcs. Gostaram? Estamos partindo para o final, mas olha, muitas surpresas estão chegando junto com o 'the end', hein! hahaha E aliás, os extras tbém estão a todo vapor, cheio de coisas boas e prometo a vcs que estes casais ainda vão trazer muita alegria. rsrsrsrs

Deixem seus emails e seus comentários!

P.S: Ah, essa semana estou em viagem de trabalho e por isso atrasarei em algumas respostas, mas somente um atraso de alguns dias, prometo!!! 

Bjos



Comentários


Nome: Photographer_SP (Assinado) · Data: 27/06/2017 19:38 · Para: A Febre

 

Por isso vale sempre a pena acreditar no amor....

Adorei a Harumi discutindo com Rhian via internet. Tenso..... estava vendo a Rhian se materializando passando pela tela do notebook para dar uma voadora na panda. Hehehe

Isis, cuidando do amor da cunhada, "Isis chegou perto das duas, e cruzou com uma moça saindo do apartamento de Diana. Olhou para a moça, para o jeito que ela se despediu de Diana, apertou o cenho, olhou para a tal moça outra vez e entrou. Diana estava no sofá comendo sushi."

_ Esta é...? 

_ Fran, secretária de uma das empresas onde eu trabalho.

_ Hum, Fran. E o que a Fran veio fazer aqui?

( _ Já falou com a Rhian hoje? _ Acabei de falar com ela.  )

Marcação serrada, né? Gosto assim....

Aquele reencontro no aeroporto coisa mais linda de viver, reler...

Cenas de amor, o fogo nos olhos, nos corpos, na água do chuveiro, no quarto, na cama....

Rhian é um sonho, ela não ia permitir que sua mulher faminta ficasse com refrigerante e chocolate.

Preparou seu prato favorito como não amar essa linda caribenha?

 

Tessa o fim esta chegando mesmo, ao há outra saída. Ficaremos com saudades de Rhian, Diana...Que história linda além da conta.

razaoevidasp@yahoo.com.br

 

Obrigada de verdade!!

Beijos



Nome: camilanew123 (Assinado) · Data: 26/05/2017 11:01 · Para: A Febre
Me envia o extra pfvr?

Camilanew123@hotmail.com

Obrigadaa


Nome: brunafinzicontini (Assinado) · Data: 02/03/2017 03:43 · Para: A Febre

Ai, que bom! Finalmente, meu Deus! Obrigada, Tessa Reis! Está perdoada por todo sofrimento anterior!

Muito bom que elas encarem realmente todos os assuntos - mesmo os que poderiam ser desagradáveis - numa conversa franca e sincera!

Por favor, pode mandar o extra do capítulo?

brunafinzicontini@yahoo.com

 



Nome: mari86 (Assinado) · Data: 04/02/2017 21:57 · Para: A Febre

Oi,

Me envia o extra por favor.

Bjs mil!

mari86rangel@gmail.com



Nome: mabi (Assinado) · Data: 28/01/2017 00:55 · Para: A Febre

Extra :D

 

 mariasabrina.821995@gmail.com

 

 



Resposta do autor:

Enviado, moça!



Nome: Midnight (Assinado) · Data: 15/01/2017 22:32 · Para: A Febre

Tess, 

Lindos lugares, lindas personagens, amor para sempre amor.

Extra por favor.

midnightgirl009@gmail.com

Beijos, abraços e sonhos para você!



Resposta do autor:

Oieee moça dos comentários doces *.*

 

Extra enviado! Desculpa a demora, foram duas semanas complicadas, fiquei doente, me enrolei no trabalho, mas enfim, estou desatrasando tudo agora ^^

Beijos! Obrigada pela leitura!



Nome: Cristine Caetano (Assinado) · Data: 10/01/2017 21:31 · Para: A Febre

Será que posso ter a honra de ler mais um pouco dessa perfeição??

mello-pam@hotmail.com



Resposta do autor:

Extra enviado!



Nome: _kuonganjo (Assinado) · Data: 09/01/2017 17:53 · Para: A Febre

Você poderia me enviar o extra, por favor?

laiine_moraes@hotmail.com



Resposta do autor:

Extra enviado!



Nome: LeticiaSilva (Assinado) · Data: 06/01/2017 03:32 · Para: A Febre

Poderia me mandar o extra por favor? Bjs.

 

leticiacsilva@ymail.com



Resposta do autor:

Extra enviado!



Nome: mr_amanda (Assinado) · Data: 05/01/2017 03:54 · Para: A Febre

Olá!

Solicitando extra! rs

 

mr.amandacruz1000@gmail.com

 

Beijo



Resposta do autor:

Extra enviado!



Nome: Perroni91 (Assinado) · Data: 03/01/2017 16:40 · Para: A Febre

Oi.
Poderia me enviar esse extra por favor?
Obrigada  :)

marciasprates@hotmail.com



Resposta do autor:

Extra enviado!



Nome: Nany (Assinado) · Data: 02/01/2017 15:20 · Para: A Febre

Oi..

 

Gostaria de receber o capítulo extra...

araujoelaini@gmail.com

 

Desde já, obrigada...

 

Bjux...



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: Saber (Assinado) · Data: 27/12/2016 01:52 · Para: A Febre

f.cpaula@hotmail.com



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: Mary (Assinado) · Data: 23/12/2016 16:29 · Para: A Febre

Manda o extra, por favor. =]

mmary4999@hotmail.com



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: Liana M (Assinado) · Data: 14/12/2016 08:14 · Para: A Febre

c.melo9@hotmail.com



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: Carmen (Assinado) · Data: 13/12/2016 19:09 · Para: A Febre

Oi Tess! 

 

Óbvio que eu tinha que voltar e participar dessa reta final. Faço com o maior prazer! Você deve saber que é unanimidade em SD, como escritora e como pessoa! 

 

Quanto ao capítulo, eu não poderia ter amado mais as palavras de Harumi para Rhian. Concordo com absolutamente tudo. Há quem diga que ela não deveria ter se metido. Eu discordo demais. Afinal, ela é amiga e está ali pra Diana, coisa que deveria ser o papel de Rhian. E sabemos que a bonitinha é esquentadinha, jamais ficaria quieta diante de um desaforo de Rhian. Eu ri delas brigando pelo computador! 

 

Aí veio a separação e eu achei super válido. As vezes quando algo sufoca, faz mal ou está mal resolvido, é preciso de afastar, ganhar espaço pra raciocinar, sentir e ver o que realmente é importante! 

 

E depois o reencontro. E elas puderam se reencontrar com os corações leves. Rhian mais inteira, Diana mais madura. E foi lindo, porque elas se amam e só isso importa, ou pelo menos é o que mais importa! A gente esquece tudo e shippa, porque é impossível não faze-lo! A gente até esquece a merda que a Rhian fez, tudo, porque elas se pertencem! Sabemos. Sentimos. É lindo! E inspirador! 

 

E amei que Rhian não tenha resolvido fazer voto de pobreza! Eu sei que é aleatório, mas li uma FIC que isso aconteceu e fiquei meio traumatizada. Até porque, acho uma puta hipocrisia. Dinheiro é importante, desde que ele seja visto apenas como isso, dinheiro. 

 

Agora, vamos ver como será os próximos dias e o momento da separação. Será que dessa vez Rhian fará a coisa certa? Torcendo eim? 

 

Bjs Tess! 

 

sandiegocarmenj13@gmail.com



Resposta do autor:

Carmen ♥

 

Feliz demais que vc tenha retornado a Delirium depois do meu deslize com a sua pessoa ♥

As meninas de SD e a Selena são umas fofas, sempre estão por aqui, adoro demais *.*

Agora sobre o capítulo, alguém precisava dizer aquelas coisas para a Rhian, e só podia ser a Harumi, aliás, ela está dizendo coisas para Rhian desde o primeiro encontro delas né haha Rhian tem seus motivos, ok, mas não significa que a Diana não está sofrendo, que já não pensou em todas as coisas que a Harumi disse para a Rhian, é claro que ela pensou, é claro que está dificil para ela e quem está vendo tudo isso de perto, paradoxalmente, é a Andressa :) Imaginar a briga pelo computador tbem me fez rir hahaha Aliás, Harumi solta os desaforos assim, pelo computador ou quando a Rhian está bem amarradinha né rsrs

 

Mas no final das contas, vc tem razão, elas se pertecem com tanta propriedade que elas esquecem de tudo, a gente esquece de tudo e só fica feliz pela felicidade delas, é um belo acerto de contas ♥

 

E sim, nem tinha como caber né, imagina a Rhian fazendo voto de pobreza haha A bicha é luxenta, está melhorando como pessoa e tudo mais, mas nunca vai deixar de ser Rhian Kier, elegante, alto padrão, pronta a realizar as coisas mais extraordinárias. É aquela coisa da frase da Lispector, até cortar os próprios defeitos por ser perigoso, está é uma das principais caracteristicas de quem esta personagem é, ela deve mudar, mas sem perder as raizes =)

 

Beijos!

 



Nome: Zuza (Assinado) · Data: 11/12/2016 07:57 · Para: A Febre

Extra extra extra 

daiane_zuza@hotmail.com



Resposta do autor:

Extra enviado!



Nome: branca13 (Assinado) · Data: 11/12/2016 04:32 · Para: A Febre

excelente capitulo, parabens

medicina1392@gmail.com 



Resposta do autor:

Enviado, boa leitura!



Nome: tata_rj (Assinado) · Data: 09/12/2016 21:03 · Para: A Febre

Extras... Pleeeease, os extras! freitas.taize@gmail.com



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: Maria Flor (Assinado) · Data: 09/12/2016 07:12 · Para: A Febre

Hot, hot, hot!!!

Amei! E nem acredito que elas passaram um ano mantendo fidelidade. Realmente nossas garotas estão amadurecendo.

Poxa, deu tristeza você falando do final de Delirium. Gosto tanto dessa história :(

E ao mesmo tempo que deu vontade de ir lendo mais devagar pro fim demorar a chegar, deu vontade de ler logo pra saber o que você anda reservando pros próximos capítulos. Ossos do ofício de leitora, hehehe.

Beijo grande e fico no aguardo do extra.



Resposta do autor:

Vc viu que coisa linda as nossas meninas? Um ano todinho se mantendo uma para a outra, esperando o momento de estarem juntas outra vez ♥

 

Reta final, tbem anda sendo dificil para mim me despedir dessas moças :/

E a vida de leitora é complicada tbem haha Quer ler rápido pra saber de tudo ao mesmo que queria ler mais devagar para demorar a passar, te entendo totalmente rsrs

Beijão! Extra enviado!



Nome: Line10 (Assinado) · Data: 08/12/2016 03:11 · Para: A Febre
Parabéns autora historia maravilhosa Demorei mais consegui chegar antes do fim kkkk e agora só falta ler os extras rsrsrs super ansiosa

Sant_seya@outlook.com

Resposta do autor:

Extra enviado para complementar a sua leitura!

 

Beijos! Espero que goste *.*



Nome: salesbeta (Assinado) · Data: 05/12/2016 23:49 · Para: A Febre

 No aguardo pelo extra do Capítulo 48:Extra Kiressa " Coisa de Namorada".

Muito obrigada por tudo,estou gostando muito de todos os extras.

Email:justinbeta@hotmail.com



Resposta do autor:

Oieeee!

 

Extra enviado!

Boa leitura!



Nome: Lenah Amaral (Assinado) · Data: 01/12/2016 23:58 · Para: A Febre

Oi Tessa!

Coração cada vez mai apertado pela saudade q já se aproxima!!

Bjos

lenahamaral@gmail.com 



Resposta do autor:

Oieee Lenah!

 

Reta final da nossa história ♥

Extra enviado! Novamente, desculpa a demora viu :/

Beijos!



Nome: salesbeta (Assinado) · Data: 01/12/2016 05:02 · Para: A Febre

Querida autora que texto lindo,já estou esperando os próximos extras.

Capítulo 48 " Coisa de namorada "

Email: justinbeta@hotmail.com



Nome: Anjo_steh (Assinado) · Data: 01/12/2016 04:07 · Para: A Febre

OlaTessa passa do pra deixar meu e-mail pro extra stefany.candida@gmail.com



Resposta do autor:

enviado!



Nome: isa_bela (Assinado) · Data: 28/11/2016 02:12 · Para: A Febre

Gente, mas Rhian tava louca na vida com essa cena de ciúmes com a Harumi, e dona Pandinha vida loka provocando a fera! AAHAHAHAHAHA Ai, mulher é um serzinho bem malvado quando quer! HAHAHAHA

Ai o amor (suspira), que coisa mais linda essas duas! <3 <3 <3 <3 *_____________*

Bjoo!



Resposta do autor:

Vc viu, né? Harumi só provoca a Rhian se, 1, a moça estiver amarrada ou 2, ela estiver há 4645875564 km de distância hahaha

Mas adoro este lado da nossa pandinha!!!

Momento romântico das nossas moças ♥ Estavam merecendo, né *.*

 

Beijos!



Nome: anamacedinha (Assinado) · Data: 26/11/2016 22:25 · Para: A Febre

Extra.

analuiza.mcdc@gmail.com



Resposta do autor:

Enviado, moça!



Nome: ACRC-REH (Assinado) · Data: 26/11/2016 01:24 · Para: A Febre

Eu estou adorando todos os extras, parabéns pela escrita. Aguardo mais este, desde já agradeço.

e-mail: avlacli@hotmail.com



Resposta do autor:

Obrigada vc pela sua leitura ♥

Extra enviado, me deixe saber o que achou ^^

 

Beijos!



Nome: Suzi (Assinado) · Data: 26/11/2016 00:28 · Para: A Febre

Olá moça,

Segue o email para o extra: suzi.bauels@gmail.com



Resposta do autor:

Oieeee!

Extra enviado!



Nome: Aelis (Assinado) · Data: 25/11/2016 21:54 · Para: A Febre

O extra por favor! priscila.lucia@gmail.com



Resposta do autor:

Extra enviado! Boa leitura!



Nome: jcv (Assinado) · Data: 25/11/2016 06:20 · Para: A Febre

jvc_jessicanf@yahoo.com.br



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: Maria Luiza (Assinado) · Data: 24/11/2016 19:27 · Para: A Febre

Tess,não recebi o extra 

silva_negri@hotmail.com



Resposta do autor:

Extra enviado! Veja se chegou direitinho ^^



Nome: Chris V (Assinado) · Data: 24/11/2016 16:18 · Para: A Febre

Olá!

chrisv_xxi@outlook.com

Beijo



Resposta do autor:

O últimos dos extras haha

Enviado! Obrigada por ter deixado os e-mails, viu? ^^

Beijos!



Nome: deni (Assinado) · Data: 24/11/2016 05:44 · Para: A Febre

Totalmente enlouquecida com Delirium. 

Triste q já tá chegando o fim...

Extra por favorzinho

adenicebae@yahoo.com.br



Resposta do autor:

Estamos chegando no fim :/ Mas temos um extra básico para melhorar tal sentimento haha

Beijos!



Nome: AzumaDelRey (Assinado) · Data: 24/11/2016 03:56 · Para: A Febre

Rola um extra ai? hahahahaahah

azumadelrey@gmail.com



Resposta do autor:

Rola um extra sempre haha

Enviado!



Nome: Ana_Clara (Assinado) · Data: 24/11/2016 00:58 · Para: A Febre

Que delícia!! Amei a Di lambendo a colher desprentesiosamente kkkkkkk 



Resposta do autor:

Totalmente desprentesiosa, tadinha da Rhian hahaha



Nome: Rosecris (Assinado) · Data: 23/11/2016 23:31 · Para: A Febre

É muito lind ver essas duas juntas encobre ate as outras  coisas que acontecem 

E lá se vai me u email rcbbds15@gmail.com beijos autora



Resposta do autor:

Diana e Rhian juntinhas sempre deixam todo o resto do mundo desinteressante ♥

Extra enviando! Beijos!



Nome: limaC (Assinado) · Data: 23/11/2016 17:24 · Para: A Febre

Eu ja disse que a senhora autora é demais?!

Pois bem, a senhora é maravilhosaa kkkk



Resposta do autor:

Hahahahaha recebeu o extra faltante né haha



Nome: annacarol12 (Assinado) · Data: 22/11/2016 23:46 · Para: A Febre

Tess que capítulo absurdo de lindo, só pude comentar agora. Mais uma vez parabéns.  se puder, por favor me envie o extra. espero ansiosa o capítulo de amanhã.



Resposta do autor:

Olá Carol!

 

Extra enviado, viu, e capitulo saindo daqui há pouquinho :)

 

Beijos!



Nome: Lary_ferreira (Assinado) · Data: 22/11/2016 18:42 · Para: A Febre
Capítulo mais que perfeito, lindo super fofo, bastante quente*-*
Elas mereciam esse momento lindo, bom que está tudo bem entre elas??

Agora vou ler meus extras *-*

Bjs Tessa

larissaferreira8631@gmail.com

Resposta do autor:

Capitulo fofo e quente ao mesmo tempo pq Rhian e Diana estavam precisando haha

Td está se acertando entre elas, daqui para frente, é acelerar em direção ao final feliz ♥

Beijos!



Nome: Melissa312112555 (Assinado) · Data: 22/11/2016 15:50 · Para: A Febre

Como eu já disse antes, dois caps GIGANTES significa que eu não vou fazer mais nada até terminar de ler, e esse momento Rhian e Diana me fizeram começar o dia com um sorriso no rosto (vou passar o resto do dia ouvindo Thinking out loud rsrs). Espero pelos extras melissa_flavia1115@yahoo.com



Resposta do autor:

Capitulo gigante e romantico hahaha

Nossas moças estavam precisando viu *.*

adoro a música que vc citou! Cabe no capitulo direitinho haha

Beijos!



Nome: thais (Assinado) · Data: 22/11/2016 01:33 · Para: A Febre

Extra extra extraaaaaa   thais.paula.lima@gmail.com



Resposta do autor:

Exxxxxxxxxxxxtra enviado, boa leitura!



Nome: branca (Assinado) · Data: 22/11/2016 00:58 · Para: A Febre

Oi, Tess !!!!

 

Tadinha da Diana, já se passaram 6 meses, até febre emocional ela ganhou... Que briga chata, o que a distância não causa nas pessoas, pelo menos, no caso delas, foi bom, e serviu p q ambas amadurecessem.....   Achei lindo o reencontro delas, o calor, o fogo, o encontro dos corpos, o presente, D ++++ .... Tb depois de tudo o q vc vem escrevendo, a forma como um todo, não poderia esperar nada mais bonito, com tanto sentimento/emoção....  “A única garota do mundo” .

Andressa, muito lindinha cuidando de Diana..  Kiria  tá feita, quando se acertar com Harumi.....

Que história é essa da Maria deixar a Amelie voltar p Grace Bay, e ainda por cima fazer ela voltar a ser cafajeste.... To decepcionada com a Maria, que mulher mais sem decisão.... Dá um castigo bem torturante p ela tomar jeito e ir atrás da Amelie, antes que ela realmente volta a atividade ou rotatividade... hahaha...

Parabéns...

 

Ps.. Tava pegada essa semana, ainda dá tempo de receber o extra de sábado, pf, me envie qdo puder.... brancaby@gmail.com.




Resposta do autor:

Oieee Branca!

 

Diana sem o seu amor por perto teve até febre emocional, tadinha, é amor demais por aquela caribenha linda, que de repente entrou em parafuso de ciumes e acabou as afastando um pouquinho, para que no final, claro, elas tivessem aquele amor tão intenso ♥

Fazia tempo que a gente não lia por aqui "A única garota no mundo", decidi trazer de volta haha

Andressa sendo linda com a Kiria, e ainda mais linda no extra ♥

E a Maria pisando na bola e deixando aquela caribenha de parar o trânsito ir embora gente, Amelie disposta a deixar a vida de cafa e a moça não acreditar haha

 

Beijos! Extra enviado!



Nome: hcleka (Assinado) · Data: 21/11/2016 13:50 · Para: A Febre

Cap hot hot hot.... Ai ai ai

 

O que nos espera no extra? Curiosa.

 

Ja sabe a receita, rsrsrsrs le261280@hotmail.com 

 

Bjo



Resposta do autor:

Fazia um tempinho que estavamos em falta desta denominação de capitulo hahaha

Extra Kiressa dificil :/ Mas espero que a leitura tenha agradado :)

 

Beijos!



Nome: Greice (Assinado) · Data: 21/11/2016 05:16 · Para: A Febre

Eu atrasada mais de duas semanas consegui fazer a façanha de ler o 47 e 48 de uma vez só. Lindo, lindo e lindoooo!

Chorando de falta... 2, 1 = The End Quem dera fosse a história sem fim. X/

Como de praxe: Greicepazvargas@gmail.com 



Resposta do autor:

Estava atrasada mas já desatrasou haha

Olha lá, hein, hoje tem capitulo novo!

O fim está nos tocando :/ Delirium vai me deixar saudades tbem :/

Beijos!



Nome: Angribbons (Assinado) · Data: 20/11/2016 20:00 · Para: A Febre

Ai, meu coração fica calmo com elas juntas <3 

Cap lindooo, emocionante Tessa! 

 

Karynribbons@hotmail.com



Resposta do autor:

Nossas garotas juntas dá uma sensação linda  ♥♥♥ Já tava na hora né *.*

 

Beijos!



Nome: Isleyllima (Assinado) · Data: 20/11/2016 18:38 · Para: A Febre

Confesso que perdi as contas de quantas vezes já li esse cap rss mt bom, Tessa vc descreveu com perfeição as emoções de quem fica longe de quem se ama, tanto no cap quanto no extra aquele medo e insegurança q uma relação a distância provoca, e a explosão de felicidade quando acontece o reencontro.

P.S: quero extra de  presente rsss

isleyllima@hotmail.com



Resposta do autor:

Eu adoro quando vcs me contam que releram o capitulo!!! Significa que a leitura agradou mesmo ♥

Nossas moças estão sofrendo com a distância, esta especie de relacionamento tão complexa e dificil de transpor :/ Porém como já disse, são os melhores reencontros, nada é mais sincero do que beijos de aeroporto ♥

 

Beijos!



Nome: Caska (Assinado) · Data: 20/11/2016 17:39 · Para: A Febre

A droga favorita da Diana...a Rhian. Quero ver ficar na abstinência de novo....haja coração...

O capítulo bônus como sempre foi maravilhoso Ari e Isis....casal  lindooo.

Ps: mayra.santos_01@hotmail.com



Resposta do autor:

Mayra, vc foi no ponto: a droga da qual Diana tem plena dependência e vice e versa, elas simplesmente nao conseguem ficar longe, é uma vida pela metade :/

Extra enviado!

Beijos!



Nome: Liz Ferraz (Assinado) · Data: 20/11/2016 06:15 · Para: A Febre

Tess, capítulo maravilhoso, como sempre né. 

Acho que esse tempo vai ser bom para as duas recuperarem muitos sentimentos e sensações que ficaram perdidas no tempo. A Rhian vai se livrar dos passados do passado e a Diana vai aprender ter confiança. As duas só vão ficar ainda mais fortes e confiantes no relacionamento.

Quero o extraaaa, email: lise-gferraz@hotmail.com



Resposta do autor:

Olá Liz!

Nossas garotas estavam precisando de um tempo juntas e sem problemas, sem preocupações, um tempo para simplesmente se curtirem em paz :)

ambas estão se renovando, lutando para se tornar melhores, tudo só tende a melhorar

Extra enviado!

Beijos!



Nome: Aloha (Assinado) · Data: 20/11/2016 06:13 · Para: A Febre

Oi! Dessa vez estou escrevendo só para pedir o extra! Bjs!

kn.takahashi@gmail.com



Resposta do autor:

Extra enviado!



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.