Delirium por TessaReis


[Comentários - 2875]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

Capítulo 46 - Condenações

Diana já estava esperando Rhian dentro do carro quando ela saiu do plantão. Rhian tinha ligado para Laís na noite anterior e pedido para ela ir dormir na cobertura aquela noite, depois da história de Diana ter ido atrás de Romeo, Rhian não se sentiu segura para deixá-la sozinha aquela noite inteira. Isis só voltaria no domingo, então achou melhor assim, a reaproximação de Diana com Laís e Graziela só tinha pontos positivos.

Diana era explosiva, ponto. Rhian sabia, ela não guardava nada quieta, e o lado bom de tudo isso era que depois que Diana colocava tudo pra fora, ela se acalmava como um mar bonito depois de uma tempestade. Ali estava seu mar lisinho, lhe sorrindo de dentro do carro e Rhian às vezes queria que o mesmo se passasse consigo. Rhian sempre continuava em maremoto interno mesmo depois que vulcanizava tudo para fora.

_ Bom dia, meu bem_ Rhian deu a volta no carro para beijá-la e abrir a porta para Diana descer. Era sempre Rhian quem dirigia de volta para casa, mas naquele dia, encontrou a porta travada.

_ Bom dia, amor. Entra aqui, eu vou dirigindo hoje.

_ Mesmo?

_ Mesmo, estou vendo o quanto você está cansada e o trânsito está uma coisa hoje. Entra aqui, acho que dá até pra você dormir um pouquinho no caminho.

E não é que deu? Rhian estava muito cansada, não havia conseguido parar para dormir nem por quinze minutos, havia pego um caso semelhante ao de Diana durante a madrugada, encefalopatia tóxica causada por algo que não estavam conseguindo descobrir, enquanto isso, a moça perturbou e perdeu o controle pelo hospital inteiro. Foi um déjà-vu intenso, mas que serviu para Rhian lembrar de agradecer mais uma vez por ter chego a um diagnóstico em tempo. Pegou no sono enquanto contava o caso para Diana, o trânsito estava pegado, seu carro caríssimo comprado às prestações era muito confortável e o cheiro de namorada ao seu lado, a sua mão na coxa dela, o cansaço, tudo, tudo favorecia tanto...

Rhian acordou numa estrada.

_ Diana!_ Rhian levou um susto em seu banco, o que estava acontecendo? Não sabia, mas seu salto no banco do passageiro havia feito Diana rir.

_ O que foi, amor?

_ Isso é uma estrada!

_ Eu sei, e você também sabe, olha em volta, pra onde nós estamos indo?

_ Diana, eu não posso sair do estado!

_ Eu também sei disso, eu só deixei de ser policial ontem, amor, ainda lembro das coisas_ Ela falou, linda, linda de óculos escuros sorrindo luminosamente.

_ Diana, eu estou me sentindo sequestrada de novo.

_ Eu me sentia sequestrada por você o tempo todo..._ E se inclinou para dar um beijinho dela, tirando um sorriso da sua preta linda_ É por isso que é raro, né?

_ O quê?

_ Esse seu sorriso. É porque é lindo demais, eu fico desnorteada com você...

Parecia um sonho para Rhian. Se agarrou no braço de Diana, buscando a mão dela que passava a marcha, deitando a cabeça em seu ombro, sentindo o sol que começava a esquentar e a estrada a sua frente. Havia sonhado tanto com aquilo nos últimos dois anos que ainda parecia irreal. Tinha sua namorada de volta, tinha um momento delas dentro de um carro numa estrada, algo que sempre havia sido tão elas, era maravilhoso demais.

_ Está me derretendo..._ Disse, fechando os olhos outra vez.

_ Eu acordei com este objetivo...

_ Estou percebendo..._ E ia pegando no sono outra vez quando lembrou que estava sendo sequestrada_ Diana! Pra onde nós estamos indo?

_ Em direção a fazer você se sentir a única garota no mundo...

Mais sorrisos de Rhian, mais beijos em Diana, e como Rhian queria um carro conversível! Como queria sentir o vento plenamente, e o sol em sua pele e quando o sono a deixou, Rhian não demorou a reconhecer que estavam indo para Búzios. Diana havia avisado Isis e mais ninguém, passariam o final de semana ali e voltariam somente na terça, véspera do primeiro julgamento de Rhian. Rhian não estava conseguindo relaxar a sua nova maneira, então Diana pensou em usar a maneira antiga e ver o que acontecia.

Uma fuga. Assim, sem ser anunciada, sem dar tempo de Rhian pensar, ponderar, nada. Uma fuga para o paraíso que era delas, o refúgio natural que haviam criado para si, Rhian e Diana tinham vários cenários importantes e especiais, mas nenhum nunca seria como Búzios. A primeira vez delas havia sido ali, o convencimento de Diana de que Rhian era o seu amor, que queria namorá-la, ficar com ela para sempre, o primeiro “eu te amo”, havia sido tudo ali. Rhian trocou de roupa dentro do carro, a energia dela havia renovado só de estar numa estrada, Rhian era livre, gostava da estrada, gostava do mar, gostava da liberdade e só de pensar que poderia perdê-la em dias... Não, decidiu que não pensaria. Passaria aqueles dias com sua namorada e a felicidade dela era a única coisa na qual pensaria.

_ Onde fica aquela trilha?_ Perguntou Diana ao entrar na cidade.

_ Que trilha?

_ Esta trilha!_ Diana simplesmente virou para dentro da trilha e Rhian achou que fosse morrer.

Era a trilha para a tal praia deserta, feita de lama, areia e perigo, cheia de buracos, de passagens impossíveis que se tornavam ainda piores com Diana no volante. Rhian gritou, e riu, e se agarrou nos punhos dela enquanto Diana não conseguia parar de rir, de deslizar pela lama, de travar as rodas, mas a verdade é que só estava ali porque Rhian estava do seu lado e sabia que assim que atolasse, ela iria resolver. Rhian era o seu herói, ela podia qualquer coisa. E como o previsto, Diana atolou, e Rhian afastou o banco dela para trás e a colocou no seu colo, iria ensiná-la a sair de uma poça. Ensinou, mostrando a tração, frenagem, o empuxo do motor e Diana foi sentindo uma pressão, em seus quadris, em seu pescoço, uma boca grudando em sua nuca... Foi sair da tal poça e Diana a pegou de frente e pelo tesão e elas simplesmente deitaram o banco para trás e começaram a fazer amor. Amor firme, longo, nada de amor ansioso, no meio da trilha isolada, com as janelas abertas e os gemidos de Diana entrando pelo pé do ouvido de Rhian e grudando em sua mente de uma maneira...

Rhian gozou muito gostoso. Com os dedos perdidos dentro de Diana, naquele vestido dela que parecia feito para isto, com a mão dela lhe pressionando o meio das coxas, com aquela boca grudada em seu ouvido, seus gemidos agarrando em sua mente e aquele gosto de coisa roubada, livre e proibida que fazia Rhian sair de si e entrar nela, cravar na pele dela, no tesão dela e não querer parar de tê-la nunca mais... Rhian escorregou a boca pelo pescoço dela, se desfazendo em sorrisos ao sentir aquela sensação tão boa, e, claro, obvio, como o esperado, sua namorada imediatamente fugiu do carro.

Literalmente fugiu, escapou do colo de Rhian e correu pela trilha, Rhian chamou por ela, mandou ela voltar aos risos, mas nada, a pimenta correu, se embrenhou no mato e a única alternativa de Rhian foi seguir de carro. Rhian alcançou a praia deserta e Diana já estava no mar, de biquíni, mergulhando, sentindo o sal na sua pele, o vestido abandonado na areia e só restava a Rhian fazer o mesmo. Tirou a roupa e mergulhou atrás de sua sereia, de lingerie mesmo para não perder o costume e se Rhian estava com sono, não sabia onde ele havia ficado, porque na volta para a areia só conseguia pensar em beijá-la, tocá-la, cobri-la com seu corpo e amá-la, precisava amar Diana outra vez com o máximo de urgência possível.

Entraram aos beijos na casa em Búzios, e Diana quis fazer amor na cama em que havia se entregado para Rhian pela primeira vez, e aquele sábado, não as viu fora da casa nem por um segundo. Fizeram amor pela tarde inteira, daquele amor que já conhecemos, amor de corpo, amor de mente, devem ter dormido no meio da tarde e acordaram com fome, sem nada para comer em casa além de macarrão instantâneo de copo que estava ali há bem mais que ano. Diana disse que essas coisas não estragam, que podiam comer ainda que estivessem ali há dez anos, Rhian sentiu aquele nojinho de sempre, mas confiou em sua namorada, que preparou o tal macarrão e elas comeram felizes na varanda, Diana sentada no colo de Rhian, apreciando toda a paisagem mágica de Búzios ali do alto. Terminaram a noite dentro da piscina gelada, fazendo amor outra vez e quando o sono cobrou Rhian, foi Diana quem a levou para a cama, quem trocou a roupa dela, e a abraçou durante a madrugada para que ela dormisse o mais confortável possível.

Desligaram os celulares e se desligaram do mundo. Foram às compras domingo de manhã, de mãos dadas, mais grudadas impossível, pegariam uma praia, depois fariam um churrasco e os planos acabavam ali, o resto esperariam acontecer. Pegaram uma estrada deserta onde Rhian pode testar o motor de seu carro novo, pegaram um barco emprestado no final da tarde e foram assistir ao pôr do sol em alto mar. Diana havia dado a ideia, Rhian tinha amigos na cidade, não foi difícil encontrar um que lhe emprestasse o barco. E enquanto estavam ali, naquele momento mágico com os braços de Rhian em volta de si, Diana achou que era o momento.

_ Rhian, eu queria falar com você sobre uma coisa.

E o tom na voz dela deixou Rhian preocupada.

_ Sobre o que, meu bem?

Diana saiu dos braços dela, virando-se de frente. O mar brilhava em azul-dourado criando cores inacreditáveis no ar e os olhos de Rhian fumegavam num verde tão lindo que faziam o coração de Diana disparar no peito. Principalmente, pelo o que precisava perguntar.

Diana enfiou a mão no bolso dos shorts jeans e se ajoelhou na frente de Rhian, que imediatamente, molhou aqueles olhos verdes que Diana tanto amava.

_ Diana...

_ Amor da minha vida_ Disse, olhando em seus olhos e pegando a mão dela_ Eu passei dois anos, cinco meses e dezessete dias sem respirar porque não tinha você comigo. Dormindo e acordando com meu primeiro e último pensamento em você, esperando você aparecer na minha porta, sofrendo porque não sabia se pensava em mim, se já havia me esquecido, se me queria de volta. Eu não vivi por 897 dias longe de você; eu sobrevivi. Pela metade, me faltando uma parte, uma parte que eu achei ter perdido no mar das Bahamas, mas que me foi devolvida em forma de chance. Uma chance que eu não quero deixar escapar nunca mais. Casa comigo, Rhian? Pra ser pra sempre desta vez_ E mostrou a ela um lindo anel que escondia entre os dedos_ Você casa comigo?

E Rhian se abaixou e a beijou, intensamente, longamente, chorando mais do que imaginava que podia chorar num momento assim, com o coração ardendo no peito e a felicidade flutuando em sua mente de uma maneira que há tempos não acontecia.

_ Diana, você me mata...

_ Mato se não aceitar, ainda não disse que aceita_ Falou brincando com os olhos cheios também.

_ Aceito! É claro que aceito!

Mais beijos apaixonados, mais olhos marejados, iriam casar, pronto, depois do julgamento, não podia passar. E foi maravilhoso ter uma aliança de compromisso de volta no dedo, o antigo anel de Diana ainda estava com Rhian, mas não queria mais usá-lo, queria tudo novo, uma história nova, sem vestígio de passado nenhum. Havia todo um jantar pré-preparado quando voltaram para a casa, Diana havia deixado tudo esquematizado, o jantar, a decoração, mandou Rhian para o banho e quando ela saiu, haviam flores e chocolate sobre a cama, havia meia-luz pela casa toda, havia uma mesa linda montada lá fora e havia a melhor coisa de todas:

Diana cozinhando de lingerie. Era um abuso.

Jantaram juntas, fizeram amor na piscina, no quarto, na sala no meio da madrugada e estavam tão felizes que passavam, já nem lembravam mais de nada, Rhian estava recarregada, estava num estado de espirito incrível, aquela aliança em seu dedo não parava de brilhar e ela estava confiante. Confiante que tudo finalmente, iria dar certo. Voltaram na segunda-feira pela tarde, Rhian dirigindo, o som alto, as risadas dentro do carro, tudo parecia extremamente familiar, extremamente no lugar. E assim estava até chegarem no apartamento.

Diana desceu na padaria, precisava comprar algumas coisas e Rhian foi para a casa, para ir pondo a água no fogo para o jantar que iriam preparar. Acharam que haveriam jornalistas ali, mas não, eles pareciam ter esquecido delas da mesma forma que elas esqueceram deles. Rhian entrou na garagem, ainda com o som tocando, ainda cantando, estava feliz, catou as coisas de sua noiva bagunceira pelo carro e desceu, sorrindo sozinha, e quando entrou na portaria, ele estava lá.

_ Então, enfim você chegou!

_ Mas o que você...? Não, não, não! Olha aqui, olha bem aqui_ Mostrou o anel de noivado a ele_ Eu acabei de ficar noiva, eu estou nas nuvens, não venha me derrubar delas!

_ Nós precisamos conversar Rhian! Você não pode fazer isso comigo, filha! Não é justo, não é humano! Rhian, por favor, nós precisamos conversar...

_ Pai, não..._ Levou a mão aliançada a cabeça, não estava acontecendo, aliás, o que estava acontecendo? Seu pai estava ali, suado, nervoso, tremendo, todo desgrenhado em seu terno e gravata, ele estava muito esquisito.

_ Rhian, você é médica! Formada numa cerimônia para qual não fui convidado, eu estou sofrendo demais filha, eu não aguento isso, eu vou ser preso!_ Ele começou a se exaltar fora de nexo_  Preso se meu advogado não conseguir convencer o tribunal do meu estado de saúde, eu fui condenado! Você não viu? Foi hoje! Eu acabei de ser condenado! Rhian, por favor, eu preciso, preciso de um minuto com você, filha eu preciso, preciso..._ Ele estava suando, nervoso, ofegante.

_ Espera, espera: como assim foi condenado? Pai?_ Rhian se aproximou dele, preocupada, ele parecia estar piorando seja lá de que coisa ele estivesse tendo. Tirou os óculos e o segurou, tentando entender.

_ Eu fui condenado! Pela lavagem de dinheiro, pelo, pelo..._ Ele estava ficando mais ofegante_ Tudo o que a sua mãe contou, eu estou acabado, Rhian, ela acabou comigo!_ E ele começou a chorar_ Eu fui condenado por ela! Por tudo o que ela fez, porque ela quis me deixar! Por que ela quis me deixar, Rhian? Por quê?! E agora você vai me condenar, você já me condenou!

_ Pai, para, calma, senta aqui, eu preciso de água por favor_ Pediu para o porteiro que assistia a cena sem entender nada, o homem correu lá para dentro_ Do que você está falando?

_ Da sua mãe! Da sua mãe..._ E ele levou a mão ao pescoço, abrindo a gravata ainda mais, parecia estar sufocando_ Por que você tinha que ser igualzinha a ela, por quê?! Por que não quer me ouvir, por que me trata assim, por que quer me afastar de você? Você não pode se afastar de mim, Rhian! Você não vai me deixar! Foi culpa dela querer me deixar, foi tudo culpa dela querer me deixar!

Rhian franziu a testa o segurando pelo paletó. Seu pai era um homem enorme, ela o olhava de baixo, do que ele estava falando?

_ O que... O que você está dizendo?

_ Ela ia me deixar! Ela já estava me deixando, me proibiu de entrar na fazenda, mas eu entrei mesmo assim! Ela não podia me deixar, Rhian, ela não podia!_ Mais suor, ficando mais ofegante, ele foi caindo aos poucos para o sofá agarrado em Rhian_ Foi só um tapa, filha...

Rhian sentiu um enorme frio subindo pela sua nuca. O soltou imediatamente e o fez soltar de si o sentindo perdendo as forças das pernas e dos braços. Ele não estava dizendo que... Ah ele não estava, ele não podia estar... Rhian foi recuando, se afastando dele lentamente, sentindo seus bons sentimentos se fechando num pequenino espaço dentro do coração.

_ Rhian, você não pode me condenar, por favor, não me condena, eu preciso de você, eu amo você, foi só um tapa e ela caiu! Caiu no chão de mal jeito, eu chamei por ela, tentei acordá-la, ela não acordou Rhian! Ela não acordou nunca mais, nunca mais...

E desta vez, foi Rhian quem caiu sem forças, caiu pelo balcão da portaria, perto do balcão, sentindo seu corpo inteiro em choque enquanto a sua mente parou de reagir. Ele estava mesmo dizendo que...

_ Você matou a minha mãe.

_ Eu não queria! Eu não..._ E ele tossiu, se afogando na própria saliva_ Rhian, me ajuda, filha me... Eu preciso de...

_ Pai!_ Era Lya, descendo de um carro às pressas na portaria, vendo Joseph passando mal pela vidraça da entrada. Correu para o pai, ele se agarrou nela já não conseguindo falar_ Rhian, o pai! Ele fugiu do tribunal, ele... Rhian ele não está respirando!

_ Não é exclusividade dele_ Rhian também não estava.

_ Rhian, o quê?_ Diana entrou correndo ao ver a cena do lado de fora, correu para Rhian, para entender porque ela estava no chão e o que estava acontecendo_ Rhian, o que está acontecendo? Joseph? Mas o quê...?

_ Rhian, ele não está respirando! Faz alguma coisa!

As lágrimas desceram pelo rosto de Rhian numa mistura de fúria e dor.

_ O coração dele está parando de bater, Lya_ E então completou, mascando o final daquela frase_ E o meu também está.

Mas ainda era médica de qualquer forma. Rhian levantou e prestou os primeiros socorros enquanto pediu para chamarem uma ambulância. Joseph enfartou. E Lya estava desesperada, chorando e não acreditou quando Rhian disse que não ia para o hospital com eles. Então se agarrou em sua irmã mais velha, implorou, não estava entendendo, Lya não podia ficar sozinha naquela situação e foi quando Rhian foi obrigada a dizer em voz alta aquilo que tanto a machucava:

_ Ele matou a minha mãe, Lya. Ou você vai sozinha com ele, ou ele vai morrer sozinho. E eu sequer acho que ele não mereça_ E duas lágrimas de mágoa molharam aquele rosto tão abatido. E Lya entendeu. Abraçou sua irmã sem dizer mais nada e foi sozinha e Rhian caiu nos braços de Diana.

Diana tentou acalmá-la, tentou fazê-la ficar quieta por um instante, mas não, não era disso que Rhian precisava. Ela precisava subir, precisava de sua banheira, precisava dos braços de sua noiva em volta de si. E precisava chorar. Chorar muito, precisava sentir muito, precisava ver seus pedaços partidos e esmagados por uma verdade que no fundo sempre soube, mas não podia acreditar plenamente; vivia numa falsa esperança de não ser o que sua mente lhe dizia que era. E Diana se sentiu absurdamente culpada. Havia deixado aquele homem fazer uma cena sobre o caixão de Marina, seu próprio assassino, que tanto Rhian gritou e acusou e não queria permitir. Ela tinha tanta certeza... E foi quando Diana se deu conta que não era apenas a polícia e a família que negligenciaram os gritos de Rhian por tanto tempo: Diana também o havia feito.

E agora precisava descobrir em que poço de paz teria que mergulhar para se perdoar por isso.

_ Rhian... Eu sinto muito_ Disse, enquanto acariciava os cabelos dela. Rhian estava deitada em seu colo na cama chorando só de toalha. Não havia conseguido se vestir_ Por não ter te ouvido, por não ter acreditado em você.

_ Era absurdo, amor, você não tinha que acreditar. Eu não quero acreditar, eu não quero, não quero...

Rhian chorou a noite inteira. Foi pegar no sono depois das três, porque Diana a fez dormir com um chá de ervas que sua mãe costumava usar. Ela precisava dormir. Seu julgamento do caso do desvio de dinheiro era pela manhã, ela precisava estar inteira. Que absurdo, pensou depois que ela dormiu. Como ela poderia estar inteira depois de saber que o pai matou a mãe e que depois forjou tudo derrubando um avião com dois inocentes a bordo? Ok, Diana faria o seu melhor para que ela estivesse inteira. A acordou com um lindo café da manhã, e quando ela viu Diana entrando no quarto com a bandeja nas mãos, começou a chorar sorrindo.

_ Ei, não, não, não!_ Diana colocou a bandeja sobre a cama e a beijou, a beijou muito_ Não é este o efeito desejado, não é pra você chorar, é pra você saber que eu te amo, que eu estou aqui com você.

_ Eu também te amo. Te amo muito, você nem faz ideia_ Ela falou, limpando o rosto das lágrimas_ Eu vou tomar café, depois você toma banho comigo?

Diana afirmou, é claro que tomava banho com ela. Rhian tomou café, se esforçando para comer, e então entrou no banho com Diana onde puderam ficar juntas por quinze minutos. Ou se atrasariam. Então saíram do banho e Rhian foi se vestir, vestido branco, mangas curtas, pouco acima dos joelhos, os cabelos soltos e uma joia discreta no pescoço. Era de sua mãe. Rhian sabia que estava um clássico, bonita do jeito que sua mãe gostava de vê-la. Pensou nisso e se recusou a chorar. Não choraria mais. Havia acabado de decidir. Saiu do quarto e Diana a esperava na sala, inteira de preto, óculos escuros, se beijaram antes de sair e Isis já estava esperando lá em baixo. Ela já havia se mudado em definitivo para o apartamento de Ariana. Chegaram quase atrasadas, tiveram que correr para a sala de audiências e Rhian rapidamente passou seu celular para Diana antes de se apresentar ao juiz.

_ Lya está ligando, retorna para ela assim que puder_ Outro beijo.

_ Boa sorte amor_ Um beijo sobre a aliança que ela carregava no dedo e Rhian olhou naqueles olhos castanhos mais uma vez. E foi ocupar o seu lugar.

O juiz anunciou o início da audiência de julgamento, Diana viu que Lya já havia ligado outras vezes, mas decidiu retornar depois, não conseguia não prestar atenção na audiência. Andressa entrou na sala logo depois, era bom tê-la ali, Diana a tinha como uma amiga desde quando haviam se acertado e a presença dela lhe deixava mais calma. O julgamento em si começou, desta vez Amelie não estava, estava correndo com a defesa do próximo julgamento de Kiria, Isis defenderia Rhian sozinha, ela dava conta. E sinceramente esperou que Rhian estivesse nervosa, ou ao menos ansiosa, mas não. Ela estranhamente estava muito calma, na verdade mal parecia estar ouvindo a leitura do processo e quando o juiz fez a primeira pergunta, Isis teve que repetir para que ela enfim pudesse ouvir. Então se atentou. E respondeu todas as perguntas sinceramente, passando confiança e aquela sua coisa que era tão natural, a empáfia. Isis se preocupou que o juiz pudesse achá-la soberba ou arrogante demais, por outro lado, estava tão natural que nem se podia muito julgar. Isis já sabia o que havia acontecido no dia anterior e julgou que ela até estava reagindo bem demais.

Uma hora, uma hora e meia depois, Diana lembrou do celular. Olhou para a tela e haviam 53 chamadas de Lya. Saiu da sala e retornou imediatamente, e a moça estava chorando, chorando demais do outro lado, Diana demorou para entender do que se tratava, e quando entendeu, descobriu que Lya estava do lado de fora do tribunal, e foi buscá-la. Diana a colocou sentada e a acalmou, ela estava desesperada demais, seu corpo inteiro tremia e ela não parava de chorar, Diana achou que Joseph havia morrido, mas não, ele continuava vivo, bem vivo a ponto de magoar a única que havia restado ao seu lado. Lya contou aos soluços o que havia acontecido, as coisas que Joseph havia dito, as exigências, o jeito que havia a expulsado ao perceber que Rhian não havia vindo para o hospital com ele.

_ Eu entendo agora, Diana, eu entendo! Ele nunca ligou para mim, eu sempre quis a atenção dele, mas ele só cumpria obrigações. E de repente ele mudou, quis se aproximar, era porque ele estava sozinho e não queria ficar! E agora... Agora... Eu não sei o que fazer...

E Diana sabia menos. Foi até a sala de audiências, pediu para falar com Isis por um instante, sussurrou para ela o que se passava e Isis voltou para falar com o juiz.

_ Meritíssimo, eu preciso de três minutos de humanidade.

Um minuto depois, Rhian saiu da sala de audiências e encontrou sua irmã aos prantos do lado de fora. E Rhian, bem, Rhian abriu os braços.

_ Vem aqui, babygirl, calma, fica calma...

Lya a abraçou chorando demais, Rhian já sabia o que havia acontecido e de forma nenhuma, esperava menos de seu pai. Se as pessoas não lhe serviam, ele simplesmente descartava, sempre havia sido assim. Pena que levou tanto tempo para que ela percebesse. E o que se viu ali, foi de fato, um momento humano. Rhian acalmou sua irmã, que parecia mais do que nunca, apenas uma menina. Em roupas de adulto e saltos altos, mas apenas uma menina assustada e magoada. A acalmou, a fez lhe olhar nos olhos, a fez lhe ouvir.

_ Escuta, você vai ficar comigo, eu vou cuidar de você. Você só tem dezoito anos, Lya, não tem que cuidar de ninguém, você me entendeu? Você vai voltar para as Bahamas e vai estudar, eu vou cuidar de todo o resto, daqui para frente você é minha responsabilidade.

_ Mas Rhian, o pai...

_ Eu cuido dele também. Vou contratar alguém para fazer isso, não se preocupa, está bem? Você não tem que se preocupar com nada, nem com o Joseph, nem com a sua mãe e nem com você, eu vou tomar conta de tudo. Agora eu quero que você volte, pegue as suas coisas na mansão que quando tudo isso aqui acabar, nós vamos decidir o que fazer, nós duas, tudo bem?

Ela afirmou, ok, tudo estava bem depois de outro abraço apertado, depois de toda aquela proteção inesperada que havia ganhado de Rhian. Diana olhava para Rhian. E achava que aquela dela ainda pouco conhecia, mas estava louca para conhecer melhor. Harumi se propôs a acompanhar Lya até a mansão na Gávea e então depois a levaria para a cobertura, e o julgamento entrou para a sua reta final. Rhian continuava obstante, com os olhos perdidos no nada, a mente imersa em outra coisa. Já não estava ouvindo bem o debate de Isis, ou as colocações do juiz, havia perdido a noção do tempo em que já se alongavam, Isis havia proposto um acordo que a acusação não concordava, ainda não estava bom, dinheiro licito ou ilícito, ele havia sido roubado de qualquer forma e Rhian tinha que pagar por aquilo.

_ Me desculpe, excelência, me disse que eu tenho que pagar?_ Rhian havia voltado dos seus pensamentos.

_ Cometeu um crime senhorita Kier! Aliás, vários crimes em um, mas o principal...

_ São os dez milhões, correto?

_ Obviamente!

Rhian olhou para Isis e falou rapidamente no ouvido dela. Isis perguntou se havia ouvido direito, havia ouvido aquilo mesmo? Havia.

_ Meritíssimo, minha cliente quer propor outro acordo.

_ Em frente, doutora.

_ Rhian quer devolver os dez milhões que retirou das contas da Organização, ela está disposta.

_ Devolver?

_ Eu tenho este valor. Me comprometo a pagar desde que o dinheiro seja doado para instituições de caridade.

O juiz se surpreendeu.

_ Está se dispondo a devolver dez milhões de reais em forma de doação senhorita Kier?

_ Sim, senhor. Transfiro agora se preferir_ Ela completou, arrogantemente humanitária.

Rhian foi retirada da sala para que o juiz pudesse escrever sobre a sentença. E pareceu levar uma vida para Diana, enquanto para Rhian durou menos que a meia-hora que havia levado. Voltou para a sala, absolutamente entediada por ainda não ter terminado.

_ De acordo com os fatos expostos, este tribunal considera a ré Rhian Kier Laham culpada das acusações de furto_ E o coração de Diana parou no peito por um segundo_ E a condena a um ano de prisão_ Outra respiração complicada e o juiz olhou Rhian nos olhos, que estava absurdamente calma_ A ser substituída por multa no valor de doze milhões de reais a ser paga aos cofres públicos...

_ Com finalidade de caridade_ Rhian interrompeu o juiz, e Isis não acreditou na petulância. Mas quando se paga doze milhões de reais de multa, se ganha algumas permissivas.

_ Com finalidade de caridade_ O juiz ditou à escrivã_ Considera-se esta sessão encerrada.

Rhian saiu da mesma forma que havia entrado no tribunal: pela porta da frente, de mãos dadas com sua noiva, olhando o mundo de cima, como ela havia nascido para olhar. Esta foto dividiria as matérias com as fotos que haviam tirado de sua conversa com Lya no corredor, e com as notícias sobre o enfarto de Joseph. Ele havia enfartado, havia fugido do tribunal ao ouvir a sentença, era uma bagunça e tanto que Rhian sequer queria ouvir a respeito. Queria cuidar de sua irmã, ponto. Quando chegaram na cobertura, Lya já estava de banho tomado, alimentada e sorrindo na companhia de Andressa, que de fato, como Isis havia dito lá no começo, era um ser humano divertido. Mas era hora da conversa séria com Rhian.

Conversaram, Rhian lhe deu o quarto de hóspedes e verificaria a passagem de volta dela às Bahamas o mais breve possível, Lya nunca deveria ter largado a faculdade para seguir ordens de um pai que nunca havia lhe procurado. Depois de Lya instalada e encaminhada, Rhian saiu com Diana. Até Barra da Guaratiba, uma das amigas de faculdade de Rhian tinha uma casa ali, ela só queria um pedaço de areia e mar com privacidade. Sentaram na areia para assistir ao pôr do sol e Rhian falou a Diana sobre uma necessidade.

_ Mas Rhian...

_ Eu preciso saber o que aconteceu.

_ Você tem certeza?

_ Você vai comigo.

Iria. Se Rhian precisava, Diana iria. No dia seguinte, conseguiram a tal visita que precisavam e antes das dez da manhã, Rhian Kier estava frente a frente com Romeo Laham outra vez.

_ Rhian?

Era ela. E ela estava tão bonita, tão segura e tão parecida com ela mesma que Romeo não sabia bem como reagir. Rhian olhou para ele, ele olhou para Diana entrando atrás dela e se arrumou na cadeira um pouco aflito. As imobilizações em seu punho lhe lembravam da visita de Diana, fratura exposta, vários ossos quebrados, mas agradeceu pelos seus dentes ainda estarem inteiros daquela vez.

Rhian olhou para ele da mesma forma que olhou a sua vida inteira: como se ele fosse nada. Então caminhou e sentou na mesa a sua frente.

_ Me perdoa_ Foi a primeira coisa que saiu da boca dele antes que ela dissesse qualquer coisa que fosse.

_ Perdoar você?_ Ela o fuzilou com seus olhos verdes_ Ok, vamos negociar. O que aconteceu com a mãe, Romeo?

_ Rhian...

_ Você quer o meu perdão?_ Ela bateu na mesa agressivamente_ Então me conta o que aconteceu com a mãe! Eu sei que você sabe o que ele fez!

_ Como... Como você soube?

_ Ele me falou antes de enfartar ontem! Fala Romeo, fala o que você sabe.

_ Rhian..._ Romeo não olhava para ela, olhava para baixo, olhava para Diana parada atrás dela, mas não olhava pra ela_ Olha, foi um acidente. Ele foi atrás dela lá em Santa Catarina, então eles discutiram, ela queria que ele fosse embora, já havia assinado o divórcio e o pai perdeu a cabeça.

Rhian engoliu a emoção. Não podia fraquejar na frente dele, tinha que ouvir tudo de uma vez.

_ Perdeu a cabeça. E bateu nela.

_ Só uma vez. Só tinha uma marca no rosto dela, eu vi, ele disse a verdade_ Ele falou como se aquilo fosse reduzir o que havia acontecido_ Ele é muito forte, ela era muito pequena, ela caiu com a cabeça nas pedras da lareira da sala e... Ele disse que ela já estava morta. Que não adiantava chamar ambulância. Então ele me ligou e...

Rhian não queria fraquejar, mas a primeira lágrima escapou ao ouvir aquilo.

_ E o quê?

_ Ele queria uma forma de simular um acidente. Eu coloquei ele em contato com a Organização, eles indicaram um cara que podia alterar o monomotor em que a mãe deveria estar voltando. O piloto sabia que ela estava morta, o assistente também, eles só não sabiam que o avião estava alterado.

Rhian olhou de lado enquanto mais lágrimas vieram.

_ Romeo, pelo amor de Deus, ela criou você. Você não sentiu nada?

_ Eu não sentia nada, Rhian. Estava drogado demais o tempo todo para sentir qualquer coisa. Eu vim sentir outro dia quando acordei e a minha cabeça estava funcionando outra vez. Vim perceber o que havia ajudado a fazer. Eu queria a herança. Naquele momento tudo me pareceu perfeito.

Rhian levantou da cadeira na eminência de atacá-lo. Mas Diana não deixou.

_ Você já tem a sua resposta. Não adianta.

_ Me perdoa, Rhian_ Ele pediu outra vez_ Por tudo.

Rhian olhou bem para ele. E então se abaixou sobre a mesa, para olhar em seus olhos.

_ Nunca. Por nada. E eu sinceramente espero que você nunca consiga se perdoar, que você se condene sozinho todos os dias. Eu estou machucada agora, mas eu vou me curar_ Disse, limpando a lágrima mais insistente_ Eu vou me curar, eu vou me casar com o amor da minha vida, e eu vou ser feliz, Romeo, independente da sua existência podre, independentemente da existência podre de Joseph Laham. Eu vou riscar este nome da minha vida. Pôr um Ferraz no lugar dele. E vou ser a mulher mais feliz deste mundo enquanto você terá que viver com o que sobrar do seu.

Então ela foi embora.

E então, ele ficou em pedaços que sequer imaginava que ainda existiam em si.

***

O último julgamento de Kiria chegou. E ela estava especialmente animada aquela manhã. Andressa havia passado a noite com ela tirando plantão na porta de sua cela e também estava relaxada e confiante demais! Não via a hora de Kiria sair daquele lugar, não via a hora de começar de novo com ela, queria levá-la para Goiás, por enquanto, a Organização estava sendo aos poucos desmanchada, mas achava que era melhor que Kiria desaparecesse por um tempo. Já tinha tudo na sua mente, haviam feito aqueles planos em noites e noites que passaram em claro juntas e não viam a hora de pôr em prática. Kiria sairia da polícia, já havia decidido. Iria voltar a ser advogada, a dar aulas em faculdade, adorava lecionar, Kiria poderia voltar a trabalhar no interior e elas construiriam uma vida provisória até tudo se acalmar mais. Kiria encontrou Amelie na sala de audiências, ela seria sua advogada aquela manhã, Isis estava em voltas com o julgamento de Rhian na outra semana, mas o relacionamento de Kiria e Amelie já andava menos esquisito. Gostaria muito que fosse Andressa a defendê-la, mas como policial federal ela não podia, mas tudo bem, era assinar a delação premiada e tudo estaria certo.

A audiência começou. Perguntas que Kiria já havia respondido mil vezes, detalhes que já havia contado outras mil, mais afirmações, mais nomes e cada vez que dizia aqueles nomes poderosos ainda sentia um frio na espinha, mas fazia parte. Havia um poder em sua atitude. Era ela quem estava derrubando aquele castelo de cartas pela base, com um único movimento. Lembrava de seu chefe uma vez dizendo que ele estava assumindo o risco de ter alguém tão inteligente consigo. Havia verdade na fala dele. A audiência foi longa e cansativa, e quando passou do meio-dia, Kiria começou a ficar preocupada. Fizeram uma pausa para o almoço, Amelie tentou acalmá-la, dizendo que era assim mesmo, que demorava, e então, foram chamadas para uma negociação final.

Amelie pediu para falar a sós com o juiz, e Kiria ficou mais nervosa ainda. E piorou quando viu a linguagem corporal da caribenha, e a irritação em que ela estava. Algo não estava certo.

Pior, algo estava tão certo que Amelie não havia conseguido reduzir ao errado culposo.

_ Que a ré fique de pé para ouvir a sentença.

Kiria ficou.

_ Nós vamos recorrer_ Amelie sussurrou para ela.

_ Recorrer? Como assim...?

_ Este tribunal julgou a ré Fernanda Kiria Schutze Eli por tráfico internacional de drogas e a considerou culpada_ Harumi levantou sem acreditar no que estava ouvindo, e piorava_ De todas as acusações, a condenando há oito anos de prisão_ Kiria fechou os olhos engolindo em seco_ Em regime fechado. Como a ré colaborou em delação premiada junto a Justiça Federal, este tribunal determina que seis anos da pena sejam abonados, tal como os cinco meses em que se encontra presa sejam abatidos da pena que resta...

E Kiria chorou. Não aguentou daquela vez, ouviu sua pena e aqueles olhos azuis se encheram de lágrimas que rapidamente transbordaram. Olhou para Amelie, e então olhou para Andressa e ela pediu licença ao juiz ao término da leitura.

_ Licença para?

_ Beijar a minha namorada, eu posso?

Podia. Ele disse que podia. Andressa veio até Kiria e a beijou, longamente, afetuosamente, lhe tocando o rosto, limpando as lágrimas que não paravam de cair.

_ Você tem que ficar calma, meu amor, ficar calma, nós vamos recorrer.

_ Não vai adiantar, eu estou sentindo que não!

_ Vai adiantar, e se não adiantar, eu vou te esperar.

_ Um ano e sete meses, Andressa!

_ Até os oito anos inteiros, eu não vou te deixar_ E tocou sua testa na dela buscando aqueles olhos_ Eu não vou te deixar, você entendeu? Eu não vou te deixar..._ A abraçou, tocando os cabelos dela, a deixando chorar em seu ombro enquanto a própria Andressa também estava aos pedaços por dentro.

A condenação de Kiria foi uma pancada. Para as advogadas, para Diana, para todo mundo, menos para Rhian. Ela havia se chateado com a prisão dela claro, mas de alguma forma, não lhe abalara a respeito de seu próprio julgamento. Era quase como se ela não se importasse. Mas a verdade é que de alguma forma, ela havia parado de temer. O pior já havia acontecido ou podia haver algo pior do que descobrir que seu pai matou sua mãe? Despachou Lya para Nassau no começo da semana, com as mensalidades da faculdade pagas por antecedência e uma conta corrente que seria abastecida mensalmente. Também contratou alguém para cuidar de Joseph no hospital e pronto, não faria nada mais. Por dias, Diana sabia que ficou na cabeça dela a dúvida sobre o que fazer a respeito da morte de Marina. Deveria ir à polícia? Deveria denunciar? Não. No final das contas não queria mais escândalos, abrir processo contra seu pai não faria justiça à sua mãe e nem mudaria nada; ele já estava suficientemente condenado. E ela nem estava falando da condenação que ele havia recebido no tribunal.

Também lançou mão da herança de sua mãe e pagou todas as contas, quitou o carro, outras dívidas que tinha, pagou o acordo com a justiça e ainda havia dinheiro suficiente para seus bisnetos. Rhian ficou silenciosa novamente. Mas não ficou agressiva como a última vez, pelo contrário. Queria ficar perto de Diana o tempo todo, a ponto de acordar cedo e ir até a padaria com ela. E contava que lhe amava sempre. Particularmente quando a dor era muita e ela acabava chorando em seu colo. Se trancaram no apartamento dois dias antes do último julgamento. Ficaram juntas, fazendo amor e fazendo nada, limpando suas mentes de toda e qualquer coisa, meditaram pelas manhãs, dormiram no meio da tarde, viveram as noites e se deram certeza de que tudo ficaria bem. Saíram juntas pela manhã, de mãos dadas tal como da outra vez. Rhian tinha a aliança de noivado pulsando em seu dedo, tal como a gargantilha que sua mãe havia lhe dado queimando na palma de sua mão. “Kier”, estava escrito, foi como tê-la por perto mais um pouquinho. Uma conversa antes de Rhian sentar no banco dos réus mais uma vez, um beijo, outra promessa, e estava pronta.

Sentou-se ao lado de Isis e Amelie, e o último julgamento começou.

Começou a ouvir as acusações, a apresentação do processo e então pediram seu depoimento outra vez, voltando ao caso do sequestro, como havia acontecido, o relato daquele dia, todas as perguntas que ela já estava cansada de responder, as acusações, era tudo tão cansativo, e Rhian sequer estava conseguindo se concentrar. Ficou feliz que bastasse falar a verdade, porque se tivesse que mentir, não sabia bem como tudo seria. Foi sabatinada pelo promotor e Rhian respondeu tudo muito calmamente, cruzando e descruzando as pernas, erguendo as sobrancelhas quando a pergunta lhe deixava esnobe e até sorriu em determinados momentos, aquele homem realmente estava decidido a enviá-la para os possíveis dez anos de pena pelas acusações de fraude, obstrução da justiça, falso sequestro, fuga, ele queria acusá-la até pela despesa da polícia federal em ter que segui-la pelo Caribe. Era pra rir. E soltar suas advogadas-vampiras em cima dele. Amelie foi primeiro, abriu a defesa fazendo-se de porta-voz da polícia das Bahamas numa carta de repúdio enviada a respeito da ação da polícia federal, a forma com o qual haviam sido induzidos ao erro e enganados pela justiça brasileira. E então, começou a apresentar um minucioso diagrama dos fatos, citando cada momento importante e encaixando provas de tudo em sua fala, desde o começo, dos primeiros desentendimentos de Rhian e Romeo, encaixando o roubo do carro, o fuzilamento do outro, a outra tentativa de sequestro, uma de homicídio, embasando os motivos pelos quais Rhian adquiriu a casa em nome de outra pessoa no residencial nas Bahamas, tal como o barco, Rhian era acusada de premeditação por esses pontos, precisavam ser derrubados, e então, chegaram ao sequestro em si. E foi a vez de Isis.

A doutora Isis Ferraz se levantou e trocou um olhar com sua irmã antes de começar, Isis estava toda de preto, com uma de suas clássicas saias-lápis e Ariana nunca havia a visto em ação, foi a primeira vez. Assistia o julgamento de mãos dadas com Diana que estava uma pilha de nervos, Harumi não estava presente, então eram elas duas e toda a aflição do mundo. E Isis começou, na mesma linha que Amelie, linha do tempo, fatos importantes, provas, e a firmeza da voz de Isis, a credibilidade de seu rosto, de seus olhos, a tenacidade correndo por suas veias, ela defendia, e acreditava em cada palavra que dizia, mostrava, provava e não tinha medo de acusar:

_ A polícia federal falhou sim! Ao não supervisionar, não cobrar, não gerenciar suas próprias investigações! A polícia civil falhou, as provas estão aqui, a perícia num carro metralhado que sequer foi feita, a investigação de uma tentativa de homicídio, outra de sequestro e nada saiu do lugar! Nosso poder de polícia é procrastinador, meritíssimo! Tudo que mostra a mínima dificuldade de ser resolvido, é deixado para depois, melhor, para nunca mais! Não há supervisão! Temos departamentos inteiros fiados em quê? Na honestidade de quem tem um cargo? No julgamento de um? Agentes devem obedecer seus imediatos, e os imediatos obedecem a quem? As leis orgânicas não funcionam e o espirito de corpo é posto acima de qualquer coisa! Rhian Kier não irá pagar mais esta conta, meritíssimo. É como um acidente de carro onde os dois são igualmente culpados, mas apenas um arca com todo o prejuízo. Ela errou, mas a justiça também falhou com ela, ela já pagou pelos seus erros, doze milhões de reais eu gostaria de lembrar. Mas não irá pagar para cobrir as nossas falhas. Eu digo nossas porque eu também sou o judiciário. Nós somos a última estância de justiça. E eu tenho plena convicção que diante de tudo isto, não falharemos, nem com o nosso dever, nem com a nossa imediata chefia a quem todos somos subordinados: o nosso código de leis, as vozes que regem o direito penal no Brasil.

Rhian olhava para ela, e abriu um sorriso. Tinham as melhores advogadas, sabia, e Isis sequer havia chegado aos debates. Que foram ainda mais intensos. Novamente Amelie iniciou, falando um pouco de direito internacional, era uma jurista estrangeira, defendendo uma ré estrangeira e apelando pela legislação que unia todos os países. E então, Isis retornou para a réplica, destruindo os argumentos do promotor e no meio de tudo aquilo, Rhian encontrou os olhos de Diana, e tudo parecia que terminaria bem...

Já era quase cinco da tarde quando o juiz fez a pausa para suas considerações. Todos estavam exaustos, menos Isis. Isis adorava o tribunal, aquele era seu palco, seu ringue, o lugar onde ela se sentia melhor no mundo. Era ali que atuava e lutava, era ali que sempre sentia que só poderia ser advogada e qualquer outra coisa seria insuficiente.

Mas a demora do juiz em decidir a sentença lhe fez pensar que poderia fazer aquilo melhor do que ele. Talvez devesse ser juíza. Manteve aquele pensamento. E estava feito. O juiz retornou perto das sete e pediu para que a ré ficasse de pé para ouvir o último veredicto. E naquele dia inteiro, foi o primeiro momento em que Rhian sentiu seu coração disparar um pouco.

_ Então, pelos embasamentos expostos, este tribunal considera a ré Rhian Kier Laham inocente de todas as acusações...

E ela respirou aliviada soltando um longo suspiro. Rhian abraçou suas advogadas abrindo um sorriso, estava com sua pose altiva e arrogante, mas a verdade é, ouvir aquele inocente... Havia lhe aliviado a alma. Rhian agradeceu ao juiz e viu Diana correndo na sua direção, a abraçando apertado, com o coração aos saltos, querendo enchê-la de beijos e sabendo que não podia. Diana não conseguia se conter! Mal podia acreditar em todo aquele peso que saiu de cima de si ao ouvir a inocência de Rhian sendo declarada. Foram comemorar! Tinham que comemorar! Saíram do tribunal e foram para um restaurante, ligaram para alguns amigos e foi incrível, uma noite única, de tanta felicidade que levaria muito tempo para que Diana esquecesse. Voltaram para a casa aos beijos e o amor começou a ser feito no sofá mesmo, porque não conseguiram chegar na cama, estavam com pressa, com urgência, com necessidade de se terem logo, Rhian precisava, precisava de Diana, da boca dela, da pele dela na sua, de seus sussurros, de suas unhas entrando e cravando a sua marca pelo seu corpo... Rhian precisava dela. Do gosto dela em si, o máximo que podia.

Os dias se passaram e Diana esperou Rhian voltar para o hospital, mas não aconteceu. Elas ficaram em casa, juntas, se curtindo e Diana não estava reclamando, só não estava entendendo a procrastinação de Rhian em começar a vida normal agora que tudo já estava resolvido nos tribunais. E foi então que entendeu. Uma semana depois entendeu.

Diana havia voltado para casa depois de resolver uns problemas na rua e encontrou Rhian sentada no chão do quarto, com um olhar que ela já conhecia bem nos olhos.

O olhar de quando ela precisava lhe dizer uma coisa difícil.

_ Rhian?

_ Senta aqui, meu bem.

Diana olhou para ela. Se aproximou, sentou onde ela havia indicado com seu coração lhe sussurrando algo inaudível, mas que não era bom. Rhian pegou a mão dela, e guardou dentro das suas.

_ Diana... Eu amo você_ Ela começou dizendo com os olhos já marejados_ Eu amo você demais e isso nunca vai mudar. Você é o meu amor imutável, é a melhor parte de mim e eu quero te fazer feliz, mas do que tudo nesta vida. Mas...

_ O quê Rhian?_ Diana já estava aflita.

_ Eu não estou conseguindo_ Ela disse, e a primeira lágrima caiu_ Como eu posso te fazer feliz se eu não estou feliz?

E a primeira lágrima também caiu dos olhos de Diana.

_ Rhian, eu não estou te cobrando nada, você passou por muita coisa, eu entendo...

_ Eu sei que você entende, e para isso que eu vou apelar. Diana, eu não estou aguentando mais, eu não consigo mais. Eu já tentei de tudo, estou fazendo terapia, análise, tomando alguns remédios e ainda assim, nada melhora. Eu continuo com tantos sentimentos ruins por dentro que, se você visse, meu Deus, se você visse... Eu estava bem, iria levar um tempo, mas eu ficaria ainda melhor a respeito do Romeo, mas aquela conversa com o meu pai acabou comigo_ Mais lágrimas_ Eu não consigo parar de pensar no que ele disse, parar de imaginar a cena, eu sonho com isso, você sabe_ Ela andava acordando aos gritos_ Eu acordo no meio da madrugada e tenho vontade de ir lá naquele hospital e..._ Se deteve, mas nem precisava dizer. Rhian levou as mãos ao rosto e olhou nos olhos de Diana_ Eu não quero que você me odeie.

Agora as lágrimas já estavam despencando pelo rosto de Diana sem nenhum controle.

_ Eu nunca vou odiar você.

_ Promete pra mim.

_ Eu te amo demais, nunca vai passar. Eu só quero te fazer feliz.

Rhian beijou-a. Puxando-a pela nuca, tocando aquele rosto lindo.

_ Eu quero ser feliz com você mais do que tudo. Mas acho que não consigo fazer isso sem antes encontrar a minha paz. Diana, eu quero que você me ouça bem: eu quero que você fique aqui, este apartamento é seu, está no seu nome, o carro está no seu nome, está quitado...

_ Ah não Rhian, não..._ Um desespero tomou o coração de Diana.

_ Eu quero que você comece a faculdade nova e que não se preocupe com nada, eu vou cuidar de você mesmo à distância...

E Diana não conseguiu ouvir mais nada. Fugiu, se trancou no banheiro, não quis mais falar, nem ouvir Rhian, não conseguia mais ouvir. Trancou-se no banheiro e ficou a ouvindo falar do outro lado da porta, pedindo calma, que lhe ouvisse, mas Diana não quis, não podia mais. Ficou ali trancada por tempo suficiente para enlouquecer Rhian, para vencê-la pelo cansaço e quando percebeu que ela não sairia de lá, Rhian concordou em sair do quarto. Dormiria no quarto de hóspedes, Diana podia ficar no quarto sozinha, Rhian só queria que ela saísse do banheiro. Diana esperou que ela fosse embora. E só saiu do banheiro quando teve certeza. Então saiu, e trancou a porta porque não conseguia mais nada por aquela noite. Havia ouvido o resto mesmo contra a sua vontade, Rhian estava propondo que ela ficasse no Rio de Janeiro, com todo conforto possível enquanto ela havia se voluntariado para os Médicos sem Fronteiras e estava pronta para embarcar para o Níger nos próximos dias. Rhian precisava de paz. E achava que podia construí-la através da caridade. O problema pior era o tempo. Dois anos fora. Tempo para Romeo ser julgado, para seu pai ser preso, para as coisas voltarem ao normal de fato. Tempo para ela se limpar de todos os sentimentos negativos, dos ataques de seu pai que continuavam, tempo da imprensa esquecê-la. Tempo de o mundo esquecê-la. A ponto de acharem que Rhian Kier nunca havia existido. E quando ela voltasse, enfim, poderia ser outra novamente.

Diana chorou a noite inteira. Numa tentativa desesperada, ligou para o retiro onde sua mãe dava aulas de ioga. E Deus quis que ela estivesse dormindo lá. Foram chamá-la e Diana ficou horas com ela no telefone, até se acalmar, até o sono chegar, até a clareza a alcançar. Sua mãe era uma fada. E conseguia fazê-la dormir ainda que a distância. Diana acordou na manhã seguinte. Sentou na cama. Pensou um pouco mais. E quando saiu do quarto, já sabia o que fazer.

Encontrou Rhian na sala, e pelos olhos dela, ela sequer havia dormido.

_ Diana?

_ Eu entendo_ Disse e sua voz embargou imediatamente, seu coração doeu imediatamente, seus olhos molharam da mesma forma_ Eu entendo, Rhian_ Mas aquilo a matava e Rhian correu para abraçá-la, beijá-la, se agarrar a ela chorando da mesma forma.

_ Me perdoa, meu bem, me perdoa...

Diana perdoava.

 

Ela tinha que perdoar. Precisava perdoar. Diana só não sabia ainda como.

Notas finais:

Meninas, hoje o capítulo saindo mais cedo... Feriado a gente consegue adiantar um monte de coisas, né. Como vcs estão? Garotas, este capítulo está enorme, cheio de coisas que segundo a Ana, quebra qualquer coração. O que vcs acharam? Mas olha, para dar uma balanceada, o extra dessa semana está D E L I C I O S O. 

Já sabem o que fazer para tê-lo em seus emails no próximo sábado. Beijos ;)



Comentários


Nome: Photographer_SP (Assinado) · Data: 26/06/2017 13:20 · Para: Condenações

Autora como assim a Rhian ficar 730+897=1627dias longe da Diana!!!??? Não sei viver assim :( muita calma nessa hora. Claro que preciso confiar....mas, mas.....titeza

Di continuará vivendo pela metade, espero que ela sobreviva novamente, seja forte princesa Diana.

Tessa estamos acostumados a ver filmes, novelas, literatura, seriados, enfim tudo que a mídia procura nos envolver diariamente.

Delirium é pra mim uma feliz surpresa pois a cada capítulo me emociono sofro, choro, fico com raiva, depois vem as gargalhadas e não necessariamente nessa ordem.....as vezes todos os sentimentos chegam e se misturam.

E o que estamos "acostumados"? Ver o bandido, o vilão tornando-se herói só por causa do fim do enredo. Nunca matam os personagens principais, nunca perdem a liberdade, de repente em menos de 48 horas acontece coisas fantásticas que nossa mente até aceita mas, a minha sempre diz " isso não é possível, isso é broxante. 

Minha noiva me presenteou com o livro game of thrones comecei ler e depois o seriado, vício total correndo pela corrente sanguínea. Ahahaha

Estava totalmente envolvida e puff comentei com ela que estava muito chateada com o autor George R.R Martín é pior, falei que ela podia seguir lendo sozinha e assistindo também sozinha pois não ia prosseguir... Ela nem me questionou estava em lágrimas quando tentava explicar ou pedir uma explicação minha voz saia num fio embargada e em soluços, consegui dizer "não vou mais ler estou chocada e decepcionada....etc...

Ela me abraçou, ficamos um tempo assim, ela linda como sempre me consolando e quebrou o silêncio: "você está de coração partido e é exatamente isso que ele o autor George pretende, emocionar seus fãs e mesmo assim, acho que tens que fazer e agir como quiser eu respeito sua decisão'

Tessa veja bem a Kiria que pensei que se veria livre da prisão (não aconteceu). Bem, o que posso dizer. Parabéns, ainda estou lendo e devorando Delirium. Hehe

Parabéns! Aposto que sua escrita atingiu muitos e muitos leitores fiéis, fãs que esperam ver sua obra nas livrarias.

Muito obrigada!

Ah, recebi os extras.

Mas será que ainda dá tempo assim no finalzinho do segundo tempo se possível receber o áudio tão mencionado aqui, as capas e etc????

Tudo sobre Delirium. Hehe

Obrigada!

 

Beijos



Nome: camilanew123 (Assinado) · Data: 26/05/2017 10:58 · Para: Condenações
Me envia o extra pfvr?

Camilanew123@hotmail.com

Obrigadaa


Nome: brunafinzicontini (Assinado) · Data: 01/03/2017 01:48 · Para: Condenações

Então aí está, mais do que provado: você é mesmo masoquista! Quer matar a gente do coração... Bem, se eu fosse a Diana, iria junto para trabalhar com os Médicos Sem Fronteiras...

Por favor, envie o extra deste capítulo. 

Obrigada.

brunafinzicontini@yahoo.com



Resposta do autor:

Hahahaha

 

Mais um pouquinho de emoção para o final ter mais peso ainda ♥

Diana tadinha, nem acreditou na situação, é ingênua esta nossa moça de vez em quando *.*

Extra enviado!

 

Beijinhos!



Nome: mari86 (Assinado) · Data: 04/02/2017 21:49 · Para: Condenações

Oi,

Me envia o extra por favor.

Bjs mil!

mari86rangel@gmail.com



Resposta do autor:

Mari, vc me perdoa?

 

Extra enviado com 13248451 dias de atraso :/

 

Beijinhos!



Nome: mabi (Assinado) · Data: 28/01/2017 00:49 · Para: Condenações

Amei o capitulo amei a estória *---*

 

 mariasabrina.821995@gmail.com

 

 



Resposta do autor:

Enviado, moça!



Nome: Midnight (Assinado) · Data: 15/01/2017 22:29 · Para: Condenações

TESS, extra delicioso, eu quero.

midnightgirl009@gmail.com

Beijos noturnos para você.

 



Resposta do autor:

Moça da madrugada,

 

Este está está *.*

Me divertir demais nele hahaha

Espero que te agrade tbem :)

Beijos diurnos pra vc!



Nome: Cristine Caetano (Assinado) · Data: 10/01/2017 21:24 · Para: Condenações

Será que ainda posso ter a honra de ler mais um pouco dessa perfeição??

mello-pam@hotmail.com



Resposta do autor:

Todas as honras possíveis *.*

Extra no seu e-mail, boa leitura!

 

Beijos!



Nome: _kuonganjo (Assinado) · Data: 09/01/2017 17:49 · Para: Condenações

Você poderia me enviar o extra, por favor?

laiine_moraes@hotmail.com



Resposta do autor:

Extra no seu e-mail =)



Nome: LeticiaSilva (Assinado) · Data: 06/01/2017 03:31 · Para: Condenações

Poderia me mandar o extra por favor? Bjs.

 

leticiacsilva@ymail.com



Resposta do autor:

Extra enviado!



Nome: mr_amanda (Assinado) · Data: 05/01/2017 03:53 · Para: Condenações

Olá!

Solicitando extra! rs

 

mr.amandacruz1000@gmail.com

 

Beijo



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: Perroni91 (Assinado) · Data: 03/01/2017 16:40 · Para: Condenações

Oi.
Poderia me enviar esse extra por favor?
Obrigada  :)

marciasprates@hotmail.com



Resposta do autor:

Extra enviado!



Nome: Nany (Assinado) · Data: 02/01/2017 15:17 · Para: Condenações

Oi..

 

Gostaria de receber o capítulo extra...

araujoelaini@gmail.com

 

Desde já, obrigada...

 

Bjux...



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: Saber (Assinado) · Data: 27/12/2016 01:48 · Para: Condenações

f.cpaula@hotmail.com



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: Mary (Assinado) · Data: 23/12/2016 16:27 · Para: Condenações

Manda o extra, por favor. =]

mmary4999@hotmail.com



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: Liana M (Assinado) · Data: 14/12/2016 08:13 · Para: Condenações

c.melo9@hotmail.com



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: Zuza (Assinado) · Data: 11/12/2016 07:50 · Para: Condenações

Mande extra

daiane_zuza@hotmail.com



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: tata_rj (Assinado) · Data: 09/12/2016 20:55 · Para: Condenações

Extras... Pleeeease, os extras! freitas.taize@gmail.com



Resposta do autor:

Extra enviado!



Nome: Maria Flor (Assinado) · Data: 09/12/2016 05:17 · Para: Condenações

Eu também entendo. Só isso a dizer porque fiquei triste, apesar de achar que Rhian está fazendo a coisa certa :(

 

Ps: e no fim, os dois sumidos disseram onde estavam naquela noite.

Ps2: me manda extra, please!!

Beijo



Resposta do autor:

Momento dificil para nossa caribenha :/ mas não dá para discordar dela plenamente né

Os dois enfim contaram onde estavam, a Rhian estava certa desde o começo e, extra já está no seu e-mail!

 

Beijos!



Nome: Line10 (Assinado) · Data: 08/12/2016 03:09 · Para: Condenações
Parabéns autora historia maravilhosa Demorei mais consegui chegar antes do fim kkkk e agora só falta ler os extras rsrsrs super ansiosa

Sant_seya@outlook.com

Resposta do autor:

Enviado!



Nome: Lenah Amaral (Assinado) · Data: 01/12/2016 23:50 · Para: Condenações

Oi Tessa!!

Passando para te deixar elogios mil por esta estória q já  mora no meu coração e claro te pedir o extra!

Como havia te dito em outro comentário, quero te falar de " A caçadora e a cor vermelha ".  Bom, só tenho algo a dizer : vai ser essa maravilha q vai acalmar meu coração quando Dellirium acabar ! ! Amei muito, adoro o contexto...criaturas fantásticas, bruxas, lobos e mistérios!! Já estou enlouquecida para continuar acompanhando esse novo grupo de meninas mulheres incríveis!!

Parabéns pelo teu talento ! Grande beijo!!l

lenahamaral@gmail.com 



Resposta do autor:

Oieeee Lenah!

 

Eu fico feliz demais que vc tenha curtido A Caçadora e a Cor Vermelha! Delirium é a minha primeira história atual, eu venho da literatura fantástica e até então só havia escrito coisas do gênero. Porém, eu sei que é um gênero diferente, que a leitura não agrada todo mundo, então decidi abrir esses primeiros capitulos apenas para ver se tenho público se decidir publicar uma história assim ^^

 

Obrigada pelo feedback!

Beijos!



Nome: luba (Assinado) · Data: 01/12/2016 14:03 · Para: Condenações

to pensando que eu corro o risco de te pedir extra que já pedi, pq eu não lembro por nome, kkk, memória otema, cê me perdoa, tá bem? 

lubsvalamiel@gmail.com 



Resposta do autor:

Vai recebendo ai Luiza, receber dobrado é melhor do que não receber né haha

Boa leitura!



Nome: Anjo_steh (Assinado) · Data: 01/12/2016 04:05 · Para: Condenações

OlaTessa passa do pra deixar meu e-mail pro extra stefany.candida@gmail.com



Resposta do autor:

Extra enviado!



Nome: anamacedinha (Assinado) · Data: 26/11/2016 22:24 · Para: Condenações

Extra.

analuiza.mcdc@gmail.com



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: Aelis (Assinado) · Data: 25/11/2016 21:52 · Para: Condenações

O extra por favor! priscila.lucia@gmail.com



Resposta do autor:

Extra enviado!



Nome: Chris V (Assinado) · Data: 24/11/2016 16:17 · Para: Condenações

Mais mais mais por favor

chrisv_xxi@outlook.com



Resposta do autor:

Enviado o/



Nome: thais (Assinado) · Data: 18/11/2016 20:41 · Para: Condenações

puta merda hein Rhian.... tem titica na cachóla !!!! 2 anos... affff 



Resposta do autor:

Extra enviado, moça!

Rhian e suas sombras, veremos até onde isso tudo a levará ^^

Beijos!



Nome: melissa (Assinado) · Data: 18/11/2016 16:19 · Para: Condenações
vc pode por favor me mandar esse extra pra mim...
abacatebatido@gmail.com
obrigada...

Resposta do autor:

Enviado!



Nome: AzumaDelRey (Assinado) · Data: 18/11/2016 05:12 · Para: Condenações

Nossa eu simplesmente amo sua historia!!
Quero o Extra azumadelrey@gmail.com



Resposta do autor:

Extra enviado, moça!

Espero que aproveite a leitura do extra ^^



Nome: Celli (Assinado) · Data: 17/11/2016 04:37 · Para: Condenações

Gostei muito dos outros extras, quero mais dessa leitura viciante.

bom.ler82@gmail.com



Resposta do autor:

Mais um extra para a sua coleção!



Nome: preguicella (Assinado) · Data: 13/11/2016 05:13 · Para: Condenações

Espero não ter sido esquecida no extra de sábado! Ficarei extremamente indignada viu! ???????????’

Então, entendo a posição da Rhian mas não compreendo. Entendo a Diana, e até consigo compreendê-la um pouco, afinal ser "deixada pra trás" não deve ser fácil. Tá bom, compreendo sim a Rhian, ela quer melhorar pra estar inteira com a Diana. Enfim, tropeços que a vida nos dá e nós precisamos lutar para superar! E aí de vc se o final de Delirium for diferente de um viveram felizes para sempre! hahahaha

Bjão e bom feriadão! 



Resposta do autor:

Hahahahaha

Preguicela Cansadis é inesquecivel, não se preocupe haha

É uma situação em que ambas tem algum tipo de razão e tbem não tem. Rhian precisa desse amadurecimento, precisa tirar os sentimentos ruins de dentro e convertê-los em algo positivo, que será positivo para ela, mas não para a Diana, que mais uma vez, precisa se reinventar sem a Rhian por perto.

E não se preocupe com o final feliz, olha esta capa moça, lá é capa de final infeliz hahaha Tudo dará certo, trust in your autor rsrsrs

 

Beijos!



Nome: isa_bela (Assinado) · Data: 13/11/2016 04:03 · Para: Condenações

Que lindo essa capítulo, Tess! De uma sensibilidade tão... Elas estão maduras, maduras emocionalmente. É preciso maturidade pra lidar com tudo isso, com todo esse turbilhão. E chega um momento que a vida, parece, usa desses momentos de catarse pra nos fazer lidar com o que escondemos lá no fundinho da nossa alma, com o que trancafiamos e negamos veementemente que existe em nós: As nossas sombras. É a vez da Rhian passar por esse processo, e é um caminho solitário em direção as profundezas do nosso ser. E a nossa intensa bahamiana levou a parte "solitária" ao pé da letra. E pra levar ao pé da letra com um amor todo desse é preciso maturidade emocional pra lidar com esse momento longe da moça que ela tanto ama.
Mas dá uma dozinha dessas duas =(

Dona Fernanda não poderia passar ilesa por tudo isso, mas a pandinha, ah a pandinha! A lealdade é algo bonito, né? As pessoas são leais umas as outras não porque prometem ou por convenções sociais. Lealdade é para além disso... "Cumprir com fidelidade aquilo que se propõe fazer. Respeito aos princípios que norteiam a honra e probidade." Cacei rapidinho na net o significado formal e... Respeito, honra e fidelidade. Um substantivo feminino (cabe tanto pras suas personagens), que abrangem a fidelidade, tão estimada nos relacionamentos. Como que dona Kiria não derrete com uma criatura cheia daquilo que ela pouco conheceu? <3 <3


P.S 1: Aaaaah, eu quero extraaa!

P.S 2: Os extras estão mais que maravilhosos, juro!

isabelass2@gmail.com

Bjo Tess.



Resposta do autor:

Oieee Isa!

 

Acho que esta é a linha principal de toda a história de Delirium: nós conhecemos Rhian e Diana com 21 e 19 anos, e as assistimos crescer em torno dos sete anos em que esta história já alcançou neste momento: as adolescentes apaixonadas descontroladamente, agora estão se tornando mulheres, que cada dia se respeitam e se entendem mais.

E com essa maturidade, vem a coragem de encarar as sombras, os medos profundos, a sujeira que escondemos lá no fundo da alma, que paradoxalmente, deve ser nossa parte mais clara e limpa. E Rhian chegou num ponto que precisa dessa limpeza total, porém depois de algumas tentativas dentro dela ela entendeu que para Rhian Kier, somente um tratamento de choque pode resolver. E ela aceitou o desafio.

Veremos o quão maduras emocionalmente elas estão para mais este obstaculo :)

Então, Fernanda Kiria. Seria injusto ela sair ilesa, é ficção mas me sinto na obrigação de manter os vinculos com a realidade, por mais finos que vez ou outra eles possam parecer haha Veremos até onde a fidelidade da nossa agente Panda será testada em mais esta provação, adorei a definição caçada rapidinho haha

PS1: Extra enviado!

PS2: Eu estou adorando escrevê-los *.*

Beijos! Seus comentários seguem me fazendo feliz ^^

 



Nome: BlackMoon (Assinado) · Data: 11/11/2016 20:20 · Para: Condenações

Me manda o extra, pleaseee!!

 

Besitos!

 

(liluoliveira@gmail.com)



Resposta do autor:

Enviado, boa leitura!



Nome: limaC (Assinado) · Data: 10/11/2016 21:23 · Para: Condenações

Eu não sei se conseguiria manter um relacionamento a distancia dessa maneira, da pra super entender a Diana, mas ela vai conseguir passar por essa.

Poxaa, eu parei de receber os extras, n sei o que ta acontecendo com meu email.

Autora linda falou que reenviou mas eu não recebi, chorosaa

Não tenho o 31, 45 e 46.

A autora atenciosa poderia me reenviar? Eu sei q abuso mas é q eu gosto muito dos extras kkkk

beecalima12@gmail.com



Resposta do autor:

Oieee Rebeca!

 

Relacionamento a distância é pesado, eu que o diga, ai vc imagina para a Di ciumenta e carente, é dificil demais :/

 

Olha, reenviei os extras novamente pra vc com todo o amor e carinho, viu? Me avisa se recebeu, e se não, eu envio novamente haha Não faz mal, verifica e me conta tá ^^

 

Beijos!



Nome: salesbeta (Assinado) · Data: 10/11/2016 05:27 · Para: Condenações

Querida Tessa ,gostaria muito de agradecer os extras que você me enviou.Cada trecho que leio me emociona cada vez mais,uma pena que toda história tenha um final.

Gostaria de receber também o extra do capítulo 46" Ameria" TKO . 

EMAIL :justinbeta@hotmail.com



Resposta do autor:

Oieee moça!

 

Que bom que está curtido a leitura dos extras *.* São uma vertente mais tranquila da adrenalina que anda os capitulos regulares, né ^^

Extra da semana enviado, boa leitura!



Nome: Annybnu (Assinado) · Data: 10/11/2016 04:56 · Para: Condenações

Como sempre fantástico...

 

Ansiosa pelo proximo....

 

Anny.bnu@hotmail.com

 

Bjs...



Resposta do autor:

Capitulo novo já postado!

 

Espero vc lá hein

Beijos!



Nome: deni (Assinado) · Data: 10/11/2016 01:16 · Para: Condenações

Extra extra extra

adenicebae@yahoo.com.br



Resposta do autor:

Extra enviado com sucesso haha



Nome: VANSMZ (Assinado) · Data: 09/11/2016 16:22 · Para: Condenações

vanessasomar96@gmail.com



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: _Juh_ (Assinado) · Data: 09/11/2016 06:51 · Para: Condenações

Boa noite 

Capitulo muito bom mas que a diana nao merecia isso mas entendo a Rhian acho que quando ela volta sera se conhecendo mais e mais completa e pronta pra ser feliz  

 

Extra ju_bondezan@hotmail.com 



Resposta do autor:

Oieee Juh!

 

Rhian está em busca de ser uma pessoa melhor, de se curar dessas feridas que estão a atormentando tanto, mas que a Di não merecia, não merecia :/ Ainda mais depois do pedido fofo de casamento, enfim

 

Beijos!



Nome: Angribbons (Assinado) · Data: 09/11/2016 04:16 · Para: Condenações

ai, meu coração! 

Eu entendo a Rhian, as vezes a gente precisa fugir pra se encontrar.. mas.. eu me identifico tanto com Diana, que oego o sofrimento dela pra mim,e não sei se perdoaria .. Ana tem razão, meu coração tá em pedacinhos.

aguardando ansiosamente! 

Karynribbons@hotmail.com



Resposta do autor:

Oieeee moça ♥

 

É um caso onde as duas estão certas, Rhian precisava de espaço para se reencontrar, mas isso vai quebrar a Diana em pedaços :/

Extra enviado para aliviar a tensão do capitulo, espero que tenha curtido ^^

Beijos!



Nome: Maria isabel (Assinado) · Data: 09/11/2016 03:50 · Para: Condenações

TKO!! deveria ter um livro de delirium, fato. 

Email:maria.isabel.mi4123@gmail.com



Resposta do autor:

estou lutando para publicar este livro, viu, e ai de vcs se não comprarem pra pôr na estante, hum haha

Extra enviado, beijos!



Nome: Luli (Assinado) · Data: 08/11/2016 17:22 · Para: Condenações

Saudadeeeees! Trabalho e estudo estão puxados e não tem dado pra comentar direto, mas tenho acompanhado como sempre, viu? Abandono mais não! <3 

Agora, sendo bem sincera: te dizer que entendo os motivos de Rhian é mentira, pois não entendo. Cara, tanto tempo lutando para conseguir isso e simplesmente tudo ficar vazio novamente? Como se o que tivesse conquistado e lutado pra conseguir não bastasse? Heroina dessa história toda é a Diana mesmo, pq gente... que amor é esse que consegue suportar tanta coisa inclusive que o amor da sua vida fique longe de você para se reerguer e ficar bem novamente? Que vontade de xingar/gritar para expressar o que to sentindo, mas não farei! (ainda) hahaha 

Beijos, meu bem! 

Ps.: Posso confiar em você de que dará tudo certo, né? 



Resposta do autor:

Luli vc voltou! ♥

Saudades de vc aqui, sei que deve estar uma correria por ai, fico feliz demais quando sei que vcs não me deixaram, que só estão atrapalhadas no tempo, o importante é não desistir da história, obrigada por voltar ♥

 

Vc foi precisa em descrever o que a Rhian sente. Ela lutou demais para voltar, para ter a Diana outra vez e ainda assim, aqui, na hora da felicidade, ela simplesmente não está conseguindo ser feliz :/ É isso que está a matando.

Diana é nossa heroina, a nossa protagonista complicada e perfeitinha, vamos ver como ela irá reagir a tudo isso, capitulo novo já postado, teremos uma ideia a respeito ;)

Beijos, adorei ver vc por aqui outra vez *.*

Ps: Confie na sua autora, tudo vai dar certo ;)



Nome: Rosi84 (Assinado) · Data: 07/11/2016 12:45 · Para: Condenações

Tá vendo coração tava tão partido que esqueci até do email kkkkk

meninaros1984@gmail.co.



Resposta do autor:

Mas gente hahaha

Espero que o extra tenha amenizado o coração doído ♥

Beijos!



Nome: GabihPicarelli (Assinado) · Data: 07/11/2016 12:31 · Para: Condenações

Não acredito que elas vão demorar mais dois anos para ficarem juntas :( . Mulher vc está fazendo jogo com a gente, assim meu coração não aguenta.

E a Kiria não pode cumprir prisão domiciliar?kkkkkkk

Li a outra história e so consigo pensar, quando receberei a continuação? Kkkkk olha muito dificil encontrar boas escritoras que seguem com otimas histórias, e vc é uma dessas raridades. Parabéns vc tem o dom da escrita, vc nos envolve de uma maneira indescritível. Tenho certeza que voce ira longe.

Eu nao mandei meu e-mail antes nao recebi o extra de sabado :( , ainda tenho chances de receber??? Pense com carinho hahahaha

gabihgon@gmail.com

Boa semana pra vc 

Bjs



Resposta do autor:

Oieeee Gabi!

 

Rhian pegou pesado na busca da paz, eu sei, tratamento de choque total, mas juro que vcs vao entender melho no proximo capitulo, que alias, já esta postado!

Eu até pensei em enviar a Kiria pra casa pra cumprir pena com a bonitinha dela, mas nao seria justo né haha Ela vai sofrer só um pouquinho, prometo ;)

Fico feliz demais que vc curtiu a outra história ♥ Eu sempre fico receosa por ser uma tecnica diferente de escrita, um outro estilo e tal.

Gabi, acho que o extra que vc está pedindo é o Kiressa, A Chave?

Enviei pra vc, se não for esse, me avisa aqui, tá ^^

Beijos!



Nome: OutroMundoLA (Assinado) · Data: 06/11/2016 20:39 · Para: Condenações

Olá, querida autora!

Owwwwn, to louca pra lê o extra da Harumi e Kiria! *-*

Demorei pacas para bom comentar porquporque fiquei numa bad... Esse capítulo foi de corta meu core. T-T

Como assim Rhian vai embora?! Pqp! Depois de Tudo! Eu sei dos motivos, mas realmente eu não entendo Cara... Espero que até o reencontro não aconteça nada com elas... Porque a vida tem dessas coisas né? Num momento estamos Ben e do nada nós e tornado Tudo... Como conheço minha autora preferida ela não ima fazer isso... Né?!

Putz! Mais de 1 ano presa a Kiria vai fica... T-T

Enfim, Só Ariana e Isis que não sofreram tanto... até agora né...

Email: outro.mundola@gmail.com 

Até próximo capítulo. ;*



Resposta do autor:

Oieeee moça!

 

Capitulo pesado, eu sei :/ Começou fofo e tudo mais e de repente, Rhian surpreende neste final :/

Diana está tendo os mesmos sentimentos que vc, entende os motivos dela, mas isso não impede de doer pra caramba, né, ela acabou de pedir a moça em casamento e agora ela vai embora assim :/

E vc tem toda razão, confie na sua autora que tudo vai dar certo no final haha

Kiria presa, mas tbem era necessario, a moça é culpada no final das contas, né, mas novamente, confie que tudo vai dar certo ^^

 

Beijos!



Nome: danibefour (Assinado) · Data: 06/11/2016 03:08 · Para: Condenações

Oi Tessa! Que capítulo cheio de emoções, haja coração! Amei o momento do otp Rhian e Diana, maravilhoso demais. O coração chegou a acelorar quando tava chegando perto da sentença da Rhian.

E meu Deus, que final foi esse??? Eu com certeza não estava preparada pra algo assim, mas entendo a Rhian, apesar de estar bem triste com isso.

Não me canso de falar o quanto sua escrita é maravilhosa, eu li a cena das duas no carro impressionada com sua forma de nos fazer sentir a profundidade do momento!

Ansiosa para o próximo capítulo, beijos.

daniellepereira599@gmail.com



Resposta do autor:

Olá Dani!

 

Capitulo montanha-russa de emoções haha

Fazia tempo que eu andava devendo um momento casal de Rhian e Diana, né, elas estavam merecendo um momento de namoro, os outros casais andam namorando nos extras mas elas duas nada haha

Rhian está precisando de um momento, precisando se curar para a Diana, o problema é o que essa cura pode causar na Diana :/

Ahhh o namoro no carro foi muito elas, não foi? Elas se amam deste jeito, e precisava trazer isto de volta *.*

Capitulo novo postado!

 

Beijos!



Nome: nicky (Assinado) · Data: 06/11/2016 00:07 · Para: Condenações

Oie Tessa...esqueci de colocar meu mail pra receber o Extra...Sorry.

nickol-fifi@bol.com.br

Obrigada.



Resposta do autor:

E-mail recuperado e extra enviado ♥



Nome: Adrielleds (Assinado) · Data: 05/11/2016 19:47 · Para: Condenações

Olá Tessa.

 

Eita que esse periodo de ferias esta atrasando toda a minha leitura rs.

Realmente capitulo de partir qualquer coração.

OH LORD, quanto sofrimento Diana e Rhian, torcendo muito para esse sofrimento acabar logo e ansiosa demais para saber como tudo vai terminar!

Atrasada como sempre pedindo o capitulo extra ????

adrielleds@gmail.com



Resposta do autor:

Mas como assim vc tira férias e atrasa a leitura? hahaha

O importante é voltar sempre ♥

Capitulo de partir o coração, muito emocional, mas confie na sua autora que as coisas vão se acertar de uma maneira ou de outra ^^

Recebeu o extra direitinho?

 

Beijos!



Nome: annacarol12 (Assinado) · Data: 05/11/2016 19:26 · Para: Condenações

Tadinha dessas duas. Sem estruturas pra quando a Rhian for embora. annacarol02@live.com Capítulo lindo Tess.



Resposta do autor:

Oieee Carol!

 

Rhian partindo foi de derrubar as estruturas, eu sei :/

 

Beijos!



Nome: Liz Ferraz (Assinado) · Data: 05/11/2016 17:55 · Para: Condenações

Amo essas atuações nos tribunais, acho tão contagiante essa tensão. Fiquei um pouco chateada pela Kiria, mas a verdade que não dava pra ela escapar de tudo assim, tão de boa. Quanto a Rhian, estou me perguntando como ela pode se reencontrar longe do grande amor da vida dela? E tudo bem que a Diana até tentou se apaixonar e não conseguiu, mas quem disse que isso não pode acontecer , como a Rhian pode ficar tão tranquila de que a Diana sendo uma mulher maravilhosa como é não vai ser conquistada? Sei não hein, Rhian desiste disso....

Tess, mas uma vez, capítulo maravilhoso, espero o extra da semana.

Email: lise-gferraz@hotmail.com



Resposta do autor:

Olá Liz!

 

O momento tribunal foi bem marcante no capitulo, tbem amo esta tensão dos tribunais, até passei para uma faculdade de Direito da última vez que prestei ENEM, mas não tive tempo para iniciar, mas é um sonho que continua comigo ^^

Kiria precisava da condenação, acho que todas nós concordamos, para se fazer justiça na história. Rhian precisou pagar os 10 milhões desviados e nada mais justo do que a Kiria tbem pagar pelo o que ela tem culpa.

Agora a Rhian está perdida, completamente perdida. Vamos ver como as coisas se desenvolvem nos próximos e ultimos capitulos. E tem este lado tbem, a Diana aqui sozinha, linda, fofa e carente, a coisa será complicada.

Extra enviado! Espero que a leitura tenha agradado ^^

Beijos!



Nome: RSecret (Assinado) · Data: 05/11/2016 07:01 · Para: Condenações

Tessa querida, to meio sem tempo pra fazer um bom comentário mas continuo amando delirium, manda o extra lá ;) 

raíssa.remboski@gmail.com



Resposta do autor:

Raissa ♥

 

O importante é continuar vindo aqui e me deixando algumas palavras *.* Extra enviado, espero que tenha gostado!

 

Beijos!



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.