Última noite de amor por Vandinha


[Comentários - 1262]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

 

Última Noite de Amor -- Capítulo 43

 

 

Alexandra acordou assustada, abriu os olhos surpresa. Os braços relaxados, abertos tinham os pulsos presos à cabeceira da cama por algemas felpudas pretas.

Procurou por Isabel e encontrou-a sentada em uma cadeira do outro lado do quarto. A meia luz o rosto dela parecia sombrio e contraído.

-- O que você pensa que está fazendo?

Ela não respondeu. Permaneceu calada e séria. Apenas olhou para Alexandra e tremeu de medo com o olhar verde faiscando de raiva. Estaria ferrada quando a soltasse.

-- Isabel me solta daqui agora -- ela mandou.

-- Você caiu nas mãos do Serviço Secreto da Polícia Federal, Alexandra Girani -- se levantou da cadeira e caminhou lentamente até a cama -- Estou seguindo você há muito tempo e sei que é a chefona da máfia do Leblon. Acompanhamos seus passos, não seja boba, faça como eu quero e será solta sem sofrer nada!

-- Ai, ai, ai... não estou gostando nada, nada dessa brincadeira -- Alexandra a olhava abobada -- E que roupa é essa Isa?

-- Isa não!

-- Não? -- perguntou levantando as sobrancelhas.

-- Não! Sou a delegada Isabel.

- Hummm... Interessante... Agora me solta -- falou sem paciência.

Alexandra estava começando a ficar nervosa. Isabel estava excitante e sedutora demais com aquela fantasia.

Um top sexy, com aplicação da etiqueta de polícia com elástico entre o busto e tiras ajustáveis no pescoço. Saia com barra preta e babado em azul, fio dental, um cassetete pendurado ao lado e uma boina preta.

A fantasia mostrava todo o lado feminino dela, mas também a mostrava como uma mulher de personalidade bastante forte. O que a deixava irresistível.

Para completar a tentação ela ainda usava um perfume que estava deixando Alexandra louca.

-- A sessão de tortura vai começar. Desembucha logo tudinho -- falou sentando-se sobre Alexandra.

-- Droga Isa. Para com isso. Não tenho nada para confessar -- falou já com a respiração ofegante -- De onde você arrumou essa fantasia?

-- Shiii... Silêncio! -- colocou a mão sobre a boca dela -- Aqui eu faço as perguntas e você só responde -- bateu de leve com o cassetete na cabeça dela.

Alexandra bufou.

-- Você é uma assassina cruel Tenho provas disso Alexandra -- falou passando o cassetete pela barriga dela.

-- Há tem é? -- deu uma risadinha irônica -- Pois saiba que eu nunca deixo provas dos meus crimes.

-- Mas dessa vez deixou meu amor -- deu uma piscadinha e sorriu.

-- Deixei?

-- Deixou. Eu a vi enterrando um cadáver lá no quintal hoje pela manhã.

-- Kkkk... -- Alexandra deu uma gargalhada -- Isa me solta. Prometo que não vou enterrar o seu corpo lá no quintal. Vou jogar no mar para os siris comerem.

-- Quer que eu te amordace?

-- Você não teria coragem de fazer isso.

-- Não duvide disso Alex -- sorriu maliciosa e saiu de cima dela -- Já volto. Não saia daí.

-- Aonde você vai? -- perguntou levantando um pouco a cabeça.

-- Já volto -- falou sorrindo e saiu.

Alexandra revirou os olhos. Estava inconformada. Como pôde deixar que isso acontecesse? Agora estava à mercê dela... e o pior... não sabia se conseguiria resistir.

Instantes depois ela retornou com um balde com gelo, e uma garrafa de champanhe.

-- Bem... Vamos voltar ao nosso assunto Alexandra -- encheu a taça com champanhe, bebeu um gole e voltou a sentar sobre ela. Calmamente passou a língua gelada pelos lábios de Alexandra -- Eu quero ouvir da sua boca que ainda me ama -- pegou um gelo do balde e colocou sobre a barriga dela, brincando com a pedrinha de um lado para o outro.

Alexandra gemeu sentindo seu corpo se arrepiar completamente.

-- Você me magoou demais mentindo para mim -- falou triste -- Minha mãe...

Isabel a fez calar com um beijo carinhoso.

-- Não precisa me contar. Eu já sei de toda a história -- tomou mais um gole de champanhe calmamente.

-- Sabe? -- perguntou admirada.

-- A Janaína me contou tudo -- passou a língua sugando a água do gelo que havia derretido na barriga de Alexandra -- Não é porque a sua mãe errou com o seu pai que eu farei o mesmo com você Xanda. Eu te amo. Amo demais, por favor, acredita em mim.

-- Eu não consigo Isabel...

-- Confessa que me ama. Confessa que apesar de toda a insegurança e mágoa você ainda me ama.

Isabel podia sentir o corpo de Alexandra se arrepiar aos seus toques. Ela deu uma mordida forte no pé do ouvido dela e foi descendo seus lábios pelo pescoço, sentindo o maravilhoso cheiro do seu colo.

-- Vou te torturar até você confessar Xanda -- colocou a taça vazia sobre o criado-mudo e se debruçou sobre o corpo de Alexandra.

-- Não faz assim Isa -- Sua boca falava palavras de recusa, mas seu corpo falava bem mais alto e dizia o contrário.

-- Ou você fala Xanda, ou te torturarei até a morte.

E que morte maravilhosa seria.

Isabel sorriu maliciosa passando as mãos pela cintura indo até os seus seios da empresária.

Alexandra sentia uma sensação maravilhosa toda vez que era tocada. Toda vez que sentia a aproximação daquele corpo divino junto ao seu. Gemia ao sentir as próprias pernas em contato com as coxas macias dela.

Isabel segurou o rosto de Alexandra com as duas mãos a fazendo olhar dentro dos seus olhos.

-- Eu não vou desistir de nós, eu não vou deixar que nada atrapalhe a gente. Eu Nunca Vou Deixar de Te Amar -- falou isso com uma convicção sincera, um entusiasmo ardente de quem mudaria sua vida e que faria qualquer coisa por essa oportunidade -- Entendeu?

Alexandra fechou os olhos, e quando os abriu novamente, suas íris sombreadas lhe devolveram um olhar confuso. Seu rosto estava coberto de uma visível agonia e não sabia o que dizer.

-- Não quero que me perdoe... Quero que me dê à chance de te provar o quanto eu te amo e que por você largo tudo e começo uma nova vida.

 

Alexandra sentiu os lábios de Isabel grudados aos seus, com uma urgência absurdamente quente. Gemeu baixo e podia sentir seu corpo pedindo mais, pedindo muito mais.

Lutava implacavelmente contra o desejo, contra a atração que sentia por Isabel e talvez vencesse se não tivesse caído na mais sedutora de todas as ciladas: O amor.

Alexandra não aguentou por muito tempo. Possuída por um desejo febril, deixou de lado todo o conflito que lhe dominava a alma e permitiu que suas línguas se acariciassem outra vez.

 

Isabel arregalou os olhos e um sorriso surgiu enquanto a beijava avidamente. Quase sem acreditar, envolveu o corpo de Alexandra com seus braços enquanto suas unhas arranhavam sem dó sua nuca. Ela se sentia irradiando calor. Como queria parar o tempo e tornar aquele momento eterno.

 

Longos minutos depois, Alexandra se afastou um pouquinho de Isabel, mas sem desgrudar os olhos dos dela.

-- Me solta Isa -- sacudiu os braços.

-- Você não vai fugir de mim? -- Perguntou insegura.

-- Confie em mim -- falou sorrindo olhando-a como se fosse a primeira vez que a visse -- Quero te sentir.

Alexandra falou de um jeitinho fofo e com um ardor tão grande em seus olhos que a fez sentir-se uma deusa.

Estando livre das algemas Alexandra não fugiu. Muito pelo contrário, se entregou a um ato físico que envolvia suas emoções mais profundas.

Com um tremor nascido da ansiedade e da saudade, Alexandra beijou os ombros macios, o colo, até alcançar os seios. Temia mostrar toda a sua ânsia e o ardor que sentia. Não queria ficar tão vulnerável, mas foi impossível diante de tanto amor e paixão.

Abraçaram-se com força, com um calor apaixonado, como se saísse faísca. Beijaram-se, devoraram-se. Gestos de carinhos, de amor.

-- Quero sentir as suas mãos em meu corpo. Preciso ser amada por você -- Isabel pediu e pelo olhar apaixonado de Alexandra, estava quase certa de que havia derrubado aquela barreira levantada entre elas -- Eu te amo.

-- Eu também te amo... -- Aquelas palavras saíram da boca de Alexandra como uma oração, uma confissão, um desabafo, um lamento, era impossível de explicar, mas saiu. Foi calmo, foi urgente, foi difícil, foi tão avassalador quanto um terremoto de 9,5 graus na escala de Richter.

Isabel chorou de emoção. Era como se Alexandra tivesse lhe devolvido o ar. A vida. Esse era o milagre do amor. Era a fusão de corpos e almas.

Alexandra tremeu, e quando as suas bocas se encontraram, elas se beijaram profundamente. O corpo de Isabel buscava o dela e suas mãos deslizavam pelas costas de Alexandra acariciando a pele macia.

Isabel tomou o lábio inferior de Alexandra entre os seus dentes e deu uma pequena mordida.

-- Que saudade eu estava de você Xandinha -- ela disse quase sem ar mergulhando seu rosto nos cabelos sedosos de Alexandra.

A empresária sorriu. Seu nome nos lábios de Isabel soava de uma forma tão gostosa de ouvir.

-- Vem cá -- Alexandra puxou-a para sentar-se a sua frente. Apertou a mão dela entre as suas e depois levou até os lábios aonde depositou um beijo -- Me chamo Alexandra Girani.

Isabel sorriu e balançou a cabeça, mas nada falou.

-- Sou uma pessoa bem difícil de aturar. Sou chata, grossa, emburrada, mal humorada, sou mafiosa, assassina de baratas...

-- Isso é muito bom -- sorriu.

-- E odeio mentiras -- completou olhando no fundo dos olhos de Isabel -- Mas hoje aprendi a perdoar. Aprendi a perdoar por amor... -- ainda segurando a mão de Isabel falou com ternura: -- Muito prazer.

Isabel mesmo sorrindo deixou uma lágrima rolar.

-- Me chamo Isabel Castro. Sou uma pessoa fácil de aturar, sou bem-humorada, geralmente sou meiga, não tenho coragem de matar um pernilongo, imagina uma barata? Infelizmente cometi um erro que foi maior que todas as minhas virtudes. Eu menti... Mas hoje eu aprendi a falar a verdade. Aprendi por amor. Muito prazer.

-- A gente precisa se conhecer melhor delegada Isabel -- tirou a camiseta e jogou longe.

-- Sabia que posso te prender por desacato a autoridade? -- Com uma das mãos, percorreu o corpo de Alexandra.

-- Eu vou adorar ficar presa entre as suas pernas.

Isabel bateu com o cassetete na cabeça dela.

-- Mais respeito com uma autoridade.

-- Acabou de falar que é meiga. Já está mentindo de novo Isa -- passou a mão no local que ela bateu.

-- Falei que: GERALMENNNTE... Sou meiga.

-- Vem cá delegada gostosa -- Alexandra jogou seu corpo sobre o dela.

-- Ei, ei, ei... Eu que mando aqui. Esqueceu?

-- Hummm... Então manda doutora delegada -- falou bicuda.

Isabel tirou o top e jogou no chão.

-- Vem me chupa -- pediu passando a mão pelos seios.

Alexandra sorriu.

-- Assim você me mata doutora.

Começou a acariciar um dos seios e a chupar o outro, fazendo Isabel soltar um gemido. Foi descendo os beijos até o umbigo.

-- Não -- Isabel segurou a cabeça dela.

-- Não? -- perguntou surpresa com a recusa.

-- Não -- ficou de joelhos, tirou a saia e depois o fio dental ficando totalmente nua -- Você é uma meliante muito apressada. Ainda não terminamos a sessão de tortura.

-- Eu confesso qualquer coisa doutora. Até o que eu não fiz se a senhora quiser eu confesso.

-- Fala que me ama.

-- Eu já falei doutora.

-- Fala novamente, mas agora com mais entusiasmo.

Alexandra bufou irritada e Isabel pegou a saia para vestir.

-- Tá bom, tá bom, eu falo -- ficou em pé na cama e falou -- Eu te amo.

-- Mais alto. Para o mundo ouvir.

-- Aiiiiii... Meu Deus! -- ergueu as mãos ao céu.

-- Fala!

-- EIIII... MUNDO! EU AMO A ISABELLL... -- berrou o máximo que pôde.

-- Será que ouviram no Rio?

-- Espero que não... Agora continua doutora.

Isabel sorriu safada.

-- Fecha os olhos -- pediu e pegou a mão dela levando até a sua intimidade -- Sente como estou toda molhadinha Xanda.

Isabel começou a estimular os dedos de Alexandra dentro dela, movia-os para onde precisava deles, fazendo a empresária gemer e se derreter de prazer.

-- Coloca mais Xanda...

Ela não precisou pedir duas vezes.

Isabel ficava de olhos fechados, enquanto, movia a cintura. Sentiu um tremor e notou que o clímax se aproximava. Mas não queria chegar ao êxtase sozinha. Queria levar Alexandra consigo naquela viagem ao paraíso.

Ela cobriu-a com seu corpo se movimentando intensamente entre seus braços. As duas se uniram. Com uma das mãos, Isabel alcançou o centro de prazer de Alexandra. Tocou a pele excitada com as pontas dos dedos, em círculos. Por fim, penetrou-a o mais profundo que pôde. Ela gritou seu nome.

E naquele instante todo o seu corpo tremeu, e ambas chegaram ao clímax.

Elas se amavam. Encontrariam juntas, uma maneira de esquecerem-se do passado.

Deitaram-se lado a lado olhando para o teto. Depois de algum tempo Alexandra olhou para Isabel sorrindo.

-- Sempre me dei bem com a Polícia Federal.

Caíram na gargalhada.

-- Eu estava ridícula naquela roupa né? Pode ser sincera amor.

Isabel fez uma carinha tão fofa que Alexandra a puxou para deitar em seu peito.

-- Você estava linda, maravilhosamente gostosa e sexy.

Isabel sorriu e fechou os olhos. Alexandra mexia em seus cabelos, foi dominada pelo cansaço e dormiu.

 

 

Em Angola.

 

-- NÃO -- Malu gritava desesperadamente -- Deixem-na em paz.

Vemba arrastou uma de suas garotas até a porta e entregou nas mãos de um brutamonte que aguardava levá-la.

-- Me larga Malú, se não a próxima será você -- deu um empurrão na mulata que desabou por cima de algumas mesas.

-- Não deixe que ele me leve Malú... Não quero morrer! -- A morena esperneava e chorava, mas não adiantava.

-- Por favor, Vemba, eu faço o que você quiser -- Malú implorava.

-- Não quero nada de você... Alias, quero sim. Vai lá e conta para as outras garotas, o que acontece com quem tenta denunciar a máfia.

Malú sentou com as mãos sobre o rosto chorando. Sentia-se inútil e impotente sem poder fazer nada pra ajudar a amiga.

Mais uma que teria um destino cruel.

Malú correu até o quarto e pegou o celular que mantinha escondido dentro do guarda-roupa.

Digitou nervosamente uma mensagem:

Isa, por favor, nos ajude. As meninas estão sendo mortas uma a uma. Parece que estão querendo nos substituir por garotas mais novas. Socorro, estou desesperada amiga. Bjs. Malú.

 

 

No apartamento de André e Ramon.

 

-- Que graça que tem ir a um bailão com um velho feio desse -- tia Marta reclamava do tio Zé.

-- Feio, mas ainda dou no coro, sua velha ingrata.

-- É isso aí tio Zé, tem muito garotão que não dá nem pro gasto.

-- Pois eu acho que a tia Marta tem razão Ramon.

-- O que? Mas essa bicha é muito abusada mesmo.

-- Verdade -- falou se afastando o mais que pôde do homem -- Olha essa roupa.

-- Fique sabendo que eu comprei essa roupa para ir a missa.

-- Claro. A missa que o padre José de Anchieta rezou né?

Tio Zé jogou um pão francês na cabeça dele.

-- Grosso -- André resmungou.

-- Esquisito -- tio Zé replicou.

-- Vou contar uma historinha para você tia Marta -- André virou-se de frente para a idosa.

Estava uma velhinha descansando com seu gato na cadeira de balanço na sacada da casa, refletindo sobre sua longa vida, quando, de repente, uma fada surge na frente dela e a informa que ela tem direito a três desejos.

-- Bom. Acho que eu gostaria de ser muito rica.

Puff a cadeira de balanço dela se transforma em puro ouro.

-- Uau, eu acho que eu não me importaria de ser uma jovem e bonita princesa.

Puff ela se transforma numa jovem e bonita mulher.

-- E o seu terceiro desejo? -- pergunta a fada pra ex-velhinha.

-- Bom você poderia transformar meu gato num formoso príncipe?

Puff e diante dela está um jovem varão mais formoso que qualquer um poderia imaginar.

A ex-velhinha fica embasbacada olhando pro ex-gato, agora galã de TV.

Então o rapaz se aproxima e sussurra no ouvido da ex-velhinha:

-- Garanto que agora você se arrepende de ter me mandado castrar...

 

 

Alexandra acordou e olhou para Isabel que dormia profundamente toda encolhidinha junto ao seu corpo. Deu um cheirinho em sua cabeça e um beijinho em seu ombro nu. Como era gostoso acordar dessa forma tão fofa, tão relaxante e tranquila.

Resolveu levantar e fazer um agrado para a amada. Levaria um lanche para ela na cama. Um suco de caixa e uns biscoitos mesmo, já que era um fiasco na cozinha.

Não quis acordá-la, levantou fez sua higiene, trocou de roupa e saiu do quarto no maior silêncio.

Na cozinha, parou diante da geladeira retirou o que precisava e colocou sobre a pia. Olhou pela janela e viu o túmulo da barata.

-- Será que ela morreu? -- Pensou por algum tempo -- Mas que besteira a minha. O que importa isso? -- abriu a caixa do suco de uva, encheu dois copos e colocou sobre a bandeja.

Olhou novamente para o túmulo.

-- E se não morreu? Será que está se batendo para sair? -- Pegou alguns pacotes de biscoitos do armário e abriu colocando o conteúdo em um pratinho -- Será que elas respiram embaixo da terra? Será que está de barriga para cima ou para baixo?

Jogou o pacote de cockies que tinha na mão sobre a mesa e foi para a rua.

-- Que droga! Porque que eu tenho que ser assim tão curiosa?

Pegou um pedacinho de pau começou a abrir o buraco.

-- Desculpa por profanar o seu túmulo. Mas se não fizesse isso, nunca mais teria sossego na vida.

Quando estava quase lá...

-- Xandinha, amor o que está fazendo aí? -- Isabel perguntou da porta esfregando o olho.

O susto foi tão grande que Alexandra caiu sentada na areia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nome: rhina (Assinado) · Data: 21/05/2018 17:33 · Para: Capitulo 43

 

Finalmente. ....uma.tréga .....uma.promessa de recomeçar. ...com.mais confiança e.certeza do que quer....

Mas Isabel tá na hora de ajudar as meninas la em Angolas

Rhina



Nome: SSenseiGabii2 (Assinado) · Data: 03/01/2017 02:42 · Para: Capitulo 43

Kkkk gostei muito  de ver q elas se acertaram, o q achei mais engraçado tbm foi o poema da velhinha e a fada kkkkk simplesmente cômico kkkk



Nome: lucy (Assinado) · Data: 20/07/2016 11:13 · Para: Capitulo 43

Malu tá no sufoooco, espero que consiga ajuda logo,

antes que seja tarde......fiquei feliz que Alex abriu seu

Coração pra Isabel Mel rs rs , 

Agora.......kkkkk essa Ale é maluca que.mané pensar.na.morte da barata

Já ouvi falar na.morte da bezerra kkkk remexer o túmulo de baratita no eres buono ãnh ?

Pulou de susto pq tá fazendo arte kkkkk a Isa vai puxar as orelhas dela se sonhar com esse

remorso baratal kkkkkk bom demais e olha que ela sabe o.peso da mão da Mel dela kkk

Bjs estória divertida, alegre com dramas e muuuito Amor,ingredientes para o Sucesso é

Nota Mil !!!   👏👏👏. 💋💋💕 😀



Nome: juju952 (Assinado) · Data: 22/02/2016 00:38 · Para: Capitulo 43

Xanda se rendeu aos encanto de Isa ja tava na hora né kkk. Muito engraçado Xanda pensando em como estaria a barata kkkk bjo.



Nome: Silvia Moura (Assinado) · Data: 20/02/2016 17:36 · Para: Capitulo 43

... eu bem que disse, você deu a saida certa, eu so sei que sempre torci para o amor das duas... o sofrer é lampejo de alegria futura... saudades muita anjo... bjs



Nome: Mandy89 (Assinado) · Data: 20/02/2016 15:52 · Para: Capitulo 43

Eu já estava achando que elas não iam se entender mais! *-----* Agora é não deixar mas nada separar elas duas. Essa Xanda é maior comédia 😂😂😂 . 



Nome: Baiana (Assinado) · Data: 20/02/2016 12:44 · Para: Capitulo 43

Que massa,elas se acertaram. Agora eu quero ver o encontro da Alex com o Gustavo,ela vai esmagar ele e o casal do mal.



Nome: jull (Assinado) · Data: 20/02/2016 08:56 · Para: Capitulo 43

😂 😂 😂 😂 😂  quem resiste a doideira linda da Xanda 😂😂😂 não tem como..

Agora que as duas estão bem 😈😈😈já quero a Xanda socando a mão da cara daquele Gustavo 😡😡😡

E  ajudando a Isa a salvar as outras garotas 😊😊😊 junto com aquele bando se doidos lindos.

Parabéns Vandinha outro capítulo  lindo.

 

Bjos 



Nome: NatySilver (Assinado) · Data: 20/02/2016 04:23 · Para: Capitulo 43

kkkk A Alex é demais mesmo, amo ela <3 (com todo respeito pela Isa kkkkkkk)

Sério eu tenho uma curiosidade... de onde sai essas piadinhas que a Alexandra e o André contam tanto? kkkk as vezes me sinto meio estranha por achar graça delas kkkkk.

 

Abraços autora :)

 

 



Nome: lay colombo (Assinado) · Data: 20/02/2016 03:37 · Para: Capitulo 43

Flei q até o ultimo dia ela se rendia kkK t

o feliz q elas voltaram. 

 

 E a saga da barata continua kkkkkk espero q a Xanda ajude a Isa a resgatar a Malu e as meninas,  tadinhas. 

 

 



Nome: lenna11 (Assinado) · Data: 20/02/2016 02:23 · Para: Capitulo 43

E quem resiste a uma tortura dessas, que bom que elas se entenderam essa Xanda é uma figura mexe até no túmulo da barata imagina o que ela vai fazer em Angola kkkk! 



Nome: NayGomez (Assinado) · Data: 20/02/2016 01:07 · Para: Capitulo 43

Kkkkkkkkkkkkk gente não existe ngm mais comédia que a Alex, o que que ela tem que mexer no túmulo da Barata?! Kkkkkkkk.  Ain não vejo a hora da Alex escorraça o Gustavo *-* cara nojento.... 



Resposta do autor em 19/02/2016:

Eta curiosidade né? O Gustavo vai ter o que merece pode ter certeza. Um ótimo final de semana Nay, seja feliz. Bjã.



Nome: lia-andrade (Assinado) · Data: 20/02/2016 00:56 · Para: Capitulo 43

Enfim juntas novamente, que bom que a Alex deu uma chance a elas.. agora é entrar em ação e ajudar as meninas de Angola e derrubar essa quadrilha..

Beijos Vandinha, tenha uma excelente noite e um ótimo fim de semana.



Resposta do autor em 19/02/2016:

Para você também minha querida, um abençoado final de semana. Bjs.



Nome: graziela (Assinado) · Data: 20/02/2016 00:54 · Para: Capitulo 43

Aew.  Xandinha se rendendo aos encantos de sua amada. 

E o mulher curiosa para ir desenterrar a barata.  😂 



Resposta do autor em 19/02/2016:

Finalmente né Graziela. Agora vamos para Angola. Muita ação e aventura. Bjs.



Nome: Pietra (Assinado) · Data: 20/02/2016 00:39 · Para: Capitulo 43

Viva! Elas se entendenram!!!

Agora: partiu, Angola!

Imagino o terror que Xanda vai tocar lá

Beijos e bom final de semana!



Resposta do autor em 19/02/2016:

Beijos Pietra. Um ótimo final de semana.



Nome: Mille (Assinado) · Data: 19/02/2016 23:58 · Para: Capitulo 43

Que bom que elas se entenderam e a Xanda deu uma chance as duas.

Agora meninas vamos salvar as garotas de Argola, o negócio está seríssimo o bom delas desmanchar o esquema irá cair Bob, Gustavo, Valentina, Heitor e outros envolvidos.

Bjus e um ótimo final de semana



Resposta do autor em 19/02/2016:

Agora vamos para Angola. Um lindo e maravilhoso final de semana para você também Mille. Bjs.



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.