Delirium por TessaReis


[Comentários - 2880]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

Capítulo 41 - Conexões Humanas

 

O mundo tornou-se uma sinfonia de silêncio e luz quando Rhian Kier esticou sua mão em direção ao amor de sua vida, e ele lhe escapou entre os dedos. Seus olhos brilharam numa cor diferente e quando sentiu seu corpo se inclinando para o penhasco, paradoxalmente Rhian sentiu-se viva como há muito não se sentia. E talvez por isso, houvesse se deixado cair.

            E um segundo mais demorou, passou bem devagar, Rhian viu o céu se abrindo em nesgas azuis rasgando as nuvens de chuva, viu o sol começando a brilhar, viu os olhos de sua namorada em desespero e então, nada mais viu. Seu corpo bateu na água e tudo tornou-se absurdamente apaziguador e silencioso... Rhian afundou, rasgou a resistência da água e afundou de costas, cortando o azul do mar num risco vermelho, e quando a velocidade da queda cedeu, seu corpo instintivamente soube o que fazer e emergiu bem devagar, levando Rhian a flutuar de braços abertos e olhos fechados naquela imensidão marítima. Ela fechou os olhos, quando sentiu o mar lhe abraçando pelas costas, Rhian sabia que já podia fechá-los porque estava segura, confortável, Rhian já estava em casa.

            Foi quando Rhian Kier apagou totalmente e gradativamente, afundou outra vez. Borbulhas moveram-se pela água quando ela soltou o ar dos pulmões, a densidade da água encheu seus ouvidos e de repente, foi cortada bruscamente. Era Diana mergulhando, saltando de sete metros abaixo sem titubear, seu corpo entrou quebrando a resistência da água e ela afundou, afundou bem mais do que esperava, Diana virou-se submersa, procurando Rhian, buscando a superfície, o mar e Diana não conversavam, ela sabia, sabia, mas precisava buscar Rhian, precisava tirá-la dali, precisava salvá-la, salvá-la agora, ainda podia, ainda... E a resistência da água foi quebrada outra vez e Diana sentiu uma mão lhe agarrando o punho, um impulso a puxando para a superfície, e era Andressa, era Andressa Harumi a pegando no fundo, Andressa lhe dando uma direção, lhe dizendo para nadar para a praia, era Andressa mergulhando outra vez, alcançando Rhian em profundidade e subindo com ela para a superfície.

Andressa emergiu com Rhian e nadou com ela até a praia, o mar estava calmo, mas as ondas do Caribe sempre seriam vorazes, nadou com Rhian e pegou Diana pelo caminho, Diana estava desesperada, absolutamente desesperada, desnorteada, Andressa sabia que precisava acalmá-la, ao mesmo que sabia que tal coisa era impossível com Rhian sangrando tanto e completamente apagada. Mas desde quando havia pisado naquela ilha, Harumi havia decidido que não importa o que acontecesse, faria o seu melhor, e foi assim que o fez. Harumi nadou o máximo que podia, com toda a força que tinha e bravamente, conseguiu trazer as duas para a praia. Encalharam na areia sendo trazidas por uma das ondas e Diana se agarrou em Rhian imediatamente.

_ Rhian? Rhian, fala comigo, Rhian, Rhian!_ Diana chorava, gritava, segurava o rosto de Rhian e tentava fazê-la acordar, mas parecia inútil, parecia completamente inútil_ Rhian não faz isso comigo, Rhian, Rhian!

_ Calma, meu bem, calma, calma, ela está respirando_ Pediu Andressa ao checar a respiração de Rhian, ela estava respirando, não havia engolido água, Rhian havia crescido naquele mar, ele não a afogaria.

_ Ele atirou nela, Andressa, ele atirou nela!

_ Eu sei, mas você precisa se acalmar_ Andressa checou o tiro olhando em volta e se perguntando onde estava a sua ajuda. Havia posto Kiria em segurança e disparado atrás de Diana, sabia que Edgar havia feito o mesmo, e quando viu Diana saltando do penhasco, não pensou duas vezes em saltar atrás dela, sabia que Diana não nadava bem em mar aberto, e sabia que ela não estava inteira naquele salto. Metade do coração de Diana já estava naquele oceano, Harumi sabia_ Barreto!_ Viu um agente se movimentando em cima do penhasco a uma distância dali_ Barreto, eu preciso de ajuda, manda alguém pra cá!

_ Andressa, ela não acorda, ela não acorda!_ Diana estava com a cabeça de Rhian deitada em seu colo, tentava reanimá-la, fazê-la acordar, mas parecia inútil_ Rhian, olha pra mim, Rhian por favor, por favor! Rhian!

_ Pegou no ombro, Diana_ Disse Andressa, se livrando do colete rapidamente e tirando a própria camiseta em seguida_ Ela vai ficar bem, fica calma que ela vai ficar bem_ Andressa rasgou as laterais da camiseta, e transpassando o ombro de Rhian criou uma bandagem, pressionando a ferida.

_ Andressa não! Não! Ela não pode fazer isso comigo! Rhian acorda, olha pra mim, olha pra mim!

_ Calma, meu bem, calma!_ Andressa puxou Diana pela nuca e tocou sua testa na dela, carinhosamente, mantendo a pressão sobre o ferimento de Rhian enquanto tentava acalmar Diana_ Pegou no ombro, ela está respirando, ela vai ficar bem, eu prometo pra você que vai...

Diana se agarrou no punho de Harumi e na mão de Rhian, e a confusão de sons de repente tornou-se enorme, helicóptero, lanchas, a pressa nas vozes por todos os lados, o choro de Diana, era Diana quem chorava? Era, e era Harumi quem a acalmava, que gentilmente a acalmava e Rhian refletiu no fundo de seus pensamentos confusos que era assim que o amor deveria parecer...

_ Martina!_ Andressa havia avistado outra agente sobre o penhasco_ Eu preciso de um médico aqui!

_ Eu também preciso Harumi! A ajuda está vindo!

_ Eu preciso de um médico agora!

E foi quando Diana Ferraz sentiu determinados dedos apertando sua mão.

_ Um médico_ Balbuciou uma voz fraca e engasgada_ Você tem uma médica bem aqui_ Completou aquela voz rouca e inconfundível.

A voz de Rhian Kier.

_ Rhian!_ E o nome de Rhian veio arrastado pela garganta de Diana como um sopro que dispara direto do coração.

_ Aqui meu bem, aqui_ Rhian abriu os olhos, falando bem devagar, respirando devagar para não acelerar seus batimentos e acabar perdendo mais sangue. Rhian sentia seus músculos choqueando, espasmando por dentro, sentia uma dor aguda em sua cabeça e frio, sentia muito frio.

_ Ai Rhian..._ Diana a beijou na testa, se abaixando até ela, abraçando seu rosto, sentindo sua vida, Rhian estava ali, estava ali!

_ Shsssss_ Rhian olhou nos olhos dela, fazendo um grande esforço para tocar aquele rosto bonito_ Eu estou bem, eu estou..._ Respirou fundo_ Harumi, eu preciso...

Sentar. Andressa a colocou sentada e Rhian conseguiu respirar melhor apesar da dor lancinante que sentia no ombro. A bala havia entrado pouco acima do seio, alguns centímetros para baixo e teria explodido o coração de Rhian. A delegada já havia pedido atendimento médico, mas estava demorando a chegar e Rhian não era a única ferida.

_ Calma, Rhian, não faz esforço, o que você está sentindo? Por que apagou assim? Precisava cair do penhasco?!

Rhian abriu um sorriso em meio a dor.

_ Eu gosto de fazer uma cena, você sabe. Diana, nós não moramos ali?

Diana olhou para sobre o barranco, a piscina do residencial ficava bem ali, uns metros para cima.

_ Sim, eu acho que é ali.

_ Eu tenho uma mochila no chalé, se você tirar isso de mim eu posso ajudar_ Disse para Andressa.

_ Eu tirar?_ Pareceu que Andressa ia desmaiar.

_ Diana consegue fazer, não consegue, meu bem? Consegue tirar essa bala e fazer os pontos?

Por Rhian, não havia nada que não pudesse fazer. Andressa correu para buscar a mochila de primeiros socorros, Diana havia lhe dito exatamente onde Rhian a guardava, e ainda havia uma determinada correria por aquelas passarelas, mas apenas para manter todos os homens rendidos. O exército bahamiano e a polícia brasileira haviam conseguido dominar toda a situação, os tiros haviam parado e pela contagem, nenhum homem faltava e por mais incrível que pudesse parecer, tinham feridos, mas nenhuma baixa. Até Edgar sobrevivia com uma faca cravada na garganta e naquele momento, a ilha inteira já estava em segurança. Harumi localizou a mochila, estava bem onde Diana havia dito que estava e respirou fundo ao não conseguir contar de quantos tiros ela havia escapado por ali. Andressa encontrou uma camiseta para vestir e voltou correndo para a praia, e do alto daquela piscina, pode ver Diana sentada na areia apoiando Rhian com seu corpo.

E havia tanto carinho ali, naquela única cena. Havia a mão de Diana gentilmente pressionando a ferida de Rhian, e havia Rhian vestida na camiseta de Diana, ela estava gelada, com frio, culpa da perda de sangue provavelmente e delicadamente, Diana tentava aquecê-la, com o próprio corpo, a própria pele e ambas estavam de olhos fechados, agarradas de uma maneira particular naquela conexão humana tão única. Rhian e Diana eram mais do que paixão, mais do que amor, eram parte uma da outra.

Como alguém no mundo podia competir com algo assim?

A resposta era simples: não podia. E Andressa só sentia muito ter levado tanto tempo para entender. Alguns amores simplesmente não são para serem nossos, ponto. Mas isso não impedia que um outro tipo de amor pudesse existir. Harumi desceu para a praia com a mochila e os cobertores que havia trazido em mãos. Diana cobriu Rhian, a aquecendo o máximo que podia e então a colocou sobre outro cobertor e foi se higienizar o máximo que podia. Lavou as mãos em água doce, calçou as luvas de látex e então, descobriu aquela bandagem improvisada, corajosamente. Rhian apertou a expressão sentindo a dor se contorcendo dentro da ferida, havia recusado o anestésico local, mas refez o seu julgamento.

_ Tudo bem, tudo bem, você pode aplicar.

_ Em qual ponto?

_ O mais próximo possível.

Diana aplicou, e Harumi teve que segurar Rhian para evitar qualquer reação indevida, esperaram uns minutos para fazer efeito e Diana lavou o ferimento, para poder visualizar o machucado. Rhian confiava em Diana de olhos fechados, confiou no julgamento dela, a bala não estava tão profunda, mas havia se deslocado um pouco, Diana precisou cortar um pouco mais e Rhian suportou, aguentou, tal como suportou a retirada da bala e os pontos em seguida. A dor forte voltaria assim que a anestesia passasse, Rhian sabia, mas também sabia que iria começar a melhorar assim que retirasse o projétil e limpasse o ferimento. E Diana fez tudo isso, e fazê-lo, a ajudou se acalmar. Em contrapartida, a correria e o nervosismo estava explodindo por todos os lados.

_ Eu acho que... Ficou bom_ Disse Diana, terminando a bandagem.

Rhian olhava para ela carinhosamente, ela havia conseguido.

_ Eu sei que ficou_ Disse, e fez um carinho no rosto dela recebendo um beijo na mão e um olhar doce dentro dos olhos... Como podia não amar aquela mulher com a loucura que amava? Quis beijá-la. Mas não era o momento_ Há muitos feridos, Harumi?

_ Três agentes, cinco seguranças, muitos bandidos.

_ Me ajuda a levantar?_ Pediu para Diana.

_ Mas Rhian...

_ Eu estou bem, eu posso ajudar, mas preciso de você. Você me ajuda?_ E a conexão entre aqueles olhos não havia sido quebrada desde quando Rhian acordou.

Ajudava, é claro que Diana ajudava. Ajudou Rhian a se colocar de pé, e ela estava fraca, estava com frio, mas foi mesmo assim, afinal, havia causado aquela bagunça e o mínimo que podia fazer naquele momento era ajudar a limpar. Diana e Harumi levaram Rhian de volta ao residencial, um passo de cada vez, e Maria estava concentrando todos os presos e feridos na área da piscina. Rhian perguntou se aquela era a delegada, Diana afirmou e Rhian sabia que precisava se apresentar para ela.

_ Delegada Vieiras? Eu sou Rhian Kier Laham.

Maria olhou para ela. E parecia quase impossível, mas aparentemente era realmente Rhian Kier, ali, paradinha, bem na sua frente, ao alcance de suas algemas.

_ Rhian Kier Laham, eu sou a delegada Maria de Vieiras, da Polícia Federal Brasileira e você está presa por suspeita de fraude e sequestro. Você tem o direito de se reservar calada até a chegada de sua advogada que já está a caminho.

E foi bem mais difícil para Diana ouvir aquela voz de prisão, do que para a própria Rhian. Rhian estava agradecida, agradecida demais por tudo, três centímetros para baixo e aquela bala tinha destruído seu coração, se tivesse demorado um pouco mais no fundo, poderia ter se afogado, não era para estar ali, mas estava, ainda estava. Rhian aceitou a ordem de prisão e perguntou sobre sua advogada, Isis estava chegando? Era isso?

_ Amelie Kesnar, a reconhece como advogada?

_ Claro_ Rhian esboçou um sorriso, sentindo-se melhor ao ouvir que Kesnar estava chegando_ Delegada, eu gostaria de ajudar. Eu sou médica, se permitir, quero ajudar com os primeiros socorros.

Maria a estudou. Ela queria ajudar aqueles que estavam prontos a executá-la há momentos atrás? Aparentemente estava. Mas não era ético permitir. Em contrapartida, Maria tinha feridos demais para recusar qualquer ajuda. Rhian ajudou. Executou uma triagem básica, separando os somente feridos daqueles feridos em estado grave, e por ordem de gravidade, Edgar Muniz foi o primeiro a ser atendido. Rhian não estava com destreza absoluta na mão esquerda, então Maria teve que ajudar, porque não achou uma boa ideia deixar Diana perto dele outra vez. A faca não pode ser removida, mas pode ser imobilizada para transporte, Rhian orientou como fazer e uma bandagem foi improvisada, era quase impensável que Diana pudesse ter acertado aquela faca ali, mas havia, cirurgicamente a faca havia entrado na traqueia, era praticamente uma traqueostomia perfeita, só havia se atrasado na execução, mas a coisa não deixava de ser impressionante. Louis foi o segundo a ser atendido e foi muito difícil para Rhian ver seu amigo naquela situação. Mas o torniquete que Diana havia feito estava funcionando bem, e talvez por isso, e apenas por isso, ele continuasse vivo. Rhian cuidou para que ele permanecesse daquela forma até o resgate chegar. Maria colocou uma agente para acompanhar Rhian, não que desconfiasse que ela pudesse tentar escapar, mas era o procedimento padrão e a chuva voltou a apertar e Rhian abriu um sorriso no meio de um atendimento, apesar da dor não deu para não rir.

_ Diana, como você faz isso?_ Não dava para acreditar, Diana havia acertado os dois joelhos daquele homem com uma bala só.

_ É matemática e intuição.

_ Matemática e intuição? Tudo bem, tudo bem...

E enfim, os paramédicos chegaram para ajudar, e Diana se afastou, vendo sua namorada em ação junto com os profissionais. Ela liderou as ordens de remoção, já havia atendido metade das demandas e Diana sentou-se num canto da piscina, se protegendo da chuva, se acalmando de fato e dando conta de tudo o que havia acontecido. E foi ali naquele canto que viu quando Andressa voltou, e agarrando no calcanhar dela, a puxou para baixo.

Diana não disse nada, somente a abraçou. A abraçou forte, a agarrando pela blusa, sentindo as mãos de Andressa fazendo o mesmo e a respiração dela mudando, ela estava chorando, Diana sabia, porque aquele era o primeiro abraço que davam desde aquela noite chuvosa que destruiu o casamento delas.

_ Diana, eu sinto muito_ Ela disse, soluçando, olhando Diana nos olhos_ Eu não sei o que aconteceu comigo, você conhecia aquela garota, ela insistia, flertava o tempo todo, mas eu nunca...

_ É claro que ela flertava o tempo todo. Você é a professora mais bonita daquela universidade toda, deve ser a professora universitária mais linda de toda a Brasília, como quer que ela não flerte?_ Disse, acariciando o rosto de Andressa, enquanto olhava naqueles olhos puxados que não paravam de lagrimar_ Eu não culpo a moça.

_ Fazia tempo que você não me dizia nada assim_ Diana sabia que fazia_ Diana, se você me perguntar eu nem sei dizer se ela era atraente ou não, eu não sei o que deu em mim...

_ Eu sei o que deu em você: o meu comportamento. Andressa, eu não culpo você por nada do que aconteceu, a culpa é minha, eu assumo essa responsabilidade, é tudo culpa minha. Eu não cuidei do nosso relacionamento como deveria, eu não estava pronta para assumir algo tão grande, eu fui displicente com você, com essa moça doce que você é, eu nunca deveria ter ferido você assim, agora eu vejo isso. Andressa, eu amo você. Amo mesmo, você me fez muito bem, cuidou de mim, ficou comigo nos meus dias mais difíceis, como é que eu posso não amar você? Só não é...

_ Como você ama ela, eu sei.

Diana olhava para Andressa com o olhar perdido em Rhian. Sua Harumi era uma boa moça, sabia, e levaria um tempo para que Diana se perdoasse pelo o que havia causado nela. A cura leva tempo. Mas sentia que tempo era o que não lhe faltaria dali para frente. Abraçou Harumi pelos ombros, a puxando para bem perto de si.

_ Você me perdoa?

Andressa afirmou, se agarrando nos braços dela, sentindo aquele abraço.

_ Perdoo. O sexo foi compensador_ Disse rindo e fazendo Diana rir.

_ Você não presta! E eu me lembro do seu discurso naquele carro, que não fazia isso, ou aquilo.

_ E você pulou em cima de mim e fez o que queria.

_ O que você queria_ Fez um carinho no rosto dela_ Harumi, por que você saltou atrás de mim naquele penhasco?

Aquela pergunta.

_ Ainda somos casadas. Você é minha responsabilidade_ Repetiu as palavras que Diana havia dito uns momentos atrás_ Eu quero muito que você fique bem.

_ Eu também quero que você fique. Me fala do tal sequestro.

_ Sequestro?

_ Com aquela bandida ali pra quem você não para de olhar. Que história é essa, Harumi?

Uma namorada ciumenta é uma namorada fiel. Se ela não fica com ciúmes quando alguém tem a sua atenção, é porque alguém tem a dela. Tal máxima deveria se aplicar a todas as namoradas ciumentas do mundo, menos a Diana Ferraz. Que tinha ciúmes de Andressa ainda que sua atenção toda estivesse em Rhian Kier. E Andressa ainda não sabia dizer se aquilo era bom ou ruim. Ficaram ali, discutindo sobre Kiria e a afeição de Harumi por ela enquanto Rhian se sentindo melhor, pediu para cuidar de Kiria Eli pessoalmente. Ela estava num canto da piscina, duplamente algemada, pelos punhos e pelos calcanhares. Rhian olhou para a agente que lhe seguia.

_ Moça, ela está com um tiro na perna, não vai a lugar nenhum.

_ Sabe quantas vezes ela já escapou da polícia? Eu nem sei como você não está algemada_ Ela respondeu de atravessado.

_ Eu estou algemada, olha você no meu pescoço o tempo todo. Pode soltar as pernas dela? Eu preciso ver esse ferimento.

Martina olhou para ela. Era um ser humano bem mal-humorado. Abriu as algemas dos calcanhares de Kiria.

_ Agente Ferraz causa um estrago e tanto.

_ Ela atira na perna para não ferir ninguém com risco de morte.

_ Não estou falando da perna dela, olha pra esse residencial, para esta ilha, para o meu departamento, para a sua vida. Esses tiros são os menores dos estragos.

_ É porque não é a tua perna aqui, né_ Respondeu Kiria atravessadamente.

_ Olha como você fala sua...!

_ Ela vai ficar quieta, não se irrite com ela. Posso cuidar disso aqui?

Martina olhou para Rhian. E se afastou por um metro, apenas um metro.

_ Kiria, o que você está fazendo aqui? O que fez lá no armazém? Eu não entendi nada_ Rhian perguntou baixinho enquanto começou a examiná-la.

_ Eu estou atrás de você desde quando tudo isso começou. Queria te ajudar, te tirar da mira da Organização, não deu muito certo_ E gemeu de dor quando Rhian tocou o ferimento. Diana havia errado. A bala não entrou dilacerando joelho dessa vez, entrou mais em baixo, na panturrilha, para a sorte de Kiria_ Rhian!

_ Desculpa, desculpa, vou aplicar um sedativo, tudo bem?

_ Aplica o que você quiser para acabar com essa dor. Aquela sua Diana é...

_ Você colocou uma arma na minha cabeça, o instinto natural dela foi esse_ Falou sorrindo, preparando o sedativo, se havia ficado “feliz” ao ver Diana apontando uma arma naquela primeira vez, Rhian não tinha palavras para descrever o que todo aquele show havia lhe causado.

_ O que aconteceu com o seu ombro?

_ Aquele Edgar atirou em mim. Aí eu caí do penhasco. E caí em mim outra vez. Kiria, eu te devo desculpas.

_ Eu também. Por isso estou aqui. É pra pedir desculpas.

Aquilo surpreendeu Rhian. Olhou nos olhos de Kiria.

_ Me pedir desculpas?

_ Pela arma na sua cabeça, por ter ido até o Rio de Janeiro e envolvido Romeo nisso tudo apenas para ficar mais perto de você. Seu irmão é um canalha. É pervertido, doente. E eu me propus a manipular este homem por algo que só existia na minha cabeça.

_ Ele... Tocou em você?

_ Nunca! Eu tenho problemas com essa espécie, você sabe. Eu fiz um acordo com ele, um namoro de fachada e eu conseguiria a mulher que ele desejasse num estalar de dedos. E então veio a surpresa, ele queria você. E quando ele não te teve e soube o que a gente andava fazendo na cama dele, ele ficou louco. Até então, mesmo com o roubo do dinheiro, ele se recusava a concordar com o seu sequestro, mas depois disso, tudo mudou. Ele sentiu que eu era dele, e que você mais uma vez, havia tirado algo dele. Ele é louco. Completamente louco. Precisa ser morto.

Rhian olhou para ela desconfortável com aquela frase.

_ Ele precisa. Se eu tiver a chance outra vez, sinto muito, não vou errar.

_ Eu não sinto nada, e não vou errar_ Disse Diana se aproximando delas de repente_ Eu vim me desculpar por ter acertado você, e atirado de novo, e quisto atirar outra vez, mas que diabos você fez sequestrando a Harumi e correndo atrás da Rhian daquele jeito? Estava pedindo um tiro!

_ Você é muito, mas muito psicopata!_ Kiria respondeu, apertando os dentes ao sentir a picada da anestesia_ E eu gosto disso, gosto mesmo, só não gosto de você ter atirado em mim.

_ Deveria estar agradecida, foi só a sua perna, você já viu o Edgar?

Kiria olhou para o lado, Edgar estava sendo o primeiro a ser removido com a faca cravada na garganta. Kiria olhou para Rhian.

_ Ela é realmente ameaçadora.

Rhian riu, cuidando do ferimento.

_ Eu disse que era. Mas é uma coisa linda também, ela não é linda?_ Perguntou, tão doce que fez as duas sorrirem.

_ É lindinha. E louca, mas eu acho que compensa.

_ Compensa toda e qualquer coisa. Diana, esta é Kiria, uma moça esquisita que eu encontrei no meio dos cavalos da fazenda da minha mãe. Kiria, esta é Diana, o amor da minha vida.

Diana e Kiria se olharam. E Diana estendeu a mão para ela.

_ É bom conhecer você. Apesar de tudo isso.

_ Sei. Também é bom pra mim conhecer você. Você deveria me ajudar_ Ela pediu a Diana com aqueles olhos cheios de alguma coisa.

_ Ajudar você?

_ Eu não posso ser presa, eu não quero, eu...

_ Kiria, você não tem como fugir_ Disse Rhian_ Eu não tenho mais como fugir.

_ Rhian, você não está entendendo, você tem uma acusação de fraude, eu tenho três acusações diferentes...

_ Kiria, você vai voltar comigo_ Era Andressa, se aproximando e se abaixando perto dela.

_ Bonitinha, com você eu volto para qualquer lugar, mas não presa.

Diana olhou feio para ela. Rhian olhou feio para Diana. Mas ninguém disse nada.

_ E o que você está pensando em fazer? Vai ficar fugindo desses caras até quando? Você vai ficar a salvo a poder do judiciário.

_ Andressa...

_ Você vai. Nem que eu tenha que algemar você trinta vezes_ E simplesmente saiu de perto, dando a conversa por encerrada. Diana foi chamada pela delegada, disse que já voltava e se afastou, deixando Kiria e Rhian sozinhas outra vez.

_ Rhian, eu não posso_ Disse baixinho, só para ela ouvir.

_ Eu consigo um bom advogado pra você, ela tem razão, é muito perigoso ficar fugindo desses caras, olha onde viemos parar pelas minhas fugas.

_ Eu sei que ela tem razão. Olha pra ela, ela parece ser um tipo de mulher que não tem razão?

Rhian abriu um sorriso, havia alguma coisa ali, só não estava entendendo bem o que era ainda.

_ Então pronto, vamos resolver tudo isso.

Kiria pensou consigo, enquanto olhava Rhian trabalhando em sua perna.

_ Temo não ser boa como você está apostando que eu seja.

Rhian levantou os olhos para ela.

_ Temo não ser boa como eu estou pretendendo ser. No final, somos bem parecidas.

_ Sempre fomos.

Era o tipo de conexão que haviam tido desde o primeiro olhar. Não houve mais conversa enquanto Rhian extraiu a bala da panturrilha de Kiria, a anestesia não havia tomado efeito totalmente e o procedimento teve que ser feito enquanto ela mordia uma toalha para não gritar. Ela não gritou, segurou firme e quando aquela bala saiu, sentiu um alívio tão grande que quase chorou. E foi quando Rhian ouviu um helicóptero pousando. E foi quando olhou para trás e viu descer um avião de dentro do tal helicóptero. Era Amelie Kesnar em um terninho preto que fez Maria de Vierias ficar tonta.

Rhian tirou as luvas brancas sujas ao ver sua amiga caminhando por aquela passarela em sua direção, os sorrisos se abriram e Kesnar a abraçou forte o suficiente para Rhian sentir de onde aquela bala havia sido recentemente retirada.

_ Kesnar, espera, espera, meu ombro...

_ O quê? Atiraram em você? Eu disse que não queria ninguém atirando em você!

_ Deve ter dito, só esqueceram de avisar para os bandidos_ Respondeu sorrindo_ É tão bom ver você aqui_ A abraçou outra vez, com cuidado.

_ É muito bom ver você_ Kesnar a beijou, sentindo a verdade de cada palavra de sua frase, era muito, mas muito bom ver Rhian ali, sabia que seria muito bom olhar pra ela, mas não fazia ideia que seria tanto_ Você vai me pagar os honorários em euros, viu? Rhian, como você me deu trabalho!_ E abriu outro sorriso ao ver Diana se aproximando_ E como a sua irmã me deu trabalho!

Diana a abraçou sorrindo, imaginando que tipo de trabalho Isis poderia ter dado a Kesnar.

_ Ela é difícil, não é?

_ Ela é impossível! É brava, teimosa, argumenta de um jeito que me deu até dor de cabeça. Ela já está louca de ansiedade esperando a sua volta_ Contou, fazendo Diana sorrir.

_ Eu também estou louca de vontade de voltar pra ela. Acha que demoramos?

_ Nada, nós partimos ainda hoje. As coisas se encerraram aqui, mas estão apenas começando no Brasil_ E trocando um olhar com Rhian, completou_ Você precisa estar pronta, Kier.

Rhian sabia que precisava estar. A dúvida toda era se realmente estava.

Rhian recebeu outro exame, agora pelas mãos dos médicos de resgate, aparentemente o ferimento havia sido limpo devidamente, os pontos estavam muito bons e não davam sinal de que precisavam ser refeitos. Maria de Vieiras tinha urgência em voltar para o Brasil, tinha sete prisioneiros brasileiros consigo, não era como se pudesse mantê-los em seu hotel. Os bahamianos foram entregues as autoridades locais e um helicóptero seguiria até Nassau com os cinco presos brasileiros. Edgar e Túlio precisavam de atendimento imediato, o que obrigou Maria a deixá-los sob a responsabilidade da polícia das Bahamas, depois eles seguiriam para o Brasil, mas os outros tinham condições de realizar a viagem imediatamente. Rhian só pediu uma coisa: vinte minutos para um banho com Diana. Maria disse que não, que isso era um privilégio ao qual ela não tinha direitos, mas de alguma maneira o jeito que Rhian pediu... Não lhe partiu o coração, mas ao menos uma trincada deu.

_ Você tem dez minutos.

Era melhor do que nada.

Entraram para o quarto destruído em tiros, e foram até o banheiro, onde ajudaram uma a outra a entrar no banho. Rhian não conseguia levantar o braço esquerdo, mas Diana a ajudou com o vestido tal como Rhian lhe ajudou com os tênis, Diana não havia sentido nada durante toda a ação, mas agora que havia passado... Rhian tirou os tênis dela e encontrou os curativos ensopados. Ela havia sangrado e sangrado sem parar, tanto que o sangue havia dado um jeito de coagular sozinho como uma defesa natural do corpo quando algo que está muito errado. Não fazia mal, faria duas vezes se fosse para ter Rhian ali, ao alcance dos seus olhos e em segurança outra vez. E foi quando Rhian começou a chorar. Abaixada a frente de Diana, encostando a testa nos joelhos dela.

_ Ei, Rhian, o que foi? Ei, ei, meu bem..._ Correu os dedos por dentro dos cabelos dela_ O que foi?

_ Eu achei que ele tinha acertado você. Quando atirou.

_ Ele acertou, mas eu estava de colete, fiquei um pouco sem ar apenas, o que me matou foi quando eu ouvi que ele tinha acertado você.

_ Eu nem senti. Só pensava em você. Quando você virou e eu vi que você estava bem foi a melhor sensação do mundo..._ Disse, arrancando uma lágrima de Diana ao lhe tocar o rosto.

_ A melhor sensação do mundo foi ouvir a sua voz lá na praia. Eu achei que você tinha morrido, que seu coração tinha explodido.

_ Meu coração está bem aqui_ E puxou Diana pela nuca e a beijou na testa, longamente, não querendo soltá-la nunca mais. Seu coração estava bem ali, e Rhian cuidaria dele o máximo que podia.

Foram para o banho. Durou exatos cinco minutos, mas para elas, levou uma eternidade particular. Ficaram juntas, Diana abraçando Rhian pelas costas sob a água do chuveiro e por um instante, ambas fecharam os olhos e lembraram do primeiro banho que haviam tomado juntas ali e o gosto de esperança que tudo tinha. Dessa vez, não havia esperanças; havia certeza. Diana tinha certeza que passariam por tudo, mas no final, ficariam juntas, Isis iria resolver tudo, sabia, pediria para sair da polícia, voltaria para o Rio e recomeçaria a sua vida do exato ponto de onde havia parado: ao lado de Rhian. Teria uma esposa médica e linda, acordaria nos braços dela todos os dias, teria a risada dela em seu ouvido, aqueles olhos verdes dentro dos seus, e criariam uma outra vida, ainda melhor que a última, por suas próprias mãos e sem a influência de ninguém.

Era tudo o que queria. Por esta nova vida, tudo valia a pena.

Se beijaram longamente, e voltaram para o quarto, para se trocar. E Rhian se vestiu inteira de preto, calça, camiseta, Diana a ajudou a se vestir, a arrumar os cabelos, a ficar linda com pouco como o habitual, ela gostava de estar bem sempre, Diana sabia. E Diana optou por jeans, camiseta branca e camisa xadrez por cima, nada da ausência de cores da polícia federal, sentia de coração que aquele havia sido seu último ato dentro da polícia, independente de sua expulsão, prisão, qualquer coisa que viesse a acontecer. Bem, estava detida. Foi informada formalmente assim que saiu do quarto com Rhian.

_ Estou detida por...?

_ Detida administrativamente, para averiguações.

Detida administrativamente, não parecia tão ruim assim. Apertou a mão de Rhian, talvez sem perceber, mas apertou, e sua namorada a trouxe para mais perto, “tudo vai ficar bem”, ela sussurrou, e Diana acreditou que tudo ficaria. Foram de helicóptero até o aeroporto de Nassau, e Rhian pode apreciar a beleza daquele mar único brilhando lá em baixo. Não havia mais chuva, apenas o sol, único e suntuoso e Rhian agradeceu por aquela vista. E agradeceu por ser na sua mão que Diana segurava. Porque depois do que Harumi havia feito saltando daquele penhasco e resgatando não só a Diana, como a própria Rhian, não restavam dúvidas do tipo de moça que ela seria. Era melhor do que Rhian, tinha plena consciência, mas Diana ainda a preferia. Desembarcaram no aeroporto e a primeira chuva de flashes aconteceu ali. O lugar estava cheio de jornalistas e fotógrafos e Rhian protegeu Diana e se deixou fotografar. Se alguém tinha que ser fotografada, que fosse ela, não queria o rosto de Diana estampando nenhum escândalo. A caminhada até o jato se fez ainda mais rápida e logo, já estavam dentro da aeronave, protegidas de flashes e perguntas inconvenientes. Almoçaram antes da decolagem, estavam famintos, ninguém ali havia comido nada, Rhian procurou sua advogada com os olhos, mas ela não estava por ali. Amelie apareceu pouco antes da decolagem, sentou à frente de Rhian, os bancos do avião eram assim, irregulares, uns de frente para os outros.

_ Onde você estava?

_ Almoçando com a..._ Maria de Vieiras entrou no avião e elas trocaram um olhar quase discreto. Quase_ Almoçando.

Rhian puxou Amelie para perto, arrancando um sorriso dela.

_ Eu estou presa e você está flertando com a delegada, é isso mesmo, porto-riquenha?

_ Não estou, porque você está presa, é antiético, mas quando você não estiver mais...

Rhian a soltou, voltando para o seu assento, olhou para Diana.

_ Eu quero a Isis de volta assim que possível, eu tenho certeza que ela não flerta enquanto pensa na minha defesa...

***

Isis estava uma pilha de nervos, Ariana pode observar. Desde que receberam a notícia que Rhian e Diana havia sido encontradas, que estavam bem e mais, que estariam ali de volta no dia seguinte. Era no dia seguinte, pronto, bastava amanhecer e Isis poderia abraçar e beijar sua irmã, poderia olhar e vê-la de perto, poderia senti-la, guardá-la, cuidá-la, por Deus, bastava amanhecer, bastava amanhecer. E Ariana estava do mesmo jeito, chorou descontroladamente quando ouviu que Rhian estava bem, que seria trazida de volta em segurança e agora estava ali, tentando acalmar seus sentimentos e sua ansiedade enquanto observava a noite na varanda sem conseguir parar de sorrir. Tudo havia dado certo no final das contas, e amanhã, poderia abraçar sua amiga-irmã novamente. Ariana não via a hora, e por isso não conseguia ficar quieta. Olhou pelas portas de vidro e viu Isis voltando para a sala, ela estava no celular, falando e chorando sem parar, não era a primeira vez que Ariana a via chorando, mas naquele choro compulsivo era a primeira vez. Voltou para dentro e ela havia acabado de desligar o telefone. Desligou, andou até Ariana, e a abraçou tão gostoso sorrindo em meio ao choro.

_ Ei, estava falando com quem?_ Perguntou, beijando-a na testa, guardando-a nos braços.

_ Com a minha mãe_ Ela disse, chorando um pouco mais_ Eu... Eu não tinha falado nada pra ela sobre esse problema da Diana.

_ Como assim não tinha falado nada?

_ É que a minha mãe_ Isis respirou fundo, tentando controlar o choro, sentou-se no sofá_ Eu sempre vi a minha mãe como uma fada, Ariana. Ela é uma fada pra mim, até os meus sete anos eu realmente acreditava que ela era uma fada, que havia escapado de uma das cachoeiras encantadas de Alto Paraíso depois de ter se apaixonado por um mortal como o meu pai_ Contou sorrindo_ Eu não quis preocupar ela. Não quis abalar aquela paz que ela tem que é tão rara neste mundo inteiro. Mas há uns dias atrás, eu não aguentei e liguei para o retiro de ioga onde ela trabalha e contei tudo, e eu acho que fiquei uma hora chorando no telefone e ela ficou uma hora inteira me acalmando, dizendo que Diana sempre havia sido iluminada, que as energias positivas que ela tinha a trariam para casa salva, e ela me disse que iria entrar em meditação, que enviaria luz, que teria uma conversa com universo para que tudo se resolvesse logo. Ela entrou em meditação de manhã, Rhian se entregou a noite. Ela é uma fada mesmo, não é?

Ariana abriu um sorriso, sentando-se ao lado dela.

_ Ela é uma fada, não tem discussão.

_ E faz tanto tempo que eu não me aproximo dessa fada... Eu não falava com ela há quase um ano, Ariana. E ela me atendeu como se tivéssemos falado no dia anterior, me chamou de filha, de amor da vida dela, eu não mereço. Mas a minha mãe-fada trouxe a minha irmã de volta pra mim.

Ariana a abraçou contra o peito, sabia do histórico de Isis com a mãe, elas pouco se viam, pouco se falavam, Hanna considerava Isis perdida de sua luz, mas aquele choro ali dizia a Ariana que não. Não há um ser vivo que não precise do amor de mãe. Uma mãe-fada nem se fala.

_ Eu não vou chamar você para dormir, tá? Porque eu mesma não vou conseguir.

Ariana riu.

_ Eu também não vou conseguir. O que acha da gente ficar aqui, vendo porcaria na tevê enquanto amanhece? Eu posso fazer uma sopa pra gente.

Isis olhou para sua garota.

_ Eu também não mereço você.

_ Você merece o mundo meu amor, merece o mundo_ Disse, olhando nos olhos dela, e então abrindo um sorriso completou_ E eu estou bem convencida de que mereço você_ Falou e Isis caiu no riso.

_ Ah, você está?

_ Muito convencida, mas muito mesmo. Você quer sopa de quê? Fala pra mim.

_ De... Lagostim?

_ Lagostim com capim-limão, você vai adorar...

***

O voo pareceu levar uma vida inteira. E Rhian estava fraca, cansada, sentia que precisava recuperar o sangue que havia perdido, mas de alguma forma, não conseguia. Viu Kiria pegando no sono, e Diana caiu no sono assim que decolaram, estava no colo de Rhian e não parecia ter energia para nada. Os agentes dormiram, os outros detidos também, Kesnar pegou no sono no meio do voo, mas Rhian não conseguiu. Não conseguia parar de pensar, sua mente não parava, seu coração também não. Lá pelo meio do voo, viu Harumi saindo de seu assento e indo até Kiria. A acordou, deu a ela o comprimido que Rhian havia receitado, estava na hora, e ali, no escuro, elas conversaram, tão baixinho que Rhian não podia ouvir. Mas nem precisava ouvir nada para entender que elas se atraiam de uma maneira quase não remediada. Elas se olhavam o tempo inteiro, e Harumi sentava ao lado dela de hora em hora. Era bom que assim fosse. Kiria precisava de uma boa moça para arrumar as coisas. Olhou para Diana. Tocou seus cabelos macios, tocou aqueles lábios lindos. Como Rhian queria que ela fosse feliz! E como queria poder ser o motivo dessa felicidade, como queria ser o orgulho dela, como queria poder andar ao seu lado sem dever nada a ninguém. Mas agora Rhian devia o mundo. E se perguntava se tinha virilidade o suficiente para pagar.

Precisava ter. Tinha que ter. Era o mínimo que podia fazer depois de todo aquele terremoto.

Diana acordou aos saltos! Porque havia amanhecido, porque eram as cores de seu país pela janela, acordou morrendo de fome, querendo comer o mundo e Andressa fez as vontades dela, afinal Diana estava detida, mas Andressa trocou seu café da manhã com ela, ajudou com os curativos de seus pés porque agora depois de doze horas de voo, o corpo de Rhian realmente estava sentindo o tiro, então Andressa penteou os cabelos de Diana, a ajudou com tudo e Rhian agradeceu. Seu corpo inteiro doía, seus pulmões ardiam, sua cabeça doía e o tiro... Não era que doía, era como se suas fibras musculares estivessem se desfazendo dentro do ombro. E deviam estar. O piloto anunciou o pouso no Santos Dummont e Rhian sentiu sua garganta fechando. Agarrou a mão de Diana de uma maneira diferente.

_ Ei, está tudo bem. Eu sei que a gente vai suportar tudo isso.

Rhian respirou fundo, e com muito esforço, moveu a mão até o rosto dela, que virou, deitando um beijo carinhoso em seu punho.

_ Você é o motivo pelo qual vou suportar. Eu prometo pra você.

O jato pousou. E quando aquela porta se abriu e Diana Ferraz desceu daquele avião, a expressão conexão humana teve que ser reescrita nos conceitos de quem ali estava.

_ Diana? Diana!_ E Isis furou o bloqueio policial e correu para sua irmãzinha, que esqueceu qualquer dor física e saltou no pescoço de sua irmã mais velha.

_ Isis! Isis!_ E Diana se agarrou em sua irmã e Isis a pegou num abraço de tirar do chão, tirar do mundo, de qualquer problema da vida.

_ Meu Deus, Diana, Diana!_ O choro escorria pelo rosto das duas_ Meu Deus Diana, eu não acredito, eu não acredito!

_ Isis, Isis...!_ Diana se agarrava em sua irmã, sentindo o cheiro dela, os braços dela em volta de si_ Eu te amo, eu te amo tanto...

_ Eu amo você, eu amo você demais... Acabou_ E ergueu o celular se pondo em quadro com Diana_ Mãe, acabou!_ Isis estava numa chamada de vídeo com sua mãe e foi outro choro quando Diana a viu_ Ela está aqui comigo, acabou, mãe, acabou!

 

Havia acabado. Ou será que só estava começando?

Notas finais:

Meninas, como vcs estão? Capítulo cheio de emoções, não é mesmo?! Momentos tensos, mas também várias situações lindas onde o bem querer falou mais alto. 

Já sabem o nosso esquema, certo?! Deixem seus emails e aí mandarei cenas de Isis e Ariana para vcs. 

Beijos 



Comentários


Nome: Photographer_SP (Assinado) · Data: 21/06/2017 12:08 · Para: Conexões Humanas

Oi Tessa! Capítulo para se ler com muita meditação, viu! E os nervos a flor da pele, menina como assim!? Andressa salvando as minhas heroínas!! :) Olha ela!!

Que amor, Diana cuidando do ferimento de sua Preta linda, e a Dra coordenando tudo, como sempre, né? O amor pode tudo, até fazer pessoas medrosas, se transformando em pura coragem. 

Andressa e Diana zerando o passado gosto assim!

Rhian e Kiria momento flashback, curti muito.

Agora o que parou o trânsito mesmo, foi a minha imaginação aguçada "saiu um avião de dentro do helicóptero" fiquei nesse cenário por alguns segundos! Ahahaha

Amei a reconexão de Isis com sua fada-mãe. Momento mágico pelo menos pra mim. Muita emoção. Brotaram lágrimas deste lado de cá. 

Enfim, acho que falei demais... Sorry

Parabéns Tessa! Amo suas narrativas, sempre com cuidado e carinho, sem deixar pontas soltas, amo Delirium de verdade!

Muito, muito obrigada!

E-mail para receber extras. Please! razaoevidasp@yahoo.com.br

Beijos



Resposta do autor:

Oieeee moça!

 

Andressa sendo a nossa heroína inesperada ♥

E Diana mostrando que Rhian é tudo, deixou para lá medo, inseguranças e literalmente, mergulhou atrás do seu amor ^^

 

E "Saiu um avião de dentro de um helicoptero" sempre será a melhor definição da Kes hahaha

Isis e a mãe-fada era uma doçura necessária depois de capítulos tão pesados como estes que tivemos, né

Obrigada pela sua leitura de sempre *.*

 

Beijinhos!



Nome: camilanew123 (Assinado) · Data: 26/05/2017 10:51 · Para: Conexões Humanas
Me envia o extra pfvr?

Camilanew123@hotmail.com

Obrigadaa

Resposta do autor:

Enviado!



Nome: LuccRocha (Assinado) · Data: 07/03/2017 13:29 · Para: Conexões Humanas

Olá, te escrevi uma solicitação anteriormente, mas notei que não coloquei o e-mail... então, agora o o email, te pesso a gentileza de me eviar o extra do capítulo 41...Gratidão.

paulalucena.x@gmail.com



Resposta do autor:

Extra enviado moça!

 

Espero que a leitura agrade, viu, pessoalmente é um dos meus extras preferidos :)

 

Beijos!



Nome: LuccRocha (Assinado) · Data: 07/03/2017 13:27 · Para: Conexões Humanas

Olá, Tessa, bom dia!

Passando pra te pedir o extra do capítulo 41.

Te sou muito grata pela atenção... Até breve.

Abraços.



Nome: brunafinzicontini (Assinado) · Data: 27/02/2017 01:40 · Para: Conexões Humanas

Olá, autora!

Tudo bem que você deixou claro, algumas vezes, que gosta de final feliz... mas, antes disso, você TEM que matar a gente do coração, não é? Foi o que fez comigo no fim do capítulo anterior e neste! Que sufoco, meu Deus! Felizmente, depois da tempestade... alívio!

Além de todo o suspense e emoção, sobejamente comentados por todas, há algumas passagens que me chamaram a atenção e gostaria de destacar, como a reflexão de Andressa: " Alguns amores simplesmente não são para serem nossos, ponto. Mas isso não impedia que um outro tipo de amor pudesse existir. " Temos que reconhecer que Andressa brilhou neste capítulo - não há como negar.

Outra passagem que me fez sorrir, imaginando a cena: "E foi quando olhou para trás e viu descer um avião de dentro do tal helicóptero. Era Amelie Kesnar em um terninho preto que fez Maria de Vierias ficar tonta." Essas caribenhas são demais!

Bem, entrei aqui somente para pedir o extra deste capítulo. Pode enviar, por favor?

Obrigada e um abraço,

 

brunafinzicontini@yahoo.com

 



Resposta do autor:

HAhahaha

 

O percusso foi longo até o final feliz, né rsrs

Um sufoco básico porque se for simples não é Delirium, mas o alívio não tardou a chegar tbem :)

Eu concordo com vc, Andressa brilhou neste capítulo, eu senti isso assim que comecei a escrevê-lo, era o capítulo da Andressa, o momento em que a gente veria o melhor dela, um amadurecimento, o crescimento da personagem ^^

 

E adorei que vc destacou o momento Amelie descendo do helicoptero hahahaha eu adorava escrever as entradas dela, pobre delegada, sofria nesses momentos rsrs

 

Seu extra já tinha sido devidamente enviado, estou voltando nas mensagens para bater mais papo com vc agora que tudo se acalmou por aqui ^^

 

Beijos!



Nome: menteincerta (Assinado) · Data: 17/02/2017 02:52 · Para: Conexões Humanas

Tess, como prometido vim comentar do extra Arisis!

Amei, amei, amei! Foi tão a cara delas! Da Ariana, principalmente, suave, doce. E saber um pouco da história da fiel escudeira do nosso herói foi ótimo. 

Ver a Isis amolecendo um pouquinho tbm naquele final... Lindo demais.

 

Bom, como continuo correndo atrás dos extras perdidos, e-mail aqui né kkkk

Natiele.egidio@gmail.com

 

Bjs e até mais



Resposta do autor:

Menina, acabei enviado o extra de novo, releva tá, ando meio perdida nos coments haha

 

O extra mostrou um pouco mais da Ari, e da Isis se descobrindo também, amolecendo, ficando de amorzinho com a médica dela, o romance transbordou total ♥

 

Beijos! Vou te enviando os extras ^^



Nome: mari86 (Assinado) · Data: 04/02/2017 21:03 · Para: Conexões Humanas

Oi,

Me envia o extra por favor.

Bjs mil!

mari86rangel@gmail.com



Resposta do autor:

Extra enviado! Boa leitura!



Nome: mabi (Assinado) · Data: 27/01/2017 23:52 · Para: Conexões Humanas

Preciso dizer que o meu coração quase salto quando a rhian caiu!? Meu Deus. Aquele cara deveria ter morrido, que raiva desse sujeito.

Amei a Andressa nesse capítulo, cheia de atitude é isso ai u.uO encontro da Ísis com a irmã que linda, a Maria dando 10 minutinhos pra Diana e a Rhian terem um pouco de paz, e a Andressa indo lá conversar com a kiria *---*


Momento facada *---*

mariasabrina.821995@gmail.com



Resposta do autor:

Oieee moça!

 

O mergulho da Rhian foi tenso né hahaha

E a Andressa mostrando a que veio, a bichinha é atrapalhada, mas tem coragem ♥ E tem amor, ela já estava louquinha pela Kiria, capitulo cheio de tiros, mas romantico tbem haha

 

Extra enviado! Na dúvida se já tinha te enviado... Se já, releve tá

 

Beijos!



Nome: Mariah (Assinado) · Data: 17/01/2017 20:04 · Para: Conexões Humanas

 Vc poderia publicar uma história do tamanho dessa só pra Amélie e Maria né ;-)

Extras plz! Falecommariah@gmail.com



Resposta do autor:

Amelie e Maria ♥

 

Se tornaram um dos meus casais preferidos, sabia? Dava um belo spin-off, como eu sempre digo, não descarto nada, por enquanto estou trabalhando em SAL, mas depois quem sabe? ^^

 

Beijos! Extra enviado!



Nome: Midnight (Assinado) · Data: 15/01/2017 22:12 · Para: Conexões Humanas

Tess, boa noite! 

Parabéns por escrever bem assim.

Minha imaginação voa com suas palavras.

Encantada por sua escrita.

Obrigada.

Extra por favor: midnightgirl009@gmail.com.

Beijos!

 



Resposta do autor:

Oieee moça!

 

Mais um extra enviado!

Privilégio proporcionar uma leitura tão boa pra você, obrigada pela sua leitura ♥

 

Beijos!



Nome: Cristine Caetano (Assinado) · Data: 10/01/2017 21:08 · Para: Conexões Humanas

Será que ainda posso ter a honra de ler mais um pouco dessa perfição??

mello-pam@hotmail.com



Resposta do autor:

Extra enviado!



Nome: _kuonganjo (Assinado) · Data: 09/01/2017 17:33 · Para: Conexões Humanas

Você poderia me mandar os extras, por favor?

 

laiine_moraes@hotmail.com



Resposta do autor:

Extra enviado!



Nome: LeticiaSilva (Assinado) · Data: 06/01/2017 03:14 · Para: Conexões Humanas

Poderia me mandar o extra por favor? Bjs.

 

leticiacsilva@ymail.com



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: mr_amanda (Assinado) · Data: 05/01/2017 03:49 · Para: Conexões Humanas

Olá!

Solicitando extra! rs

 

mr.amandacruz1000@gmail.com

 

Beijo



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: LiaB (Assinado) · Data: 04/01/2017 22:39 · Para: Conexões Humanas

heeeeeyyyy super gostaria de ler o extra de Arisis :D juliabea.costa88@gmail.com



Resposta do autor:

Extra enviado, moça, boa leitura!



Nome: Perroni91 (Assinado) · Data: 03/01/2017 16:35 · Para: Conexões Humanas

Oi.
Poderia me enviar esse extra por favor?
Obrigada  :)

marciasprates@hotmail.com



Resposta do autor:

Extra enviado, boa leitura!



Nome: Nany (Assinado) · Data: 02/01/2017 15:03 · Para: Conexões Humanas

Oi..

 

Gostaria de receber o capítulo extra...

araujoelaini@gmail.com

 

Desde já, obrigada...

 

Bjux...



Resposta do autor:

Oieee Nany!

 

Extra enviado, espero que a leitura agrade =)

 

Beijos! Obrigada pela sua leitura!



Nome: Saber (Assinado) · Data: 27/12/2016 00:40 · Para: Conexões Humanas

f.cpaula@hotmail.com



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: Mary (Assinado) · Data: 23/12/2016 16:20 · Para: Conexões Humanas

Manda o extra, por favor. 

mmary4999@hotmail.com



Resposta do autor:

Extra enviado! Desculpe a demora :/

 

Beijos!



Nome: Liana M (Assinado) · Data: 14/12/2016 08:10 · Para: Conexões Humanas

c.melo9@hotmail.com



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: tata_rj (Assinado) · Data: 09/12/2016 20:51 · Para: Conexões Humanas

Extras... Pleeeease, os extras! freitas.taize@gmail.com



Resposta do autor:

Extra enviado! Boa leitura!



Nome: Zuza (Assinado) · Data: 08/12/2016 23:38 · Para: Conexões Humanas

Me mande o extra daiane_zuza@hotmail.com



Resposta do autor:

Extra enviado!



Nome: vickviegas (Assinado) · Data: 08/12/2016 19:06 · Para: Conexões Humanas

Em lágrimas!!!!!

Falar sobre sua escrita diante de tudo que li, me tornará redundante. Contudo,  não me  importo. 

És espetacular!!!!

Muito obrigada. 

 

vickviegas200@gmail.com

 

At.te;  Drika 



Resposta do autor:

Muito, muito obrigada pela sua leitura, moça!

 

Fico feliz demais que tenha conseguido tocar os seus sentimentos através da escrita de Delirium ♥♥♥

Extra enviado, espero que a leitura tbem toque o seu coração ;)

Beijos!



Nome: Maria Flor (Assinado) · Data: 08/12/2016 06:18 · Para: Conexões Humanas

Oi, Tess!!

Cheguei no último capítulo de hoje, hehe.

Cara, amei mergulhar novamente nessa história. Já falei várias vezes, mas sempre dá pra repetir: que escrita, que dom!!!!

Nesse capítulo fechamos mais uma fase da história e partimos pra última fase, acredito eu. Vi que você já tá postando os últimos capítulos e vou ver se consigo ficar em dia até a próxima quarta. 

Ps: estou aguardando reviravoltas nessa reta final, lalalala.

Beijo grande!



Resposta do autor:

Agora é o último de verdade né haha

Eu só fico aqui imaginando que vc devorou umas 100 folhas de word só de uma vez, gosto assim haha

 

Vc tem toda razão, um fechar de fase acontece neste capitulo para irmos a uma nova, novas emoções, novos sentimentos, novos rumos, espero que goste das surpresas que tem pela frente ♥

 

Beijos!



Nome: Line10 (Assinado) · Data: 08/12/2016 03:01 · Para: Conexões Humanas
Parabéns autora historia maravilhosa Demorei mais consegui chegar antes do fim kkkk e agora só falta ler os extras rsrsrs super ansiosa

Sant_seya@outlook.com

Resposta do autor:

Extra enviado!



Nome: Anjo_steh (Assinado) · Data: 01/12/2016 03:59 · Para: Conexões Humanas

Olá, queria extra

Segue e-mail abaixo

Stefany.candida@gmail.com

 

 

Queria também te parabenizar novamente pelo.seu Talento /Dom 



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: miley (Assinado) · Data: 25/11/2016 22:05 · Para: Conexões Humanas

bonus do meu casal favorito.team arisis miley22martins@gmail.com



Resposta do autor:

Arisis 2.0 enviado para sua pessoa!



Nome: Chris V (Assinado) · Data: 24/11/2016 16:11 · Para: Conexões Humanas

A cada capítulo a gente se vicia mais!

chrisv_xxi@outlook.com

beijo



Resposta do autor:

Enviado!!!



Nome: Aelis (Assinado) · Data: 23/11/2016 19:00 · Para: Conexões Humanas

Extras Onegai shumassuuu! priscila.lucia@gmail.com



Resposta do autor:

Arisis 2.0 enviado!



Nome: melissa (Assinado) · Data: 18/11/2016 16:14 · Para: Conexões Humanas
vc pode por favor me mandar esse extra pra mim...
abacatebatido@gmail.com
obrigada...

Resposta do autor:

Enviado!



Nome: Rosecris (Assinado) · Data: 17/11/2016 20:02 · Para: Conexões Humanas

rcbbds15 @gmail.com bjs 



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: Liz Ferraz (Assinado) · Data: 16/11/2016 01:41 · Para: Conexões Humanas

Tess se for possível me manda o extra desse capítulo. 


Email: lise-gferraz@hotmail.com


Obrigada, beijo.



Resposta do autor:

Enviado, Liz!



Nome: BlackMoon (Assinado) · Data: 11/11/2016 20:20 · Para: Conexões Humanas

Me manda o extra, pleaseee!!

 

Besitos!

 

(liluoliveira@gmail.com)



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: ddlilith (Assinado) · Data: 10/11/2016 09:45 · Para: Conexões Humanas
sempre emoçao a cada palavra, e se torna muito viciante. Adrenalina a 1000.

extra extra

ddnay20@gmail.com

Resposta do autor:

Enviado!



Nome: Maria isabel (Assinado) · Data: 09/11/2016 03:42 · Para: Conexões Humanas

:) 

Email:maria.isabel.mi4123@gmail.com



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: jcv (Assinado) · Data: 07/11/2016 16:38 · Para: Conexões Humanas

jvc_jessicanf@yahoo.com.br



Resposta do autor:

enviado!



Nome: annacarol12 (Assinado) · Data: 02/11/2016 03:31 · Para: Conexões Humanas

Uma história muito muito muito incrível! Parabéns! annacarol02@live.com 



Resposta do autor:

Extra enviado moça!

Boa leitura!



Nome: Tini (Assinado) · Data: 29/10/2016 05:39 · Para: Conexões Humanas

Muito bom! Parabéns!

kobi.tini@bol.com.br

 



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: Erika57 (Assinado) · Data: 29/10/2016 04:05 · Para: Conexões Humanas

erika57@yahoo.com 

obg!



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: ACRC-REH (Assinado) · Data: 28/10/2016 22:40 · Para: Conexões Humanas

Gostaria muito do capítulo extra, e-mail: avlacli@hotmail.com



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: RosianeRPS (Assinado) · Data: 28/10/2016 20:29 · Para: Conexões Humanas

Boa tarde, não recebi o extra Arisis: "Amor cerebral 2.0"

 

rosiane.rps.20@gmail.com



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: salesbeta (Assinado) · Data: 28/10/2016 20:25 · Para: Conexões Humanas

Querida Tessa você poderia me enivar o extra Arisis " Amor Cerebral 2.".

Email:justinbeta@hotmail.com

 



Resposta do autor:

Enviado *.*



Nome: liamary (Assinado) · Data: 28/10/2016 00:48 · Para: Conexões Humanas

liamary21@outlook.com



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: Kah B (Assinado) · Data: 27/10/2016 22:42 · Para: Conexões Humanas

karolgb@gmail.com



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: MIhAlbuquerque (Assinado) · Data: 27/10/2016 18:37 · Para: Conexões Humanas

mirella_albuquerque1@hotmail.com

bjos



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: RosianeRPS (Assinado) · Data: 27/10/2016 18:17 · Para: Conexões Humanas

rosiane.rps.20@gmail.com



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: Rosie (Assinado) · Data: 27/10/2016 12:34 · Para: Conexões Humanas

Rosana.rib09@gmail.com

Obrigado:)



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: Celli (Assinado) · Data: 26/10/2016 05:52 · Para: Conexões Humanas

Quero todos os extra possiveis.

bom.ler82@gmail.com



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: Mari777 (Assinado) · Data: 24/10/2016 17:18 · Para: Conexões Humanas

Lembro que quis cometer assassinato quando o capitulo anterior acabou, ai vc postou esse e minhas tendências homicidas diminuíram, lá pra metade do capítulo já estava morrendo de amores de novo hahahahaahahah 

Ps: caso a autora tenha uma namorada tão ciumenta quanto a Diana foi só uma brincadeira rs

marinaeiras45@gmail.com

 



Resposta do autor:

Menina, mas me diz, aquela última frase não foi a coisa mais linda no capitulo anterior? hahahaha foi trágico, eu sei, mas foi lindo tbem rsrs

Esse relacionamento de amor e ódio com a minha pessoa acho que vem lá do capitulo 25, aliás, vc começou a ler quando a história já havia passado desse ponto né? Nunca recebi tantas declarações homicidas quanto no final daquele capitulo hahaha

Ps: A autora tem namorada, mas é tão dificil espremer ao menos uma gota de ciúmes daquela moça... Ela é nem ai para ciumes, super de boa, não te preocupes haha

 

Beijos!



Nome: BiancaLaneska (Assinado) · Data: 22/10/2016 05:15 · Para: Conexões Humanas

Oi pode me mandar o extra arisa amor cerebral 2.0?

Email: laneskka@gmail.com 

 

Obg (:



Resposta do autor:

Enviado, moça!



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.