O cotidiano do amor por Sorriso


[Comentários - 5]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

Escolhia uma roupa enquanto Luiz ainda não chegava, Virginia estava no telefone me pentelhando dizendo que ele não era um cara legal, ela parecia a minha mãe eu queria me acabar disse pra não se preocupar.

 

Ao ouvir a buzina do seu carro dou mais uma olhadinha no espelho, usei um vestido vermelho com um salto alto peguei uma minha bolsa é sai rumo a noite perfeita.

 

Ao sair me deparo com a porta da Vanessa meia aberta, como estava atrasada passei direito ao entrar no carro ele veio me beijar senti um gosto de álcool em seu hálito, partimos rumo a boate.

 

Eu sou uma mulher nova linda passar um sábado a noite em casa não estaria em meus planos, ao chegarmos ele foi pagar a comanda, estava lotada a musica que tocava era da lady gaga, fomos logo pra pista dancei até me acabar, entre uma música e outra seu corpo se encontrava em brasa sentia seu membro duro em meu bumbum, depois fomos pro bar precisava beber algo, pedi um whisky com gelo encontrei umas amigas é tentamos conversar em meio ao som alto.

 

 

-Cadê o boy ?

 

-Bem ali com os amigos, ele falava alegra mente com uns colegas enquanto eu tentava ao Maximo me controlar.

 

-Se deu bem hein ele é um gato.

 

Nós despedimos logo se aproximou falando umas besteiras em meu ouvido, bebi mais um pouco é o arrastei pro banheiro feminino eu já estava alta, entramos apressados num boxe, ele foi abaixando a calça e eu me ajoelhando pra lhe fazer aquele boquete, fiquei um bom tempo o estimulando com a minha língua sem me importar com quem estivesse ouvindo, não demorou muito pra ele gozar em minha boca dali fomos pra um hotel o restante da noite foi a mesma foda gozo é mais foda.

 

 

Acordei com uma puta dor de cabeça, olhei pro lado ele ainda estava dormindo e tudo rodava, ao me levantar tive que me segurar na parede para não cair.

 

Tomei um banho quente ao voltar pro quarto o chamei, demorou um pouco pro idiota acordar nos vestimos ao sairmos coloquei um óculos escuro no rosto, e seguimos caminhos diferentes.

 

 

Nota 8,5 anotei em minha agenda, minha barriga roncava não colocava algo nele a um bom tempo, comecei a andar tudo era perto menos a porra de um restaurante.

 

 

Uma mocinha me deu um folheto eu o peguei estava disposta a jogá-lo fora quando algo me chamou a atenção era um restaurante antes de virar a esquina do meu prédio.

 

-Graças a Deus!

 

 

Arrastei meu corpo até aquele lugar, ao entrar  me parecia um restaurante normal me sentei numa dessas poltronas de filmes americanos.

 

 

-Bom dia senhorita

 

 

Saco mais uma dessas - Eu vou querer um café é uma omelete disse rapido tentando me livrar da mesma.

 

 

-Temos vários tipos de omelete.

 

 

Olhei pra mulher a minha frente, ela estava sorrindo com o seu bloquinho e caneta pronta pra anotar algo mais.

 

 

-Eu estou com cara de quem quer ler uma porcaria de cardápio, traga logo o que eu pedi.

 

 

Ela saiu sem dizer nada, o lugar mal abriu é já contem  funcionários abusados.

 

 

 

Mexi no celular falava pras amigas como foi a noite com o Luiz dei uma nota 8,5 elas riram, minha cabeça pulsava  meu prato chegou dei graças a deus.

 

 

-Por conta da casa..

 

 

-Como? Levantei a cabeça me surpreendendo com Vanessa me olhando seria.

 

 

-Café luke Cage Omelete Capitão America Água do Aquaman é um remédio pra dor de cabeça.

 

 

-Trabalha aqui? Digo ainda surpresa, tiro os óculos olhando pros lados eu estava num restaurante com uma temática de super heróis.

 

 

-Não olhou o panfleto? Sua postura de garçonete não combinava nem um pouco com ela.

 

 

-Há não.

 

 

-você pega, mas não olha é o joga fora, é o que todo mundo faz disse sarcástica.

 

 

-Ficamos nós  olhamos por um tempo, logo o som do zap se fez presente me despertando é quebrando aquele contato.

 

 

-Aproveite o café da manhã, com licença assim ela caminhou em direção a cozinha.

 

 

Comecei a degustar meu café procurava ver ela novamente saindo pela  porta mas isso não aconteceu, estava tão delicioso que chamei a mesma garçonete.

 

 

-Eu vou querer esse mesmo omelete, é um sanduíche do Sheldon.

 

-Mais alguma coisa

 

-Uma coca do homem aranha, eu preciso falar com a Vanessa.

 

 

-Eu darei o recado e se retirou.

 

 

 

Meus pedidos chegaram antes da mesma, logo ela veio se juntar a mim  puxando uma cadeira.

 

 

-Sua patroa pode brigar digo a impedido de se sentar.

 

 

-Eu sou a patroa, se sentou dando um sorriso fraco.

 

 

 

-Nossa isso é incrível por que não me disse isso na sua casa, abocanhei aquele sanduba enorme estava uma delicia.

 

 

-Ficar me gabando do meu emprego, não é o meu ponto forte.

 

 

-Eu agi muito mal, disse após beber um pouco de coca.

 

 

-Não vou te ensinar a fazer o seu papel Renata, será que a noite de ontem foi tão boa que você perdeu um pouco da sua educação.

 

 

Realmente ela tinha descido pelo ralo daquele motel, eu estava mesmo levando uma bronca daquela mulher eu deveria me irritar é nunca mais olhar em sua cara.

 

 

 

-Você me parece tão diferente disse baixo.

 

 

-Todos nos somos, mas eu preciso manter uma postura no meu lugar de trabalho, não posso ser passional sempre se não as pessoas se aproveitam.

 

 

-Eu gostei do lugar disse olhando pros lados.

 

 

 

-Cada um faz a arte que  deseja...

Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.