Última noite de amor por Vandinha


[Comentários - 1262]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

 

Última Noite de Amor -- Capítulo 38

 

Alexandra amava tanto aquela mulher e se ela a amava realmente como dizia amar, nada no mundo iria afasta-la desse amor. Olhou para o mar, respirou fundo e olhando novamente para ela falou:

-- Prometo -- falou num misto de receio e ansiedade. Pelo nervosismo de Isabel, era óbvio que a conversa seria muito delicada. Ajeitou-se o melhor que pôde no banco e olhou-a atentamente procurando em sua fisionomia algum indício da conversa, mas o que conseguiu ver foi uma Isabel nervosa e angustiada. Então esperou que ela falasse.

Isabel sorriu de leve olhando para o chão. Estava buscando coragem para falar.

-- "Eu me sentia muito sozinha, minha mãe bebia e por esse motivo meu pai nos abandonou quando eu tinha dezesseis anos". Toda vez que ela começava a beber eu sentia uma coisa estranha no meu estomago, que dizia que algo não estava bem. Estava assustada demais para falar sobre isso com qualquer pessoa. Perguntava-me porque eu tinha uma mãe que bebia tanto, se eu tinha feito alguma coisa para fazê-la beber. "Nenhum dos meus amigos podia dormir em casa porque eu nunca sabia quando a bagunça iria começar".

-- Sinto muito Isa -- falou sinceramente.

-- "Não queria que meus amigos soubessem o que acontecia na minha casa e, além disso, quando minha mãe começava a beber eu nunca sabia o que poderia acontecer". "Não queria que ninguém soubesse como tudo ficava bagunçado quando ela começava a beber, eu me sentia envergonhada e acreditava que minha casa era realmente diferente das casas de todo mundo".

Seus pensamentos voltaram involuntariamente para casa, para a mãe.

-- Quando completei dezoito anos, eu saí do meu confuso lar.  Comecei a encontrar pessoas, umas boas, outras nem tanto. Foi nessa época que conheci um cara muito legal, bom de papo, compreensivo e que prometeu me ajudar no que fosse preciso, eu por inocência ou comodismo, sei lá, aceitei.

Alexandra a olhava com olhar curioso e sombrio. Não tirava os olhos de Isabel e escutava com temor tudo o que ela dizia.

Isabel tomou um gole do suco para molhar a garganta e se acalmar. Alexandra fez o mesmo.

-- O nome dele é Robson, o cara da praia.

-- Aquele que você encontrou por duas vezes e que estava te incomodando -- lembrou-se das vezes que Isabel sumiu durante os passeios pelo calçadão.

-- Esse mesmo Alex. Todos o conhecem como Bob -- prendeu uma mecha de cabelos atrás da orelha e respirou fundo antes de continuar -- Quero deixar uma coisa bem clara Xanda, nem minha mãe, nem o Bob, foram personagens principais nessa minha estória, os dois foram meros coadjuvantes. Como dizia Raul: É sempre mais fácil achar que a culpa é do outro. Não é mesmo? As consequências boas ou, mas são frutos de nossas escolhas. Eu assumo toda a responsabilidade por minhas escolhas e meus atos.

-- Tá Isa, o que você fez de tão grave, matou alguém? Fala logo, já estou ficando agoniada. 

Isabel deu um sorrisinho nervoso sem olhar para ela.

-- O Bob me apresentou a políticos, secretários do governo, fazendeiros, empresários, comerciantes, Juiz, desembargador.

Alexandra engoliu em seco, permaneceu calada, rogando a Deus para que seus pensamentos fossem apenas delírios de sua alma traumatizada pelo passado. Olhou para ela e piscou diversas vezes tentando entender, e depois riu sem graça para poder descontrair.

-- No começo não entendi o porquê de ter que andar toda na Romanel, cheirando a perfume importado. Até que um dia ele me apresentou a um senhor de idade muito educado, um amor de pessoa. Gostava de conversar, de ter uma companhia. Ele era um velho muito sozinho.  Eu o via como um vovô.

Alexandra ouvia com os olhos parados, ou olhando vagamente; às vezes.

-- Não fala mais nada Isa -- tentou se levantar, mas não conseguiu -- Não quero ouvir mais nada.

Ela olhou mais uma vez para Alexandra, buscando mais coragem.

-- Ele gostava de ver a casa cheia de mulheres. Para ele aquilo era legal. Era tanta falsidade. Pense. Mas ele se achava amado.

-- CHEGA! -- Alexandra berrou para ela -- Sai daqui!

-- Não Xanda. Você prometeu que ouviria, agora vai ouvir até o final. A verdade já esperou muito tempo à base de sofrimento para ser dita. Eu ia contar antes para você... Só estava buscando coragem.

Alexandra olhava para ela chocada.

-- Na primeira vez que estive na casa dele, junto com duas amigas, ninguém transou. O máximo que ele fez foi passar as mãos nos seios. Eram todas maiores de idade. Na casa dele tinha churrasco, bebida, podíamos fazer o que quiséssemos. Ele queria amizade, entendeu?

Tudo era dito por modo que doía na própria Isabel, e devia doer muito mais ainda em Alexandra.

-- Mas nem todos queriam apenas amizade e logo Bob começou a agendar encontros com executivos. O primeiro programa foi com um turista italiano.

-- CALA A BOCA ISABEL! -- Alexandra berrou e começou a socar o banco com força do tipo que parecia que ia destruí-lo -- ESTOU TE MANDANDO PARAR!

Isabel encolheu-se e chorou de terror ao ver o sangue escorrendo pela mão de Alexandra. Afastou-se mais ainda dela. Precisava continuar... Agora que começou iria até o fim.

-- No início, ficava o tempo todo apreensiva, temendo ser reconhecida. Na época estudava e se algum colega aparecesse? E se um dos professores descobrisse? Em todos os cenários, imaginava uma saída. Diria que a pessoa estava se confundindo. Ou que estava bêbada. Com o tempo, passei a torcer para que o cliente fosse casado e também estivesse fazendo algo escondido.

-- NÃO É POSSÍVEL! -- Alexandra bradou e começou a chorar copiosamente -- Não pode ser verdade meu Deus! -- colocou as mãos no rosto.

Alexandra estava indignada, desolada. Tudo estava acontecendo de novo. Ela não conseguia parar de chorar, e de se culpar por ter caído tão facilmente na lábia daquela mulher que imaginou ser a mulher de sua vida. Não conseguia explicar a si mesma o quanto essa constatação doía. Até chegou a acreditar nas palavras dela, e havia se declarado.

Um filme de terror estava passando em sua cabeça. Um filme antigo que estava quase esquecido em um cantinho do seu cérebro e que agora retornava devastador.

Isabel a fitava; estava pálida e tinha um ar de desespero. Mas decidida continuou mesmo ciente de que estava torturando a sua amada.

-- Já passeei de jatinho com clientes, rumo a destinos sofisticados, já conheci vários países. Mas nem tudo era glamour. Certa vez, sai com um publicitário com fama de violento. Ele abria o porta-luvas do carro e mostrou um revólver, como forma de intimidação, adorava contar histórias de pessoas que havia agredido. O glamour e o risco caminham juntos. Ao mesmo tempo em que passava finais de semana em hotéis luxuosos da Serra tomando espumante com turistas estrangeiros convivia com o medo de perder a vida ou ser maltratada por algum maluco.

-- Não quero saber de mais nada -- Alexandra continuava em seu choro convulso, já agora com a cabeça quase entre os joelhos -- Por favor, me deixa.

-- Me perdoa Xanda, mas tenho que continuar.

Alexandra tentou se levantar e sair, mas se desequilibrou. Isabel tentou ajuda-la e levou um empurrão, como estava desprevenida quase caiu.

-- Não toque em mim. Eu não admito que você ponha essas suas mãos imundas em mim -- sentia decepção, sentia ódio por ter sido usada, ódio por ter sido enganada, ódio por ter se mudado por uma prostituta -- Eu não preciso de você.

-- Eu te amo Xanda! Só queria ser feliz e viver um grande amor com você -- falou em prantos.

-- Você é uma grande mentirosa -- olhou nos olhos de Isabel. Não conseguia acreditar que eles realmente estavam mostrando a existência de algum afeto, mesmo com ela mentindo tanto -- Você queria dar algum tipo de golpe em mim? É isso?

-- Não... Foi tudo uma grande coincidência. Não premeditei nada... Juro -- Os olhos verdes de Alexandra faiscavam. Agradeceu a Deus por ela não conseguir andar -- No mesmo dia que você saiu do hospital, eu estava retornando de Angola. Fui contratada para acompanhar um empresário em uma viagem de negócio... O que eu não sabia era que...

Isabel já havia perdido as contas de quantas vezes havia contado aquela estória, mas dessa vez era diferente. Estava contando para a pessoa com que realmente ela se preocupava que entendesse que acreditasse que a compreendesse, então contou de corpo, de alma e coração.

Alexandra ouvia tudo de cabeça baixa, inerte e calada. Os olhos verdes, muito abertos e fixos no chão.

-- Não sei te dizer ao certo qual foi o momento que me apaixonei por você, porque tenho a impressão que já te amava antes de te conhecer -- não conseguia olhar para mais nada no mundo a não ser para o rosto de Alexandra. Sua face era um semblante de uma tristeza tamanha. Isabel percebia o seu desespero e tentava decifrar os seus pensamentos -- Eu estou disposto a largar tudo para ficar com você. Quero casar contigo, ficar para sempre com você -- desabafou.

-- Como eu posso acreditar e confiar em alguém que mentiu tanto? Minha mãe mentiu para o meu pai e o levou a morte. Morreu por amar e confiar em alguém que nunca conseguiu deixar de ser uma mulher promiscua -- falou rancorosa e profundamente magoada.

-- Não sou a sua mãe Xanda.

-- Claro que não. Minha mãe ao menos não deixou meu pai se apaixonar para depois contar. Eu me apaixonei por uma mulher de família, boa filha, um exemplo -- riu de forma irônica -- Como fui idiota.

Isabel sabia que não seria fácil. Entendia toda aquela revolta, as suas razões. Desde que conheceu Alexandra se equilibrava nesta rede de mentiras cotidianas e agora se preparava para dar o golpe final.

-- Tem mais uma coisa Xanda -- olhou para o mar azul a sua frente, sentiu que era uma afronta mirar seus olhos verdes -- Um de meus ex-clientes é um velho conhecido seu.

Alexandra levantou a cabeça e a encarou duramente, os olhos inchados e vermelhos.

-- O Gustavo Xanda. O Gustavo foi um de meus clientes.

A reação de Alexandra foi a esperada. Ela jogou o copo de suco que estava na mesinha em cima dela.

-- Já perdi tempo demais com você aqui -- berrou -- Sai da minha frente.

-- Xanda... -- Isabel insistiu, mas ela se recusou a ouvir.

Jogou a jarra, o vaso, a toalha, a mesa.

 

 

No Leblon.

 

Tatiana contava as novidades para Valéria.

-- Agora elas estão lá na ilha. Há essa hora já devem ter se matado.

-- Credo Tati.

-- Verdade Mone, ou você pensa que a Alexandra vai aceitar as mentiras da Isabel numa boa? Até parece que você não conhece ela.

-- Nesse ponto a Tati tem razão Simone. Alex tem um gênio de cão -- Valéria se mostrou preocupado com a situação -- Espero que a Isabel saiba como domar a fera.

-- A Isabel já enfrentou situações bem mais complicadas e perigosas. Não vai ser uma Patricinha metida à mafiosa que vai botar medo nela.

-- Sei não Mone..., mas em todo o caso vamos ter que esperar esses três dias para depois voltarmos para ver o que sobrou delas -- Tatiana encerrou o assunto com um sorriso amarelo -- E vocês? Como se saíram lá em São Paulo?

-- Foi muito bom. Gravamos cinco músicas. Semana que vem voltamos para gravar as que faltam.

-- Tem alguma previsão de quando será o lançamento do CD?

-- Ainda não Mone. Com o acidente da Alexandra muita coisa ficou parada inclusive lá na boate. Espero que ela volte logo e tome frente aos negócios. Sabe como é né, o gato sai o rato faz a festa -- Valéria olhou para os lados e pigarreou -- Onde está a Janaína?

Simone olhou para Tatiana franzindo as sobrancelhas, como se lhe mandasse ficar calada, mas não adiantou.

-- A Jana foi ao cemitério. Não sei o que ela vai fazer lá, pois a Giovana não sai daqui.

-- Meu Deus Tati como você é insensível.

-- É só eu virar as costas um pouquinho e a Jana me trai com a falecida -- falou em tom de brincadeira, mas por dentro estava muito irritada.

 

 

Na ilha, Alexandra continuava sentada no banquinho, sem vontade, ou sem forças, enfim, sem ânimo algum.

Como podia imaginar que a mulher mais carinhosa que já conheceu. Tão meiga no íntimo como na aparência. Calma, sensata, sedutora, decidida e segura, fosse na realidade, uma garota de programa. Mal terminou esse pensamento estava chorando. Isabel emanava uma aura de recato e inocência simplesmente irresistível. Ela era uma tentação à qual se permitiu sucumbir sem restrições.

Alexandra deu uma risada triste.

-- Perfeita demais para ser real. "O amor não machuca. O que machuca é a traição, a mentira, a decepção". Bárbara Coré.

 

 

Isabel caminhava ao longo da praia. As ondas quebravam na praia, e as nuvens corriam contra o azul do céu. O vento assobiava em seus ouvidos e secava as lágrimas que rolavam pelo rosto.

Percorria a extensão da praia, volta e meia se abaixava para recolher uma conchinha.

Olhou na direção do horizonte distante e depois na direção da casa onde Alexandra estava e sorriu. O que ela estaria fazendo? Segurou o cabelo, o vento estava bem forte, se sentia tão agitada e inquieta como o ar.

Isabel parou para observar uma garça branca que mergulhou no mar, pescou um peixe e veio comer na beira da praia. Outra garça que estava por alí voou até ela, roubou o peixe e como se não bastasse, ainda deu várias bicadas na coitada.

-- Espertinha -- falou sorrindo -- Quando sentir fome novamente vai precisar dela. Aí quero ver -- De repente um pensamento maldoso passou por sua cabeça e a lembrança de uma frase dita por Alexandra retornou clara em sua mente:

-- "Eu não preciso de você".

-- Hum... Será dona Alexandra?

 

 

Na casa, Alexandra se virava como podia. Sentada na cadeira examinou toda a casa. Estava tudo deserto, nenhuma movimentação.

Procurou por seu celular e nada. Incluiu mais uns dois nomes na sua lista de pessoas a serem assassinadas com requintes de crueldades e guiou a cadeira em direção à saída da casa. O primeiro da lista era Gustavo. Esse sim fazia questão de tortura-lo pessoalmente.

Assim que chegou a porta deu de cara com Isabel que entrava.

-- Olá, vai dar uma volta? -- falou com a maior cara de pau -- Se está pensando em voltar nadando para o Rio... Acho melhor adiar para amanhã -- olhou para o mar e depois para Alexandra -- Está se formando uma bela tempestade.

Falou e entrou cantarolando. Alexandra estava vermelha de raiva. Que fulaninha abusada. Pensou irritada. Olhou para o céu e fez uma careta.

-- Era só o que faltava meu Deus! -- fez cara de choro.

 

 

-- Duas coisas que a poderosa prefere morrer a enfrentar: Viajar de avião e trovoada -- André jogou a bolsa sobre o sofá e foi até o bar pegar uma bebida -- Quer uma bebida amor?

-- Quero amor. Todos têm um ponto fraco, não é mesmo?

-- Mas o dela é pavor. Chega a dar dó. Certo dia ela me falou que só viajaria de avião se fosse dentro da caixa preta.

-- Que exagero André -- Valéria falou sorrindo -- E a festa da Policia Federal? Ficou para quando?

-- Semana que vem, na sexta-feira, para ser mais exato. Estou preparando a festa do século para aqueles bofes lindos. Com direito ao melhor show de Cross-dressing da América Latina.

-- Hííí... Isso não vai prestar -- Tatiana balançou a cabeça -- Alexandra vai te matar pela segunda vez.

-- Nem me diga. Só de pensar já fico todo arrepiado -- mostrou o braço para todos os presentes -- Mas aqueles bombados não me enganam. Pra mim homem que chega aos 40 anos de idade sem barriga, pedi caipirinha com adoçante, tem como bicho de estimação um gato, come bolo em festa de aniversário e pedi bebidas com nomes exóticos tipo: Sex on the beach, Dry Martini, Bloody Mary... É VEADO! Homem que é homem pede Vodka, Pinga, Whisky, Conhaque. Cerveja muita cerveja! Detalhes em copo de homem são: limão, gelo ou palito, dependendo da bebida. Canudinho e guarda-chuvinha nem pensar. Coisa de veado!

-- Olá meus amores! -- Janaína acenou para todos e deu um selinho em Valéria -- Como foi a gravação do CD?

-- Foi bom. Temos que voltar para finalizar, mas já demos um belo começo.

-- Que maravilha. Estou tão ansiosa -- sorriu feliz, o que deixou Valéria muito animada -- E então alguma novidade das nossas meninas?

-- Hoje passei o dia me estapeando.

-- Porque André? -- Simone olhou para ele curiosa.

-- Como eu não pensei em espalhar câmeras por toda ilha? Não me conformo. Agora estaríamos aqui comendo pipoca e assistindo ao nosso próprio BBB.

-- Big Brother Brasil?

-- Não. Bobonas batendo boca. Ai como sou burra!

 

 

Isabel abriu os armários procurando pelas panelas. Deu um sorrisinho cheio de maldade. Faria a melhor e mais cheirosa macarronada de todos os tempos. Alexandra deve estar morta de fome. Ela não havia comido nada a manhã inteira.

-- Vamos ver Xandinha quanto tempo você vai suportar sem precisar de mim.

 

 

 

 

 

 

Garotas entre 12 e 18 anos representam 40% do número de prostitutas no Brasil. João Pessoa, capital da Paraíba, é a cidade brasileira com maior número de adolescentes envolvidas na prostituição, 25% delas fazem sexo unicamente para manter o vício em drogas, o restante usa o dinheiro para dos programas para reforçar o orçamento familiar e a grande maioria delas tem o aval da família que dizem não ter outra opção para sobreviver.

http://www.recantofonteluz.com.br/488-da-prostituicao-no-brasil-e-motivada-pelo-uso-de-drogas

http://www.nacoa.com.br/so-para-criancas/carta-para-filhos-de-alcoolatras-e-dependentes/carta-de-um-filho-adulto-de-alcolatra

http://zh.clicrbs.com.br/rs/vida-e-estilo/noticia/2015/02/como-e-a-vida-dupla-das-garotas-de-programa-de-luxo-4700175.html

http://www.clickgratis.com.br/piadas/bichas/os-12-sintomas-de-viado-.html#ixzz3zCjnBDlC

 

 

 

Nome: rhina (Assinado) · Data: 21/05/2018 15:03 · Para: Capitulo 38

 

Tudo jogado aos ventos.....

A traição. ....mentira......decepção. ....isso sim machuca 

Uma Mulher que nunca deixou de ser promíscua. ....esse é o verdadeiro pesadelo da Alex.....

A intenção de entrar na relação com único objetivo de se beneficiar. ...sem.amor somente ganância. ....aí a traição. ...mentira.....decepção mata.

Rhina



Nome: SSenseiGabii2 (Assinado) · Data: 03/01/2017 00:19 · Para: Capitulo 38

Kkkkkk operação reconquista começou!  :' )



Nome: lucy (Assinado) · Data: 20/07/2016 02:28 · Para: Capitulo 38

infelizmente são estatísticas tristes affz 

a conversa entre Alex e Isa é bem dificil, não foi e nem é fácil 

pra nenhuma das duas.....

fiquei besta com a reação de Janaína dando selinho em Valéria

pois achei que ela iria colocar Valéria no mesmo patamar que a vagaba da

Valentina, 

estou curiosa com essa macarronada , adooooro !! tadinha da Alexandra triste arrasada

com foooome e querendo resistir a Isabel seu mel kkkkkk

mas espero que ela não sofra tanto e pense reveja seus sentimentos e seu coração e

o Amor tudo supera, espero que ela vença essa luta que ela está travando primeiramente

com ela.......a hora que ela aceitar , tenho certeza que o que menos vai importar é a opinião dos outros...

e aí meu bem.......se segurem pois as estruturas vão abalar.........

bjs amando esta estória é....NOTA MIL !!!!!



Nome: darque (Assinado) · Data: 05/02/2016 19:26 · Para: Capitulo 38

Van,

Parabéns! Mais uma vez voce se superando, uhru!

Esses tres dias serão interessantes!

bjs

darque



Resposta do autor em 05/02/2016:

Olá Darque.

Obrigada. Com certeza serão muito interessantes. Bjã.



Nome: NatySilver (Assinado) · Data: 05/02/2016 18:46 · Para: Capitulo 38

Sério a Isa é muito corajosa porque eu acho que a Alex deve ser assustadora quando tá com raiva kkkkk

O comportamente da Janaína me pareceu bom nesse capítulo, não acho certo a Valéria ficar irritada com o fato dela visitar o túmulo da Giovanna, querendo ou não, ela tem que aceitar que perder alguém é como perder uma parte de si mesma.

Tenho certeza que quando o Bob ou o Gustavo tentar algo para machucar a Isabel a defesa que a Alexandra tá tentando construir vai desmoronar de uma vez só.

----------------------------------------------------------

Eu imagino que você deve me chamar de chata mentalmente, masss porrr favorrrzinho não demora pra postar o próximo kkk amo muito, muito mesmo essa história.

 



Resposta do autor em 05/02/2016:

Naty não te acho chata. Kkk... Só ansiosa. Bem, em todos casos... aí está o próximo cap. já está pronto. Bjã.



Nome: JanBar (Assinado) · Data: 05/02/2016 05:51 · Para: Capitulo 38

Vandinha, parabéns o capítulo ficou ótimo!

Quero só ver a Alex precisando da Isa! Kkk...

Essa vai ser boa! :-)  Bj, Jan



Resposta do autor em 05/02/2016:

Brigaduuu... Bjã.



Nome: patty-321 (Assinado) · Data: 04/02/2016 20:43 · Para: Capitulo 38
”timo. Esperada a atitudr de xanda. Resta a isa conseguir provar nestas poucas horas q e verdadeiro o amor p xanda. Bj

Resposta do autor em 05/02/2016:

Valeu Patty. Obrigada. Bjs.



Nome: graziela (Assinado) · Data: 04/02/2016 19:27 · Para: Capitulo 38

Amei.  Parabéns ficou sensacional.  As reações que eram esperada. 

As loucuras da turma fora da ilha. 

E quase tivemos um BBB-16 na ilha então.  😂 😂 😂 

 

Aguardar a Alexandra não resistir logo a Isa. 



Resposta do autor em 05/02/2016:

Obrigada Graziela. Continue comigo. Bjã.



Nome: kikapaula (Assinado) · Data: 04/02/2016 18:36 · Para: Capitulo 38

bom a boba esprodil vamos ver quem juntara os pedasos de quem e como esta historia va termina estou adorando tudo vandinha



Resposta do autor em 05/02/2016:

Valeu Kika. Obrigada por sempre comentar. Bjã.



Nome: Mille (Assinado) · Data: 04/02/2016 17:05 · Para: Capitulo 38

Ainda bem que a Alex está distante e para sair de lá precisa nadar, a reação foi o esperado seria até atípico se ela não demonstrasse raiva, mágoa, já que ficará comparando o caso da Bel com a mãe.

Essa tempestade será um jeitinho a mais da Isa demonstrar o que sente por ela, e se for a caso as duas não se resolverem na ilha, creio que a Alex movera céus e terra para salvar a Bel, já que o sem vergonha dp Gustavo entregou a Isa para o Bob, e esse já deve está de tocaia para pega-la.

A Jana me surpreendeu pelo seu jeito demonstrando ao reencontrar Valéria.

Bjus querida Vandinha vc é o máximo. 

Fica com Deus



Resposta do autor em 05/02/2016:

Obrigada meu anjo. Você que é demais. Bjã.



Nome: lia-andrade (Assinado) · Data: 04/02/2016 16:31 · Para: Capitulo 38

Perfeito. Agora só quero ver o que Isa irá aprontar para ter Alex de volta. Kkk 

Essa reação explosiva Alex  era o de se esperar.

Beijos 



Resposta do autor em 05/02/2016:

Olá Lia. Obrigada pelo comentário. Bjã garota.



Nome: NayGomez (Assinado) · Data: 04/02/2016 16:19 · Para: Capitulo 38

Wow sabia que a isa não vai desistir, e a Alex não vai resistir então por favor não deixa a Alex ir embora da ilha antes de fazer as pazes com a bel plis....  Ainda quero ver a  Alex dar uma surra no Gustavo Mew eu preciso disso,  a Alex tem que se libertar do Gustavo suas Chantagens. 

 

 



Resposta do autor em 05/02/2016:

Olá Nay. A Alex também está louca para dar uma surra no safado. Pode ter certeza. Bjã.



Nome: jull (Assinado) · Data: 04/02/2016 16:18 · Para: Capitulo 38

Vandinha vc arrasou como sempre 👏👏👏👏👏

A reação  da Alexandra  foi muito verdadeira e a Isabel teve coragem  e foi forte pra contar tudo até o fim.

Agora   esperar o coração da Alex falar mais alto e sentir falta dos carinhos da Isa 😊😊😊😊

E o bando de loucos segue ótimos 😂😂😂😂😂eles dão o contrapeso  perfeito a história .

Só na espera da rendição da Alex 😍😍😍😍😍😍

 

Bjos 



Resposta do autor em 05/02/2016:

É isso aí garota. Brigadão. Bjs.



Nome: Taypires (Assinado) · Data: 04/02/2016 15:47 · Para: Capitulo 38

👏👏👏👏👏 aguardando pelo próximo capítulo.



Resposta do autor em 05/02/2016:

É isso aí garota. Bjã.



Nome: Baiana (Assinado) · Data: 04/02/2016 15:45 · Para: Capitulo 38

A reação da Alex foi a esperada. Raiva, decepção, tristeza...

Mas o amor tudo suporta, tudo perdoa e nada como uma tempestade para agilizar essa reconciliação kkkkkk 

Ou ela vai continuar bancando a durona e só vai acordar para a vida quando o Bob pegar a Isa e ela tiver correndo perigo?



Resposta do autor em 05/02/2016:

Olá Baiana. Valeu pelo comentário. Bjã.



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.