Delirium por TessaReis


[Comentários - 2880]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

Capítulo 36 - Os Motivos de Diana

 

Diana não conseguiu entrar no apartamento por uma semana. Estava sem chaves e Rhian se recusava a abrir a porta, se recusava a falar com ela e levou muito tempo até para Diana entender o motivo daquilo tudo. “Você deixou ele fazer uma cena no caixão da minha mãe!”, era por isso, era tudo por causa disso. Rhian considerou uma traição, traição não só de Diana como de todas as suas amigas que a tiraram dali, que a fizeram se calar, que permitiram o show de Joseph Laham diante da imprensa. Diana ficou no apartamento de Ariana apesar de todos os dias acordar e ir atrás de Rhian, ir espancar aquela porta. Queria respeitar o tempo de Rhian, mas ao mesmo começou a temer o que ela poderia fazer sozinha contra si mesma. Foi horrível. Diana ficou sem uma peça de roupa sua, sem seu celular, escova de dentes, sem nada e ainda por cima estava muito preocupada com Rhian e sem ter certeza de como deveria agir. No Natal, foi para a porta dela e implorou que Rhian dissesse alguma coisa. Ela não disse, mas Diana pode ouvi-la soluçando. Ela estava sentada encostada na porta, chorando.

_ Rhian, por favor, a gente não pode mais ficar assim. Eu não estou acostumada a ter mais que a sua pele me separando de você_ Diana também chorava_ Eu sei que não faço ideia da sua dor, mas eu quero carregar ela com você. Você não tem que fazer isso sozinha, eu sou sua mulher, você não pode se desfazer de mim assim.

Diana ouviu mais soluços. E ouviu a tranca cedendo. Era Rhian abrindo a porta e se jogando em seus braços. Ela a abraçou muito forte, chorando em seu ombro, sentindo o cheiro de sua Diana, Rhian estava louca com ela, mas ficaria louca de verdade se passasse mais um dia longe dela. Diana improvisou uma ceia e se deu conta que seria mais um Natal assombrado por algo ruim. O apartamento estava absurdamente arrumado, o que a assustou mais do que se houvesse encontrado o contrário, mas não se importou. Fez um jantar que comeram na varanda e Rhian parecia faminta, era provável que ela pouco houvesse comido naqueles dias, Rhian estava abatida, com os olhos fundos e bem mais magra. Mas não importava, Diana cuidaria dela, cuidaria de tudo, e em algum momento, as coisas iriam melhorar.

Dormiram juntas, agarradas e foi maravilhoso para Diana estar de volta ao seu quarto, ao seu banheiro, à sua mulher. Fez compras no dia seguinte, não havia mais nada no apartamento, trouxe Ariana para examinar Rhian apesar dela não querer. Ela estava bem, precisava se nutrir corretamente e tudo deveria ficar bem. Passaram o réveillon dentro do apartamento, tal como todo o mês de janeiro e também o carnaval. Trancadas e sozinhas, porque Rhian recusava a ver qualquer pessoa que fosse. Não queria sequer ouvir falar no pai, as flores de pêsames que recebeu dos colegas de classe ela sequer agradeceu e as amigas mais próximas simplesmente dizia que não queria mesmo ver ninguém, que não viessem. Ariana não se importou e ia vê-la todos os dias, assim como Amelie também fez visitas, Michelle e Chantel também vieram e outras moças do Caribe e Rhian agiu da mesma forma com todas: fingiu que elas não estavam ali. Mas não era exclusividade delas, Diana havia passado para o lado de dentro da porta, mas se sentia mais ignorada do que do lado de fora. Rhian estava ali, e haviam dias bons em que ela acordava e Diana ganhava um beijo e braços para passar o dia no sofá. E então haviam dias terríveis em que Rhian sequer saia da cama. Ela não chorou mais desde o Natal. Suas lágrimas pareciam ter secado e ela só conseguia chorar por dentro. Ou será que sequer por dentro não conseguia chorar? Diana sabia que Rhian sentia culpa. Culpa pelas brigas com a mãe, por ter parado de falar com ela, por não ter atendido os três telefonemas que ela fez de Santa Catarina, por ter julgado Marina tanto. E então sentia raiva. Raiva pela postura do pai diante da imprensa, a morte de Marina havia jogado ainda mais holofotes sobre Joseph Laham e ele de alguma forma, estava conseguindo virar tudo a seu favor, o que deixava Rhian mais furiosa ainda. Ele não procurava por ela. Sabia que não deveria procurar, mas ligava para Diana todos os dias. Queria saber como Rhian estava, perguntava se precisavam de dinheiro, não, Diana só precisava de paz. E paz seria a única coisa que ela não teria naqueles próximos meses.

Rhian se recusou a voltar para a faculdade quando as aulas retornaram. Ela havia se negado a fazer rematrícula, mas Diana fez por ela, achou que aquele comportamento negativista passaria logo, mas a verdade é que não passou. A verdade é que já haviam passado mais de quarenta e cinco dias desde que tudo aconteceu e todas as coisas que haviam mudado, haviam mudado para pior. Diana enfrentou dias de silêncio absoluto. Rhian simplesmente se fechou, não dizia nada, não respondia a nada e quando Diana tentava se aproximar mesmo em silêncio, ela se afastava, mudava de cômodo e houveram dias em que Rhian se trancou no quarto de hóspedes e Diana não fazia ideia do que acontecia lá dentro. Deixava a comida na porta, às vezes Rhian comia, às vezes não, Michelle se despediu pela porta quando precisou voltar para as Bahamas, ela deu como desculpa os negócios da família, mas Diana sabia que não, ela ficaria o tempo que fosse necessário, mas Rhian estava recusando este tempo, então, era melhor simplesmente ir embora. Chantel foi embora com ela, os amigos da faculdade até fizeram uma visita surpresa antes do Carnaval que Diana teve que fazer sala sem saber direito o que dizer. Rhian estava trancada no quarto de hóspedes há três dias, Diana não a via, não ouvia a voz dela, ela não queria ver ninguém, mas não podia dizer uma coisa assim. Foi constrangedor, para as visitas, para Diana e ela não via a hora que todos fossem embora. Diana desabou aquela noite. Chorou sozinha na cama pensando em toda aquela situação, era desolador. Sempre que tinha algum problema com Rhian era para Marina que corria, que pedia conselhos, e agora estava ali naquela situação sem ter ideia do que fazer. Deveria forçá-la a melhorar, dar espaço para que ela melhorasse sozinha? Não fazia ideia. Dormiu aos soluços e quando acordou, tinha os braços de sua namorada em volta do seu corpo. E chorou mais.

Rhian quebrou aquele silêncio todo e acalmou Diana. Ficaram ali na cama, bem perto uma da outra, se olhando nos olhos, conversando baixinho. Rhian ligou a banheira e tomaram um longo banho juntas e ficar nos braços dela foi a melhor sensação que Diana havia tido desde a formatura. Rhian a levou para almoçar fora, num restaurante na Lapa que adoravam e tudo foi muito bom, foi leve e Diana teve todo o cuidado para não tocar em assuntos complicados que pudessem estragar aquele dia. Pegaram uma praia em seguida, uma praia de boas ondas para surf, e quando Diana a viu alugando uma prancha, ficou mais do que feliz. Rhian surfou por quase duas horas e quando saiu do mar, o sol estava se pondo e ela beijou Diana de uma maneira que lhe deu esperanças. Assistiram ao pôr do sol e quando voltaram para o apartamento fizeram amor. Acordaram na manhã seguinte com alguém batendo na porta, e era Amelie. Ela havia descoberto que Rhian ainda não havia voltado para as aulas e a briga foi extraordinária, foi intensa, houveram dedos em riste e contatos físicos que assustaram Diana. Kesnar falou um monte de coisas, disse que já havia passado da hora de Rhian reagir, que ela estava sendo mais mimada do que o habitual, que o mundo estava desabando lá fora, enquanto Rhian se escondia e foi Diana quem teve que encerrar aquela discussão ou não sabia bem como tudo aquilo terminaria.

_ Você está errada! Está ajudando ela a se enterrar!

_ Você não está aqui, Amelie! Você não está com ela vinte e quatro horas, eu tive um dia de gente em meses e você vem aqui estragar tudo isso!

_ Vai ficar vivendo por um dia bom, Diana? Todos perdem pessoas que amam, é como a vida funciona, eu já perdi a minha mãe, meus avós e tudo continua! O mundo não para porque você está sofrendo, ainda que você seja Rhian Kier.

Diana olhou bem para ela sabendo que havia razão no que ela dizia.

_ Você não vai embora, não é?

_ Ela não me quer aqui. Eu a amo, mas não consigo ficar aqui vendo ela se afundar sem fazer nada.

Ela foi embora. Deixando Diana sozinha no olho do furacão. Rhian estava enfurecida outra vez, enfurecida pelas notícias que Kesnar havia trazido, o testamento havia sido lido e todo o dinheiro lícito de Marina Kier, aquele proveniente das fazendas em Santa Catarina estava no nome de Rhian, ela havia deixado tudo para a filha com uma única restrição: ela só poderia receber quando se formasse. E Joseph não esperava por aquilo, Romeo esperava menos, as investigações do acidente estavam sendo quase concluídas como de fato um acidente, não havia sido provocado e Rhian não acreditava, não conseguia acreditar. E o problema do funeral retornou, as acusações contra Diana, ela havia deixado o pai fazer as cenas dele em cima do caixão de sua mãe, havia deixado junto com aquelas que se diziam suas amigas e a noite terminou com uma porta batendo entre elas. E dali para frente, foi ladeira abaixo.

As contas de Rhian continuavam todas bloqueadas para investigações e ela simplesmente parou de se preocupar com as cobranças que chegavam. Diana teve que tomar a frente das contas da casa, passou a monitorar os aluguéis, a tomar conta das casas, tiveram dificuldades em Búzios, os locadores estavam causando muitos problemas para os vizinhos e Diana teve que ir até lá sozinha porque Rhian se recusou, teve que expulsá-los e a casa estava destruída, imunda, com móveis quebrados ou mal cuidados, e na frente das contas, Diana pode entender parte do desespero de Rhian. Tudo era expansivo demais, o seguro e o IPVA do carro, as contas do apartamento, água, luz, condomínio, taxas urbanas, contas anteriores, cartões de crédito e quando um pneu do Audi estragou e ela saiu da oficina com quase três mil reais a menos na conta foi demais. Michelle tentava manter os investimentos de Rhian nas Bahamas, mas subitamente tudo parecia estar rendendo menos e a convivência 24 horas era outro desafio. Com Rhian fora da faculdade e Diana também, elas se obrigavam a conviver muito mais do que antes e os atritos vinham de todos os lados e por todos os motivos e as brigas se multiplicavam. A situação entre Rhian e Joseph apenas piorava, e quando ela foi obrigada a ir ao encontro dele por conta das investigações, foi horrível. Pela primeira vez ele respondeu as acusações dela e eles entraram numa discussão mais do que acalorada, Diana podia ver as veias de Rhian pulsando em sua garganta e a raiva remoendo pelo seu corpo inteiro. E então as perseguições de Romeo começaram. Ele ligava, fazia desagradáveis visitas surpresas e quando Rhian proibiu a entrada dele, ele fez um escândalo na portaria até ela descer e quando Diana conseguiu alcançar a portaria, eles já estavam rolando aos socos e pontapés no chão. Diana não fazia ideia do que aconteceria se Ariana não houvesse aparecido para separá-los. Rhian acabou com um roxo no rosto e raladuras pelo corpo e recusou os cuidados de Ariana e também os de Diana, se trancando no quarto, se isolando mais uma vez.

_ Como consegue lidar com isso?_ Perguntou Ariana vendo a cena.

_ Eu não sei. Sinceramente não sei.

Os dias arrastavam-se assim, Rhian trancada nos quartos, ou ignorando Diana, francamente, a única coisa que ela ainda se prestava a fazer era arrumar, lhe incomodava a mínima coisa fora do lugar, incomodava os atrasos de Diana, ela andava correndo de um lado a outro, cuidando dos aluguéis, das transações financeiras que vinham das Bahamas e também andava fazendo seleções, precisava começar a trabalhar, adquirir experiências enquanto o concurso que esperava não aparecia, seu foco sempre havia sido constituir carreira, não podia se deixar escorregar agora. Diana passou dias e dias deixando currículos, passando por entrevistas e enfim, numa manhã, recebeu o telefonema que tanto esperava. Havia sido selecionada por uma empresa israelense que era a líder em segurança no mundo, as habilidades para segurança digital de Diana haviam feito toda a diferença e ela mal conseguia caber em si de tanta felicidade. No mesmo momento correu para o quarto para contar pra Rhian a respeito. Rhian estava olhando perdidamente pela janela e assim permaneceu.

_ Rhian, você não está me ouvindo? Eu fui contratada.

_ Bom pra você_ Foi tudo o que ela disse.

Tudo piorou consideravelmente quando Diana começou a trabalhar. Ela tentou manter tudo sob controle, tentou continuar cuidado das contas, cuidando do apartamento, cuidando de Rhian, tentou fazer com que ela voltasse a treinar, a fazer algo que gostava, mas não, Rhian sequer se pronunciava mais. Os dias de silêncio eram comuns e somente eram quebrados por discussões e mais discussões, era como se todos os dias ela acordasse com uma mania diferente, algo que não fazia anteriormente e que era extremamente necessário agora. Rhian estava depressiva, foi o diagnóstico e com um começo de transtorno obsessivo compulsivo que podia ser perigoso, mas médicos costumam ser os piores pacientes e ela fez jus a esta máxima recusando todo e qualquer medicamento. Diana foi ficando cada vez mais isolada e o único momento em que ouvia a própria voz era quando estava no trabalho. Diana dividia a sala com uma moça chamada Júlia e ela já tinha três anos de casa, entendia bem do trabalho e era muito gentil o tempo todo. Sempre que Diana tinha dúvidas ela atendia, a elogiava todos os dias, fosse pela sua inteligência, fosse pelo quanto Diana ficava bonita de preto. Não havia uniformes, mas era preferível que se usasse preto para trabalhar. Júlia costumava lhe dar caronas até em casa, era caminho dela, não havia problemas. Levou uma, duas, três vezes e na quarta vez, Rhian estava atravessando da padaria quando viu. Veio direto para a porta de Diana, abrindo antes que ela sequer percebesse. Ainda estava conversando quando sentiu a mão de Rhian na sua.

_ Rhian, oi_ A moça lhe sorriu surpresa pela abordagem.

_ Obrigada por trazer a minha namorada para casa_ E tirou Diana do carro, sem dar tempo dela agradecer pela carona ou de se despedir de Júlia, Rhian foi a levando para a cima e a briga começou ainda na portaria e quando chegaram no apartamento, já estava na mais alta temperatura.

_ Agora ela vem deixar você todos os dias, é isso mesmo?

_ Sabe Rhian, não precisaria se você fosse ao menos me buscar_ Disse, já tirando o casaco e indo para a cozinha preparar o jantar. Diana andava correndo para tudo, para pagar as contas, para comparecer nas conferências online dos negócios de Rhian, para fazer o jantar dela, de verdade não se importava de estar cuidando de tudo agora em que Rhian não estava bem, afinal em quatro anos de namoro Diana nunca havia precisado se preocupar com coisa nenhuma, nada mais justo que cuidar de Rhian agora que ela precisava, mas tudo estava ficando humanamente impossível de ser bem executado.

­_ Você não precisa desse trabalho! Não agora no meio dessa confusão toda, eu já te disse isso, você fica fora, perde os horários e ainda volta para casa com aquela sujeita!

_ Vai me buscar e eu paro de voltar com ela_ Começou a cortar as ervas sobre o balcão, nem sabia o que era pior, Rhian calada ou gritando daquele jeito.

_ A chave do carro está bem aqui, você não dirige sozinha por quê? Você gosta dessas caronas, gosta dessa vadia por perto.

_ Você nem conhece ela Rhian.

_ E não quero conhecer! Você insiste em ficar neste emprego que mal paga um pneu do nosso carro...

Diana apenas negou com a cabeça, ganhava mais que 95% da população brasileira, pagaria dez prestações do carro que ela pretendia comprar, mas ainda era pouco para Rhian, nem valia a pena discutir.

_ Olha aqui Diana, se aquela Júlia aparecer por aqui outra vez eu vou arrancar ela daquele carro e pegar ela de um jeito que ela nunca mais vai ousar olhar pra você outra vez!

_ Rhian ela nunca fez nada, para com isso.

_ Ela é gay! Não me diz que você não percebeu isso! É gay e está descaradamente afim de você!

Diana largou faca e tábua sobre a pia e se virou para Rhian.

_ Está, inclusive já conversarmos a respeito, ela vem de um casamento fracassado, está sozinha há algum tempo e eu tenho certeza que todos os dias ela olha pra mim e pensa nas coisas que ela gostaria de fazer comigo em cima da mesa que nos separa e me faz muito bem saber que ela se interessa por algo que você não se importa mais!

Rhian avançou sobre ela furiosamente, e Diana soltou um suspiro de inesperado sem ter ideia do que Rhian iria fazer. Rhian agarrou seu queixo entre os dedos firmemente e empurrou seu corpo contra o dela, empurrando Diana contra o balcão. E parou. Acompanhando a respiração sobressaltada de Diana em seu busto decotado, e então olhou para a boca dela, escorregando seus dedos por aqueles lábios bonitos... Diana olhou dentro daqueles olhos verdes. E Rhian a empurrou para cima do balcão e a pegou num beijo ardente, deslizando as mãos pelo corpaço de Diana, pegando com a propriedade e o tesão que tanto Diana estava com saudades. Arrancaram as roupas uma da outra e fizeram amor sobre o balcão, aos beijos quentes e apaixonados, cheio de mãos ansiosas, se pressionando uma contra a outra com tanta vontade, com tanta saudade, Diana nem sabia mais quanto tempo havia sido desde a última vez e era tão bom ter Rhian assim, intensa, dona de si e dona de Diana, porque Diana era dela, porque ser dela era a única, a única coisa que Diana precisava...

Acordaram no céu. Diana fez o café da manhã e Rhian foi levá-la para o trabalho onde Diana quase se atrasou porque os beijos não paravam dentro do carro. Porém, não deve ter durado uma semana e conforme os problemas chegavam, Rhian voltava para sua própria destruição, voltava para seu silêncio, para sua isolação, para longe de Diana.

Viver por um dia bom. Pensando agora realmente parecia que Kesnar tinha razão. Aquele amor sobre o balcão havia sido o último em mais de um mês e com o encerramento das investigações sobre o acidente de Marina como inconclusivo, Rhian havia se afundado ainda mais em sua depressão furiosa. O pai havia parado de ligar, de tentar se aproximar, Romeo continuava aparecendo apenas para piorar a situação, todas as amigas haviam se afastado, menos Ariana. Ariana ainda estava ali para todas as coisas, incansavelmente, ajudava Diana no que conseguia, organizava as contas, representava Rhian no que era necessário, mas aquilo tudo estava acabando com Diana. Seu pai havia parado de ligar, Isis se abstinha do assunto de maneira tendenciosa, ela discordava de Diana continuar vivendo daquele jeito, com alguém que mal lhe dirigia a palavra, que quando falava era para reclamar de tudo, o escândalo financeiro só afundava cada vez mais aquele sobrenome e racionalmente Isis achava que isso poderia ser uma mancha no currículo que Diana estava construindo. A parte estar sobrecarregada, cheia de problemas financeiros e tantas outras situações, a coisa que mais afligia Diana era não ter mais Rhian consigo.

Haviam passado o final de semana inteiro separadas, Rhian havia se trancado no quarto e todo o tempo livre de Diana havia ficado... Livre. Havia chegado sexta-feira à noite e corrido para fazer um bom jantar para elas, haviam discutido dois dias antes porque Rhian havia visto Diana se masturbando no chuveiro. Diana sempre havia tido necessidades físicas, não era segredo e menos ainda problema para Rhian, ela adorava que assim ela fosse e agora de repente, não mais. Rhian não queria saber de sexo e havia achado um absurdo Diana estar fazendo aquilo enquanto sua mãe havia morrido. Já fazem seis meses, quis dizer a ela, mas Diana já estava cansada de discutir e fazia um tempo que começara a adotar os silêncios para si mesma. Na sexta fez o jantar, queria fazer as pazes, Rhian havia saído com Ariana e quando voltou, pareceu gostar da ideia. Jantaram com as luzes apagadas, se pediram desculpas pelo o que havia acontecido, porém quando foram para a cama e Diana a beijou na nuca depois de abraçá-la, Rhian teve outra crise. Achou que ela queria sexo novamente e Diana não suportou, saiu do quarto e foi dormir na sala, sozinha onde chorou por tanto tempo que nem sabia.

Estava destruída pela manhã, havia chegado atrasada no trabalho e depois do almoço não conseguiu mais, pediu para sair mais cedo aquele dia, estava morrendo de dor de cabeça, mas ao sair, se deu conta de que não queria ir para casa. Diana estava num ponto em que sair de casa era a melhor parte do seu dia e voltar para a casa o que ela tentava esquecer que tinha que fazer. Tudo estava acabado. Havia parado de cozinhar em casa, de voltar para almoçar, Diana comia fora, ela e Rhian estavam dormindo em quartos separados e haviam dias em que elas sequer se viam. Diana buscava que sentido fazia. Esperou pelo tempo passar, achou que Rhian iria melhorar, deu o tempo que ela precisava, mas agora era Diana quem precisava de tempo, e sinceramente, não tinha ideia do que fazer.

Caminhava pelas ruas de Copacabana, não tinha ido para casa, havia uma feira natural acontecendo por ali e toda aquela movimentação tão inerente daquelas ruas. Passou na frente de uma vitrine, e seu olho roxo chispou em distância. Não havia maquiagem que o disfarçasse, era impossível, já estava melhor, sabia, mas ainda era uma pancada e tanto. Seguiu caminhando e parou numa banca de flores. Estavam tão bonitas! Tão coloridas, tão vibrantes, tão... As margaridas estavam lindas e Rhian adorava margaridas. Diana cruzou os braços e começou a chorar, sem conseguir controlar, parada ali, olhando para aquelas flores.

_ Diana?_ Ouviu uma voz que conhecia, mas que não ouvia tão perto assim já fazia um tempo_ Diana, está tudo bem?

E era a última pessoa que Diana podia imaginar: Flávia Toledo.

_ Ei, o que você tem?

O que Diana tinha?

_ Uma namorada que não posso tocar. É isso o que eu tenho_ Respondeu, sem olhar para ela, mas Flavia a observou, e não precisava de metade daquela observação para saber que ela não estava bem.

_ Tudo bem, por que você não toma um café comigo?

Diana foi. Mais para parar de chorar em público do que por qualquer outra coisa. Havia estado com Flávia na formatura, formaram na mesma colação, sabia que a carreira dela ia cada vez melhor, tanto que foi uma surpresa que ela tivesse conseguido terminar a faculdade apenas um ano depois da sua turma. Flávia a levou até uma renomada confeitaria onde pegaram uma mesa no sol suave daquele fim de tarde.

_ Então ela continua não reagindo?_ Perguntou Flávia ao receberem seus pedidos.

_ Na verdade, eu acho que ela está reagindo demais. Já se foram seis meses, achei que ela fosse melhorar, voltar para as coisas dela aos poucos, mas...

_ Rhian não tem estruturas para tudo o que está acontecendo, menos ainda para uma perda assim.

_ Como assim ela não tem estruturas? Ela é o meu herói!_ Disse, deixando outra lágrima cair.

_ Ela não é nenhum herói, Diana. É uma moça comum, como você e eu, e com disfunções sentimentais que nenhuma de nós tem. Eu namorei a Rhian por um mês, mas fiquei com ela por tempo suficiente para aprender muito sobre ela. Aquela família é insana, não param de sair coisas nos jornais, escândalos políticos, lavagem de dinheiro, violência doméstica, aliás, falando nisso, este seu olho roxo, ela não...?

_ É claro que não, Rhian nunca faria, você deve saber disso também.

_ Então o que aconteceu?

Diana olhou para ela. E estava precisando desabafar mesmo.

_ Ela teve que ir para Santa Catarina semana retrasada e eu aproveitei para dá uma espairecida, fui para uma balada com as meninas_ Grazi, Laís e Ariana_ E na hora de voltar para a casa nosso carro deu problema e Romeo apareceu do nada para oferecer uma carona. Decidi aceitar, ele deixou a Laís e Graziela em casa e foi me deixar na cobertura com a Ariana. Ela desceu primeiro, eu fiquei para trás procurando o meu sapato e quando desci do carro, eu ouvi ele falando alguma coisa. Ele veio falando da Rhian o tempo todo de uma maneira esquisita, ele havia bebido, pensei que era por causa disso, mas quando eu voltei para ouvir o que ele estava dizendo...

_ O que ele estava dizendo?

_ Que não sabia qual de nós duas ele foderia primeiro. Mas que provavelmente seria a Rhian, porque tesão acumulado era o melhor.

_ Ele... Disse isso?

_ Com essas exatas palavras. Eu peguei a primeira coisa que vi pela frente e quebrei os dentes dele, pra ele nunca mais falar da minha mulher daquele jeito.

Flavia apertou a expressão ouvindo tudo aquilo. Sempre havia achado Romeo esquisitamente interessado em Rhian, imaginava as coisas que ele havia dito.

_ Só para eu saber, o que estava na sua frente?

_ Uma chave de roda que ele havia usado para tentar arrumar o nosso carro. Eu bati nele muito forte, ele caiu no chão e eu cai em cima dele, não sei bem o que aconteceu depois, só lembro do porteiro e da Ariana me puxando, me segurando, alguém chamou a polícia e no final das contas, Ariana conseguiu resolver_ Diana lembrava de Romeo sendo levado por uns amigos, com a boca sangrando, o supercilio aberto, ele foi embora berrando ameaças, dizendo que ia voltar, que iria pegar Diana e acabar com ela, que ela iria se arrepender, todo este tipo de coisa, mas concordou em não fazer denúncia_ Não era bom para ele se envolver em outra briga, não era bom para o meu currículo fazer o mesmo, e nem contar para Rhian a respeito.

_ Como explicou para ela quando ela chegou?

_ Disse que sofri um acidente, ela não acreditou, brigamos de novo por causa disso, mas nada. Temos brigado por tudo mesmo. Romeo é louco. E eu juro pra você que o mato se ele chegar perto dela.

_ Diana...

_ Eu mato ele. Estou dizendo a você.

E ela estranhamente parecia estar falando sério, a ponto de deixar Flávia desconfortável.

_ Diana, você precisa de um tempo. Você está exausta, está no seu rosto, no seu corpo, Rhian fez isso comigo também, mas de uma outra forma, é dela, a parte egoísta dela, não deixe isso acabar com você.

_ Eu amo a Rhian, Flávia.

_ E ela ama você, está sendo suficiente?

Diana olhou para ela.

_ Você paga a minha conta_ Levantou da mesa, indo embora e arrastando os olhos de Flávia em seu encalço enquanto ela abriu um estranho sorriso no rosto.

_ Ei Diana: continua linda, não importa o ângulo.

Diana olhou para ela mais uma vez, sem saber bem o que ela queria. Ser gentil, ser canalha? Preferiu não pensar. Voltou pelo caminho por onde havia feito, passou naquela banca de flores, comprou um pequeno ramalhete de margaridas e pegou um taxi para casa. Chegou já estava escuro, subiu e Rhian estava no sofá, assistindo tevê.

_ Trouxe pra você_ Disse, deixando as flores perto de Rhian. Ela mal olhou. As flores ficaram abandonadas ao seu lado e Diana foi até o banheiro social, tirou a jaqueta, se olhou no espelho. O vestido preto e justo, as botas cano médio nos pés, andava fazendo frio carioca aqueles dias.

_ Você deixou o chuveiro pingando quando saiu.

_ Mesmo, Rhian?

_ E deixou sapatos sujos na sala. E não precisa mais cozinhar, sua comida tem me odiado. De qualquer forma, deixei macarrão pra você caso não tenha jantado com ninguém diferente.

Diana respirou fundo, mas muito fundo mesmo.

_ Rhian, tem alguma coisa, qualquer coisa que eu possa fazer pra você se sentir melhor?

_ Pode trazer minha mãe de volta?

_ É claro que não, Rhian...

_ Então você não pode fazer nada.

E aquela frase falou com Diana muito mais do que Rhian podia imaginar. Diana a ouviu mexendo na porta e no mesmo instante saiu do banheiro. Rhian estava pegando as chaves do carro, ela andava fazendo isso ultimamente, saía de carro e desaparecia por uns dias.

_ Onde você vai?

_ Pra lugar nenhum Diana, vou por aí, pra longe de você.

Aquilo doía. Machucava. Cortava por dentro de uma maneira... Diana manteve seus olhos nela, a vendo se aprontar para sair.

_ Da próxima vez que você voltar, talvez eu não esteja mais aqui.

_ Não estará mais aqui? Você sequer consegue dirigir para o seu próprio “trabalho maravilhoso” sozinha_ E saiu batendo a porta.

Diana chorou muito depois que ela saiu. Chorou jogada no chão da sala, com todas as luzes apagadas, sentindo uma dor intensa lhe partindo em pedaços e em pedaços pequenos cada vez que ela respirava, cada vez que seu coração batia. Tentou se colocar de pé, fazer algo para comer, cozinhou chorando e o sabor ficou horrível, deveria ser isso, sua alma estava amarga e amargava todas as coisas que ela tocava. Seu celular vibrou, era Júlia, a moça do trabalho, preocupada, querendo saber se estava tudo bem. Não estava. Mas também não ficaria bem apenas falando com uma amiga qualquer. Diana desistiu de comer e ligou para Isis, e com ela teve uma das conversas mais significativamente racional de toda a sua vida. Para Isis, tudo era muito claro e simples: se no final do dia Diana sempre estava mais infeliz que no dia anterior, algo não estava correto no amor. Amava Rhian, por tudo em que ela acreditava, como a amava, e como lhe fazia mal vê-la sofrendo tanto porque por baixo de toda a arrogância e desprezo, Rhian estava apenas sofrendo, sofrendo muito e sem saber como lidar com toda essa dor. Mas Diana não podia ajudar. Ponto. Havia saído da boca de Rhian. Não podia ajudar e menos ainda, Rhian precisava da sua presença ali. Desligou o celular sabendo cada coisa que precisava fazer. E decidida a fazer. Nada muda se o agente necessitado da mudança fica no mesmo lugar. Tomou um banho, se vestiu, parou de chorar. Foi para a sala resolver uns problemas pelo notebook. Se fez um suco para se acalmar e de repente, a porta da sala abriu.

Era Rhian. Com um lindo buquê de girassóis nas mãos e nos olhos ela tinha uma luz totalmente diferente.

_ Rhian...

Rhian avançou e beijou-a, pegando Diana pela nuca, beijando-a com toda paixão e carinho que podia existir naquele mundo que era o amor delas. Beijou-a e Diana chorou, sentindo aquele beijo, se agarrando por Rhian inteira, pelos braços, pela blusa dela e Rhian olhou nos olhos dela, naqueles olhos que amava e que andava machucando tanto, tanto...

_ Amor, me desculpa, me perdoa por tudo, por esses meses no inferno, pelo meu comportamento, eu-eu... Prometo que vai ser diferente daqui pra frente, eu vou voltar pra faculdade, voltar a cuidar de você, eu...

_ Rhian...

Rhian subiu o vestido dela o retirando só de uma vez.

_ Eu prometo, meu amor, eu prometo...

Rhian a levou para a cama. Os girassóis ficaram fazendo companhia as margaridas de mais cedo e quando Diana deu por si, já estavam na cama, fazendo um amor intenso e cheio de paixão, um amor de olhos nos olhos, de dedos enroscados em dedos, de beijos intermináveis e cheios de gemidos, a pele reagindo, arrepiando, os corpos pulsando de vontade, de saudades e as mãos de Rhian remarcando seu território minuciosamente... Era aquela. A mulher por quem Diana havia se apaixonado, por quem era louca, absurdamente louca e de quem estava sentindo tanta falta. Era com aquela versão dela que Diana casaria, era com aquela versão dela que seria plenamente feliz.

Mas se havia algo que Diana havia aprendido durante aqueles meses no inferno, era que não podia viver por um dia bom.

Ficaram rolando pela cama depois do amor, quanto tempo havia durado? Uma, duas horas? Diana não fazia ideia, mas havia sido maravilhoso, Rhian havia sido intensamente carinhosa, carinhosamente gostosa, e o amor havia acabado com elas aos risos, suadas, esgotadas e felizes. Momentaneamente felizes. Diana a beijou outra vez, olhando naquele rosto bonito e a beijou mais, de um jeito que estava fazendo Rhian sorrir de tanta vontade havia naqueles lábios. Ela estava com tanta saudade assim?

Estava. Saudades pelo antes, saudades pelo o que estava por vir.

_ Eu vou buscar água com gás pra você.

Foi buscar e Rhian bebeu a garrafa inteira, estava sedenta, Diana havia acabado com ela na cama. E então o sono veio, e ela pediu para que Diana ficasse perto dela, muito perto... Queria sentir o cheiro da pele dela suada contra a sua, queria dormir assim. E dormiu. Nua e agarrada na mulher que amava, sentindo o cheiro dela, a pele dela na sua. Diana ficou nos braços dela, mas não dormiu. Esperou para ter certeza que ela havia dormido e então, escorregou para fora da cama. Tomou um banho regado a lágrimas e mais lágrimas, se vestiu e então voltou para o quarto. Abriu o closet e tirou uma mala lá de dentro, já pronta, arrumada, fechada. Diana puxou a mala para a sala e tentou não olhar para trás. Mas não conseguiu. Voltou, olhou, se agarrou em Rhian mais uma vez, sentindo o cheiro dela, a beijando ainda que ela estivesse dormindo profundamente. Diana havia feito ela dormir. De outra forma, não conseguiria. Pegou uma jaqueta dela no armário, aquela de quando haviam se conhecido, escreveu um bilhete. Um curto bilhete. Pegou a bolsa, arrastou a mala pela sala, pegou os girassóis, eram muito significativos para elas, a fazia lembrar de Alto Paraíso e dos momentos lindos que haviam passado ali. Diana tirou o anel de noivado do dedo e também ia deixar a gargantilha que Rhian havia lhe dado naquela viagem para as Bahamas, mas não conseguiu. Aquela gargantilha significava o melhor do relacionamento delas, era o sol, o mar, o amor na ilha deserta, a felicidade de acordar nos braços dela, era a risada de Rhian, a brisa daquela alma. A gargantilha eram aqueles momentos que queria levar para sempre. Levou a gargantilha entre os dedos, tirou um girassol do buquê e deixou as outras flores ali, junto com o anel, com o bilhete, com suas desculpas. Diana saiu do apartamento no exato momento em que Ariana chegou de elevador.

_ Quê? Não, não, não. Diana o que você tá fazendo?

_ Ariana, eu vou embora..._ Disse e começou a chorar de imediato, Diana pedia que suas pernas não falhassem porque seu coração estava quebrando a cada passo que dava para fora da vida de Rhian.

_ Por favor, não vai! Diana, não, calma, você não está pensando, você precisa se acalmar...

_ Eu não vou me acalmar, Ariana. Eu não consigo me acalmar, não consigo mais lidar com isso...

_ Eu sei, eu sei que está terrível, que está complicado, eu vim aqui porque encontrei com a Rhian mais cedo e ela estava desesperada, chorou muito, caiu em si no que estava fazendo com a vida dela, Diana, ela disse que vai fazer diferente agora, ela disse que...

_ Eu já ouvi isso antes, Ariana. Já devo ter ouvido isso cinquenta vezes e nunca dura mais que alguns dias, algumas horas, eu-eu... Não consigo mais.

Ariana olhou para ela e nunca, nunca havia visto Diana tão abatida. E nem tão decidida.

_ Eu preciso ir, Ari, ou vou perder o meu voo..._ Ela disse, com a mão na maçaneta, a chave entre os dedos.

_ Tudo bem, tudo bem, eu levo você, tá bom?

_ Não, eu pego um taxi, não precisa...

_ Diana, eu levo você, tá bem? Deixa ao menos eu fazer isso por você_ E colocou a mão na maçaneta, colocou a cópia da chave que tinha na tranca.

_ Eu posso ir sozinha.

_ Não, nada disso, são duas da manhã, eu levo você_ Tirou a chave da porta.

Sem girá-la.

Desceram de elevador. E quando saíram de carro, Romeo entrou pelo vão da garagem.

Despretensiosamente subiu e descobriu que a sorte também podia lhe sorrir.

A porta estava destrancada. E Rhian estava completamente sozinha.

***

Rhian lembraria de ter se percebido nua antes de se perceber amarrada. Contra a própria cama. E então lembraria de ter lutado muito para abrir os olhos, para perceber o que estava acontecendo, se deu conta de que estava apanhando, apesar de não sentir nada. Se deu conta que estava humilhantemente amarrada em “x”, pelos punhos, pelos tornozelos em direção aos cantos da cama, uma luz explodia diante de seus olhos uma vez e outra, e havia uma risada constante, cortada por vozes eletrônicas, ele estava gravando? Estava transmitindo, e vez ou outra tirava fotos, as luzes eram flashes e Rhian tentou se convencer de que estava sonhando, que era um pesadelo, mas não.

Não era.

O pior veio quando ela começou a acordar. Era Romeo quem estava ali, podia ver claramente, Romeo e suas ameaças, Romeo e as coisas que ele dizia que iria fazer com ela, depois que ela apanhasse, que apanhasse um pouco mais. Romeo a humilhou. A fez dizer coisas que ela jamais diria enquanto ele gravava tudo com o celular. Era uma vingança. Ele falava de Diana e então falava de Rhian, de coisas que ela havia feito há anos, ele queria ver ela chorando, queria vê-la implorando, implorando para que ele não fizesse o que queria fazer, o que tanto insinuava que faria e quando Rhian o viu baixando as calças, entrou em desespero. Gritou por ajuda em plenos pulmões, com tudo o que podia e ele a amordaçou, com uma calcinha de Diana, ele se divertiu com a ideia, e então, subiu na cama e ver aqueles olhos tão apavorados foi a melhor coisa do mundo...

Romeo não a tocou daquela forma. Parecia que o deleite em ver Rhian em pânico havia sido melhor que qualquer outra coisa possível, o terrorismo mental, a humilhação, as fotos que havia tirado, os amigos estavam adorando, ele fez questão de dizer a ela sob outros “elogios” de tão baixo calão que Rhian quase vomitou. As fotos também fariam maior sucesso na internet, ele pensaria sobre o que pediria por aquelas fotos, iria contar a ela depois. Ele fez coisas na frente dela, em cima dela e Rhian não queria ver, não queria acreditar que estava acontecendo e foi quando ele falou da herança. A fez concordar que assinaria um termo abrindo mão daquele absurdo que Marina havia feito. “A puta morreu e não deixa nada pra mim, tinha que ter morrido de forma pior”, ela teve ouvir. Romeo foi embora já era manhã alta. A deixou amarrada, amordaçada, sangrando. E na saída, cruzou com um dos vizinhos para quem entregou a chave e disse que ele deveria checar a cobertura. Rhian foi encontrada nua por um de seus vizinhos. Que em pânico pediu ajuda antes mesmo de desamarrá-la. Em segundos estava cercada de estranhos, nua e se percebendo o quanto estava machucada. Tinha um dente quebrado, um olho negro, a boca estava estourada, seu estômago doía, suas pernas doíam, lembrava-se de ter sido chutada, socada, seu supercílio estava aberto e justificava o sangue pelo seu rosto. E não sabia mais de nada.

Ligaram para o seu pai, ele chegou logo em seguida, ligaram para a polícia também e no meio daquilo tudo ela só conseguia se perguntar onde estava Diana. Estava com medo que Romeo houvesse feito alguma coisa com ela, que houvesse a levado com ele, a sequestrado, não sabia! Não tinha ideia do que havia acontecido. E foi quando teve ideia. Foi quando no meio do depoimento seus olhos bateram no closet e parte das roupas dela não estavam mais lá. E aquilo só foi pior do que no final de tudo, quando ficou sozinha naquele apartamento, depois dos cuidados médicos e do banho longo que havia tomado tentando se livrar de toda aquela sujeira, Rhian havia caminhado dificultosamente pela sala e encontrado seu buquê de girassóis, a aliança de noivado e aquele bilhete tão, mas tão desolador.

“Me desculpe”.

Rhian escorregou pela parede, sentindo seu coração sendo esmagado enquanto escorria em dor e desesperança por cada um de seus sentimentos destroçados...

 

 

Notas finais:

Hei meninas, como prometido olha eu aqui de novo. hahaha Trazendo mais um capítulo cheio de sofrimento. Eita, quanta dor!!! Espero que tenham curtido, sinceramente.

Tenho pra vcs um áudio e se tiverem interesse, já sabem o sistema, certo. 

Beijos e bom final de semana! 



Comentários


Nome: Mduarte (Assinado) · Data: 31/10/2017 12:37 · Para: Os Motivos de Diana

Oi Tessa,

Me mande o extra desse capítulo.

Estou adorando a estória.

enf.marianaduarte@gmail.com

Obrigada



Resposta do autor:

Oieee Mari!

 

Me perguntando se enviei o extra que você pediu apesar de não ter respondindo o comentário...

 

Enviei com sete meses de atraso, mas enfim, desculpe, viu?

 

Beijos e obrigada pela sua leitura!



Nome: Photographer_SP (Assinado) · Data: 17/06/2017 07:03 · Para: Os Motivos de Diana

 Tudo bem Tessa?

Vou tentar descrever um pouco dos meus sentimentos provocados  por Delirium, foi a coisa mais linda e mais dolorosa que li.

As lágrimas brotaram de um jeito que não pude esconder, minhas queridas Rhian e Diana sofrendo, a dor exposta sangrando, todos nós já perdemos alguém, mas confesso que estive um pouco na pele da minha heroína Rhian, as lágrimas ainda caem enquanto escrevo, me desculpe. Também perdi minha mãe, sabe?

............ :(

 

Depois lê a Di " Eu não estou acostumada a ter mais que sua pele me separando de você _Diana também chorava_ Eu sei que não faço idéia da sua dor, mas eu quero carregar? ela  com você. Você não tem que fazer isso sozinha, eu sou sua mulher, você não pode se desfazer de mim assim" 

Meu coração quebrou em partículas, sério, mesmo!!!

Nem posso continuar..... queria comentar sobre a partida tão extrema e ao mesmo tempo compreensível da Diana.

 

O bandido Romeo, afff aposto que todas as leitoras de Delirium adoraria encher esse babaca de golpes karatê, jiu-jitsu, tudo que possam nos sentirmos vingadas. Por nossa Rhian e CIA. Afinal  com quem ele não foi babaca? Só acho!

 

Tessa! Mais uma vez parabéns!

Obrigada, viu!

maraaraujofotos@gmail.com

 

Beijos

 

 

 



Resposta do autor:

Oieeee moça ♥

 

Capítulo complicado de ler, né

 

Pra mim também foi complicado de escrever, não sei se já te disse, mas perdi todos os homens da minha vida, meu pai e meus dois irmãos e isto é algo muito particular e complicado para mim também.

 

Capítulo tenso, triste, mas necessário para entendermos melhor as nossas heroínas :)

 

Beijos!



Nome: isaaires (Assinado) · Data: 31/05/2017 02:14 · Para: Os Motivos de Diana

Oiii!!! Já li e reli essa história inúmeras vezes... sempre tenho a impressão de ter deixado passar algum detalhe encantador. Amo Arisis..kk acho q já gravei as cenas entre elas. 

Me envia o extra, por favor? O desse capítulo e o do 33, são os únicos que ainda não tenho.. 

 

isabellafariasb@gmaill.com

Att. 



Resposta do autor:

Oieeee moça!

 

Que gostoso saber que você não apenas leu, como releu Delirium ♥♥♥

Daí não me deixa dúvidas se curtiu a história né hahaha

 

Não sei se te enviei o que você pediu... Se não e ainda tiver interesse, me avisa que eu envio está bem?

 

Beijinhos! Obrigada pelas leituras!



Nome: camilanew123 (Assinado) · Data: 26/05/2017 10:49 · Para: Os Motivos de Diana
Me envia o extra pfvr?

Camilanew123@hotmail.com

Obrigadaa

Resposta do autor:



Nome: sophiebrt (Assinado) · Data: 15/05/2017 18:08 · Para: Os Motivos de Diana

autora fiquei tão empolgada comentando que esqueci de passar meu e-mail para que fosse enviado o audio que voce sugeriu no capitulo 36. manda o audio por favor email sophiebrt@outlook.com. beijos



Resposta do autor:

Sophieeeeeeee

 

Sei que fez um ano há dois dias o coment, mas eu enviei o aúdio pra você? hahaha

 

Beijos!



Nome: sophiebrt (Assinado) · Data: 12/05/2017 22:22 · Para: Os Motivos de Diana

Com certeza um dos capitulos mais pesados, consigo entender a Diana depois de ler este capitulo, outra pessoa talvez desistisse muito antes. autora me tire uma dúvida....a Diana é leonina ou virginiana, a resposta me esclareceria algumas atitudes dela, e a Rhian seria escorpiana, aquariana....rsrsrsrsrs, fico em dúvida sobre essa bahamiana linda. Tess você já me envio os extras e as capas, mas ficou sem ser enviado o extra do capitulo 33 "a caçadora e a cor vermelha" e os audios do Capitulo 36, manda pra mim vai!! torna o meu dia mas feliz, ah!! e se for possivel responda o questionamento do signo das nossas queridas.



Resposta do autor:

Oieeee Sophie ♥

 

Capitulo dificil :/ Doeu escrever e quando reescrevi recentemente, dei um jeito de deixar menos pesado, porque a leitura de fato é complicada de ser sentida do jeito está :/ Mas tbem a dor é importante para gente entender a nossa protagonista melhor né

Agora vamos a sua dúvida que eu adorei hahaha

A Diana é de leão, pelo gênio da moléstia do cão, ela tem que ser leão né hahaha Já a Rhian é escorpião, essa eu tinha em mente mesmo, sexy do jeito que ela é, só pode ser escorpião rsrs

 

Eu te mandei no final de semana o extra do 33 e o aúdio do capitulo 36, verifica se chegou? Se não, me avisa que eu mando de novo ^^

 

Beijos!



Nome: brunafinzicontini (Assinado) · Data: 25/02/2017 06:01 · Para: Os Motivos de Diana

Oh, meu Deus! Um pesadelo! Que tristeza! Muito sofrimento! Agora se entende o porquê da partida de Diana - mas ela não poderia ter partido justamente depois de uma noite de amor! isso foi muito cruel... Além de tudo, facilitou a entrada daquele nojento do Romeo!

 

Por favor, envie o extra do capítulo 36 - Áudios - Pronúncias e mindmap de Delirium.

Obrigada,

 

brunafinzicontini@yahoo.com

 



Resposta do autor:

Extra enviado!

 

Capítulo cheio de energias negativas, duas moças de coração partido e uma atitude que deixou muitas consequências :/

 

Tudo o que podia dar errado :/

 

Extra enviado!

 

Beijos!



Nome: mari86 (Assinado) · Data: 04/02/2017 21:00 · Para: Os Motivos de Diana

Oi,

Me envia o extra por favor.

Bjs mil!

mari86rangel@gmail.com



Resposta do autor:

Enviado!

 

Beijos!



Nome: mabi (Assinado) · Data: 27/01/2017 23:29 · Para: Os Motivos de Diana

Ai cara eu nao consigo nem comentar sobre esse capitulo, ele doeu em mim demais, coitada da rhian, coitada da Diana, que nojo do Romeo.

A unica coisa boa ai foi ter a a surra do romeo u.u

mariasabrina.821995@gmail.com



Resposta do autor:

Capitulo dificil, né

 

Acho que foi um dos mais dificeis que eu escrevi, os motivos pelos quais esse amor tão bonito entre Rhian e Diana se quebrou :/

Extra enviado!



Nome: Vitlemos (Assinado) · Data: 20/01/2017 22:25 · Para: Os Motivos de Diana

Oii

 

Me envia o extra do Cap 36 por favor.

 

vitlemoss@gmail.com

 



Nome: Vitlemos (Assinado) · Data: 17/01/2017 01:30 · Para: Os Motivos de Diana

Boa noite !!

Comecei acompanhar a história e estou amando.

 

Poderia me enviar todos os extras por favor :)

 

obrigada 

vitlemoss@gmail.com 

 



Resposta do autor:

Oieeee moça!

 

Não faz ideia de como eu fico feliz quando alguém me diz que está começando a ler a história *.*

 

Extra do capítulo enviado! Se tiver interesse nos outros, vou pedir pra vc deixar seu e-mail nos capítulos de referência, tá? Para ser justa com as outras moças ^^

 

Obrigada pela sua leitura!

 

Beijos!



Nome: Midnight (Assinado) · Data: 15/01/2017 22:10 · Para: Os Motivos de Diana

Autora, dúvida: alguns dos casais tem inspiração na vida real?

Há fotos para visualizarmos as personagens?

Capítulo extra, por favor: midnightgirl009@gmail.com.

Beijos...



Resposta do autor:

Primeiro,

 

Mais um extra enviado :)

Então, na verdade o que acontece é que eu tenho traços de personagens inspiradas em pessoas reais, eu sempre uso algo de uma amiga, de alguém que eu conheço, mas nunca é tudo de uma pessoa só, e a mesma coisa acontece com a aparência das personagens. Eu evito trabalhar com fotos fixas para permitir a liberdade de imaginação da leitoras :) Mas uso muitas imagens guias, eu vi que você solicitou todos os extras, então vai recebendo junto com os extras uma gama de imagens que ajudam na composição das personagens, mas a maioria é "faceless", por conta desta liberdade ^^

 

Beijos!



Nome: Perroni91 (Assinado) · Data: 12/01/2017 20:53 · Para: Os Motivos de Diana

Olá, poderia me enviar esse extra por favor?
Obrigada :)

marciasprates@hotmail.com



Resposta do autor:

Extra enviado!



Nome: LeticiaSilva (Assinado) · Data: 06/01/2017 03:13 · Para: Os Motivos de Diana

Poderia me mandar o extra por favor? Bjs.

 

leticiacsilva@ymail.com



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: mr_amanda (Assinado) · Data: 05/01/2017 03:48 · Para: Os Motivos de Diana

Olá!

Solicitando extra! rs

 

mr.amandacruz1000@gmail.com

 

Beijo



Resposta do autor:

Extra enviado!



Nome: Perroni91 (Assinado) · Data: 03/01/2017 16:34 · Para: Os Motivos de Diana

Oi.
Poderia me enviar esse extra por favor?
Obrigada  :)

marciasprates@hotmail.com



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: Nany (Assinado) · Data: 02/01/2017 15:02 · Para: Os Motivos de Diana

Oi..

 

Gostaria de receber o capítulo extra...

araujoelaini@gmail.com

 

Desde já, obrigada...

 

Bjux...



Resposta do autor:

Extra enviado, moça!


Desculpe a demora e boa leitura!

Beijos!



Nome: Saber (Assinado) · Data: 27/12/2016 00:38 · Para: Os Motivos de Diana

f.cpaula@hotmail.com



Resposta do autor:

Extra enviado!



Nome: tata_rj (Assinado) · Data: 10/12/2016 03:20 · Para: Os Motivos de Diana

E para os extras... freitas.taize@gmail.com



Resposta do autor:

Extra enviado!



Nome: tata_rj (Assinado) · Data: 09/12/2016 20:50 · Para: Os Motivos de Diana

Extras... Pleeeease, os extras! freitas.taize@gmail.com



Nome: Zuza (Assinado) · Data: 08/12/2016 23:35 · Para: Os Motivos de Diana

Extra daiane_zuza@hotmail.com



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: Line10 (Assinado) · Data: 08/12/2016 03:00 · Para: Os Motivos de Diana
Parabéns autora historia maravilhosa Demorei mais consegui chegar antes do fim kkkk e agora só falta ler os extras rsrsrs super ansiosa

Sant_seya@outlook.com

Resposta do autor:

extra enviado!



Nome: Anjo_steh (Assinado) · Data: 01/12/2016 03:57 · Para: Os Motivos de Diana

Olá, queria extra

Segue e-mail abaixo

Stefany.candida@gmail.com

 

 

Queria também te parabenizar novamente pelo.seu Talento /Dom 



Resposta do autor:

Extra enviado!



Nome: anamacedinha (Assinado) · Data: 25/11/2016 21:57 · Para: Os Motivos de Diana

Aqui estou novamente em buscar de extras kkkkkk
deve ta dando um trabalho enviar tantos extras em?
posso pedir todos os disponiveis de uma vez? kkkkkkkkkkk

meu deus, a historia é viciante...medo de acabar kkkk



Resposta do autor:

Extra enviado!

Dá um pouquinho de trabalho, mas me ajuda muito essa coisa do e-mail deixado no capitulo de referência, assim não me perco sobre pra quem já enviei, quem falta, vai pedindo que eu vou enviado haha

Está curtido a leitura dos extras? ^^



Nome: Chris V (Assinado) · Data: 24/11/2016 16:08 · Para: Os Motivos de Diana

Chega até a ser uma emoção deixar o email aqui e aguardar o extra! kkkk

Manda pra mim?

chrisv_xxi@outlook.com



Resposta do autor:

Oieeee Chris!

 

Outro extra enviado, vai ter overdose de Delirium Chris haha



Nome: Aelis (Assinado) · Data: 23/11/2016 19:00 · Para: Os Motivos de Diana

E u quero áudios!!! priscila.lucia@gmail.com



Resposta do autor:

Áudios enviados! Depois me conta se acertou todas as pronúncias haha

Beijos!



Nome: silviane (Assinado) · Data: 19/11/2016 18:25 · Para: Os Motivos de Diana

Cada vez mais apaixonada pela historia ????? 

 

 

 

Silmaya2403@gmail.com



Resposta do autor:

Extra enviado moça!

Espero que esta paixão se estenda aos textos extras ^^

 

Beijos!



Nome: melissa (Assinado) · Data: 18/11/2016 16:13 · Para: Os Motivos de Diana
vc pode por favor me mandar esse extra pra mim...
abacatebatido@gmail.com
obrigada...

Resposta do autor:

Olá Melissa!

 

Desculpa a demora, viu? Estava viajando a trabalho nos últimos dias, foi corrido demais :/

 

Beijos!



Nome: Rosecris (Assinado) · Data: 17/11/2016 19:56 · Para: Os Motivos de Diana

Ola autora estou deixando o meu a mail nos capitular sem comentar pq estou sem NET estou aproveitando uma rede aberta aqui perto do trabalho

Vi que tem capítulo novo e não vai dar tempo de ler hj o sofrimento mas amanhã voltarei aqui só para ler o capítulo kkkkkkkk    bjs 



Resposta do autor:

Oieee Rose!

 

Então usando internet alheia para pedir extra, está valendo hahaha

Enviando tudo direitinho pra vc, deve ter uma avalanche de e-mails meus no seu e-mail neste momento hahaha

Beijos!



Nome: thais (Assinado) · Data: 16/11/2016 20:14 · Para: Os Motivos de Diana

caraca que cap foda..... :(



Resposta do autor:

Capitulo dificil, eu sei :/

 

Extra enviado!

 

Beijos!



Nome: Liz Ferraz (Assinado) · Data: 16/11/2016 01:41 · Para: Os Motivos de Diana

Tess se for possível me manda o extra desse capítulo. 


Email: lise-gferraz@hotmail.com


Obrigada, beijo.



Resposta do autor:

Olá Liz!

 

Desculpa a demora, viu, extra enviado!

 

Beijos!



Nome: Morganna (Assinado) · Data: 16/11/2016 00:26 · Para: Os Motivos de Diana

olá!!!!!!!

 

A maldade do ser humano não tem limites..

 

cema.ferr2@gmail.com



Resposta do autor:

Olá Morgana!

 

Extra enviado! Desculpe a demora :)



Nome: BlackMoon (Assinado) · Data: 11/11/2016 20:20 · Para: Os Motivos de Diana

Me manda o extra, pleaseee!!

 

Besitos!

 

(liluoliveira@gmail.com)



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: Maria isabel (Assinado) · Data: 09/11/2016 03:51 · Para: Os Motivos de Diana

:)

Email:maria.isabel.mi4123@gmail.com



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: jcv (Assinado) · Data: 07/11/2016 16:37 · Para: Os Motivos de Diana

jvc_jessicanf@yahoo.com.br



Resposta do autor:

Enviado/



Nome: Tini (Assinado) · Data: 29/10/2016 05:34 · Para: Os Motivos de Diana

Capítulo tenso...e revelador!

kobi.tini@bol.com.br



Resposta do autor:

Extra enviado, moça!



Nome: Erika57 (Assinado) · Data: 29/10/2016 04:05 · Para: Os Motivos de Diana

erika57@yahoo.com 

obg!



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: salesbeta (Assinado) · Data: 28/10/2016 20:23 · Para: Os Motivos de Diana

Querida Tessa,poderia me enviar o extra do capítulo 36 - Áudios Pronúncias e mindmap de Delirium.

Email:justinbeta@hotmail.com



Resposta do autor:

Enviado, moça!

 

Espero que curta, beijos!



Nome: Kah B (Assinado) · Data: 27/10/2016 22:42 · Para: Os Motivos de Diana

karolgb@gmail.com



Resposta do autor:

O e-mail novo aparentemente está funcionando!

 

Depois me confirma se recebeu tá ^^

 

Beijos!



Nome: MIhAlbuquerque (Assinado) · Data: 27/10/2016 18:36 · Para: Os Motivos de Diana

mirella_albuquerque1@hotmail.com

bjos



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: RosianeRPS (Assinado) · Data: 27/10/2016 18:14 · Para: Os Motivos de Diana

rosiane.rps.20@gmail.com



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: Rosie (Assinado) · Data: 27/10/2016 12:31 · Para: Os Motivos de Diana

Rosana.rib09@gmail.com

Obrigado:)



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: Celli (Assinado) · Data: 26/10/2016 05:49 · Para: Os Motivos de Diana

capitulo recheado de sofrimento.

bom.ler82@gmail.com

 



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: Gabii (Assinado) · Data: 26/10/2016 00:23 · Para: Os Motivos de Diana

anagabriela.gm@outlook.com



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: Mari777 (Assinado) · Data: 25/10/2016 04:42 · Para: Os Motivos de Diana

Vish, sou meio masoquista então começei a ler ja estava no cap 30 e alguma coisa...  Mas ai fiquei com vergonha de comentar. O importante é que to aqui no vício hahahah 

Mas entendo a sua namorada, não sou de demonstrar ciumes com as meninas que gosto, mas é uma parada de lua tbm hahahahah

Vc sempre me pergunta e eu nunca respondo, fã de araque essa né?!  SEUS EXTRAS SÃO SEMPRE MUITO BONS 

marinaeiras45@gmail.com



Resposta do autor:

MARI POR ALGUM MOTIVO EU PULEI ESTE SEU COMENTÁRIO LINDO

ME DESCULPE

ME PERDOE

SEQUER SEI SE MANDEI TAL EXTRA

TÔ MANDANDO DE NOVO PELO SIM PELO NÃO

E agora vamos ao comentário em si haha

 

Que isso, pode comentar sempre, eu sei que é meio "peguei o bonde andando", mas cada coment que recebo é a coisa mais linda haha

Aff, a Ana não demonstra nada, se sente, fica guardadinho ali dentro dela à sete chaves! rsrs Eu sou ciumenta comedida, sinto ciúmes de coisas inemagináveis, mas de outras, nem, eu sou esquisita rs

Ai, essas minhas leitoras que demoram a responder haha

Feliz que esteja curtindo os extras ♥

Beijos!



Nome: Maria Luiza (Assinado) · Data: 21/10/2016 18:51 · Para: Os Motivos de Diana

Aguardando ansiosamente,obrigada

silva_negri@hotmail.com



Resposta do autor:

Enviado ♥



Nome: kinaty (Assinado) · Data: 21/10/2016 13:03 · Para: Os Motivos de Diana

Natycristina27@Gmail.com



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: mariluz (Assinado) · Data: 21/10/2016 05:41 · Para: Os Motivos de Diana

Amo a história gostaria de receber os extras só hoje consegui cadastrar mariluzmg32@outlook.com



Resposta do autor:

Enviado!



Nome: Tsuh (Assinado) · Data: 21/10/2016 05:06 · Para: Os Motivos de Diana
e-mail
suenneturunen@gmail.com

Resposta do autor:

Enviado!



Nome: VANSMZ (Assinado) · Data: 20/10/2016 22:28 · Para: Os Motivos de Diana

vanessasomar96@gmail.com



Resposta do autor:

Enviado!



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.