Sunshine: esperança. por femarques


[Comentários - 183]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

CAPÍTULO 36

MEA

 

            “Scoutt, acorde.” Resmunguei enquanto me sentava apoiada pelos cotovelos no colchão. Sentia contrações fortes e respirava fundo, tentando manter a calma. Sentia algo molhando minhas pernas e o colchão.

            “Mea, eu já disse que não. Brigamos antes de dormir, quer brigar de madrugada? Sua barriga está enorme, não vamos fazer nada.” Scoutt me respondeu e virou na cama, bufando.

            “Minha bolsa estourou, merda! Você acha que quero fazer sexo com você? Eu não quero.” Gritei e me levantei, sentindo a calça do pijama toda colada na minha perna e molhada. Segurava minha barriga por baixo enquanto caminhava até o guarda-roupas para me trocar.

            Scoutt deu um pulo e tropeçou para fora da cama, ficou me olhando, boquiaberta e sem reação. Ela revezava seu olhar para mim e para o colchão manchado em um círculo.

            “Vai me ajudar ou vai ficar parada igual idiota?” Resmunguei novamente, tirando a calça devagar e respirando fundo a cada pontada que sentia.

            Ela finalmente correu para o meu lado e me ajudou a tirar a roupa molhada, me vestindo com a primeira coisa confortável que encontrou, nada bonita. Uma calça de moletom cinza e uma camiseta branca manchada. Prendeu meu cabelo em um rabo de cavalo torto, mas agora eu não estava nem ligando.

            Scoutt pegou a bolsa do bebê que já estava arrumada e andava pela casa correndo, feito uma louca perdida, pegando tudo o que era necessário e que encontrava pelo caminho até a porta. Eu andava atrás dela devagar, com o celular apoiado no ombro e na orelha, esperando que Tom me atendesse.

            “Hmm...” A voz grave e preguiçosa de Tom me atendeu.

            “Estou indo para o hospital, a bolsa estourou e vai nascer uma semana antes.” Disparei com a voz entrecortada. Meu humor mudando de irritação e desespero para emoção pura.

            “O que?!” Agora desperto, ele gritou me fazendo ter vontade de xingá-lo, ou de colocá-lo junto a Scoutt em um grupo de reações que irritam grávidas com dor. Ponto para meu humor terrível que venceu de novo.

            “Te vejo no hospital.”

            Desligo o celular sem dizer mais nada, sem paciência para nada além de tentar controlar a dor que estava sentindo.  

            Scoutt dirigiu para o hospital o mais rápido que pode e entrou pedindo ajuda. Logo as enfermeiras ligaram a minha médica e ao pediatra que eu havia escolhido para cuidar de Aiden –e sim, nosso filho chamaria Aiden. O nome foi mencionado várias vezes depois de descobrir o sexo e quando nos demos conta, já estávamos acostumadas. Matthew o adorava e até mesmo Teddy latia quando dizíamos o nome.

            “Vai ficar tudo bem, linda.” Scoutt sussurrou para mim, segurando minha mão quando já haviam me instalado no quarto. Ainda não estava em trabalho de parto e já não aguentava mais as dores. Estava mais quieta que o normal para evitar que descontasse em Scoutt, já que ela estava sendo maravilhosa comigo.

            “Você vai ser uma ótima mãe.” Respondi e dei um sorriso, o primeiro da noite. Scoutt tem sido ótima e pacienciosa comigo enquanto eu tenho sido a pior esposa do mundo.

            “Eu espero que sim.”

            Olhei para ela que estava de cabeça baixa e senti um aperto no peito. Sabia no que ela estava pensando.

            “Amor, você vai ser ótima. Eu prometo. E estou com você, não precisa ter medo.”

            Scoutt suspirou e sorriu, mas antes de responder, fomos interrompidas novamente pela visita médica e eu comecei a rezar para que ela tirasse Aiden de mim.

 

            Algum tempo depois, um garotinho com bastante cabelos louros, pele clara, bochechas rosadas e gordinho veio ao meu colo. Aiden nasceu enorme e eu estava mais do que feliz. O hospital já estava cheio e mais tarde nossos amigos e parentes de outras cidades chegaram para conhecer nosso filho. Scoutt estava radiante, sorrindo e babando como uma mãe coruja.

            Tom e Megan eram os padrinhos de Aiden, escolhidos por mim e por Scoutt. Adele também acabara se tornando madrinha do menino por Tom e ninguém achou ruim.

            Matthew brincava com ele como um boneco e era super protetor. Nossa família estava formada e eu não precisava de mais nada.

            A adaptação a nova rotina não foi fácil. Os horários mudaram e agora os esforços para continuarmos bem eram maiores devido ao cansaço e estresse. Mas tudo melhorava em segundos quando tínhamos Aiden no colo.

            Teddy correu para cheirá-lo logo que chegamos em casa e passou a segui-lo pela casa, deitando sempre por perto. Todos que vinham visita-lo tinham que prometer ao Teddy antes que apenas o veriam. Era a coisa mais linda do mundo.

            Quando paro para pensar na minha vida agora chego a piscar com força para ver se não estou sonhando. Scoutt tem um filho e um cachorro. Se casou comigo e se transformou em outra pessoa. Não só ela, mas eu também. Enfrentei meus problemas e deixei que as coisas se resolvessem. Amadureci ao seu lado e sou grata a ela da mesma forma que ela é a mim. Nos ajudamos e nos mantemos assim, crescendo, por isso não existimos uma sem a outra.

 

            SCOUTT

 

            Seis anos se passaram. Mea estava correndo com os preparativos para a festa do sexto aniversário de Aiden, que esse ano seria em casa. Convencer essa mulher a não gastar com festas enormes era difícil, mas esse ano consegui.

            Aiden tinha os cabelos louros um pouco compridos, os olhos azuis de Mea e era alto para sua idade. Era inteligente e educado, não nos dava trabalho a não ser com a teimosia. Convence-lo de algo era quase impossível e precisávamos de argumentos válidos o suficiente.

            Matthew estava com nove anos e ainda era muito amigo de Aiden, os dois viviam juntos e tanto aqui como na casa de Tom faziam o que bem entendiam. Os olhos de Mea e Tom brilhavam quando viam seus filhos juntos.

            “Scoutt, apresse ele para tomar banho.” Mea pediu com o tom autoritário de sempre quando o assunto era seu filho.

            “Ele saiu com o seu pai e o meu.” Gritei da sala e estiquei os pés na mesa de centro. Não entendia o motivo de ficar tão preocupada com arrumar a casa.

            “Mas a festa é em duas horas” Mea bufou, cruzando os braços parada em frente à mesa que estava arrumando.

            Me levantei e fui até ela, parando em sua frente. “Venha cá...” Pedi baixinho e ela se aproximou, batendo os pés. Envolvi os braços em sua cintura, puxando-a para mim. Mea abriu um sorriso largo e roçou o nariz no meu.

            “Eu te amo.” Disse entre um beijo e outro. Seus braços envolveram meu pescoço e logo estávamos nos perdendo uma na outra.

            Sempre que podíamos aproveitávamos momentos assim. A rotina mudou muito com uma criança em casa, mas perder o que eu mais gostava de fazer? Nunca.

            Depois que Aiden nasceu a casa nunca mais foi silenciosa ou totalmente limpa e arrumada, e eu e Mea não temos mais o mesmo tempo a sós de antes. Essas coisas são pequenas demais perto da alegria que ele nos traz, perto da satisfação de ver em Mea um sorriso enorme todos os dias, o qual eu sempre quis tirar dela e agora consigo.

            “Mãe!” Escutamos uma vozinha aguda gritando e passos apressados pelo corredor.

            Mea se virou a cama, cobrindo-se com o lençol e eu me levantei correndo, começando a me vestir.

            Não demorou nada e a porta do quarto estava sendo esmurrada. “Mãe! Eu cheguei!”

            Mea correu para o banheiro e eu já vestida abri a porta e ganhei um abraço gostoso. Quando ele se jogava em meu colo e envolvia os braços ainda pequenos em meu pescoço, era o meu tipo preferido de abraço. Quem diria que agora eu teria tipos preferidos de abraços?

            “Olha o que o vovô me deu!” E estendeu um boneco cheio de acessórios ainda dentro de uma caixa.

            “Outro presente? Seus avôs já te deram presente, Aiden.”

            “Eu sei, mas eles quiseram comprar um juntos.”

            “Sei...” Respondi franzindo o cenho. Olhei para cima e vi meu pai e meu sogro fugindo da bronca se escondendo na sala.

            Aiden logo saiu correndo para seu quarto e fui terminar de arrumar as coisas para que Mea conseguisse colocar o menino no banho.

            Mais tarde naquela noite, com a mãe de Mea e Lincon, Tom e Adele, Megan e Alexia, Owen e meu pai, e Jeremy comemoramos mais um aniversário de Aiden que conseguiu mudar a vida de todos e nos unir ainda mais. Olhar para ele me fazia pensar em tudo e ser grata por conseguir ser uma boa mãe, ser grata por ter superado meus problemas e poder dar a meu filho hoje o que eu nunca tive.

            Mea me olhou e sorriu, sabendo no que eu estava pensando, como sempre. Ela se aproximou de mim e se colocou em minha frente, segurando minhas mãos para envolve-la pela cintura. Apoiei meu queixo em seu ombro e beijei seu pescoço.

            “Eu te amo, Mea.”

            “Eu também te amo.”

            “Eu sei.” Respondi e comecei a rir, levando um beliscão de leve na perna.

            Ficamos olhando para Aiden no colo de Megan, brincando com Tom e Alexia,, enquanto Teddy pulava de um lado a outro tentando roubar os farelos de bolo que caiam no chão. Nossa família estava formada e a felicidade é tamanha que não cabe em mim.

            Penso em escrever outro livro, partir para outras formas de literatura, mas o mais importante é que pretendo deixar que todos que acompanharam minha história estejam juntos comigo nisso, que saibam que a mudança que parecia algo irreal, intocável, idealizável apenas foi possível. Enfrentar os meus medos e traumas, viver livre de qualquer situação estupidamente ridícula em que eu acabava magoando as pessoas que apenas tentavam se aproximar de mim parecia impossível, conforme eu me afogava cada vez mais na escuridão, sem qualquer perspectiva de mudança ou esperança de um futuro melhor. Achei por tempo o suficiente para me fazer viver como se estivesse sufocando, que nunca mais a veria ou a teria, e agora, cá me encontro, pensando na sorte que tenho, em como as coisas são capazes de mudar, basta querer. Tenho esperança de ser cada vez melhor, graças a ela, minha libertação, graças a sua ajuda de tornar meus sonhos em realidade, de me estender a mão e sua força de vontade, sua esperança em nós, eu tenho hoje a certeza de que essa escolha foi a melhor da minha vida.

 

            Casar com Mea e construir com ela um futuro foi a melhor coisa que a vida pôde fazer por mim depois de tudo. E não há como eu ser mais feliz.

Notas finais:

Sunshine acabou. Queria agradecer a todas que leram, que comentaram, que gostaram e apoiaram. Sunshine foi meu primeiro filho e ter esse respaldo de vocês foi mais do que gratificante, foi o que me incentivou a continuar. Por ser o primeiro filho, peço desculpa pelos atrasos e alguns erros.

Escolhi postar o último capítulo hoje, dia dezoito por ser uma data especial. Encerro o ciclo de Sunshine que é muito importante, que me ajudou em alguns aspectos pessoais, mas também é a data de outro algo importante que começou na minha vida. Então, hoje é um dia especial para mim.

Só tenho a agradecer a Sunshine, não só pela experiência e crescimento pessoal que me proporcionou, mas por, graças a ele, ter conhecido uma pessoa que hoje me faz sorrir atoa.

E além disso, devo um agradecimento a você, Lohanne, por ter me aguentado, por ter corrigido, por ter dado ideias, por ter me incentivado. Por ter insistindo em falar comigo quando eu era idiota. Ainda bem que conheci você. Ainda bem que tenho você.

 

Então, é isso. Obrigada de novo, não tenho como agradecer, e eu volto. Assim que possível, eu volto com outra ideia. Beijo para vocês, espero que continuemos juntas. E um beijo nos meus lugares preferidos a minha "crush" (que não é o melhor nome para nós, não é?). Te goxto, crush.



Comentários


Nome: Palas F (Assinado) · Data: 13/11/2016 07:10 · Para: Capitulo 36

Apaixonada! Apenas.



Nome: Dolly Loca (Assinado) · Data: 21/06/2016 14:24 · Para: Capitulo 36

Lindo, lindo, lindo!!!! Amei a história.



Nome: Ada M Melo (Assinado) · Data: 20/06/2016 13:57 · Para: Capitulo 36

ja estou com saudades de Sunshine, amei essa historia desde o primeiro cap foi amor a primeira vista, o final foi perfeito,



Nome: patty-321 (Assinado) · Data: 20/06/2016 11:30 · Para: Capitulo 36
Parabéns pela ótima estória. Obrigada por ter postado. Q vc continue escrevendo tão bem e q a sua vida tenha sunshine sempre. Amei a estória, as personagens, sofri e me alegrei com elas. Fik bem e un grande BJ.


Nome: Sara (Assinado) · Data: 18/06/2016 21:41 · Para: Capitulo 36

Parabéns autora por esta história maravilhosa! Amei amei 😍 ai o meu core agora q acabou. Nunca vou esquecer.

Bjs 😍



Resposta do autor:

Obrigada, Sara!! Não vou esquecer de vocês também Beijos!



Nome: annagh (Assinado) · Data: 18/06/2016 20:34 · Para: Capitulo 36
História LINDA!!! Tenho um carinho enorme por Scoutt e Mea, elas ficarão pra sempre na minha memória e no meu coração. Pode ter certeza. Tirei muitas lições desse relacionamento conturbado, porém, verdadeiro. É uma prova de que o amor sempre vence. Tenho também um carinho imenso por essa Autora Linda e cheia de sensibilidade. Parabéns Fê...já tô com saudades!!!Volte logo.beijão.

Resposta do autor:

Oi, Ana! Fico muito feliz de saber que acabou tirando algumas lições no meio disso tudo, acabei ajudando? 

Obrigada pelos elogios! Vou voltar logo que puder, pode deixar. Beijo.



Nome: Ariana (Assinado) · Data: 18/06/2016 19:53 · Para: Capitulo 36

Socorrro eu adorei!!!!!!!!!! Me segura não pode acabar :O Vou guardar no meu coração <3 Sunshine <3



Resposta do autor:

Se alguém for te segurar, vai ter que me segurar também! 

Obrigada por ter acompanhado! 

Beijo!



Nome: lohs (Assinado) · Data: 18/06/2016 10:18 · Para: Capitulo 36

Hey, faz um tempo que não apareço por aqui, ne? Mas vc sabe bem os motivos. Porem, não poderia deixar de prestigiar o ultimo capitulo do baby Sunshine *emoji chorando. 

Foi incrivel essa história, a encontrei na metade da primeira temporada e devorei, virei fã e virei beta(com sacrificio). Te aturar não foi facil, escutando em TODOS os capitulos "esse capitulo ta uma merda". Kkkk Mas eu e suas leitoras, inclusive as que acompanharam na moita, provam que nada foi uma "merda". Obrigada por ter me deixado participar um pouco desse seu primeiro filho(espero que de muitos ainda).

Sunshine vai ficar na memória, Scoutt, Mea, Teddy e Aiden sao a familia exemplo de Lettera. Kkk 

Estarei esperando a próxima história. Só não demora.

Obs: Boa sorte com sua crush!

Beijao, Fe. 😘😘



Resposta do autor:

Esse ano, nós não sabemos quando, faz um ano que nos conhecemos. Eu agradeço, de novo e de novo por você ter insistido com a minha chatice. 

"Esse capítulo tá meio merda." Mas na real, meio merda tava minha vida antes de você. 

Espero ter você comigo nas próximas histórias, me suportando.

Obrigada por tudo, Lohanne. 

E sobre a crush, she's already mine. ;)

Beijão!



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.