R u gonna be my girl? por RubyRose


[Comentários - 277]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

 

yyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyy

            Uma perua platinada tagarelava sem parar ao meu lado e eu fingia que escutava. Meu olhar fixo na sua sobrancelha que não mexia. Era insano! A bichinha não importava a expressão da mulher a taturana que ela chama de sobrancelha ficava ali, estática! “Essa dai deve usar botox até na xana.” Engraçado que quando estamos em choque e sofrendo pensamos coisas aleatórias e completamente sem noção. Mais ou menos aqueles filmes onde a pessoa sai do corpo e fica olhando para o que acontecia ao seu redor? Era exatamente como eu estava me sentindo.

— Tia Lu, vem sentar aqui com a gente. Mainha está te chamando. – meu afilhado me salva daquela situação embaraçosa antes que a mulher notasse que eu nem estava para ela. João estava cada dia mais lindo! Um homão da porra! Todas as agruras da adolescência forjaram seu caráter. Sim, ele se perdeu um pouco. Mas quem não é vida loka ou faz coisas erradas aos 16?

 Deixo-me ser guiada e sento no espaçoso sofá. Lembro muito bem o dia em que eu e Alex o compramos. Eu queria vermelho e ela preto. Discutimos, ficamos emburradas, discutimos novamente e fizemos amor no sofá novo. Cinza.

Nanda e Clarinha fazem um sanduiche de Lu, como elas gostam de chamar. Nos braços das minhas amigas choro novamente. Um pranto silencioso, sofrido. As meninas sabiam o que eu estava sentindo e palavras não eram necessárias. Novamente, me perco em lembranças, em uma situação tão semelhante e tão diferente, onde achávamos que a Nanda havia morrido. Aquela época eu tive o apoio da minha mulher, sem ela eu teria sucumbido à dor!

Vejo uma foto na estante onde nós duas sorriamos para a câmera. Jovens, despreocupadas e felizes! “Ai Lexy, o que eu vou fazer sem você?”. Nosso relacionamento não foi um conto de fadas! Tivemos nossos altos e baixos. Erramos. Nós duas. Mas isso não tira a importância do amor que vivenciamos!

Eu fico pensando que, se eu não a tivesse perdoado, não iria ter vivido os anos mais felizes da minha vida! Lembro quando os meninos eram pequenos e a sua interação com eles. Nós adiamos a ideia de ter filhos porque ela não se sentia preparada. Mas quem a visse com nossos afilhados teria certeza que ela seria uma ótima mãe.

— Você quer que a gente faça algo? Bote esse monte de gente pra fora? – Nanda pergunta.

— Não consigo entender essa cultura deles de ter que vir, trazer comida e ficar comendo e bebendo na casa da pessoa que só quer ficar sozinha com o seu luto. – Clarinha desabafa.

— Tia Lu quer ir a algum lugar, sair daqui? – Bia pergunta.

— Dinda eu posso pegar algo se você quiser – João fala.

— Puta que pariu gente. Deixem a tia Lu respirar. – Analu ou Ju como eu a chamava sentou entre a Mainha dela e eu, me abraçando. Deixei a minha cabeça pender na curva do seu pescoço. É impressionante o poder que essa menina tem de me acalmar.

— João e Bia o papy pediu a vocês que fossem até a cozinha para ajuda-lo com as bebidas.

— Ah tá, e você não? – Bia fala para a irmã.

— Hellow??? Tô aqui fazendo cafuné na MINHA madrinha! – essa menina é uma figura mesmo. Nanda, Clarinha e os meninos foram para a cozinha ajudar meu amigo. Ju ficou me acarinhando. Lembro de quando ela era pequena, devia ter uns quatro anos de idade, dizia que iria casar comigo quando crescesse. Alex ria e perguntava: “Analu e eu? Como fico?”. Ela, na maior inocência falava: “Você também titia! Nós, todo mundo junto, casa!”. Simples assim!

Na parede em frente havia uma foto em preto e branco onde eu aparecia nua, onde só se via minha silhueta em uma janela aberta. Lembro-me de quando Alex tirou essa foto, foi logo depois da reconciliação e o casamento em Las Vegas. Fomos para a Grécia ter uma lua-de-mel. A menina olha a foto e sorri para mim erguendo uma sobrancelha.

— Tia Lu, me deixa de herança essa foto? – pergunta maliciosa.

— Ju você não presta mesmo. Tenho idade pra ser a sua mãe menina! Me respeite! – falei e por um momento esqueci-me do sofrimento. A minha afilhada sempre fazia essas brincadeiras comigo, porém nos últimos anos a intensidade aumentou. Alex brincava com isso e dizia que ela queria casar comigo mesmo.

— Oxi graças a Deus que você não é! Senão eu iria para o inferno pensar as coisas que eu penso – falou zuando e eu dei uma risada.

— Só você para me fazer não pensar em toda situação. – sorri calmamente.

— Olha!! Já consegui tirar um sorriso de você! A tia Alex não iria gostar de ver você desse jeito! Ela iria querer que você ficasse bem! Lembra o que você prometeu a ela!

— Eu sei, mas eu sinto tanta falta dela – lágrimas molhavam a minha face e eu não notava.

— Lu, vamos pensar nas coisas boas? Em como a tia Alex te amava, em como vocês foram felizes por todos esses anos... Vai ter saudade sim! Vai chorar se sentir perdida... mas você tem a gente. A sua família que te ama demais!

— Tá parecendo o mestre dos magos ou o chinês do karate kid! Cadê a minha afilhada? – sorrimos levemente. — Obrigada meu amor! Eu amo todos vocês!

— Mas eu um pouquinho mais né? – pergunta zuando novamente.

— Analu vamos pro hotel? Lu, depois a gente volta tá. Viemos direto do aeroporto e eu tô um trapo. – Clarinha fala. —Vamos dormir um pouco e depois voltamos.

— Vou ficar mamãe.

— Deixa Clarinha, eu quero que Ju fique. Ela tá conseguindo fazer com que eu me esqueça um pouco da dor.

— Olha lá eihn? Sabe que essa daí é espaçosa como a Mainha dela!

— Mamãe!

— Não estou mentindo. – minha amiga sorri e me abraça. - Lu,  o que você vai fazer daqui pra frente.

— Só sei que vou voltar para casa. Nada mais me prende aqui.

 

 

yyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyy

 

            Clarinha não queria ver ninguém, ficava dentro do quarto, não saia e nem banho tomava. Tia Alice estava desesperada com a situação. Confesso que na primeira semana após o acidente eu fiquei totalmente perdida. Alex foi imprescindível para a minha sanidade física e emocional. O cuidado da fotógrafa com o meu bem estar foi intenso. Ela me mimava, me alimentava e até banho me dava. Minha loira teve a sensibilidade de notar que eu não estava disposta a um contato mais intimo! Eu tenho a certeza de que se não fosse por ela eu estaria como a Clarinha.

Nesse tempo ficamos na minha casa e minha loira cativou toda a minha família! Até Odete a amou de cara e começou a fazer inúmeros quitutes para agrada-la! Nós iriamos voltar para NY logo, mas novamente Alex compreendeu que eu não queria ficar longe da minha amiga. Já fazia um mês e Clarinha ainda estava no mesmo estado terrível. Resolvi acabar com essa palhaçada e fui até a sua casa. Invadi o seu quarto e ela está imóvel em cima da sua cama.

— Puta que pariu que fedor tá nesse quarto! Tá cheirando a asa, xana, chulé tudo misturado! – começo a falar abrindo tudo que é janela. Clarinha se esconde mais embaixo do edredon. – Não não não, já pro banho! – arranco suas cobertas e a puxo pela mão  – Vamos tirar essa nhaca, esse budum! Essa xana ai deve tá com uma plantação de fungo!

Clarinha estava em um estado deplorável. Acredito que ela tenha emagrecido uns 10 kgs! Seu rosto estava cheio de vincos e seus olhos apresentavam olheiras. Comecei a falar sem parar para tentar que ela reagisse. Nada!

Falo para ela que isso já é ridículo! Que ela ia acabar se matando! Que era para ela pensar nos outros e não apenas na sua dor. Que a Mazé e os pais dela também estavam devastados. Que se ela morresse agora a vida de todos iria acabar. Falava sem parar! Emendando um assunto no outro enquanto a lavava, secava, vestia.

— Será que dá pra você calar a boca caralho? – ela grita e eu começo a rir a abraçando.

— Eu sabia que ia conseguir te trazer de volta. Vem desce comigo, vem comer alguma coisa. – a levo para comer algo. Meus tios sorriem agradecidos quando notam que eu consegui faze-la sair do quarto. Ela começa a chorar silenciosamente e eu a abraço.

— Eu sei que é clichê o que eu vou te falar: mas a Nanda seria a primeira a te dar porrada por você estar nesse estado. Ela iria te chacoalhar até você voltar a ser a Ana Clara.

— Tá doendo demais Lu. – seu choro era doido. – Eu queria que tudo fosse um sonho ruim. Queria acordar com ela do meu lado. Queria acordar com ela me fazendo carinho e falando com a minha barriga. Queria acordar e ver que todos estão enganados e ela não se afogou.

— Eu sei Clarinha. – nós duas choravamos – Mas você precisa reagir. Você precisa ser forte pela sua mãe, pelo seu pai... pela Mazé! Faz mais de um mês que você tá assim. Todos nós estamos sofrendo! Mas a gente tem que se ajudar e voltar a viver. Eu vou ficar com você, tá? Por quanto tempo você precisar. – nos abraçamos novamente ainda choramos.

Clarinha aos poucos foi retornando a vida. Dentro do possível é claro. Mas a minha amiga já se alimentava, convivia com a família e fazia a sua higiene! Alex e eu íamos sempre passar um tempo com ela. Víamos filmes, séries, passeávamos com o Sabrino, andávamos pela praia. Minha amiga nunca disse, mas eu sabia o quanto ela estava agradecida com a minha presença.

Finalmente, Clarinha estava melhor e iria retornar para o seu trabalho e faculdade. Voltamos para NY e passamos na Masom Domain para dar um oi para Nora. Quando chegamos Megan vem e abraça minha mulher.

— Sweetie que saudade! – a ruiva falava. Oi? Que porra é essa? – Ah, oi Luiza! Pensei que você iria ficar naquela terra!

— Não Megan, como eu iria deixar de te ver? Meu peito ia ficar apertado de tanta saudade!

— Olha aqui....

— Vamos conversar com a madrinha? – Alex me puxou para o escritório de Nora.

— Nora!!!  - abraço a minha mentora!

— Alex que merda você fez? Que história é essa de dar 10% da Domain para a Megan?

— Como é que é? – grito. Alguma coisa não tava certa e eu iria descobrir o que é!

Notas finais:

Oi gente linda do meu core!

Um aviso: vou escrever o romante da Cris após o termino da 3 fase.

Ah Rose por que? Porque sim.

Brincadeira. É que eu vou construir uma tensão entre a Leila e a Lu. Durante o periódo que ela e Alex ficarem separadas.

Nesse cap. eu dei alguns spoilers! Alguém sabe quais foram?

Comentem Mig@s!

besos no core <3



Comentários


Nome: Pouca Sombra (Assinado) · Data: 14/07/2018 21:39 · Para: Capitulo 30 - Friendship

OMG!

Como assim o grande amor da vida da Lu não é a Alex?

Estou sofrendo por antecedência... 



Resposta do autor:

Oieeeee!

o grande amor, que sera maior do que ela sente prla Nanda, ainda virá =D



Nome: Ana Gil (Assinado) · Data: 02/07/2018 03:04 · Para: Capitulo 30 - Friendship

Eu não me conformo que a Alex morre ????



Resposta do autor:

Sim Ana! Desde o primeiro cáp isso tava claro.

Mas não se preocupa que a historia de amor delas vai ser linda.

Não fica triste <3



Nome: HD95 (Assinado) · Data: 01/07/2018 20:21 · Para: Capitulo 30 - Friendship

Eitaaaa... agora o trem tá ficando bom mesmo. kkkkkkkkkkkk

 

Att. Hanna



Resposta do autor:

Curtiu? Hehehe



Nome: NayGomez (Assinado) · Data: 01/07/2018 20:15 · Para: Capitulo 30 - Friendship

What?  A Alex morre no futuro , mais pq,  adc Mew como assim a Lu vai ficar sozinha,  sem a Alex já estou chorando aqui.  Fiquei mal agora T.T . Alex conta Logo e acaba com a palhaçada que Megan vem fazendo. 



Resposta do autor:

Oieeeeeee! Lu vai ter o grande amor da vida e não é a Alex S2



Nome: SPINDOLA (Assinado) · Data: 01/07/2018 14:50 · Para: Capitulo 30 - Friendship

Bom dia, Rose.

Eita que este capítulo me deixou mais perdida que cego em tiroteio, rsrsrs

Me diz que a Alex morreu de mentira para descobrir alguma falcatrua da Megan surucucu, rsrsrs

Pensei uma coisa e gostaria que fosse verdade, confesso que já tinha pensado nesta hipótese e iria gostar de montão que é você juntar as três, Lu, Alex e Nanda Jr. Diz que sim, seria um poliamor sensacional.

Você foi maldosa soltando spoilers misteriosos rsrsrs

Autora maravilhosa, sabe manter o interesse de suas leitoras, mas maldosa rsrsrs

Bjs de montão



Resposta do autor:

Hahahhahahhaha pooooo não sou maldosa kkkkk

beijooo



Nome: luaone (Assinado) · Data: 01/07/2018 04:34 · Para: Capitulo 30 - Friendship

Poxa autora... sei que tem algoS a mais... mas ser pressionada a encontrar é tenso...

Independentemente, percebi um coisa sutil: a Nanda Jr/AnaLu/Ju sentou-se entre a Mainha e a Lu... provavelmente ela deve saber que elas tiveram algo na adolescência... já passa a constar com "demarcação de território" não?!

Tá bom... eu sei que estás com comichão pra contar... fala onde esse último ovinho ficou escondido... 

Adoraaaaaaaando a estória!!!



Resposta do autor:

Quem é papy?

Alex pediu que a Lu fosse forte

:)



Nome: luaone (Assinado) · Data: 30/06/2018 23:54 · Para: Capitulo 30 - Friendship

Nossa, a senhora tá cada dia melhor!!!

Spoilers a vera: os erros de ambas (selado que a Lu pegou a Cris enquanto estava separada da Alex), o perdão, AnaLu/Nanda Jr (Ju??? Ansiosérrima pra descobrir os porquês), João e a adolescência complicada (quando ele descobrir ser fruto de toda aquela violência o garoto vai pirar... selado!)... muita coisa... 

Tenho que estudar... quando eu terminar lerei novamente e procurarei mais spoilers... ou seriam easter eggs?! Kkkkkkkkkk



Resposta do autor:

Easter eggs! Exato!

isso mesmo Ju = Nanda Jr. (bem coisa de Lu kkk)

sobre o joão, é por ai, não é bem isso.

sobre a Cris, ainda não descidi kkkk

faltou uma coisa ai!!!!!

descobre e depois me fala!



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.