O amor chega sem avisar por patty-321


[Comentários - 144]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

 

A colação de grau da turma da Marina foi linda, fui uma das professoras homenageadas, apesar de ter ministrado aula apenas em dois semestres, mas marquei de forma positiva a turma, muito emocionante. A família da Marina veio de Minas para prestigiar a formatura dela. Sua mãe, uma prima e um tio com a esposa. Finalmente eu iria conhecer a minha “sogra”, medo. Mas ela já sabia do nosso relacionamento e já havíamos conversado por telefone e mensagens. Após o ritual da colação, fomos num restaurante, eu a Marina e a família. Foi muito agradável, todos me trataram super bem. Com a minha simpatia irradiante foi bem fácil me enturmar e ter conversas super agradáveis com todos.

- Hum, amor, você ta fazendo sucesso com o povo, hem? Até o tio que é muito sério, já está todo sorridente com você. Rum, já to com ciúme.

- kkkkkk. Ciúme é? Deixa de ser boba, só estou sendo eu mesma, esse é meu jeito de ser. E que bom que estou agradando- Dei-lhe um beijinho no rosto e voltei a minha atenção para os participantes da mesa. Por baixo da mesa, a safada começou a passar a mão nas minhas coxas. Eu usava um vestido preto longuinete.

- Então professora Sandra. A minha filha foi uma boa aluna ou deu trabalho?

- A Marina é muito inteligente. Ela só teve aula comigo um semestre, pois ela apenas pagava aquela matéria, por causa da transferência de faculdade, ela teve que pagar poucas matérias para poder colar grau. Eu só chamei sua atenção quanto às faltas. Ela faltou bastante no início.

- Ah sim, foi na época em que eu adoeci e ela foi me ver. Conseguiu uma licença prêmio de 10 dias no trabalho dela e foi ficar comigo e isso foi bem no início do período.

- Sim, foi isso mesmo, ela me contou, mas como tem aluno enrolão eu demorei a acreditar. Kkkk. Ai. – Marina me beliscou.

- Ficou duvidando de mim, foi dona Sandra? Maldade isso hem.

- Oh amor, eu sei que você não é dessas.  E a senhora sabe que quando começamos a namorar, ela já não era mais minha aluna, se tornou minha amiga e aí o resto a senhora conhece.

- Sim e faço muito gosto desse namoro. Nunca gostei daquele homem, o João. Nunca assumiu nada com minha filha, se acha o galã. Imagina aquilo novo? Tá velho e não deixa de ser safado. Pensava que a Marina era propriedade dele. Affz.

- Tá bom mãe, pare, isto é passado. Não gosto nem de ouvir falar do nome daquele traste.

E assim foi a noite entre conversas e comilança. O tio da Marina havia alugado um carro para passar aqueles dias e eles estavam hospedados num hotel no centro da cidade, assim eu fui com a Marina e a Manu para o apartamento delas. De manhã cedo fui pra casa. Os meus meninos iam passar o fim de semana com o pai.

A festa de formatura foi show, todos os formandos bem arrumados e a minha Marina, ah, muito linda num vestido vermelho, só achei muito decotado, rum. Ciumão. Estava tudo muito lindo e de muito bom gosto, eram poucos os formandos, mas eles capricharam. Eu me dividia entre a mesa dos professores convidados e a mesa da família do meu amor. A Helen estava também participando e eu a apresentei a minha sogra. Foram muitas fotos, abraços, emoções a mil. Sonho conquistado para cada formando e suas famílias.

Dois dias após a festa de formatura, a família da Marina voltou pra casa, fizemos uma promessa de irmos visitá-los logo, no final do ano, no período de minhas férias. Gostei muito de todos e eles de mim. Amém.

- É amor, você conquistou mesmo todos, hem? Titio não parou de elogiar, tua inteligência, conhecimento e beleza, rum, velho safado, a tia do lado e o nó cego jogando conversa na minha mulher.

- KKKKK. Louquinha, ele é somente gentil, para com esse ciúme bobo, meu amor. Ele só gostou muito de trocar idéias comigo, ele é um homem muito esclarecido.

- Sei, sei, mas to de olho nesse velho, ele que não venha com graça no final do ano, quando estivermos lá. – Essa conversa era no retorno ao aeroporto. Manu estava na escola, senão era outra ciumenta que eu iria enfrentar. Eu me divirto com essas duas mulheres da minha vida.

A vida prosseguiu, estávamos quase no final do ano, no mês de novembro e daqui a 15 dias seria meu aniversário e também um pouco mais tarde férias, ihuuu. Iria viajar com meu amor, meus filhos iam passar uma parte das férias com o pai, justamente o período que eu ficaria fora da cidade. Estava tudo planejado. Estávamos muito bem, o traste havia sumido de nossas vidas e a Marina já havia até almoçado num fim de semana na casa de minha mãe, conhecido meus irmãos, que adoraram ela e a Manu, então, esta faz um enorme sucesso. Abri logo o jogo com minha mãe e depois falei com eles, ficaram bem surpresos, mas não fizeram críticas, tínhamos isso na família ninguém se metia na vida um do outro, continuaram tratando a Marina muito bem, mas sei que todos estão ainda processando esta nova verdade na minha vida. Vida segue.

- Sandra, vamos mana, daqui a pouco fecham a garagem da faculdade com a gente aqui na sala dos professores.

- Amiga, vá logo, vou demorar mais uns 10 minutos, sair muito tarde da sala de aula, pois foi apresentação de trabalho e terei q fazer a freqüência agora e essa turma é gigantesca.

- Tá bom, te vejo amanhã. – Deu um beijo na minha cabeça e foi pra garagem pegar seu carro e curti uma boa noite de sono.

Sempre achei essa garagem aterrorizante, parece que entro num filme de terror, cruzes e ta um breu isso aqui, eita,!! Também quem mandou demorar tanto. Ainda bem que tenho o celular, a lanterna dá pra iluminar o caminho. Destravo o alarme do carro e abro a porta, quando ouço passos e me viro, em seguida vejo a silhueta de um homem saindo detrás de uma pilastra, imagino que é um dos guardas.

- Oi, quem está aí? Sou a professora Sandra e já estou indo.

De repente ouço um estampido e um clarão, só sinto o impacto e sou lançada por cima do capú do carro e uma dor lancinante em meu abdome e vou caindo lentamente ao chão, deixando um rastro de sangue no carro. Coloco as mãos no meu abdome, tentando entender o que havia acontecido, quando ouço os passos se aproximarem, tomo a consciência de que levei um tiro e que a pessoa que fez isso estava  vindo terminar o serviço. Passou um filme na minha cabeça, vi minha mãe, irmãos, meus filhos, Manu e Marina, fiz uma prece mental, me despedindo.

 

Notas finais:

Oiii, bora ver como anda a vida dessas duas? Leaim, quem quiser comentar, ótimo. Bjs



Comentários


Nome: Bee20 (Assinado) · Data: 18/05/2018 03:37 · Para: 31 – Emoções

Ai paty pq  vc sempre faz isso com agnt? É maldade ????????????

Joao é um safadoo, merece ser preso e nunca mais sair.. Demora mt nn to viciada nessa história 



Resposta do autor:

Oi linda. To meio enrolada mas ate sexta eu posto. Bjs



Nome: Cida55 (Assinado) · Data: 17/05/2018 13:17 · Para: 31 – Emoções

Meu Deus que pena!!! Poste logo o próximo capítulo. O que houve? Estou amando a história.



Resposta do autor:

Breve, querida. Obrigada prlo comentario. bjs



Nome: eryka (Assinado) · Data: 16/05/2018 22:52 · Para: 31 – Emoções

querida autora olha la o que voçe vai a prota com a sandra por favor não demora a porta outro capitulo bjsss

 



Resposta do autor:

Calma. Bora ver. Tá fluindo. kkk.



Nome: Thaci (Assinado) · Data: 16/05/2018 22:22 · Para: 31 – Emoções

Boa noite,autora!!!

Estava tudo muito bom entre elas. Ai você resolveu aprontar com a Sandra. Claro que este serviço foi o João que mandou fazer ou fez. Estou amando a estoria. Você esta de parabéns. Nota mil. Aguardando cenas do próximo capítulo.



Resposta do autor:

tADINHA DA SANDRA. NO PROXIMO VEREMOS COMO ELA FICOU. BJS



Resposta do autor:

tADINHA DA SANDRA. NO PROXIMO VEREMOS COMO ELA FICOU. BJS



Nome: NovaAqui (Assinado) · Data: 16/05/2018 17:45 · Para: 31 – Emoções

Já não estava bom não autora? Ainda tem tiro para o lado da Sandra? Olha o que a senhora vai arrumar, heim? Aiaiaiai

Abraços fraternos procês aí



Resposta do autor:

Ficou bad pro lado da Sandra. Tem dúvidas de quem mandou ou fez o serviço? kkkk. bjs



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.