O amor chega sem avisar por patty-321


[Comentários - 173]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

Conseguir estacionar o carro e sair correndo em direção à recepção do hospital. Estava com pouco movimento nesta hora e fui pedir informação.

- Boa noite, recepcionista. Estou procurando uma paciente. Marina Souza Ribeiro.

- Um momento. Vou checar o sistema. Ela está na ala C, ortopedia. Está de alta. Suba essa escada e vire à sua direita. Pode ir lá.

Agradeci e me direcionei ao local indicado. Havia umas cinco pessoas sentadas na recepção da ala C. Olhei em volta e a vi num canto esquerdo numa cadeira, olhando para o celular. A chamei e ela me olhou com uma carinha assustada, levantou-se e eu a abracei com cuidado, pois ela tinha a mão direita engessada até a metade do braço e alguns cortes no outro braço e mão esquerda.

- O que houve minha linda? O JC te agrediu? Vamos à delegacia agora.

- Não, Sandra. Fui eu que o agredi.

- O que? Como assim?

- Me leva daqui, não agüento mais esse cheiro de hospital. Em casa eu te conto. Só para numa drogaria para comprarmos os remédios da receita, por favor.

Assim o fiz. Com a cabeça fervilhando, sem saber o que pensar, segurei minha agonia e fiz o que ela me pediu.

A ajudei a tomar um banho e em seguida fiz um leite para ela tomar com os remédios, ela não quis comer nada. Fomos ao quarto ver a fofinha que estava dormindo como um anjo e a tia estava no quarto de hóspede, acordada, esperando notícias. A tranqüilizamos e fomos pro quarto, apesar de está com muito sono, por causa do efeito dos remédios, Marina quis me contar o que ocorreu.

Lembranças on

Após o almoço, fui checar meus emails pessoais e havia um que me deixou transtornada de raiva, ódio. Infelizmente fui ler.

“Olha aqui, menina, acabei de receber uma intimação da Delegacia de mulheres, que estória é essa? Retire a acusação ainda hoje, sua traidora. Além de colocar um baita de um chifre com essa professorinha ainda tem a coragem de me acusar? Tá pensando que está lidando com algum babaca? Pense muito bem antes de querer bater de frente comigo. Você e essa filha da puta vão se arrepender. Sei tudo sobre essa sua amante, onde mora, onde trabalha, tudo. Vou dar um prazo de até amanhã de manhã pra vocês retirarem a acusação e você voltar pra mim. Já esqueceu tudo que vivemos? Todos os presentes, viagens e vida mansa que sempre te proporcionei? Acha que essa morta de fome vai fazer e te dar tudo o que dei e posso dar pra você e sua filha?

Resolvi não responder e não conseguir mais me concentrar no trabalho. Terminou o expediente e eu resolvi procurar o canalha no escritório dele. A secretária informou que ele não estava. Esperei cerca de 3 horas, mas não arredei o pé. Não entrei em contato com você, pois sabia que você não concordaria com as minhas ações. Depois o celular descarregou. Ele chegou e ficou pálido quando me viu na recepção, grande covarde. Ele entrou na sala dele e eu entrei em seguida. Dei nem tempo dele falar algo e já fui falando e colocando o dedo na cara dele, estava espumando de raiva.

- Escuta aqui, eu não te trair e sabe por quê? Você nunca assumiu nada comigo, sempre me cozinhou em banho maria e agora você quer dar uma de vítima? Larga de ser idiota e some da minha vida. Não te devo satisfação da minha vida,com quem estou ou não, não é da sua conta. Fica longe de mim e da Sandra, ela pode não ser rica de bens materiais, mas ela é rica de caráter, personalidade, dignidade, ok? Nos deixe em paz – Eu gritei essa última frase.

- Você ta surtada, só pode ser. Aquela mulher te virou a cabeça. Desde quando você é lésbica? Na cama comigo você foi sempre muito mulher, te fiz gozar muitas vezes né? Eu não aceito, mulher minha virar sapatão, se esfregar com outra mulher, vamos pra cama nós três que eu vou fazer vocês duas parar com essa putaria.

Corri pra cima dele e consegui dar um tapa naquela cara safada, não sei como, mas eu consegui, já que ele é muito mais alto que eu. Foi a raiva. Ele me segurou pelos ombros e ficou me encarando com ódio. Neste momento a secretária invadiu a sala dele, entrando rapidamente e fechando a porta em seguida.

- Dr. João Carlos, perdão mas os convidados para a reunião já estão lhe aguardando na sala de reuniões e dá pra ouvir os gritos de vocês lá fora, o que eu faço?

Ele respirou fundo e me largou. Ficamos nos encarando e a moça ficou esperando uma resposta.

- Diga que já estou indo, sirva água e café. Ela está de saída – a secretária saiu - Vai embora, Marina, conversamos outra hora. Agora tenho uma reunião muito importante e não posso mais falar com você – ele disse isso entrando no banheiro que havia na sala, se recompondo, arrumando a gravata e penteando os cabelos com as mãos e jogando uma água no rosto.

- Não saio daqui até você me garantir que não vai mais me importunar, nem a mim e muito menos a Sandra – falei baixo, trincando os dentes e respirando com dificuldade.

- Vá embora agora. Saia – Ele disse isso me deixando na sala, sozinha.

Sair da sala e a secretária veio pra cima de mim, me agarrou pelo braço e foi me dizendo:

- Sai fora sua vagabunda, agora o João Carlos é meu, faz tempo que nós temos um caso, não sabia né? Pois é, vou dar maior força pra ele acabar com a tua raça e a da tua sapatona, duas nojentas - Ahhh eu acho que surtei. Dei um empurrão na idiota e invadir a sala em que ele havia entrado, lá dentro tinha uns 4 engravatados.

- João Carlos seu canalha, filho da puta, você vai me escutar agoraaaaaa – gritei a plenos pulmões, os velhotes tomaram um susto e eu sair quebrando tudo naquela sala, puxei os fios que estavam ao meu alcance, levando computador, data show e o que mais encontrei pelo caminho. Foi um verdadeiro furacão. Quando dei por mim, havia dois seguranças me colocando na rua, jogaram minha bolsa no chão aos meus pés. Parece que neste momento eu acordei, sair andando alguns quarteirões, não sei, meu pulso começou a doer, entrei no primeiro táxi que vi e vim para o hospital.

Lembrança off

Fiquei sem saber o que falar. Era muita informação pra processar. Marina estava aos prantos. Dei a ela um pouco de água, limpei suas lágrimas. Os remédios fizeram efeito e não demorou muito, ela dormiu.

Fiquei velando seu sono, a cabeça dando nó. E agora, o que fazer? Precisava contactar a Gisele pela manhã e ver como ficaria a situação e se ele fizesse um b.o. contra ela? Ah Marina, muito impulsiva e descontrolada. Eu entendo que é difícil ficar calma numa situação como esta, mas ela não deveria ter ido confrontá-lo, porém não vou ficar apontando o dedo pra ela. Já são problemas demais pra administrarmos. Ela é tão jovem ainda, em muitas situações se mostra muita madura em outras, imatura. Onde fui me meter? Não, eu não vou desistir de nós, eu a amo muito. Muito. Vou lutar por nós, sempre.

Marina teve um sono inquieto, se mexendo, falando durante o sono e chorando também. Eu acordava e a acalmava com palavras e carinho.

Levantei mais cedo que o habitual, afinal, não dormi quase nada à noite. Tinha que cuidar de levar as crianças na aula. Acordei a Manu e a tia, pedir pra ela aprontar a Manu e dar seu café, eu iria a minha casa cuidar dos meus, depois a buscaria pra levar na escola, junto com os meus. Marina continuou dormindo e com os efeitos do remédio e a noite inquieta ela não iria acordar tão cedo. Avisei a tia da Marina que levaria e pegaria a Manu no colégio, passaria num restaurante e traria almoço pra todos.

Fui trabalhar e a todo o momento pedia notícias da Marina, ela acordou por volta das 11 horas e a tia deu o remédio, ela tomou um café com pão e ovos e estava sonolenta ainda.

- Oi amor, como você está se sentindo?

- Oi meu bem. Parece que fui atropelada por um caminhão. Você entrou em contato com a Gisela? Tenho certeza que o JC não vai me denunciar, ele não quer escândalo. Espero que ele nos deixe em paz agora que ele viu do que eu sou capaz, apesar de que me arrependo.  Ai ai, eu não deveria ter perdido a cabeça.

- Falei com ela sim, até o presente momento, não há contra você na justiça, vamos aguardar. Agora não adianta ficar remoendo o que foi feito. Esfria sua cabeça, se recupere desses machucados e vamos torcer pro canalha sumir.

- Obrigada por tudo. Por ficar do meu lado, por não ficar me acusando, eu já me sinto culpada o suficiente por esta situação. Te amo muito. Eu não vou trabalhar, peguei atestado pra semana, mas vou pra aula assim mesmo, senão ficarei muito prejudicada com tantas faltas.

- Ok. Eu passo pra te buscar você não vai poder dirigir com esse pulso fraturado e lembre-se que somos um casal e temos nos apoiar em todas as situações. O que não bênção é lição, vamos aprendendo. Também lhe amo. Até a noite. Bjs.

Após as aulas, fomos à casa dela pegar suas coisas, ela e a Manu iriam ficar comigo a semana inteira, não ia deixá-la sozinha e a sua tia não ia poder ficar em sua casa direto.A logística ficava mais tranqüila assim.

Em quinze dias ela tirou o gesso. A sua recuperação foi excelente. Gisela me ligou dizendo que o estrupício havia ido depor na delegacia e a delegada foi bastante firme com ele e que o mesmo negou tudo e não tocou no acontecido no escritório. Ufa. Melhor assim. Quero enterrar este assunto. Marina havia deletado todos os emails que ele pudesse ter conhecimento, apagou também suas contas das redes sociais, ela não queria correr o risco de ter qualquer contato com ele. Após um período ela abriria outra conta. Esse era o plano.

Final do período chegou à faculdade e não tivemos mais nenhum transtorno, estava tudo tranqüilo. Marina concluiu o curso e em agosto, ela colaria grau. Havíamos feito plano de passarmos uma semana na Argentina, assim que nossos filhos entrassem em férias. A pequena iria passar as férias em Minas com os avós e o pai, como sempre e os meus meninos ficariam divididos, uma semana na casa do pai e outra comigo. Afinal, férias do meio do ano são curtíssimas.

Foram dias lindos, Buenos Aires é maravilhosa. Ficamos em lua de mel. Visitamos e curtimos tudo que tínhamos direito. Á noite, após jantares deliciosos regados a vinhos e tango, nos amávamos até alta madrugada. Entre beijos e carícias calientes, juras de amor e risadas, foram dias e noites incríveis.

Notas finais:

Então, mais um capítulo. Será que agora é somente paz e amor?



Comentários


Nome: flawer (Assinado) · Data: 09/05/2018 16:35 · Para: 30 – Surtando

Rapaz...

Acho q o peludo vai pegar no pé das duas mais ainda. Kkkkk

Vamos ver, nos próximos capítulos!

Beijinhos



Resposta do autor:

Vamos ver. Algumas ideias aqui, só falta o tempo pra escrever. Mas bora lá. bjs



Nome: Bee20 (Assinado) · Data: 06/05/2018 13:57 · Para: 30 – Surtando

Que o JC desista e deixa elas em paz 



Nome: Tekaxaviers (Assinado) · Data: 06/05/2018 03:02 · Para: 30 – Surtando

A reação dela acabou que afastou o JC, tomara ele não querer vingança, pois já viu que Marina não é brincadeira. 



Nome: eryka (Assinado) · Data: 06/05/2018 02:40 · Para: 30 – Surtando

eu espero que esse joão deixe sandra e marina em paz 



Nome: Socorro de Souza (Assinado) · Data: 06/05/2018 02:04 · Para: 30 – Surtando

Paz e amor pfv autora kkkkk

duvido mto kkk



Resposta do autor:

Bora ver. Valeu pelo coment. bjs



Nome: NovaAqui (Assinado) · Data: 06/05/2018 01:36 · Para: 30 – Surtando

Esse João vai querer perturbar outra vez. Já está com a secretária agora deixe as duas em paz

 



Resposta do autor:

Também acho, cara sem noção. Né? rs



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.