R u gonna be my girl? por Rose SaintClair


[Comentários - 299]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

          Cheguei em casa morta de fome. Depois de ter perdido a primeira aula tive que pedir a matéria para a Jennifer, monitora da disciplina. A loira azeda me olhou de cima a baixo com cara de cu. Mas pelo menos me passou os tópicos depois de me enrolar por quase duas horas. "Que ódio!".

— Que cara é essa prima?

— Ai Bi, me perdi de novo.  – Bianca deu uma gargalhada. - Pior é que tive que pedir a matéria para a monitora babaca.

— De novo Lu? Nossa! O que você tá gastando de metro daqui a pouco dava pra andar de limousine todos dias. – Bianca me zuando desde sempre.

— Eu preciso morar mais perto. To tentando que meus pais aceitem...

— Eu iria com você. Mas vou ter que me mudar pra Índia lembra? Vou chefiar uma equipe na filial de lá.

— Prima gênia é outro nível. - comecei a rir dela. Ela me tacou uma almofada na cabeça. Pena que a Bi iria embora daqui.

— Lu, e se você conseguir um estágio na ilha? Quem sabe em algum atelier ou revista.

— Caralho Bianca! Quer me botar pra trabalhar! To me sentindo a Isaura. – falei com meio sorriso.

— Ai Luiza, não é pra tanto. A princesa ai tem que aprender a se virar.

— Eu sei... eu seiiiii! – vou para o meu quarto como se o mundo fosse acabar. Sendo melodramática desde sempre. Claro que eu sabia que teria que começar a me virar, mas acho que as pessoas ficam esperando uma resposta torta minha. Uma gozação. Alguma coisa sem noção. Eu sou um personagem e aprendi que assim é mais seguro.

Deito na minha cama e fico olhando as fotos do meu celular. Eu tenho uma pasta secreta onde só tem fotos da Nanda. Sou patética, eu sei. Desde muito cedo eu soube que nunca teria uma chance real com ela. O modo que ela cuidava da Ana Clara, realizando todos os seus desejos e pedidos sem pestanejar. O modo que ela olhava para a sua melhor amiga, como se todo o universo estivesse em um só lugar, onde a Clarinha estava.

Desejei secretamente que esse sentimento e cuidado fosse por mim. Muitas vezes me imaginei sendo a Ana Clara. O que eu faria e o que eu diria para ela. Ninguém nunca soube disso. Nunca deixei essas emoções serem descobertas. A Nanda foi meu tudo. Meu primeiro beijo, minha primeira vez, meu primeiro amor.

Vejo uma foto de quando eu tinha 14 anos e estávamos na frente da escola. Um grupo de meninas e meninos felizes e despreocupados. Era um passeio onde iriamos para um resort e algumas turmas estavam misturadas. Na imagem mostrava claramente eu olhando para a Nanda e ela para a Clarinha.

Depois do nosso primeiro beijo eu evitei a Nanda como o diabo foge da cruz. Fiquei com medo de que para ela não tivesse sido grande importância. Naquele verão finalmente a adolescência começou a fazer a sua mágica. As aulas começaram e de Olivia Palito que usava aparelho nos dentes eu virei uma Jessica Rabbit. Os meninos me paravam no corredor perguntando se eu era aluna nova. Aquilo fez muito bem para o meu ego, tenho que admitir. Estava ansiosa para ver a Nanda e mostrar a “minha evolução”. Mesmo com receio de partir meu coração eu queria me declarar para ela. Revelar que sou completamente apaixonada por ela. Mas, naquele primeiro dia de aula, tive meu primeiro coração partido. Nanda estava aos beijos com a Roberta no banheiro. E como sempre, parti para o ataque com medo de me machucar mais.

— Nossa que nojo!! Vocês não tem vergonha não? Duas sapatas se beijando! – falei desdenhando sem tirar os olhos da Nanda.

— Escuta aqui o garota... – Roberta partiu para cima de mim, mas a Nanda falou para deixar quieto e as duas saíram. Fui para um reservado e deixei o choro vir. Agora eu tinha certeza que o beijo não significou nada para ela. O sinal soou e eu fui para o espelho. A maquiagem cobriu todo e qualquer resquício do meu pranto.

A partir desse dia eu era vista sempre com algum menino a tiracolo. Sei que a minha fama era de puta, vadia, piranha. Mas eu pouco me importava. Sabia que os meninos inventavam várias coisas sobre mim. Mas a única coisa que me machucada era ver a Nanda com outras meninas. Algumas na frente de todo mundo, mas a maioria escondida. Como eu sei? Eu sabia tudo sobre a minha obsessão. Sabia se ela estava feliz ou triste. Por isso, que eu fui a única pessoa que soube que a Cláudia estava dando em cima do meu amor, e o pior ainda.... eu soube que a Nanda estava apaixonada.

Durante esses anos muito se falava sobre mim. Que eu tinha dado pra fulano. Que tinha chupado a rola de sicrano. Eu tava pouco me fudendo. Fazia que não era comigo. A verdade é que eu era virgem e não tinha ido mais que poucos beijos com os garotos. Eu só tinha olhos para a Nanda e sofria em silêncio.

Eu podia simplesmente ficar longe. Mudar de escola. Mas acho que eu sou meio masoquista. Precisava estar perto dela. Mesmo que seja para maltratá-la. E sempre toda a zuação e trollagem que eu fazia, ela olhava para mim e me tratava bem. E eu ficava mais apaixonada ainda.

Continuava a estar em todos os grupos que ela estava. Tentei até mesmo entrar na equipe de jiu-jitsu, mas não deu muito certo. A primeira imobilização eu cai de soco pra cima da menina. Fui expulsa na hora.

Descobri que ela daria monitoria de filosofia. Zerei uma prova de propósito para que pudesse ficar um pouco mais com ela. Quando a gente estava sozinha, parecia que nada tinha mudado. Que éramos aquelas meninas de 7 anos. Mas sempre chegava alguma garota pra se meter. Pelo menos a Cláudia foi para Londres depois de um tempo.

Na excursão para o Resort em Porto Seguro eu dei um jeito de ficar no quarto da Nanda. Os quartos eram duplos e apenas quem fosse da sua turma poderia ficar junto. Chegando no quarto vimos que nos deram um que tinha cama de casal. Nanda ficou vermelha na hora.

— Lu, se você quiser eu durmo no chão.

— Para de besteira louca! Até parece que eu me importo. – meu coração batia descompensado. Eu estava tão feliz que era capaz de dançar a Macarena.

— Tá... ok. Vou lá ver a Clarinha.

Durante a janta Clarinha, Cris, e outras meninas não desgrudaram da Nanda. “O coisa chata!”.  A monitora mandou todo mundo para o seu quarto depois da sobremesa, porque no outro dia pela manhã sairíamos cedo para uma trilha.

Nanda foi para o banho e eu comecei a colocar o meu plano em prática. Separei uma lingerie vermelha e um babydool super curto. Eu sabia que era gostosa e queria seduzi-la. Eu estava pronta para a minha primeira vez e não queria que fosse com qualquer um. Queria que fosse com ela, para eu ter mais essa lembrança.

Após ela sair do banheiro entro e começo a me arrumar. Me banho e me perfumo olhando o reflexo no espelho. Alta, morena, olhos verdes, boca carnuda, seios generosos e bunda arrebitada. “Seja o que Deus quiser.” Saio do banheiro e vejo a Nanda deitada na cama mexendo no celular. Vejo que acertei na medida, quando ela me olha com os olhos enegrecidos de desejo. Eu me aproximo e sento na sua cintura.

— Massssoque? – ela balbucia.

— Nanda, eu queria te pedir um favor. – falo dengosa, traçando com meu indicador o bico do seu seio por cima da camiseta.

— Ãr... o.. o que? – engole em seco. Aproximo minha boca do seu ouvido e sussurro.

— Me fode bemmmm gostoso?

— Mas Lu... tem certeza?

— Muita. Mostra pra mim o que você aprendeu com a Cláudia.

— Mas como você sabe do meu rolo com a Cláudia?

— Eu sei tudo de você Nanda. – junto meus lábios nos seus em um beijo repleto de luxúria. Ai DEUS! Como eu quero essa garota pra mim! O beijo se aprofunda e ela inverte nossas posições.

Nanda morde meu pescoço enquanto tira meu babydool. Olha para meu corpo com fome mordendo o lábio inferior. Coloca as duas mãos nos meus seios e faz um apertão gostoso tirando um gemido da minha boca.

— Eu vou te comer sim. – me morde a orelha enquanto arranha a pele da minha barriga. – Só para você saber o que é ser bem comida. – levanta brevemente e tira toda a sua roupa ficando nua. “Linda!”. – A próxima vez que você dar pra qualquer garoto vai pensar em como eu faço mais gostoso. – “Ai Nanda, se você soubesse....”

Minha calcinha estava completamente encharcada. O meu líquido chegava a escorrer me deixando pronta para ela. A minha boca procurou a sua novamente. Eu estava faminta pelos seus beijos. O beijo ficou cada vez mais profundo, as nossas línguas deslizavam uma sobre a outra, enroscando-se, brigando por espaço em uma forma sensual.

Não sei em que momento fiquei nua. Toda a minha pele formigava. Meus sentidos estavam mais apurados e tudo o que eu sentia era o seu toque, o gosto do seu beijo, a sua língua na minha pele.

Gemi extremamente alto quando senti a boca da Nanda na minha boceta. Meu corpo inteiro tremeu e finquei minhas unhas nas suas costas. Comecei a rebolar sobre a sua língua, enquanto ela lutava para manter minhas pernas abertas.

— Um que delicia! – ela chupa meu clitóris como se chupasse um picolé saboroso – Grelhudinha! Que gostosa! – eu via estrelas. Nunca tinha sentido sensação igual, mesmo quando me masturbava. Ela chupava aquela parte tão sensível do meu corpo com maestria fazendo eu me contorcer sobre o lençol. Meus gritos já podiam ser ouvidos no corredor e ela tapa a minha boca com sua mão.

— Shiiiiiiiiii... quer que venham terminar nossa alegria? Fica quietinha. – eu não conseguia nem responder. “QUE BOCA É ESSA???? QUE MULHER É ESSA???”.

O meu primeiro orgasmo veio arrebatador e mordi meu lábio evitando um gemido mais alto. Nanda lambia preguiçosamente minha boceta, evitando o clitóris sensível. Ela sugava lentamente cada um dos meus pequenos lábios e a minha entrada, bebendo o meu gozo.

— Nanda... – a puxo para um beijo. – Deixa eu te tocar? – tento colocar minha mão na sua intimidade.

— Não gatinha. Eu gozo de outro jeito. Deita de costas vai....

Prontamente realizei seu desejo e ela começa a se roçar na minha bunda. “PUTA MERDA GENTE! QUE TESÃO!”. Nanda mordia minhas costas e eu balançava meus quadris em um ritmo que ajudasse na sua fricção. Comecei a ouvir alguns gemidos e sorri com isso. Até que subitamente ela me penetra com dois dedos e solto um grito de dor retesando meu corpo.

— PUTA QUE PARIU, FUDEU, FUDEU.... LU CARALHOOO, PORQUE VOCÊ NÃO FALOU. – ela levanta e olha os dedos com um pouquinho de sangue.

— Calma Nanda. – ela me olhava arrependida.

— Calma nada Lu! Eu posso ter te machucado cacete! Ninguém merece perder a virgindade de qualquer jeito. – ela fala toda preocupada.

— Nanda, eu escolhi perder com você. – seguro seu rosto perto do meu. – Eu confio em você e sei que nunca iria me machucar.

— Mas eu te machuquei!

— Não Nanda, vem.... termina o que começou. Por favor.... – beijo o seu pescoço e ela com todo cuidado me coloca na cama.

— Se doer eu paro. Promete que vai me falar?

— Prometo. – então ela recomeça, agora muito mais carinhosa do que antes. E eu... me apaixonei ainda mais.

Notas finais:

Oi oi oi meninas! Como falei nesses primeiros caps a gente vai conhecer a Lu. A verdadeira. O que estão achando? besos e COMENTEMMMMM <3



Comentários


Nome: SPINDOLA (Assinado) · Data: 23/05/2018 01:43 · Para: Capitulo 3 - A Primeira Vez

Boa noite, Rose.

Estou amando a história da Lu, ela é simplesmente sensacional. Não vejo a hora dela conhecer a fotógrafa.

Uma pena que não possa nos presentear com capitulos todos os dias, snif snif 

Bjs

 



Resposta do autor:

Vish Paty, acumulou o trabalho hahahahha bjs



Nome: Candanga (Assinado) · Data: 22/05/2018 20:58 · Para: Capitulo 3 - A Primeira Vez

Adorei esses primeiros capítulos.

Respondendo a minha colega que perguntou se era só ela que esta idgnada com a Nanda. Desde o começo todas sabiamos que Nanda era loucamente apaixonada pela Ana Clara,amiga ela não sabia que a Lu tinha esse amor platônico por ela, ou seja, ela não poderia fazer nada com relação a isso.

Voltando a história, ameieeeee... autora lindo doeu core. Gentiiii, onde estava essa Luiza? 

Adorando conhecer essa Luiza.

Bjs ate próximo



Resposta do autor:

A Nanda é sem noçao do que passa a sua volta. Ela só sabe tudo da Clarinha. Vou mostrar aqui o pq de algumas atitudes da Lu. Era pura proteção. Bj

 



Nome: Lili (Assinado) · Data: 22/05/2018 10:29 · Para: Capitulo 3 - A Primeira Vez

Lu <3



Resposta do autor:

Lu S2



Nome: luaone (Assinado) · Data: 22/05/2018 00:05 · Para: Capitulo 3 - A Primeira Vez

Caraca!!! Essa Lu é uma louca... como que a Nanda nunca enxergou?!

Só eu, ou tem mais alguém ficando indignada com a Nanda???

Fui uma primeira vez em dois momentos: 1- Loucura e 2- Cuidado e carinho...

 

Amando a história!!!



Resposta do autor:

Ai Luaaa! Lembra que a Nanda não tem noção do que acontece ao seu redor. Ela só tem olhos para a Clarinha. Não fica brava com ela não hahahah



Nome: preguicella (Assinado) · Data: 21/05/2018 23:12 · Para: Capitulo 3 - A Primeira Vez

Tadinha da Lu, apaixonada pela Nanda, mas sem nenhuma chance de competir com Clarinha! 

Mas tô gostando da história da Lu, já gostava antes pq ela passou a apoiar as meninas. hahaha

Bjão



Resposta do autor:

Amo a Lu tb S2



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.