A ruína dos anjos por Drikka Silva


[Comentários - 119]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

A criatura se encostou no parapeito do prédio, e olhou para o apartamento onde o espirito habitava. A conversa das duas mulheres era corriqueira, como várias outras que tentava não ouvir ao longo dos meses. Naquela madrugada em especial, estava a atenta a cada palavra que Andressa dizia. Tinha que ter certeza que ela não tinha visto, nem sentido, sua presença no local do acidente.

            Desviou os olhos do prédio quando as conversas foram substituídos gemidos. Já bastava toda tortura dos milênios. Não precisava e nem podia presenciar a vida intima do casal. Pulou do prédio e começou a andar a esmo pela vizinhança, de onde podia sentir o espirito, caso alguma energia negativa se aproximasse. Deixou a mente vagar para os ecos do passado, para a primeira vez que o tinha encontrado, às margens do Eufrates praticamente morto.

 

Margens do Eufrates – 6147 A.C  

 

            Já faziam muitas luas desde que havia sido designada para a terra, orientada pelo Divino para proteger a humanidade. Vagava pelas regiões observando as civilizações que ali floresciam, sempre se mantendo afastada, sobrevoando esses povos a uma altura segura para que seus olhos não pudessem enxerga-la. A primeira vez que o encontrara foi entre um nascer e pôr do sol. Enxergou sua dificuldade em respirar depois de ser atacado por uma besta dentro do pântano onde trabalhava a agricultura. Nunca antes havia se mostrado a um humano, mas algo profundamente enraizado a fez querer cuidar daquele jovem rapaz. Pousou em uma distância curta para que ele pudesse vê-la antes de se aproximar. Não queria que ele se assustasse a ponto de pôr fim a sua vida terrestre. Assim que o enxergou tão de perto, viu seu espirito, ainda jovem, sua primeira vinda a terra, assustado com o processo de desencarnação. Se prostrou em oração, ao mesmo tempo em que sentia o espirito substituir medo por esperança. Voltou a olha-lo e se aproximou lentamente, encarando seus olhos por onde via sua alma. Linda, brilhante e pura. Se ajoelhou ao seu lado e abriu as asas o protegendo das bestas terrestres. O pegou em seus braços e voou até as montanhas ao norte, longe de qualquer humano.

            As luas passaram sem que as contasse. Cuidou das suas feridas e o alimentou. Não haviam trocado palavra alguma, se comunicavam através do olhar, em uma simbiose única. Quando o corpo em que o espirito habitava se tornou forte o suficiente, faziam longas caminhadas pelas montanhas e planícies ao redor do reduto que haviam construído. Tinha se desviado do plano do divino ao se refugiar naquelas terras, isolados do resto da humanidade.

            As migrações dos animais indicaram o frio que se aproximava. Foi nesse período que trocaram as primeiras palavras.

            — Temos que partir – anunciou a criatura enquanto olhava para a planície a distância.

            O homem a olhou espantado por saber falar sua língua, mas não colocou em palavras. Ao contrário, apenas perguntou.

            — E qual a razão de sairmos desse paraíso?

            — O frio se aproxima. Em três luas estará presente. Seu corpo vai sucumbir.

            — Podemos nos aquecer. Faremos fogo e usaremos nossos corpos.

            — A ira divina recairá sobre nós.

            — Um Deus tirano jamais criaria uma criatura tão bela.

            A criatura o olhou em silêncio. Já tinha visto a queda dos anjos. Conhecia a força Divina que a criara. Diante da sua taciturnidade, o homem continuou.

            — Como devo chama-la, ou chama-lo, agora que compreende o que digo.

            — Almozsaaladiel.

            — Me chamam de Hasmut. O que você é?

            — Uma criação divina.

            — A mais bela criação divina.

            — Me descreva – pediu a criatura se ajoelhando na frente do homem – não consigo me enxergar sobre as aguas.

            — Você tem uma tez de ternura e suavidade que jamais encontrei em nenhum ser humano. Olhos negros e sábios que enxergam minha alma. Cabelos tão negros e brilhantes como a noite. Pele branca como a neve, lábios grossos como a mais suculenta fruta – finalizou tocando sua boca.

            Almozsaaladiel fechou os olhos e baixou a cabeça por poucos segundos. Não lhe fora concedido o livre arbítrio, qualquer escolha diferente de retomar seu posto de protetora, lhe seria infligido a ira divina. Mas quando pensava nisso, não conseguia imaginar nada pior que se afastar daquela alma.

            — Fique aqui comigo? Não precisamos voltar aos povos – pediu o homem. – Já temos um ao outro.

            — אלו”ים יר—ם – disse a criatura em resposta.

            — Não compreendo essa língua.

            — Voltarei em breve, Hasmut – respondeu tocando seu rosto. – Logo o sol irá se por. Prometo que voltarei.

            A criatura saiu da caverna e alçou voo até o cume mais alto da mais alta montanha a leste, onde o sol nasce. Se colocou em oração por quatro luas, pedindo orientação do altíssimo. Diante do silêncio como resposta, voou novamente ao local onde o espirito estava. Não podia estender sua espera pela resposta divina: o tempo humano era totalmente contrário do que dispunha.

            — Você esperou – falou quando viu Hasmut repousado no monte de folhas.

            — Pela eternidade se preciso.

            — Que seja pelo tempo permitido pelo altíssimo.

            Aquela tinha sido sua escolha. Se rebelara contra forças superiores para se entregar ao pecado original. A união que se deu não foi carnal. Foi o encontro de dois espíritos unidos desde a criação. Arrebatador.

            Os dias frios foram substituídos pelas flores dos campos. Durante incontáveis luas cheias viveram esquecidos naqueles montes. As marcas do tempo começaram a aparecer no rosto do homem que passou a amar com toda intensidade. Em comparação ao tempo que ainda teria na terra, aquele breve período era semelhante à única hora de sol no mais longo tempo de frio entre cinco luas cheias.

            Almozsaaladiel sentia que a hora da separação se aproximava. Não apenas pelo tempo que já estava visível no corpo humano em que o espirito habitava, mas pelo sentimento de perda e dor que começava a dominar seu corpo metafisico. Todos os dias se prostrava em oração, ao nascer e pôr do sol. Pedia a misericórdia do altíssimo por ter se desviado da sua missão na terra, por ter se entregado ao pecado original. Porém, de toda a punição que pensara receber, jamais esperava algo tão cruel.

            O véu que separava o terreno Divino era fino o bastante para que mesmo humanos pudessem sentir a misericórdia divina apenas ao fechar os olhos e se prostrar em orações, grosso apenas para que seus olhos não contemplassem a glória celestial antes dos tempos que ainda seriam anunciados. Sentiu sua presença que descia das alturas, tão palpável como se pudesse vê-lo. Sua majestade fez uma vibração na terra, sentida através de um tremor aos humanos. Hasmut também sentiu indo ter com ela no lado de fora da caverna, passos vacilantes pelo corpo envelhecido.

            — És chegado o tempo – falou Almozsaaladiel ao avistar a caravana envolta em glória. Imperceptível aos olhos humanos, mas claro como o amanhecer aos seus. Resplandecente e límpida como a mais bela pedra preciosa.

            — Estás vendo algo?

            — Por todas as incontáveis luas que passamos abrigados nessas montanhas, longe dos olhos humanos, te agradeço pelo amor que me dispensastes. Independente dos caminhos do Criador, guardarei este breve espaço de tempo por toda a eternidade.

            — Vamos nos separar? – Hasmut perguntou ainda perdido em sua própria ignorância humana.

            Almozsaaladiel pegou suas mãos e depositou um beijo em resposta. Se afastou o suficiente para esticar as asas, emanando energia para que o arcanjo a localizasse. Não que aquele gesto fosse necessário, mas para mostrar que apesar do ato de rebelião, estaria sempre às ordens do Altíssimo. Fechou as asas e se prostrou aguardando a chegada da caravana.

            — O reino de glória já não te pertence, Almozsaaladiel. Contudo, a misericórdia do altíssimo recai sobre ti, não serás lançado as profundezas com os anjos caídos. A terra será sua moradia pela eternidade. Não serve mais aos propósitos Divinos, mas nenhuma espécie, homem ou animal, pode lhe fazer mal. Sua punição por seu ato de rebeldia serás buscar por quem entregou sua santidade até que os dias da terra se findem. Não terás mais a aparência concedida aos puros. Serás marcado pela impureza de seus atos para que nunca se esqueças dos teus pecados.

            Ainda de joelhos e sem ousar levantar os olhos ou lhe dirigir a palavra, Almozsaaladiel ouviu seu veredicto. O arcanjo partiu sem mais palavras, Não sentiu dor quando seus membros começaram a se esticar, alçou os olhos aos céus, enquanto sentia o corpo metafisico se contorcer. Que assim fosse.

            Voltou os olhos para a terra sem ousar encarar Hasmut naquele momento. Da mesma forma como tinha sido na primeira vez que o encontrara, agora também tinha que esperar que ele se acostumasse com a sua aparência.

            Hasmut se aproximou lentamente, colocou uma mão em sua cabeça e deixou ela escorregar pelo rosto o levantando lentamente. A criatura não tinha mais a beleza Divina que carregava durante todo o tempo que a conhecera, mas ao enxergar seus olhos, todo o amor que os uniu estava presente e foi esse amor que lhe deu o impulso de abraça-la.

            — Não importa sua aparência. Eu amo sua alma. Quem você é.

            — Estaremos juntos pela eternidade. Eu sempre vou te encontrar, não como uma punição, mas porque é minha metade. A parte que sempre vai me faltar.

            Hasmut desencarnou pela primeira vez depois de duas luas. Pela primeira vez sentiu a dor da perda, pranteou a partida de Hasmut e guardou luto por muitas luas até que, pode enfim, experimentar também o sentimento concedido somente aos humanos, a esperança que em breve ele estaria no plano físico novamente.

 

                 Almozsaaladiel parou de andar a esmo somente quando o relógio marcou sete horas da manhã. Em breve a mulher onde o espirito habitava acordaria. Como sempre acontecera, desde que a encontrara, queria sentir seu primeiro suspiro pela manhã e acompanhar desde os seus primeiros passos.

 

Nota autora - No trecho em hebraico (sim aquilo é hebraico, algum erro de código, eu acho), segue a regra do arabe do alinhamento a esquerda e não ao inverso como é o correto. Tradução - Deus tenha misericórdia. 

 

 

 

 

 

 

Notas finais:

 

Oi oi lindonas!!!

Amores, bora lá para algumas explicações. Primeiro de tudo, desculpas pela falta nas postagens esses dias, mas não rolou. 

Quem lembra do começo do ano, eu fiz um transplante de cornea no dia 22 de janeiro, mas tive reação inflamatória dos pontos, logo deu rejeição do transplante, ai no começo de março, dia 08 ficou marcado outro transplante, mas nem falei nada pq achei que ia voltar de boa, já que era o segundo. Pois bem, meu corpo ficou com putaria novamente de rejeitar a sutura. (sim, alergia a linha usada. muita fuleragem) e nessa resolvi me desligar quase em 100% de computadores e celular pra ver se melhorava, porém ganhei uma hernia de iris, ai lá vai eu pro centro cirurgico de novo, foi uma putaria sem sim.

Resumindo, meu olho esquerdo deu pt. Tem que recuperar ele (tecido pq visão mesmo já era), investigar o pq eu tenho tanta intolerancia a linha de costura, e, se eu estiver de bom humor, fazer um novo transplante no futuro. Com uma distância de pelo menos um ano. Oremos!

Oremos muito! Obrigada a todas que torceram, que me mandaram vibrações positivas, vcs, como sempre, foram fantasticas! 

Postagens agora voltam ao normal.  Segue o baile!

Bjokassssssssssssssssssssssssss

 

 

 

 



Comentários


Nome: Angell (Assinado) · Data: 07/04/2018 01:59 · Para: Capitulo 3

Que bom seria se todos tivessem alguem para lhes proteger e cuidar com tanta dedicação. Que sacanagem a  punição dessa galera do céu hein...Todos invejosos! rsrs



Nome: siflima (Assinado) · Data: 26/03/2018 00:02 · Para: Capitulo 3

Poxa lindona que sacanagem dessa linha, hein? Mas vamos continuar com essas vibrações positivas e verás que no final tudo estará em seu lugar ....desde já lhe desejando toda a sorte do mundo para com sua saúde e vc está certissima em largar 100% o que tava fazendo para se cuidar. Amamos suas escritas, mas ainda assim, amamos vc por inteira, então, cuide -se !!!

E nem pre iso falar que amo essa história e ansiosa por novos capítulos 

Bjs lindona .....fique bem. 



Resposta do autor:

Obrigada lindona!!!

Agora é cuidar, investigar o problema e seguir adiante hehehe oremos! Mas não se preocupe, já to brincando de Dr House com a minha médica para saber o que está de errado rs

 

Bjokassssssssssss

 



Nome: Vivica (Assinado) · Data: 25/03/2018 21:59 · Para: Capitulo 3

Oi, meu bem. Como vai? Tudo bem?

Tu voltaste e a pateta aqui, nem notou. Como é que pode?

Em primeiro lugar, obrigada por ter voltado. Eu tou feliz pra caralho por ter a oportunidade de te ler de novo. Sou fã da tua criatividade e do teu talento pra contar histórias. E nesta aqui...meu bem, o que é isso? Me encanta o teu repertório. Transitas nos mais distintos enredos com muita força, muita naturalidade, muita competência. Isso é absolutamente encantador. É admirável. Mal posso esperar pelo próximo. Forte Braço. Bj bj.

P.S: vai dar tudo certo pra ti. Logo, logo boas notícias virão e tu vais ficar mais do que bem. A gente não se conhece, mas te admiro e torço muito por ti. Bj, meu bem.



Resposta do autor:

Oi lindona!!!

Obrigada pela cia! Imagina, voltei esses dias hehehehe! 

Ahhh Obrigada pelo carinho e pelas palavras! Espero não decepciona-la no desenrolar do texto!

Obrigada pela força, pelo apoio! É muito bom contar contigo nessa nova aventura!

 

bjokassssssssssssssssss

 



Nome: Baiana (Assinado) · Data: 24/03/2018 14:36 · Para: Capitulo 3

Oremos! Vai dá tudo verto e seu corpo vai deixar de fuleragem kkkk

Poxa,o tempo terreno é tão curto. Mas pelo menos o anjo vai ter varias chances de encontrar o seu amor,mesmo ele ja estando com outra pessoa,o que é uma pena e um sofrimento a mais



Resposta do autor:

Ta precisando neh?! haahahaha tenho tempo pra ficar de repouso não hehehe

Pois é menina! O que são 70 anos perto da eternidade??? Almozsaaladiel tá é ferrado! Se atrasar sempre a cade encarnação não sobra tempo nehum hehehehhee

Bjokasssssssssss

 



Nome: Lai (Assinado) · Data: 24/03/2018 12:05 · Para: Capitulo 3

Queridona,

Vai sair tudo bem, vai se recuperar com o tempo ,logo vai descobrir pq tem alergia e encontrar uma solução ! Tenho muita fé nisso e peço que tenha TB!!

As coisas sucedem sempre por uma razão , que por mais que n entenda agora, entenderá depois...fica bem!

Vamos ao comentário da estória .Fantástico, muito bom! Que bonita essa entrega, mesmo sabendo das consequências ,ela sabia que valia a pena!! Ele, um ser ainda puro e acho que continua ,amando -- sem se importa su aparência ...as pessoas deveriam amar mais sem darem tanto valor ao físico !! Oremos!! Kkkkk(by Drikka)!

N importa quantas reencarnações , Hamu sempre termina aa reconhecendo através da conexão que têm!

Agora é outro idioma..da outra vez foi árabe ...rs.Te digo que alguns idiomas o site n reconhece  .árabe TB, caso tente escrever sem copiar..eu acho ..rs

Se cuide, beijão



Resposta do autor:

Oremos! Hehehe Já estou fazendo uma  série de exames que estou quase me sentindo uma paciente de House hehehehehe

Own! Que bom que está curtindo! E uma escolha neh? Cada ação com uma reação rs O reencontro delas se dá pelo fato de estarem conectadas neh?! fazem parte uma da outra rs

Valeu lindona!!

Bjokassssssssssss

 



Nome: mtereza (Assinado) · Data: 24/03/2018 11:26 · Para: Capitulo 3

Vc é um exemplo de força e perseverança é isso aí não perca nunca a fé e a esperança orando sempre por vc muita luz . Quanto a história estou totalmente facinada linda



Resposta do autor:

Oh, lindona! obrigada pelas palavras e pelo apoio! Não pode deixar a peteca cair neh?! hhehehhe

Massa que esteja curtindo! Domingo tem mais!

 

Bjokasssssssssss

 



Nome: NovaAqui (Assinado) · Data: 24/03/2018 09:51 · Para: Capitulo 3

Que história linda a deles!

Como diria Guilherme Arantes

"Cuide-se bem!
Eu quero te ver com saúde
E sempre de bom humor
E de boa vontade
E de boa vontade
Com tudo...

Prá nunca perder
Esse riso largo
E essa simpatia

Estampada no rosto...”

 

Abraços fraternos procês aí!

 

 

 



Resposta do autor:

Ownnnn!!!

Obrigada lindona!!!

Valeu pela força!

 

Bjokasssssssssss

 



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.