Amor de carnaval por Alice Reis


[Comentários - 53]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

Na manhã seguinte Marie foi para o Cristo Redentor logo cedo, não viu a morena que lhe invadia os sonhos e resolveu se afastar um pouco, afinal estava ali para uma viagem solitária, para redescobrir-se. Pensou na morena o dia todo e desistiu de se afastar, queria aquele corpo moreno perto do seu corpo branquelo.

Vitória foi para a Barra da Tijuca e passou o dia por ali, pensando na francesa.

Encontraram-se na piscina, Marie estava sentada na beirada da piscina com um copo de caipirinha ao seu lado. Assustou-se com Vitória sentando ao seu lado.

-        Passou bem o dia? - perguntou sorrindo-lhe.

-        Sim e você? - Marie encarou-a.

-        Também. Eu não gosto muito de admitir meus sentimentos, mas pensei muito em você hoje. - Vitória encarou-a e sentiu-se vulnerável por dizer sobre seus sentimentos.

Marie sorriu-lhe e se aproximou beijando-lhe o rosto.

-        Eu também pensei muito em você. - sussurrou.

-        Pensou o que? - Vitória sussurrou em seu ouvido arrepiando-a.

-        Muita coisa. - mordeu o lábio levemente.

Vitória encarou-a sorrindo.

-        Estou imaginando como é seu beijo desde o dia que te vi pela primeira vez. - Marie beijou-lhe o ombro suavemente.

Vitória segurou-lhe a mão.

-        Não crie muitas expectativas. - Vitória riu.

-        Ne soyez pas modeste. - Marie riu. (Não seja modesta.)

-        Je ne suis pas. - Vitória beijou-lhe o rosto. (Não sou.)

Marie apertou-lhe a mão e passou as unhas pelo braço de Vitória arrepiando-a. Tocou-lhe o rosto levemente e pousou sua mão na nuca de Vitória. Encararam-se, os olhos pretos de Vitória brilhavam e Marie queria puxá-la para um beijo.

-        Quero um beijo seu, morena. - Marie mordeu o lábio levemente.

-        Está bêbada? - perguntou séria.

-        Não.

-        Pede em francês. - sorriu.

-        Je veux l'embrasser. - disse devagar. (Quero um beijo seu.)

Vitória sorriu e olhou em volta discretamente, estavam sozinhas na piscina. Aproximou seu rosto do de Marie e deu-lhe um selinho suave provocando-a. Marie passou uma mão em seu pescoço e puxou-a para um longo beijo. As bocas se juntaram, os lábios se tocaram devagar e a excitação tomou conta das duas. O beijo longo deixou as duas querendo mais, entre um beijo e outro se olharam sorrindo e se beijaram novamente.

-        Son baiser est un délice. - disse Marie sorrindo. (Seu beijo é uma delícia).

Vitória apenas sorriu.

Subiram juntas para o quarto e Marie acompanhou Vitória até a porta e puxou-a para outro beijo.

Na hora marcada, Marie bateu na porta. Vitória estava terminando de se maquiar, abriu a porta e pediu para Marie entrar. Acompanhou-a até a porta do banheiro e ficou olhando-a arrumar o cabelo. Aproximou-se e ficou atrás dela, olharam-se pelo espelho. Vitória estava com o batom na mão, a francesa virou-a de frente e beijou-a. Um beijo suave, delicado, sem pressa e demorado. Abraçaram-se. Virou-se para passar o batom e Marie abraçou-a por trás.

No camarote, Vitória se soltou no samba e tentou ensinar Marie, mas foi em vão. Começaram a ver os desfiles das escolas de samba abraçadinhas, Marie na frente e Vitória abraçada por trás da francesa. Vitória foi ao banheiro e quando voltou Marie estava conversando alegremente com um rapaz, seus olhares se cruzaram e ela parou de falar com ele e se aproximou dela, puxando-a para um beijo. Apesar de não gostar de exposições exageradas Vitória correspondeu ao beijo puxando o corpo branco para perto do seu. Foi um beijo longo que deixou a francesa extasiada e querendo mais.

-        Eu quero você. - sussurrou para Vitória.

Vitória apenas abraçou-a, pois sentiu que Marie havia exagerado na bebida. Estava excitada, mas não era assim que ela queria a francesa.

No táxi, na volta para o hotel, o dia já estava ensolarado e quente. A francesa não parava de comentar sobre o desfile e Vitória se deliciava com o português enrolado e o sorriso de criança que brotava no rosto de Marie ao falar da música e das cores das fantasias. Desceram do carro e Marie segurou-lhe a mão para entrarem no hotel. Vitória foi atacada por Marie no elevador, a boca da francesa não desgrudava da sua e sua mão percorria o corpo de Vitória delicadamente. O elevador parou e Marie puxou-a para fora do elevador na direção de seu quarto, Vitória parou e Marie olhou-a confusa.

-        Não vou para o seu quarto. - disse séria.

-        Como não? - Marie perguntou brava.

-        Você está bêbada, não vou fazer nada com você desse jeito. - Vitória soltou sua mão e afastou-se.

-        Vitória! - disse alto - Volte aqui. - aproximou-se.

-        Marie, - olhou-a - não gosto de saber que você está bêbada e que sou sua primeira mulher. Não me sinto bem sabendo que vou participar de algo importante para você e você estará bêbada. - afastou-se e abriu a porta do quarto.

-        Vitória, eu não estou bêbada. - Marie encarou-a brava.

-        Boa noite, Marie! - Vitória entrou no quarto e fechou a porta.

Pensou em como queria aquela francesa, odiou-se por dispensá-la, mas era o melhor a fazer. Marie ficou parada no hall por alguns minutos, sem saber o que fazer, estava excitada, mas sabia que Vitória estava certa, precisava estar sóbria para aproveitar sua primeira noite com uma mulher.

Vitória tomou um banho e sentou na sacada apenas de biquíni, estava sem sono, abriu uma garrafa de água e ficou olhando para a praia. Marie encheu a banheira de água, serviu-se de uma dose de uísque e entrou na água relembrando o cheiro doce de Vitória e seu belo sorriso, seu beijo suave e avassalador. Entre um gole e outro se lembrava do beijo acalorado no elevador e sentia-se excitada, sua mão percorreu seu corpo e encontrou seu sexo pulsando, querendo ser tocado. Masturbou-se pensando na morena jambo e nos seus lábios macios. Depois de seu êxtase virou o copo de uísque e adormeceu na banheira.

No quarto quase ao lado, Vitória estava confusa com o que estava sentindo pela francesa. Sua excitação em beijá-la era enorme, mas a ideia de ela ser virgem de mulher, lhe assustava. Não queria lhe causar trauma ou lhe dar lembranças ruins. Deitou na cama apenas com a parte debaixo do biquíni e dormiu pensando nos beijos da francesa.

 

 

Notas finais:

Aguardo comentários! ;)




Para me conhecer melhor, entre no meu blog:
oamordealice.com.br/blog




Tenho outros livros completos, caso queira ler a sinopse:
http://oamordealice.com.br/livros/




E alguns contos:
http://oamordealice.com.br/contos/
*Para receber os contos inteiros basta se cadastrar no formulário abaixo de cada conto.

Me acompanhe também pelo Wonderclub, lá todos meus livros estão sendo postados semanalmente e Little Lady é um livro exclusivo do Wonder:
https://wonderclub.com.br/escritora/alicereis



Comentários


Nome: rhina (Assinado) · Data: 15/06/2017 21:13 · Para: Capitulo 3

 

Que calor....que tensão 

é um momento especial para Marie.....

Rhina



Resposta do autor:

Olá, Rhina!

Muito especial!!

Um abraço,

Alice Reis

oamordealice.com.br

wonderclub.com.br/escritora/alicereis



Nome: mtereza (Assinado) · Data: 25/05/2017 14:23 · Para: Capitulo 3

Eita que elas estão pegando fogo a Vitória tem um auto controle enorme kkkk.



Resposta do autor:

Olá, Tereza!

Hahahah, tem mesmo!

Um abraço,

Alice Reis

oamordealice.com.br

wonderclub.com.br/escritora/alicereis



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.