Seu olhar por Heli


[Comentários - 29]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

22 Esquecimento
Ester
Fui abrindo meus olhos pouco a pouco, a claridade da luz estava incomodando meus olhos, quando consegui senta meu corpo estava dolorido, o que havia acontecido será onde eu estava, quando consegui abrir bem meus olhos, pode ver uma moça de jaleco deitada debruçada em minha cama, e pelo jaleco deduzir que ali era um hospital, precisava de respostas, balancei a moça de leve, que foi acordando aos poucos, e quando ela me olhou cause me faltou o ar, ela e tão linda e que olhos brilhantes, brilhava tanto que parecia que ela estava feliz ao me ver, mas não entendi por que ela estava assim.
- Onde estou?
Perguntei a ela, que não parava de sorrir, e com um impulso ela me abraçou falando meu nome, e como ela sabia meu nome? Será que foi meus pais que falaram, mas por que dessa reação?
Tentei afasta lá de mim falando:
- como sabe meu nome? Cadê meus pais?
Perguntei a ela, que na mesma hora mudou de expreção de feliz para triste, não sei por que, mas aquilo deu um aperto em meu coração
- Você não se lembra Éster?
- Não sei, esta tudo confuso 
Falei a ela, já que pelo jaleco deduzir de novo, que ela devia ser médica.
- Você não se lembra de mim?
Ela me perguntou com um fio de voz, mas pude ouvi.
- Eu devia? 
Respondi com uma pergunta, e na hora não sei por que, mas deu mais um grande aperto e meu coração, ao ver uma lagrima cair de seus olhos, tentei força minha mente lembra dela, mas ao fazer isso minha cabeça começou a doer.
Carla 
Essa noite eu estaria de Platão, durante esse um ano que Éster estar em coma, não me incômodo de ficar noite e noites de Platão, assim posso fica mais tempo com ela, nem que seja com ela dormindo, dou um pequeno sorriso triste a ela que esta serena deitada nessa cama.
Hoje por aqui no hospital esta tudo tranquilo, então puxei uma cadeira e sentei próxima a cama de Éster, não sei o que aconteceu mais acabei dormindo encostada na cama, e sei que dormir por que começaram me sacudir de leve, e aos poucos fui abrindo meus olhos e quando levanto a cabeça e vejo quem me acordou não consegui segura o sorriso de felicidade, ver de novo aqueles olhos azuis me olhando, que não prestei atenção no que Éster falou e fui abraçando ela falando seu nome, ha como eu estava com saudade dela.
Mas o abraçou não durou muito, por que ela me afastou, e pensei que ela queria me olhar, mas quando ela me perguntou como eu sabia o nome dela e perguntou também de seus pais, percebi que ela devia estar confusa ou tinha perdido a memória, não tinha como segura minha tristeza ao pensa nessa importasse. Mas mesmo assim quis garanti se ela não se lembrava de nada, e sua resposta foi vaga, então tentei se direta com ela, mesmo com medo da resposta perguntei com um meio fio de voz a ela, se lembrava de mim, e sua resposta me atingiu em cheio que não conseguir segura as lágrimas que insistiam em cair, e tive mais uma vez que me recompor quando Éster me pediu ajuda falando que sua cabeça doía muito, rápido peguei seu prontuário não dava tempo de chama Fabíola, chamei a enfermeira e mandei me trazer rápido um remédio, e assim ela fez, apliquei em Éster que se acalmou, mandei ela se deitar que logo eu voltaria, e sair de seu quarto não segurando mais o chorou, chorou de alegria, tristeza por ela não se lembra de mim, mas precisa fala com Fabiola.
Quando cheguei em sua sala bati na porta, e assim ela mandou entra, Fabíola vendo minha condições veio rápido em minha direção me conduzindo até o sofá que tinha em sua Sala.
- O que foi Carla? O que houver? Aconteceu algo com Éster?Fabíola me encheu de perguntas preocupada - Éster... Éster acordou Fabíola
Falei nervosa com lagrimas nos olhos
- Então preciso examinar ela, vamos Carla? 
Fabíola se levantou e quando ia saindo falei auto para ela ouvi.
-  Éster não se lembra de mim.
E cair no choro de novo, agora parecia que eu só sabia chorar, mas como eu poderia fica? se o amor de minha vida não se lembrava de mim.
Fabíola parou na porta e se voltou para mim
-  Ela falou isso a você?
- sim! Depois começou a doer a cabeça dela, e tive que dar um remédio a ela.
- Calma Carla, de uma certa forma isso e bom!
Ao ouvi aquilo de Fabíola acendeu uma esperança em meu coração, me fazendo para de chora
- como?
- Você falou que a cabeça dela começou a doer, isso que dizer que sua memória quer volta, por isso a dor de cabeça, mais tudo tem que na calma minha amiga!

- mais como vou ter calma? como faço isso?  vai durar ate quando Fabíola? Vou ter que ficar longe dela ate sua memória volta?
- vai volta! E você pode ajuda lá com isso!
- mais como? Se minha área não e essa Fabíola
- Conquiste seu coração de novo, e sei que você próxima de Éster pode volta rápido sua memória.
- você tem razão, vou conquista minha menina de novo.
Falei abraçando Fabíola 
- agora vamos lá?
Ela falou me dando um sorriso
- vamos
                                         Amar o perdido deixa confundido este coração.
                  Nada pode olvido contra o sem sentido apelo do não.
                  As coisas tangíveis tornam-se insensíveis a palma da mão.
                   Mas as coisas findas, muito mais que lindas, essas ficarão.       


                                (Carlos Drummond de Andrade)

Nome: NayGomez (Assinado) · Data: 29/06/2018 15:03 · Para: 22 Esquecimento

OOh dó da Carla,  que barra em. 



Nome: Socorro de Souza (Assinado) · Data: 29/06/2018 11:38 · Para: 22 Esquecimento

Poxa autora, sacanagem heim.. Já contava com algo assim, tanto sofrimento .. nem com a morte desse crápula podemos ter paz com a as meninas afff.. 

Boa sorte Carla, vai precisar 



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.