Última noite de amor por Vandinha


[Comentários - 1262]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

Última Noite de Amor -- Capítulo 21

 

 

O silêncio se instalou entre elas. Alexandra a puxou para mais perto e sussurrou suavemente em seu ouvido:

-- De longe você é linda... de perto, é mais ainda.

Alexandra não encontrou resistência, visto que Isabel apenas derreteu-se nos seus braços.

Isabel se esticou para beijá-la, até a mão que costumeiramente empurrava Alexandra para longe, agora repousava submissamente contra o seu peito. Seu corpo ansiava...e os lábios aproximaram-se como que atraídos por uma força estranha.

Os olhos de Isabel estreitavam-se ao procurar os de Alexandra. Seus lábios estavam quase se tocando, quando...

-- Oieeeee... -- Ramon entrou no quarto seguido por André -- Aiii... desculpe...

Isabel com o susto deu um pulo para longe. Colocou a mão no peito, tentando se recuperar.

-- Meu Deus! Você é um súcubo -- Ramon colocou a mão sobre a boca.

Isabel se sentou na poltrona. Respirava fundo tentando se acalmar.

-- O que é isso súcubo? -- Perguntou curiosa.

-- São seres que sobrevivem sugando a energia sexual dos seres humanos até levá-los à morte.

-- Quanta besteira Ramon. Provavelmente a enfermeira do Olimpo, estava testando uma nova técnica de respiração boca a boca, ou procurando a língua da Alex. Não é mesmo? Ana Neri de Madureira?

Isabel permaneceu em silencio, não sabia o que falar. Nesse momento o melhor que tinha a fazer era sair de fininho para relaxar um pouco. Só voltaria quando aqueles dois já tivessem saído do quarto.

-- Vou para o meu quarto. Quando forem embora, me chamem por favor -- pediu sem jeito.

-- Claro, minha Deusa. Pode deixar a general com a gente.

Isabel olhou de relance para Alexandra e deu um sorrisinho simpático para ela. -- Eu já volto -- ela falou antes de sair do quarto e fechar a porta atrás de si.

Ramon olhou para André e deu uma piscadinha.

-- As aparências enganam ... e em alguns casos assustam -- Ramon sentou na beirada da cama -- Estou com uma dó de você, poderosa. Perto de uma gostosa dessa e não podendo nem dar uma piscadinha -- deu um tapinha no rosto da chefe.

-- Tira a mão de mim seu boneco inflável de posto -- Alexandra bateu com o gesso na cabeça do rapaz.

-- Milagre... André.... Eu realizei um milagre... -- Saiu pulando pelo quarto.

Alexandra fez uma careta e revirou os olhos.

-- Desde quando bicha faz milagres? -- Ela disse, ajeitando-se um pouco na cama -- O único milagre que bicha faz, é conseguir esconder o saco nessa roupa justa.

André abraçou Alexandra com entusiasmo e carinho.

-- Minha linda! Que felicidade. Desde quando você voltou a falar?

Ela coçou a cabeça e respondeu meio que sem jeito.

-- Na verdade, André, em nenhum momento eu deixei de falar.

-- O QUE? -- Perguntaram juntos.

-- É isso aí que vocês ouviram. Eu estava fingindo o tempo inteiro.

-- Como diz o Pablo: E as lágrimas que derramei. Não têm mais volta -- Ramon passou a mão pelo rosto demonstrando uma dor exagerada.

-- Antigamente os maiores pensadores eram Clarice Lispector, Erico Veríssimo, Machado de Assis.... Hoje em dia são Wesley Safadão, Pablo, Mr. Catra, Valesca Popozuda... -- Alexandra não pode deixar de sorrir com aquilo.

-- Não dê atenção a esses pitis do Ramon, poderosa. Se você fez isso é por que deve ter um motivo bem sério.

-- E tenho André. Sentem que o que eu vou contar para vocês é demorado, parece até coisa de filme policial.

 Os dois sentaram-se ao lado dela na cama e prepararam-se para começar a ouvir.

-- Lembram daquele dia que sai da boate dizendo que ia até a casa da Valentina? Pois é...

 

 

 

Isabel deitou-se em sua cama e ficou imaginando por que sentia tanto carinho e desejo pela empresária. Teve uma breve visão dos olhos verdes de Alexandra, antes que os seus lábios tocassem os dela. Conteve a respiração quando lembrou de todas as vezes que aqueles lábios haviam lhe sussurrado palavras doces.

Tocou os lábios com as pontas dos dedos.

Não podia acreditar nos pensamentos que passavam por sua cabeça. Seria isso ainda algum efeito colateral da viagem traumática que fez a Angola? Carência? Ficou confusa -- ou era ela? Não importava. Sentiu o seu rosto queimando. O que importava é que: Começava a ter pensamentos românticos com Alexandra.

 

 

No restaurante da Barra Tatiana lutava contra a sua insegurança e timidez.

-- Me sinto muito bem ao seu lado, pois você é uma pessoa maravilhosa e encantadora.

-- Obrigada. Mas falando desse jeito eu fico constrangida. Acho que é muito para mim, acho que não mereço tanto -- Simone sorriu.

-- Você merece muito mais. Pode ter certeza.

Um garçom todo solícito veio apresentar o cardápio.

-- Bem.... Agora vamos escolher os pratos. A Alexandra já deve estar em cólicas de ansiedade por causa dessa cadeira de rodas.

-- E ela tem razão Tati. Imagina depois de tantos dias deitada em uma cama, poder sentar em uma cadeira e dar um passeio. Para uma pessoa que corria todos os dias pelo calçadão deve ser a maior felicidade do mundo.

-- Você está certa. Vamos almoçar e voltar logo.

Depois de darem uma boa olhada no cardápio, chamaram o Garçom e pediram filé de cherne grelhado com molho de camarão e aspargos servido com arroz de amêndoas. Para beber pediram suco, pois estavam em horário de trabalho e Tatiana teria que dirigir de volta ao Leblon.

O restaurante de gastronomia tradicional italiana, tinha um espaço rústico e acolhedor com tijolos antigos da Itália e cave de vinhos. Ambiente agradável, bom atendimento e a comida simplesmente deliciosa!

 

 

Valéria e Janaína estavam sentadas em uma pedra no alto do Arpoador. Almoçaram em um restaurante alí pelas redondezas e Valéria depois de muito insistir conseguiu convence-la a dar um passeio pelo lugar.

-- Esse lugar é lindo! Vista espetacular! Perfeito! -- Valéria se levantou e ficou de pé na pedra, abriu os braços e sentiu aquela doce brisa passando entre o seu corpo. De olhos fechados, sentia a brisa em seu rosto, ela estava em paz. Mas havia... Janaína.

Finalmente abriu os olhos e virou-se para ela que estava sentada, abraçada aos joelhos e continuava admirando a vista, sem reagir.

Valéria sentou-se ao seu lado e pegou a sua mão gentilmente.

-- Gostaria de falar sobre as dores do coração? Sou boa em ouvir e melhor ainda em entender.

Janaína suspirou fundo.

-- Estou me tornando uma pessoa chata e melancólica. Não é mesmo?

Valéria riu.

-- Não sei. Já te conheci desse jeito, chata e melancólica.

Janaína também sorriu.

-- Você já perdeu alguém que amasse de verdade?

-- Já, mas perder alguém que você sabe que daqui a pouco vai tropeçar nela é diferente de perder alguém e saber que nunca mais vai vê-la.

-- Mas eu ainda a vejo -- após fitar o horizonte por uns bons minutos, olhou novamente para Valéria -- Pode parecer loucura, mas ela me visita em sonhos e sinto a sua presença várias vezes ao dia.

-- E você gosta disso. Não é mesmo? -- Perguntou entristecida.

-- Confesso que sim -- baixou os olhos, mas foi obra de um instante. Logo ergueu a cabeça, e fitou Valéria novamente -- Porem sei que estou errada agindo assim. Deveria deixa-la em paz.

Valéria abriu um sorriso esperançoso.

-- Você não imagina como me deixa feliz falando isso. Reconhecer o erro é meio caminho andado.

-- Eu quero ajuda-la.... Eu preciso ajuda-la -- falou chorando.

Valéria a surpreendeu puxando-a pela mão, a deixando de pé.

-- E eu vou ajudar as duas.

-- Você? -- Perguntou duvidando da cantora.

-- Eu mesma -- bateu no peito -- Você vai se surpreender com o quanto que eu aprendi sobre o assunto com a Edna.

-- Sério? Então me responde: Porque pessoas jovens, boas, morrem prematuramente, enquanto há pessoas más que vivem por muitos anos?

-- Se olharmos as coisas dentro da ótica materialista, certamente não encontraremos resposta para esta delicada questão. Se, no entanto, partirmos do princípio que somos seres imortais e que estamos em uma escalada evolutiva em direção à perfeição, compreenderemos com facilidade que a vida terrena é apenas parte desse processo. A verdadeira vida é a espiritual e quando encarnados cumpre-se as etapas necessárias ao aprimoramento do Espírito imortal. As diferenças existentes entre as pessoas são as várias etapas em que o Espírito se encontra em termos de evolução. O viver muitos anos, portanto, é muito relativo. A vida terrena é a escola que a criatura precisa para se aprimorar e o tempo que deve demorar aqui depende de sua necessidade. Os Espíritos bons, geralmente necessitam mesmo de menos tempo.

 

 

No apartamento do Leblon.

-- Poderosa do céu.... Que babado louco. Que mulher malandra -- André colocou a mão sobre a boca. Estava chocado.

-- Malandro é o Canguru que já nasce com o Bolsa Família. Essa aí é criminosa mesmo, bandida salafrária. Deveria estar na cadeia.

-- Calma Ramon. Ela vai ter o que merece. Assim que eu me ver livre desses gessos, vou atrás dela e do marido.

-- Acho que a enfermeira Betty Boop tem razão, você deveria deixar isso a cargo da polícia.

-- Não começa André, já chega a Isa a me perturbar com isso.

-- Isa? Humm... que fofo. Né Ramon?

Ramon estava distraído mexendo no celular.

-- RAMON -- André berrou.

-- Ui.... Que susto.

-- Larga isso.

-- Estou indignada André. A pessoa posta uma foto, em 5 minutos tem 100 curtidas. Eu posto uma foto, em 10 dias tem 5 curtidas.

-- Está falando do Vini? -- André olhou para Alexandra e sorriu.

-- Estou. Aquela bicha burra é o meu carma. Pagar 500 reais em um abadá para correr atrás de um caminhão, isso é muita vontade de ser gari.

-- Ele fica o dia inteiro nesse celular Alex. Acho que perdi meu namorado de vez.

-- Não fala assim bobinho. Só recebo correntes. Li, reli a Bíblia e não encontrei a parte que diz que tenho que repassar essas correntes do WhatsApp para ser abençoado. E a criatura sofredora ainda escreve assim: Me manda de volta. As vezes mando só para ela e pronto.

-- Sabendo de tudo isso ainda repassa?

-- Tenho medo. Por via das dúvidas passo para frente. Escuta essa que recebi agora: Você recebeu a foto da capivara maconheira. Repasse a capivara para 5 amigos maconheiros. Se não, você vai ficar sem maconha para sempre.

-- Ai Jesus! -- Alexandra bateu com o gesso na própria cabeça -- E os meus negócios estão nas mãos de vocês. Eu já te falei Ramon, amarrar o saco afeta o cérebro.

-- E eu não me importo. Prefiro ficar "descerebrado" que com isso balançando.

Isabel abriu a porta devagar e colocou a cabeça para dentro.

-- Posso entra?

Para sua surpresa foi Alexandra quem respondeu.

-- Claro Isa, fique à vontade.

-- Resolveu contar a verdade para os seus amigos?

-- Contei. Mas apenas para os dois, e se contarem para mais alguém, nunca mais vão precisar amarrar o saco.

-- Não entendi -- Isabel olhou para os dois.

-- Não precisa entender "kirida". A Alex é uma bruta.... Que cútis maravilhosa... O que você usa?

-- Deixa ela em paz Ramon. Isa as enfermeiras ainda não voltaram?

-- Ainda não Alex -- Isabel sentou na beirada da cama.

-- Poxa, devem estar tirando os dois anos de atraso. A coitada da Simone vai ter que vir na cadeira de rodas.

-- ALEXANDRA! -- Isabel berrou.

-- Tá bom, tá bom -- Alexandra encolheu-se -- Não tá mais aqui quem falou.

André olhou admirado. Era a primeira vez que via alguém berrar para a chefe e ela obedecer quietinha. Podia estar muito enganado, mas alí estava rolando algo a mais que uma simples relação entre paciente e enfermeira.

 

 

 

 

http://contosimagens.blogspot.com.br/

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nome: rhina (Assinado) · Data: 20/05/2018 18:50 · Para: Capitulo 21

 

Legal Janaína pronta para liberar a Gio.....

Simone dando uma espaço para Tati 

Alex....e  as suas

Rhina



Nome: SSenseiGabii2 (Assinado) · Data: 02/01/2017 15:39 · Para: Capitulo 21

Kkkkk amei .



Nome: lucy (Assinado) · Data: 18/07/2016 01:44 · Para: Capitulo 21

Valentina e Heitor que se prepare....ah e tem o sr. Gustavo, e logo a frente o Bob

rs.......



Nome: sis (Assinado) · Data: 21/12/2015 03:15 · Para: Capitulo 21

Amooooooo essa historia e me acabo de riri com alex e a isa essa duas sao maravilhosa e esse cap ta recheado de parte hilarias rsrsr bjoss vandinha e nao demore a posta o proximo.



Nome: Aline (Assinado) · Data: 13/12/2015 17:23 · Para: Capitulo 21

Nossa os meninos tinham q atrapalha a melhor parte kkk, q fofa a Valéria ajudando a Janaína 😍



Nome: Valelispresley (Assinado) · Data: 12/12/2015 21:26 · Para: Capitulo 21

Sinceramente não sei em que momento eu ri mais... " Ana Nery de Madureira" ...dos nossos pensadores da atualidade...as correntes que nos enviam pelo whatsapp...a bicha com vontade de ser gari...enfim, um capítulo hilário 😆

Sendo eu enfermeira, não poderia deixar de achar essa equipe o máximo, sem falar da inveja que eu sinto da Isa por ter uma paciente dessa...rs.

Abraços

Val



Nome: graziela (Assinado) · Data: 12/12/2015 19:39 · Para: Capitulo 21

Rsrsrs.  Demais.  Adoro a Alex. 

Adorei a parte da Valeria e da Janaina. 

👏 



Nome: jake (Assinado) · Data: 12/12/2015 18:55 · Para: Capitulo 21

kkkkk ri  rios....parabens  Vandinha.....Pagar. pra correr atrás de um caminhão e mta   vontade de serr gari ....kkkk essa foi otima 

espero que a Valèria consiga ajudar a Jana...Obrigado pelo cap...

fica na paz  e que  vc seja mto feliz



Nome: Lekanto (Assinado) · Data: 12/12/2015 18:55 · Para: Capitulo 21

A cada capítulo me divirto mais. Mas não deixo de lembrar de uma certa seringa que a Valentina tentou usar em Alex e que está descansando calmamente entre os outros medicamentos. 

Fique bem. 



Nome: lia-andrade (Assinado) · Data: 12/12/2015 17:56 · Para: Capitulo 21

Kkkkkkk capítulo muito bom..rindo horrores. 

Beijos, ótima tarde.



Nome: Unica (Assinado) · Data: 12/12/2015 17:40 · Para: Capitulo 21

Com uma enfermeira desta!!!!! até eu obedecia.....huuuu...rsrs



Nome: Silvia Moura (Assinado) · Data: 12/12/2015 17:35 · Para: Capitulo 21

Oi meu anjo!!!

Estou passada com o humor desse capítulo!!! Primeiro Ana Neri madureira, arrebentou, kkkkkkkkk, foi legal fazer essa referência dessa famosa enfermeira pioneira... amei o humor ácido dos pensadores..., mas essa de bicha querer ser gari, kkkkkkkkkkkk, meu bem você é piradona mesmo.... ui, ai, ai, cansada de tanto ri...

Agora falando sério: Seria injustiça de Deus, se uns viessem para viver essa vida abastarda e cheia de luxo e outros nessa vida miserável que são esses que não tem teto, catam comida no lixão, etc... Ao meu ver as vidas sucessivas, as ditas reencarnações nos esclarecem muitas coisas, realmente o espiritismo é o consolador, pois é a partir desses estudos filosóficos espirtuais que se explica e revela o que está subtendido... como por exemplo, a partida repentina desses irmãos bons que são doces, tratam humanamente bem quem está ao seu redor, são caridosos, respeitam e são justos por natureza... pode se explicar pelo cumprimento da missão na atual vida ou pelo fato de ter acordado em 'vida espiritual' que queriam tal desfecho para se redimir de erros de outrora, fechando ciclos que ainda estavam em aberto... é complexo, porém tão real, acalenta e consola pensar pelos modos espirituais... 

Querida, esse capitulo está recheado, maravilhoso. Quero agradecer pela linda resposta do comentário anterior, além de amar a Cássia Ellen, amo essa musica, as "palavras" e seus efeitos devastadores...

Fica com Deus, hoje e sempre... você mora em mim...



Nome: Mille (Assinado) · Data: 12/12/2015 17:21 · Para: Capitulo 21
Kkkkk essa Alex só pensa naquilo, a Tati romântica e nervosa é capaz dela precisar da cadeira e não a Simone.
Querida Vandinha tudo ótimo, e um sabadao com essa história fica melhor ainda.
Queira mesmo que a Alex descobrisse que o amigo dela está ajudando a Valentina, mais essa víbora quando chega ao quer matar ela, nem para soltar os planos essa individua serve. Pode ser que essa dupla ajude a descobrir os podres dele.
Bjus e ótimo final de semana


Nome: NayGomez (Assinado) · Data: 12/12/2015 16:51 · Para: Capitulo 21

Kkkkkkk tb com os tapas na cabeça que a bel da na Alex que não obedece kkkkkkk... 



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.