Delirium por TessaReis


[Comentários - 2875]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

Capítulo 20 - O motivo pelo qual o céu é azul

            Rio de Janeiro, quatro anos atrás.

 

Marina Kier estava voltando de uma longa viagem de quase seis meses, e é claro que Rhian correu para busca-la no aeroporto quando ela finalmente retornou. Sua mãe estava nas Bahamas, na casa da família em Paradise Island, cuidando dos negócios na ilha e de Romeo. Havia viajado determinada a trazê-lo de volta e Rhian não podia negar que o alívio havia sido enorme quando avistou sua mãe no aeroporto e viu que ela estava sozinha. Abraçou-a longamente e a ajudou com todas as bagagens, empurrando o carrinho até o desembargue.

_ Onde está a Diana? Não me diga que...

_ O quê, mãe? Ela está ali no carro, é claro que ela veio buscar você_ Contou a ela sorrindo, apontando o Audi, dando voltas na frente do aeroporto. E então ficou mais séria_ Mãe, só não toca naquele assunto na frente dela por favor.

_ Naquele assunto?

_ Você sabe bem qual.

Marina sabia bem qual assunto seria. Diana parou e recepcionou a sogra com um enorme sorriso, deixando a direção para Rhian enquanto Marina lhe dava um abraço apertado.

_ Minha querida, como você está?

_ Muito bem e com saudades de você! Achamos que ia ficar nas Bahamas...

_ A nossa ilha é maravilhosa, mas esta maldita cidade aqui tem o meu coração...

E Rhian dirigiu até o Leblon onde Diana estava fazendo um curso preparatório enquanto conversavam muito durante o caminho. Era muito bom ter Marina de volta, e para Marina era ainda melhor voltar e ver que Rhian e Diana continuavam juntas.

_ Mas eu achei que você ia almoçar com a gente..._ Marina reclamou.

_ Almoçar realmente não vai dar, eu preciso muito deste teste, mas eu preparei um jantar maravilhoso para nós se você aceitar o convite para hoje_ Respondeu Diana, já do lado de fora do carro.

_ É claro que eu aceito! Aproveitamos para ver os presentes.

_ A melhor parte de toda viagem, voltar para casa e trazer presentes_ E Rhian saiu do carro rapidinho para beijar sua linda namorada antes de se separar dela, porque mesmo com quase dois anos de namoro ainda era difícil _ Eu venho buscar você.

_ Não demora_ Ela respondeu, enroscando os braços em seu pescoço.

_ Nem um segundo desnecessário.

Outro beijo e só então Rhian voltou para o carro, para perto de sua mãe, e antes de voltar para a mansão na Gávea, Marina quis almoçar no apartamento de Rhian. Entraram e foram para a cozinha, e ao invés do tradicional macarrão com nada, Rhian tinha uma refeição completa pré-pronta. Ela esquentou o arroz primavera, aqueceu o filé de forno, montou um belo prato de salada, retirou um suco bem gelado do congelador.

_ Uau, isto é...

_ Diana Ferraz_ Respondeu, sentando-se à frente de sua mãe no balcão já com os pratos prontos_ Eu digo que não precisa, mas quase sempre ela deixa tudo pronto, insiste que eu estudo muito, que treino muito, que preciso comer direito e no horário.

_ Coisa que eu sempre disse pra você e você ignorava, veja como são as coisas..._ Comentou sorrindo ao provar o filé que estava maravilhoso.

_ Ela tem um poder de convencimento um pouquinho maior que o seu_ E provou aquele arroz primavera que tanto adorava.

_ Eu imagino que tenha. Ela parou a faculdade?

_ Não, não, ela continua cursando, só está fazendo um curso preparatório para o concurso da Polícia Federal, ela vai prestar.

_ Hum, é uma carreira ambiciosa. Você sabe que apesar de eu estar ligando sempre e de você me dizer que estava tudo bem, eu estava preocupada de chegar e não encontrar ela aqui.

_ Não encontrar ela aqui? Mãe, eu sou apaixonada pela Diana. Eu sei que é pouco tempo, mas é uma coisa tão firme, tão... Sólida, eu nem sei explicar.

_ Pouco tempo, Rhian? Já são quase dois anos, você nunca ficou com ninguém por mais de dois meses. E você acabou de usar a única mudança que eu gostaria de ouvir ao voltar para cá, quando você me deixou no aeroporto e nós conversamos sobre ela você me disse “mãe, eu estou apaixonada pela Diana”, e agora acabou de me dizer que você é apaixonada por ela. Foi isso que ficou sólido. Eu sempre tive uma enorme preocupação com aquele seu conceito de que relacionamentos são apenas problemas, não uma soma de coisas. Olhe para este apartamento, Rhian.

_ Não é mais tão organizado_ Respondeu sorrindo.

_ Não, não é, nada mais aqui é metodicamente organizado, eu consigo ver a Diana por aqui, a mão dela mudando as coisas de lugar, mudando você de lugar. Olha Rhian, eu sei que você é muito jovem, que acabou de fazer vinte e três anos, mas eu acho que você deve começar a pensar além.

_ Pensar além?

_ Você não pode perder esta moça, filha, e nem acho que você irá querer ninguém diferente dela.

Rhian cruzou os olhos da sua mãe.

_ Está falando de casamento, mãe?

_ Estou falando de você dar o nosso sobrenome para ela, porque casadas vocês já estão. Por isso não entendo essa sua atitude de não confiar nela para certas coisas.

_ Mãe, não é questão de não confiar, é questão de vergonha. Por favor, a Diana está estudando para ser policial federal e você quer que ela saiba deste tipo de coisa? Eu não sei como você considera isso normal...

_ Eu não considero normal, Rhian, mas há situações e situações, filha, enfim. Só pense nisso que eu acabei de dizer, Diana é linda, é uma ótima garota, vem de uma família muito boa.

_ Então, aí nós temos um problema: parte dessa ótima família até semana passada sequer sabia que eu existia.

_ Como assim? Você me disse que conheceu a mãe dela, a irmã dela.

_ Mas não tinha conhecido o pai, que sequer sabia onde ela estava morando, há uns dias ele apareceu lá embaixo e fez um escândalo enorme, tudo porque a Diana não queria contar para ele sobre nós duas, que estamos aqui, sólidas, morando juntas.

_ Rhian, essa não é uma coisa muito simples de se contar, você lembra de quando eu peguei você assistindo pornô?

E Rhian quase se afogou com a comida, rindo.

_ Não é como se eu pudesse esquecer.

_ Você devia ter treze, quatorze anos e eu lembro que entrei no quarto, vi o que você estava assistindo, você viu que eu vi, e ninguém disse nada, eu só me retirei, porque não sabia o que dizer o que fazer. E ninguém tocou no assunto por uns três dias, eu fiquei esquisita, você também e então seu pai voltou de viagem, e nós estávamos no quarto, nos arrumando para um evento e eu não sabia se devia contar pra ele ou não, você sabe, seu pai é sempre imprevisível, eu havia ligado para sua tia Jenny para perguntar o que ela achava que eu deveria fazer...

_ Pra tia Jenny?

_ Ela tem o Ben que também é gay, eu procurei alguém com experiência..._ Respondeu, fazendo Rhian rir ainda mais, seu primo Ben era maravilhoso_ Enfim, ela me disse que eu deveria contar para o Joseph, que quanto mais cedo melhor, e nós estávamos lá, nos vestindo quando eu disse “Eu peguei a Rhian assistindo pornô”, e ele “Você me disse que devíamos criar a Rhian da mesma maneira que criamos o Romeo, ela está na idade de assistir pornô, deixa a menina...” e eu “Eu peguei a Rhian assistindo pornô lésbico”. E ele parou o que estava fazendo. Largou a gravata. Sentou na cama e ficou quieto, sem dizer uma palavra. E depois de um longo silêncio tudo o que ele me disse foi “Que tipo de recomendação sexual nós devemos fazer?”, e eu obviamente não entendi nada e ele explicou que com o Romeo ele já havia tido a tal conversa de homem, dito a ele para usar camisinha, esse tipo de coisa, mas não sabia bem que tipo de recomendação deveria fazer a você.

_ Você sabe que tipo de recomendação ele me fez, não sabe?

_ Ele fez uma recomendação?

_ Fez. Umas semanas depois de você ter me pego vendo o pornô eu estava estudando e ele disse de repente: “Rhian, se for dormir com mulheres, durma com as mais limpas, algumas mulheres não são limpas”. E eu morri de rir, porque eu já era psicopata por limpeza e com certeza isso atrasou a minha perda de virgindade.

_ Você pegou dele, essa coisa da limpeza, enfim, seu pai surpreendeu na reação mais uma vez, porém, não é o que se espera. Menos de 10% das mães deve reagir como eu reagi, menos de 1% dos pais deve reagir como o Joseph, então, não é uma coisa simples. Não é porque foi simples pra você que significa que será simples para a Diana, ela me disse que o pai dela é muito conservador.

_ E é, eu vi o quanto ele é conservador, mas não é o fim do mundo. Ela poderia ter contado antes e tudo não teria chegado ao extremo que chegou.

_ Eu sei que ela deveria, e sei também que pelo seu tom, as coisas ainda não estão como você queria, mas você precisa entender.

_ Eu entendo, estou entendendo por quase dois anos.

Marina olhou para aquela sua linda filha teimosa.

_ Entenda um pouco mais. Olha tudo o que esta moça está fazendo com você, Diana mudou todas as coisas.

_ Mudou. O mais engraçado é que eu não me alongava com ninguém porque dizia que era muito ocupada, mas a verdade é que eu faço o dobro de coisas agora e tudo está ainda melhor. Eu estou comendo melhor, dormindo melhor...

_ Suas notas subiram ainda mais na faculdade, eu fiquei impressionada.

_ Então, ela é muito disciplinada, me ajuda a focar nas coisas, a dividir o meu tempo, eu faço muito mais coisas do que achava que podia fazer.

_ É porque simplesmente há coisas que ninguém consegue fazer sozinho, filha. Há coisas que você só vai conseguir com outras pessoas, e há coisas que você só vai conseguir com Diana. Você entende o que eu estou dizendo?

Rhian respirou fundo, pensando numa coisa.

_ Eu entendo. Mãe, será que... Você ficaria muito chateada?

_ Muito chateada com...?

E Rhian explicou a coisa com a qual ela poderia ficar chateada e de maneira nenhuma Marina achava que poderia ficar! Era mês de julho, haviam passado pelas provas finais com tranquilidade e quando Rhian foi buscar Diana no cursinho, havia algo de diferente nos olhos de sua caribenha. Foram para o apartamento, Diana correndo porque queria que tudo estivesse perfeito para o jantar com Marina. Ela chegou por volta das oito, depois de ter passado em casa rapidamente, falou alguma coisa em segredo com Rhian e as duas vieram para a mesa. E o jantar como sempre estava maravilhoso, e o assunto não parecia ter fim, perto das onze Marina se despediu e elas ficaram juntas no sofá da sala, terminando de tomar um vinho que Marina havia trazido. Vinho era a única bebida que vez ou outra, Rhian aceitava tomar.

_ Como foi o teste?_ Perguntou Rhian, fazendo um carinho nos cabelos dela.

_ Foi bom, mas ainda estou escorregando em algumas questões de direito administrativo.

_ Está escorregando em direito administrativo?_ Ela se saía bem em direito penal, processual penal e escorregava em administrativo, sua namorada era uma coisa única mesmo.

_ É muito complicado.

_ Você vai melhorar_ Disse, beijando a testa dela e levantando do sofá_ Separa as leituras que podem ajudar, você terá algumas horas de voo para estudar_ E simplesmente entrou para o quarto enquanto Diana deu um pulo do sofá.

_ Horas de voo?? Rhian, volta aqui!

E foi aquela loucura que Diana não conseguia se habituar. Malas a serem feitas em cima da hora, para um lugar qualquer que ela não fazia ideia de onde era, e o voo partiria às cinco da manhã, às cinco! Era um absurdo, um absurdo total, mas Rhian não parecia se importar com a indignação de Diana, ela sorria de todo o seu estresse e curava a sua ansiedade fazendo amor... E foi fazendo amor que quase perderam o horário do voo, tiveram que se vestir às pressas, buscar os documentos... “Passaporte, Diana, passaporte!”. Passaporte?? Por qual raio de motivos precisava de passaporte?? E é claro que Rhian apenas deu risada de seu ataque, e parou, acalmando o nervosismo dela com suas mãos, seus beijos, seus sorrisos e apenas quando chegaram correndo aos guichês da Polícia Federal foi que Diana se deu conta de para onde estavam indo.

_ Rhian, nós vamos...?

_ Para o meu paraíso, amor. Diz que entra nesse avião comigo?

E como Diana podia não entrar? Se derreteu em olhos brilhando e num beijo que não podia esperar antes de correrem para o portão de embarque, sendo as últimas a ingressar no voo. Estavam indo para as Bahamas, para a ilha de Rhian e Diana não sabia se ficava muito empolgada ou terrivelmente ansiosa, afinal não fazia ideia de como seriam as coisas por lá, o que lhe aguardava, mas este era o tipo de confusão que Rhian causava em si desde quando Diana havia entrado naquele Audi preto há quase dois anos. Encheu Rhian de perguntas durante o voo, sobre o que iriam fazer, para onde estavam exatamente indo, quantos dias ficariam e Rhian lhe enchia de respostas que não diziam nada além de fazer Diana ficar mais ansiosa ainda! Mas era uma boa ansiedade, aquela que parece com bolhas de champanhe explodindo no céu da boca. Era assim que Diana se sentia com Rhian em tempo integral. E ainda não havia se acostumado.

Aterrissaram em Nassau, perto do final da tarde. E a maneira que o sol iluminava a cidade quando desciam era quase mágica. A faixa de areia dourada parecia infinita, o mar azul turquesa naquela tonalidade única abrilhantava a paisagem e tudo parecia irreal de uma maneira única. Desembarcaram e Rhian levou as bagagens e sua irrequieta namorada pela mão. Pegaram um taxi e apenas alguns minutos depois, já estavam num luxuosíssimo iate clube, onde caminharam por um longo trapiche cheio de embarcações de alto nível e o sol apontou dourado indicando que iria se pôr.

_ Nós precisamos ir_ Rhian disse de repente.

_ O quê?_ E ela simplesmente puxou Diana pela mão e saiu correndo com ela_ Rhian!

Correram e correram por aquele tapriche lotado, passando por um obstáculo e outro, desviando das pessoas enquanto Rhian obviamente não lhe contava para onde estavam correndo e menos ainda, porque precisavam correr. Chegaram até um iate de médio-porte chamado “Kier II” e literalmente saltaram para dentro, enquanto Rhian atirava as mochilas num canto e puxava Diana escadas acima, para o deck superior e só então Diana entendeu o motivo da pressa.

O sol estava se pondo dourado sobre o turquesa do mar, algo tão bonito que seus olhos mal conseguiam desviar.

_ É lindo, não é?_ Perguntou Rhian lhe abraçando pelas costas carinhosamente.

_ Rhian, é...

_ A primeira beleza da minha ilha. Eu tenho vinte e três anos e conto coisas bonitas aqui desde quando tinha cinco e toda vez que eu volto, a lista fica maior.

E Diana virou-se nos braços dela, para olhar naqueles olhos verdes enquanto as mãos de Rhian escorregavam para a sua cintura e a figura das duas contra aquele pôr de sol se desenhava em curvas intimistas e sombras apaixonadas.

_ Quando vai parar de fazer isso?

_ De fazer o quê?_ Perguntou Rhian fazendo um carinho no rosto dela ao fazê-la sorrir.

_ De me trazer para lugares maravilhosos sem me dizer nada.

_ Nunca_ Ela respondeu sorrindo também_ Eu me recuso a perder esses seus olhos lindos brilhando assim. Acontece cada vez que eu surpreendo você.

E Diana sorriu mais, fazendo seus olhos brilharem mais ainda.

_ Não é a surpresa ou o lugar, é você. Tudo perderia beleza e significado se você não estivesse comigo. E eu entendi isso na primeira vez que você me levou num lugar maravilhoso, nos altos da Lapa, lá no Rio. Não era nada ao nosso redor, era você perto de mim..._ E tocou sua testa na dela enquanto sua mão subiu até a nuca de Rhian e tocou-a de uma maneira que a fez fechar os olhos tão imersa por ela...

_ Você sabe que eu amo você, não sabe? Sabe como eu amo você?

E Diana sorriu, ficando na ponta dos pés para levar sua boca até bem perto do ouvido dela onde para não perder o costume, em sussurro respondeu:

_ Eu acho que sei, o seu diário sempre conta pra mim...

E Rhian sorriu mais, a apertando pela cintura contra o seu corpo ao beija-la longamente, tocando-a por baixo dos cabelos, mantendo Diana junto a si, duas garotas douradas iluminadas pelo Rei das Bahamas. Assistiram o pôr do sol e só então desceram para que Diana conhecesse o iate. Era tão bonito e refinado quanto o outro que já havia estado, era confortável, e tinha absolutamente tudo o que podiam pensar em precisar. E tinha Rhian. Diana piamente acreditava que ainda que não houvesse nada naquele barco ainda teria tudo porque tinha Rhian como namorada.

Pétalas de flores tropicais trilharam o caminho de Diana até o quarto principal, amarelas, laranjas, vermelhas, rosas, todas quase radioativas de tão coloridas! E sobre a cama uma delicada caixa esperava por ela junto a um balde de gelo com champanhe sobre o criado-mudo.

_ Rhian, você...!_ E Diana saltou no pescoço dela para beija-la uma vez que não conseguiu dizer coisa nenhuma. Beijou Rhian e então saltou para a cama, fazendo as flores flutuarem no ar, e será que os olhos dela realmente brilhavam unicamente por Rhian estar por perto? Parecia que sim. Diana abriu a caixinha e havia seis finíssimas trufas de chocolate esperando por ela_ Uau. Elas são...?

_ Reais? Sim_ E Rhian também se jogou na cama perto dela e um perfume natural maravilhoso se espalhava pela cabine_ São lindas, não são?

_ Elas parecem joias dentro de uma caixa, dá até pena de comer, mas como eu estou com fome..._ E enfiou uma trufa inteira na boca e fez Rhian fazer o mesmo.

_ Diana!

_ Você é tão educada sempre, e é tão linda..._ Beijou-a, com gosto de chocolate_ Há quanto tempo estava planejando tudo isso?

_ Bem_ E terminou de mastigar a trufa que além de linda estava deliciosa, pegou outra_ Desde ontem à tarde.

_ Como assim, desde ontem à tarde? Como conseguiu tudo isso? As passagens, as flores...?

_ Minha mãe me ajudou em tudo enquanto você estava na aula. Nós compramos as passagens, ela ligou para o secretário dela aqui, ele preparou o iate do jeito que eu pedi e o resto... Está aqui_ Apontou para a própria cabeça.

_ Então, basicamente daqui para frente nós não temos um plano?

E Rhian riu.

_ Na verdade, eu tenho planos até para amanhã de manhã.

_ Hum, até para amanhã de manhã, estou entendendo_ E Diana enfiou outra trufa na boca e veio para o colo de Rhian, que imediatamente enroscou os braços em volta da cintura dela_ Você é louca, sabia?

Rhian mordeu a boca ao suavemente subir a mão pelo colo de Diana até o seu pescoço. Ela estava usando jeans e camiseta branca, o coração dela estava batendo forte e pequenas manchas de sangue suavemente coagulado espalhavam-se num canto ou outro de seu colo parcialmente descoberto. Diana era linda. Era a garota mais linda do mundo. E definitivamente estava usando roupas demais.

Rhian subiu a camiseta dela, descobrindo sua lingerie preta que acentuava os seios perfeitos de Diana.

_ O quê, amor?_ Perguntou Diana sorrindo vendo os dedos dela lhe abrindo o jeans rapidamente.

_ Falta da sua pele_ E inclinou Diana para trás puxando o jeans dela para baixo o suficiente apenas para lhe beijar o canto da cintura fazendo Diana se arrepiar inteira ao suspirar de vontade.

_ Rhian...

E Rhian puxou a calça dela, a deixando apenas de lingerie e então se encaixou contra o corpo dela arrancando outro suspiro de Diana ao sentir suas pernas enroscando-se contra os seus quadris firmemente.

_ Eu já passei tempo demais sem tocar você...

E Diana arrancou a blusa do corpo de Rhian ao beija-la intensamente, escorregando a sua boca pela dela, os seus dedos pela pele dela, quente, macia, o iate balançava suavemente e as cores do pôr do sol pintaram o chão da cabine um instante antes dos matizes se transformarem nos primeiros tons da noite. O gelo do champanhe derreteu intocado, as cores mudaram lá fora, a lua se apresentou, brilhante, linda e elas só queriam saber de fazer amor, primeiro na cama, e então na jacuzzi do banheiro onde Diana deixou Rhian completamente esgotada de tanto prazer. E então fizeram amor outra vez, desta vez de pé no chuveiro e foi Diana quem ficou sem pernas, tanto que Rhian teve que leva-la quase carregada de volta para a cama, onde limpou as últimas pétalas que restavam sobre o lençol, onde trocou Diana com roupas de dormir porque ela estava cansada demais para qualquer coisa que fosse. E Rhian cuidou de tudo, de seu chá relaxante e de seu improvisado jantar, o voo havia sido longo e o fuso-horário confuso estava batendo em Diana, Rhian sabia. E então Diana enroscou-se nos lençóis finos e no corpo de Rhian, curtindo a temperatura gostosa que soprava do Mar do Caribe e nada no mundo inteiro poderia ter gosto melhor...

Ou será que podia?

Diana acordou com os primeiros raios de sol invadindo a cabine. Bocejou longamente, se despreguiçando e esticando o braço apalpando o lado da cama buscando Rhian, mas a cama estava vazia. Abriu os olhos e constatou que realmente estava sozinha. Então passou a mão pelos olhos, sentou-se devagar, olhou em volta mais uma vez, e não acreditou na paisagem que aos pedaços se mostrava por uma das janelas. Diana se colocou de pé, buscou um robe fino para se cobrir e caminhou para fora da cabine, e seus olhos não conseguiram acreditar na paisagem que havia ali.

O iate estava ancorado em frente a uma inacreditável praia paradisíaca. Havia uma enorme nesga de areia extremamente fina e branca protegida por palmeiras e coqueiros misturando-se em meio a uma mata densa e verde e então o sol forte da manhã brilhava colorindo todas as coisas. O mar era inacreditavelmente imenso, suntuoso, Diana sentia-se voando ao invés de flutuando de tão alto ele parecia, os tons misturavam-se e separam-se de uma maneira única, o mar era verde-água e era azul turquesa, e era verde-escuro e azul claro transparente, a superfície lisa e delicadamente ondulada, e então num canto da ilha havia um enorme círculo protegido por uma rasa vegetação onde um azul-petróleo predominava destoando e entoando de todo o cenário.

Era o paraíso. Um outro tipo de paraíso.

E então braços se enroscando em volta de sua cintura e uma boca encontrando a parte sensível de sua nuca num beijo carinhoso.

_ O que achou, amor?

_ Como... Como nós viemos parar aqui?

_ Eu acordei mais cedo e zarpei de Nassau, eu queria que você acordasse num lugar maravilhoso.

_ Então nós estamos em...?

_ Em Long Island, em Clarence Town. Está vendo aquela massa azul escura ali no meio? É o buraco de água salgada mais profundo do mundo. Ele desce 202 metros em fundura, foi o primeiro lugar onde eu mergulhei quando terminei o curso de mergulho com cilindro. E adivinha o que nós vamos fazer hoje?

E Diana olhou para ela um pouco assustada.

_ Mergulhar ali?

_ Não, né, vamos mergulhar em algo um pouquinho menos perigoso...

_ Um pouquinho menos?

_ É, tipo, com corais e estrelas do mar mais dentro das suas possibilidades...

Diana riu, batendo nela, sabendo que era verdade, mas não querendo que fosse.

_ Eu poderia mergulhar ali.

_ Você pode todas as coisas, amor.

E Diana abraçou-se a ela, deitando a cabeça no peito de Rhian manhosamente.

_ É você quem pode.

_ Posso quase tudo. Prometo que durante todos esses dias em que nós estaremos no mar, todas as manhãs você irá acordar num paraíso diferente.

Diana sorriu, e Rhian sentiu aqueles lábios lhe tocando a pele do ombro naquele sorriso.

_ E eu prometo que você irá dormir num paraíso todas as noites..._ Respondeu, fazendo Rhian sorrir amplamente. Parecia uma troca justa, parecia uma troca mais do que justa...

Foram para a cozinha do iate, onde de lingerie Diana preparou um belíssimo café da manhã para elas com diversas frutas tropicais e aquela era uma rotina da qual Rhian nunca enjoaria, sua linda namorada cozinhando de lingerie, andando de um lado para a outro enquanto elas falavam de um assunto qualquer, quem precisava de mais? Rhian guiou o iate por dentro do tal buraco de água salgada mais profundo do mundo, e as cores eram esplêndidas, e a sensação de mergulhar ali chegava a seduzir. Mas Diana achou melhor esperar para mergulhar com os corais e as estrelas do mar, havia acabado de completar 21 anos, não parecia uma boa ideia. Rhian deu a volta na ilha, o sol soprando seus cabelos agora cacheados para trás, os óculos escuros, aquele corpão exposto pelo biquíni e Diana não aguentava. Ia agarrada na cintura de sua namorada maravilhosa, sentindo a brisa do mar, o refrescante no ar e aquela paixão tão de pele, aquela coisa que não permitia que se separassem nem que fosse por um pouco. Os dedos de Diana aderindo a pele amendoada de Rhian, o calor da sua pele, a salinação que Diana sentia na boca toda vez que a tocava. Tudo era absolutamente delicioso e mal havia começado.

Rhian ancorou na frente de uma pequena ilha e Diana entendeu o sentindo de Bahamas significar baja mar. Rhian parou fora da baia ou o iate encalharia naquelas águas tão rasas e transparentes e da proa do barco Rhian a convenceu que podiam saltar em segurança do outro lado direto para o mar. E ela sempre a convencia de qualquer coisa absurda, Diana gostaria de entender como, mas de qualquer maneira saltou de encontro ao mar quente do Caribe e por um segundo o mundo ficou denso e silencioso, e os raios de sol raiavam pelas frestas do mar, cortando o turquesa, abrilhantando a natureza, os pés de Diana tocaram a areia fina e os braços de Rhian a pegaram pela cintura, puxando-a contra o seu corpo, beijando-a enquanto a densidade levava ambas de volta a superfície. Diana agarrou-se ao pescoço dela e de olhos fechados, sentiu todo o paraíso que a circulava. O natural e os braços de Rhian Kier.

_ Já tocou numa estrela do mar?

Não, nunca, Diana nunca havia sentido uma estrela do mar antes. Rhian pegou uma prancha de surf pelo lado do iate, e juntas, elas remaram para dentro do recife, vendo toda a vida marinha se movimentando a um esticar de braço de distância. A praia quase deserta derramava areia branca feito neve, prenderam a prancha num pedaço de recife e era hora de mergulhar naquele lindo aquário natural. Diana não era das melhores nadadoras, mas com Rhian sabia que podia qualquer coisa. Mergulharam ao natural, sem qualquer equipamento, Diana na frente e Rhian guiando-a por trás dela, os braços em volta da cintura de Diana, os pés impulsando na mesma intensidade, os corpos das duas nadando para baixo, para o fundo, em direção as areias brancas e a floresta submersa das Bahamas. Haviam peixes coloridos e tartarugas marinhas por perto, as plantas do mar moviam-se, bailavam, movimentando a vida nos corais, e Diana sentia-se livre e plena mergulhando nos braços de sua namorada. Nadaram pelo recife, aos risos e beijos, mergulhando, descobrindo, explorando enquanto sal e sol misturavam-se por suas peles numa mesma intensidade.

E Rhian flutuando pelo mar era outra coisa linda de se ver, a forma com a qual ela mergulhava e se virava no fundo, e parecia dançar com tudo o que se movia como se fosse parte ativa daquele ecossistema majestoso e será que não era? Rhian era sua sereia tropical, e ainda por cima chamava Diana de sua sereia, dizia que ela estava linda se movendo por aquele aquário, que nenhuma outra sereia branquela poderia ser tão bonita e graciosa e Diana não podia com ela. Elas não podiam uma com a outra. Subiram para a prancha e os beijos continuaram, sentadas de frente uma para a outra, deixando que o mar decidisse para onde deveria leva-las, e aquela prancha as levou para o céu. Aqueles olhos lindos brilharam outra vez quando Diana viu que estavam passando sobre estrelas do mar. Mergulhou de volta, ainda que não desse pé, mergulhou até aquela pequena constelação de dez, onze estrelas deitadas no leito de areia, vermelhas-alaranjadas contrastando com o mundo turquesa a sua volta. Diana brincou com elas por um instante, acostumada as chuvas de estrelas que parecia cair dos céus de Alto Paraíso agora ela via chover ao contrário com aquelas lindas estrelas do mar entre os dedos. E a assistindo tão encantada com as estrelas, Rhian se perguntava com poderia não ter se apaixonado por ela. E como aquilo não poderia ser permanente. Era permanente. E era único. Sabia que era.

E Rhian mergulhou para ir busca-la, ou ela não voltaria sozinha, a trouxe de volta a superfície e ela ainda tinha uma estrela nas mãos.

_ Precisa devolver para a natureza, sereia.

_ Eu devolvo, vou devolver num minutinho, prometo...

Levou mais de um minuto para ela soltar a tal estrela do mar, mas quando Rhian lhe disse que já era hora do almoço e contou a ela que almoçariam num lugar maravilhoso, ela decidiu se despedir da estrela. Voltaram para o iate, música alta, mas nunca o suficiente para barreirar os sons naturais e se havia algo melhor para Rhian do que estar navegando pelas suas ilhas com sua linda namorada passeando de biquíni pelo seu iate, ela ainda desconhecia. Rhian havia navegado por cinco horas de tempo durante a madrugada, elas haviam ido dormir por volta das nove da noite então acordou as três da manhã, e decidiu que sua namorada merecia acordar num lugar paradisíaco. Decidiu que começariam a explorar a Bahamas pela beleza que havia no sul e então depois, quem saberia? Rhian tinha uma ideia em sua mente. E só precisava de uma dose de coragem para coloca-la em prática uma vez que certeza ela já tinha.

Diana era a mulher da sua vida.

Almoçaram numa praia maravilhosa, em um restaurante praticamente caído dentro do mar, havia uma rede para descanso dentro do oceano e tantos frutos do mar que Diana nem sabia por onde começar. Iates e barcos passeavam por aquela ilha que já havia sido ponto de pirataria nos séculos passados. Passearam um pouco pela pequena cidade, sempre de mãos dadas, comprando uma coisinha ou outra, quando as mãos se soltavam é porque os braços estavam enroscados no corpo uma da outra, pelo punho, pela cintura, elas não se deixavam nem por um segundo que fosse. Rhian comprou um sorvete para Diana enquanto voltavam para o iate, estava quente, mas refrescante e o cenário natural parecia ter inteiro passado por efeitos de Photoshop. Não parecia comum, possível, real.

_ Eu ainda não acredito que nós estamos aqui_ Disse sorrindo para Rhian.

_ Eu não faço ideia de porque não viemos antes...

E Diana riu ao calar Rhian com um beijo.

_ Eu precisava me redimir depois de ter entrado no seu carro tipo meia-hora depois da gente se conhecer...

_ Como se você tivesse sido fácil, ai, ai_ Respondeu, puxando-a para perto pela cintura_ Você não vai acreditar onde irá acordar amanhã.

_ Eu tenho certeza que não vou.

_ Não vai, e menos ainda irá acreditar com quem nós vamos nadar agora...

Com golfinhos! Rhian a levou para nadar com golfinhos naquele oceano pintado de inacreditável e tudo foi divertido demais, o contato com aqueles bichinhos tão especiais, a baía maravilhosa onde estavam e havia uma coisa tropical e cítrica que as atraía uma para outra mais do que o normal, talvez o sal na pele ou o calor natural e quando o sol começou a pôr elas deixaram os golfinhos de lado para subir na prancha e remar de volta para o iate porque Bahamas era uma delícia, era paradisíaco, mas aquela sua namorada... Rhian era afrodisíaca.

Voltaram para o iate aos beijos e enquanto o sol se despedia, elas faziam um intenso amor no chão do quarto, e o sal na pele de Rhian enlouquecia Diana, a temperatura de seu corpo, a pegada dos seus dedos, ah sim, era o paraíso, Rhian era o seu paraíso peculiar, era sua ilha particular, era tudo o que poderia pedir...

Diana dormiu enroscada nos braços de sua namorada, e acordou em outro pedaço do paraíso. Estavam paradas num lugar onde o mar era intensamente azul e pintava-se em verde-água em um pedaço e outro, e então uma sinuosa nesga de areia branquinha que criava uma verdadeira passarela natural bem no meio do oceano.

_ Rhian, onde eu estou??_ Perguntou em voz alta já correndo pelo deck apenas de lingerie.

_ Musha Cay, baby!_ E Rhian estava checando seu celular quando viu sua linda garota correndo de lingerie em sua direção com aquele sorriso deslumbrante tão aberto. Diana saltou em seu pescoço, beijando-a antes de dizer qualquer coisa que fosse.

_ Você é louca, Rhian!

_ Eu prometi que você vai acordar cada dia num cenário diferente, não prometi?

_ Prometeu_ E Diana havia notado que Rhian havia deixado o celular de lado quando se aproximou, deixado de lado ou escondido? Não, não era nada. Diana havia prometido a si mesma na primeira noite delas no mar do Caribe que deixaria todas as suas paranoias de lado, que não permitiria que nada estragasse o seu momento com Rhian. Ela era sua. Não precisava se preocupar com quem Rhian havia dormido antes, confiaria nela, ponto. Sua namorada já havia mais do que provado que merecia a sua confiança_ Vem, eu vou fazer um café da manhã maravilhoso com aquelas frutas exóticas que nós compramos ontem...

Diana preparou um café da manhã tão paradisíaco quanto aquela ilha e então elas aportaram e foram passear de mãos dadas por aquela mágica passarela de areia. O sol brilhava bonito, Diana podia senti-lo densamente em sua pele, já estava com uma linda cor de praia, mas o que não era bonito nela? Rhian deixou-a sozinha por dois minutos para pegar coconuts gelados e quando voltou ela estava sentada na areia, onde o lançante de água podia lhe pegar as pernas meio flexionadas, a gargantilha que Rhian havia lhe dado no colo, o biquíni preto e os olhos fechados, o rosto virado para o sol, os longos cabelos castanhos esvoaçando ao vento... Ela tinha noção do quanto era linda? Com toda a certeza não tinha. Almoçaram na refinadíssima Musha Cay onde Diana se perdeu entre olhar as mansões de veraneio e as belezas naturais e então voltaram para o iate e Rhian a levou por outro passeio maravilhoso, repleto de ilhas espetaculares, navegaram por águas rasas no limite da embarcação, e Diana pode caminhar pelo deck ao ser acompanhada por um cardume de peixes branquinhos que pareciam gostar de lhe fazer companhia.

_ Rhian, deve haver muitos tesouros aqui em baixo, não tem?

_ Eu nunca achei nada, mas nunca se sabe. De qualquer forma, você já tem parte do tesouro bahamiano.

_ Já tenho?

_ Eu obviamente...

Ok, Rhian não existia, e nem Diana tinha como dizer que não era como ela dizia, era um tesouro aquele amor da sua vida, em todos os aspectos possíveis. E então naquele final de tarde, elas se aproximaram de outra praia maravilhosa onde...

_ Rhian?

_ Porcos selvagens. Eles adoram tomar banho de mar como você pode ver, são porcos bahamianos que vivem nesta ilha tot...

E foi quando Rhian se deu conta de que aquela sua namorada que insistia que a louca do casal era Rhian, já havia saltado do barco sozinha para nadar com os filhotinhos de porcos que tomavam o seu tradicional banho de mar na Pig Beach, em Exuma. Não haviam humanos naquela ilha, tudo pertencia aos porcos que podiam rolar na areia e nadar o dia inteiro se quisessem. Eles realmente nadavam, muito melhor do que Diana diga-se de passagem e quando uma belíssima arraia se aproximou com peixes em seu encalço, ela não sabia para onde olhar, quem admirar, estava entre os porcos e a arraia nadando num aquário azul sob um céu cor de rosa do anoitecer. Era lindo demais, único demais.

_ Eu tenho que devolver para a natureza, não tenho?_ Perguntou Diana, brincando com o menor porquinho que havia por ali.

_ Precisa amor, devolva para a natureza, vamos...

Levou um tempinho para que ela devolvesse, e outro tempinho para que Rhian pudesse deixa-la limpinha de novo, afinal já sabemos sobre o problema de Rhian com limpeza. Deu banho em Diana primeiro na boia vazada que havia atrás do iate, e depois deu banho nela no chuveiro e só então permitiu que ela fosse para a banheira onde ainda ia terminar a desinfecção total antes que pudesse pensar em toca-la de novo.

_ Já chega de banho, Rhian!_ Reclamou rindo, já não aguentando o tanto de produtos que Rhian já havia usado em seu corpo.

_ Eu só queria que você visse os porcos nadadores das Bahamas, não era para nadar com os porcos, se agarrar com os porcos...

E Diana puxou-a para dentro da banheira, calando a boca dela com um beijo.

_ Diana!

_ Já chega de banho, amor, eu tô com tesão..._ Ela disse, lhe mordendo a ponta da orelha de uma maneira... Rhian mordeu a boca num sorriso.

_ Eu não aguento você...

_ Você sempre aguenta...

E na manhã seguinte quando Diana abriu os olhos, havia uma inacreditável praia de areia cor de rosa bem diante dos seus olhos.

_ Rhian, como... Meu Deus!

_ Eu sei, eu sei, você odeia rosa..._ Disse, fazendo graça.

_ É claro que não! Isso é lindo, é... Inacreditável. Eu já havia visto fotos, mas assim..._ E abraçou Rhian pelas costas, deitando um beijo em seu ombro sem conseguir tirar os olhos daquela praia deslumbrante.

_ É como um enorme diamante cor de rosa, minha mãe sempre diz a mesma coisa quando olha para esta praia. Sabe o que nós vamos fazer hoje?

_ Com você eu nunca faço à mínima ideia_ Respondeu sorrindo.

_ Vamos aportar ali, na areia cor de rosa, e fazer um safari de jipe.

Fizeram. Um belíssimo safari por dentro da densa mata das Bahamas, feita de pequenas elevações e enormes belezas, era uma floresta molhada, hidratada, com belos lagos de água verde surgindo do impossível, cachoeiras caindo do nada e foi em uma delas que Diana quase foi à loucura de tanta vontade que passou. Rhian era gostosa demais, fazia gostoso demais, mexia com suas fantasias e sabia que mexia, soube desde o primeiro minuto quando seus olhos se cruzaram naquela balada. E Diana mal podia acreditar que haviam chegado tão longe. Fez um jantar romântico para ela aquela noite. Era lua cheia, o céu estava pintado de estrelas e depois de um mergulho ao entardecer, Rhian voltou para o barco e encontrou Diana cozinhando, descalça e de vestidinho curto, Diana era uma fantasia de namorada e Rhian só podia lhe corresponder à altura, era o mínimo que podia fazer...

Foram parar numa ilha deserta no dia seguinte. Diana havia acordado em outro lugar maravilhoso e depois do amor que haviam feito logo pela manhã, elas estavam numa paixão tão intensa que nem sabiam como lidar. Estavam mais agarradas do que nunca, mais grudadas do que nunca e juntas elas mergulharam pelas águas rasas de um recife, em suaves movimentos, os corpos deslizando juntos, as mãos de Rhian pela cintura, pelas coxas de Diana, e os sorrisos sempre abertos, os olhos que não se perdiam nem por um segundo, e Diana nunca, nunca havia se sentido tão especial, nunca havia sentido nada parecido com o que Rhian lhe causava e Rhian nunca havia pensado que alguém lhe faria tão feliz, nunca havia imaginado que pudesse existir alguém no mundo que fizesse o tempo voar, parar, perder importância do jeito que Diana fazia. Ela era o seu amor. Ela a sua paixão. E talvez por isso sempre sentisse que por mais que a tivesse, nunca parecia suficiente...

Deslizaram por uma maré turquesa e aos beijos foram parar na areia da praia, Rhian sobre Diana, montada em suas coxas, e o beijo era firme e gostoso, era quente e excitante, as mãos de Diana suavemente descendo pela cintura, pelos quadris de Rhian, tocando, apertando, puxando, o sol marcando em suas peles, o sal praiando os cabelos das duas, e a amêndoa na pele de Rhian parecia mais deliciosa do que nunca, e a boca de Diana era viciosamente gostosa e quando a mão de Rhian atrevidamente tocou o seio de Diana sob o biquíni preto, ela suspirou forte, estremecendo o corpo numa confusão de sensações, era o frio por ter saído do mar, era o calor pelo tesão que era Rhian e foi quando Rhian deitou-a para trás, empurrando o corpo dela bem de leve enquanto as mãos de Diana se espalhavam por aquele abdômen perfeito deixando gemidos escaparem na respiração, e Rhian afundou suas mãos por ela, apenas a pegando, apenas a tocando, gostoso o suficiente apenas para fazê-la gemer de olhos fechados, para fazer Diana morder a boca e empurrar a parte baixa de sua cintura contra o corpo de Rhian...

_ Rhian..._ Chamou o nome dela, mas saiu em gemido.

E Rhian prendeu os punhos dela no alto e desceu a língua pelo queixo de Diana, pelo seu pescoço, colo, pelo meio dos seios, e Diana contorceu-se de vontade, sentindo as pulsações no meio de suas coxas se apertando, Rhian desceu mais e chupou no canto da cintura dela, sentindo o sol e o sal temperando aquela pele que adorava e Diana cravou os dedos na areia sentindo seu corpo eletrizando outra vez e Rhian tinha gosto de fruta ácida e de fantasia sexual...

Rhian subiu por ela e beijou-a, prendendo seus punhos outra vez, deixando seu corpo pesar sobre o dela, seu tesão bater contra a pele dela enquanto as pernas de Diana enroscavam-se contra as suas coxas, puxando, apertando e foi quando Rhian se pôs de joelhos, olhando dentro dos olhos de Diana, segurando o queixo dela entre os dedos e escorregando seu dedão para dentro da boca dela. Diana chupou o seu dedão e chupou o seu tesão ao olhar Rhian de uma maneira... Mas Rhian não deixou por menos. E quando Diana percebeu, ela estava desamarrando um dos lados de seu próprio biquíni.

_ Rhian...?

_ Nós vamos fazer amor na minha ilha_ E simplesmente puxou o biquíni de Diana de lado e encaixou-se contra seu sexo quente e enlouquecido de vontade...

Diana a sentiu intimamente e estremeceu de tesão, sentindo Rhian tão excitada, tão firme. Rhian cravou as mãos na coxa e na cintura de Diana e investiu contra ela, deslizando pela sua pele, excitando, apertando, friccionando enquanto sem pudor algum, ela soltou o outro lado do biquíni, ficando totalmente nua da cintura para baixo, a marca de seu bronzeado se mostrando, a musculatura do seu corpo em ação, a mão agarrando o seio de Diana, o fazendo escapar do biquíni, a maré as pegando num lançante e outro, e Diana a agarrando, a marcando e aqueles olhos verdes dentro dos seus e tudo era cítrico, salino e tropical, e o tesão era uma massa viva pulsando dentro das duas, crescendo dentro das duas, Diana agarrou-se nos braços de Rhian e ela fez mais, mais forte, mais rápido, mais firme, deslizando mais, friccionando mais e quando aqueles olhos se cruzaram mais uma vez, foi Diana quem deslizou o dedão para dentro da boca de Rhian e o pedido saiu gemido e totalmente salgado...

Queria gozar. Gozar com ela.

E tudo foi intenso demais. Foi algo de corpo, e mente, e sentimentos molhados quando Rhian enroscou seus dedos nos dedos de Diana, e olhando nos olhos dela moveu seus quadris arrastando e estimulando o prazer até ele explodir. Gozaram juntas, tão forte que os corpos de ambas se curvaram e tremeram descontroladamente, e foi quando os quadris paralisaram sem conseguir reagir e suas pulsações se abafaram, se apertando, agarrando, bebendo até a última gota possível de prazer. As respirações ofegante, os músculos exaustos e o coração mais do que disparado e Diana pegou Rhian, sentando-se na areia, a puxando para o seu colo de frente para si e beijou-a, beijou-a forte, ansiosa, ainda sentindo seus corpos arquejando de tanto prazer. Beijou-a até que seu corpo se acalmasse, até que se acostumasse a aquilo tudo que Rhian havia acabado de causar e então o sol estava se pondo e elas ficaram assim, bem quietas, Rhian no colo de Diana, as duas se abraçando, agarradas uma na outra. Beijos no ombro, no pescoço ali ou ali, mas elas não se soltaram. Por nada. Diana podia sentir o coração dela batendo tão forte. E podia sentir uma outra coisa mais, que não conseguia nomear, mas sabia que nunca mais poderia viver sem.

_ Eu gostaria de poder ficar aqui para sempre_ Diana lhe sussurrou quando a noite começou a cair.

_ Nesta ilha?

_ Nos seus braços. Eu amo você demais, Rhian. Eu nunca vou amar ninguém assim. Eu sei.

E Rhian engoliu a emoção respirando fundo.

_ Eu sei. Deixa eu te levar para jantar, amor?

_ Eu deixo qualquer coisa no mundo...

E Rhian levou-a de volta para o iate e depois de um banho em que mais se beijaram do que se molharam, elas voltaram ao quarto e Rhian pediu para ela pôr um vestidinho curto de verão. A noite era quente, como se nunca fizesse frio por ali apesar do mar, e elas navegaram por cerca de trinta minutos e ancoraram em outra ilha. Que tinha um restaurante na praia. Cujo o salão ficava na areia e a iluminação era feita por fogueiras. Mesas baixas iluminadas por velas e esteiras sobre a areia as convidavam a sentar. E elas ficaram de mãos dadas o tempo inteiro ainda que sem perceberem, fizeram o pedido deste jeito e enquanto esperavam o exótico prato de lagostas e frutas tropicais, elas se olharam nos olhos e conversaram bem de perto e foi apenas quando Diana percebeu que não havia mais ninguém por ali além delas duas. Mas não havia sido sempre assim?

Mas desta vez, o motivo era especial.

Jantaram juntas, e a comida estava deliciosa, e as limonadas bahamianas deixavam as suíças no chão, e então elas estavam tão perto que podiam se ver nos olhos uma da outra, os dedos juntos, enroscados, os corpos pertinho um do outro, se aquecendo ainda que não houvesse frio. E Rhian sentiu seu coração parando e voltando no peito e soube que nenhuma hora seria mais perfeita do que aquela.

_ Eu não disse pra você, mas hoje enquanto eu estava mergulhando eu acho que encontrei um tesouro..._ Disse, enfiando a mão no bolso da bermuda.

_ Um tesouro? Como assim você encontrou um...?

E Diana não pode dizer mais nada. Sua voz travou na garganta e imediatamente seus olhos encheram de lágrimas. Porque no dedo mindinho de Rhian, ela estava lhe oferecendo um lindo anel em ouro branco com um delicado diamante como pedra.

_ Eu encontrei este tesouro aqui. E também encontrei o mesmo tesouro numa balada na faculdade, encontrei nos altos da Lapa, nas praias de Búzios, na cozinha do nosso apartamento, neste mar enorme, na ilha deserta onde nós fizemos amor. Você é o meu tesouro, amor_ Disse e sua voz embargou ao ver Diana reagindo com tanta emoção_ É o meu tudo o que tenho, tudo o que quero, você é o motivo pelo qual o céu é azul. Tudo escurece sem você comigo, perde a cor, o motivo de ser, e_ Respirou fundo, pegando as mãos dela ao aproximar o belíssimo anel do anelar de Diana, e as mãos dela estavam tremendo, o peito dela tremia, seu coração tremia e Rhian mal conseguia respirar_ Eu só quero o meu nome no meio do seu, só quero você comigo sempre, então, por favor, meu amor, diz que casa comigo, diz.

E Diana puxou-a pela nuca e beijou Rhian profundamente, enquanto duas lágrimas escaparam e seus olhos brilhavam sem parar. O sorriso que se recusava a sair de sua boca, o coração disparado, aquele lugar maravilhoso, aquele pedido lindo, Rhian. Rhian. Como Diana poderia querer outra coisa além de dizer sim ao pedido dela?

_ Eu caso amor. Em um mês, em um dia, amanhã de manhã, é claro que eu caso com você!_ Disse, abraçando-a bem forte enquanto no peito de Rhian seu coração girava em ansiedade e felicidade_ Eu amo tanto você...

_ Eu amo você demais_ E Rhian olhou nos olhos dela e Diana viu que ela estava chorando. Era assim, Rhian a amava da mesma maneira? Diana beijou-a mais uma vez e Rhian deslizou aquele anel lindo pelo seu dedo, o anel que apenas reafirmava o que todo mundo já sabia: elas se amavam, eram uma da outra, e Diana mal podia esperar para assinar Kier como sobrenome...

Viveram uma lua de mel antes do casamento aquela noite. E o amor que fizeram no balanço suave do barco naquela linda noite estrelada foi doce, e intenso, e cheio de mãos entrando na pele, de dedos enroscando em dedos, de olhos dentro de olhos, e de promessas caladas de que aquela era apenas a primeira noite do resto de todas as suas vidas. Estavam no céu quando pisaram em Paradise Island quatro dias depois. E a ilha fazia jus ao seu nome de paraíso. O mar azul-esverdeado cercando por todos os lados que a vista conseguia alcançar, a areia perfeita, protegida pelas inúmeras palmeiras balançando ao ar, o magnifico Atlantis Resort as recepcionando assim que se aproximaram e o cais de pedra a frente de uma inacreditável mansão onde Rhian lhe disse que morava. Branca, dois andares, dezesseis cômodos, a parte da frente da casa ficava dentro do mar, e a parte de trás também, era imponente, lindo, só não mais maravilhoso do que Diana agarrada nas costas de sua namorada enquanto ela manobrava para ancorar.

Desceram de mãos dadas, agarradas uma na outra, os sorrisos que não abandonavam os rostos, caminharam pelo cais de pedra que não ficava tão distante da entrada da mansão, entraram e então...

Música alta.

E então vozes. Vozes femininas. Diana franziu a testa imediatamente.

_ Tem alguém em casa?

E não era alguém. Era alguéns. Caminharam até uma das piscinas da casa e havia uma festa enorme acontecendo. Apenas com mulheres. Rhian apareceu na porta de entrada e Diana não pode acreditar quando todas aquelas garotas comemoraram quando ela apareceu.

_ Mas veja quem encontrou o caminho de casa!

E menos ainda Diana pode acreditar no sorriso que Rhian abriu ao ver todas aquelas garotas ali, e menos ainda acreditou quando foi totalmente ignorada, como se sequer existisse ao lado de Rhian. E teve que ver os abraços, e os beijos, e os flertes descarados e quando enfim Rhian olhou para trás para ver onde ela estava, foi que percebeu.

 

Seu céu azul havia escurecido. E uma enorme tempestade parecia se aproximar. 

Notas finais:

Hei meninas, como estão? Um capítulo cheio de amor, prazer e acima de tudo devoção entre essas duas, Rhian e Diana. E para acompanhar este romance deixo para vcs a indicação de uma música... ' I Won´t Give Up - versão cover de Christina Grimmie - http://bit.ly/1PBbmSC

Também quero agradecer pelo enorme carinho que vcs estão tendo comigo, pelos elogios e pela amizade. Meninas, vcs não existem, definitivamente!

PS: Capítulo dedicado a Fernanda B e ao seu querido amigo.

Milagres são reais e anjos existem!!! ♥♥♥

 

Bjos meninas *-*



Comentários


Nome: Lerika (Assinado) · Data: 09/06/2017 22:45 · Para: O motivo pelo qual o céu é azul

Uma autora que usa sinestesia S2

(...) Rhian tinha gosto de fruta ácida e fantasia sexual...

Que perfeitaaa!!

 



Resposta do autor:

Sinestesia ♥♥♥

Que comentário lindo! Já ouvi algumas coisas, mas escrita sinestésica foi a primeira vez, adorei ♥

 

Obrigada pelo comentário tão gentil!



Nome: Maria Flor (Assinado) · Data: 09/07/2016 02:55 · Para: O motivo pelo qual o céu é azul

Oi, Tess!!

Marina é tão maravilhosa. É uma pena ela ter morrido tão cedo. Quanto mais leio sobre a relação dela com a filha, mais me encanto. Mas e a relação da Marina com o Romeo? Você vai chegar a mostrar isso?

Que passeio incrível!!! Deu ainda mais vontade de desbravar o Caribe. Amo de paixão, apesar de ainda não conhecer. E que pedido de casamento mais lindo. Ai, Tess... Não sou muito romântica, mas reconheço que ficou muito cute, hehe.

Tá certo que a Rhian bobeou no final do capítulo, mas nada que uma bronca não resolva, hahaha. 

Fiquei curiosa pra saber a continuação dessa cena e ver a Diana toda enciumada *-*

Beijooo

 

Ps.: A cada dia amo mais os flashbacks!!!

Ps2.: Desculpe-me pelo comentário mais "raso". Hoje estou lesa, hahaha. Melhoro no próximo :)



Resposta do autor:

Maria Flor *.*

 

Marina é a minha fantasia de mãe, ela tem uma relação linda com a Rhian e uma relação complicada com o Romeo. Mais para frente iremos ver mais a respeito, mas ela cometeu com ele todos os erros que não comenteu com a Rhian, sempre fechando os olhos para as situações, tentando resolver dentro de casa, tendo dificuldades em dizer "não" para ele e não acreditando nas coisas que se dizia sobre ele. Inclusive nas coisas que a Rhian contava, o que gera a primeira rachadura neste relacionamento tão bonito.

Menina, eu preciso ir para o Caribe! É tão perto daqui, tipo, se tivesse voos diretos, seriam voos de 2 horas de tempo a depender da ilha, esta na lista, esta muito na lista haha

E o pedido de casamento pegou vc, né? É o tipo de pedido incapaz de se dizer não :) Rhian escorregou no final, mas vamos ver como ela vai se sair desta situação ^^

Diana ficará num nível máximo de ciúmes, vc vai ver só haha

 

Bjs!

 

Ps.: Eu tinha tanto medo de perder a continuidade da história com os flashbacks, vc não faz ideia de como fico feliz quando alguém comenta que está curtindo :)

Ps2.: Seus comentários são sempre densos, comentário seu raso nunca acontece amiga haha



Nome: Ana_Clara (Assinado) · Data: 23/06/2016 21:38 · Para: O motivo pelo qual o céu é azul

Eu me esqueci de dizer no último comentário que a cena de pedido de casamento foi tão sutil, amorosa e profunda que a Rhian consegue se sobrepor sobre todas as coisas, mesmo que muitas provas indicam que ela esteja comentendo algum tipo de erro (por mais que eu acredite que não). Eu realmente me emocionei com essa sutileza única do momento, e pode deixar que a minha mente já ferve com o próximo pedido de casamento. hahahaha



Resposta do autor:

Rhian sendo linda demais d83;



Nome: Lyn (Assinado) · Data: 23/06/2016 12:54 · Para: O motivo pelo qual o céu é azul

Comecei a ler ontem, passei a madrugada inteira lendo, estou com sono agora, mas valeu a pena. Rsrsrs 

Estou adorando a história, parabéns. 

Beijos hehe 



Resposta do autor:

Como assim vc leu tudo de uma vez só? 😱😱😱

 

Lyn, os capítulos são enormes, moça, que bom que gostou tanto assim *.*

Espero vê-la mais vezes por aqui.

 

Bjs e bem-vinda aos coments!



Nome: Rita (Assinado) · Data: 22/06/2016 22:26 · Para: O motivo pelo qual o céu é azul

Que lindo e romântico autora! Eu me senti lá hehe



Resposta do autor:

Oieee Rita!!

 

Deu pra pegar carona no iate da Rhian, né haha

Esta história estava precisando de um momento romântico :)

Bjs!



Nome: annagh (Assinado) · Data: 22/06/2016 21:43 · Para: O motivo pelo qual o céu é azul

Oi...eu aqui de novo....nesse cantinho que tanto adoro...rsrsrs...

Tess, você conhece a música Caribbean Blue da Enya??? Então, esqueci de falar no outro comentário, mas quando li a cena do mergulho de Diana e Rhian naquele mar maravilhoso cheio de seres fantásticos e preciosos lembrei logo dessa música. Ela me transmite paz, tranquilidade e me leva a um mundo cheio de coisas belas. Foi bem assim que me senti dentro daquele cena...feliz...tranquila....em paz cercada de coisa bonitas. 

Obrigada por esse presente!!!

Beijo Querida.



Resposta do autor:

ANNA EU CONHEÇO ESSA MÚSICA, E TINHA ME ESQUECIDO DESSA MÚSICA E AGORA VC ME LEMBRA DESSA MÚSICA E EU ACHO QUE ELA DÁ NOME DE CAPÍTULO DA FASE FINAL o/

O Azul do Caribe *.*

Essa música está na minha playlist de yoga, mas desde quando o tal Projeto SGE entrou na minha vida eu nunca mais tive tempo para me exercitar, enfim, a música dita bem o ritmo e a beleza do capítulo, a sensação de calma, de paz que apenas o oceano pode trazer, muito obrigada por esta lembrança!



Nome: isa_bela (Assinado) · Data: 22/06/2016 01:16 · Para: O motivo pelo qual o céu é azul

Uau, que capítulo!

A Rhyan é um tipo de namorada dos sonhos, né? Quase um arquétipo que povoa o imaginário de boa parte das meninas. E a Diana tbm, no outro extremo, apesar de ainda está sendo desvendada, o nome de deusa faz jus a Di, impossível resistir e não se curvar sendo um simples mortal.

História densa, intensa e muito, muito bem escrita. A descrição do cenário é quase palpável. Sua história me foi indicada pela Selena Albuquerque e eu tô mais que amando! *_________*

P.S: Isis tbm é uma deusa, e eu, como já disse anteriormente, tô no chão. hahahahaha
Isis <3 Ariana!

P.S: Tem algum team? Eu... Eu... Menina, cê me deixa tão envolvida que eu nem sei se tem que torcer por alguém, eu tô torcendo pela história, pode? hahahahaha 



Resposta do autor:

Olá Isabela!!!

 

Sinto que estou devendo a minha alma a Selena pelo tanto de indicações que ela gentilmente faz de Delirium b25; Ela é uma linda, adoro forte demais essa moça *.*

Rhian é uma fantasia de namorada, uma espécie de imperfeição perfeita sedutora demais para ser deixada de lado ;) E a Diana pra mim é o contrário dela, é aquele tipo de perfeita imperfeição em forma de menina linda que todo mundo olha e quer namorar e as duas juntas foram este casal viciante e carismático que caminha por este romance-policial caribenho haha

E eu fico tão, mas tão feliz quando alguém elogia o cenário e a minha escrita ♥ Muito, muito obrigada mesmo! Pela leitura e por ter tirando um tempinho para comentar aqui, significa muito pra mim!

P.S: Vc sabe que eu escolhi o nome das duas exatamente assim, mas por algum motivo na minha mente Isis e Diana eram deusas romanas (pq eu sempre gosto de dar significância aos nomes haha), uma burrice momentânea, pq Isis afinal é uma deusa egípicia, mas no final já havia escolhido e me acostumado com o nome e ficamos assim rsrs

P.S: Tem TeamRhian, TeamDiana, mas geral é TeamRhiana (Rhian+Diana??) e só querem que essas duas fiquem juntas haha



Nome: Ana_Clara (Assinado) · Data: 21/06/2016 22:58 · Para: O motivo pelo qual o céu é azul

O capítulo todo foi cheio de momentos delicados, amorosos e acima de tudo intensos. A Rhian consegue se traduzir em perfeição a cada capítulo. Sabe, fico com medo de ler sobre ela, pq se tudo isso sai da sua mente significa que pensa na perfeição exatamente dessa maneira e tenho certeza que não chego nem a 1% do que essa preta linda representa. Aliás, talvez o 1% seja relacionado com a limpeza e a água com gás!!! hahahaha 
Falando sério agora, eu apenas ainda não consegui entender como momentos tão perfeitos foram perdidos, como foram deixados para trás e elas entraram no inferno com o término do relacionamento. Consigo segurar em minhas mãos o tanto de amor que elas têm uma pela outra, é tocável, totalmente palpável, definitivamente.



Resposta do autor:

Oieee meu amor!

 

Vamos lá, Rhian é fruto da minha mente, mas tem tantas outras personagens que tbem são e não, não namoraria com nenhuma delas haha Fora que já te disse que a Rhian tem muito de vc, coisas que vão muito além das neuras de limpeza e da água com gás, vai ;)

Voltando para o capítulo, este é o momento da história que elas passam do paraíso diretamente para o inferno, a separação foi um acidente de percurso violento, mas que não conseguiu quebrar o que essas duas sentem uma pela outra :)

 

Beijinhos, não troco vc por nada d84;d84;d84;



Nome: mtereza (Assinado) · Data: 21/06/2016 20:42 · Para: O motivo pelo qual o céu é azul

Nossa que explosão de sentimentos,paixão,cores,paisagens,comida em fim amor cheguei a ficar sem fôlego vc escreveu tão bem que me senti viajando com elas pelo mar das Bahamas agora não precisava exagerar no número de mulheres para recepcionar a Rhyan dezenas muita provação para uma Diana que é o ciúme em pessoa kkkkkkkk maldade Tess xau bjs



Resposta do autor:

Olá Tereza!!!

Demos uma passeada pelas Bahamas neste capítulo, e a Rhian sendo a Rhian no final só para trazer a Diana versão ciumenta de volta a tôna haha

Bjs!



Nome: Ariana (Assinado) · Data: 21/06/2016 19:53 · Para: O motivo pelo qual o céu é azul

Que namorada perfeita é a Rhian, ler este capítulo me deu uma alegria imensa, só esse final é que parece preocupante. Mas o que era da vida sem tempestades



Resposta do autor:

Oieeee Ariana!

O que seria desse casal sem umas tempestades básicas, né, Rhian já está até acostumada com o céu azul e o mar revolto haha

 

Beijinhos!



Nome: line7 (Assinado) · Data: 21/06/2016 04:16 · Para: O motivo pelo qual o céu é azul

Nossa mulher e que descrição é  essas..RSS..paisagem lindas  e embarquei junta a essas viagens de emocionar e deixar o coração  eletrizante😍😍😍  a cada detalhe é suas supresas, e rhian sempre  loucamente surpreendente💓💓 e Diana  têm  sorte com essas loucuras maravilhosas, é  sempre bom ser  jogar em numa aventuara  e só  saber que vai se divertir e ser feliz..😍😍😍.. vamos meninas todas batendo palmas pra ela👏👏👏👏👏👏d84; A LINDA E FANTÁSTICA E TALENTOSA( todos elogios possivel) TESSA REIS ( se é  Reis , é  uma rainha...kkk..era pra ser engraçado  mas deixa pra lá...kkkk) .Agora contando  o momento conto de fadas..rsss. o olho do  furacão de formando, essa estória  É  purar emoção  minha gente..kkk eu: luta merd### tava  qualse ficando diabética  aí  Corta o clima..kkkkk..putz😂😂😛 até  mais linda😙😙😙😙



Resposta do autor:

Oieee Line!!! Como vc tá, minha linda?

 

Rhian estava uma coisa linda neste capítulo, não é? Haha Uma reunião de coisas que levam a Diana a loucura, que deixam ela irritada e extremamente feliz na mesma proporção num tipo de sentimento paradoxal que somente a Rhian é capaz de causar ^^

E vc pra variar sempre sendo uma linda comigo!! Morro com tantos elogios e tanto carinho, não sabe como eu fico feliz quando leio coisas assim!

E vc viu que eu vim ao resgate do cítrico ao final, né, cortando o açúcar de uma vez só haha Tadinha da Rhian, tempo fechou para ela.

 

Bjs!



Nome: annagh (Assinado) · Data: 21/06/2016 03:50 · Para: O motivo pelo qual o céu é azul

Ai ai..minha doce Tess...Esse
capítulo parece que foi feito pra mim ou escrito por mim!!!! Tô encantada...e emocionada....Quanto
mais eu leio Delirium mais me surpreendo com o talento e a sensibilidade da
Autora...queria encontrar uma palavra, um adjetivo que pudesse expressar ou
definir essa historia pra mim. Mas ainda não encontrei...de tão perfeita que é.
Não sei se tô com algum problema cardíaco, mas li todo esse capítulo com
palpitações, louca de vontade de comentar logo, sorrindo em alguns parágrafos e
em outros com os olhos marejados de emoção pelas  lindas recordações que ele me trouxe. Não pude
resistir ás lágrimas. E você irá entender à medida que for lendo...



Rhian é a namorada perfeita, o
meu sonho. Não consegui ainda visualizar um motivo que fez com que Diana a
deixasse. Rhian é tão perfeita pra mim que até mesmo quando ela erra ainda
assim continuo vendo apenas suas qualidades. Já li muitos contos mas esse é sem
dúvida o mais romântico de todos. Faz a gente suspirar de tanto amor e até
mesmo de um pouquinho de inveja...kkkkkk....queria uma Rhian pra mim, mesmo me
rasgando de ciúme como Diana, mas ainda assim eu queria. Será que foi esse o
motivo que fez a Di desistir??? Bom, acredito que essa cena ainda vai chegar né?
Vamos descobrir direitinho em que momento Rhian falhou. Amei conhecer um
pouquinho de Marina, que relação linda e gostosa ela tem com a filha gente!!!!
Queria poder me abrir assim com minha Mãe....quem dera todos os pais agissem
como os pais de Rhian...tratassem o homossexualismo com naturalidade,
aconselhassem os filhos...mostrassem que o que realmente prevalece é o amor,
independente da opção sexual que seu filho escolheu. Ao mesmo tempo entendo as
atitudes do Pai de Diana...é como disse a mãe de Rhian, menos de 10% das mães
deve reagir como ela reagiu, menos de 1% dos pais deve reagir como o Pai dela
reagiu, então, não é uma coisa simples. Não é porque foi simples pra Rhian que
significa que seria simples para a Diana ou pra qualquer outra pessoa que
deseja se assumir. Enfim, linda a atitude de Marina apoiando o amor da filha,
ajudando na preparação dos detalhes pra essa viagem mágica das duas.



A riqueza de detalhes nesse capítulo
foi tão intensa que me senti mais do que nunca fazendo parte desse cenário
incrível, que pra mim que sou bióloga foi um verdadeiro prato cheio. Me
deliciei com Diana interagindo com a natureza como se fosse uma criança...me
emocionei muito quando Diana trouxe a estrelinha do mar nas mãos, pois me trouxe
lembranças da primeira vez que também peguei uma estrelinha do mar, ela era  exatamente como você descreveu vermelha-alaranjada
e assim como Diana eu não queria devolvê-la para o mar...e foi ali naquele
momento que eu decidi com apenas oito anos qual seria minha profissão. Vê Diana
pulando e nadando igual uma criança com os porcos selvagens foi
simplesmente  M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O!!! Impossível
não abrir aquele sorriso com essa cena. Foi bom conhecer esse pedacinho de
Diana. Não tenho palavras pra definir o que senti quando li e visualizei de
forma tão real isso, parece poesia Tess:



“Haviam
peixes coloridos e tartarugas marinhas por perto, as plantas do mar moviam-se,
bailavam, movimentando a vida nos corais, e Diana sentia-se livre e plena
mergulhando nos braços de sua namorada.”



 



Aí quando penso que tô recuperada
da avalanche de emoções vem os golfinhos...meu Deus do céu que coisa mais
lindaaaaaaaaaa Tess. Acho que tu não existe!!!



E quando  Diana visualizou a praia de areias cor de rosa
quase não acreditei, pois, como colecionadora de conchas já estudei sobre essas
areias maravilhosas e descobri que a belíssima coloração dessas praias deve-se a pedacinhos de conchas vermelhas e
rosa que foram esmagadas pelas ondas e misturadas à areia e a estilhaços de
coral. São simplesmente perfeitas!!! Um Paraíso!!!



E essa
cena do amor na praia...gente do céu...pra mim foi muito mais que uma cena de
sexo, foi poesia e sensualidade à flor da pele...não paro de imaginar na marca
do bronzeado, a musculatora do corpo em ação, as respirações ofegantes, as mãos
agarrando o seio de Diana o fazendo escapar do biquíni, os sexos se
friccionando, olhos nos olhos, coração mais do que disparado.....haja
fôlego!!!!  Se eu for falar tudo que amei
e senti com essa cena vou passar a noite inteira escrevendo...kkkkkk....



E o tesouro???? A aliança??? Chorei
junto com as duas...eu te disse que hoje eu tava uma manteiga derretida...to
chorando até com o vento que bate na minha cara. Que coisa mais romântica....lindo,
lindo, lindo...



E o finalzinho deixou uma
sensação de “tadinha da Diana”. Eu também me sentiria como ela. E vamos que
vamos...quero mais.



Beijoooooo



 



P. S. Linda a musica!!!! E ainda
ficaram coisas a serem ditas viu. Vou falando depois pra não se prolongar mais.



Resposta do autor:

Anna sua linda!!!

Que comentário gostoso!! Ahhhh, me enche os olhos quando abro aqui e encontro assim, grandão, lindão e tão cheio de detalhes, vamos lá!

Eu fico tão feliz quando consigo tocar a sua sensibilidade :) Assim, este capítulo em específico eu escrevi semana passada, ele estava na minha cabeça desde o começo, mas ainda não havia encontrado exatamente onde encaixar (aliás este tem sido um problema, onde encaixar os flashbacks, peço paciência se em um momento ou outro eu errar o ponto, tá?) e eu queria muito que este fosse um capítulo muito sensível e muito bonito e o seu comentário me deixa ver que de alguma maneira, eu consegui atingir este objetivo :)

1. Vc falando do romantismo da história me deixa muito feliz tbem! Pq assim, quando a Ana começou a ler Delirium, ela meio que torceu o nariz pq havia me pedido um romance-romance, não um romance-policial, então outra coisa que me deixa feliz é isso, o romance é policial, mas tbem consegue ser romântico. Como não ser com a Rhian sendo a Rhian, não é? haha Sobre os motivos que fizeram a Di desistir da Rhian, veremos que foi algo muito profundo e muito forte para as duas, uma curva desastrosa a duzentos quilômetros por hora que acabou espatifando a vida das duas, enfim, veremos em breve :)

2. Marina é uma supermãe, não é? E eu vivo dizendo que a Rhian é uma fantasia de namorada e a Marina é uma fantasia de mãe. Ela adora a filha do jeito que ela é, se preocupa, quer que ela seja feliz, que isso, gente? A mulher empurrou a Rhian para pedir a Diana em casamento! Ela é a minha mãe fantasia sim, e dá para imaginar como a Rhian ficou destruida quando ela morreu :/

3. Informação nova, eu não sabia que vc era bióloga! Teria te enchido de perguntas sobre se soubesse disso antes haha Eu quis passar este lado natural da Diana, assim, a mãe dela é super natureba, e Diana e Isis cresceram metade na cidade e metade descalças, correndo pelo sítio, interagindo com os animais, é um lado da Diana que ainda não haviamos visto mas que diz muito sobre quem ela é. Quis passar a felicidade dela com os bichinhos, e a estrela do mar tem esse poder, não é? É uma coisa mágica, pueril, imaginou como os olhos da nossa agente brilharam? ^^ E é claro, os golfinhos!!! Para acabar com as emoções haha

4. ANNA VC NÃO SABE COMO EU RODEI ATRÁS DE UMA EXPLICAÇÃO PARA A PRAIA DE AREIA COR DE ROSA E VC COM A EXPLICAÇÃO BEM AQUI. Vc já percebeu que eu gosto de pôr detalhes, né, dá credibilidade a história ;)

5. E então, o meu momento fantasia sexual haha Trabalhei muito na cena de amor na praia *.* Queria que fosse intensa, e tbem sentimental, e sensual e desse um gostinho de fantasia no final, sabe ;)

6. E o pedido de casamento *.* Imaginando aqui como a Di diria não né haha E então o final com as "amigas da Rhian", tempestade no céu azul das Bahamas, veremos ^^

7. E por favor se prolongue!! Me diga tudo o que sentiu, gosto assim, me noteia na escrita :)

Obrigada pelo comentário maravilhoso, Anna, bjs!

 



Nome: patty-321 (Assinado) · Data: 21/06/2016 03:04 · Para: O motivo pelo qual o céu é azul
Rhian fez td lindo, maravilhoso e merda no final. Si aí. Essas duas sai céu e inferno.

Resposta do autor:

Olá Patty!

 

Rhian vítima daquele 1% haha

 

Foi 99% perfeita e então uma escorregaaaaada básica no final rsrs

Céu e inferno define bem a relação atribulada dessas duas ;)

Bj!



Nome: albuquerqueselena (Assinado) · Data: 21/06/2016 01:15 · Para: O motivo pelo qual o céu é azul

Tess,

Me senti nessa viagem, que descrição fantástica dos lugares. Você se supera, garota!

Ai como a Marina é linda *.* amei a interação das duas.

E nossa, foi lindo o capítulo, mas só consigo pensar nessa tempestade se formando em volta da Di..

Rhian, corre, corre que o bicho vai pegar rsrs

Amiga, vc ahaza!



Resposta do autor:

Selena amiga linda!

Saudade de vc :/ Sei que a culpa é minha e da minha ausência de tempo, mas enfim, saudades msm, preciso de vc mais perto de mim :/

Voltando ao capítulo depois do meu momento sentimental, eu tava ansiosa para postar este capítulo justamente para perceber se a minha descrição havia sido a altura *.* E sim, a Marina é uma coisa linda de mãe, né, e a relação que ela tem com a Rhian é única, delicada, e muito importante para entendermos um dos motivos da separação de Rhian e Diana mais na frente.

E vc tem toda razão, tempo fechou para Rhian Kier haha

Bjs, saudades de vc ♥



Nome: Rafaela C (Assinado) · Data: 20/06/2016 23:47 · Para: O motivo pelo qual o céu é azul

Rhian sendo Rhian eu suspiro aqui. Capítulo maravilhoso! Beijão



Resposta do autor:

Oieee Rafaela!

 

Rhian sendo linda em capítulo quase integral haha

 

Bjs!



Nome: Joana (Assinado) · Data: 20/06/2016 23:46 · Para: O motivo pelo qual o céu é azul

Que capítulo tão gostoso de ler 😊 cheio de amor 😊 que lindo 😊



Resposta do autor:

Jô, se o capítulo casou todas essas reações em vc, significa objetivo alcançando haha Fico feliz ♥



Nome: Fernanda B (Assinado) · Data: 20/06/2016 23:45 · Para: O motivo pelo qual o céu é azul

Eu não acredito que você dedicou o capítulo à minha pessoa e ao meu amigo lindo :O Nunca ninguém me dedicou nada, eu estou emocionada. Muito obrigada! Eu nem tenho palavras pra agradecer. A minha gratidão é imensa. Muito obrigada de coração. E um capítulo tão lindo como este! Eu espero que ele esteja bem lá aonde estiver, e espero conseguir arrancar esta dor de mim. A vida nunca mais vai ser a mesma sem ele. Eu me revoltei muito. Não sei talvez eu deva fazer uma oração mas eu tenho muita raiva pelo que aconteceu. Raiva de mim que não estava lá quando ele precisou e raiva de todos porque ele não está mais aqui e dói muito. Tenho muita raiva e muita dor. Eu só queria ele de volta. Ver o seu sorriso novamente, ouvir as suas palavras amigas. Eu quero ele aqui. Porque não é possível? Porque é que isto aconteceu? Desculpa já estou outra vez escrevendo demais. Muito obrigada por tudo. Eu nunca vou esquecer. Bjs



Resposta do autor:

Fernanda ღ

Já disse que aqui vc é livre para expressar tudo o que vc estiver sentindo, me sinto honrada que vc se sinta confortável aqui o suficiente para expressar a sua dor e os seus sentimentos. Mais do que justo dedicar o capítulo a vc e ao seu grande amigo, eu já disse que Delirium é uma história minha e de vcs, leitoras lindas que me dão a honra da leitura e dos comentários de vcs :)

Sinta-se beijada e abraçada outra vez, amanhã será um dia melhor, garanto pra vc ^^



Nome: Susana (Assinado) · Data: 20/06/2016 23:35 · Para: O motivo pelo qual o céu é azul

Vocês estão vendo isto? A Rhian é maravilhosa. Não há nada que possam dizer que me fará mudar de ideia. Quem me dera merecer uma mulher assim!



Resposta do autor:

Oieee Su!!

Rhian mais linda e perfeita do que nunca neste cap, né ^^

#RhianMereceConfiança haha



Nome: Eduarda A (Assinado) · Data: 20/06/2016 23:33 · Para: O motivo pelo qual o céu é azul

"Eu sei, eu sei, você odeia rosa." kkkkk como esta mulher é sempre romântica hein eu estou encantada *-*



Resposta do autor:

Vc vi o romantismo da moça Diana, né rsrs

Rhian sofre! haha



Nome: Raquel (Assinado) · Data: 20/06/2016 23:31 · Para: O motivo pelo qual o céu é azul

Eu adoro golfinhos!!! Rhian é afrodisíaca mesmo rsrs

A Rhian merece confiança!!!



Resposta do autor:

Exatamente, Raquel, Rhian é afrodisíaca haha

 

Hashtag #RhianMereceConfiança! Gostei!



Nome: Leonor (Assinado) · Data: 20/06/2016 23:27 · Para: O motivo pelo qual o céu é azul

Autora como é que vc se consegue superar a cada capítulo? Amei demais o capítulo, é lindo demais ;)



Resposta do autor:

Obrigada, Leonor!!

 Eu me esforço por vcs leitoras lindas :) Quero sempre entregar capítulos bons, bonitos e coerentes, nossa história merece, não é?

 

Bjs!



Nome: Isabel (Assinado) · Data: 20/06/2016 23:26 · Para: O motivo pelo qual o céu é azul

É o paraíso mesmo 😍😍😍 Rhian me leva



Resposta do autor:

Oieee Isabel!!!

 

Queria um espaço no iate tbem haha



Nome: Brenda (Assinado) · Data: 20/06/2016 23:23 · Para: O motivo pelo qual o céu é azul

"Nunca_ Ela respondeu sorrindo também_ Eu me recuso a perder esses seus olhos lindos brilhando assim. Acontece cada vez que eu surpreendo você." OWN que fofa linda fofa



Resposta do autor:

Oieeee Brenda!

 

Rhian uma linda, né, amo forte ♥



Nome: Teresa (Assinado) · Data: 20/06/2016 23:16 · Para: O motivo pelo qual o céu é azul

Ahhh se o pai da Diana for conservador que nem o meu coitada

Lindas elas juntas 😊



Resposta do autor:

Olá Teresa!

 

Então, o homem é conservador, é mais do que isso, tinha uma vida inteira planejada para aquela filha, ai vc imagina o tamanho do problema :/

Mas enfim, o amor é grande e elas vão em frente!



Nome: Manuela (Assinado) · Data: 20/06/2016 23:12 · Para: O motivo pelo qual o céu é azul

A Rhian e as limpezas é que nem eu estou vendo hahaha



Resposta do autor:

Oieeee Manu!!!

 

Haha, a Rhian tem uns probleminhas com limpeza, coisa pouca, só fez a namorada tomar três banhos por vias das dúvidas rsrs



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.