Sunshine: esperança. por femarques


[Comentários - 184]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

CAPÍTULO 2:

Estava instalada em meu novo apartamento, grande demais para mim, mas meu pai insistiu que eu tivesse a melhor acomodação. Fiquei olhando para aquele espaço enorme e tão... vazio. Vazio como eu me sentia desde que deixei Seattle para trás.

            Passei noites jantando sozinha em uma mesa linda e que acomodaria, espaçosamente, dez pessoas tranquilamente. Tudo era demais e ao mesmo tempo faltava alguma coisa. Não tinha ninguém para brigar ou para descontar esse vazio que eu sentia, ninguém para me alegrar. Eu não tinha mais Scoutt.

            Nem mesmo no trabalho podia descontar minha raiva, graças a equipe maravilhosa que Tina encontrou para mim.

            Três meses vivendo nesse martírio e eu estava prestes a desistir de tudo, desistir de Chicago, por melhor que a cidade tenha me acolhido. Foi então que Allegra voltou para a minha vida.

            Ela voltou a me mandar mensagens depois do incidente constrangedor quando eu estava de babá de Scoutt. Depois de contar tudo a ela, fiquei feliz quando insistiu que viria me ver.

            Não demorou muito e Allegra apareceu em Chicago em um fim de semana para me visitar. Talvez fosse pelo meu estado, pela carência, pela solidão, mas na primeira cantada que ela me deu, ao invés de sentir minhas bochechas corarem e desviar o assunto, eu me permiti viver aquilo, me entregar a ela.

            Passei horas olhando para Allegra enquanto ela contava alguma coisa, gesticulando, tão empolgada em compartilhar qualquer coisa comigo, e pensava porque eu não poderia sentir tudo aquilo que senti com Emma. Allegra era linda, os traços finos do rosto, olhos azuis e cabelos longos e lisos, castanhos. Além da simpatia, da bondade, da paciência, da falta de um problema psicológico, ela tinha tudo para que eu me apaixonasse.

            Naquele final de semana nós ficamos juntas, me entreguei a ela completamente, apesar de sua falta de jeito e timidez.

            Pela primeira vez em meses consegui pensar em outra coisa, consegui me sentir feliz. Não demorou muito e em duas semanas, Allegra havia voltado.

            Ela estava hospedada em meu apartamento, como minha alguma-coisa, talvez-namorada, e estávamos jantando.

            “Está sendo muito bom ficar com você, finalmente.”

            Levantei a cabeça e a olhei, esboçando um sorriso sincero. “Também acho.”

            “Poderíamos evoluir nosso relacionamento, se você quiser.”

            Fiquei a encarando e tomei, lentamente, um gole de vinho, absorvendo junto suas palavras.

            “Como?”

            “Podemos ser namoradas, oficialmente.”

            Dei risada e concordei com a cabeça. “Está me pedindo em namoro?”

            “Acho que sim.” Ela sorriu, tímida, sem esconder o rosto bastante corado.

            Fiquei pensando por um tempo, olhando para ela, mas ao mesmo tempo sem prestar a atenção, com a mente longe o suficiente. Pensei em tudo o que eu queria ser um dia, no cargo que queria ocupar, dos problemas que pensei que me livraria para sempre, da pessoa que eu teria ao meu lado, de quantas qualidades imaginei que teria essa pessoa. Essa decisão não era fácil, eu tinha minhas cicatrizes, bastante recentes, que ainda doíam, mas estava desesperada buscando uma maneira de sair desse ciclo vicioso de encontrar namoradas com problemas, que me tratam mal, sair dessa vida vazia e finalmente poder respirar tranquilamente. E bem a minha frente, eu vi essa oportunidade, a chance de ter alguém que quisesse compartilhar da mesma tranquilidade que eu.

            Abri um sorriso largo para ela e respirei fundo, me livrando de meus pensamentos. “Tudo bem, eu aceito.”

            Nós terminamos nosso jantar e nada mais foi dito naquela noite. Passamos o tempo todo na cama, nos conhecendo melhor e testando, pelo menos na minha cabeça, as possibilidades de isso dar certo.

            Minha vida havia tomado um rumo diferente namorando Allegra, era tudo novo e ao mesmo tempo tão fácil de lidar que parecia um sonho. Me acostumei com a rotina do trabalho e acrescentei a isso corridas matinais, que me davam mais disposição e atuavam em meu corpo de uma forma excelente.

            Eu não ia a Miami visitar Allegra, nem considerando uma visita a meu pai, não tinha tempo de largar o trabalho. Várias empresas nos procuravam para lançar seus produtos e eu passava o dia toda no escritório planejando apresentações, participando de reuniões, gerenciando as contas que eu era paga para financiar e lançar o produto no final. Minha única escapatória era aos finais de semana, com a presença de minha nova namorada.

            Sua presença era tão constante que, com mais três meses Allegra estava se mudando para cá. E a ideia foi minha. O que ela estava gastando com passagens para ficar perto de mim era um absurdo. Eu podia ver o quanto essa mulher me amava e o quão cega eu fui.

            Primeiro me senti mal em fazê-la largar sua clínica de fonoaudiologia, mas assim como ela me garantiu, logo ela estava alugando outro prédio pequeno e atendendo seus novos pacientes. Allegra era uma profissional excelente e adorava muito o que fazia, além de estar em constante estudo para melhorar sempre mais.

            Era muito possível enxergar um futuro com ela.

            Em uma noite, estávamos assistindo à televisão quando ela tocou no assunto que esvaía o ar de meus pulmões.

            “Você ainda fala com a Scoutt?”

            Demorei para responder, precisando respirar fundo. “Não falei com a Emma desde que saí de Seattle.”

            “Pretende falar?”

            “Não. Não sinto mais nada por ela, se é isso que você quer saber.”

            “Não precisa ficar brava, Mea. Só perguntei porque é uma insegurança que eu tenho.”

            Soltei um suspiro pesado, tentando me acalmar para não brigarmos. Com Scoutt os motivos das brigas eram por sua falta de honestidade, e com Allegra é por ela falar demais sobre o que sente? Decida-se Mea.

            “O que eu vivi com ela foi uma coisa idiota de faculdade. Foi uma aventura, eu mal a conheço até hoje.”

            “Porque vocês terminaram?”

            Olhei para ela e franzi o cenho. “Porque sim. Ela tem uns problemas e precisa se resolver.”

            Allegra esboçou um sorriso de canto e concordou com a cabeça, me abraçando e mudando de assunto.

 

            Adquirimos uma rotina, passamos a viver como um casal de verdade, indo a eventos juntas e participando uma da vida da outra em todos os aspectos. Quanto mais tempo passávamos juntas, quanto mais eu contava a Tom por telefone de minha nova vida, mais eu sentia um aperto no peito. Era fácil demais, eu não precisava gritar com ela, chorar para o Tom, ter vontade de mandá-la a merda. Eu não ria com ela de coisas idiotas, não precisava me preocupar com seus problemas, não conseguia provocá-la o suficiente para ser jogada na cama com vontade. Era tudo muito amável, muito calmo, e eu estava começando a pensar que tranquilidade nunca foi o que desejei um dia para mim.

Nome: Helen (Assinado) · Data: 30/11/2015 22:47 · Para: Capitulo 2

Parabens gata vc arrasa..adoro sua historia



Resposta do autor em 11/03/2016:

Muito obrigada! Beijão!



Nome: Ada M Melo (Assinado) · Data: 30/11/2015 21:24 · Para: Capitulo 2

aposto a Mea pode até resistir mas o amor dela é a Scoutt.....



Resposta do autor em 30/11/2015:

Sempre será, né?



Nome: lohs (Assinado) · Data: 30/11/2015 15:42 · Para: Capitulo 2

Tranquilo demais. Por isso, sou defensora da ideia de que Scoutt é a pessoa certa pra Mea. Sei que Mea ficou chateada, mas sabemos que o que as une é muito forte. La no fundo, Mea sente falta da reviravolta que Scoutt causava na vida dela. 

Espero que Emma apareça logo. 

Parabéns, Fê, sempre envolvente. 👏👏



Resposta do autor em 30/11/2015:

Calma, Lo. Scoutt logo vai aparecer!

Obrigada! Até o próximo capítulo.



Nome: Ana Maria (Assinado) · Data: 30/11/2015 13:04 · Para: Capitulo 2

Rsrsrs... Depois de um tempão tateando aqui e ali, a gente olha lá pró fim do túnel e vê uma luz, mas dai basta passar a euforia por encontra-la que demora não, a gente descobre que a escuridão sempre teve seus encantos.  Gosto do jeito que escreve. É envolvente. Gosto também do respeito que tem com as postagens. Obrigada.



Resposta do autor em 30/11/2015:

Oi, Ana Maria!

Adorei seu comentário! Muito obrigada pelo elogio!

Espero que continue gostando e participando.

Beijos.



Nome: lih (Assinado) · Data: 30/11/2015 13:01 · Para: Capitulo 2

Esse capítulo foi destinado a deixar todas as fãs da Emma chateadas...  Vendo como a mea se sente em relação ao presente e em como ela via o relacionamento com a scoutt, parece que ela realmente superou o que passou com a scoutt..  Vai ser difícil pra ela voltar a querer algo com a Emma. 

Saudades da scoutt,  quando ela vai aparecer?  Já estou angustiada com essa nova temporada. 



Resposta do autor em 30/11/2015:

Oi, Lih.

A Scoutt logo vai aparecer, e realmente, vai ser difícil da Mea querer algo com ela de novo. Ela saiu muito machucada e agora tem medo. Vamos torcer pela Scoutt, né?



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.