Delirium por TessaReis


[Comentários - 2880]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

Capítulo 18 - Cidade cinza

 

Isis acordou com os braços de Ariana em volta do seu corpo. Sentiu que estava sendo abraçada, e quando abriu os olhos, encontrou braços delicados e protetivos em volta de si. Macios, confortáveis. Ariana era loira in natura, podia se ver pelos seus pormenores, haviam pelinhos finos e dourados num pedaço ou outro de sua pele, uma delicada pulseira escorria pelo seu punho direito, as unhas curtas, bem cuidadas, mas sem cores. Ok, como os braços dela haviam ido parar em volta do seu corpo? Tudo bem, também não importava. Isis escorregou para fora dos braços de Ariana sem acorda-la, e se pôs de pé ao lado da cama. Esticou-se, moveu o pescoço de um lado a outro, olhou para a cama mais uma vez. Ariana estava deitada de lado e de costas na sua direção. O cabelo dela era tão bonito. Loiro, natural, longo. Isis tinha a impressão de que era tão macio quanto os braços dela. Voltou para a cama, sentando-se perto dela. Se tocasse, ela iria acordar? Melhor acorda-la de uma vez.

_ Ariana_ A chamou, escorregando a mão por dentro do cabelo dela e era tão macio quanto Isis imaginava..._ Ariana?_ E fez uma leve pressão na nuca dela que Ariana respondeu com um gemido tão...

_ Isis, ai...

_ Machucou?

_ Não foi uma expressão exatamente de dor..._ E ela fez de novo, puxou de novo e Ariana gemeu de novo, estava sonhando, era isso?_ Isis, hum... O que você está fazendo?

_ Eu queria sentir o seu cabelo, é tão bonito..._ E correu os dedos pelo meio do cabelo dela deixando Ariana...

_ Isis, você sabe que eu gosto de mulher, não sabe?

_ Sei_ Respondeu, abrindo um sorriso enquanto fazia de novo.

_ E você sabe que você é uma mulher muito atraente?_ E ela estava puxando de um jeito...

_ Eu desconfio que eu seja.

_ E você me acorda puxando o meu cabelo gostoso assim?

Acordava. E Isis nem sabia exatamente o porquê.

_ Vai, levanta, está na hora de acordar...

E Ariana se virou, deitando a cabeça na coxa dela. Assim podia olhar direto naqueles olhos castanhos.

_ Vai fazer café?

_ Um café decente_ Tocou-a no cabelo só mais uma vez_ Você precisa ir para o banho, e se vista decentemente, nós vamos pegar um avião daqui a pouco.

_ Avião?

_ Eu preciso ir até Brasília, e não vou deixar você sozinha aqui. Nós voltamos ainda hoje.

E Ariana só ouviu “não vou deixar você sozinha aqui”.

_ Ariana, você me ouviu?

_ Ouvi_ E delicada e inesperadamente, Ariana beijou a mão de Isis. Isis olhou para ela, sentindo algo. Algo não nomeado.

_ Vai para o banho, vai.

Ariana sorriu e foi. E demorou um pouco mais do que o de costume, pois fez outras coisinhas além de tomar banho. Isis iria enlouquecê-la, pensou quando terminou. Por enquanto estava gostoso, ficar perto dela, fazer coisas com ela, dividir a cama, mas e quando se tornasse tortura? Não sabia. Ainda não sabia. Se trocou e quando chegou na cozinha, havia um belo café da manhã preparado.

_ Mel ou geleia?

_ Como?

_ Na panqueca_ E Isis colocou a última peça numa pequena e delicada torre de panquecas.

_ Mel.

_ Ok_ E Isis colocou mel nas duas torres e veio para o balcão com ela.

_ Isis, isto é...

_ Prova primeiro.

Ariana provou. E aquilo tudo derreteu em sua boca de uma forma que ela acabou gemendo de novo.

_ Isis, hum...

_ Gemido de dor?

_ De outro tipo de prazer. Que delícia!_ E comeu de novo, e outra vez, e só parou quando o suco havia acabado, o café, e sua torre de panquecas. E ainda pegou o resto das panquecas do prato de Isis.

_ Ariana, a minha boca está ai...

_ Eu posso me habituar com o gosto da sua boca, não se preocupe...

_ Você para!_ E Isis acabou rindo, não conseguia controlar o riso com Ariana por perto_ Você não me leva a sério, não sei como isso pode funcionar...

_ E você me leva a sério, é por isso que isso funciona_ Respondeu sorrindo_ O que nós vamos fazer em Brasília?

Isis olhou para ela. Gostava de olhar para ela nas manhãs, constatou.

_ Vamos até a delegacia responsável pelo caso. Eu preciso ter certeza sobre o porquê uma equipe de Brasília foi envolvida num sequestro acontecido no Rio de Janeiro.

_ Acha que tem a ver com Diana?

_ Não, não há por que. Mas talvez haja outra pessoa interessada neste caso. Mas quem? Por quê? A polícia está claramente negligenciando tudo em relação a Rhian, não é só o sequestro, são todas as coisas. Então, o plano agora não é provocar uma investigação contra Romeo Laham, mas sim, contra a própria polícia.

_ Como assim?

_ Vocês coletaram provas de maneiras ilícitas, e eu expliquei pra você que só há duas maneiras de tornar provas ilícitas, legais. Uma delas está descartada, mas a outra..._ Tomou um grande gole de sua caneca_ Se pudermos provar que a polícia está negligenciando os casos e isso não será difícil perante a perícia do carro crivado de balas e dos depoimentos não tomados, podemos tornar nossas provas legais, uma vez que elas poderiam ter sido facilmente recolhidas se a polícia houvesse feito o seu trabalho. Nós não precisamos apontar diretamente para o Romeo, se a investigação for feita é o que naturalmente acontecerá.

_ E isso fará parar? A perseguição a Rhian?

_ Se nós conseguirmos provar que a polícia está negligenciando a denúncia de sequestro, eu consigo habeas corpus para a Rhian. Vamos usar o direito à ampla defesa e pedir habeas data a tudo o que for necessário.

_ E o que exatamente é um habeas data?

_ Direito a toda e qualquer informação referente ao caso.

_ Se for para trazer Rhian de volta, use todos os habeas disponíveis.

_ Eu vou trazer e a minha irmã também. Eu vou tomar um banho rápido, nós saímos em alguns minutos, precisamos passar no fórum antes, termine de se aprontar.

E em meia-hora ela voltou, linda num vestido preto elegante, usando a jaqueta que havia vestido em Ariana no dia que se conheceram. Os cabelos soltos, os óculos escuros empurrando os cabelos para trás, e a primeira coisa que fizeram foi providenciar a perícia do carro. Isis se reportou a um respeitado instituto de perícia e se certificou que até o final da tarde, o carro já estaria sendo periciado. E então foram até o fórum onde Isis pediu vistas às informações de processos relativos a Rhian Keir Laham. Ariana estava checando seu celular quando percebeu os olhos de Isis em meio aquelas informações. Eram tantas pastas. Na verdade, Ariana não esperava que fossem tantas. E Isis parecia esperar menos. Mordeu a boca, passando os olhos pelos resumos dos processos.

_ Isis...?

_ Nós precisamos ir para o aeroporto_ E recolheu as informações que precisava e correram para o aeroporto. Chegaram em cima da hora do embarque, mas houve tempo para tudo. Sentaram-se juntas e Isis foi lendo os processos durante aquela uma hora e meia de voo até Brasília. E Ariana dividiu-se entre olhar para ela e querer toca-la. Um pouco que fosse. Isis era cheirosa. Era delicada. E quando Ariana havia a abraçado na cama na noite anterior, só desejou que ela não acordasse, e quando acordasse, não fugisse. Acordou com ela lhe puxando os cabelos. Não parecia ruim. Ou podia ser extremamente ruim. Ariana estava se apaixonando por ela, sabia, e cada hora que passava aquilo ficava mais claro ainda. Se já estava sentindo tudo aquilo em três dias, o que aconteceria em um mês? O comandante anunciou o pouso e o tempo na cidade. Dezessete graus.

_ Você não trouxe casaco_ Disse Isis, ainda com os olhos no que lia.

Não havia trazido. Ariana usava uma blusa branca de botões, era manga longa, mas era fina demais. Os primeiros botões abertos causando um decote andavam roubando a visão periférica de Isis, mas ela decidiu não se importar.

_ Eu fico bem.

E assim que a carioca sentiu o friozinho de Brasília, admitiu que talvez não fosse ficar tão bem. Estava chovendo bastante e ventava tão frio... Isis tirou a jaqueta e passou para ela.

_ Vista.

_ Não, você precisa, não se preocupe.

_ Meu carro está no estacionamento, tem outra jaqueta lá dentro, este é o meu tempo de quase todo dia. Já esteve aqui antes?

_ Só em conexões.

_ É uma cidade cinza.

E em passos rápidos, Isis a guiou para o estacionamento onde ela apontou para uma nave e disse que era o seu carro.

_ Agora eu entendo porque se decepcionou com o meu mini cooper..._ Era uma Hyundai SUV preto enorme.

_ Quer dirigir?

_ Sério?

_ Eu gosto de ter motorista_ E jogou as chaves para ela.

Ariana se apossou do posto de motorista e guiada por Isis, dirigiu pelas ruas daquela cinza cidade chuvosa. Mas Brasília tinha o seu charme, tinha suas modernas construções, tinha seus homens engravatados, tinha as pernas de Isis Ferraz... E Ariana abriu um sorriso, do nada.

_ O que foi?

_ Janta comigo hoje à noite.

_ Estamos jantando juntas todos os dias_ Isis respondeu, sem tirar os olhos dos processos que lia.

_ Isis, jantar comigo em um restaurante legal.

E isso fez Isis olhar para ela.

_ Por quê?

Ariana sorriu outra vez, Isis era mais difícil do que a irmã.

_ Só diga que vai, não precisa ter um motivo para jantar comigo.

_ Ali, dobre ali e entre no estacionamento.

Ariana dobrou e parou no estacionamento de um dos departamentos da Polícia Federal de Brasília. Aquele no qual Diana trabalhava. Desceram juntas e Ariana ficou na recepção enquanto Isis tornou-se a advogada enérgica novamente. E não levou mais do que o mencionar do caso para as coisas ficarem muito complicadas por ali. Faltavam informações, ninguém sabia lhe responder nada além de que estavam investindo muito naquela investigação, que tinham equipes no Caribe, que estavam fazendo de tudo para elucidar o caso...

_ Estão fazendo de tudo para acusar a minha cliente. É a única coisa que estão fazendo_ Disse para a delegada responsável pela investigação. Isis a conhecia, além de delegada do distrito de Diana, Patricia Ruiz havia sido uma de suas professoras na faculdade. A mulher se reacomodou em sua poltrona.

_ Ouça doutora Isis, não é assim que eu trabalho.

_ Por que é uma equipe de Brasília quem está em campo se o sequestro aconteceu no Rio de Janeiro?

_ É um assunto internacional, o delegado do Rio de Janeiro julgou que nós temos mais experiência com assuntos do tipo.

_ Foi ele quem se reportou a doutora?

_ Nós oferecemos ajuda.

_ Por quê?

_ Porque foi necessário doutora Isis, porque somos um departamento unido, temos contatos, se há a possibilidade de se oferecer ajuda, nós oferecemos. É um caso público e complicado.

_ Nós estamos em Brasília, imagino que não faltem crimes federais complicados para se investigar. A senhora tem conhecimento dos processos envolvendo Rhian e Romeo Keir?

_ Não está falando com uma amadora, doutora Isis, é claro que eu tenho conhecimento de todos os processos!

_ E com tantos processos trocados entre irmãos a senhora não cogitou nenhuma outra linha de investigação?

E o rosto dela fechou-se ainda mais. Isis sabia apertar os outros como ninguém, havia herdado de seu pai.

_ O quê está sugerindo?

_ O óbvio. Mas não se preocupe, eu irei me reportar ao Ministério Público Federal, muito obrigada pelo o seu tempo_ E levantou da cadeira indo em direção a porta.

_ Doutora Isis, feche a porta.

_ Como?

_ Feche a porta e volte aqui.

Isis estranhou. Mas fechou a porta e voltou, como a delegada havia mandado. Voltou a ocupar a cadeira na frente dela.

_ Isis, eu conheço o seu currículo. Conheço o seu nome, você já esteve envolvida em grandes processos e ainda é tão nova. Não é comum casos grandes para alguém tão jovem, eu na sua idade não tinha metade da sua experiência.

_ Obrigada pelos elogios, doutora.

_ São constatações, não elogios. E é perante o seu currículo que eu não consigo entender. Esta mulher tem a sua irmã como refém, como pode estar do lado dela?

_ Doutora, eu conheço a Rhian. Ela e a minha irmã foram namoradas por muito tempo, e se Diana está com ela, é por amor, não por sequestro. Rhian não só ama a minha irmã, ela acredita que a Diana é o motivo pelo qual o céu é azul. Ela nunca a machucaria, nunca faria mal a ela.

_ Há quanto tempo elas estão separadas?

_ Dois anos e um pouco.

_ E se a senhora analisou os processos de Rhian Keir já deve ter percebido que eles são todos de dois anos e um pouco para cá.

_ O que exatamente está tentando me dizer?

_ Pessoas mudam, Isis. Coisas acontecem. Você me perguntou sobre Romeo Laham, esta família está sendo investigada em várias frentes diferentes, Joseph Laham é suspeito de lavagem de dinheiro, e a Keir-Vertical está sendo acusada de fraudes em obras públicas vencidas em licitações ilegais há muito tempo. E então há essa moça. Com um histórico de descontrole. Nós não sabemos no que ela está envolvida, mas praticamente todo o dinheiro da família está congelado para maiores investigações. Nós suspeitamos de Romeo, de Joseph Laham e então há Rhian, o único membro desta família com dinheiro lícito para receber.

_ Pois então, onde mudou?

_ Onde mudou o quê?

_ Onde ela deixou de ser vítima para ser suspeita?

_ Ela fugiu com o dinheiro do resgate, atacou a equipe de campo!

_ Que não a resgatou. Eles não estavam lá para resgata-la, doutora, foi uma decisão tomada antes de qualquer decisão da Rhian.

_ Doutora Isis... Esta mulher é perigosa. E está com a sua irmã. Eu repensaria as coisas.

_ Ela ama a minha irmã.

_ Isto só a torna mais perigosa ainda.

Isis parou um instante, pensando sobre o que ela havia acabado de dizer. Rhian amava Diana. Faria qualquer coisa por ela, disso sabia. Mas não vinha ao caso, concentrou-se em seu foco.

_ Onde mudou?_ Perguntou outra vez.

A delegada olhou bem para ela.

_ Isis, pelo o respeito que tenho por você e a admiração que prezo pela sua irmã: Rhian Keir é linda, é rica, está se formando numa profissão mais do que prestigiosa, vive numa cobertura na Barra da Tijuca, dirige uma Land Rover, tira férias no Caribe ou em São Petersburgo, em Ibiza ou em Bora Bora, onde ela achar melhor. Pensando em motivações criminais, qual era a única coisa que faltava para esta moça?

_ Eu prefiro ouvir a sua sugestão.

_ Eu imaginei que fosse preferir, vamos voltar aos tempos de faculdade. As principais motivações criminais geralmente são vingança, dinheiro, ganância. Mas o amor sempre será uma motivação comum e poderosa. Acha que um sequestro traria Diana de volta para Rhian? Para mim a resposta parece clara. Apenas pense nisso.

Isis pensou. Pensou de verdade.

Mais do que deveria.

_ Doutora Ruiz, obrigada pelo seu tempo_ E simplesmente saiu da sala.

Tomou um copo de água gelada no corredor e respirou bem profundamente. Sua cabeça estava quente e girando de uma forma... Havia tentado tanto e conseguido tão pouco. Se tivesse tempo, as coisas estariam suficientes, mas não podia contar com tempo enquanto sua irmã fugia pelo Caribe da Polícia Federal. Será que fugia? E se a delegada tivesse uma vírgula de razão? Diana poderia estar sendo sequestrada sem ser dar conta? Sequestro real ou não, de uma coisa a delegada tinha razão, Diana havia sido atraída de volta para Rhian imediatamente. Se fosse isso que Rhian queria tudo estaria perfeitamente de acordo, e ela ainda havia ganhado uma advogada com o currículo de Isis gratuitamente para limpar toda a bagunça. E ainda havia aquele tanto de processos. Onde Rhian aparecia como parte acusada na maioria deles. Desacato, conduções em alta velocidade, agressão, agressão, agressão. Quando Rhian havia se tornado tão agressiva e destrutiva? Não, não, não. Aquilo não fazia sentido, não fazia sentido algum, Rhian não seria capaz de...? Ou será que seria?

Isis esmagou o copo descartável na mão e se encostou na parede, sentindo sua mente latejando em tantas informações. Respirou fundo, tentando se manter. Isis sempre trabalhava com a teoria do cubo judaico para resolução de problemas, que basicamente se resume em: o problema é sempre feito de quatro camadas, a primeira é a chamada o aparente do aparente, a segunda é o oculto do aparente, e então há o aparente do oculto, e o oculto do oculto. O aparente do aparente é tudo o que se vê, o oculto do aparente é aquilo que está subentendido no aparente, e então o aparente do oculto é o que se pode ver do subentendido e então há o oculto do oculto, que é o segredo de todos os motivos. Depois de ler toda a informação entregue por Ariana e então ter tido vistas a aqueles processos e por último tudo o que havia ouvido naquela delegacia, Isis sentia-se entre o oculto do aparente e o aparente do oculto, mas a verdade com toda certeza estava no oculto do oculto, para onde ela definitivamente naquele momento não havia como olhar. E aquilo a irritava, aquilo a irritava demais.

_ Ei, está tudo bem?_ Ariana se aproximou dela.

Isis respirou profundamente. E então seus olhos foram roubados para o colo de Ariana mais uma vez. E Isis fechou os dois botões do decote daquela camisa branca.

_ Vamos ao apartamento da Diana_ E levemente arrumou o colarinho de Ariana, e caminhou para fora da delegacia. Ariana deu um meio sorriso. E a seguiu_ Qual o problema da sua amiga com limites de velocidade?

_ Bem, como eu posso dizer? Rhian não conhece limites, nenhum tipo de limites...

Não conhecia. Não conhecia mesmo.

***

O mundo girou em rotações furiosas e vertiginosas e então girou mais rápido e mais rápido e pulsou mais forte e impetuoso até que tudo simplesmente explodiu em mil pedaços e em pedaços nenhum. E a chave que transformava Rhian naquela que Diana não conhecia girou em sua cabeça e ela tornou-se quem precisava ser.

A garota má que salva o dia.

O jipe colidiu violentamente contra o portão, e um deles teve que ceder. O portão voou violentamente para trás em pedaços de concreto, madeira e ferro enquanto Diana e Rhian foram atiradas para frente e por um instante, tudo ficou negro e confuso, Rhian sentiu uma enorme pancada na cabeça e tudo o que ela conseguia pensar era que não podia desmaiar, porque o amor da sua vida estava no banco ao lado e precisava que ela fosse o seu herói. Aquele herói capaz de dirigir com segurança a quase duzentos por hora, aquele herói que poderia tira-la de qualquer situação, que podia cuida-la, mantê-la protegida, o tipo de namorado que podia fazê-la sentir a única garota no mundo. E Rhian nunca permitiria que a única garota no mundo se perdesse num carro desgovernado. E foi assim que Rhian ficou acordada. Foi assim que ela retomou o controle do carro antes que ele invadisse a floresta fechada, foi assim que ela conseguiu fazer a curva e pisar fundo no acelerador, levando o carro perto da velocidade máxima até a entrada da trilha que ficava quilômetros para frente, e foi assim que Rhian habilidosamente derrapou em curva por aquela entrada difícil, foi assim que ela perfeitamente alinhou o carro e disparou por aquele caminho fechado e impossível. Podia ouvir os carros de polícia correndo pela rua principal, as sirenes disparadas, eles passariam pela entrada? Rhian não sabia, a verdade era que Rhian não sabia de nada.

_ Diana? Diana!_ E tentou acorda-la, tentou chamar a atenção dela, tentou checa-la, mas nada, ela estava imóvel, ela estava inerte e totalmente desacordada. E um desespero tomou conta de Rhian enquanto ela dirigia. 100, 120 quilômetros por hora naquela trilha impraticável e sua namorada estava apagada desde a colisão_ Diana acorda, amor, olha pra mim, olha pra mim. Diana!

E ouviu as sirenes se aproximando, os carros entrando na trilha, como eles haviam encontrado aquela trilha? Olhou pelos retrovisores, checando, se orientando visualmente e foi quando pelo canto do olho, Rhian viu o comunicador no ouvido de Diana.

_ Droga, droga, droga!_ E esmurrou o volante furiosamente antes de tirar o comunicador do ouvido dela, era um transmissor, é claro que era um transmissor, não havia dado tempo de ela descartar. Rhian mudou de trilha, virando o carro intempestivamente, as rodas direitas saíram do chão por um instante, retomaram sua tração e ela pisou fundo outra vez, pondo o comunicador em seu próprio ouvido.

_ Alvo na floresta, alvo na floresta!

Rhian acelerou o jipe tudo o que podia e aprofundou-se naquela reta, e foi quando reduziu, sem pisar no freio e suavemente, deixou cair o comunicador, ao lado da pista. E então pisou no freio, engatou marcha ré e afundou o pé no acelerador, voltando sob as mesmas marcas enquanto olhava para trás, e olhava para Diana e sentia seu coração pulsando em cada terminação de seu corpo.

_ Vamos, vamos, vamos..._ Pediu enquanto realizava aquela manobra, os olhos tensos e focados, o suor se espalhando pelo seu corpo inteiro, aquela obstinação pulsando em sua mente, e enfim voltou para o ponto aonde havia dobrado. Engatou a primeira marcha e arrancou trilha a frente, acelerando ao máximo que podia, que o carro suportava, que a trilha permitia_ Diana? Diana olha pra mim, olha pra mim...

Era inútil, era completamente inútil, e Rhian não sabia dizer como ela estava, não conseguia ver se ela estava ferida, machucada, não conseguiu nada porque tinha que segurar o carro na pista, tinha que ouvir as sirenes, tinha que não bater, não derrapar, não perder o controle, mas ele já não estava perdido? Rhian estava suada, sentia sangue em sua boca e em seus olhos, precisava fazer aquilo, por Diana, precisava fazer, havia a envolvido naquilo tudo, por que não havia a deixado ir embora quando ela disse que queria?

_ Diana? Diana!_ E socou o volante outra vez quando ela não deu sinal novamente. Não havia a deixado ir porque a amava. E agora tudo havia tomado uma enorme e perigosa proporção.

O motor estava soltando fumaça quando Rhian, finalmente, chegou onde precisava. Havia levado quase trinta minutos, e aquela meia-hora durou um mês inteiro. Havia ouvido as sirenes se aproximando e então se afastando e foi quando ela soube que a polícia havia seguido o transmissor na trilha errada. Então acelerou o máximo do motor, entrando e saindo de trilhas, levando o jipe para a trilha correta, para onde precisava ir. Parou o carro junto a um deck abandonado onde seu iate estava ancorado. Era um braço de rio no meio da floresta que quilômetros para frente, desaguava no mar. Kes havia trazido o barco para ali no dia anterior. Rhian acelerou tudo quando viu o deck e então derrapou o jipe de lado para frear mais rápido. O carro cravou no chão e Rhian soltou-se do cinto para checar Diana imediatamente.

_ Diana? Amor olha pra mim, acorda e olha pra mim, olha pra mim..._ Tocou o rosto dela a examinando e aparentemente ela não havia batido diretamente a cabeça, devia ter se segurado de alguma forma, Rhian não sabia, mas o tamanho daquele impacto... E se ela tivesse mesmo algo na cabeça? O que um impacto como aquele poderia ter causado? Rhian só podia supor. E carrega-la para o iate o mais depressa possível.

Rhian saiu do carro e correu, recolheu as mochilas que haviam voado, jogou para dentro do iate e voltou para Diana, abriu a porta dela, soltou o cinto e ela estava ardendo de febre e completamente inconsciente. Rhian não sabia bem como havia conseguido carrega-la, como havia conseguido tira-la do carro e então descido com ela os três degraus que levavam ao deck, e menos ainda sabia como havia consigo passar do deck para o barco, mas havia conseguido. E o som das sirenes voltando a se aproximar contaram que ela precisava sair dali, e sair imediatamente.

Colocou Diana na cama da cabine e deu outra olhada nela, checou seus olhos, suas pulsações, buscou por fraturas, ela não parecia ter quebrado nada, mas por que não acordava? Por quê? Rhian chamou-a outra vez. Chamou-a muito, mas ela se manteve do jeito que estava: inerte. Sem sequer um sinal de consciência. Rhian balançou a cabeça em negativa e então percebeu que ela estava sem o revólver, mas que havia algo enrolado em sua mão. Abriu a mão dela, e encontrou sua gargantilha. Aquela com o seu sobrenome em ouro. Rhian lembrava de ter deixado sobre um móvel no quarto e Diana deveria ter pego antes de fugirem. Rhian havia ganhado aquela gargantilha como presente de dezesseis anos de sua mãe, que lhe disse que era “para nunca esquecer de quem você é”. Aquela gargantilha ali, enrolada nos dedos de Diana queria lhe dizer muita coisa. Queria. Mas Rhian disse a si mesma que não podia ficar sentimental, que precisava ficar de pé e agir, porque as sirenes estavam cada vez mais próximas. Correu de volta ao carro e procurou a arma, revirando tudo o que encontrava pela frente até enfim encontrar o revolver no chão da parte de trás do jipe. Recolheu e correu para o barco, para a proa do barco, e ainda do lado de fora, puxou um enorme adesivo onde se lia o nome da embarcação. De Saint Peter, para Saint Michael e pronto, a embarcação já era outra. Agarrou outro pedaço de adesivo e de uma ponta a outra, uma listra vermelha surgiu no casco do iate, descaracterizando a embarcação mais ainda, subiu a bordo, fez o mesmo do outro lado e então achou a chave na mochila de dinheiro, ligou o motor e rapidamente zarpou dali.

E quanto mais avançava por aquele braço de rio, menos ouvia as sirenes, menos ouvia a movimentação, eles alcançaram o deck, deu para perceber, mas até onde sabia carros não navegavam, o que lhe dava alguma vantagem de tempo. Porém havia sido por pouco, Rhian sabia que havia sido, e que ainda estava sendo. Alcançou o mar. Saiu daquelas águas esverdeadas e pegou o azul-esverdeado da colisão e então, o azul infinito do mar do Caribe, sempre olhando para trás, tanto que sequer pensou que deveria checar o céu também. A respiração de Rhian foi cortada quando um helicóptero surgiu naquele céu azul e sem nuvens, direto em sua direção. Eles poderiam, poderiam...? Não fazia ideia do que eles poderiam. Dane-se o que eles poderiam, Rhian mostraria para eles o que ela podia fazer.

Podia ter coragem. Era tudo o que podia.

Rhian acelerou em direção ao helicóptero, se precisava fazer aquilo, faria de uma vez, o que eles fariam? Saltariam do helicóptero, atirariam nela, mandariam ela se render? Talvez fosse a hora. Sua namorada estava desacordada, talvez devesse parar, erguer as mãos, e pedir para que cuidassem dela. E então lembrou que eles não cuidariam. Lembrou que atiraram nela outra vez. Mas então já estava indo de encontro ao helicóptero e para onde podia fugir? Não podia. E foi quando o helicóptero passou por cima da embarcação e simplesmente seguiu viagem. Não era da polícia. Não era, não era... Rhian respirou fundo levando a mão ao rosto suado, não era da polícia, era um helicóptero qualquer. Puxou a alavanca e acelerou em direção a mar aberto, precisava se afastar, se afastar o máximo que podia, precisava se misturar a um fluxo e então sair do mesmo fluxo, e foi o que fez quando encontrou barcos pesqueiros que iam numa mesma direção. Os seguiu por um tempo e então se desgarrou, mudando de direção e foi quando sem perceber se aproximou de um iate maior, onde uma festa estava acontecendo, e havia reggae tocando, e pessoas bebendo e Rhian queria ultrapassa-los e seguir, e foi quando sentiu uma coisa.

Aquela coisa que se sente quando não se está sozinho.

Rhian olhou para trás e Diana estava de pé. E só de olhar para ela Rhian imediatamente desejou que ela houvesse continuado dormindo.

_ Diana, por favor_ Rhian implorou, implorou de todo o seu coração_ Olhe para mim e diga que está bem, Diana?_ E ela ergueu os olhos a olhando de uma maneira..._ Diana?_ Ela olhou de lado, focando e apertando aqueles olhos_ Diana!

E Diana simplesmente correu em direção a porta da cabine e Rhian teve que largar a direção e agarra-la com força, rapidamente, para que ela não saísse, para que não fosse para fora, não, não, ela não estava bem, ela não estava nada bem, e o cenário não poderia ser pior. Havia um enorme iate olhando para dentro do seu, haviam pessoas que podiam vê-las, havia aquela maldita música alta que levava Rhian de volta para o seu cativeiro e havia Diana descontrolada, tentando sair da cabine a todo custo enquanto Rhian tentava segura-la e segurar a direção, estavam perto demais do outro iate, ainda estavam à mercê da polícia, era um caos descontrolado e perigoso que Rhian não fazia ideia de como resolver. Diana queria ir lá fora, queria ver Ilha Bela de perto, Ilha Bela estava lá fora, não estava? Rhian virou o iate, mudando completamente a direção ou colidiria no iate ao lado a qualquer momento.

_ Diana! Diana para, não...!_ E Rhian precisou puxa-la, segura-la por trás, enlaça-la pelo colo e puxa-la de volta enquanto com a outra mão esticava-se em direção ao volante, tentando manter o controle do iate, puxou Diana e teve que ser incisiva, teve que pega-la com firmeza e quando tentou prendê-la contra a mesa de comando, Diana simplesmente escapou para fora_ Diana? Diana!_ E Rhian largou o volante e correu atrás dela, para pega-la se inclinando sobre a amurada do barco querendo ver o mar. E o barco estava correndo sem qualquer controle, e Rhian precisava leva-la para dentro, Diana resistiu, não queria, queria ficar ali fora e ver Florianópolis, era réveillon, não era? Rhian a pegou pela cintura, e tirando-a do chão, levou Diana para dentro de qualquer forma. Aquele maldito iate. E se o comandante acionasse a marinha por direção perigosa? Ou ele podia supor que Diana estava mais bêbada do que aquelas pessoas que estavam fazendo festa em seu iate. Esperou que ele tivesse suposto apenas isto. Arrastou Diana para dentro, trancou a cabine e correu para o volante que começava a girar de maneira perigosa e foi quando começou a ouvir. Os sons de sirene em algum lugar. Ou estavam apenas na sua cabeça?

_ Diana não!_ E ela tentou enfiar a mão na alavanca_ Não, Diana, não faça!

_ Eu quero voltar para Búzios!_ Ela disse, e então agarrou Rhian pelas costas, enfiando a mão pela nuca dela, fechando os olhos porque a febre fazia arder cada pedaço de seu corpo... Apesar dela não ter qualquer consciência disto_ Eu quero voltar e fazer amor, Rhian, eu quero voltar, eu quero voltar...

_ Diana...

_ Eu quero voltar! Eu quero voltar agora, me dá a chave, eu vou sair de casa, eu não gosto desse som, Rhian, eu não gosto, não gosto, diz para eles pararem, diz pra eles, Rhian, diz pra eles...

E foi quando aqueles olhos verdes se quebraram em duas lágrimas. Ouvindo o reggae, os sons de sirene distantemente, sentindo a boca de Diana deslizando pela sua nuca lhe dizendo para voltarem para Búzios, para saírem daquela casa, como podia com aquilo? Com tudo aquilo? Ah não, Rhian já havia suportado todo o resto, mas aquilo estava além. Não podia controlar o barco e controlar Diana, não podia fugir e manter sua namorada em segurança quando ela estava fora de si, tentando sair da cabine, se machucando, querendo saltar no mar ou voltar para Búzios quando estavam no Caribe, ou a acusando de tê-la traído em Brasília, ou em Trancoso, o que aconteceu em Trancoso? Rhian sequer lembrava, e foi desesperador. Rhian não sabia como pilotar e mantê-la segura, e então não sabia como mantê-las seguras, porque Diana arriscava o controle do barco e destroçava o controle de Rhian. No que ela havia se metido? No que Rhian estava pensando quando começou tudo aquilo? Não importava, era muito tarde para voltar atrás agora, Rhian só podia ir em frente, não havia outra direção.

_ Diana não, não...!_ E virou-se de frente para ela e de costas para a direção, segurando seus punhos, tentando manter o volante reto enquanto a mantinha consigo_ Precisa ficar quieta, amor, você precisa me ajudar...

_ Eu ajudo, eu ajudo você..._ E abraçou-se em Rhian, descendo a boca pelo pescoço dela e aquilo causou uma desesperação tão grande em Rhian que ela só queria chorar. O iate barulhento voltou a se aproximar e Rhian não sabia se estava ouvindo demais, mas ouvia as sirenes, as ouvia em algum lugar, apesar de não ter visual de nenhuma viatura. O que não a deixava menos apreensiva.

_ Diana...

_ Eu quero fazer amor, eu sinto tanto a sua falta, eu não sei porque eu deixei você...

Rhian também não sabia. Se tivessem ficado juntas talvez a situação fosse outra.

_ Nós estamos juntas outra vez, e você não vai me deixar, vai?

_ Nunca mais_ Ela respondeu, bem perto do ouvido de Rhian, agarrando-se completamente ao corpo dela.

_ E a Andressa?_ Rhian não sabia bem porque havia perguntado, mas estava sofrendo tanto... Entre fuga, delírios e aquela coisa, havia a coisa de Diana estar casada.

_ A Andressa... Eu já deixei ela, não deixei? Eu nunca estive com ela, eu só estive com você...

E Rhian respirou bem fundo não a querendo mais por perto. Por que ela havia feito aquilo, por que havia casado? E no meio das suas indagações, Diana revirou tudo outra vez, voltou a tentar escapar, e a brigar com as vozes em sua cabeça e querer qualquer tipo de sexo e então queria carinho, e amor, e que Rhian explicasse porque Flavia estava ligando em seu celular, e Rhian não pode mais. Que se explodisse a polícia, a marinha, quem quer que fosse, parou o iate no meio do mar e foi lutar com ela. Foi segura-la firme, manda-la parar, Rhian a arrastou até a cabine de dormir e Diana se recusava a entrar, se recusava a ir para a cama e foi Rhian quem perdeu a cabeça. Agarrou Diana pelos punhos, empurrou-a para a cama e fechou a porta atrás de si, passando a chave pelo lado de fora. E enquanto ela batia, e gritava e dizia coisas sem sentidos, Rhian escorregou por aquela porta exausta e sem fôlego. Sua cabeça estava pulsando a ponto de explodir e ela só queria ficar ali e esperar Diana desmaiar outra vez. Mas não podia. Rhian precisava tomar uma decisão. Não podia ficar à deriva no meio do mar, então olhou em volta e no horizonte, viu uma pequena ilha com um ancoradouro. E tomou a difícil e arriscada decisão de ancorar. Parecia vazio, mas talvez fosse abordada. Mas que opção tinha?

Nenhuma. Rhian se pôs de pé e levou o iate até o ancoradouro. Estava realmente vazio, não foi difícil parar e ancorar. Difícil foi voltar para dentro daquele quarto e convencer Diana a entrar no chuveiro. E sim, é importante salientar que aparentemente o tal iate de balada estava gostando de segui-las. Rhian ouviu o reggae se aproximando outra vez e Diana não, ela não queria ir para o banho de jeito nenhum, Rhian tentou, tentou e acabou derrubando Diana na cama mais uma vez. Subiu sobre ela, para evitar que ela corresse para fora, prendeu as coxas e os punhos dela e já mais do que irritada, Rhian imperativa ordenou a ela:

_ Nós vamos para o banho! Você me entendeu, Diana?

E Diana olhou-a nos olhos, e então desceu o olhar, até os seios soltos de Rhian por baixo de sua camiseta de dormir. Ainda estavam com roupas de dormir.

_ Você fica nua? Eu vou...

E Rhian riu. Estava querendo chorar, estava suada, com raiva, com ódio, mas não teve como não rir. Prometeu ficar nua e Diana aceitou ir para o chuveiro frio, onde Rhian não ficou nua, nem Diana ficou de pé por muito tempo. Ouviam o reggae no iate ao lado, e ela cantarolava uma frase ou outra e foi como se alguém houvesse puxado o plug do som e da mente de Diana. O som parou de repente ao final da música e Diana simplesmente apagou nos braços de Rhian.

Rhian carregou-a de volta para a cama, enrolada numa toalha, já sentindo a temperatura dela baixando. Quando abriu a mochila em busca de remédios, descobriu que nem todos estavam ali, todos os remédios que Diana usava estavam fora da mochila, seriam os últimos que Rhian guardaria. Não havia nada intravenoso, nenhum antibiótico, mas fez o melhor que podia. Quando tudo terminou, estava exausta. Rhian olhou pela janela e o outro iate já não estava por ali, e nem havia qualquer sinal de viaturas. Rhian baixou a cabeça na mesa de comando e inspirou profundamente pensando em Diana. Quem diria que aquela seria a parte mais difícil de sua fuga? Controlar Diana, protege-la de si mesma, que coisa estava acontecendo? O que ela tinha? Rhian não fazia ideia, quanto mais pensava, menos fazia ideia, e mais sentia medo. Mas não podia. Não podia ter medo, não podia se dar por vencida, precisava continuar, justamente por Diana, precisava continuar. Então se pôs de pé e deixando a porta aberta, voltou para a direção de seu iate. Respirou fundo e foi recolher a âncora, olhando de um lado a outro outra vez, parecia uma ilha deserta aquela, acontecia por ali, um pequeno povoado que desaparecia, deveria ser o caso. Ligou o iate e o manobrou em saída, voltando para a corrente marítima, de volta para o seu caminho e Rhian não fazia ideia de que horas havia acordado, há quanto tempo tudo estava durando e foi por isso que depois que se afastou daquela ilha deserta, ela decidiu checar o computador de bordo. E absolutamente não acreditou no que viu.

_ Ah não...

 

Não era pouco. O universo inteiro parecia estar em negativo para Rhian Keir.

Notas finais:

Hei meninas, como vcs estão? Passaram um 'dia das namoradas' lindo e cheio de amor? Então, mais um capítulo cheio de aventuras e a Isis como sempre sendo Isis. rsrsrs 

Bjos e até quinta-feira. *_*



Comentários


Nome: Lerika (Assinado) · Data: 09/06/2017 04:32 · Para: Cidade cinza

Apaixonada pelo casal Isis e Ariana S2



Resposta do autor:

Arisis ♥♥♥



Nome: Maria Flor (Assinado) · Data: 08/07/2016 02:46 · Para: Cidade cinza

 Oi, Tess!!

Isis já tá se rendendo à Ariana. Adoooro, hahaha. Hahaha. Parece que o carro da Isis é bem parecido com o meu. Coisas de advogada??
Sabe, até entendo o que a delegada falou. Num caso desse tipo, realmente deve-se buscar várias linhas de investigação e a ideia de que o sequestro possa ter sido forjado pra ter a Diana de volta não é tão absurda. Não seria a primeira vez que isso aconteceria, hahaha. O problema é não estarem investigando outras linhas. Esse fato é muito significativo.
E outra coisa. A delegada diz que todos os processos entre os irmãos foram originados após a separação daquelas duas. Mas isso não inclui a tentativa de estupro aos 14 anos. Aliás, como ele se safou dessa? Os pais dela não fizeram nada?? O que houve após a separação delas que originou essa quantidade de processos? Ele fez algo contra ela? Ela fez algo contra ele? 
Esses delírios da Diana estão ficando tensos. Daqui a pouco uma dessas duas vai se machucar sério -.-
E o iate? Falta de combustível não deve ser porque estava com o tanque cheio e elas não andaram tanto. Ou andaram? O gps pode ter estragado? Mas ia estragar do nada? 
Beijoo

Resposta do autor:

Oieee Maria Flor *.*

 

Isis está baixando a guarda, esta olhando para a Ariana de outra maneira e esta se permitindo sentir coisas, vamos ver o que temos pela frente :) E com toda certeza este lance do carro é coisa de advogada, usei o carro de uma das advogadas do meu trabalho para decidir hahaha Vcs gostam de dirigir naves, cheguei a conclusão.

Sobre o que a advogada falou, o amor sempre será uma enorme motivação, a depender do cenário desenvolvido. Há uma imagem de que a única coisa que faltava a Rhian era a Diana, quando na verdade, além da Diana faltava paz e tranquilidade a ela, que estava vivendo num inferno. Sobre os processos, a delegada se referiu mesmo somente aos trocados nos últimos dois anos, sobre a tentativa de estupro aos 14 anos veremos mais para frente que Rhian denunciou, e a familia retirou a denúncia, tentando amenizar o caso, tratar internamente, retirando a importância naquela negação natural de não querer acreditar que um filho seria capaz de algo assim contra a própria irmã. 

Os delírios da Diana irão explodir em algo maior em breve :/

E ahh, sobre o iate, pane no sistema, pode acontecer em qualquer momento, mas não deveria naquele momento né haha Mas como sabemos, Rhian anda tão sem sorte :/

 

Beijos! Obrigada pelo feedback maravilhoso *.*



Nome: Fernanda B (Assinado) · Data: 20/06/2016 22:19 · Para: Cidade cinza

Obrigada Ana_Clara. Estou relendo sua resposta, tentando buscar forças..muito obrigada! <3



Nome: Fernanda B (Assinado) · Data: 20/06/2016 22:12 · Para: Cidade cinza

Obrigada autora. Muito obrigada. Eu estou muito triste. Não sei o que fazer.

Muito obrigada também a Ana_Clara. Agradeço do coração a vcs <3

Um abraço era bom mesmo obrigada. Espero conseguir ultrapassar isto.

Lamento muito pelas suas perdas autora, dói mt.

Eu no início não conseguia chorar acho que foi o choque, agora não faço outra coisa é sempre a chorar :(

Muito obrigada.



Resposta do autor:

As perdas nos destroem e então nos reconstroem, Fê, nunca mais voltamos a ser as mesmas, mas há algo positivo em tudo, a força dobra e os nossos limites tbem =)

 

Uma hora as coisas se acertam, por enquanto, se permita todas as dores, vc tem direito de senti-las.

 

Sinta-se abraçada outra vez, viu? ^^



Nome: Ana_Clara (Assinado) · Data: 20/06/2016 21:14 · Para: Cidade cinza

Oi Fernanda B! Sei que este momento tudo parece não ter sentido, eu consigo entender a sua dor, consigo mensurar o tamanho dela e sei que este momento é mais que doloroso. Parece um buraco que não tem mais fim, parece que estamos caindo e não sentimos o chão quando chegamos nele, mas olha, sejamos firmes, e devemos tentar compreender qual o propósito da vida. Sabe, os 'últimos acontecimentos' tem mexido muito comigo, com minha alma, com minha esperança pela humanidade, mas eu acredito em um Deus único, bondoso e justo, e tbem acredito em anjos e eu tenho a certeza de que seu amigo ele veio para a terra com um único propósito e com certeza ele o realizou com toda dignidade.  Uma grande alma não merece estar nesta terra, afinal grandes pessoas, com espírito evoluído devem estar num plano Celestial maior que o plano Terra. Fê, pra nós parece ser inconcebível perder alguém tão bom, de espírito tão puro, mas olha, confiemos na eternidade, ela existe. Seja forte, vc é linda e essa dor vai amenizar e logo sentimentos de paz e amor vão estar em seu coração. Eu acredito!



Nome: Rafaela C (Assinado) · Data: 20/06/2016 20:57 · Para: Cidade cinza

hahaha eu me sinto muito gay lendo porque eu estou constantemente shippando personagens hahahaha

Adorando autora =)



Resposta do autor:

Rafa eu passo por isso quando estou escrevendo, começo pensando "terei apenas essas duas personagens gays, pronto, é suficiente" e de repente começa a sair lésbicas de todos os armários possíveis haha

Quanto mais gay, melhor né rsrs



Nome: Joana (Assinado) · Data: 20/06/2016 20:55 · Para: Cidade cinza

LINDAS LINDAS d84;d84;d84;d84;d84;d84;d84;d84;d84;d84;d84;d84;d84;d84;d84;

Diana vc me preocupa woman



Resposta do autor:

Oieee Jô!

Diana está precisando de cuidados mesmo :/



Nome: Fernanda B (Assinado) · Data: 20/06/2016 20:53 · Para: Cidade cinza

Confesso que ando sem cabeça pra ler histórias mas a sua eu gosto muito e dá até vontade.

Ainda estou de luto e muito triste porque um amigo meu de longa data morreu afogado enquanto pescava com o pai :( Agradeço de coração a vc que escreve pra nós. Estou chorando enquanto escrevo isto porque não entendo porque uma pessoa tão boa e tão jovem morre assim :( ele tinha 21 anos ninguém merece :( agora o que vai ser do pai dele sozinho? E como eu tiro esta dor de mim? Porque é que eu não estava lá pra salvar ele? Porque é que ninguém salvou ele? Dói muito :( dói muito mesmo :( desculpa por este desabafo mas eu já nem consigo dormir, vou ter que ir no médico. Já nem sei qual é o objetivo da vida, eu já não sei nada, só sei chorar e sentir esta dor :(



Resposta do autor:

Fernanda :/

 

Vem aqui, deixa eu abraçar vc, conheço bem esse tipo de dor, perdi meu pai e então recentemente perdi meu irmão mais velho, o que revirou a minha vida e os meus sentimentos do avesso :/

Leva tempo pra curar e pra que todas as coisas voltem para o seu lugar, mais uma hora ou outra, não é que melhora, mas a gente se acostuma e encontra outras pedaços de vida que se readequam e cabem dentro de um novo normal.

Sinta-se abraçada e beijada e apoiada, obrigada por vir aqui num momento assim, significa que de alguma forma, o Lettera consegue ser um ponto de apoio pra vc ♥



Nome: Susana (Assinado) · Data: 20/06/2016 20:49 · Para: Cidade cinza

Fofas 🙊 adoro que elas não estejam já juntas era muito precipitado de fazer, assim está gostoso, as coisas irem devagar e a seu tempo. Gostei. 👌👌👌



Resposta do autor:

Olá Susana!!

 

Doutora Isis tem seu tempo e a Ariana está lendo este tempo muito bem, um passo de cada vez e cada vez mais ela vai se aproximando da nossa advogada preferida =)



Nome: Eduarda A (Assinado) · Data: 20/06/2016 20:14 · Para: Cidade cinza

Ariana dá uns beijo nessa mulher 😉 eu acho vcs compatíveis kkk



Resposta do autor:

Mais uma para o movimento ArianaBeijaLogoAIsis!!!

 

O momento se aproxima caras leitoras, não desistam dessas duas haha



Nome: Brenda (Assinado) · Data: 20/06/2016 19:24 · Para: Cidade cinza

A Rhian é perfeita a sério. Eu gostava de uma namorada assim.

Isis e Ari lindas como sempre.



Resposta do autor:

Oieee Brenda!!!

 

Rhian sendo a namorada perfeita, e Isis e Ariana cada vez mais próximas, vamos dar uma apertada a mais nesta proximidade no capítulo seguinte ;)

Beijinhos!



Nome: Ariana (Assinado) · Data: 20/06/2016 19:22 · Para: Cidade cinza

Ari e Isa arrasando!!!!!!!!! Você tem que desculpar o atraso da gente porque é final de semestre na faculdade não é fácil. Mas quem é vivo sempre aparece =)

Eu não abandono esta história. Só se morrer ou acontecer uma desgraça rsrs

Vou já ler o próximo!



Resposta do autor:

Ariana ♥

Estava me sentindo abandonada pelo meu povo fiel (sinta o drama), mas ainda tinha esperanças de vc retornar para cá haha

Vc está mais do que desculpada, minha linda e se prepare, que tem cada vez mais Ariana em ação nesta história ;)

 

Bjs!



Nome: Manuela (Assinado) · Data: 20/06/2016 11:52 · Para: Cidade cinza

A Ari e a Isis minha nossaaaa amo mt.

Tadinha da Rhian mano



Resposta do autor:

Oieee Manu!!

 

Isis e Ariana estão num momento muito gostoso e a única coisa que eu posso adiantar pra vc é: vai ficar mais gostoso ainda ;)

 

Bjs!



Nome: patty-321 (Assinado) · Data: 17/06/2016 15:27 · Para: Cidade cinza
Tô com tanta pena da rhian.

Resposta do autor:

Oieee Patty!

 

Momento vamos abraçar a Rhian, ela tá precisando de colo e abraços de calma :/



Nome: annagh (Assinado) · Data: 17/06/2016 02:23 · Para: Cidade cinza

Olá Tess...tudo bem???



Que saudade imensa eu senti desse cantinho aqui...mas já te
expliquei os motivos né...espero de coração que entenda. Espero também que meu
lugarzinho aí no teu coração não tenha sido tomado por outra leitora....kkkkkkk...não
vai me trair hein.



Que fofura Ariana e Isis...tô
apaixonada por essas duas. Adoro quando elas aparecem nos capítulos Tess e
nesse você caprichou. Vejo que Isis vai ser uma namorada super protetora e
ciumenta, tipo a Rhian...kkkkk (já prevejo Isis e Ariana juntas ok???).  O cuidado que ela tem com Ariana é lindo de se
vê (suspirando aqui). A advogada já se encantou pela bela loira “in natura”,
ela só ainda não sabe disso.



Caraca!!! Essa delegada deixou
Isis confusa...e confesso que até eu também tô confusa.



Esse “cubo judaico” mexeu com
meus neurônios...kkkkkkk....vou tentar desvendar junto com Isis esse mistério
todo que envolve a vida de Rhian. Amo mistério e suspense...mas não vale judiar
muito não hein Tess (tortura já não é comigo...rsrsrrs).



Agora o que falar dessa fuga de
Rhian e Diana???? Genteeeeee....me senti dentro de uma cena de Velozes e Furiosos...kkkkkkk...roí
as unhas...adrenalina pura com um toque de angustia, pois é o que sinto quando
vejo Diana delirando....me coloco no lugar de Rhian, senti todo o desespero
dela sem saber o que fazer....mas sempre dando prioridade à Diana.



Agora o que mais me
emocionou sem dúvida nenhuma nesse capítulo foi: ”tudo o que ela conseguia
pensar era que não podia desmaiar, porque o amor da sua vida estava no banco ao
lado e precisava que ela fosse o seu herói. Aquele herói capaz de dirigir com
segurança a quase duzentos por hora, aquele herói que poderia tira-la de qualquer
situação, que podia cuida-la, mantê-la protegida, o tipo de namorado que podia fazê-la sentir a
única garota no mundo.” – Que lindo isso Tess!!! P-E-R-F-E-I-T-O.



E agora o suspense
pra saber o que tem nesse computador de bordo???? Como eu disse, adoro um
suspense mas não nos torture Autora...rsrsrrsr....então vamos lá para o próximo
capítulo, que tô doida pra descobrir.



Um beijo do tamanho
do meu Estado pra tu minha linda.



Resposta do autor:

Anna voltou para mim ♥

Pensei que tinha me deixado, enjoado de mim :/ Brincadeira, é claro que entendi os seus motivos, o importante é que vc voltou ^^

Agora vamos a este coment maravilhoso.

1. Isis e Ariana estão numa momento muito gostoso, a Ariana já sabe bem dos sentimentos que estão crescendo e a Isis sabe, mas está fingindo de desentendida, meio confusa com todas aquelas coisas bonitas que ela anda sentindo e que nunca aconteceram antes. Torcidas pelas duas! Prevejo Isis bem protetora mesmo, uma coisa fofa de namorada haha

2. E o tal do cubo judaíco deixou a Isis bugada como diz nossa amiga Line haha Essa história está cheia de pormenores, e a depender do ângulo por outra se olha, pode se chegar a três ou quatro visões diferentes, e a Isis está assim tadinha, olhando de vários ângulos mas sem ter certeza de nenhum;

3. Vc viu o momento "herói da namorada" da Rhian, né? Acho que a cena que vc citou resume quem é Rhian Kier, a Diana é a força extra dela, quando ela acha que não aguenta mais, quando sente que tem que desistir, ela olha para o lado, vê a garota da sua vida e resiste mais, pq a Diana sempre merece o máximo dela. Essa é a essência da Rhian =)

4. E então, o computador de bordo haha Depois de tudo o que a Rhian passou, ainda recebeu esta de presente, veremos ;)

 

Bjs leitora linda!



Nome: albuquerqueselena (Assinado) · Data: 16/06/2016 23:21 · Para: Cidade cinza

Cara, que casal fantástico Ariana e Ísis, sinto muitas tensões no ar.

Coisa linda essa Isis S2

Nossa, eletrizante esse final. Eu já vou correr e ler o próximo.

Bjos Tess S2



Resposta do autor:

Selena *.*

Isis e Ariana tensões e tesões no ar e a Isis é uma coisa, bravinha, mas uma coisa linda ♥

Ariana está tão ferrada que já começou a se dar conta haha

 

Final ligado no 220 né haha

 

Encontro vc no próximo coment!

 

Beijinhos *.*



Nome: foxxy96 (Assinado) · Data: 14/06/2016 22:25 · Para: Cidade cinza

Gostando cada vez mais desse lance entre Isis e Ariana. E nossa... Isis tem que sacar logo tudo pra inocentar a Rhian, mas imagino que ainda tem muita treta pra acontecer, né u.u kkkkk

E esses delírios ?? Pior hora pra acontecer kkkk Rhian tem que se virar em 10 pra da conta de tudo, mas ela consegue pq ela é foda ;) hehe 

Como assim parou aí ? O que ela viiiiiiiu ? O.O ai meu core :x kkkkkk

Adorando tudo, bjoooos :)



Resposta do autor:

Oieee Foxxy!

Tá gostosa a relação da Isis e da Ari, não está? ^^ E sim, tá tudo muito enrolado para a Isis, ela vai levar um tempinho até conseguir desvendar toda a situação envolvendo a Rhian, e ainda temos os delirios da Diana acontecendo nos momentos menos esperandos haha

Super Rhian, tadinha, e ainda por cima o universo inteiro parece tá conspirando contra ela :/

Enfim, capítulo novo amanhã!

 

Bjs!



Nome: Ana_Clara (Assinado) · Data: 14/06/2016 22:21 · Para: Cidade cinza

Eita, continua eletrizante!!! E olha, posso entrar somente um pouquinho na história e carinhar a Rhian?! Essas últimas cenas acabaram com meu coração apaixonado. Que situação difícil! A Di tbém sofre, e a gente fica totalmente confusa com essa temida 'doença'. Meu, confio que não será nada grave. E pra dar o momento 'leve' do capítulo, Isis, a poderosa, Ariana, a médica gata!! Morro com essas duas, o melhor momento 'ever' de todos. Puxa vida, o que foi essa Isis advogada, hein!?! A Ari está em maus lençóis, com certeza!!! hahahaha



Resposta do autor:

^^

Pode tudo se tratando de Rhian Kier, ela é uma linda mesmo, ainda mais depois do sufoco da fuga e então o sufoco no iate. Já sobre a doença da Di, prometo não ir pelo obvio e nem pelo mais doloroso :) E então, a leveza do capítulo com Isis e Ariana, elas estão evoluindo naquela relação não nomeada, vamos ver até onde tudo vai dá haha

Bjs!



Nome: Mariaravel (Assinado) · Data: 14/06/2016 18:12 · Para: Cidade cinza

Gosto da subtileza da aproximação, da leveza na insinuação, no reconhecimento entre Isis e Ariana. Mesmo nesta missão em que as duvidas são mais que as certezas, uma sem se dar conta esta a rir com os dialogos e situações destas duas. 

Quanto a Diana/Rhian continuamos em fuga desenfreada, do passado que as persegue para o bem e para o mal...

Com a respiração acelerada fiquei ao acompanhar a direcção cambaleante do barco, de Diana entre passado e presente, e de Rhian que só sabe que não pode viver sem Diana mas não sabe se isso é o melhor para ela...

E continuamos em fuga em busca das verdades...  muito bom ;)

Bjs

Sandra



Resposta do autor:

Oieeee Sandra!

 

Isis e Ariana estão se envolvendo sem perceber, e acho que essa naturalidade em meio ao furacão em que elas estão deixa tudo mais delicado e bonito ainda :)

E vc tem toda razão quando diz que Rhian e Diana estão em fuga no presente e tbem do passado, há muita coisa em jogo para elas duas, muitos erros de antes e de agora, vamos ver como elas vão fazer para se desemaranhar de todas essas situações.

Bjs! Obrigada pela leitura!!



Nome: Amandha12 (Assinado) · Data: 14/06/2016 03:11 · Para: Cidade cinza

Quando eu vejo Delirium atualizada e a Diana na capa, véio, eu fico tão feliz rs'

Sua história tá tão boa, nossa! Capítulo perfeito. A Isis e a Ariana tem uma ligação ótima. A Rhian e a Diana e seus sufocos . Esses delírios estão  ficando sérios demais... Que tudo fique bem apesar desse finalzinho preocupante :-)

 

Beijão



Resposta do autor:

Amandha enfim atualizou a capa haha o/

Me diz que ela não fica a coisa mais linda no celular? Eu não paro de olhar, Rhian que não me ouça rsrs

Gostando de Isis e Ariana ♥ Eu adoro a dinâmica entre elas, Isis é maravilhosa e a Ariana uma linda :)

E então a Diana deixando a fuga da Rhian mais complicada ainda, se isso não é amor, nem sei viu

 

Beijinhos!



Nome: Pryscylla (Assinado) · Data: 14/06/2016 02:55 · Para: Cidade cinza

Olha Isis e Ariana estão na minha City kkkkkkkkk. Cidade maravilhosa. 

Bjus =]



Resposta do autor:

Pryscylla de Brasília? *.*

Confesso que adoro a sua cidade haha Tenho algumas passagens por ai por conta da CNI e sempre volto com algum detalhe para acrescentar nas histórias :)

Bjs!



Nome: line7 (Assinado) · Data: 14/06/2016 02:03 · Para: Cidade cinza

Nossa minha linda e SENSACIONAL  autora vc Escrever  MUITO, além de viajar para outra dimensão, também  apreendemos muito com as histórias e suas teorias😍😍😍. E sério  a teoria da delegada de Brasília  me deixou um pouco blugada....kkkkk.. não  sei como vc tem planejado essa história cheias de suspence que eu amooo...mas fiquei aqui tentando adivinhar, vc sempre renovando a cada Cap nós  surpreendendo então vou ficar aqui( criando soluções...rrrsss..).

Olhar teve a visita da chefe ( chefe é  o apelido que eu dei pra ela..rsss😏😌. Cris...kkkk...💃💃.As poucas palavrasque eu falei não  definir o qunto vc transmitir da emoção do "Delirium"👏👏👏d84;



Resposta do admin:
eu? tamo na área :D



Resposta do autor:

Olha a chefe no nosso painel haha Que honra!!!

Line sua linda, como vc tá? ^^

Então, capítulo deu uma bugada mesmo, temos alguns fatos e muitas teorias, uma das coisas que mais gosto nesta história é como Diana e Rhian mudam de lugar, de culpadas a inocentes, de donas da razão para causadoras de problemas, é uma dinâmica muito interessante e deliciosa de escrever haha

Dá pra brincar de detetive, não dá?

Vamos desenrolando teorias até o inicio da terceira fase da história, onde já teremos a maioria dos mistérios revelados ^^

Bjs!



Nome: Schwinden (Assinado) · Data: 13/06/2016 23:33 · Para: Cidade cinza

Menina, a história engatou a marcha e tá num ritmo sensacional! O arco Isis/Ariana é o que mais me surpreeende, tá sendo bem construído, com coerência, muito bom! Um conselho que gosto de dar: nunca deixe o sexo guiar a história, porque elas ficam superficiais, acho que por isso me surpreendi de forma positiva com a sua.

Uma coisa do capítulo passado que eu notei e esqueci de comentar: o sonho de Diana que contou um pouco do passado, achei uma excelente forma de cortar um longo flashback, poderia ter ficado cansativo de outra forma.

Se eu fosse hetero diria que tá top.



Resposta do autor:

Cris, me empresta esta sua capacidade de aparecer na hora certa, no momento certo, com o conselho certo?

Pq eu estava aqui para morrer por causa do meu capítulo 20 e de repente vc surge aqui com esse comentário maravilhoso e me dá o rumo que eu precisava ♥

Eu acho que Isis e Ariana estão numa dinâmica bem interessante, esse clima de interesse uma na outra surgindo devagar, permeando as situações mais críticas para os capítulos não ficarem pesados, enfim, eu fico muito feliz que esteja funcionando e mais feliz ainda que este modelo de história esteja agradando :) Eu lembro que quando terminei de escrever a série em que estava trabalhando, a minha editora-namorada me pediu que eu escrevesse uma história bacana para o site e quando eu mandei o primeiro capítulo de Delirium ela me respondeu assim "Ah, a história é boa, mas eu queria que vc escrevesse algo menos complicado" rsrs No quarto capítulo ela já estava apaixonada pela história apesar dela não ser tão tranquila. Eu acho que nunca vou conseguir escrever um romance que é puramente romance, e isso me deixou preocupada se as leitoras daqui aceitariam bem a história. Como vc colocou muito bem, não é o sexo que guia a história, são outros elementos.

E o seu comentário sobre o flashback guiou a minha vida no capítulo 20, viu, ajudou muito! Consegui modificar e encaixar o capitulo de uma forma mais suave, vamos ver.

Obrigada pela leitura!



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.