Enternecer por femarques

CAPÍTULO 17:

GIULIANA

 

            O celular toca no criado mudo ao lado da cama, me acordando em um sobressalto. Com os olhos abertos, mas ainda sem enxergar direito o quarto escuro, pego-o sem olhar o identificador de chamadas e atendo com a voz sonolenta.

            “Giuliana? É o Joe. Estou ligando para dizer que se aquela sua amiga ainda quiser tirar algumas fotos, a agência está interessada.”

            Me sento na cama, entusiasmada.

            “Claro, ela estava apenas esperando ser chamada. Quando posso levá-la?”

            “Amanhã, três horas da tarde.”

            Estou sorrindo quando desligo a chamada depois de agradecer ao Joe. Ele trabalha em uma agencia de modelos, a mesma em que tirei algumas fotos para ver se conseguiria algum trabalho no ramo, e de lá me encaminharam para as empresas que contratavam para lançamentos de roupas, já que nunca quis desfilar.

            No relógio ainda marcavam oito horas da manhã. Amber já estava na escola, não era o melhor momento para aparecer em sua casa. Uma segunda-feira nunca amanheceu tão bonita. Nunca acordei por terceiros tão feliz. Salto da cama e corro para me vestir para sair para correr. Precisava matar o tempo até seis horas da tarde, horário em que encontraria Amber em casa.

            Corro o bastante, mas o tempo parecia se arrastar. Duas horas de corrida intensa e apesar de tentar me esforçar ao máximo para ficar menos eufórica, não funciona e me sinto ainda mais ansiosa.

            Subo para o meu quarto quando chego em casa e decido tomar um banho na banheira, demorado e relaxante. Precisava de uma desculpa para ver Beatrice e agora tinha uma que a deixaria feliz ao menos.

            Estava claro que meu sentimento por ela ia além de amizade, mas agora isso não me parecia mais um problema. Ainda me deixava assustada por não saber como ela reagiria com isso e por eu não me envolver com alguém há algum tempo, mas tinha decidido que, com calma, tentaria mostrar a Beatrice que eu a queria, não sabia como tudo isso surgiu, mas eu a queria muito.

            Quando desço para tomar café, encontro Abigail já sentada comendo, provavelmente porque demorei demais e da última vez pedi que ela parasse de me esperar para comer. Me sento ao seu lado e abro um sorriso largo.

            “Tudo bem, querida?”

            “Sim, recebi uma ótima notícia.” Digo enquanto me sirvo do que ela preparou.

            “Há dias não te via com uma carinha boa dessas.” Ela sorri enquanto me olha.

            “Mas passou.” Me levanto um pouco da cadeira para alcança-la e a beijo na bochecha.

            Não me importava qual fosse a resposta de Beatrice a tudo isso, não deixaria de tentar. Só conseguia pensar agora se ela também tinha sentido minha falta, mesmo que como amiga. Se ela não tinha experiência alguma e Andrea estava correta, eu tinha uma boa chance de conseguir conquista-la.

            Me despeço de Abigail e saio de casa cantarolando. Iria direto para o Pub, sabendo que lá me ocuparia o suficiente com papelada a tarde toda. Micah já estava lá quando chego e me cumprimenta com um abraço.

            Trabalho com Micah desde que abri o pub, há cinco anos. Nos tornamos bons amigos, mas como ele era reservado demais, nosso contato se restringia ao trabalho.

            “Está animada hoje?” Ele pergunta enquanto joga duas pastas em cima da minha mesa e se senta no sofá da minha sala, cruzando uma perna sobre a outra.

            “Coisas a resolver, meu amigo, coisas a resolver.” Respondo suspirando no final. Abro as pastas e vejo números que me irritam. Não o bastante para estragar o meu dia.

            “Seu irmão ligou, queria aparecer por aqui.”

            Segurando uma pasta, a fecho e olho para Micah. Ele era um homem atraente, acreditava eu. Seu cabelo e barba eram grisalhos, apesar de ainda ter apenas quarenta e oito anos. Os olhos verde-escuros eram bonitos e atraentes. Eu não era a única por aqui que chamava a atenção durante o trabalho, mas Micah era casado e tinha dois filhos. A aliança enorme em seu dedo mostrava isso.

            “E o que você disse a ele?”

            “Que não era preciso. Ele pareceu se conformar.”

            “Eu duvido, ele nunca gostou de ouvir não.” Sorrio para ele ao mostrar os dentes, ironicamente. Micah acabou ficando no meio dos meus problemas com meu irmão e agora não vai sair tão cedo.

            Passo o dia impaciente e agitada, termino todo o trabalho antes. Eram quase cinco horas e não aguentaria esperar até as seis. Saio do trabalho e vou até a escola de Amber, se bem me lembrava o nome quando Beatrice me contou em um de nossos encontros.

            Quando chego no local, os alunos ainda não estavam saindo. Com o carro estacionado em frente, desço e dou a volta no mesmo, me encostando na porta do passageiro.

            Não demora muito e vejo Amber caminhando em direção ao portão com uma garota ao seu lado. Quando ela me vê, abre um sorriso lindo e se despede da amiga, vindo até mim.

            “O que está fazendo aqui? Beatrice te mandou?” Ela pergunta, parando a minha frente, com a mochila pendurada no ombro.

            “Não, ela não sabe que estou aqui. Quer uma carona?” Abro a porta do carro e espero a resposta.

            Amber olha no relógio em seu pulso e dá de ombros. “Melhor do que pegar ônibus.” E assim, entra no carro.

            “Então.” Começo quando estamos a caminho de sua casa. “A agência ligou, querem conhecer você e tirar algumas fotos.”

            Amber pula no banco do carro e bate palmas. “Sério? Quando?”

            “Amanhã, três horas.”

            Ela faz um bico com os lábios e se encolhe no banco. “Minha irmã não vai deixar, é horário de aula. Não tem como mudar?”

            Olho para ela e reviro os olhos. O horário não era mesmo dos melhores, Beatrice estaria trabalhando e não ia deixar Amber sair da escola.

            Chegamos em frente a sua casa e paro o carro. Ligo para Joe e explico a ele que o horário é ruim, o que o faz ficar irritado, claro. Mudar a agenda de um dia todo por lá não era legal, mas por sorte, ou por um pedido meu, ele consegue trocar os horários e passa Amber para o final da tarde, as seis e meia. Ela conseguiria sair da escola e ir.

            “Pronto, seis e meia. Avise a sua irmã.”

            Ela sorri e me agradece com um beijo na bochecha. “Vocês não vão voltar a se falar? Acho que ela está esperando você ir atrás dela.”

            Caio na risada e nego com a cabeça. “Você é terrível. Ela sentiu minha falta?”

            “Depende. Você sentiu a dela?”

            “Senti, eu gosto da sua irmã.”

            Amber junta as duas mãos, entrelaçando seus dedos e apoia as mãos no rosto.

            “Ela sentiu a sua falta, mas Beatrice andou ficando meio mal. Olha, Giu, minha irmã tem alguns problemas, uns medos e ela precisa de ajuda para sair dessa. Acho que ela gosta de você e pode conseguir com a sua ajuda.”

            “Amber, vamos com calma. Senti falta dela, mas não sei se ela quer o mesmo que eu quero.”

            “Giu, use seus olhos azuis para isso. Ela quer o mesmo que você, só não posso falar tudo o que sei.”

            Concordo com a cabeça e agradeço a Amber. Então Beatrice poderia sentir o mesmo que eu, na verdade, ela até sentiu minha falta. Sei que teria que ter paciência e esperar ganhar sua confiança para somente depois descobrir quais são os seus problemas. No momento, eu só queria vê-la de novo e fazê-la lembrar de como se divertir comigo.

 

            Combino de encontrar Amber no estúdio e ela desce do carro, entrando correndo em sua casa. Volto para o trabalho, agora mais aliviada, mas ainda bastante agitada com o encontro de amanhã. Amber provavelmente traria alguma novidade sobre o que Beatrice achou do convite e sobre sua irmã ter me encontrado. Esperaria ansiosamente, enquanto penso na melhor forma de me encontrar com ela.

Nome: patty-321 (Assinado) · Data: 20/10/2016 06:40 · Para: Capítulo 17
Vamos ver a reação da Bea.giu tá toda ansiosa. E o amorrr.

Resposta do autor:

Kkkk Será que Bea vai ao studio com a irmã ou esse encontro ficará pra depois?!

Obrigada pelos comentários, Patty

Beijos,



Nome: Teresa (Assinado) · Data: 20/10/2016 03:05 · Para: Capítulo 17

As saudades apertam hein :) ansiosa por esse encontro!



Resposta do autor:

Oi, Teresa

Faz tempo que elas estão longe, né? Mas jaja rola esse encontro.

Obrigada por sempre aparecer por aqui.

Beijos



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.