Delirium por TessaReis


[Comentários - 2879]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

Capítulo 16 -Teoria dos frutos da árvore envenenada

 

Foram para o hospital. Não Rhian e Diana, e sim Isis e Ariana. E naquele hospital onde as provas contra Romeo estavam guardadas, Ariana foi recebida da melhor maneira possível.Todos queriam abraça-la e perguntar como ela estava, ela havia pedido uma licença por motivos de saúde, para todos os efeitos era por isso que ela estava afastada há quase um mês.E queriam saber de Rhian, dizer que era um absurdo o que estavam falando dela, que todos sabiam quem ela era e a queriam de volta o mais rápido possível.

Haviam bilhetes e um mural com fotos de Rhian em trabalho com recados inspiradores, desejando a volta dela em segurança. Isis fez questão de fotografar e filmar tudo aquilo, e também quis conversar com algumas pessoas, queria ouvir o que diziam sobre a Doutora Rhian, aquela face dela que Isis desconhecia. E só ouviucoisas boas,que era ótima profissional, muito responsável, promissorae Isis não precisou dizer uma frase que fosse para que pessoas começassem a falar que achavam que era Romeo o mentor de tudo, que ele já havia causado alguns problemas no hospital, que era mau-caráter, absolutamente o oposto da irmã. Perguntou a nove pessoas que tinham os relatos mais contundentes se eles aceitariam depor a favor de Rhian e a resposta foi unânime: todos estavam dispostos. E Isis sentiu-se ainda mais segura e a apoiada a respeito daquele caso que sabia, iria criar. Depois de toda esta mobilização, Ariana enfim conseguiu leva-la até o lugar onde guardavam o tal dossiê contra Romeo Laham.

_ Então, quer dizer que nenhum investigador veio até aqui pegar depoimento de ninguém?

_ Nem aqui, nem na faculdade, em lugar algum onde Rhian possuí vínculos. Você entende? Não interessa a esta investigação saber quem Rhian é, há alguém que eles querem que ela seja.

_ Ou que eles precisam que ela seja.

_ Exatamente_ E Ariana destrancou o velho armário fechado com duas correntes e três cadeados e tirou de lá uma caixa-arquivo enorme, cheia de documentos.

_ Pelo visto vocês trabalharam bem nisso.

_ Quando tudo começou a acontecer e a Rhian tentou dizer o que estava acontecendo apenas falando, ela percebeu que não iria a lugar nenhum. Se ela quisesse que alguém acreditasse nela, ela precisaria provar cada vírgula do que estivesse falando. O problema é que... Amelie, uma amiga da Rhian que é advogada sempre se preocupou com o método com o qual nós conseguimos a maioria dessas coisas.

_ Tipo...?_ Perguntou, dando uma olhada em tudo o que havia ali.

_ Nós roubamos. Do quarto do Romeo, do armário dele, seguindo ele, entrando em lugares onde ele havia estado.Nós furtamos um dos celulares dele com mensagens, fotos, ligações, coisas que podem ser comprometedoras, colocamos uma câmera no carro dele por um tempo, enfim, nós não poderíamos ter feito nadadisso, poderíamos?

_ Doutrina dos frutos da árvore envenenada_ Ela disse, com os olhos perdidos nas páginas daquele arquivo.

_ O quê?

_ A teoria dos frutos da árvore envenenada_ Ela repetiu, como se fizesse o maior sentido. Ariana piscou os olhos rapidamente, tentando entender.

_ É nome de um filme independente,de uma música de Gil e Caetano, alguma coisa assim?

Isis riu. Ok, aquela moça a fazia rir o tempo todo, era um ponto que não havia como negar.

_ Não, é uma doutrina legal que diz que provas conseguidas a partir de ilicitudes não podem ser utilizadas como evidências contra réu algum, ainda que ele seja culpado. A árvore é a fonte das provas, mas se estiver envenenada, qualquer fruto colhido dela estará podre. É basicamente o que Andressa fez com você ontem. Você estava errada, estava fugindo da polícia mesmo depois de receber uma ordem para parar, mas isso não dava a ela o direito de prender você no meio da rua e depois te levar a força para uma delegacia, ainda que isso fosse o que a justiça solicitou. É como se a polícia pegasse você roubando em flagrante, mas você negasse, e então eles decidissem te espancar até você confessar.

_ Então... Essas provas não podem ser usadas?

_ Não é bem assim. Há duas hipóteses de exceção para tornar provas ilicitamente conseguidas aceitáveis. A primeira é sobre a fonte independente, que acontece se a relação entre a ação ilegal e a prova obtida for muito diminuta, e a outra se refere a descoberta inevitável, que aconteceno caso dessas mesmas provas de maneira fatal pudessem ser descobertas por outro meio legal, já que todo fato é objeto de várias provas correlativas entre si.

E aquilo tudo na boca dela havia sido tão sexy que Ariana havia ficado excitada ou zonza, ou talvez os dois.

_ Ariana, você entendeu?

_ Não_ E riu_ Dá pra usar ou não?

_ Eu vou estudar tudo e tentar adequar a uma das hipóteses de exclusão, eu consigo fazer isso. É um absurdo que a polícia não tenha vindo aqui, que não tenha se esforçado para conseguir nenhum outro ponto de vista.

_ Tem uma outra coisa que eu queria te mostrar que eu acho que pode ajudar.

_ O quê?

_ Está no estacionamento, vamos voltar para lá...

E pegaram o caminho de volta, só que no meio do caminho, havia a brinquedoteca do hospital. E Ariana abriu um enorme sorriso quando se aproximaram dali.

_ Você tem um minuto? Eu quero dar uma olhada nas minhas crianças.

Isis não tinha, mas como Ariana iria de qualquer forma nem se opôs. Caminharam até a porta da sala e quando Ariana abriu a porta:

_ Onde estão os meus guerreiros?

_ Tia!

_ É a Tia Ariana, é ela, é ela!

E Ariana foi atropelada por sorrisos, beijos e abraços calorosos. Tantos que ela foi parar no chão, sendo derrubada por seus pequenos pacientes que sequer conseguiam se controlar de tão felizes que estavam por vê-la.Eles fizeram uma festa enorme com a sua doutora preferida, e em cinco minutos Ariana brincou com eles, fez uns rolarem pelo tapete, outros voarem, saltarem e rirem, o riso invadiu aquela sala e Isis percebeu que não era a única afetada pela enorme capacidade de Ariana de espalhar alegria por onde ela passava. E aquilo era lindo. Era poético. Era raro. Principalmente em dias como aqueles. E foi quando Ariana chamou por Isis, puxando-a pela mão, a trazendo para o meio das crianças e Isis sequer lembrava da última vez que havia ficado tão perto de humanos pequenos.Crianças. Eram crianças, isto. Mas foi bom. Muito bom, na verdade, precisava admitir. Era quase uma vasão de alma lidar com aquelas criaturas tão pequenas, com problemas tão graves e que ainda conseguiam sorrir, se divertir, amar. Eles amavam ainda que tudo parecesse injusto e infeliz.

_ O que eles têm?_ Perguntou, enquanto voltavam para o estacionamento.

_ Estávamos na oncologia, onde eu faço residência.Todoseles têm algum tipo de câncer.Aquela coisa linda que ficou apaixonada pelo seu cabelo tem leucemia.

_ Quantos anos ela tem?

_ Cinco. Já está no hospital há quase um ano, é uma guerreirinha, você precisa ver_ Ela contou sorrindo, cheia de orgulho daquela sua paciente tão pequena. Isis olhava para ela, sem ela perceber.

_ Você é boa nisso.

_ Com crianças? Eu adoro crianças...

_ Como médica. O afeto cura, minha mãe sempre nos disse isso. Eo afeto sobra em você.

E foi a vez de Ariana olha-la escondido. Isis havia lhe elogiado.

_ Eu achei que não iria conseguir.

_ O quê?

_ Ser médica. Até agora, há um mês de terminar a residência eu ainda não sei, eu nunca fui muito inteligente_ Contou sorrindo.

_ Como? Você é médica, não tem como não ser inteligente.

_ Cada disciplina me custou tanto, você não faz ideia, eu não sou como a Rhian. Ela é disciplinada, diferenciada, diagnostica muito bem, é como se tudo o que ela lesse virasse um arquivo na mente dela. Ela vê os sintomas e é como uma tabela dinâmica, ela vai filtrando, tratando as informações e de repente, tem o caminho. Eu queria ter alguma facilidade assim, mas enfim.Então, o que eu queria mostrar pra você é isto aqui, me ajuda_ E ela apontou para um carro grande coberto num canto do estacionamento. Isis a ajudou a retirara capa enorme e uma Land Rover preta surgiu, totalmente detonada por balas.

_ Mas isso...?

_ É o carro da Rhian, do atentado que ela sofreu.

_ Mas isso... Isso..._ Colocou a mão em um dos enormes buracos de bala_ É bala de fuzil! Este carro não deveria estar aqui, deveria estar apreendido como evidência!

_ Então, a perícia deu como laudo “inconclusivo” o exame de balística.

_ Como inconclusivo? Até eu consigo dizer que é bala de fuzil, apenas visualmente já dá para saber até o calibre da bala, isto é um absurdo!

_ Eu concordo, mas foi o que a perícia disse_ Falou, abrindo o carro, e Isis olhou dentro, superficialmente, se abaixou vendo algo em baixo de um dos bancos_ E então o caso continua em aberto, não concluído.

_ Não houve perícia, Ariana, tem uma cápsula de bala embaixo de um dos bancos, ninguém sequer abriu este carro. Como Rhian sobreviveu a algo assim?

_ A blindagem do carro. Um posicionamento de sorte. Graças a Deus Pai todo Poderoso, a um Carma positivo, as forças da natureza,Krishna, Buda, foi tudo isso junto, ela sequer se feriu.

_ Isso aqui é uma prova valiosíssima, Ariana, precisa passar por uma perícia de verdade.

_ Mas como? Já fizeram a perícia.

_ Podemos contratar um instituto para fazer uma outra perícia. Só que isso custa caro.

_ Bem, custa mais que um milhão?

_ Como?

_ Rhian deixou um dinheiro comigo, um milhão e meio, para emergências.

_ Um milhão e meio para emergências?

_ Rhian andava se sentindo ameaçada, achava que alguma coisa poderia acontecer com ela e deixou esse dinheiro na minha conta. Ela paga tudo, não se preocupe, só me diga do que precisamos que eu tenho como cobrir.

_ O quão rica é essa tal de Rhian Keir?

_ Sabe que eu nem sei? Ela me deixou um milhão e meio como quem deixa um dinheiro para merenda, enfim, e querem que eu acredite que ela armou tudo isso por dois milhões de dólares...

E com o débito em dólar de Rhian, Ariana levou Isis para o supermercado. Pararam num mercado de esquina antes de irem para o apartamento, e Isis fez uma compra séria enquanto Ariana fez sua compra de sempre, salgadinhos, pizzas, congelados, um tanto enorme de coisas, que ficou no caixa.

_ Isis!

 _ Se eu vou cozinhar pra você, irá comer o que eu cozinho, não essas porcarias congeladas...

_ Mas...

_ Não reclame. Eu detesto reclamações.

Isis parecia detestar metade das coisas possíveis, mas Ariana não parecia se importar muito. Foram para casa, Isis fez o jantar, frango xadrez delicioso e outra coisa que Ariana logo se daria conta era que Isis sempre estava certa. Quem precisava de congelados quando tinha jantares como aquele disponíveis? Com uma comida ótima, com uma companhia inteligente e interessante. Era muito bom ficar com Isis. E dava um frio na barriga diferente de tudo o que já havia sentido: Isis não era um tipo que se interessaria pelo rosto bonito de Ariana ou por seu cabelo de modelo, menos ainda que se impressionaria por sua reputação ou por seu quase diploma de medicina. Na verdade, Ariana achava que pouca coisa era capaz de impressionar uma mulher como Isis Ferraz, e isto dava mais que um frio na barriga; desencadeava um inverno inteiro.

Não dormiu sem ela naquele outro lado da cama que agora era dela. Depois do jantar, Isis montou-se na mesa da sala, com blocos de anotação, notebook, códigos penais e aquele arquivo enorme cheio de informações. E seus olhos chegavam a brilhar naquela leitura, cada vez que ela anotava, digitava, marcava alguma coisa. Perto das três da manhã, Ariana desistiu de dormir. Então levantou, fez um chá e um sanduiche para Isis e deixou na mesa dela sem dizer nada para não atrapalha-la. E foi para o sofá, navegar um pouco pela internet, onde enfim, acabou pegando no sono.

Poucas coisas no mundo impressionavam Isis, tão poucas que ela sequer lembrava-se da última que isso havia acontecido. Mas havia ficado impressionada quando Ariana levantou da cama de madrugada para fazer um chá e um sanduiche no meio de seu estudo. Isis sempre fazia aquelas vigílias em casos complicados e nenhum de seus namorados se deu o trabalho sequer uma vez. Na verdade, até reclamavam que ela trabalhava demais, que não sabia viver. Espera, por qual raio de motivos estava comparando Ariana aos seus namorados?

Parou o que estava fazendo e empurrou-se na cadeira, respirando fundo. E só então percebeu que Ariana estava dormindo no sofá.

_ Como essa coisa é? Quero dizer, tocar uma mulher. É muito diferente?_ Isis havia perguntado para Diana na segunda vez que ela voltou em Brasília depois de contar sobre Rhian. Diana havia ido por um final de semana, buscar uns documentos que precisava e Isis já estava mais à vontade com aquele assunto.

_ Ah, como eu posso dizer? Se fosse para usar uma palavra só, eu usaria “maciez”. É muito mais macio, delicado, a pele é totalmente diferente, tem uma textura diferente, e tudo ganha outra profundidade, eu não sei explicar_ Ela respondeu sorrindo enquanto procurava os documentos pelas gavetas.

_ Eu sei explicar. Você está muito apaixonada.

E ela riu, concordando. Isis nunca havia sido um tipo curiosa, mas a descoberta repentina de sua irmã a fez pensar sobre o assunto. Mulheres. O que poderia haver de diferente? Sexo para Isis sempre havia sido uma maçã azeda ou sem gosto. Por isso havia parado de fazer já um tempinho também. Já fazia um ano? Já. Talvez até mais. Isis não saía com ninguém, não dormia com ninguém, e nem sentia falta. Era sua melhor amante, esta era outra verdade. Seus melhores orgasmos haviam sido consigo mesma. Isso a fazia meio lésbica, não fazia?

Melhor ir dormir. Eram quase cinco da manhã, Isis já deveria estar divagando. Desligou o computador, fechou suas anotações e foi para o quarto, onde desligou a central de ar e deitou-se sob os lençóis. E ainda parecia frio. Ou no mínimo... Vazio.

_ Ariana, Ariana...?_ E de repente Isis se viu acordando Ariana naquele sofá.

_ Hum, o quê?

_ Vem para a cama, anda...

***

O mundo era um borrão confuso quando Diana enfim abriu os olhos. Tudo estava piscando e indo e voltando, o quarto parecia pulsar junto com os batimentos em sua mente e ela não se lembrava de onde estava. Lembrava do porquê estava ali, mas exatamente onde estava... Se apoiou na cama e foi se sentando devagar, respirando fundo, passando a mão por seus longos cabelos castanhos. Seu corpo inteiro estava dolorido, tinha algumas marcas pelo corpo, alguns roxos pelo braço, outro no pescoço, havia sido intenso, sabia, e aquelas marcas nem eram as mais profundas. Queria chamar por Rhian, mas não tinha coragem. Havia delirado? Lembrava de Rhian lhe perguntando onde estavam, deveria ter delirado, mas pela primeira vez, aquilo não era o que mais a afligia. Diana sentia como se estivesse com uma enorme ressaca de tudo o que havia acontecido no dia anterior, o choro de Rhian ainda estava em seus ouvidos, vê-la sofrendo tanto e por sua causa, sua única causa. Diana havia visto Rhian daquela maneira apenas uma vez, e havia sido na morte de Marina. E agora havia causado aquilo tudo nela outra vez. Diana não conseguia se perdoar. O que podia esperar de Rhian então?

_ Ei, você está acordada_ Disse ela entrando no quarto e Diana teve que firmar bem os olhos para ter certeza de quem era. Rhian havia mudado o cabelo, estava com os fios escuros e com suas ondas naturais lhe emoldurando o rosto, estava linda, mas quando não estava?

_ Acabei de acordar, eu...

_ Está com fome?_ Ela perguntou, sentando a sua frente, pondo a mão no seu rosto para checar a sua temperatura. Diana afirmou, estava com forme. E com vontade do toque dela. Mas isso não podia dizer_ Tudo bem, eu fiz macarrão pra você, me dá só um minuto.

Ela havia feito macarrão para Diana? Diana deu um meio sorriso. Já era alguma coisa. Não levou muito e Rhian retornou, com uma bandeja e um belo prato de seu macarrão preferido, suco de laranja, um pedaço de bolo de cenoura como sobremesa.

_ Vamos, coma, você deve estar fraca. Você jantou ontem à noite?_ Perguntou sentando-se a frente dela.

_ Eu... Eu não me lembro. Quem arrumou o quarto?_ O quarto já estava limpo e arrumado outra vez.

_ Kes me ajudou enquanto você dormia. Eu não gosto de bagunça, você sabe.

_ Sei_ Rhian era um tanto metódica com tudo_ Rhian, eu... Eu delirei?

_ Qual a última coisa que você lembra?

_ De estar dormindo no quarto. Eu delirei na frente da Kes?

_ Não se preocupe com isso.

_ Mas... Ai que vergonha, Rhian... Que tipo de coisas eu fiz?

_ O de sempre. Disse que me ama, me acusou de supostas traições, me perguntou coisas de anos atrás, quis fazer amor, falou com extraterrestres, é sempre divertido_ E ela esboçou um sorriso também, um sorriso que acalentou o coração nervoso de Diana_ Não precisa se preocupar, eu quebrei este quarto inteiro e Kes ainda me adora.

Diana ergueu os olhos para ela, olhando-a com cuidado.

_ Eu sinto muito Rhian. Muito mesmo. Eu tentei contar pra você antes, mas estava tão incomodada com a situação que...

_ Não teve palavras.

_ É_ Diana era ruim em encontrar palavras para dizer coisas difíceis_ Não sabia como dizer, nem como explicar.

Rhian mordeu a boca, baixando os olhos. E então olhou para Diana outra vez.

_ Você ama ela?

Diana negou com a cabeça.

_ Só estava odiando você demais. Eu só não queria ficar para trás enquanto você provavelmente estava seguindo a sua vida sem mim. Por isso bloqueei você nas redes sociais, porque me achava incapaz de ver você seguindo em frente, já estava difícil o suficiente para mim sem saber de nada...

_ Se não tivesse feito isso saberia que estava difícil pra mim também. Eu não saí ficando com todo mundo, Diana. O problema todo foram as direções diferentes em que pensamos: eu achava que nós teríamos volta, que você provavelmente estava sofrendo sozinha e eu quis fazer a mesma coisa, me manter da mesma forma, para estar a sua altura. Mas você pensou que eu havia voltado para a minha vida de antes, que estava saindo, que havia voltado para noite e quis fazer o mesmo, para estar a minha altura. Eu estou certa?

Diana afirmou sem palavras outra vez.

_ Tudo bem. Ela ama você?

_ É provável que sim, depois do que aconteceu eu não sei, mas eu acreditava que ela amava.

_ E o que ela sabe de mim?

_ Tudo. Quando nos conhecemos eu deixei claro que não poderia me envolver a fundo com ninguém, porque ainda estava me separando de alguém que amava muito. Ela sempre soube. Nosso relacionamento começou assim, a gente se encontrava, ela deixava eu falar de você, era bom pra mim, eu me sentia bem, e de alguma forma era bom para ela também.

Rhian  não sabia se aquilo ajudava ou lhe empurrava pra baixo.

_ E como isso acabou em... Casamento?

_ Tem uma teoria do direito que a Isis me explicou uma vez, chama Doutrina dos Frutos da Árvore Envenenada, ela é baseada num preceito bíblico que diz que não há árvore boa que dê mau fruto; nem tampouco árvore má que dê bom fruto, pois cada árvore se conhece pelo seu fruto. Não há quem colha figos de espinheiros, nem abrolhos de vinhedos. Este casamento é uma árvore envenenada. Tudo o que vem dele não há como ser bom. Ela casou comigo para me fazer ficar, eu casei com ela para esquecer de você. Você entende, Rhian?

E foi a vez de Rhian afirmar sem palavras.

_ Mas ainda me machuca_ Ela disse, com aqueles olhos feridos.

_ Eu sei que machuca. Mas você precisa acreditar que não há amor envolvido.

_ Eu acredito. Mas eu sou uma vadia muito orgulhosa. Você mexeu no meu orgulho, no meu ciúme, nesse amor incondicional que eu sinto por você. E eu acho que este era o objetivo, não era?

_ Foi. Até eu me dar conta de que era inútil lutar contra.

_ Mas ainda chegou até mim lutando contra.

_ Contra mim mesma, sim. Mas isso foi só até eu olhar pra você. Foi por isso que eu evitei tanto olhar para trás. Porque sabia que quando olhasse, não havia argumentos.

_ Eu fui tão ruim pra você assim? Por que insistiu tanto em me evitar?

_ Orgulho. Medo. Tantas coisas... Eu achava que não queria mais, foram tantas situações, eu precisava de um tempo, precisava respirar longe de você, não estava madura o suficiente. Eu não sei, Rhian. Tudo foi muito difícil pra mim.

_ Eu fui muito egoísta, eu sei. Deveria ter pensado em você, mas estava tão cega com tudo, tão irritada por ninguém acreditar em mim que eu perdi a mão, perdi o rumo da minha vida, perdi você_ Ela disse, e a voz dela quebrou um pouco_ Mas o que me trouxe até aqui foi justamente eu não acreditar nisso, não aceitar que tinha perdido você. Mas essa coisa do casamento...

_ Não prova o contrário. Prova apenas que você estava certa o tempo todo.

Rhian ficou de cabeça baixa por um instante.

_ Ainda me machuca de qualquer jeito.

Diana baixou os olhos, tentando esconder as duas lágrimas que lhe escaparam.

_ Isso quer dizer que... Nós terminamos aqui?

E Rhian ergueu aqueles olhos bonitos para dentro dos dela.

_ Terminar? Eu odeio esse verbo na sua boca..._ Ela disse, tocando os lábios dela com os seus dedos delicadamente dando esperanças a Diana.

_ Então...?

_ Eu estou machucada, muito machucada. E estou com muito ciúmes, por isso a maior parte da explosão de ontem, eu morro de ciúmes de você, você sabe disso. Já fiz outras coisas estúpidas por ciúmes, você é minha mulher, eu já sofri só com a ideia de você ter dormido com outras...

_ Poucas.

_ Mas dormiu. Você é minha, não deveria estar dormindo com ninguém diferente de mim. Mas eu assumo essa responsabilidade. Pelo nosso rompimento.

_ E eu assumo a responsabilidade pela Andressa, por essa situação toda.

_ Já é uma boa coisa para nós duas. Mas eu não posso só... Cair nos seus braços. Não me sinto confortável para isso, eu sinto uma coisa, uma... Eu não sei explicar, eu não me sinto à vontade, eu odeio essa ideia, odeio que isso tenha acontecido, eu sei que você entende.

_ É claro que entendo. Foi o que eu passei em Bahamas enquanto a gente...

_ Não fez amor_ Ela disse, e então respirou fundo em seguida_ Então, eu preciso de um tempo, um espaço, mas não significa que precisamos pôr uma ilha de espaço entre nós. Eu não posso ficar aqui por mais tempo, Kiria estava lá fora hoje pela manhã, então, já estou planejando tudo para ir embora o mais rápido possível e... Você ainda quer ir comigo? Desta forma que eu estou dizendo?

Diana ergueu seus olhos castanhos para dentro dos dela, e um tanto manhosa, perguntou:

_ Nós não vamos fazer amor?

_ Por enquanto não.

_ Mas você continua me amando?

E Rhian ficou pensativa por um instante. E então levemente abriu um sorriso para responder:

_ Eu fiz macarrão pra você.

Diana sorriu. Aquilo significava muito, sabia. Voltou a comer, com aquele sorriso aliviado no rosto abatido e Rhian olhou para ela um pouco mais.

_ Olha aqui pra mim um pouco_ Rhian pediu, trazendo o rosto dela delicadamente_ Diana, você precisa falar comigo.

_ Mas eu já estou falando...

_ Sobre o que está acontecendo na sua cabeça.

_ Rhian...

_ Não, não_ E segurou a mão dela na sua e os olhos dela dentro dos seus_ Você não tem como me convencer que não tem nada acontecendo, eu sou a primeira da classe, esqueceu? Sou a estrela dos diagnósticos e me sinto completamente inútil porque não consigo fazer minha própria..._ Ia dizer “namorada”, mas não coube na frase_ Não consigo fazer você me dizer o que está acontecendo.

_ Mas eu não sei o que está acontecendo...

_ Se me disser o que sente eu descubro isso pra você.

E Diana largou o garfo, fazendo um carinho na mão de Rhian que segurava a sua. Baixou os olhos, aquela era uma outra conversa que Diana preferia evitar. Tinha medo. Medo de pensar naquele assunto. Medo de falar naquele assunto. Como que se falasse no que estava acontecendo sua possível doença pudesse se materializar num monstro enorme bem a sua frente. Mas agora não tinha muita saída. Continuar negando era infundado e fingir que nada estava acontecendo não evitava nada. Diana estava com mais medo do que antes. Se sentia diferente cada dia que passava e não sabia explicar.

_ Está pensando na mentira que vai contar pra mim?

_ Não, Rhian, é que...

_ Você tem medo, eu sei que tem. Mas eu posso cuidar de você se você me ajudar.

E Diana ergueu seus olhos medrosos para ela.

_ Pode cuidar de um câncer?

E como aquela simples palavra apavorava o coração de Rhian... Mas ela não deixaria transparecer a Diana.

_ Eu vou achar outra doença pra você_ Disse, quebrando os olhos medrosos de Diana em riso.

_ Vai achar outra doença pra mim?

_ Outra, uma que eu possa curar mais rapidamente. Mas você precisa falar comigo. Você sabe quando vai acontecer, Diana, eu vi que você estava lutando ontem, o que você sente antes de uma crise?

_ O que eu sinto?_ Diana respirou fundo para responder_ Eu sinto uma dor de cabeça forte, e sinto muito calor, e então a minha cabeça começa a apertar e apertar, e eu sinto como se..._ Ela parou de dizer.

_ Sente como se...?

_ Houvesse um monstro dentro da minha cabeça. Alguma coisa que se move, que morde, eu..._ E lágrimas invadiram aqueles olhos que Rhian adorava_ Eu não sei como explicar.

_ Um monstro?

_ Eu não sei como dizer, é muito estranho..._ Diana limpou a lágrima que insistiu em cair.

_ Tudo bem, tudo bem. São dores de cabeça, a febre alta, e a sensação... De que tem alguma coisa na sua cabeça. Quando isso tudo começou?

_ Acho que... Há três meses.

_ Diana..._ Rhian não podia acreditar_ E você não buscou ajuda?

_ Era só dor de cabeça.

_ Só dor de cabeça_ E Rhian baixou a cabeça, pensando por um instante. Não acreditava que ela não havia ido num médico, não acreditava que ela possivelmente havia perdido aquele tempo tão precioso e Diana se preocupou.

_ Rhian, é... É tão ruim assim?

_ Você precisa de exames específicos, mas sinceramente, não acredito que exista alguma coisa na sua cabeça. Somente a sensação. Se você tivesse um tumor em crescimento no cérebro, alguma área do seu corpo deveria estar sendo afetada, sua visão, seus movimentos, sua destreza, ou alguma área sensorial, sua memória está ótima, a dicção perfeita, seus sentidos não estão afetados, você só perde a noção em delírio. Tem qualquer outra coisa que você tem sentido de esquisito?

Diana negou, não lembrava de nada significativo. E Rhian respirou fundo, mexendo em seu cabelo.

_ Diana, eu sinceramente não sei o que devo fazer. Como sua namorada. Ou qualquer coisa que a gente seja agora. Se você ficasse aqui com a Kes ela poderia ajudar, poderia levar você para fazer os exames que precisa e descobrir...

_ Olha pra mim_ E foi a vez de Diana trazer os olhos dela para os seus_ Você sabe que eu não vou sequer pensar nesse assunto.

E aquilo secretamente, fez Rhian sorrir por dentro. A verdade é que por mais perigoso e não indicado pudesse ser e apesar de toda a situação, não tinha certeza se conseguia ficar longe de Diana agora. Principalmente depois da história com Andressa. Rhian estava machucada, extremamente machucada, mas não sabia exatamente em que ficar longe de Diana podia ajudar.

_ Tudo bem, olha, é melhor a gente conversar mais amanhã. Você pode ficar com esse quarto, é mais confortável que o outro, eu vou ficar no quarto ao lado e acho melhor trancar todas as portas e retirar as chaves, só por segurança_ Para que Diana não saísse da casa outra vez caso delirasse_ Pode me chamar se precisar, eu vou estar por perto.

Diana olhou para ela. Sabia que não havia nada que pudesse fazer, além de olhar para a sua linda caribenha um pouco mais.

_ Eu adoro o seu cabelo assim_ Disse, derretendo Rhian num sorriso que ela tentou evitar, mas não conseguiu. Sabia bem que Diana gostava de seu cabelo assim.

_ Eu vou para o outro quarto, o dia foi longo, precisamos ir embora amanhã de noite, ainda há algumas coisas que eu preciso resolver. E você descansa, precisa dormir bem, boa noite_ E Rhian se moveu na iminência de sair da cama quando teve seu punho pegado. Diana segurou o punho dela, delicadamente. E então, tão delicada quanto, a soltou, sabendo que precisava deixar Rhian ir, apesar de seu instinto pensar outra coisa.

_ Boa noite_ Se reduziu a dizer. E sair daquele quarto era tão difícil para Rhian quanto para Diana deixa-la partir.

Mas Diana deixou. E Rhian pegou o que precisava das mochilas já parcialmente recém-arrumadas e perguntou se Diana precisava de alguma ajuda para o banho. Não, ela podia fazer aquilo sozinha, Rhian havia pedido um tempo e Diana respeitaria aquilo, da mesma forma que Rhian havia a respeitado antes. Então, quando Rhian saiu do quarto, Diana terminou de comer e entrou no banho sozinha. Sua coxa latejava suavemente, seu corpo latejava da mesma forma, e nem falaria de sua mente. Era como se estivesse ali, mas ao mesmo tempo não estivesse, era como se tivesse controle e então subitamente, tudo desaparecesse. E não era assim que andava vivendo? Seus delírios. Para onde a levariam?

Houve um tempo que seu único delírio atendia por Rhian Keir. E quando pensava nisso Diana sentia vontade de voltar e congelar o tempo em seu namoro com Rhian. Delirava por ela, e seus grandes problemas eram seus próprios ciúmes e cuidar do jantar de sua namorada, que chegaria cansada, com fome e cheia de vontade. Agora precisava se preocupar com tanta coisa... E ainda havia magoado Rhian por causa de Andressa. Se Rhian pudesse ver, se pudesse ter noção de seus sentimentos, do quanto a amava... Andressa significava uma amiga, uma boa amiga com a qual Diana havia cometido um erro enorme. Agora que havia posto tudo para fora, chegava a sentir culpa por Andressa. Ainda não havia parado para pensar nela, no quanto ela deveria estar preocupada e também se sentindo culpada. Ela saberia? Teria certeza que Diana estava com Rhian por vontade própria? Achava que ela acreditaria na versão do sequestro. Há uma tendência humana a acreditar naquilo que nos dói menos. Por isso Diana preferia acreditar que estava ficando louca a ter que encarar que podia estar com a mesma doença de seu pai. Quis chorar outra vez, mas se controlou. Não choraria mais. Seguiria firme, se manteria de pé. Era capaz daquilo. Por Rhian, precisava. Se ela começasse a crer que o que Diana tinha era grave demais, não permitiria que Diana seguisse do seu lado, sabia.

E ficar sem Rhian, naquele momento em que tinha tanto medo era o pior que podia se passar com Diana Ferraz.

E com Rhian também.

Rhian foi para o quarto ao lado carregando suas coisas e quando fechou à porta atrás de si, tudo pareceu tão... Vazio. Na verdade, sabia que não estava vazio, estava somente sem Diana. E outra verdade e que com esposa, sem esposa, Diana lhe causava um vazio e tanto... Rhian encostou-se na parede pensando sobre tudo aquilo mais uma vez. Parecia tão irreal que Rhian sequer tinha uma reação para aquilo. Talvez por isso tivesse reagido tão explosiva. Quando acordou de seu coma destrutivo alguns meses depois Rhian tinha o mesmo gosto na boca. Gosto de nada, de vazio, de cinzas de uma história queimada. E o pior foi se dar conta de que havia perdido a sua namorada. Foi o pior de tudo. Porque suas amigas, as verdadeiras, sabia que teria de volta, mas Diana parecia tão fora de alcance... Até que ela voltou. Para o seu alcance, para os seus braços e Rhian havia feito aquela promessa a si mesma de nunca mais deixa-la ir embora.

Mas até então não havia esposa nenhuma.

Rhian parou de pensar e foi se ocupar. Arrumou a cama de um modo que gostava e foi para o banho e deve ter sido seu banho mais demorado desde o sequestro. Ficou na banheira, sentindo a água quente, esticando seus músculos ao máximo, pois havia dormido mal, muito mal. Seu corpo havia sentido. Sua mente havia sentido. Ainda tinha os machucados do cativeiro curando em sua pele. E outros que sequer havia imaginado que teria. E se Rhian pudesse pedir qualquer coisa naquele momento, pediria para conseguir parar de pensar.

Terminou seu banho e foi para o quarto. Se vestiu, deu uma olhada pela janela, verificou o relógio. Ainda não era nem dez da noite, obviamente não conseguiria dormir tão cedo. Então saiu do quarto e pode ouvir o chuveiro ligado no quarto ao lado, Diana deveria estar no banho, ela estaria bem para fazer isso sozinha? Tudo bem, já estava se sabotando naquela coisa de parar de pensar. Saiu daquela porta e foi verificar os acessos da casa, trancou todas as portas, recolheu as chaves, averiguou as janelas, tudo parecia em ordem. Ouviu risos no quarto de Kes, a tal namorada havia chegado, Rhian pouco havia estado com ela, achava que ela se chamava Ireland ou Kaylowa. Ou qualquer outra ilha, não importava, ela fazia Amelie rir, mas estava claro que não a fazia feliz. E dessa situação Rhian entendia bem.

Foi para a cozinha, olhou na geladeira e decidiu se fazer uma limonada. Colocou esforço e capricho e a limonada até que ficou boa. Mas antes do final, já havia perdido o gosto. Rhian deixou o copo de lado. Era assim que havia passado os dois últimos anos de sua vida, quase nada tinha gosto e quando tinha, durava pouco. Tudo era assim, sem Diana por perto. Ela havia ido embora e levado todas as coisas que Rhian adorava, levado o gosto do mundo, o sentindo das coisas. Quando ficou sozinha, Rhian tinha um sentido na vida: recuperar sua namorada. E agora que havia recuperado, ali estava perto dela novamente, mas com uma mágoa enorme a tirando de seus braços.

Rhian sequer conseguia pensar naquilo. Em Diana casada. E era paradoxal o fato de sequer conseguir pensar sobre, mas seguir pensando sem conseguir parar. Rhian verificou as entradas da casa e então trancou todas as portas, recolhendo as chaves em seguida, checou as janelas, trancou também, todas as cortinas continuavam fechadas, mas checou mesmo assim. E só então desligou as luzes da casa e foi para seu quarto, escovou os dentes e voltou para a sua agenda, estava desenhando a rota, analisando alguns mapas. Seguiria de iate, era menos arriscado que seguir de avião, checou os documentos que Amelie havia conseguido, vistos de entrada, serviriam. Serviriam. Rhian parou. Porque não estava indo a lugar nenhum. Não conseguia se concentrar no que precisava fazer, começava a ler e então na linha seguinte já não lembrava do que estava lendo, não estava conseguindo calcular, era infundado, melhor tentar dormir. Era o que precisava. Fechou a agenda, desligou o abajur, puxou a coberta, virou de lado.

E só precisava parar de pensar e dormir, só precisava limpar a sua mente, se desligar de tudo e o sono viria. Mas aquela era a primeira noite sozinha depois do cativeiro, a noite anterior não chegava a contar, afinal havia dormido de pancada, e deveria ser isso, é claro que deveria ser, por isso estava tão difícil dormir, não tinha a ver com aquela dor em seu peito e nem com aquela falta absurda que já estava sentindo para aquelas duas horas de tempo que estava longe dela... Por que Diana havia feito aquilo, por quê? Rhian não conseguia parar de se perguntar. Virou de um lado a outro na cama, pensando nas fotos que havia visto e tentando apaga-las de sua mente e foi quando subitamente, como que em seu socorro, sua mãe surgiu para lhe tomar os pensamentos.

“Há coisas que você só vai conseguir com outras pessoas, filha, e há coisas que você só vai conseguir com Diana”, ela havia lhe dito uma vez enquanto elas conversavam. Diana havia sido uma mudança e tanto na sua vida, ocupava um espaço enorme, e ainda assim, Rhian nunca havia feito tantas coisas e nem com tanta perfeição. E sua mãe lhe dissera isso, que haviam coisas que Rhian nunca conseguiria fazer sozinha, e haviam coisas que ela só conseguiria fazer com Diana.

Tipo dormir aquela noite. Deveria ser uma dessas coisas.

Rhian checou o relógio, 00h34. Virou na cama outra vez, pensou um pouco mais. E chegava de pensar. Sua mãe sempre tinha razão no final das contas.

Rhian levantou, vestiu um agasalho, pois já esfriava e saiu do quarto onde estava. Sua mão buscou a maçaneta do quarto ao lado, mas quando abriu a porta, um outro tipo de frio lhe tomou a espinha.

A cama estava remexida, mas vazia.

Mas só durou um segundo.

_ Eu não consigo dormir_ Ouviu a voz dela falando perto, desfazendo todo o frio que havia sentido em alívio. Rhian se virou em direção a voz e, Diana estava sentada no chão, do lado da porta. E não, ela não estava delirando. Só estava... Sozinha. Muito sozinha.

_ Não deve ficar nesse chão gelado, menos ainda descalça.

_ Está mais gelado na cama.

O vazio. O vazio era gelado, Rhian sabia bem. Então respirou fundo e:

_ Vem pra cama, vem, você pode deitar perto de mim_ Disse Rhian, já passando para a cama. E Diana abriu um sorriso ao ver aquela cena.

_ Deitar perto de você?

_ Sem me tocar, mas você pode.

E Diana sorriu mais, lembrando daquela primeira noite nas Bahamas. Levantou do canto frio e foi para a cama, deitar pertinho de Rhian, apesar de não saber bem o quanto podia se aproximar. E talvez por isso, Rhian tenha se aproximado por ela. Virou-se de frente, e ambas ficaram de lado e bem junto uma da outra. Tanto que Rhian podia se ver naqueles olhos castanhos. Aquele era o seu espelho natural, nunca deveria ter deixado de ser. Os olhos de Diana, da mulher que tanto, tanto amava...

_ Está bem assim?

E Rhian afirmou, sem palavras. E então subitamente, Rhian deitou a cabeça no peito dela, sentindo imediatamente a mão de Diana vir para os seus cabelos e a boca dela lhe tocar a testa, num beijo que de tão aliviado, escapou com um suspiro.

_ Rhian...

_ Shsssss, lembra de quando você me ama calada?

Diana lembrava. E como lembrou, cantarolou para ela bem baixinho, quase em segredo como costumava fazer.

_ Eu te amo calada... Como quem ouve uma sinfonia... De silêncios e de luz... Nós somos medo e desejo, somos feitos de silêncio e som..._ E Diana parou, sentindo aquela coisa enorme que pulsava em seu peito transbordando em amor e arrependimento. Deixou uma lágrima cair, e deixou o verso final escapar de qualquer forma, porque era onde tudo se resumia_ Tem certas coisas que eu não sei dizer...

 

Rhian sabia que haviam. Mas fechou os olhos, e sentindo a mão de Diana agarrando em sua camiseta, sentindo o cheiro dela tão perto, e as confissões que ela lhe fazia sem coragem, tudo parecia mais ou menos conhecido. E assim, as duas, enfim, puderam dormir.

Notas finais:

Meninas, falei pra vcs no capítulo anterior que as postagens seriam feitas de terça e sexta, porém aconteceram algumas mudanças e agora postarei todas as segundas e quintas. Por isso o capítulo de hoje está fresquinho, com muito amor e carinho pra vcs. 

Bjos ♥♥♥



Comentários


Nome: Lerika (Assinado) · Data: 08/06/2017 06:08 · Para: Teoria dos frutos da árvore envenenada

Por Xena, quantos casais maravilhosos, autora

S2 S2 S2

Apaixonada por essa história



Resposta do autor:

Hahahaha

 

Os casais sairam de controle em Delirium! Eram para ser 2 e desconfio que terminei com 4 se não me engano

 

Obrigada pela sua leitura!



Nome: rhina (Assinado) · Data: 03/11/2016 15:39 · Para: Teoria dos frutos da árvore envenenada

 

Olá. 

Bom dia.

Desde o princípio. ....É ainda me questionou......

Porque demoro tanto....resisto em ler um novo capítulo? 

Não tenho resposta....

Autora já me disse que não se desloca da terra....que não perde a parte física. ....mas como então consegue colocar os mais belos e intensos fluídos de pura magia real e apaixonante em cada palavra que se une forma oração e uma frase. ...É o parágrafo inteiro é vida....amor....dor.....desespero. ...encontros. ...perdas....ganhos....medos.....insegurança. ...alegria. ....loucura sem medida de um amor incondicional. 

Autora.....suas palavras sangram. ....suas palavras amam....suas palavras divertem. .....suas palavras ensinam....suas palavras. ...

Melhor parar pois mais que eu tente não consigo a palavra exata para .....

Maravilhoso. 

Até. 

Rhina



Resposta do autor:

Oieeee moça, bom dia!

 

Não importa que demora, só importava que vc sempre volta *.*

 

Obrigada pelas lindas palavras, viu? Me toca que a leitura consiga causar tantas sensações distintas e tão profundas. Obrigada pela sua leitura, siga, não me abandone :)

 

Beijos, até a próxima!



Nome: Lai (Assinado) · Data: 17/09/2016 09:13 · Para: Teoria dos frutos da árvore envenenada

Vixiii,que isso que Di tem?Sensação .----> mental.Tô queimando meus neurônios... e são as únicas células que não se regeneram...quero ver qndo terminar a história.... rs.

Bjoo



Resposta do autor:

Seguimos na nossa investigação haha

Posso adiantar que sim, tbem é mental a situação ;)

Guarde uma reserva ai de neurônios que ainda temos horrores pra queimar viu hahaha

 

Beijos!



Nome: Maria Flor (Assinado) · Data: 06/07/2016 13:02 · Para: Teoria dos frutos da árvore envenenada

Oi, Tess!

Antes de qualquer coisa, pra uma advogada, não tem como não rir do comentário da Ariana sobre a Teoria dos Frutos da Árvore Envenenada antes da explicação da Isis. Música do Gil foi demais, hahaha.

Em segundo lugar, amei a parte da Ariana com as crianças. Eu e a Isis, hahaha. Aliás, essa breve convivência delas já deu "bum". Não tem jeito. Essas duas terão algo. Tenho CERTEZA!!!!

Bem, tentativa de assassinato vai pra Polícia Civil. A questão do sequestro tá na Polícia Federal. Na vida real, as duas não se bicam muito, hehe, pelo menos é o que alguns me disseram. Uma só pessoa não conseguiria camuflar tudo que o Romeo fez. Não me recordo quem atirou na Diana, mas ele deve ser do grupo do Romeo. Duvido que um federal honesto atiraria numa colega de farda. Mas e na PC? Aliás, o que tem por trás do Romeo? 

E como assim Diana voltou a ter equimoses? Hahaha. Tess, você me deixa loucaaaaaa!

Macarrão a carbonara, suco de laranja, bolo de cenoura... Amooo. Deu fome :(

"Eu sou uma vadia muito orgulhosa" hahahahahahahahahahaha. Amei!

E o final do capítulo revela muito sobre esse sentimento que une as duas. O vazio que fica insuportável se estão tão perto e tão longe ao mesmo tempo... A sensação de só estar em paz quando se está em "casa"... Essas duas ainda me matam com essas variações. Mas são tão lindas juntas. Como disse no outro comentário, nesse final de capítulo, só sei sentir "elas".

Beijo grande

 

Ps.: Eu apontei o que você esperava que eu apontasse ou passei batido?? 



Resposta do autor:

Maria Flor *.*

 

Miga, esta foi uma reação real de uma amiga minha na aula de direito rsrsrs Ela olhou para mim e "Deve ser música de Gil e Caetano, migs" hahahaha

 

Agora vc viu a Ari conseguindo mexer com a Isis, né, a Ari é uma moça linda e boa, e esta é uma combinação extremamente dificil de se encontrar, Isis está se dando conta :)

E agora vem meu momento estudante, acabei de tomar nota de sua observação, já te enchi de questionamentos via wpp, e vamos inclementar a situação inteira por trás do Romeo ;)

E então Rhian sendo Rhian, com este único prato que ela sabe preparar e ela se admitindo vadia orgulhosa hahaha

Então, o sentimento entre elas. Elas só estão em casa quando estão juntas e apesar de todos os pesares, sequer pensam em se separarem, querem ficar juntas até que tudo se resolva, ou se dissolva, só não dá para se perderem outra vez :/

 

Beijinhos!!

Ps.: É claro que vc apontou tudo o que eu esperava *.*



Nome: albuquerqueselena (Assinado) · Data: 10/06/2016 22:41 · Para: Teoria dos frutos da árvore envenenada

Ai minha diva na capa nova *.*

Morri com a Rhian querendo uma doença mais fácil para a Diana rsrs

Gente, a Isis é incrível, eu adoro elas juntas.

PF podrinha, heim?

Ansiosa para a volta delas ao Brasil.

Gostei da conversa delas.

Ai Di, divorcia logo que o sobrenome da Rhian é mais bonito u.u

Tess, desculpa o atraso pra ler... Mas eu adoro essa historia.

PS: parabéns pelas pesquisas jurídicas, se encaixaram muito bem nos diálogos.

Bjo amiga linda =*



Resposta do autor:

AMIGA EU VOLTEI PARA RELER OS COMENTÁRIOS E ACHEI ESTE SEU COMENT LINDO SEM RESPOSTA E EU NÃO SEI COMO EU FUI CAPAZ

Rhian querendo uma outra doença para a Diana é o ápice daquela personalidade hahaha

E super concordo, tá mais do que na hora da Diana divorciar e herdar outro sobrenome *unhas pintando* para não perder o costume rsrs

 

Beijos amiga linda, adoro vc *.*



Nome: mtereza (Assinado) · Data: 09/06/2016 23:36 · Para: Teoria dos frutos da árvore envenenada

Finalmente a Diana foi sincera sobre a sua doença amei a fato da Rhian apesar de magoada  ter voltado para dormir com a Diana elas passaram tempo demais separadas. Encantada com a Ariana ela é um barato e a Isis parece também esta sendo conquistado pela loira se esse romance for para frente como será a reação da Kess curiosa xau feliz dia das namoradas antecipado bjs Tessa

 

PS: Agradeça sua namorada por ter lhe convencido a alongar a historia ela merece um bj com todo respeito lógico rsrsrsr



Resposta do autor:

Oieee Tereza!!

 

Vc viu que a Diana foi sincera e muito limpa com a Rhian, e a Rhian tbem foi, primeiro passo dado para fora desse caos em que as duas se meteram :) E a Rhian é louca por ela, realmente não consegue ficar longe daquela mulher que ela ama tanto ^^

E Ariana e Isis estão indo, né. Ariana com a sua coragem indomável e as suas coisas inesperadas está mexendo com a cabeça da Isis, vamos ver até onde essa história vai dá :) E ainda temos a moça Kes e todos os sentimentos que ela ainda sente pela Ariana, vamos ver se o destino dessas três irá se cruzar ^^

 

Feliz dia dos namorados para você tbem o/

E pode deixar que eu transmito o seu beijo para a Ana haha Eu tinha planejado uma história mais curta, mas enfim, as coisas vão acontecendo e os capítulos foram crescendo haha

Bjs!



Resposta do autor:

Oi Tereza! Pode deixar, vou dar um abraço bem apertado na Ana, pq se não fosse por ela não teria conhecido vcs e olha, tem sido uma experiência fantástica poder dialogar com vcs, sempre. Sim, a Di está com um medo horrendo, mas ela precisava compartilhar com a Rhian essa angústia, mas como a nossa caribenha é uma linda, ela apenas confortou a amada e tbém nos confortou, né, afinal confiamos na Rhian e sabemos que ela não vai deixar nada de ruim acontecer com a Diana. E o que dizer da Ari? Essa loira realmente está mexendo com nossa imaginação. hahaha E confesso que tbém estou curiosíssima com a reação da Kess... mas quem mandou a poderosa falhar com a nossa médica loira!!! kkkkk

E olha, não aceito feliz dia das namoradas agora não, afinal, daqui a pouco tem novo capítulo e aí sim vc vai poder me desejar felicidades nessa data tão linda. hahaha 

Bjos *_*



Nome: annagh (Assinado) · Data: 09/06/2016 20:35 · Para: Teoria dos frutos da árvore envenenada

Oi
Tess...como você está???



Então
minha Autora Linda, esse capítulo foi mais light né...senti nesse capítulo que
tem algo de errado com essa Polícia. Mas confio na Isis. Não tenho dúvidas de
que ela é muito BOA...kkkkk,,,não só profissionalmente mas naquele outro
sentido também...kkkkkk...talvez o irmão de Rhian tenha planejado tudo
juntamente com a Policia...não duvido nada.



Ri
demais da Ariana, cada dia fico mais fã dela:



“E
aquilo tudo na boca dela havia sido tão sexy que Ariana havia ficado excitada
ou zonza, ou talvez os dois.



_
Ariana, você entendeu?



_
Não_ E riu_ Dá pra usar ou não?”



Kkkkkkkk...muito bom cara....e ela me encantou ainda mais
na cena com as crianças...que sensação mais deliciosa ser abraçada por um monte
de anjinhos!!! Lindo!!! Ariana é sensivel, ponto a mais pra ela. Isis logo logo
ficará de coração derretido por essa loira apaixonate (alias, ela já ta
começando a se derreter ne).



Maravilhosa a preocupação de ambas uma com a outra.
Amei!!!



Muito boa a conversa de Diana com Rhian...ela precisa se
abrir mais para sua amada. Diana guarda algo dentro dela que ainda não consegui
definir o que é. Medo eu sei que ela tem muito (nem sei como que ela entrou pra
policia viu...kkkkkkkkkkk), talvez o os “medos”dela estejam mais relacionados à
Rhian...isso talvez somado à doença e morte do Pai fez com que surgissem esses
delírios...sei lá...rsrsrsrsrsr...aos poucos vamos desvendando todos os
mistérios que envolve a história dessas duas.



O mais lindo disso tudo, é que mesmo com tantos problemas
– incertezas, discussões, medo, ciúme -  no fim de tudo elas acabam se entendendo.



Bom, vou me despedindo ansiosa pelo próximo capitulo
daqui a pouco. Cheiro....



Resposta do autor:

Oieeee Anna, como vc tá? ^^

Eu estou quebrada depois de 9 horas de viagem de carro com duas loucas que não me deixavam parar de rir, nem sei se estou dolorida do carro ou das risadas, enfim haha Trabalhei muito mas em boa companhia, é tudo o que vale :)

Você está certíssima, há algo de errado com esta polícia, mas nós temos a doutora Isis Ferraz do nosso lado, o que pode sair ruim, né haha Uma mulher poderosa de salto alto e saia-lápis contra uma policia suspeita, veremos haha

E a Ariana é uma figura, né, ela fica zonza e excitada ao mesmo tempo ao ouvir nossa amada advogada falar, mas quem não ficaria né rsrs Ela tem esse lado divertido e tbem tem o seu lado doce, que eu considero muito importante nesta personagem. Ela é uma pessoa muito linda, por fora e por dentro, gosta de cuidar das crianças, é honesta e gentil, quero só ver quanto tempo mais até o coração da Doutora Isis derreter ^^

E então, a conversa de Diana e Rhian. Elas precisam de um momento assim, em que fossem muito sinceras e justas uma com a outra, todas as duas erraram, e o relacionamento se perdeu por causa de ambas, e o primeiro passo para reconstruir qualquer coisa é descobrir porque essa coisa se destruiu. Acho que elas deram esse primeiro passo :)

 

Próximo caps daqui há pouco, te encontro aqui heim?

Bjs!



Nome: line7 (Assinado) · Data: 07/06/2016 17:37 · Para: Teoria dos frutos da árvore envenenada

Oi! Hj que tiver aquele tempinho pra dar uma espiada na história😎 graças, até  porq já  sou viciada nessa história. O capítulo foi algo ""inefável " (exagerada! Exageradar jogada aos seus pés eu sou mesma exagerada..kk. a louca até  parecer que é  tão  extrovertida..mentiraa..kkk..) em fim o Cap foi lindo tensão total,é  bem a descrição do  traller.... e sim pode ser essa gata de bailarina😍, super aceito...rsss.até  linda😎



Resposta do autor:

hahaha Gostou Line?! Ah, vc não é nada bobinha, né!!! kkkk A Natalie é linda e com certeza vc faria bem proveito dessa bailarina super sexy. hahaha E olha, obrigada por estar sempre aqui, com seus comentários ótimos e sempre tão lindos. rsrs E só uma opinião, tbém tenho a impressão que o capítulo 17 será pura tensão, só acho!!!



Nome: Isabel (Assinado) · Data: 07/06/2016 03:53 · Para: Teoria dos frutos da árvore envenenada

Nesta história parece que as mulheres são perfeitas assim cada uma à sua maneira, faz a gente amar estas personagens. Eu me sinto na história, é uma coisa fantástica.



Resposta do autor:

Bel, obrigada! Será bem legal quando todas estarão juntas novamente. Fico com a impressão que será realmente uma verdadeira bagunça. rsrsrs



Nome: Raquel (Assinado) · Data: 07/06/2016 03:48 · Para: Teoria dos frutos da árvore envenenada

A Ariana com as crianças foi uma fofa, fiquei emocionada.



Resposta do autor:

Essa cena tbém mexeu muito comigo, foi realmente uma um momento singelo e intenso. E convenhamos, essa Ariana consegue ser fofa e linda ao mesmo tempo. Acho que a Isis está em maus lençóis. rsrsrs



Nome: Catarina (Assinado) · Data: 07/06/2016 03:40 · Para: Teoria dos frutos da árvore envenenada

Oiee

Amei ver a Diana na capa :) amei o capítulo, é cada um mais perfeito que o outro. Espero que a Isis e a Ari arranjem mais provas e estou muito feliz que a Isis não é toda hetero assim a Ari tem chance. Sorrio muito com essas duas, acho que formam um casal lindo. Ahh a Rhian, a maravilhosa Rhian, eu suspiro aqui com o amor e o carinho dela. Gosto de a ver junto com a Diana, sinto uma sensação muito boa :) Adoro ambas :)



Resposta do autor:

Obrigada Cat, a capa está a cara da Di, toda única e poderosa. rsrsrs E olha, eu acredito muito que a Ari vai pegar a Isis logo, logo, afinal quem resiste a uma patinadora loira e médica ainda por cima?! hahaha E olha, tenho a impressão que vc vai se apaixonar mais pela Rhian no capítulo 17, eu acho. rsrsrs



Nome: Brenda (Assinado) · Data: 07/06/2016 03:05 · Para: Teoria dos frutos da árvore envenenada

Fico sempre preocupads com a Diana, mas eu confio em si autora, sei que tudo correrá bem.



Resposta do autor:

Hei Brenda, fiquei com o coração não mão quando escrevi a Diana dizendo que tem câncer, mas olha, a Rhian tem toda razão, ela vai encontrar um outro tipo de probleminha pra Di, pode confiar nesta caribenha. rsrsrs



Nome: Joana (Assinado) · Data: 07/06/2016 03:02 · Para: Teoria dos frutos da árvore envenenada

Eu até sonhei com a Isis noutro dia, esta história já está mexendo comigo rsrs



Resposta do autor:

Ahhhhh, compartilha com a gente esse sonho Jô. rsrsrs Agora eu fiquei com uma certa inveja branca de vc. hahahaha E olha, tbém acho que a Isis é a cereja do bolo, única!!!



Nome: Fernanda B (Assinado) · Data: 07/06/2016 02:58 · Para: Teoria dos frutos da árvore envenenada

Amo a Rhian que ser perfeito, é tanto carinho que ela transmite =)



Resposta do autor:

Fê, tenho a impressão que vc ficará ainda mais apaixonada pela Rhian no próximo capítulo, eu realmente tenho essa impressão. rsrsrs



Nome: Ariana (Assinado) · Data: 07/06/2016 02:54 · Para: Teoria dos frutos da árvore envenenada

Eu adoro a Ariana ó mulher fantástica. Espero que ela pegue a Isis de jeito. Ah essa capa está linda *-* a Diana é muito especial mesmo, a Rhian é perfeita pra ela. Eu amo muito essas duas.



Resposta do autor:

Ari, tu sabe que eu também espero que ela seja inteligente o suficiente e agarre a Isis com tudo. hahahaha E obrigada, a capa ficou bem estilo Diana Ferraz, poderosa!! rsrsrs Como já disse antes, Rhian e Diana, elas se completam!



Nome: Rita (Assinado) · Data: 07/06/2016 02:47 · Para: Teoria dos frutos da árvore envenenada

Lindo lindo eu estou chorando elas são tão lindas



Resposta do autor:

Ohhh Rita, vc não sabe como fico feliz que elas consigam causar este tipo de sentimentos em vc. E olha, quando escrevo sobre o sentimento delas duas sempre me emociono. Elas se completam, uma a essência da outra.

Bjos



Nome: Rafaela C (Assinado) · Data: 07/06/2016 02:28 · Para: Teoria dos frutos da árvore envenenada

Um ano sem sexo? O.o E...eu estou em choque. Ela precisa de alguém bom, que a ame e respeite. Uma mulher como ela não ser assim ativa eu estou em choque. Eu estou mesmo chocada. Ela merece o melhor sexo do mundo. Força aí eu estou com a Ariana, conquista essa mulher.



Resposta do autor:

Oieeee Rafa!

Isis foi inesperada, e com certeza não é a unica coisa inesperada que veremos dela. Isis merece uma boa companhia, não é? Pode deixar que Ariana esta louca para cuidar dela direitinho ^^

Mais uma Aris shipper!!! Haha

Bjs!



Nome: Leonor (Assinado) · Data: 07/06/2016 02:13 · Para: Teoria dos frutos da árvore envenenada

Arrasaaaaaaaaa Ariana dá uns beijo nessa gostosa! Eu apoio milhões eu apoio. A Isis é tudo de bom <3333



Resposta do autor:

Mais uma para a torcida de Isis e Ariana haha gosto assim!

 

Isis td de bom, gente, mais uma das minhas fantasias personificadas haha



Nome: Manuela (Assinado) · Data: 07/06/2016 02:09 · Para: Teoria dos frutos da árvore envenenada

Amei a capa e amo a Ari e a Isis :*



Resposta do autor:

Oieeeee Manu!

 Que bom que vc esta curtindo, capa ficou fofa, ne :)

Beijinhos!



Nome: Amandha12 (Assinado) · Data: 07/06/2016 02:09 · Para: Teoria dos frutos da árvore envenenada

Parabéns, mais um capítulo incrível!!

Esse quarteto é um máximo!! Torcendo muito pela Rhian e a Diana, e que a Isis e a Ariana encontre mais provas. 

Beijão



Resposta do autor:

Amandha chegou e ficou na historia comigo, muito feliz que vc continue aqui curtindo e comentando!

Temos um quartento fantástico com essas 4, heim, prometo que ainda temos muita história pela frente :)

Beijos!



Nome: foxxy96 (Assinado) · Data: 07/06/2016 02:01 · Para: Teoria dos frutos da árvore envenenada

Eu já devia tá dormindo... Mas quem resiste a um capítulo novinho e maravilhoso desses ?? *-* culpa sua se eu dormir amanhã na aula, ok u.u kkkkkk brinks.

E o que falar sobre essa capa nova??? Dianaaaaa, que tudo  *-* 

Awn essas duas acabam comigo, duas princesas, não canso de falar isso kkkk que lindas *-* Rhian não resistiu. Sabia que ela não ia aguentar ficar longe da Di. Muito lindo o amor delas. <3

Ariana é uma graça mesmo kkkk Já ta balançando as estruturas da Isis kkkk só quero ver o que rolar entre essas duas. 

Esperando o próximo, bjs. :) 



Resposta do autor:

Como assim, dormindo, amiga? Vc tem que estar aqui, acordada comigo oras rsrs

A capa ficou legal, né pena que a resolução do site desconfigura um pouco, mas no celular ficou bem legal ^^ 

Rhian nunca resiste, ela ama demais, essas irmãs Ferraz que são boas de resistência haha vamos ver até onde Isis resiste :)

Próximo caps na quinta, chama "Conceito de Fuga", acho que vcs vão curtir

Bjs!



Nome: Susana (Assinado) · Data: 07/06/2016 02:01 · Para: Teoria dos frutos da árvore envenenada

A Ari é mó engraçada "A blindagem do carro. Um posicionamento de sorte. Graças a Deus Pai todo Poderoso, a um Carma positivo, as forças da natureza,Krishna, Buda, foi tudo isso junto, ela sequer se feriu." eu morro com essa moça #perfeita



Resposta do autor:

Olá Susana ;)

 

Confesso que Ariana é o meu escape de bom humor, geralmente eu sou mais como a Isis mal humorada, mas a Ari tem isso para balancear nós duas rsrs Feliz que vc esteja curtindo!



Nome: Eduarda A (Assinado) · Data: 07/06/2016 01:52 · Para: Teoria dos frutos da árvore envenenada

"Eram crianças, isto" kkkkkk eu adoro essas duas kkkkkkkkkk rio muito com elas kkkkk



Resposta do autor:

Oieeee Eduarda!

 

Isis é demais, ''eram crianças, não humanos pequenos'' rsrs é o tipo de coisa que ela diz, ainda vamos dar bastante risada com essas duas sujeitas, prometo haha



Nome: Teresa (Assinado) · Data: 07/06/2016 01:44 · Para: Teoria dos frutos da árvore envenenada

Amo a maneira inteligente como você escreve =)



Resposta do autor:

Olá Teresa!!!

 

Obrigada pelo elogio!



Nome: Ana_Clara (Assinado) · Data: 07/06/2016 00:34 · Para: Teoria dos frutos da árvore envenenada

Eu amo esse amor delas, amo essa cumplicidade, amo simplesmente amar essas duas.  Sério Tess,  vc merece um prêmio por ter criado duas personagens tão únicas, tão intensas, tão amorosas.  Eu amo amá-las! E olha, foi assustador quando a Di disse que tinha câncer.  Sério, ainda bem que a Rhian é pés no chão e nesses momentos ela consegue ser ainda mais linda e contornar essa situação melancólica. O capítulo começou engraçado com a Isis e a Ari. Meu, essa irmã Ferraz é um tesão de mulher. Gsuiz!!!  Kkkkk  E a cena do mercado?! Mandona, autoritária ao máximo. Essa mulher na cama deve ser um furacão total. rsrsrs E olha, a Di e a Rhian não vão conseguir ficar muito tempo de bad uma com a outra não. Essa cena final delas dormindo juntas foi extremamente terna.


E Tess, eu amei essa nova capa. Tudo muito lindo! E a Di é um tesão de mulher, com certeza!



Resposta do autor:

Oieeee meu bem!

Foi pesada a parte que a Di diz em voz alta pela primeira vez o seu maior temor, que é justamente a possibilidade do câncer :/ eu confesso que me deu um friozinho escrever esta palavra, mas enfim. E a Rhian foi a Rhian, aquela que segura o mundo ainda que ela esteja se despeçando junto. E sim, Isis é um tesão, pobre Ari anda passando mal haha E a cena final foi fofa, pq sinceramente eu não acredito que essas duas estando tão perto uma da outra possam ficar mais de uma noite separadas :)

Que bom q vc curtiu a capa! Tava ansiosa pra postar aqui ^^



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.